quarta-feira, 30 de outubro de 2013

VOCÊ AMA SUA FAMÍLIA? LEIA O TEXTO DE PEDRO ANTÔNIO FEDERSONI JÚNIOR.



SE AMA A SUA FAMÍLIA, LEIA O TEXTO ABAIXO



https://mail.google.com/mail/u/0/images/cleardot.gif

https://mail.google.com/mail/u/0/images/cleardot.gif
https://mail.google.com/mail/u/0/images/cleardot.gif

De: Pedro Antonio Federsoni Junior <pfedersoni@gmail.com>
Data: 30 de outubro de 2013 06:37
Assunto: [LSP43] Fwd: SE AMA A SUA FAMÍLIA, LEIA O TEXTO ABAIXO
  
Para quem não acreditou nas cartilhas que ela criou, preparando o terreno para o golpe final...
Está tudo aqui, na surdina, para ser aprovado no Senado. Só falta isso...
Sem nenhum tipo de repulsa, censura ou discriminação, eu só quero continuar tendo família, religião, cidadania, direitos e liberdade.
Tenho amigos homossexuais dos dois gêneros, que são gente finíssima, de educação ilibada e absolutamente contra essa barbaridade escatológica.
                                       REPASSANDO

 




Tudo pode se esperar no sentido de destruir os conceitos de pátria, família e liberdade, para não falar em religião.
Neste projeto de reforma constitucional e legislativa, ela extrapolou o abuso.

Vedar e punir discriminação contra os desiguais é uma coisa – é mudança e evolução cultural. Agora, igualar as diferenças é absurdo por qualquer ângulo.


Repassem por favor. Urgente! 

 Lei que extingue a "família" será  votada na próxima semana. Entenda essa lei. Leia e repasse este e-mail para que se tome conhecimento de que não estamos muito longe para chegarmos ao fim do poço !
  
INFORMAÇÃO GERAL AO POVO
   
Lei que extingue a 'família' será votada; Entenda essa lei. 


PL122 SERÁ VOTADA ESTA SEMANA
Essa é a proposta que a Sen. Marta Suplicy vem propor. Quem acha que está certo, apague a matéria e fica por isso mesmo, mas se não concordar, faça como eu, repasse!!!
Amigos,
É essa a Proposta de Emenda à Constituição que a Senadora Marta Suplicy e a Comissão Especial de Diversidade Sexual da Ordem dos Advogados do Brasil – OAB estão elaborando para o nosso País. (?)
Principais pontos:
- Acabar com a família tradicional
.
- Retirar os termos “pai” e “mãe” dos documentos.
- Acabar com as festas tradicionais das escolas (dia dos pais, das mães) para “não constranger” os que não fazem parte da família tradicional.
“A senadora Marta Suplicy (PT-SP) elogiou a Proposta de Emenda Constitucional (PEC), elaborada pela Comissão Especial de Diversidade Sexual da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), que quer ampliar privilégios a indivíduos viciados em práticas homossexuais. O texto tem a pretensão de introduzir na Constituição todas as decisões do Supremo Tribunal Federal (STF) que favoreceram a agenda gay, inclusive a garantia de união estável para duplas homossexuais, com direito à conversão em casamento e adoção de crianças.
De acordo com a agência de notícias do Senado, “a PEC tem como um de seus principais ponto a criminalização da homofobia e estabelece a pena de dois a cinco anos de reclusão para aqueles que praticarem atos de discriminação e preconceito em virtude da orientação sexual de alguém . A mesma punição se estende aos que incitarem o ódio ou prega rem [contra a] orientação sexual ou identidade de gênero”.
Com a aprovação da PEC, a própria Constituição do Brasil se transformará num PLC 122. Mas Suplicy reconhece que a tentativa de transformar a Constituição do Brasil numa constituição anti-“homofobia” certamente enfrentará resistência de “setores como o da igreja”. A senadora acredita que, estrategicamente, será importante aprovar primeiro o PLC 122/2006, pois sua tramitação está mais avançada, tendo já sido aprovado sorrateiramente na Câmara dos Deputados e restando apenas a votação no Senado. O segundo passo, na avaliação de Marta, é apresentar a PEC, que é uma matéria mais ampla e complexa. “A PEC é bem mais difícil de aprovar. Então, vamos começar com a homofobia e avaliar o momento adequado para fazer uma PEC com essa amplitude, que é realmente o sonho que nós gostaríamos para todo o País”, explicou a senadora à agência do Senado.
O Estatuto da Diversidade Sexual conta com 109 artigos, que alteram 132 dispositivos legais. O Estatuto criminaliza a fobia, reconhece o direito à livre orientação sexual e iguala os direitos fundamentais entre heterossexuais e LGBTs.