Ministro do STF se espanta com delator e diz que corrupção ‘ultrapassa capacidade da imaginação’


82
Gilmar Mendes ficou perplexo com o acordo feito entre o mais novo delator do esquema do Petrolão, o lobista Hamylton Padilha, que agia na Petrobrás, e a justiça fizeram, Padilha vai pagar multa de R$ 70 milhões ao Tesouro.
“Tudo isso, na verdade, os números são realmente extratosféricos e indicam que há algo ligado a algum tipo de corrupção sistêmica. Nós não temos ainda a ideia do tipo de prática, do volume que envolve esse chamado ‘petrolão’. É altamente constrangedor para todo um sistema de controle”, afirmou Mendes.
O delator confessou irregularidades envolvendo a contratação de um Navio-Sonda, que envolveu propinas no valor de US$ 31 milhões (em valores atualizados, cerca de 76,5 milhões de reais), Deste montante, o PMDB teria recebido cerca de US$ 10,8 milhões. Cerca de US$ 10 milhões foram divididos entre o diretor da estatal à época, Jorge Luiz Zelada e mais alguns investigados.
Com informações: Diário do Poder