quinta-feira, 5 de maio de 2016

NOTA DE REPÚDIO DA AOPM

Repúdio

Entrada
x

Alberto Nogueira Schiavetti

13:01 (Há 1 hora)
para CarlosmilsouzPresidênciaConselho
Entendo que cabe uma ação judicial que pode ser provocada pelas nossas associações de classe para pedir a cassação do deputado, bem como penal pelo crime e cível por danos morais. 

Em Quinta-feira, 5 de Maio de 2016 0:09, Carlos Fuga <fugacar@uol.com.br> escreveu:

 
 
 

 

Matérias de Interesse

Nota de Repúdio da AOPM

 

A Associação dos Oficiais da Polícia Militar do Estado de São Paulo - AOPM-SP, em virtude dos fatos ocorridos na Assembleia Legislativa do Estado em 03MAI2016 e em vista das imagens veiculadas na Grande Imprensa e nas Redes Sociais, vem a público emitir a seguinte NOTA DE REPÚDIO:

Afronta à Democracia, à Sociedade Paulista e à Família Policial Militar.

Repudiamos o comportamento do Deputado Estadual João Paulo Rillo, do Partido dos Trabalhadores (PT), que agrediu violentamente, sem qualquer justificativa, um policial militar que buscava manter a ordem e garantir a segurança de todos os presentes na Assembleia Legislativa, na noite desta terça-feira (3).
O Policial Militar em questão é o Subtenente Marcelo de Carvalho Pina, que conta com 30 anos de relevantes serviços prestados ao Povo de São Paulo, é casado, pai de duas meninas e um menino.
A atitude destemperada e covarde do parlamentar - que se escuda atrás de sua imunidade - afrontou a sociedade brasileira, pois o homem fardado que ali se encontrava em serviço simboliza os mais elevados valores do estado de direito, sendo certo que o império da lei é o principal requisito de uma democracia.
As imagens da agressão incomodam todas as pessoas que defendem a liberdade e os direitos fundamentais do cidadão, pois sugerem uma tentativa de provocação por meio de atitude truculenta, desproporcional e completamente descabida.
Em contraste, o policial militar buscava acalmar os ânimos, com muita tranquilidade, agindo serenamente diante da hostilidade dos manifestantes e do próprio parlamentar.
As imagens divulgadas pela imprensa para todo o país mostraram exatamente essa circunstância.
O policial militar - fiel a todos os Valores da Instituição Policial Militar - atuou com preparo, sobriedade e profissionalismo, não se deixando levar pela provocação e pela situação adversa.
A Sociedade Paulista e a Família Policial espera que as medidas regimentais sejam rigorosamente observadas, além das medidas na esfera da responsabilidade penal, diante dessa lamentável violação aos direitos fundamentais de um profissional da lei.
Coronel Salvador Pettinato Neto, Presidente da AOPM-SP.
Fonte: AOPM
(04/05/2016)

Nenhum comentário: