sexta-feira, 22 de abril de 2011

DIA VINTE E DOIS DE ABRIL DE 2011


DIA  V I N T E  E  DOIS  DE   A B R I L   DE   2011    S  E  X  T  A - F  E  I  R  A.
74 anos, três meses e 27 dias de idade.
ANO 61o. MÊS 10o. No. 287 (início de minhas memórias – 9 de julho de 1950)                                  52 anos e 322 dias na   PMESP.
23 anos e 41 dias no Posto de Coronel – 277 meses e 11 dias.
8 441  dias C O R O N E L                                 19 anos e   129 dias  na reserva. 
9 051-217 232                                8 441 201 660                             9 564-229 684.
ESCOLA   DE  OFICIAIS:  52   anos   e   70  dias; 19 063 dias – 458 412  horas.
DIA DE SÃO SOTERO. Nasceu em NÁPOLES. Foi eleito PAPA em 161. Depois de um pontificado fecundo, até o ano 175, teve a glória de derramar seu sangue por NOSSO SENHOR JESUS CRISTO, durante a perseguição de MARCO AURÉLIO. No pontificado, manifestou zelo e compaixão pelos pobres.
DIA DE SÃO CAIO. Nasceu na DALMÁCIA (IUGOSLÁVIA) e seu papado durou de 283 a 296.

QUINHENTOS  E ONZE ANOS DO  DESCOBRIMENTO  DO  BRASIL.
DIA DA COMUNIDADE  LUSO BRASILEIRA.
DIA DA FORÇA AÉREA - BRASILEIRA.
DIA INTERNACIONAL DA TERRA
DIA DA AVIAÇÃO DE CAÇA.
D I A   D A   T E R R A

PEDRO ÁLVARES CABRAL nasceu em BELMONTE, PORTUGAL. Em 9 de março de 1500, a pedido de dom MANUEL I, partiu de LISBOA com destino às INDIAS,  no ORIENTE MÉDIO. Como se tivesse desviado de sua rota, chegou à costa brasileira em 22 de abril de 1500, de onde, dias depois, seguiu viagem. O território descoberto, situado no atual Estado da BAHIA, recebeu o nome de VERA CRUZ, que no século XVI foi substituído por BRASIL, derivado provavelmente da madeira vermelha chamada pau-brasil, que abundava e que objeto de ativo comércio. A colonização do país por portugueses foi numa no princípio, mas em 1530, dom JOÃO III, alarmado pelas tentativas de penetração de espanhóis e franceses, enviou uma importante expedição comandada por MARTIM AFONSO DE SOUZA. Para estimular a colonização, distribuiu o território em capitanias hereditárias com grandes privilégios para os colonos. No regresso  a  PORTUGAL, CABRAL recebeu diversas honras, mas nunca mais teve seus serviços utilizados por dom MANUEL I. Em 1520, aos 52 anos, ele morreu esquecido em SANTARÉM, no norte de LISBOA.

Uma notícia de jornal, transcorridos cento e sete anos do fato.  “22  de  abril  de 1903 – Telegramas recebidos esta noite dizem que as forças governistas atacaram e penetraram em SÃO DOMINGOS. Os insurretos, que se achavam bem armados, municiados e bem entrincheirados, abriram nutrido fogo contra os governistas, que foram obrigados a se retirar, deixando no terreno mais de cem mortos e inúmeros feridos. O ministro do Interior, o governador de PUERTO LA PLATA e o general QUESADA morreram no combate”.

 
641 a. começa a construção da BASTILHA, uma fortaleza na região leste de PARIS, em 22 de abril de 1370. Com oito torres e 300 metros de altura, protege a cidade de ataques antes de se tornar prisão estatal. Em 14 de julho de 1789 foi atacada e depois destruída.
479 a. do município de ITANHAEN, fundado em 22 de abril de 1532.
395 a. escritor MIGUEL DE CERVANTES morre aos 68 anos, em 22 de abril de 1616. Uma de seus obras mais conhecidas, DOM QUIXOTE, foi traduzida para mais de 60 línguas. Mas ele só se dedicou à literatura no fim da vida. Antes disso, foi soldado.

INQUISIÇÃO - HEREGES - FOGUEIRAS


INQUISIÇÃO, HEREGES E FOGUEIRAS

Gen Div R1 Clovis Purper Bandeira
1º Vice-Presidente do Clube Militar

O termo Inquisição refere-se a várias instituições dedicadas à supressão da heresia no seio da Igreja Católica. A Inquisição foi criada inicialmente para combater o sincretismo entre alguns grupos religiosos, que praticavam a adoração de plantas e animais. A Inquisição medieval, da qual derivam todas as demais, foi fundada em 1184 no Languedoc (sul da França) para combater a heresia dos cátaros ou albigenses. Em 1249, implantou-se também no reino de Aragão, como a primeira Inquisição estatal e, já na Idade Moderna, com a união de Aragão e Castela, transformou-se na Inquisição Espanhola (1478 - 1821) – na qual celebrizou-se a figura do dominicano Torquemada, de triste lembrança – sob controle direto da monarquia hispânica, estendendo posteriormente sua atuação à América. A Inquisição Portuguesa foi criada em 1536 e existiu até 1821. A Inquisição Romana ou "Congregação da Sacra, Romana e Universal Inquisição do Santo Ofício" existiu entre 1542 e 1965.
O condenado era muitas vezes responsabilizado por uma "crise da fé", pestes, terremotos, doenças e miséria social, sendo entregue às autoridades do Estado, para que fosse punido. As penas variavam desde confisco de bens e perda de liberdade, até a pena de morte.
O delator que apontava o "herege" para a comunidade garantia, por seu ato, sua fé e status perante a sociedade.
Ao contrário do que é comum pensar, o tribunal do Santo Ofício era uma entidade jurídica e não tinha forma de executar as penas. O resultado da inquisição feita a um réu era entregue ao poder secular.
A utilização de fogueiras como maneira de o braço secular aplicar a pena de morte aos condenados que lhes eram entregues pela Inquisição é o método mais famoso de aplicação da pena capital, embora existissem outros.
Séculos depois de terem sido encerrados os tribunais eclesiásticos do Santo Ofício e de terem cessado os autos de fé, o Brasil, mestre em recriar a história, estabelece seu Tribunal Inquisitório, sob o nome de Comissão Nacional da Verdade. Nela, os torquemadas tupiniquins julgarão os novos hereges, na maioria militares, que ousaram enfrentá-los e derrotá-los há algumas décadas.
Os delatores desses hereges, muitos já recebendo generosas pensões e indenizações por terem sido vítimas da "repressão" que impediu que transformassem, como era seu intento, o país em uma grande Cuba, garantem o reconhecimento governamental e sua pureza ideológica através da delação. Já tendo recebido as gordas indenizações – isentas de imposto de renda – de que usufruem, receberão agora a doce vingança final de verem seus antigos adversários arrastados às barras deste tribunal de araque, composto majoritariamente por antigos esquerdistas e seus asseclas, que julgarão os agentes da lei e da ordem que, no cumprimento de seus deveres profissionais, ousaram combatê-los. Assim, velhos criminosos, já premiados, vão completar a vendeta com a execração pública de seus pretensos algozes.
Conforme já decidiu o STF, não há crime a punir, visto que a Lei da Anistia eximiu todos os envolvidos, da esquerda e da direita. No entanto, na visão caolha que perdoa guerrilheiros e terroristas e condena, apesar da Lei, os que contra eles lutaram, o linchamento público deve ocorrer, sob a desculpa de que os agentes do Estado têm responsabilidade, mas os bandidos e criminosos são vítimas inocentes, inimputáveis – e insaciáveis, como se vê. São os únicos titulares dos "direitos humanos".
Os defensores dessa absurda e tendenciosa Comissão alegam que apenas desejam descobrir o destino dos corpos de seus entes queridos, que desapareceram na luta contra a "ditadura", embora quisessem implantar outra ditadura em seu lugar – só que, como eram e são donos da verdade, só eles podem julgar o que convinha e convém ao país.
É evidente que, para localizar cadáveres, a eficiência desses julgamentos é nula. Mas isso é apenas desculpa, uma justificativa de apelo popular para encobrir as verdadeiras intenções vindicativas dos vencidos. Inverte-se o ditado romano: "Ai dos vencedores".
Não tenho dúvidas de que nosso excelso Congresso aprovará a criação da Comissão desejada pelo Executivo, em troca da nomeação de mais alguns nepotes para cargos públicos a serem criados para abrigá-los.
As fogueiras estão sendo armadas. Já se antecipa o cheiro de carne queimada.
O GENERAL BANDEIRA FOI DE UMA FELICIDADE SEM IGUAL. MARCHAMOS PARA A DITADURA. INTELIGENTEMENTE FALAM EM DEMOCRACIA, DESDE QUE ELES SEJAM SEMPRE OS VENCEDORES. ESTÃO COMENDO A OPOSIÇÃO PELAS BEIRADAS E TODOS BATENDO PALMAS E AGINDO COMO AVESTRUZ. "ENTERRAM A CABEÇA NA TERRA PARA NÃO VEREM AS FOGUEIRAS QUE ESTÃO SENDO ARMADAS".
GRUPO GUARARAPES
REPASSEM ESTA AULA