domingo, 6 de setembro de 2015

COMOVEU O MUNDO A MORTE DA CRIANÇA SÍRIA - ARTIGO DE ROBERTO DE ALMEIDA

Roberto de Almeida

 
AMIGOS

Comoveu  o  mundo   a  morte   da  criança  síria.   Uma  tragédia,  como  tantas  outras  (seriam   milhares  até   agora  ?)  anunciada.     Entretanto,  neste  caso,  um  repórter  detectou  a  cena  e  transmitiu-a  para  o  mundo  via  televisão.    Milhares  de  outras  permanecerão  no  anonimato.  Desde  a  rebelião   do  povo  da  Tunísia  que  depôs  o  Ditador,  passando  pela  deposição  de  Kadafi,  na  Líbia,  de  Mubarak,  no  Egito,  até  o  início  da   "guerra   civil"   Síria,  parecia  que  o  Oriente  Médio  iria  entrar  numa     era  de  "paz"  e  "tranquilidade",  que  a  imprensa  chamou  de  "primavera  árabe".      

Desde   então,   a  "guerra  civil"  Síria  já  matou  cerca   de  200  mil  pessoas  (homens,  mulheres...  e  crianças)   Só  na Síria,  cerca  de  DOIS  MILHÕES  de   homens,  mulheres  e  crianças  tornaram-se  "REFUGIADOS".    O  Iraque,  após  a  saída  das  tropas americanas  e  inglesas,  tornou-se  um  pais "desmembrado"   em  três  grupos,  sendo   dois  "religiosos",  "Xiítas",   "Sunitas"  e  "Curdos".     E,    se  fôssemos  encompridar o  assunto,  teríamos  que  falar  das  divisões  tribais  que  continuam  na  Líbia,  da  "guerra  civil"   do Iemen,   do   surgimento do  Estado  Islâmico,  da  "guerra"  que  ainda  não   acabou   no  Afeganistão,  das  lutas  que  se  travam  na  "faixa  de  gaza"  e,  não poderíamos  esquecer  de  mencionar  as  "dezenas"  de  mortes  (homens,  mulheres  e   crianças)  no  norte  da  África.   Quantas  "vítimas"   inocentes  até  agora  em  todos  esses  "massacres"  ?   Ninguém  se  deu  ao    trabalho  de  contar.   E,  se  contou,  silenciou.


E  o  mundo se  comoveu  com  a  morte  da  criança  síria.     Não  estou  minimizando.   A  morte  de  uma  única  criança,  de  um  único  "ser  humano",  provocada  intencionalmente  por  outro  "ser  humano" ,  sem  que  o  argumento  da  "auto-defesa"   possa  "justificar",  é  um  "crime",  e  deve   ser  repudiado  como  tal. 


Não  vou,  mais  uma  vez,  "invocar"  as  "razões  históricas"   que  obrigam  a  Europa  (especialmente  as   nações  que  "dividiram"  e  "colonizaram"   o  Oriente  Médio  e  o    continente  africano  no  final  do  século  XIX  e  início  do  século  XX ),  "QUE OBRIGAM   A  EUROPA ",  repito,   a  aceitar  os  "imigrantes"   oriundos  destas  áreas.      Embora,   como  já  salientaram  diversos  estudiosos,  nos  últimos  dez  anos,  isso  venha  a  trazer,  para  a  Europa,   inúmeros  problemas   atuais, e,  talvez,  piores  consequências,  num  futuro  não  muito  distante.   


Neste  instante,  os  líderes  da  "Europa  cristã"   discutem   o  "sexo  dos  anjos", fazem  "acordos  imbecis" ,  auto-promovem-se  na  mídia,    enquanto,  nas  suas  fronteiras,  e  "ex-colonias"   "milhares"  de  "homens,  mulheres  e  crianças"   são  "exterminados" ,  sem  o  direito  de  "aparecer  na  mídia".    Morrem  em  silêncio,  sem  "cruzes"  e  sem  "orações",  que  assinalem  o  seu  "extermínio".    Quando  muito  fazem  parte  de  uma  "macabra  estatística   midiática".

E  o  mundo   se  comoveu   com  a  morte  da   criança  síria.   Porque  ?  Porque  a  mídia  transformou   sua  morte  em  um  "espetáculo  macabro",  que  deveria  nos  envergonhar  como  ser  humano.   Está  certo,  dirão.  É    um  símbolo  de   uma  situação  "infernal".  É   um    maneira  de   tentar  "sensibilizar"  a  população.    Tentar  "sensibilizar"  os  governantes  e  afastá-los,  pelo  menos,  temporariamente,   de  suas  "questiúnculas"   idiotas,  de  sua  "covardia   moral",  de  "seus  interesses  nem  sempre  confessáveis".     ´


Será  que  os  "problemas"   só  nos  "impressionam"   quando  são  mostrados  na  TELEVISÃO  ? ............ LAMENTÁVEL  !   


BOA   NOITE,   BOA  SORTE

Nenhum comentário: