sexta-feira, 25 de março de 2011

CLUBE MILITAR CELEBRA GOLPE COM CRITICA À COMISSÃO DA VERDADE


25/03/2011 - 18h45
Clube Militar celebra golpe com críticas à Comissão da Verdade
RODRIGO RÖTZSCH
DO RIO
O Clube Militar realizou na tarde desta sexta-feira o painel "A Revolução de 31 de Março de 1964 - Com os Olhos no Futuro", com a participação do general da reserva Sergio de Avellar Coutinho, do advogado Ives Gandra Martins e da ex-deputada Sandra Cavalcanti, com a mediação do economista Rodrigo Constantino.
No debate, acompanhado por cerca de 200 pessoas, na sede do Clube Militar, do Centro do Rio, os participantes defenderam a necessidade do golpe em 1964 para frear o comunismo e criticaram a intenção de setores ligados ao governo federal de criar uma comissão da verdade sobre a ditadura militar.
Constantino começou o debate dizendo que ele é oportuno por acontecer num momento em que "coisas como a comissão da verdade e outras iniciativas, que querem tudo menos a verdade, pretendem reescrever a história sob um prisma falso e eivado de uma ideologia perversa".
"Eles não querem resgatar a verdade, porque a verdade deles não existe, é uma mentira. Memória histórica tem que ser resgatada por historiadores, com imparcialidade. Essa comissão da verdade é uma comissão da vingança", disse Martins.
Ele afirmou que a verdadeira intenção por trás da comissão é revogar a Lei de Anistia, mas duvidou que a tentativa tenha chances de prosperar.
Já Cavalcanti e Coutinho disseram considerar que a democracia está atualmente ameaçada no país. "O Brasil vem mantendo a sua versão de democracia, não uma democracia de fato. Sub-repticiamente, nós vivemos hoje sob uma tirania. Está em pleno andamento hoje uma república sindicalista", disse a ex-deputada.
Já para o general, "a revolução se encerrou em 1985, mas a perseverança dos comunistas, é preciso reconhecer, não acabou e continua até hoje".
Ele denunciou uma tentativa deliberada de solapar as Forças Armadas --com restrições orçamentárias, transferência de unidades e iniciativas revanchistas-- para eliminar barreiras a uma futura tentativa de instalar um regime totalitário de viés comunista. "A democracia é usada para a destruição da própria democracia", lamentou.
Nenhum dos debatedores chegou a propor uma nova revolução, mas Coutinho lamentou que não exista hoje uma figura e um partido para mobilizar os conservadores como o jornalista e governador da Guanabara Carlos Lacerda (1914-1977) e a UDN.
Menos radical que os demais debatedores, Martins disse que a presidente Dilma Rousseff --qualificada por Cavalcanti como "farinha do mesmo saco" de João Goulart, o presidente derrubado pelo golpe-- dá mostras de que não pretende ceder ao "núcleo pequeno, mas ainda forte, de radicais do governo" no revisionismo do passado. "Apesar de ter sido guerrilheira, ela está muito mais preocupada em governar eliminando arestas do que criando novas arestas", afirmou.
Sent: Friday, March 25, 2011 8:05 PM
Subject: [grupobarrobranco] Fwd: [GBB] O 47° ANIVERSÁRIO DA CONTRARREVOLUÇÃO
Amigos, participe deste debate:
Parabéns ao Gen. Heleno
De: Cel Ciapina <ciapina.gbb@gmail.com>
Data: 25 de março de 2011 13:10 Assunto: [GBB] C 47° ANIVERSÁRIO DA CONTRARREVOLUÇÃO
Para: ciapina.gbb@gmail.com
Com os meus cumprimentos, prazerosamente estou repassando.
José Américo
Eu também participei integrando o GRUPO TÁTICO/4 do qual fazia parte a minha Unidade: 2º G Can 40 de Barueri e ficamos dois meses acampados em Curitiba até que João Goulart, Brizola e sua trupe fugiram do Brasil.
Cel Ciapina
Editorial Reservaer
47° ANIVERSÁRIO  DA CONTRARREVOLUÇÃO
1964 / 2011 
A Espada de Dâmocles, fábula do século IV AC, aplica-se com precisão ao desconforto dos vencidos de 1964, muitos deles ora encastelados em nichos do governo, na mídia subvencionada, em ONG's espúrias e movimentos tutelados de ideologias anacrônicas importadas.
Agraciados pela Lei da Anistia, beneficiados com indenizações milionárias e pensões vitalícias isentas de tributos, além de sinecuras no aparelhamento da Administração Pública, chegaram ao Poder conservando suas ideologias e propósitos inconfessáveis de aniquilar a democracia, da qual se valeram aplicando os ensinamentos de Gramsci, visando a implantação do socialismo moderno e perpetuação no Poder.
Recalcados com a derrota inesquecível e inconformados por não disporem ainda das condições desejadas de avançar com sua agenda oculta, criam atalhos na decisão do Supremo Tribunal Federal com distorções políticas camufladas nos direitos humanos, com nomeação de comissões oficiais (unilaterais), propaganda enganosa e outras atividades afins igualmente deletérias. Como exemplo, essa requentada campanha publicitária visando deturpar a verdade histórica, voltada para fatos ocorridos durante os governos militares, financiando produção de filmes, publicação de artigos tendenciosos, inúmeros recursos de propaganda e agora com lançamento de novelas em canais de TV, onde não escondem a intenção de desmoralizar os militares federais.
Faz sentido. Atingir e solapar o alto conceito das Forças Armadas consolidado na população brasileira, conforme pesquisas de opinião pública (Ibope, FGV e AMB), é o objetivo determinante dessa campanha promovida pelos subversivos remanescentes na tentativa de persuadir os incautos (mais uma vez) e remover o maior obstáculo que enfrentam desde sempre. 
Tentam intrigar os militares no serviço ativo com os inativos, que à época combateram e venceram aquele extremismo que aterrorizava a Nação. Criam novas denominações como "Exército de ontem e de hoje" ou "militares profissionalizados". Já lhes foi esclarecido que o Exército é um só, o de Caxias, e os militares sempre foram profissionais de ideais patrióticos.
Na comemoração deste 47° aniversário da Contrarrevolução Democrática de 31 de março de 1964 que salvou o Brasil, vamos brindar a vitória alcançada e lembrar aos vencidos a fábula da Espada de Dâmocles, que atravessou seis milênios, porque mantém sua moral válida até os nossos dias. Como gatos escaldados, eles temem o fervor latente do principal reduto de resistência aos seus expedientes insidiosos - as Forças Armadas e seus componentes.


Postado por Cel Ciapina no GBB em 3/25/2011 01:10:00 PM

Nenhum comentário: