sexta-feira, 14 de novembro de 2014

PALESTRA PROFERIDA POR MARIANO TAGLIANETTI NA CAPITANIA DOS PORTOS DO PARANÁ - MARINHA DO BRASIL - A REVOLUÇÃO DE BRASILIDADE CONSTITUCIONALISTA PAULISTA DE 32 E A CONSTITUINTE DE 1934.

A REVOLUÇÃO DE BRASILIDADE CONSTITUCIONALISTA PAULISTA DE 32 E A CONSTITUÍNTE DE 1.934.

Meus respeitos ao Capitão FRANCISCO DANTAS DE ALMEIDA FILHO, ao Cel. JOÃO ALMEIDA que nos dá a honra de sua presença na qualidade de Presidente da Associação Paranaense M.M.D.C. 32 e Heróis do Cerco da Lapa, Autoridades e distintos Marinheirosintegrantesda Capitania dos Portos do Paraná, aqui presentes.

“SE DEZ VIDAS TIVESSE, TODAS EU DARIA!”
ALFERES JOAQUIM JOSÉ DA SILVA XAVIER – “TIRADENTES”
HERÓI DA REPÚBLICA, primeiro a concebê-la.
Enfrentou corajosamente a forca em21/04/1.792.

Relata PRADO MAIA, em sua obra “ATRAVÉS DA HISTÓRIA NAVAL BRASILEIRA” a primeira façanha da série que assinalaria a vida gloriosa de JOAQUIM MARQUES LISBOA,futuro MARQUES de TAMANDARÉ vosso patrono : “Quando da malograda expedição naval á Patagônia  (Guerra da Cisplatina), caíram prisioneiros dos argentinos, APESAR DE HERÓICA RESISTÊNCIA, os sobreviventes das guarnições da pequena divisão brasileira. ESTAVAM ENTRE ELES OS SEGUNDOS TENENTES JOAQUIM MARQUES LISBOA E JOAQUIM JOSÉ INÁCIO, futuros MARQUES DE TAMANDARÉ E VISCONDE DE INHAÚMA. Não teveMARQUES LISBOA seu ânimo abatido. “Ele já sabia que a sorte das armas é inconstante, e do mesmo passo que sorri, hoje, a um dos combatentes, pode mostrar-lhe, amanhã, o cenho carregado...” Foi realmente o que aconteceu, como vamos ver. “A 16 de agosto de 1.827, escoltado pelas corvetas Chacabuco e Ituzaingó, saia da barra do Rio Negro o brigue argentino Ana. Aseu bordo metidos no porão, seguiam para o rio Salado 93 prisioneiros brasileiros. Apenas o brigue montou a barra MARQUES LISBOA, que figurava entre estes, PÕE À PROVA SUA CORAGEM E SEU ESPÍRITO DE INICIATIVA. Revoltando seus companheiros com o auxílio valioso do segundo tenente JOAQUIM JOSÉ INÁCIO, domina a guarnição do navio, aprisiona o comandante, e ASSUME, ELE PRÓPRIO, O COMANDO. Isso, de tal modo, com tal presteza que os navios da escolta não perceberam a mudança, continuando a navegar com o destino indicado. “Ao apresentar-se momento azado, porém, FAZ O ANA RUMO A MONTEVIDÉO onde, apesar da perseguição tenaz dos dois navios argentinos na escolta, conseguiu, entrar, no dia 29”. ESTAVA PRATICADA A PRIMEIRA FAÇANHA DA SÉRIE QUE ASSINALARIA A VIDA GLORIÓSADE TAMANDARÉ.

Feita esta saudação inicial, de todo necessária, por enaltecer a Marinha, à qual darei continuidade ao final, adentremos no objeto desta palestra visando demonstrar a BRASILIDADE DA REVOLUÇÃO PAULISTA DE 32, observando que os fatos históricos devem ser estudados e analisados a luz da época em que se desenrolaram. Obedecendo a essa premissa que contraria o que poderíamos chamar de interpretaçõessubjetivas alheias ao seu contexto rememoremos os antecedentes que desencadearam A REAÇÃO DE BRASILIDADE PAULISTA nos termos expressos em BRASÃO REVOLUCIONÁRIO DE 32, até hoje professado e cultivado: - “PRO BRASILIA FIANT EXIMIA”.
A política “café com leite” praticada por São Paulo e Minas Gerais fora rompida pelo presidente WASHINGTON LUÍS PEREIRA DE SOUSA, que ignorando a vez das ALTEROSAS, impôs a candidatura de JULIO PRESTES o qual venceu o pleito derrotando o adversárioGETÚLIO VARGAS.
Inconformado VARGAS marchou com oito mil combatentes sendo barrado em ITARARÉ, divisa Paraná / São Paulo, por expressiva tropa do EXÉRCITO E DA PODERÓSAFORÇA PÚBLICA PAULISTA,fiéis ao governo.Ocorreram combates preparatórios em SENGÉS – PR e MORUNGABA – SP. Entrementes, no Rio de Janeiro, junta militar formada pelos generais MENA BARRETO, TASSO BARROSO e almirante ISAIAS DE NORONHA depuseram, 21 dias antes do término legal de seu mandato,o PRESIDENTE DA REPÚBLICA.
NÃO OCORREU A ESPERADA BATALHA DE ITARARÉ A QUAL HAVERIA, TAL QUAL GETTYSBURGO DA EXEMPLAR DEMOCRACIA REPUBLICANA NORTE AMERICANA, DADO OUTRO RUMOAOS DESTINOS DA NACIONALIDADE...
Fronteira aberta, GETÚLIO VARGAS foi recebido entusiasticamente em São Paulo, partindo em seguida para o Rio de Janeiro, onde descumpriu o trato com a ALIANÇA LIBERAL (Partido Democrata Paulista, Minas Gerais e Rio Grande do Sul), DE CONVOCAR, saliente-se MEDIATAMENTE, ao por os pés no CATETE, a Assembleia CONSTITUÍNTE protelandoindefinidamente esse compromisso, iniciando a devassa ditatorial, desestruturando a NAÇÃO, exonerando governadores e prefeitos dos estados e nomeando discricionariamente interventores.
DENTRO DESSA ÓTICA OS CHEFES DA REVOLUÇÃO DE 30 NÃO RESPEITARAM, EM SÃO PAULO, E NOS ESTADOS, MORMENTE NO RIO GRANDE DO SUL, SE QUER OS ALIADOS... Entregaram São Paulo ao inábil edesqualificadoCap. JOÃO ALBERTO o que deu origem aos desentendimentos entre vencedores e vencidos. Ambos, desiludidos e amargurados se uniram exigindo que o governo fosse entregue a um civil paulista.
Para atender aos golpistas foi extinto o PODER LEGISLATIVO e modificadaa CONSTITUIÇÃO DE 1.891.A situação tornou-se intolerável por haver GETÚLIO VARGAS,em março de 1.932,manifestado contrariedade à legalidade democrática ao afirmar “necessidade de proceder ANTES DA CONSTITUCIONALIZAÇÃO à capina do terreno, das ervas daninhas que o esterilizavam...”. Nesse clima, sucederam-semanifestações populares e ao cair da tarde de 23 DE MAIO DE 1.932, na praça da República,  perto da rua Barão de Itapetininga, DOS PRÉDIOS VIZINHOS OS PARTIDÁRIOS DO GETULHISMO, COMEÇARAM A ATIRAR CONTRA OS MANIFESTANTES, matando cinco populares : - MÁRIO MARTINS DE ALMEIDA, fazendeiro em Sertãozinho, nascido em São Manuel, São Paulo, em 1.901; - EUCLIDES BUENO MIRAGÁIA, auxiliar de cartório, em São Paulo, nascido em São José dos Campos, em 1.911; - DRÁUSIO MARCONDES DE SOUZA, estudante, nascido na cidade de São Paulo, em 1.917, tinha apenas 14 anos; - ANTONIO AMÉRICO DE CAMARGO ANDRADE, do comércio, nascido em São Paulo, em 1.901; A  revolta popular diante dessa tragédia  originou a ENTIDADE ANCORA mais destacada da REVOLUÇÃO de 32 – o M.M.D.C., iniciais dos que tombaram derramando  sangue naquele início de EPOPÉIA (MARTINS, MIRAGAIA, DRÁUSIO E CAMARGO). Cumpre mencionar que nessa fatídicatragédia que envolveu os primeiros heróis da REVOLUÇÃO CONSTITUCIONALISTA foi gravemente ferido ORLANDO DE OLIVEIRA ALVARENGA, escrevente juramentado, nascido em Muzambinho, Minas Gerais, não aparecendo seu nomeporque veio a falecer em 12 de agosto, quando já organizado o M.M.D.C.. Consigne-se nesta oração a homenagem que LHE rende perenementea SOCIEDADE VETERANOS DE 32neste momento reafirmada por seu atual presidente Cel. MÁRIO FONSECA VENTURA.
23 DE MAIO FOI O SELO DE SANGUE DA PÁGINA CONSTITUCIONALISTA, QUE UNIU TODOS OS PAULISTAS E FILHOS DE OUTROS ESTADOS E ATÉ DE OUTROS PAÍSES NO IDEAL SUPREMO PELA CONQUISTA DA CONSTITUÍNTE QUEERANEGADA AO POVO BRASILEIRO PELA MENTALIDADE  DITATORIAL DOS VENCEDORES QUE DESVIRTUARAM OS RUMOS DEMOCRÁTICOS DA REVOLUÇÃO DE 1.930.Nessas circunstâncias os INIMIGOS DA BRASILIDADE CONSTITUCIONALISTA PAULISTA PERCEBERAM E NOTARAM A FIRMEZA DO RUMO DOS ACONTECIMENTOS...
Deflagrada em NOVE DE JULHO foi apoiada incondicionalmente pela “FRENTE ÚNICA GAUCHA” que em memorável MANIFESTO respaldou, e insistimos nesse aspecto, porquetraduziu na plenitude a BRASILIDADE DA REVOLUÇÃO CONSTITUCIONALISTA. Esse documento analisado historicamente nos dá sólida convicção nesse sentido, contradizendo seus detratores. Eis sua íntegra: “Na hora histórica, em que nos alçamos DE ARMAS NA MÃO, PARA AJUDAR O HERÓICO SÃO PAULO, NA SUA PUGNA TITÂNICA PELA RESTAURAÇÃO DA ORDEM INSTITUCIONAL E DA LIBERDADE POLÍTICA DO PAÍS, AO ALTIVO POVO RIO-GRANDENSE DEVEMOS A NOSSA PRIMEIRA PALAVRA CHEIA DE FÉ E DE AMOR, PARA DAR-LHE A CONHECER, NA SUA REALIDADE INSOFISMÁVEL, OS GRAVES IMPERATIVOS DE ORDEM MORAL E CÍVICA QUE NOS COMPELIRAM À ATITUDE EXTREMA EM QUE NOS ENCONTRAMOS.
De sobejo sabe o RIO GRANDE DO SUL, a partir de março último, quando alguns de seus filhos mais ilustres se viram na contingência de abandonar seus postos na administração federal, que os seus grandes e tradicionais partidos deliberaram abster-se, daí em diante, de qualquer colaboração com o Governo da República.
Continuamos, porém, a dar todo o nosso apoio ao interventor federal no estado, PORQUE SE IDENTIFICARA ELE COM OS NOSSOS PONTOS DE VISTA E, SENDO SEMPRE “MAGNA PARS” EM NOSSAS CONFERÊNCIAS E DECISÕES COLETIVAS, SELARA CONOSCO O PACTO DE ACOMPANHAR-NOS, EM QUALQUER EMERGÊNCIA, NÃO EXCLUIDA MESMO A QUE NOS POUDESSE ARRASTAR AO PRECIPÍCIO. ASSUMIMOS ASSIM E SUCESSIVAMENTE COMPROMISSOS DE HONRA COM A NAÇÃO, ESPECIALMENTE COM SÃO PAULO, A QUEMASSEGURAMOS SOLIDARIEDADE E APOIO MATERIAL PARA SUAS JUSTAS REINVINDICAÇÕES DE CARÁTER REGIONAL E NACIONAL.
DEPOIS DE MUITO SOFRER E TOLERAR, REBELOU-SE O ESTADO DE SÃO PAULO CONTRA A OMINIOSA DITADURA E COM ESTA TRAVA UM PRÉLIO HOMÉRICO EM DEFESA DOS MAIS NOBRES IDEAIS DA PÁTRIA.
Era-nos lícito esperar que, nessa excepcional conjuntura, ASSUMISSE O SENHOR FLORES DA CUNHA uma atitude benévola senão favorável a São Paulo, CONFORME NOS AUTORIZAVAM A CRER AS SUAS ANTERIORES MANIFESTAÇÕES PÚBLICAS E O SEU PERFEITO ENTENDIMENTO, ATÉ ENTÃO, COM OS REPRESENTANTES DA FRENTE ÚNICA RIO-GRANDENSE. Eis, porém, que S. Exa., com surpresa geral, adota o partido contrário e  PASSA A SER UM SERVIDOR INCONDICIONAL DA DITADURA, CONTRA A QUAL CHEGARA ANTES A ARMAR-SE E A NÃO DISSIMULAR CERTAS AMEAÇAS. É pois a  nossa atitude antes de mais nada, o PROTESTO MORAL DO RIO GRANDE REPUBLICANO E LIBERTADOR CONTRA ESSE GOLPE DE SURPRESA QUE NOS OBRIGOU A ABANDONAR À SUA PRÓPRIA SORTE, nas primeiras semanas de luta, OS NOSSOS HERÓICOS E INVENCÍVEIS ALIADOS DE SÃO PAULO.
Por dolorosa ironia do destino É O RIO GRANDE, QUE PRIMEIRO LEVANTOU O SEU PROTESTO CONTRA OS DELIRIOS DE UM GOVERNO OSTENSIVAMENTE DIVORCIADO DA MORAL E DA RAZÃOQUE ENTROU  EM REPULSIVA AGONIA DE SANGUE.
Não fossem as forças que o interventor está mandando combater os EXÉRCITOS CONSTITUCIONALISTAS DE SÃO PAULO, por certo não se haveria criado o impasse que está custando milhares de vidas ao Brasil e desorganizando por completo sua entrosagem econômica. Não fora o auxílio prestado à ditadura pelo interventor ao preço de nossa humilhação e já estaria terminada a revolução com a implantação de uma junta governativa formada de homens probos, capazes de reconduzir o país aos quadros da LEI. Impossível imaginar, na altura que chegaram os acontecimentos, que a luta fraticida possa chegar a termo dentro de poucos meses. A continuar o morticínio nas fronteiras paulistas, SERÁ O BRASILDENTRO EM BREVE UM CENÁRIO DE RUÍNAS. O vencedor recolherá a vitória sobre os escombros da Pátria. E TUDO ISTO PORQUE O RIO GRANDE AINDA NÃO CUMPRIU O SEU DEVER E ESTÁ COMBATENDO A SUA PRÓPRIA CAUSA: - QUE É A CAUSA DA NAÇÃO BRASILEIRA, CANÇADA DE TUTELAS INEPTAS E DE RIDÍCULAS IDEOLOGIAS.
Dirigimos daqui o nosso veemente apelo aos nossos concidadãos e às classes conservadoras para que não cooperempela sua inação, na irremediável desorganização do nosso patrimônio econômico. Calcule-se o que estará custando este primeiro mês de julho de luta armada ás fortunas públicas e particulares do país. Dentro em breve o BRASIL pagará tantas loucuras e tamanhos crimes com a sua falência integral. E porque se combate, afinal, no BRASIL? – COMBATE-SE PORQUE À NAÇÃO SE NEGA O DIREITO DE GOVERNAR-SE POR SÍ MESMA SOB PRETEXTO, QUE SERIA INFAME, SE NÃOFOSSE RIDÍCULO DE QUE ELA AINDA NÃO ESTÁ PREPARADA PARA REINGRESSAR NO REGIME DA LEI. Não se iluda o povo RIO-GRANDENSE. AQUELES QUE A DITADURA ACOIMA DE REACIONÁRIOS OUTRO CRIME NÃO COMETEM SENÃO O DE DISSENTIR DA INDEFINIDA PROLONGAÇÃO DE UM GOVERNO DISCRICIONÁRIO E ARBITRÁRIO SEM RECURSOS NEM FINALIDADES, A NÃO SER O DA PRÓPRIA CONSERVAÇÃO.
Temos certeza absoluta de que o RIO GRANDE está ao nosso lado. O RIO GRANDE nunca foi uma terra amorfa à discrição de qualquer governo SÓ PELO FATO DE SER GOVERNO. Possui o RIO GRANDE, pelo contrário, a nobre consciência dos seus direitos e deveres cívicos.
NO RIO GRANDE QUEM NÃO É REPUBLICANO É LIBERTADOR. E TANTO UM COMO OUTRO DOS NOSSOS PARTIDOS ESTÁ PRONTO A CONDENAR HOJE PELA AÇÃO, O QUE CONDENAVA ONTEM PELAS PALAVRAS.
Começa o RIO GRANDE, nesta grande hora, A CUMPRIR SUA PALAVRA EMPENHADA COM SÃO PAULO EM FAVOR DA NAÇÃO. OS COMPROMISSOS MORAIS NÃO SÃO LETRA MORTA PARA O SEU POVO. O Brasil pode confiar em nós, AQUI AINDA VIVE UMA COLETIVIDADE DE HOMENS E NÃO UMA HORDA DE ESPECTROS DE HOMENS.
NOSSA SERÁ A VITÓRIA, E TANTO VALE DIZER QUE A VITÓRIA SERÁ DO POVO BRASILEIRO.
RIO GRANDE: HONRA O COMPROMISSO DE TEUS FILHOS!
RIO GRANDE: SÊ DIGNO DA TUA HISTÓRIA!
RIO GRANDE: SEGUE A TUA LEGENDA IMORTAL!
Porto Alegre, 25 de agosto de 1.932.
BORGES DE MEDEIROS, RAUL PILLA, BATISTA LUZARDO,LINDOLFO COLLOR...”
Houveram renhidos combates. BORGES DE MEDEIROS e seus partidários entrincheiraram-se em Porto Alegre mas foram subjugados pelas forças leais a FLORES DA CUNHA. Partiram para São Paulo.
Por todo imenso Brasil há episódios, dignos de menção: o do jovem tenente ASSUNÇÃO, que parte de Castro, à frente de um esquadrão de cavalaria, atravessando a fronteira com São Paulo e vai lutar na região da Mantiqueira e os bravos de SENGES, ambos do Estado do Paraná.
Outros estados também participaram da REVOLUÇÃO CONSTITUCIONALISTA de 1.932 a exemplo os artilheiros do FORTE ÓBIDOS, que em 18 de agosto se pronunciaram solidários com aqueles que reclamavam CONSTITUIÇÃO para o País. Partiram para invadir MANAUS e, não podendo transportar seus obuses, armaram-se apenas com metralhadoras e fuzis, ocupando pequenos barcos. O governo provisório mandou ataca-los, ordenandoao BAEPENDI o maiornavio que sulcava o Rio Amazonas essa  empreitada. Empregado como aríete sobre as frágeis embarcações dos revoltados afundou-as. JARBAS PASSARINHO assim reporta: - “agindo como proa como se fosse um aríete afundou-as. Em seguida, sem nenhuma contemplação para com os náufragos metralhou-os”. O episódio de ITAQUATIARA é um dos muitos que aconteceram em outros estados como MATO GROSSO, MINAS GERAIS, RIO GRANDE DO SUL, E BAHIA...
A História do Exército Brasileiro, em seus anais consigna esta verdade: - “NÃO SE ESTAVA DANDO PASSO ALGUM EM CONCRETO PARA CONVOCAR A CONSTITUÍNTE”, objetivo maior da Revolução de 30, apoiada pela ALIANÇA LIBERAL.
O armistício de dois de outubro de 1.932 pôs termo à REVOLUÇÃO. Não venceu pelas armas, mas sua causa foi vitoriosa. FOI RECONHECIDA PELO EXÉRCITO BRASILEIRO. O ditador foi obrigado a devolver ao povo a democracia QUE HOUVERA USURPADO.
Beneficiou moralmente todo Brasil que voltou de novo ao regime da LEI. O enérgico protesto armado dos brasileiros de São Paulo, do Sul do Mato Grosso e asfixiado em outros estados, selado com o sacrifício de sangue nas frentes de combate impressionou profundamente toda NAÇÃO, de tal forma que todos sentiram que o ideal da REVOLUÇÃO CONSTITUCIONALISTA era nobre e justo. SEIS MESES APÓS ASSINADO O ARMISTÍCIOEM TRES DE MAIO DE 1.933 FORAM REALIZADAS ELEIÇÕES EM TODO BRASIL ELEGENDO OSCONSTITUÍNTES  QUE PROMULGARAM NO ANO SEGUINTE EM 16 DE JULHO A CONSTITUIÇÃO DE 1.934.
NA CONQUISTA DA CONSTITUÍNTE E CONSEQUENTEPROMULGAÇÃO DA CONSTITUIÇÃO DE 1.934 RESIDE A VERDADEIRA E INSOFISMÁVEL VITÓRIA DA REVOLUÇÃO DE BRASILIDADE CONSTITUCIONALISTA PAULISTA DE 1.932.
TODAS AS DEMAIS LEIS VOLTARAM, ENTÃO, A SEREM FEITAS NO PAÍS INTEIRO DE ACORDO COM A CONSTITUIÇÃO. Não fosse a GUERRA PAULISTA O IDEAL DEMOCRÁTICO, SEMPRE VIVO NA ALMA DO POVO BRASILEIRO, CERTAMENTE PERDERIA SEU VIGOR E O REGIME DA LEI RESSURGIRIA COM MUITO MAIS ATRAZO EM NOSSO PAÍS.
Na realidade o MOVIMENTO CONSTITUCIONALISTA correspondeu a uma aspiração de todo povo brasileiro. Há um dever de gratidão para com os BRASILEIROS de São Paulo. ELES trabalharam, lutaram e se sacrificaram pela LEI. Honremos a memória dos que morreram e o sacrifício dos que expuseram sua mocidade, consumindo-se nas trincheiras, dos que sofreram nos hospitais, nas prisões e no exílio...
O Presidente JUCELINO KUBISTCHECK salientou: “A REVOLUÇÃO CONSTITUCIONALISTA ABERTA EM SÃO PAULO A 9 DE JULHO DE 1.932 É UM ACONTECIMENTO QUE JÁ ATRAVESSOU AS PORTAS DO TEMPO COMUM PARA PENETRAR NA PERENIDADE DA HISTÓRIA. FOI UMA DAQUELAS CAUSAS PELAS QUAIS OS HOMENS PODEM VIVER COM DIGNIDADE E MORRER COM GRANDEZA”.
Em 23 de maio de 1.968, DIA DA JUVENTUDE CONSTITUCIONALISTA o hoje Presidente da Sociedade de Veteranos de 32 Cel. MÁRIO FONSECA VENTURA, em sessão solene de fundação da Associação de MolayAlumini do Estado de São Paulo destacou: “Dentre as inúmeras solenidades em que comparecemos em homenagem a esta data, calou fundo na memória quando o MARECHAL-DO-AR MARCIO DE SOUZA E MELLO, então comandante da QUARTA ZONA AÉREA, leu a ordem do dia alusiva a 23 de maio de 1.964ao pé da placa de bronze que assinala, na praça da República o local em que tombaram MARTINS, MIRAGAIA, DRÁUSIO E CAMARGO. A FORÇA AÉREA BRASILEIRA VINHA PELA PRIMEIRA VEZ À PRAÇA DA REPÚBLICA PROCLAMAR A SUA INTEIRA IDENTIFICAÇÃO COM OS JOVENS DE SÃO PAULO. Vinha assegurar, também, que OS IDEAIS DE 1.932 eram os mesmos daqueles que a tudo se dispuseram para livrar o BRASIL da desordem, da corrupção, do comunismo internacional, quando da CONTRA REVOLUÇÃO DE MARÇO 1.964.
Verberou o MARECHAL SOUZA E MELLO “Aqui TAMBÉM ESTÁ O ALTAR DA PÁTRIA! E PENSANDO NELA, A PÁTRIA QUE OS MERCENÁRIOS NÃO VENCERAM, NÓS, REPRESENTANTES DA FORÇA AÉREA BRASILEIRA, ASSOCIANDO-NOS AO ARDOR DA MOCIDADE CONSTITUCIONALISTA DE SÃO PAULO, ESTAMOS CERTOS DE ATENDER AO ESTÍMULO DO POÉTA, TÃO CARO AOS JOVENS DESTA TERRA, ASSEGURANDO QUE: - JAMAIS A DEICHAREMOS MORRER”.
No Parque Ibirapuera, em São Paulo, foi construído o Mausoléu do SOLDADO CONSTITUCIONALISTA. Sob os auspícios da Sociedade de Veteranos de 32 – M.M.D.C..Para lá são levados(E ALGUNS SERÃO TRAZIDOS DOS PONTOS EM QUE CAÍRAM EM OUTROS ESTADOS), os restos mortais dos que se bateram, pela Lei, pela nossa terra e pela nossa gente, SEM NADA PEDIR, NEM ESPERAR PARA SÍ MESMOS. Façamos a nossa prece em sua memória. E rendamos a nossa carinhosa homenagem aos veteranos. Eles tomaram parte naquela luta heroica e podem nos contar pessoalmente, ainda hoje, os mais vibrantes e comoventes episódios cívicos de uma das mais belas páginas da querida HISTÓRIA DO BRASIL.

Encerrando a análise dessemarcante capítulo da história da nacionalidade, ressaltando ser o único em que o povo brasileiro,EM ARMAS, lutou por CONSTITUÍNTE, volto à saudação que vos dirigi inicialmente para continua-la, evocando o DIA DA BANDEIRA que será comemorado no próximo dia 19.
Intrinsicamente, a EFEMÉRIDE está ligada ao herói, de vossas hostes, MARCÍLIO DIAS. Notabilizou-se por haver em 2 de janeiro de 1.865 acenado com o grito de VITÓRIA (!),fazendo tremular, na torre da IGREJA MATRIZ DE PAYSANDU a BANDEIRA BRASILEIRA, confraternizando-a com a  tropa pela conquista.
Herói da BATALHA NAVAL DO RIACHUELO seu braço foi decepado em defesa da BANDEIRA BRASILEIRA. Os ferimentos sofridos causaram-lhe a morte no dia seguinte, 12 de junho, sendo sepultado com honras do cerimonial marítimo nas próprias aguas do Rio Paraná, em 13 de junho de 1.865.
Nos dias de hoje seria uma verdadeira heresia ocupar esta tribuna às vésperas de 15 de novembro, dia em que comemoraremos o 125º (CENTÉSIMO VIGÉSIMO QUINTO), aniversário da PROCLAMAÇÃO DA REPÚBLICA,não aludindo ao exemplo de VOSSO PATRONO TAMANDARÉ ao retornar da Europa por haver acompanhado ao exílio a FAMÍLIA IMPERIAL.
Monarquista convicto ao ser indagado, sobre o REGIME REPUBLICANO recém-instauradoafirmou “O QUE ESTÁ FEITO ESTÁ FEITO, CUIDEMOS DE TRABALHAR E ENGRANDECER A PÁTRIA”, exemplo lapidar para os que detém hoje as rédeas  dos destinos da  REPÚBLICA, uma vez que invocam CONSTANTEMENTE de forma negativa  a CONSTRUTIVIDADE da  CONTRA REVOLUÇÃO DE 1.964 ao invés de trabalharem pela UNIÃO DA FAMÍLIA BRASILEIRA.
Coincidentemente a efeméride da PROCLAMAÇÃO DA REPÚBLICA, aqui em Paranaguá, também é dia de NOSSA SENHORA DO ROCIO, que ELA, atenda à vocação católica do POVO BRASILEIRO estendendo seu manto protetor à REPÚBLICA, protegendo-a da corrupção desenfreada de nossos dias...
E a esta altura finalizando traço paralelismo entre os heróis que a exemplo de MARCÍLIO DIAS defenderam a PÁTRIA das agressões bélicas externas e os heróis de 32 MARTINS, MIRAGÁIA, DRAUSIO E CAMARGO cujo denominador comum foi o HOLOCAUSTO de suas vidas cimentado pelo lema“PRO BRASÍLIA FIANT EXÍMIA”. Hoje essa legião de HERÓIS, lá do cosmos, contempla um PAÍS cujos valores conquistados e sedimentados, ao logo de mais de 500 anos, antevê um futuro em que prevalecerá a CONSCIÊNCIA de que a pátria dispensa formas ditatoriais alienígenas anossa índole...
O engrandecimento da Pátriareside na divisa que tendes por norte: - “À PÁTRIA HONRAE QUE A PÁTRIA VOS CONTEMPLA“.
Agradeço: - ao Capitão-de-Mar-e-Guerra, Capitão dos Portos do ParanáFRANCISCO DANTAS DE ALMEIDA FILHO a oportunidade de ocupar esta TRIBUNA; -ao Presidente Cel. JOÃO ALMEIDA, da Associação Paranaense M.M.D.C.32 e Heróis do Cerco da Lapa estar comigo, lado alado, nesta jornada elucidativa; -as AUTORIDADES; -o convívio amável e cavalheiresco dos MARINHEIROS que nos honram com sua presença.
A todos, muito obrigado!
Paranaguá, 13 novembro de 2.014 - Mariano TaglianettiEmbaixadorMMDC E ADVOGADO CONSTITUCIONALISTA.
Palestra proferida na CAPITANIA DOS PORTOS DO PARANÁ – MARINHA DO BRASIL.



Nenhum comentário: