quinta-feira, 31 de março de 2016

MOBILIZAÇÃO GERAL CONTRA A PLC 257/16

PLC 257
3 postagens de 3 autores
 
Atribuir
Sergio Payão 
30 de mar (20 horas atrás)
Outros destinatários: ciapina.gbb@hotmail.com
Srs...boa tarde.
O Deputado Federal, Major Olímpio, convida a Comunidade Barro Branco para comparecer em manifestação frente ao Palácio do Governo,
dia 04 de Abril,
segunda-feira,
às 10hs.
Local de encontro: Pça Vinícius de Moraes
PAUTA: MOBILIZAÇÃO GERAL CONTRA A PLC 257/16
Tendo em vista a informação segura de que o PLP – Projeto de Lei Complementar 257/16 será incluído na pauta do plenário da Câmara dos Deputados para votação no dia 05/04 (terça-feira) informamos o seguinte:
No último dia 22 de março de 2016 o Executivo Federal enviou o PLP – Projeto de Lei Complementar nº 257/16, que “Estabelece o Plano de Auxílio aos Estados e ao Distrito Federal e medidas de estímulo ao reequilíbrio fiscal.”
O projeto busca viabilizar o refinanciamento das dívidas dos Estados com a União, porém para conceder o refinanciamento são estipuladas exigências que ferem frontalmente aos direitos de todos os agentes públicos estaduais e do Distrito Federal em especial aos militares, na medida que os igualariam, inclusive em seus regimes jurídicos, aos servidores (civis) da União.
Tal previsão afeta diretamente direitos como: Previdência, Posto Imediato na passagem para a reserva remunerada, Aumento da contribuição previdenciária, Termino da Licença Prêmio/Especial e tantos outros direitos.
Constam no Art. 4º do referido PLC que os Estados e o Distrito Federal sancionarão e publicarão lei que estabeleça pelo prazo de dois anos:
I – Não conceder vantagem, aumento, reajustes ou adequações de remunerações a qualquer título, ressalvadas as decorrentes de sentença judicial e a revisão geral anual. (Art. 3º, I, do PLP nº 257/16);
Quanto a revisão geral anual, a última que tivemos foram os 8% em 2014, porém tal “reajuste” foi referente ao ano de 2013.
Ou seja, não temos reajuste desde 2014 e essa PLC 257 possibilita que NÃO TENHAMOS REAJUSTE EM 2016, 2017 E 2018.
II – Suspender admissão ou contratação de pessoal a qualquer título, ressalvadas as reposições decorrentes de vacância dos cargos de servidores nas áreas de educação, saúde e segurança. (Art. 3º, IV, do PLP nº 257/16);
O Governo do Estado de São Paulo já não contrata os médicos para a PM, mesmo após eles terem sido aprovados em concurso público.
O interesse é transformar o atendimento médico no HPM e nas UIS no caos que é o sistema de saúde brasileiro.
III – Elevação das alíquotas de contribuição previdenciária dos servidores para 14%. (Art. 4º, IV, do PLP nº 257/16);
IV – Vinculação do Regime Jurídico dos Militares dos Estados e do Distrito Federal ao Regime Jurídico dos Servidores da União. (Art. 4º, V, do PLP nº 257/16);
A PLC não distingue o regime próprio dos militares estaduais, porém reconhece tal regime aos militares federais.
V – Alteração da Lei de Responsabilidade Fiscal, reduzindo a despesa total com pessoal de 95% para 90% do limite previsto no art. 19 da Lei (60% da receita corrente líquida), prevendo o não recebimento de adicionais por tempo de serviço, conversão em pecúnia de direitos e vantagens, e reajustes derivados de determinação legal que ultrapassem o novo percentual estipulado. (Art. 14 do PLP nº 257/16).
O SERVIDOR PÚBLICO, CIVIL OU MILITAR NÃO VAI PAGAR A CONTA DA CORRUPÇÃO.
Diante de tudo solicitamos urgente divulgação e, dentro das possibilidades, comparecimento dos Srs Presidentes e Diretores, bem como a comunicação, aos Associados, dessa manifestação.
- Contato com todas associações de militares estaduais, sindicatos e associações de servidores públicos dos Estados no sentido de alertarem do risco do Projeto em questão para que se mobilizem em nível estadual impedindo que o mesmo seja apreciado pela Câmara dos Deputados e enviado ao Senado Federal;
- Realizar forte mobilização em torno dos líderes dos partidos e dos parlamentares de cada Estado, num curto espaço de tempo, acompanhando os movimentos das entidades nacionais representativas dos Servidores Públicos pela rejeição do projeto, e em paralelo a apresentação e aprovação das emendas anexas, caso o PLP nº 257/16 não seja rejeitado em sua íntegra.
- Contato com todos os Deputados Federais e Senadores dos Estados demonstrando a preocupação com os termos do projeto, principalmente em relação aos militares que serão colocados no mesmo patamar dos servidores civis de maneira totalmente inconstitucional;

Att

Sergio Payão
Ass. Com. Soc AOPM

TEATRO GARAGEM APRESENTA GARAGE NA GARAGEM, DE JOANA DOROW, DIA 9 DE ABRIL- MEUS CRÉDITOS A CAMILA GIUDICE

Convite Expofesta Garage na Garagem - Joana Dorow - 9/04

Camila Giudice

Anexos
para camila, Cco:mim
   
Visualizar mensagem original
Não traduzir automaticamente para o: inglês



Detalhe #garagenagaragem por Joana Dorow

quarta-feira, 30 de março de 2016

Programa do Golpe é o mesmo do FMI

PEC FEDERAL 257/16 - QUEREM PREJUDICAR OS MILITARES ESTADUAIS - DEPUTADO ESTADUAL CORONEL PM ÁLVARO BATISTA CAMILO

PEC FEDERAL 257/16 - Querem prejudicar a nós, militares estaduais.


Entrada
x

Coronel Camilo

)
para Álvaro, Cco:mim
Caros presidentes e amigos da Polícia Militar,

​Bom dia.


Proposta de renegociação da dívida dos Estados, feita pelo governo federal, quer mexer no regime jurídico dos policiais militares.

A área federal está querendo usar os militares como bode expiatório dos desmandos governamentais, como se fossemos os responsáveis pelo rombo da previdência.

Em 2011 o governo do estado de São Paulo quis mexer na previdência dos policiais militares, eu era Comandante Geral, não deixamos.

Vamos trabalhar forte em defesa da família policial-militar.

Contem sempre comigo.
Forte abraço!

​ 
Imagem inline 2
Coronel  Alvaro  Camilo
Deputado Estadual SP
Gabinete: (11) 3886-6384
Sempre é possível fazer mais e melhor!

terça-feira, 29 de março de 2016

COMUNICADO DO SUPREMO TRIBUNAL FEDERAL - LULA DEVE SER PRESO IMEDIATAMENTE.


EPITÁFIO DE UM GENERAL - ALEXANDRE GARCIA

ENERAL JORGE RAFAEL VIDELA (texto do Alexandre Garcia)
É preciso ouvir os dois lados da História. É preciso sintonizar o pensamento analítico com a época dos acontecimentos. Os governos militares na América do Sul não brotaram do chão a toa. Tiveram suas razões de existir, dentro de uma visão de segurança da época.Abaixo, estão as razões dos militares argentinos.

Os nossos também tiveram as suas. Cometeram erros? Decerto sim, mas precisamos combater essa postura canhota de considerar os militares como carniceiros sanguinários e Guevara e Fidel como heróis. Provavelmente esses dois fuzilaram muito mais gente no paredón do que o Videla.
    EPITÁFIO DE UM GENERAL
Alexandre Garcia




Morreu na prisão o General Jorge Rafael Videla, condenado na Argentina a duas prisões perpétuas. Cumpriu só uma, pois não tem duas vidas. Se ainda tivesse, creio que faria tudo de novo. Morreu com a consciência tranquila de quem cumpre com o dever.


Foi condenado porque assumiu tudo que se atribuiu ao exército durante a guerra em que foram derrotadas duas organizações que pretendiam estabelecer no país um regime igual ao de Cuba. Desde a morte dele, não li nos jornais nada que não fosse a história escrita pelos derrotados. Testemunhei parte da história real quando eu era correspondente do Jornal do Brasil em países do cone sul.


O que vou contar está no livro que escrevi e que a Editora Globo lançou em 1990 e teve 12 edições, inclusive com várias semanas na lista dos mais vendidos. Nenhuma revelação de agora, portanto. Conheci o General Videla numa recepção na embaixada do Brasil, em 1975. Era general-de-brigada, sem comando, e, na conversa, disse que Brasil e Argentina desperdiçavam energias com a rivalidade, já que o verdadeiro inimigo estava dentro da Argentina, matando o povo para aterrorizá-lo e tomar o poder, aproveitando-se do governo fraco da viúva de Perón. Católico praticante, ía à missa com comunhão todos os dias. Foi carola até nos filhos: nove. Alto e magro, tinha o apelido de pantera-cor-de-rosa.


Reencontrei-o um ano depois, quando eu cobria o encontro de exércitos das Américas, em Montevidéu. Ele já era comandante do Exército. E me confidenciou: “Olhe, hoje há uma guerra interna na Argentina. Mas uma guerra estranha, em que apenas um lado está lutando: o lado da guerrilha e dos terroristas do ERP e dos Montoneros. Em breve, eles dominarão a Argentina e o Cone sul, se não houver uma reação. Vai ser preciso entrarmos nessa guerra. Vai correr muito sangue. Pode ser o meu sangue ou de alguns de meus nove filhos. Mas será preciso correr sangue, ou não teremos paz.”


Em 24 de março de 1976, ele tirou a presidente fraca sob o aplauso da nação, entrou na guerra e venceu. Ameaçado, 10 dias antes eu me mudara para Brasília, depois de ter sido sequestrado pelos Montoneros - a extrema esquerda - e perseguido de morte pela Triple A - a extrema direita. A partir de então, deixei de testemunhar os acontecimentos na Argentina.


Agora leio as notícias da morte de Videla. Dizem que morreu de hemorragia causada por uma queda na prisão. E todas as notícias o responsabilizam por conduzir uma guerra suja. Ora, aguerra suja já existia. Uma bomba posta na lanchonete perto de meu escritório na Calle Florida obrigou os bombeiros a lavarem com mangueiras o sangue na rua. Metralhavam filas de ônibus para que o povo os respeitasse pelo terror. Tinham metralhadoras antiaéreas tchecas no território liberado de Tucuman; sequestravam e torturavam até a morte as suas vítimas. Mantinham tribunais revolucionários com execuções em seguida. Videla então entrou nessa guerra suja. E venceu.Não o perdoam por ter impedido um regime totalitário marxista na Argentina. Quanto à guerra suja, que guerra não é suja? Nem mesmo as dos exércitos do Papa. O lado aliado, na II Guerra, não relata a sujeira, porque a história é escrita pelos vencedores. Menos por estas bandas.

MANIFESTAÇÕES GIGANTESCAS ESTÃO SENDO ANUNCIADAS PELO PT CURIOSAMENTE PARA O DIA 31 DE MARÇO - MEUS AGRADECIMENTOS AO DI SESSA

Manifestações gigantescas estão sendo anunciadas pelo PT curiosamente para o dia 31 de março 

Entrada
x

Di Sessa

)
para CbbC. I. A. P. I..AOPMCoronelALLEGRETTIJairoDeputadoCelA. O. P. P.
PT anuncia manifestações maciças através de seus "movimentos sociais" por todo o país exatamente no dia 31 de março(data da contrarrevolução de 1964) com o propósito de apoiar o governo Dilma contra o considerado "golpe" defendido vergonhosamente por ela e seus asseclas para o povo brasileiro bem como para o mundo através dos embaixadores em Brasília e jornalistas estrangeiros, submetendo o Brasil a mais uma situação vexatória para todos nós brasileiros.
Por enquanto, resta aguardar a confirmação oficial dessa notícia bem como de maiores informações a respeito e qual deverá ser a contrapartida dos partidos de oposição e movimentos diversos que se opõem ao desgoverno corrupto e incompetente que busca através de inverdades justificar o injustificável...como bem ordena a "cartilha PTista".
A nós militares bem caberia comemorarmos o dia 31 de março de 1964 pela relevância da data em prol da democracia ainda que com um governo militar que evitou esse sim o "golpe comunista" pela tomada do poder há exatos 52 anos.
Deixo a sugestão para que nossas associações diversas o façam em nosso nome e daqueles que por razão funcional estão impedidos de o fazer, assim como através de clubes de serviço e demais entidades ou organismos que comungam de nossos mesmo ideais e que são muitos.
Salve a Contrarrevolução Redentora de 31 de março de 1964 !