quarta-feira, 30 de dezembro de 2015

QUE NESTE 2016 PRECISEMOS MAIS DE NÓS MESMOS - CRÔNICA DE JEFFERSON JORNALISTA.

QUE NESTE 2016 PRECISEMOS MAIS DE NÓS MESMOS

Entrada
x

Jefferson Jornalista por  googlegroups.com 


para Cco:newscolunaonli.


Pronto ! Acabou 2015! E já já acabará também 2016 pois o tempo não está mais correndo, está voando a jato. 

Enfim 2015 não voltará mais, assim como todas as oportunidades que deixamos passar. Perdemos o trem, o ônibus, o avião... O cavalo passou encilhado. Pronto, perdemos. Chegou ao fim. Acabou. 

Lá se foram as oportunidades perdidas, os beijos não dados e as palavras não ditas que nele ficaram e nele naufragaram no limbo do passado. Para deixar saudade. Para deixar arrependimento. Para deixar alívio. Para deixar.

O que foi feito, foi feito. O que foi sentido, foi sentido. O que foi vivido, foi vivido.
Azar de quem não viveu. Não me arrependo de nada, aliás, sempre afirmo que prefiro me arrepender do que fiz do que aquilo que não fiz. 

Enquanto 2015 vai embora, pra muita gente já vai tarde, vem aí 2016 atropelando, para alguns de roupa branca, amarela, vermelha, verde, pulando ondas, cheio das simpatias e taças de champanhe e muitos, muitos fogos, como se tudo isso fosse responsável para termos um bom e, de fato, ANO NOVO. 

O que de fato ele nos traz são 365 novos dias, novas chances e novas oportunidades. Zeramos um cronômetro e disparamos outro. 

Parafraseando a Marina Barbieri, sabem o que eu espero de 2016? 

Eu não espero nada. Eu espero muito é de mim mesmo.

Eu espero dar sem me preocupar se vou receber.
Eu espero ser para o mundo sem me preocupar se o mundo me será de volta.
Eu espero ser a melhor versão de mim mesmo.
Eu espero ser a pessoa boa que as pessoas acham que eu sou.

Eu espero que os meus braços sejam grandes o suficiente para abraçarem as oportunidades que a vida me atirar.

Eu espero ser sábio para conseguir dar valor ao que realmente for de valor e me desligar do que não.
Eu espero ser esponja para o que for amor, luz e calmaria.
Eu espero ser repelente para o que for nebuloso, amargo e baixo.

Eu espero ser cura. Mas também vício positivo de me melhorar.
Eu espero ser santo. Mas também atrevido.
Eu espero ser céu. Eu espero ser muitas coisas, mesmo sendo só eu mesmo.

Eu espero resolver as questões que deixei em aberto.
Eu espero fechar os ciclos de ontem para dar espaço aos de amanhã.
Eu espero deixar o passado passar.
Eu espero fazer as pazes comigo mesmo.

Eu espero deixar-me carregar pela correnteza da vida.
Eu espero que existam segundas chances.
Mas espero não precisar delas.
Eu espero seguir em frente.
Mas espero saber que o que importa é a direção e não a velocidade.

Eu espero saber esperar. De mim. Por mim.

Assim eu espero.

Feliz 2016 a todos !​



Nenhum comentário: