domingo, 10 de janeiro de 2016

A VITÓRIA DA REVOLUÇÃO CONSTITUCIONALISTA DE 1932 - ARTIGO DO CORONEL ISAAC CARREIRO FILHO - MEUS AGRADECIMENTOS AO MARIANO TAGLIANETTI



A VITÓRIA DA REVOLUÇÃO CONSTITUCIONALISTA DE 1932
“Toda vez que há tirania e desigualdade é preciso que vozes se levantem e lutem pelo estabelecimento de um novo equilíbrio cósmico.”Por Isaac Carreiro Filho¹


Descrição: Cartaz convocando os paulistas para a revolução
FIGURA 1 -Cartaz convocando para a revolução
Antecedentes: Após a Revolução de 1930, golpe do Estado que levou Getúlio Vargas ao poder, aumentou muito a insatisfação em São Paulo. Vargas concentrou poder e nomeou interventores nos estados.
Causas da oposição ao governo federal: No estado de São Paulo a insatisfação com o governo provisório de Vargas foi muito grande. Os paulistas esperavam a convocação de eleições, porém dois anos se passaram e o governo provisório permanecia. Os fazendeiros paulistas, que tinham perdido o poder após a Revolução de 30 estavam insatisfeitos e lideraram uma forte oposição ao governo Vargas. Também houve grande participação de estudantes universitários, comerciários e profissionais liberais, todos insatisfeitos com a situação.
As reivindicações: Os paulistas exigiam do governo provisório que fosse elaborada uma nova Constituição Federal e a convocação de eleições presidenciais. Sentindo-se humilhados, paulistas também exigiam a imediata saída do interventor pernambucano João Alberto e a nomeação de um interventor paulista. Os paulistas criticavam bastante o autoritarismo com que Vargas conduzia a política do país. Almejavam mais democracia e maior participação na vida política.
As manifestações: Como Vargas não atendeu as reivindicações, em maio de 1932 começou uma série de manifestações de rua contrárias ao governo. Numa delas, houve forte reação policial, provocando a morte de quatro estudantes (Martins, Miragaia, Dráusio e Camargo). As iniciais dos seus nomes (M.M.D.C.) se transformou no símbolo da revolução. Foi a primeira grande revolta contra o governo de Getúlio Vargas. Foram 87 dias de combates (de 9 de julho a 4 de outubro de 1932 - sendo os últimos dois dias depois da rendição paulista), com um saldo oficial de 934 mortos, embora estimativas, não oficiais, reportem até 2200 mortos, sendo que numerosas cidades do interior do estado de São Paulo sofreram danos devido aos combates. São Paulo, depois da revolução de 32, voltou a ser governado por paulistas, e, dois anos depois, uma nova constituição foi promulgada, a Constituição Federal de 1934.
Considerada progressista para a época, a nova Constituição:instituiu o voto secreto;estabeleceu o voto obrigatório para maiores de 18 anos;propiciou o voto feminino, direito há muito reivindicado, que já havia sido instituído em 1932 pelo Código Eleitoral do mesmo ano;previu a criação da Justiça do Trabalho;previu a criação da Justiça Eleitoral;nacionalizou as riquezas do subsolo e quedas d'água no país.

SANTOS DUMONT E O MOVIMENTO DE 1932 - Vinculado ao MOVIMENTO CONSTITUCIONALISTA DE BRASILIDADE PAULISTA de 1.932 está o PAI DA AVIAÇÃO MARECHAL SANTOS DUMONT. Eis o texto de sua lavra: “São Paulo, 14 de julho de 1.932- Meus patrícios. Solicitado pelos meus conterrâneos mineiros moradores neste Estado, para subscrever uma mensagem que reivindica a ORDEM CONSTITUCIONAL DO PAÍS, não me é dado, por motivo de moléstia, sair do refúgio a que forçadamente me acolhi, mas posso ainda por estas palavras escritas afirmar-lhes, não  só o meu inteiro aplauso, como também o apelo de quem, TENDO SEMPRE VISADO A GLÓRIA DE SUA PÁTRIA DENTRO DO PROGRESSO HARMÔNICO DA HUMANIDADE, julga poder dirigir-se em geral a todos os seus patrícios, como um crente sincero em que os problemas da ordem política e econômica que ora se debatem, SOMENTE DENTRO DA LEI MAGNA PODERÃO SER RESOLVIDOS, DE FORMA A CONDUZIR A  NOSSA PÁTRIA A SUPERIOR FINALIDADE DOS SEUS ALTOS DESTINOS. Viva o Brasil unido! SANTOS DUMONT”.

MEDALHA CONSTITUCIONALISTA – Criada com fim de agraciar pessoas físicas ou jurídicas, nacionais ou estrangeiras, que por seus méritos, tenham se destacado em serviços prestados a São Paulo e ao culto da Revolução Constitucionalista de 1.932, sejam defensores da Constituição Federal, se tornando pessoas dignas de especial distinção. Desta forma, comunico que fui galardoado com tal distinção em 15 de julho de 2015. Na realidade, trabalhei no Exército Brasileirono estado de São Paulo, de 1984 a 1988, tendo me dedicado inteiramente ao serviço da pátria.
FIGURA 2 – Medalha Constitucionalista

PALAVRAS DE AGRADECIMENTO – Quando soube que iria homenagear os veteranos da Revolução Constitucionalista de 1932, relatando um resumo do movimento, o DrMT, representante da SOCIEDADE VETERANOS DE 32 – M.M.D.C., proferiu as seguintes palavras: “Meu caro e dileto amigo Cel CARREIRO, em primeiro, digo-lhe que minha correspondência só agora está sendo posta em dia(...).Muito nos honrou seu agraciamento no evento "NOVE DE JULHO PARANAENSE". Militar de escol,intelectual, estudioso de nossa história, nos dá satisfação ao anunciar artigo de sua lavra no contexto das revoluções operadas pela nacionalidade situando a REVOLUÇÃO CONSTITUCIONALISTA DE BRASILIDADE PAULISTA DE 32, não poderia nos dar maior conforto em apoio à causa que esposo: buscar nossas origens a brasilidade que hoje necessitamos incrementar. Obrigado, meu coronel, por suas palavras lisonjeiras. Fraternal apreço, MT.” Minha gratidão ao Jornal Camobi, aos seus queridos leitores e patrocinadores!
VIVERAM POUCO PARA MORRER BEM. MORRERAM JOVENS PARA VIVER SEMPRE
Fotos do Monumento do Soldado Constitucionalista, Ibirapuera, SP.
Militar da Reserva do Exército Brasileiro, colaborador do Jornal Camobi, além de ter servido no RJ, SP, AM e PR, serviu também no RS, em Uruguaiana (1988-1989), Santa Maria (1991-1994) e Porto Alegre (2001-2002).


Nenhum comentário: