quarta-feira, 13 de julho de 2016

9 DE JULHO - MEMÓRIAS DO VENTURA - 2012 A 2016 = TERCEIRA PARTE





2 012        :        -     SEGUNDA-FEIRA
JORNAL DA TARDE (JTCIDADE)
HOMENAGEM
FESTA PARA OS COMBATENTES DA REVOLUÇÃO
Segundo o CORONEL MÁRIO FONSECA VENTURA, ainda há 41 sobreviventes, quase todos com mais de 98 anos.
Fotos, oratórios, imagens de santos, facões, baionetas, capacetes de aço, medalhas e reproduções de documentos cobrem as quatro paredes da sala de visitas de PAULO BARROS CAMARGO, de 96 anos, último sobrevivente em CAMPINAS, no interior de SÃO PAULO, da Revolução de 32. Esse acervo histórico e sentimental enche de orgulho o velho guerreiro que, ainda adolescente, comandou em LIMEIRA, onde morava, o TIRO DE GUERRA Nº 264, quando os homens adultos partiram para as trincheiras. CAMARGO tinha 16 anos de idade e era aluno do ginásio municipal no dia em que assumiu o policiamento da cidade, como comprova um certificado do Estado Maior do MMDC, 2ª Zona, documento de destaque em sua coleção. “Eu andava fardado e com um fuzil nas mãos, mas não precisei dar nenhum tiro”, lembrou, ao contar sua atuação no movimento. Ele e seus subordinados cuidavam da guarda do município e do abastecimento do batalhão de conterrâneos que lutavam nas linhas de frente. O entusiasmo era tão grande, toda a população contra GETÚLIO VARGAS, quando se abriu o alistamento na região de CAMPINAS, um dos principais focos de resistência à ditadura. “Era propaganda de todo jeito, ninguém agüentava mais o GETÚLIO, até crianças brincavam de guerra”, disse CAMARGO, reavivando a memória com a ajuda das filhas, CECÍLIA e MARIA ANGÉLICA, que moram com ele. É em companhia delas e do neto SÉRGIO, filho de CECÍLIA, que o veterano comparece, todos os anos, às comemorações de 9 de Julho, no mausoléu de CAMPINAS. Ele tem mais uma filha, MARIA LUÍZA, e mais dois netos.
CAMARGO trocou por uma boina o capacete pesado com que costumava participar dos desfiles como presidente de honra do Núcleo do MMDC em CAMPINAS. Nascido na Fazenda ITAÚNA, no município paulista de PEDERNEIRAS, ele se mudou para a cidade em 1970, depois de ter morado em LIMEIRA e em MARÍLIA. Foi funcionário da Secretaria da Fazenda do Estado e aposentou-se em 1976, como chefe de seção na Delegacia Estadual Tributária. Vive de uma aposentadoria de R$2 mil, mais uma pensão de ex-combatente, de pouco mais de R$400.
Nas comemorações cívicas, CAMARGO enche o peito de medalhas e faz continência para a bandeira e para todos os militares que encontra ao redor, oficiais ou não. Na última formatura dos cadetes da ACADEMIA DO BARRO BRANCO, turma CONSTITUCIONALISTAS DE 1932, de 24 de maio, era o único veterano civil presente. Voltou para casa orgulhoso da homenagem que recebeu diante do governador GERALDO ALCKMIN e dos comandantes do Exército e da PM.
Segundo o CORONEL MÁRIO FONSECA VENTURA, da Sociedade MMDC, ainda há 41 sobreviventes, todos com mais de 98 anos – com exceção de PAULO BARROS CAMARGO que se alistou com 16 anos. Nenhum deles vive na capital e alguns são de outros Estados.

O ESTADO DE SÃO PAULO – FÓRUM DOS LEITORES
Escreve JOSE D´AMICO BAUAB, pesquisador do Centro de Memória Eleitoral do TER-SP, membro do IHGSP
09 DE JULHO – VITÓRIAS DE 32
Com os olhos do presente devem ser observados os fatos do passado para melhor avaliar a importância de sua ocorrência. Assim, a par do sentimento nostálgico e da memória afetiva despertados pela guerra cívica deflagrada em 9 de julho de 1932, o Movimento Constitucionalista há de ser historiograficamente visto como marco decisivo do grau civilizatório da democracia brasileira. Muitos membros da intelectualidade constitucionalista de 32, como REYNALDO PORCHAT, MÁRIO PINTO SERVA, ANTÔNIO DE SAMPAIO DÓRIA e PLÍNIO BARRETO, entre outros, fundaram em 1917 a LIGA NACIONALISTA DE SÃO PAULO, cuja pregação infatigável inspirou a luta pelo sigilo do sufrágio, pelo direito de voto das mulheres e pela criação de uma Justiça Eleitoral, bandeiras que viriam a ser adotadas pelo Código Eleitoral de 24 de fevereiro de 1932. A Justiça Eleitoral paulista nasceu três meses após o início da vigência do código: em 24 de maio realizou-se no Palácio da Justiça a primeira sessão do então Tribunal Regional de Justiça Eleitoral, sob o impacto político dos tiros da ditadura getulista, que dois dias antes haviam ceifado a vida de MARTINS, MIRAGAIA, DRÁUSIO e CAMARGO. Incrédulos de que o déspota VARGAS desejasse implantar da democracia que tanto almejavam, os paulistas pegaram em armas contra ele. Embora militarmente derrotados, a sua vitória político-moral foi alcançada com as eleições para a Assembléia Nacional Constituinte em 1933 e a promulgação da Constituição Federal de 1934. Os cidadãos brasileiros de hoje vêem com naturalidade o pleno exercício do voto, garantido por uma instituição independente e isenta, mas a gigantesca maioria votante desconhece que 80 anos atrás centenas de vidas foram sacrificadas em defesa do Estado Democrático de Direito.
PEDRO PAULO PENNA TRINDADE ´Diretor da Sociedade Veteranos de 32-MMDC, membro titular do IHGSP.
DATA CÍVICA
No momento crítico que o País atravessa, quando valores éticos e morais vêm sendo ignorados pela maioria dos nossos políticos, numa afronta à ordem pública e ao devido respeito a todos nós, brasileiros, nada mais oportuno que relembrar a data cívica de 9 de Julho, que simboliza a luta dos paulistas pela restauração dos direitos constitucionais. Ela celebra a maior revolução do Brasil em todos os tempos de sua História e até hoje marca a grandeza, o brio e a dignidade de um povo que se uniu nessa luta, desejando trazer de volta valores como liberdade e democracia, por meio de eleições gerais, além de uma nova Constituição para o Brasil. Por esses objetivos, a Revolução de 1932 foi chamada de Constitucionalista. Na época, oradores inflamados discursavam em vários pontos da cidade clamando por liberdade, entre eles IBRAHIM NOBRE, que fazia de sua tribuna uma trincheira cívica. Embora os paulistas tenham sido derrotados nas armas, saíram vencedores pela disseminação do sentimento de democracia. Ademais, essa demonstração de força e brio não foi em vão, pois em 1933 se formou uma Assembléia Constituinte e já em 1934 era promulgada nova Constituição para o País. Para que o heroísmo dos que lutaram em 1932 não caia no esquecimento vale dizer que, embora passados 80 anos de sua eclosão, o feriado deste dia sinaliza a todos, principalmente às novas gerações, o que foram a luta e os ideais desse Movimento. O 9 de Julho jamais poderá desaparecer do calendário dos que amam a liberdade!
NEIDE GUMBIS DE S. BELLUCO - PIRACICABA
É uma vergonha o que o governo paulista paga mensalmente aos bravos soldados constitucionalistas: R$450, menos que o salário mínimo! O dia 9 de Julho é feriado em homenagem a eles. Discursos e desfiles são feitos, medalhas são dadas. Tudo demagogia! Poucos ex-combatentes estão vivos, poucas viúvas também, pois têm mais de 90 anos. Por que não lhes dar um fim de vida mais digno, valorizando-os monetariamente, para que ao menos possam pagar seus remédios, médicos, sem ter de depender de parentes ou estranhos? Um Estado tão rico pagar-lhes essa miséria é vergonhoso.       

Por volta das 6:30 horas já estou na Sociedade Veteranos de 32-MMDC, onde aguardo a chegada da CAMILA e do MARKUS. Eles vêm buscar os estandartes das bandeiras para o desfile de logo mais no IBIRAPUERA. Estão levando também um quadro do avô do THIAGO DE MORAES,
Chegamos bem cedo na Avenida Pedro Álvares Cabral. Assistimos todos os preparativos do grande desfile cívico-militar que coroará hoje o 9 de Julho. Cumprimento as autoridades que vão chegando, principalmente aquelas que serão condecoradas com a Medalha Constitucionalista. O CORONEL PM JOSÉ MAURÍCIO WEISSHAUPT PEREZ, Comandante da ACADEMIA DE POLÍCIA MILITAR DO BARRO BRANCO é o coordenador geral do evento. As autoridades presentes: Secretário da Segurança Pública, ANTÔNIO FERREIRA PINTO; os comandantes do Comando Militar do Sudeste, GENERAL DE EXÉRCITO ADHEMAR DA COSTA MACHADO FILHO; do 8º Distrito Naval, Vice-Almirante LUIZ GUILHERME SÁ DE GUSMÃO; do IV Comando Aéreo Regional MAJOR-BRIGADEIRO-DO-AR JOSÉ GERALDO FERREIRA MALTA; o Comandante Geral da PMESP, CORONEL PM ROBERVAL FERREIRA FRANÇA, aguardem a chegada do Governador do Estado, doutor GERALDO ALCKMIN. Com o governador presente é iniciada a cerimônia comemorativa do JUBILEU DE CARVALHO do Movimento Constitucionalista de 32.
Sob a presidência do Cmt Geral, CORONEL PM ROBERVAL FERREIRA FRANÇA, o atual Comandante do Exército Constitucionalista, ALFREDO PIRES, passa o cargo para AMADO RÚBIO. Em seqüência, numa carreta dos bombeiros, chegam os restos mortais dos ex-combatentes: ANTÔNIO TESSITORI, VICENTE MUSUMECI e ANTÔNIO FERREIRA. Há salva de tiros e as urnas adentram a cripta do Monumento Mausoléu, com o acompanhamento de autoridades e familiares. O governador deposita uma coroa de flores aos pés do herói jacente.
Há entrega da Medalha Constitucionalista:          

POSTO / GRADUAÇÃO

NOME COMPLETO

Capitão-de-Fragata
PAULO JOSÉ DE ALBUQUERQUE CAMPOS
Capitão-de-Fragata
FRANCISCO CALIJURI NETO
Coronel 
HEBER GARCIA PORTELLA
Coronel Infantaria
PAULO COLÍVAR DA SILVA NÉTO
Major-Brigadeiro-do-Ar
JOSÉ GERALDO FERREIRA MALTA
Brigadeiro-do-Ar
OSWALDO MACHADO CARLOS DE SOUZA
Brigadeiro-do-Ar
ROLAND LEONARD AVRAMESCO
Coronel PM
BENEDITO ROBERTO MEIRA
Coronel PM
ROBERVAL FERREIRA FRANÇA
Coronel PM
HUDSON TABAJARA CAMILLI
Coronel PM
EURÍDICE ORPHEU ALVES DE SOUZA
Coronel PM
FÁTIMA RAMOS DUTRA
Coronel PM
REGINALDO CAMPOS REPULHO
Delegado de Polícia
DÉLIO MARCOS MONTRESOR
Delegado de Polícia
JOSÉ VINCIPROVA SOBRINHO
Dra.
ISABEL DE CASTRO RODRIGUES
Dra.
CHRISTINE RABELO DA SILVEIRA
Inspetor
MARCUS RÓS MOREIRA
Inspetora
LINDAMIR MAGALHÃES CARNEIRO DE ALMEIDA
Dr.
JOSÉ CHERINGTON NEVES BOARIN
Sr.
VANDERLEI DOS SANTOS
Sr.
MARCOS ANTONIO ROSSI
Dr.
DAVID EVERSON UIP

UNIÃO DOS ESCOTEIROS DO BRASIL-REGIÃO SÃO PAULO
Dr.
RONALDO DUCCESCHI FONTES
Sr.
VICENTE VENANCIO JUNIOR (In Memorian)
Presidente TJ/SP
IVAN RICARDO GARISIO SARTOTI
Sra.
MARIA CELESTINA TEIXEIRA MENDES TORRES
2º Ten Méd PM
RODRIGO GUILHERME VAROTTI PEREIRA
Dr.
ANTONIO LUIZ RIBEIRO MACHADO
Sr.
JOÃO CARLOS DIAS
Sr.
AMADO RUBIO
Após a entrega das medalhas, procede-se o majestoso desfile cívico-militar com milhares de pessoas participando.
No encerramento do desfile vamos conversar com repórteres e muita gente conhecida como: CORONEL PM ANTÔNIO CARLOS MENDES, THIAGO DE MORAES e família, MARIA LÚCIA DE CAMARGO, MARIA ODETE, MARIA CECÍLIA PRADO, WALTER TAVERNA, CORONEL ARY CANAVÓ, FRANCES DE AZEVEDO,
Em seguida vamos para a Assembléia Legislativa, onde o Deputado Estadual MAJOR PM OLIMPIO GOMES idealizou uma sessão solene alusiva aos 80 anos do Movimento Constitucionalista de maneira brilhante. 
Nosso núcleo em JAHÚ também comemora o 9 de Julho com a entrega da MEDALHA CONSTITUCIONALISTA.
1º Tenente AMAURI DOS SANTOS MANZUTTI JUNIOR;
CB PM REGINALDO MARTINS
MAJ PM VÁLTER LUÍS SALES GONÇALVES
SD PM JOÃO ROBERTO MUNIZ
1º TEN PM AMAURI DOS SANTOS MANZUTTI JUNIOR
1º TEN QAOPM VALDECY MINATEL
Sd PM RODRIGO TRAVENSOLO XAVIER;
Profº ADONIS MUSITSANO PIRAGE;
Dr. ADIB GERALDO JABUR;
Sr. DIRCEU BABOSA;
Profª SILVIA DE PAULA SOUZA;
Sr. ALFREDO SANTORSULA;
Sr. MÁRCIO MODAFARIS; Sr. MIGUEL DEMETTI

 Vamos depois do evento desta manhã para a Assembléia Legislativa. O deputado estadual MAJOR PM OLÍMPIO GOMES preparou com esmero uma sessão solene, que, com certeza, ficará na história das comemorações dos 80 Anos da Revolução Constitucionalista de 1932. Principalmente porque contará com a presença do governador GERALDO ALCKMIN.
1-    Abertura dos Trabalhos
2-    Nomeação das Autoridades presentes
3-    Execução do Hino Nacional – BANDA DA POLÍCIA MILITAR
4-    Composição da Mesa: Governador GERALDO ALCKMIN; Desembargador IVAN RICARDO GARÍSIO SARTORI, Presidente do Tribunal de Justiça; GENERAL-DE-DIVISÃO ADHEMAR DA COSTA MACHADO FILHO; CORONEL PM MÁRIO FONSECA VENTURA.
5-    Apresentação do Vídeo de entrega da Medalha da Constituição para o Presidente Barros Munhoz
6-    Aluno Oficial Vagner Aparecido Regazzoni, do 4º ano da Academia de Policia Militar do Barro Branco, fará a divulgação do Núcleo Cadete Ruytemberg Rocha suas missões, história e origem. O cadete Ruytemberg Rocha faleceu em combate na revolução de 1932
7-    Alunos Oficiais Aruan Baccaro de Freitas e Thiago Blanco Fenandes Minnemann, do 1º ano do Curso de Ciências Políticas de Segurança e Ordem Pública da Academia de Polícia Militar do Barro Branco – sendo que o nome dessa turma que se formará em 2015 é “ TURMA CONSTITUCIONALISTA DE 1932”, vestidos com o Uniforme Histórico do exército constitucionalista farão uma homenagem aos heróis da Revolução constitucionalista por meio da leitura de uma redação, de autoria desses dois cadetes, que foram destaque na Academia de Policia Militar do Barro Branco
8-    Apresentação do CORAL MUSICANTO sob a regência do maestro ANTONIO MARGARIDO – música SERRA DA MANTIQUEIRA
9-    Apresentação do Vídeo em homenagem ao Gino Struffaldi
10- Palavras do Thiago de Moraes: entrega da Placa para Deputado Major Olimpio – entrega de placa para o coronel Ventura – entrega de placa para Senhora Irene Jardim Venancio filha do Herói de 32 – Venancio Junior e entrega de placa para a artista plástica Camila Giudice , que apresentará o Quadro Combatente que será doado ao Museu Maria Soldado
11- Palavras do Governador –  em seguida entrega da medalha para ele.
12- Entrega da medalha ao Comandante Geral
13- Entrada dos Estandartes já condecorados pela Medalha da Constituição: APMBB- Academia de Polícia Militar do Barro Branco
 Regimento de Políca Montada "9 de Julho"
 1º Batalhão de Polícia de Choque- Tobias de Aguar
3º BPM/I  -  4º BPM/I     6º BPM/I    2º BPM/M
14- Entrada do Estandarte da Polícia Militar de São Paulo para receber a Medalha da Constituição
15- Entrega das medalhas para as autoridades:    Música de  fundo : amigos para sempre – Coral Musicanto
16- Palavras do coronel Ventura
17- Apresentação do Tenor Rinaldo Viana –
18- Encerramento com as palavras do deputado
AGRACIADOS COM A MEDALHA DA CONSTITUIÇÃO:
   1-  Geraldo Alckmin- Governador de São Paulo
   2-  Ivan Ricardo Garisio Sartori -Presidente do Tribunal de Justiça do Estado de SP
   3-  Laudo Natel - ex- Governador
   4-  Paulo Egydio Martins - ex- Governador - NÃO VIRÁ
   5-  Paulo Salim Maluf - ex- Governador
   6-  José Maria Marin - ex- Governador
   7-  Luiz Antonio Fleury Filho - ex - Governador
   8-  Alberto Goldman - ex- Governador - NÃO VIRÁ
   9-  Claudio Lembo - ex- Governador
   10-  General de Exército Adhemar da Costa Machado Filho -Comandante Militar do Sudeste
   11-  Gilberto Kassab - Prefeito de São Paulo - NÃO VIRÁ
   12-  Vice- Almirante Luis Guilherme Sá de Gusmão - 8º Distrito Naval
   13-  Major Brigadeiro do Ar José Geraldo Ferreira Malta -IV Comar
   14-  Márcio Fernando Elias Rosa -Procurador Geral de Justiça do Estado de SP
   15-  Renato Martins Costa - Presidente do Tribunal de Contas do Estado - NÃO VIRÁ
   16-  Coronel PM Orlando Eduardo Geraldi - Juiz Presidente do Tribunal de Justiça Militar
   17-  Antonio Ferreira Pinto - Secretário de Segurança Pública
   18-  Marcos Carneiro Lima -Delegado Geral
   19-  Cel PM Roberval Ferreira França - Comandante Geral
   20-  Paulo Skaf - Presidente da Fiesp - NÃO VIRÁ
   21-  Dr. Eduardo Eugenio Gouvêa Vieira - Pres. Da Federação das Indústrias do Rio de Janeiro - NÃO VIRÁ
   22-  Rogério Amato -Presidente da Associação Comercial
   23-  Antonio Sergio Ribeiro
   24-  Victorina Thereza Frugoli
   25-  Frances de Azevedo
   26-  Amado Rúbio
   27-  Capitão PM Anísio Araujo dos Santos
   28-   Rede Record - presidente  Alexandre Raposo
   29-   Rádio Jovem Pan - José Carlos Pereira da Silva - vice-presidente
   30-  Jornal Folha de São Paulo - recebe Luiz Frias , Pres.
   31-  Jornal O Estado de São Paulo - recebe Plínio Mufetti
   32-  Rede Globo - recebe Gilberto Leifert -Diretor da Central Globo de Relações com o mercado
   33-  João Carlos Saad - Presidente da Band - NÃO VIRÁ
   34-  José Mango -  Revolucionário 1932  EX- COMBATENTE 99 ANOS e 6 MESES
   35-  Maria Celestina Teixeira Mendes Torres ( Mariinha)
   36-  Deputado José Guilherme Gianetti - in memorian    viúva Vanderli Alves Moreira Gianette
   37-   Maria Stela Rosa Sguassábia - in memorian         - neto Henrique Marsiglia
   38-  Vicente Venâncio Jr. - in memorian - Neto  THIAGO DE MORAES
   39-  Professor Oscar Augusto Guelli  in memorian  filho-  MILTON AUGUSTTO GUELLI
   40-  Cap Hélio Lourenço Camilli (in memorian) Sub-Cmt Cel Hudson Tabajara Camilli
   41-  Estandart da PM
O governador GERALDO ALCKMIN e o CORONEL PM MARIO FONSECA VENTURA condecoram os agraciados com a MEDALHA DA CONSTITUIÇÃO.
Terminado o evento vamos ficar durante um bom tempo conversando com as pessoas que compareceram à sessão solene. Além das já citadas, vamos notar também a presença do Procurador Geral de Justiça, doutor MÁRCIO FERNANDO ELIAS ROSA; o Deputado Estadual ESTÊVÃO GALVÃO. Os filhos do falecido CAPITÃO PM HELIO LOURENÇO CAMILLI que (in memorian) foi homenageado pelo Deputado MAJOR PM SÉRGIO OLÍMPIO GOMES: CORONEL PM HUDSON TABAJARA CAMILLI (atual Sub Cmt PM) e CORONEL PM HELSON LÉVER CAMILLI (Comandante do CPA/M-6. 
MARKUS leva-me até a sede da Sociedade Veteranos de 32-MMDC enquanto CAMILA deixa a Assembléia em companhia de seus pais. Retorno para casa por volta das 17 horas. Ainda nesta noite assisto a TV ASSEMBLÉIA mostrando a Parada Cívico-Militar e a sessão solene na Assembléia.

Tomo conhecimento do falecimento do Professor Doutor JORGE MICHALANY, aos 95 anos. Desde 2000, MICHALANY era o curador do Museu de História da Medicina da APM e, em maio deste ano, lançou seu último livro durante coquetel na Associação Paulista de Medicina, intitulado Olho Clínico X Erro Médico. Ele dedicou 70 anos de sua vida à área médica e ao ensino da profissão. MICHALANY se orgulhava de ter participado da Revolução Constitucionalista de 1932 e se despediu dos amigos e familiares no mesmo dia em que se comemora este marco paulista: 9 de julho. JORGE MICHALANY foi Comandante do Exército Constitucionalista entre o 9 de julho de 2010 a 9 de julho de 2011. Passou esse cargo para o ALFREDO PIRES em 2011.

O governo de SÃO PAULO, por meio da Secretaria da Casa Civil e Secretaria de Estado da Cultura apresenta “SP.1932: 80 ANOS DO MOVIMENTO CONSTITUCIONALISTA”. Com curadoria do Arquivo Público do Estado de SÃO PAULO e do Museu da Imigração do Estado de São Paulo, a exposição contextualizada como a insatisfação paulista pela perda de sua autonomia se transformou em um dos maiores movimentos armados da história do BRASIL, mobilizando mais de 200 mil homens. Por meio de documentos, fotografias e objetos, a mostra investiga as origens, as batalhas e o legado do Movimento Constitucionalista de 1932. Ainda que derrotados nos campos de batalha, os paulistas se consideraram vitoriosos com a promulgação da constituição, em 1934. As histórias e memórias do movimento estão materializadas em objetos, monumentos e documentos espalhados pelo Estado. Fragmentos de um episódio que se consolidou como principal movimento cívico de SÃO PAULO. 

Revista VEJA: Veteranos de 32 de Itapetininga
Prof.JBiajone biajone@yahoo.com
para mim, franceazevedo, EGYDIO, cachiolli, camilagiudice, marcus, cesarioleonel, f.itapetininga., Dario, rubia.amaral, dione_paulo, miguel, mario.orsi, janadrawanz, j.drawanz, abrasil, amigos, amigos, 22bpm1p5, 54bpm1p5, ten_evandro, jairfrancisco, afraniomello, amigos, guilherme.slash
CARISSIMOS AMIGOS!
Saudações constitucionalistas nesses nossos 80 anos hoje completos!
A Revista VEJA compreendendo a importância histórica do movimento constitucionalista para no nosso estado e o nosso país preparou uma reportagem toda especial, na versão digital, que pode ser acessada em
http://veja.abril.com.br/multimidia/infograficos/revolucao-constitucionalista-de-1932
Material de excelente qualidade que não só resgatou a revolução, mas também a sua história pelo interior de São Paulo, contemplando as cidades de PIRACICABA, LIMEIRA, MINAS GERAIS e a nossa ITAPETININGA.
Ao abrirem o link verão uma pagina que conterá a matéria sob o nome SANGUE PELA LEI que, por sua vez, conterá vários links no topo.
Procurem pelo link VETERANOS e ao descer a pagina que abrirá verão a foto de nosso querido veterano de 32, o Sr. NHOVÁ.
Cliquem nela para acessar o conteúdo que também apresenta o Sr. XICO TRINDADE nosso outro veterano itapetiningano de 32 a completar 100 anos em dezembro 2012.
Enorme abraço a todos e uma vez mais o Núcleo Paulista de Itapetininga! As Armas!! agradece o efusivo e inconteste apoio que sempre de vós pode contar no cumprimento de nossa missão!
Atenciosamente e no contato,
Prof. Jefferson Biajone
Julho 9, 2012
09/07/2012 08h00 - Atualizado em 09/07/2012 08h00
Oitenta anos após revolução de 1932, veteranos recebem R$ 450 por mês
Dos 800 que lutaram, 3 piracicabanos sobrevivem de outras aposentadorias.
Grupo será homenageado por 80 anos de revolução nesta segunda-feira.
Thomaz Fernandes Do G1 Piracicaba e Região
Em Piracicaba (SP) há três homens que podem falar da Revolução de 1932 sem precisar recorrer a livros e relatos. Dos 800 soldados e voluntários piracicabanos que lutaram contra as tropas federais no Vale do Paraíba e no sul do Estado, os únicos ainda vivos estão próximos de completar 100 anos. Oitenta anos depois do conflito, além de homenagens e medalhas, os R$ 450 de pensão pagos pelo governo estadual são a lembrança mensal e o 'reconhecimento' pela luta.
Jornal piracicabano retrata revolução como 'Guerra Santa' (Foto: Reprodução/Thomaz Fernandes)Jornal local retrata revolução como 'Guerra Santa'
(Foto: Reprodução/Thomaz Fernandes)
Se dependessem da pensão paga pelo Estado de São Paulo, Iscar Bressan, 99; Luiz Avelino Bortolan, 98; e Romeu Gomes de Oliveira, 96, talvez nem chegassem à idade em que estão. Os dois primeiros vivem com a ajuda da aposentadoria nas profissões a que se dedicaram após a revolução e Oliveira construiu seu patrimônio ao fundar uma empresa.
O presidente da sucursal piracicabana da Sociedade de Veteranos de 32/MMDC (Miragaia, Martins, Dráuzio e Camargo) é o militar aposentado Egydio João Tisiani, neto do herói revolucionário João Rodrigues Gonçalves, e conta que o reajuste das pensões já deveria ter ocorrido. "É muito pouco e intransferível. As filhas precisam provar que se dedicaram a vida inteira ao pai para que continuem recebendo a pensão após a morte", disse.
Tisiani ainda guarda medalha recebida pelo avô, herói revolucionário (Foto: Thomaz Fernandes / G1)Tisiani ainda guarda medalha recebida pelo avô, herói revolucionário (Foto: Thomaz Fernandes / G1)
Campanha por aumento
Tisiani organizou para esta segunda-feira (9) uma homenagem aos veteranos na praça José Bonifácio, às 9h. Ele mantém um blog onde posta fotos e histórias do período da revolução. "A minha intenção é manter a história viva para depois que os veteranos morrerem", disse. Ele garante que o próximo texto postado na rede será: "Veteranos exigem aumento de pensão".
Motorista 'polaco’ Bortolan era o motorista que levava soldados para o campo de batalha, mas o apelido dado pelo grupo era "Polaco". Tudo por causa do cabelo e da barba loiros. Bortolan era mecânico e foi como voluntário para o Vale do Paraíba.
Conhecido como "Polaco", Bortolan transportou frotas para a linha de batalha (Foto: Thomaz Fernandes / G1)Conhecido como 'Polaco', Bortolan transportou frotas para a linha de batalha (Foto: Thomaz Fernandes / G1)
Apesar da idade avançada, Bortolan lembra de cada detalhe daqueles três meses em que ficou no front de uma revolução e se emociona ao lembrar das esperanças que tinham. "Nós não tínhamos munição, nem armamento e também não tínhamos homens. Mesmo assim, conseguimos uma constituição e um governador", completou.
Bressan ficou na frente de batalha e precisou carregar os amigos mortos em uma carroça (Foto: Thomaz Fernandes / G1)Bressan esteve à frente da batalha e carregou os amigos mortos (Foto: Thomaz Fernandes / G1)
Soldado de infantaria: Na memória de Bressan, as lembranças da Revolução de 1932 ainda estão vivas. Ele ainda tem cicatrizes na cabeça em função do tiro que recebeu, mas que foi 'barrado' pelo capacete. "Fiquei na divisa com o Rio de Janeiro. Tomei um tiro na cabeça e fui salvo pela proteção. E hoje, a única coisa que recebo são os R$ 450."
Bressan vive com o auxílio da cuidadora Maria Isabel Ferreira e depende da ajuda da família para manter a funcionária. Ele foi soldado de infantaria e ficou na linha de frente das batalhas. "Todo dia morria muita gente. Eu tinha que levar o pessoal de carroça para os médicos", contou.
Despedida de soldados na estação da Paulista (Foto: Acervo pessoal/Egydio Trevisani)Saída de soldados na estação da Paulista, em Piracicaba (Foto: Acervo pessoal/Egydio Trevisani)
Lembranças e vitória: Apesar de o grupo não ter vencido oficialmente a batalha constitucionalista, os dois veteranos encaram como uma vitória a experiência que viveram. Bressan ainda chora ao recordar da saída dos soldados na antiga Estação da Paulista. "Tinha uma banda e muitas famílias choravam pela despedida dos filhos
Nos dias 6, 7 e 9 de julho, a Secretaria de Educação, Cultura e Esportes, através da Diretoria de Cultura e Esportes, realizou uma exposição em comemoração aos 80 anos da Revolução Constitucionalista de 1932, em Porto Feliz. Durante este período de comemoração, houve apresentação de vídeo documentário, debate, apresentação das Bandas União e Bandeirantes, que tocaram hinos e músicas da época, exposição com fotos de ex-combatentes, jornais e documentos relacionados à guerra. Na segunda feira (9), aniversário da revolução, houve a cerimônia em homenagem aos ex-combatentes de Porto Feliz. Familiares receberam um certificado de Honra ao Mérito In Memorian pelo desprendimento e disponibilidade daqueles que se engajaram na luta e na causa constitucional, que envolveu todos os paulistas, naquele ano de 1932. Exposição: A exposição ficará aberta até o dia 10 de agosto, para visitação na Casa da Cultura, situada na rua Tristão Pires, nº123, centro. Informações pelo telefone (15) 3262-4788.
Os gaúchos e paulistas que se entrincheiraram em Campina do Monte Alegre, durante a Revolução Constitucionalista de 1932, jamais poderiam imaginar que 80 anos depois um garoto recolheria no chão os restos do material bélico utilizado pelos dois grupos. Bruno Fernando Campos Santos, de apenas 13 anos, estudante da 8ª série da Escola Municipal "Enil Bores de Moraes Ferreira", é o garoto que acha pelo chão cápsulas de calibres de fuzil e tem uma ogiva de bomba na sua coleção. Entusiasmado e cheio de curiosidades com as histórias da guerra, Bruno descreve o que sabe do episódio: "Ouvi falar que morreu muita gente, teve muito tiroteio, foi triste."
A Revolução Constitucionalista de 1932 é comemorada hoje com solenidades oficiais em todo o Estado de São Paulo. Longe das formalidades, Bruno conta que tem guardadas 90 cápsulas de fuzil da época da Revolução. Uma delas ainda traz a data de fabricação legível: 1912. Um dos locais onde ele mais encontra esse tipo de material é a região do morro do Mandaçaia, que fica em Buri, na divisa com Campina do Monte Alegre. Nos dias da Revolução, os gaúchos das tropas federais de Getúlio Vargas se posicionaram no morro do Mandaçaia para atacar os paulistas em lugares onde hoje se encontra a igreja de São Roque, em Campina do Monte Alegre. A ogiva de bomba, composta de material semelhante a aço, foi encontrada por Bruno enterrada no chão em 2010. "Eu fui andando, vi um negócio enterrado, escavei com uma pedra e era isso aqui", ele disse, exibindo a peça com a sensação de quem mostra um troféu. O lavrador Lourenço Gomes, de 77 anos, disse que a peça encontrada por Bruno fazia parte das bombas lançadas pelos aviões "vermelhinhos" de Getúlio Vargas. E, segundo ele, as bombas eram muito temidas pelos paulistas por causa do grau de destruição: "Era a bomba mais perigosa: quando lançada e atingindo o alvo, ela explodia soltando estilhaços.
"Vermelhinho: Uma réplica do "vermelhinho" está permanentemente exposta na Praça da Revolução de 1932, no centro de Campina do Monte Alegre. Ao lado da praça, a cabeleireira Mariana Mendes, de 26 anos, sabe o que significa a peça: "Parece que é negócio da Revolução de 32, um fato que aconteceu aqui na minha cidade". E admitiu importância na exibição da réplica para a preservação da história: "Através disso aí as pessoas acabam querendo saber por que e que Campina do Monte Alegre foi palco de uma Revolução." José Carlos Leite dos Santos, de 50 anos, morador em frente à praça, tem uma bala de fuzil não deflagrada com a inscrição de 1923 como data de fabricação. Ele encontrou a bala no período em que trabalhou na fazenda São Luiz. "O trator passava e descobria (as peças) que estavam enterradas". Perto dele, o amigo Aristides Aleixo Sobrinho, de 85 anos, garantiu: "Foram achados até pentes de bala."  Carmo contou que começou a pesquisar a história da cidade num restaurante de sua propriedade. Turistas faziam perguntas e ele as respondia com base no que conhecia de narrativas. Com o passar dos anos, foi recolhendo outras histórias para satisfazer cada vez mais a curiosidade dos turistas. "Eu já andei pesquisando a história da cidade", disse também o garoto Bruno. Com base no que apurou, informou ter identificado pelo menos 15 escavações que foram utilizadas pelos gaúchos como trincheiras no morro do Mandaçaia. A pedido de um professor, já levou levou várias vezes as cápsulas encontradas para mostrá-las aos colegas de classe. Seu sonho profissional para a idade adulta é o de ser piloto de avião. Na estrada Lauri Simões de Barros, que liga Campina do Monte Alegre e Buri, três capelas atraem a atenção dos visitantes. Segundo Carmo, as capelas foram construídas nos locais em que morreram soldados gaúchos. Numa delas há cinco imagens de santos e o desenho de um gaúcho na parede. O autônomo João Gomes Neto, de 44 anos, habitualmente é quem conduz os visitantes pelos lugares que têm vínculos com a passagem das tropas de Getúlio Vargas e dos paulistas pela cidade. "É interessante divulgar a cidade, as histórias que ela tem", ele justifica.
Casa da Cultura: A Casa da Cultura de Campina do Monte Alegre também possui peças encontradas em vários lugares da cidade e que incluem cápsulas de balas de fuzil, cantil, granada, bomba, baioneta, sabre, bolsa de munição e estojo da campanha "Ouro por São Paulo" - um sistema de arrecadação de doações para ajuda da população destinada a bancar os custos com a Revolução. Há dois capacetes: um deles é da 1ª Companhia "Borba Gato". O segundo capacete contém dois furos, provavelmente provocados por tiros de fuzil. Há também um manual de instruções para o lançamento de granadas com o uso de sabre. E uma fotografia na qual aparecem quatro soldados identificados como Antenor, Chico, Marmita e Mazalai. O prefeito José Benedito Ferreira, o Zé Dito (PSDB), informou que Campina do Monte Alegre tem aproximadamente 6 mil habitantes. As principais atividades do município são a agropecuária e a sua vocação turística. Há cerca de 700 residências de veraneio.

Os catadores e moradores de Rua REJANIEL SANTOS e SANDRA DOMINGUES acharam numa árvore R$20 mil furtados de um restaurante na zona leste de São Paulo e entregaram o valor à polícia. Os donos do dinheiro ofereceram emprego e ajuda para os dois viajarem ao MARANHÃO, onde vive a família de SANTOS. O casal disse ter sido ameaçado pelos ladrões e, por isso, foi instalado pelos sócios num hotel. “Minha mãe me ensinou que não devo roubar”, afirmou SANTOS.

Um paraquedista morreu em BOITUVA após ser atingido em pleno ar por um avião. ALEX ADELMAN, de 33 anos, filmava o salto duplo de dois colegas quando foi atingido pelo avião que levava o trio. Na queda, ADELMAN se chocou com os paraquedistas WANDERSON CAMPOS DE ANDRADE, de 32 anos, e CONRADO ALVARES EVERTON, de 35, que tiveram fraturas nas pernas e estão conscientes.

A Suprema Corte do EGITO reiterou a decisão de dissolver o Parlamento, de maioria muçulmana, rejeitando o decreto de ontem do presidente MOHAMED MURSI que restaurava o Legislativo. O choque confirma a previsão de turbulência entre o presidente islamita e os militares. A IRMANDANDE MUÇULMANA manteve a convocação dos parlamentares para a realização de sessão amanhã.

Recém-eleito para a Presidência do MÉXICO pelo PRI, ENRIQUE PEÑA NIETO diz que quer acabar com o clima de competição com o BRASIL em temas de política regional. “Há equilíbrio na balança comercial, mas muito a fazer em relação à integração política, cultural e até mesmo econômica”. 

Ainda com referência às comemorações do 9 de Julho chega a notícia de que os policiais militares do Regimento de Polícia Montada 9 de Julho participaram à tarde de uma confraternização para celebrar os 80 anos da Revolução Constitucionalista. Logo depois do desfile no Ibirapuera, os policiais se reuniram no quartel da LUZ para comemorar a participação do batalhão na guerra paulista. Na época, o chamado Regimento de Cavalaria da Força Pública esteve presente desde o primeiro dia de luta. Durante a batalha, o Regimento encaminhou homens para ITARARÉ, FAXINA, BURÍ, RIO PARANAPITANGA, CAPELA DE SANTO ANTÔNIO, GUAPIANA, CÂNDIDOS, CAPÃO BONITO, RIO DAS ALMAS, RIO PARANAPANEMA, GRAMADINHO e ITAPETININGA. Em novembro de 1955, o então governador JÂNIO QUADROS mudou o nome da unidade para Regimento “9 de Julho”, por sua participação ativa na revolução. “Muito mais que o nome do regimento, o dia 9 de JULHO é uma data para ser celebrada não só em SÃO PAULO, mas em todo o país, já que foi por meio dessa luta que o BRASIL ganhou uma nova constituição”, contou o porta-voz do batalhão, TENENTE PM SYLLAS LIMA. A Cavalaria do Estado de São Paulo foi fundada em 1831, quando 30 homens foram designados para a composição da unidade. Atualmente, o Regimento de Polícia Montada “9 de Julho” faz parte das forças do Choque e está subordinado ao Comando de Policiamento de Choque.


Exposição ressalta os 80 anos da Revolução Constitucionalista de 1932
09/07/2012 - 16h33
Flávia Albuquerque (Repórter da Agência Brasil)
São Paulo - O Arquivo Público do Estado de São Paulo e o Museu da Imigração inauguraram hoje (9), feriado estadual da Revolução Constitucionalista de 1932, a exposição SP, 1932: 80 anos do Movimento Constitucionalista. A mostra reúne peças do acervo do governo estadual e da Polícia Militar que contam a história da Revolução de 1932. Os objetos ficarão expostos até outubro no prédio do Arquivo Público. Ao mesmo tempo foram abertas duas exposições que podem ser vistas apenas pela internet em comemoração aos 80 anos do Movimento Constitucionalista de 1932. Segundo a diretora técnica do Museu da Imigração e curadora da exposição, Marília Bonas, o foco da exposição é a mobilização popular que envolveu mais de 200 mil homens voluntários que se alistaram para lutar pela independência do estado. Marília explicou que a ideia é mostrar para as pessoas o que de fato foi a Revolução de 1932. Entre as peças expostas estão cartazes originais das campanhas de arrecadação para financiar o movimento, objetos usados nas trincheiras e um documentário com historiadores explicando o que foi a revolução. “São os 80 anos da revolução, temos um feriado que pouca gente sabe a fundo o que é e é um assunto bastante complexo porque falamos de uma questão política essencialmente. É a questão da autonomia, democracia, Constituição, todas muito importantes, mas difíceis de explicar para todo mundo. A ideia é trazer um pouco dessa história e explicar o que levou essas 200 mil pessoas para uma guerra em nome de uma causa”. Marília disse ainda que as exposições virtuais propõem que as pessoas tenham mais tempo, além do que terão com a mostra física, para conhecer a história da Revolução de 1932. De acordo com ela, a mostra 1932: a Guerra Paulista, com curadoria do Arquivo Público do Estado de São Paulo, explora o tema de forma didática e oferece proposta de atividades pedagógicas que podem ser desenvolvidas pelo professor em sala de aula. A exposição pode ser vista no site do Arquivo Público.
Já a exposição 1932, Acervos e Memórias, reúne imagens e informações dos acervos ligados ao tema e que estão sob a guarda de instituições de preservação – museus, arquivos e bibliotecas – em todo o estado de São Paulo. Essa pode ser acessada pelo site do Museu da Imigração. “Essas exposições dão a escala do que foi a Revolução de 1932 , porque a mobilização é realmente uma coisa impressionante para nós hoje. A exposição traz vários elementos para instigar sobre o fato de que pelo menos 200 mil pessoas se alistaram e só 46 mil puderam ir para a frente de batalha por falta de armamento. E também sobre uma causa política que virou um ideal popular em nome de São Paulo e da sua autonomia e identidade e como isso é construído e reconstruído como memória”. (Edição: Rivadavia Severo).



Extraído de: Assembléia Legislativa do Estado de São Paulo - 09 de Julho de 2012
Revolução de 32 completa 80 anos e recebe homenagem na Assembleia
O deputado Olimpio Gomes (PDT), autor do requerimento para a realização da solenidade em comemoração aos 80 anos da Revolução Constitucionalista de 1932, abriu a cerimônia no plenário Juscelino Kubitschek, nesta segunda-feira, 9/7. O governador Geraldo Alckmin foi um dos condecorados com a Medalha 9 de Julho, entregue pelo presidente da Associação dos Veteranos de 32, cel. Mário Fonseca Ventura.
Segundo Olimpio Gomes, a Comissão de Outorga da Medalha 9 de Julho decidiu homenagear também o presidente da Assembleia Legislativa, Barros Munhoz, que não pode comparecer, por força de compromisso no exterior, mas em vídeo agradeceu ao colega Olimpio Gomes. Munhoz disse que 32 tem um significado especial para São Paulo e para a história da democracia no Estado, que lutou pela Constituição. Munhoz lembrou o pai, ex-combatente de 32, e afirmou que reverenciará a medalha que simboliza o movimento que honrou os paulistas e a Polícia Militar de São Paulo.
Igualmente filho de um combatente de 32, o deputado Edson Ferrarini (PTB) relatou os feitos do pai. Em seguida, cumprimentou Geraldo Alckmin por importante iniciativa: "Hoje, o governador assina uma relevante decisão para os 41 veteranos vivos, que é a reforma do Mausoléu de 32."
Mais um vídeo exibido teve o intuito de lembrar a leitura feita pelo ex-combatente Gino Struffaldi (falecido recentemente) durante solenidade, na Assembleia, em referência à Revolução de 32, de poema de Paulo Bonfim, o poeta dos constitucionalistas.
Mario Ventura agradeceu ao governador pela decisão de reformar o Mausoléu dos Herois de 32 e sugeriu a criação de um memorial para o tema.
Mais homenagens
Também foram homenageados o presidente do Tribunal de Justiça, Ivan Sartori, o procurador geral de Justiça, Márcio Rosa, os ex-governadores Laudo Natel, Cláudio Lembo, Luiz Antonio Fleury Filho, o gal. de Exército Ademar Costa Filho, comandante do Sudeste, o vice-almirante Luiz Sá Gusmão, comandante do 8º Distrito Naval, o brigadeiro José Ferreira Malta, comandante do 4º Comar, o secretário de Segurança Pública, Antonio Ferreira Pinto, o presidente do Tribunal da Polícia Militar, cel. PM Orlando Geraldi, e o comandante da Polícia Militar de São Paulo, Roberval França.
Entre as personalidades que foram agraciadas com a Medalha 9 de Julho estavam Rogério Amato, presidente da Associação Comercial de São Paulo; Antonio Sergio Ribeiro, historiador e diretor do Departamento de Documentação e Informação da Assembleia Legislativa; Vitória Frugoli, também funcionária da Casa; Francis de Azevedo, Amado Rúbio, cap. Anisio Araujo dos Santos, Alexandre Raposo (Rede Record), José Carlos Silva (vice presidente da Jovem Pan), Luis Frias (Grupo Folha), Plinio Bofeti (Grupo Estadão), Gilberto Laifer (Rede Globo) e a Polícia Militar do Estado de São Paulo.
O ex-combatente José Mango (com 99 anos), um dos 41 veteranos vivos prestigiou a solenidade e também foi condecorado com a Medalha 9 de Julho.
Olimpio Gomes recebeu placa de homenagem dos veteranos de 32 e em seguida apresentou o quadro da presidente da Comissão de Familiares dos Herois de 32, Camila Giudici, em homenagem aos ex-combatentes e que passa a fazer parte do acervo da Revolução de 32, da Assembleia Legislativa.
Restauração do Obelisco
Ao final, Geraldo Alckmin assinou o documento que autoriza a restauração técnica e arquitetônica do Obelisco, março dos Herois de 32, e também o projeto de lei que reajusta o valor da pensão dos ex-combatentes de 32.
Alckmin lembrou o agricultor Paulo Vírginio, que morreu em Cunha, nas mãos de soldados governistas, porque se recusou a dizer onde se encontravam as tropas paulistas. Suas últimas palavras seriam: "Morro mas São Paulo vence".
As obras no mausoléu estarão em andamento no ano que vem e, ainda segundo o governador, no museu da Polícia Militar haverá um espaço para a história de 32, além de ser recuperada área que pertencia ao batalhão da antiga Força Pública, no Parque Dom Pedro, na capital paulista.
Autor: Marisa Mello
Posted by Gabriel Castro on 09/07/2012
O desfile deste 9 de julho em São Paulo foi o primeiro sem veteranos. Pela primeira vez, a parada em frente ao obelisco do Ibirapuera contou apenas com familiares de ex-combatentes e entusiastas da Revolução de 1932. No 80º aniversário do maior movimento cívico da história nacional, a história decididamente passou às mãos dos herdeiros do MMDC. Alguns veteranos, entretanto, ainda estão por aí. Neste ano, pela segunda vez, cumpri a inspiradora missão de ouvir sobreviventes – não só do feroz campo de batalha, mas de todo o século 20. Como em 2009, o impacto foi grande. Um dos veteranos em especial me pôs a pensar: Oscar Antonio Bressan, um piracicabano prestes a completar 100 anos. Oscar é viúvo há décadas. Teve apenas uma filha, que se suicidou. Não possui parentes próximos. Vive sozinho, sob os cuidados de uma empregada doméstica. Não guarda qualquer ambição – nem mesmo a de eventualmente sair de casa, já que não consegue caminhar sozinho e não tem quem o leve para um passeio de carro. O cenário poderia ser desolador, mas é exatamente o oposto: o nosso herói, um herói anônimo e resignado, corajoso e audaz, carrega uma alegria inabalável e uma vivacidade quase ofensiva a nós, imersos em mesquinhez, egoísmo e futilidades.
Imagem
Foto: Egberto Nogueira
Há 80 anos, ele deixou a vida de civil; pegou em armas e enfrentou uma ditadura para pedir o retorno do império da lei. Levou um tiro na cabeça, mas nem assim abandonou o seu posto por um segundo sequer. Há poucos dispostos a aprender o que aquele homem tem a ensinar: a ter a verdade como norte moral e defendê-la com firmeza, olhar com serenidade para o futuro, seja ele qual for, e não reclamar de rigorosamente nada. Nos últimos três anos, entrevistei mais de 10 veteranos de 1932. E suspeito que Oscar não era uma exceção em seu mundo. Nosso herói nasceu em 1912. Os filhos da geração dele se transformaram na multidão de mimados hedonistas que floresceu nos anos 1960. O que pode se esperar da juventude de hoje, herdeira dos anos 1980 e neta dos anos 1960? Nada. O encontro com figuras como Oscar é um encontro improvável entre mundos que já não conversam; nós prosseguimos imersos em mesquinhez, egoísmo e futilidades.
O deputado Olimpio Gomes (PDT), autor do requerimento para a realização da solenidade em comemoração aos 80 anos da Revolução Constitucionalista de 1932, abriu a cerimônia no plenário Juscelino Kubitschek, nesta segundafeira, 9/7/12. O governador Geraldo Alckmin foi um dos condecorados com a Medalha 9 de Julho, entregue pelo presidente da Associação dos Veteranos de 32, cel. Mário Fonseca Ventura.
Segundo Olimpio Gomes, a Comissão de Outorga da Medalha 9 de Julho decidiu homenagear também o presidente da Assembleia Legislativa, Barros Munhoz, que não pode comparecer, por força de compromisso no exterior, mas em vídeo transmitido durante a sessão agradeceu ao colega Olimpio Gomes. Munhoz disse que 1932 tem um significado especial para São Paulo e para a história da democracia no Estado, que lutou pela Constituição. Munhoz lembrou o pai, ex-combatente de 32, e afirmou que reverenciará a medalha que simboliza o movimento que honrou os paulistas e a Polícia Militar de São Paulo.
Igualmente filho de um combatente de 32, o deputado Edson Ferrarini (PTB) relatou os feitos do pai. Em seguida, cumprimentou Geraldo Alckmin por importante iniciativa: “Hoje, o governador assina uma relevante decisão para os 41 veteranos vivos, que é a reforma do Mausoléu de 32.”
Mais um vídeo exibido teve o intuito de lembrar a leitura feita pelo ex-combatente Gino Struffaldi (falecido recentemente) durante solenidade, na Assembleia, em referência à Revolução de 32, de poema de Paulo Bonfim, o poeta dos constitucionalistas.
Mário Ventura agradeceu ao governador pela decisão de reformar o Mausoléu dos Herois de 32 e sugeriu a criação de um memorial para o tema.
Mais homenagens Também receberam homenagem o presidente do Tribunal de Justiça, Ivan Sartori, o procurador-geral de Justiça, Márcio Rosa, os ex-governadores Laudo Natel, Cláudio Lembo, Luiz Antonio Fleury Filho, o gal. de Exército Ademar Costa Filho, comandante do Sudeste, o vice-almirante Luiz Sá Gusmão, comandante do 8º Distrito Naval, o brigadeiro José Ferreira Malta, comandante do 4º Comar, o secretário de Segurança Pública, Antonio Ferreira Pinto, o presidente do Tribunal da Polícia Militar, cel. PM Orlando Geraldi, e o comandante da Polícia Militar de São Paulo, Roberval França.
Entre as personalidades que foram agraciadas com a Medalha 9 de Julho estiveram Rogério Amato, presidente da Associação Comercial de São Paulo; Antonio Sergio Ribeiro, historiador e diretor do Departamento de Documentação e Informação da Assembleia Legislativa; Vitória Frugoli, também funcionária da Casa; Francis de Azevedo, Amado Rúbio, cap. Anisio Araujo dos Santos, Alexandre Raposo (Rede Record), José Carlos Silva (vice presidente da Jovem Pan), Luis Frias (Grupo Folha), Plinio Bofeti (Grupo Estadão), Gilberto Laifer (Rede Globo) e a Polícia Militar do Estado de São Paulo. O ex-combatente José Mango (com 99 anos), um dos 41 veteranos vivos prestigiou a solenidade e também foi condecorado com a Medalha 9 de Julho. Olimpio Gomes recebeu placa de homenagem dos veteranos de 32 e em seguida apresentou o quadro da presidente da Comissão de Familiares dos Herois de 32, Camila Giudici, em homenagem aos ex-combatentes. A obra foi doada por Thiago de Moraes, neto de excombatente, e passa a fazer parte do acervo da Revolução de 32, da Assembleia Legislativa. A família do ex-deputado Guilherme Gianneti recebeu a homenagem (in memorian). Gianneti foi autor da lei que transformou em feriado estadual a data histórica de 9 de julho, que marca a Revolução de 32.
Restauração do Obelisco
Ao final, Geraldo Alckmin assinou o documento que autoriza a restauração técnica e arquitetônica do Obelisco, marco dos Herois de 32, e também o projeto de lei que reajusta o valor do salários pagos a pensionistas de excombatentes de 32. Alckmin lembrou o agricultor Paulo Vírginio, que morreu em Cunha, nas mãos de soldados governistas, porque se recusou a dizer onde se encontravam as tropas paulistas. Suas últimas palavras seriam: “Morro, mas São Paulo vence”. As obras no mausoléu estarão em andamento no ano que vem e, ainda segundo o governador, no museu da Polícia Militar haverá um espaço para a história de 32, além de ser recuperada área que pertencia ao batalhão da antiga Força Pública, no Parque Dom Pedro, na capital paulista.


















DIA 9 DE JULHO DE 2013 – QUARTA-FEIRA
FERIADO ESTADUAL – DATA MAGNA DO ESTADO DE SÃO PAULO
O QUE FOI 32? – Paulo Bomfim – Foi a soma dos sonhos e do sacrifício de um povo, a confraternização de raças e condições sociais no batismo das trincheiras; o esforço das indústrias, o despreendimento do comércio, a grandeza de uma causa, a generosidade dos moços, a participação dos cabelos brancos, o entusiasmo das crianças, a força que vem da mulher-terra paulista, o verbo dos poetas e dos tribunos, dos jornalistas e dos sacerdotes; a sacralidade da lei, o fuzil ao lado do livro, a trincheira continuação da escola, a caserna dependência do lar, o campo de batalha, sementeira de justiça! O que foi 32? Foi bandeira que voltou do passado, passado que se transformou em bandeira, bênção de Anchieta e de Frei Galvão, vigília de João Ramalho, grito de guerra de Tibiriçá, inspiração de Bartira, presença dos que partiram, convocação do amanhã, cocar-capacete de aço, gibão que virou farda cáqui, canoa monçoeira transformada em trem blindado, mortos e vivos marchando, igreja, escola, oficina em batalhões rezando a mesma oração, prece de amor e esperança, holocausto e clarinada, asa de glória gravando no sangue das gerações: Enquanto houver injustiça, Enquanto houver sofrimento, Enquanto a terra chorar, Enquanto houver pensamento, Enquanto a história falar, Enquanto existir beleza, Enquanto florir paixão, Enquanto o sonho for sonho, Enquanto o sangue for sangue, Enquanto existir saudade, Enquanto houver esperança, Enquanto os mortos velarem, - É sempre 9 de julho!
Vamos comemorar hoje os 81 anos da Revolução Constitucionalista. Para me encontrar com o CORONEL PM ANTÔNIO CARLOS MENDES, na Rua PEDRO VICENTE, como sempre fazemos, levanto antes das 5 horas. No computador preparo a poesia de PAULO BOMFIM – O QUE FOI 32? – para ler na Assembléia Legislativa, na sessão solene onde reuniremos os presidentes dos núcleos da Sociedade. 
Chegamos bem cedo na área de desfile. Podemos encontrar o CORONEL PM JOSÉ MAURÍCIO WEISSHAUPT PEREZ (Comandante da Academia de Polícia Militar do Barro Branco e coordenador do Desfile Cívico-Militar); CORONEL PM MARIA YAMAMOTO, Chefe do Centro de Comunicação Social, vários coronéís da ativa e da reserva (a lista é muito grande para colocar todos os nomes ), bem como nossos associados e amigos. Aguardamos a chegada das autoridades civis e militares, como o Secretário da Segurança Pública, FERNANDO GRELLA VIEIRA; o Comandante Geral CORONEL PM BENEDITO ROBERTO MEIRA, o GENERAL-DE-EXÉRCITO ADHEMAR DA COSTA MACHADO FILHO (Comandante do EXÉRCITO SUDESTE), o MAJOR-BRIGADEIRO JOSÉ GERALDO FERREIRA MALTA (Comandante do IV COMAR), o VICE-ALMIRANTE LISEO ZAMPRONIO (Comandante do 8º DISTRITO NAVAL), CORONEL PM MARCO AURÉLIO ALVES PINTO (Chefe da Casa Militar do Palácio dos Bandeirantes), Deputado Estadual SAMUEL MOREIRA (Presidente da Assembléia Legislativa), Vereador CORONEL PM ÁLVARO BATISTA CAMILO (Ex-Comandante Geral); INSPETOR REGIONAL EDUARDO DE SIQUEIRA BIAS (Comandante da Guarda Civil Metropolitana), ANA ELIZABETH CAMPOS BILÁ (cerimonial da OAB/SP). Com a chegada do Governador GERALDO ALCKMIN, vamos para o palanque oficial e começa a solenidade comemorativa do 81º Aniversário do Movimento Constitucionalista de 1932. O governador me comunica que nos próximos dias terá início o restauro do Monumento Mausoléu do Soldado Constitucionalista, uma notícia extremamente importante para a Sociedade Veteranos de 32-MMDC.   
MARIANO TAGLIANETTI, nosso “embaixador” em CURITIBA, que ontem esteve na solenidade de posse dos dirigentes da Sociedade para o biênio 2013-2015 e aniversário da sede, também está conosco nesta manhã, mas muito preocupado: sua esposa teve uma queda e há suspeita de fratura na bacia. Ele ainda fará o esforço para ir à Assembléia, a fim de ser condecorado com a Medalha da Constituição e embarcará em seguida num avião para CURITIBA, a fim de atender a patroa. Outra notícia extremamente triste é aquela que me comunicam a respeito da morte nesta data de dona DIRCE RUDGE PACHECO E SILVA. Essas coisas abalam a gente, apesar de tudo o que está acontecendo de agradável neste 9 de Julho.  
Assume o Comando do Exército Constitucionalista WILLIAM SACCO MASCARENHAS WORTH. Nascido em 07/08/1949. - RG. 4306132-1. FILHO DE - EDWARD LECH MCARENHAS WORTH - OFICIAL DO EXÉRCITO E JOSEPHINA SACCO WORTH - DO LAR. NETO DO MARECHAL JOÃO BATISTA MASCARENHAS DE MORAIS, comandante da Força Expedicionária Brasileira - F.E.B. FORMADO EM ENOLOGIA - PELA UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL - BENTO GONÇALVES. DIRETOR DE PATRIMÔNIO ASSOCIAÇÃO DOS EX- COMBATENTES DO BRASIL SEÇÃO SÃO PAULO - NA GESTÃO DO CORONEL JAIRO JUNQUEIRA - 2010/2011. NO MOVIMENTO ESCOTEIRO DESDE 1987
HERÓIS IMORTALIZADOS EM 2013
1 – ARCHIMEDES PERES BUSATO
2 – LUIZ MORELLI
3 – BENEDICTO DE OLIVEIRA MATOSINHO
4 – FLORENCIO DOMINGUES DA SILVA
Após a colocação de uma coroa de flores no túmulo do herói jacente, pelo Governador GERALDO ALCKMIN e pelo Presidente da Sociedade Veteranos de 32-MMDC, no retorno ao palanque, é anunciada a entrega do COLAR DA VITÓRIA ao governador. O CORONEL PM ANTÔNIO CARLOS MENDES, vice-presidente da Sociedade, ajuda-me nesse ato solene de homenagem a ele por parte do MMDC. Em seguida, vamos proporcionar a condecoração da MEDALHA CONSTITUCIONALISTA às seguintes autoridades:

POSTO / GRADUAÇÃO NOME COMPLETO
Secretário de Segurança Pública FERNANDO GRELLA VIEIRA
Procurador Geral do Estado ELIVAL DA SILVA RAMOS
Gen Div LUIZ FELIPE KRAEMER CARBONELL
Prefeito Municipal de São Paulo FERNANDO HADDAD
Delegado Geral LUIZ MURÍCIO DE SOUZA BLAZECK
Superintendente Polícia Técnico Cientifica  NORMA SUELI BONACCORSO
Tenente Coronel ANDERSON DE BARROS MACHADO
Tenente Coronel RONALD RODRIGUES JAKOBOVSKI
Vice-Almirante LISEO ZAMPRONIO
Capitão-de-Mar-e-Guerra CARLOS AUGUSTO FONSECA DE ABREU
Brigadeiro Intendente SERGIO LINS DE CASTRO
Coronel Aviador IVAN MOYSÉS AYUPE
Coronel PM OMAR LIMA LEAL
Coronel PM MILTON SUSSUMU NOMURA
Coronel PM HÉLIO VERZA FILHO
Coronel PM ERIK HOELZ COLLA
Coronel PM HERVANDO LUIZ VELOZO
Coronel PM JOSÉ MAURÍCIO WEISSHAUPT PEREZ
Coronel PM JULIO ANTONIO FREITAS GONÇALVES
Delegado de Polícia VALMIR EDUARDO GRANUCCI
Comandante Operacional Adjunto GCM  ADEMIR PEREIRA PINA
GCM PAULA PRISCILA DE CASTRO SALVADOR
Doutor  MARCOS DA COSTA
Doutor  SÉRGIO RUAS
Coronel  JOSÉ CARLOS FERREIRA JUNIOR
Doutor GERSON MAGDALENO
Cb PM JOSÉ RICARDO BARSUGLIO DE OLIVEIRA
Dr. ANTONIO CARLOS DUARTE MOREIRA
Sr.  ABRÃO ANTONIO ZACHARIAS
Sr. CELSO RAFAEL DE OLIVEIRA
Sr. CARLOS TAUFIK HADDAD
Sra FRANCISCA SOUZA CARRER
Segue-se o imponente desfile cívico-militar, com abertura pela COFAM (COMISSÃO DOS FAMILIARES DOS HERÓIS DE 32). Antes, porém, surgem defronte do palanque oficial o senhor NELSON, dona SORAYA e o IAGO. Explico ao governador que se trata do meu bisneto, acompanhado de seus avós maternos. Isso sensibiliza GERALDO ALCKMIN que faz questão de descer comigo até onde eles estão para cumprimentá-los. Emociono-me com o ato humano do governador.
O desfile transcorre, como sempre, brilhante. Depois, vamos conversar com muita gente presente e, num momento de desconcentração, vamos tomar um café e, num cumprimento ao ASPIRANTE A OFICIAL RICARDO DE GÓES, que até 15 de junho foi presidente do Núcleo “CADETE RUYTEMBERG ROCHA”, a xícara de café é entornada em cima de meu terno. A camisa fica manchada, mas não há jeito de trocá-la. Temos agora o compromisso de ir para a Assembléia Legislativa, onde todos os presidentes de núcleos da Sociedade serão agraciados com a Medalha da Constituição. Vamos nos encontrar com Professor JOSÉ CARLOS DE BARROS LIMA (Núcleo MMDC- OESTE LAPA); JEFFERSON BIAJONE (Núcleo de Correspondência de ITAPETININGAA, o filho do TENENTE PM EGYDIO TISIANI (NC de PIRACICABA), dona MARIA HELENA (presidente do Núcleo de JAGUARIÚNA), CAPITÃES PM HERBERT e FERREIRA (do Núcleo GINO STRUFFALDI), TENENTE PM NATANAEL (Núcleo MMDC-LESTE); MAJOR PM WÁLTER (Núcleo MMDC NORTE); GIOVANNI SPIRANDELLI (Núcleo de SÃO JOSÉ DO RIO PRETO),

Após o encerramento da histórica sessão solene na Assembléia Legislativa, o CORONEL PM ANTÔNIO CARLOS MENDES leva-me até a Rua TABATINGUERA. Vou até o centro da cidade, RUA DIREITA, a fim de tentar achar uma loja aberta para comprar uma camisa, mas isso é impossível. Na PRAÇA DA SÉ encontro o FÁBIO e sua namorada, RAFAELA e DANILO. É um momento de alegria em revê-los depois de algum tempo. RAFAELA completará dez anos amanhã. Na Sociedade, troco a camisa manchada de café por uma outra que é da COFAM. É assim que, mais tarde, com a chegada de um táxi conduzido pelo motorista OLIVEIRA, vou ao CLUBE PIRATININGA. Ali, vou fazer uma palestra sobre a Revolução Constitucionalista de 1932. Várias pessoas querem conversar comigo sobre esse assunto, após a palestra e o jantar que é servido pelo DIAMOND´S GOURMET. Cumprimento o SUBTENENTE PM VILLAS BOAS, que está comandando uma Seção do Corpo Musical. Ele e seus comandados deram um show na apresentação das músicas, começando com a execução do HINO NACIONAL e terminando com o PARIS BELFORT. Encontro o filho do falecido CORONEL EB JAIRO JUNQUEIRA, que, durante anos, foi o presidente da Associação dos Ex-Combatentes da FEB, JOSÉ LUIZ e sua esposa. Também está presente o TENENTE PM NASCIMENTO, da AOMESP. São horas agradáveis, mas que, com a chegada do táxi, contratado pela diretoria do CLUBE PIRATININGA para ficar à minha disposição, vamos embarcar num lotação, na ARMÊNIA, por volta das 23 horas, regressando para casa.  
Ainda vejo no FACEBOOK cerca de dezenas de imagens do desfile do IBIRAPUERA, num trabalho espetacular do ANTONIO CARLOS ARISTIDES, imortalizando pela Internet o evento da manhã. Ele também irá colocar, mais tarde, as imagens tiradas na Assembléia Legislativa.

O Comando de Policiamento do Interior -7, em parceria com a Prefeitura Municipal de Sorocaba, o Instituto Histórico, Geográfico e Genealógico de Sorocaba, a Academia de História Militar Terrestre do Brasil de São Paulo e a Associação Memória da Revolução Constitucionalista de 32, realizaram solenidade comemorativa ao aniversário da Revolução Constitucionalista de 1932, no dia 9 de julho de 2013, às 09 horas na Praça Nove de Julho em Sorocaba. A bela cerimônia de homenagem àqueles que tombaram pelo retorno do Brasil às garantias constitucionais, teve o hasteamento das bandeiras: a Nacional pela 1.º Promotora de Justiça Feminina do Brasil, Dr.ª Zuleika Sucupira Kenworthy; a Paulista, pela Prof.ª Maria Dorotéa Senger Cezar e a de Sorocaba, pelo Prof. Dr. José Simôes de Almeida Júnior. Durante a solenidade houve a participação de alunos da Escola Municipal Dr. Getúlio Vargas e de Grupos de Escoteiros, que fizeram a deposição e vasos de flores junto ao Obelisco que celebra a memória da Revolução Constitucionalista de 1932.
A organização e abertura do evento foi do Cel PM Helson Lever Camilli, Comandante do Comando de Policimento do Interior Sete, seguido de uma rápida lembrança do significado dessa Revolução feito pelo Prof. Adilson Cezar, na qualidade de Presidente do Instituto Histórico, Geográfico e Genealógico de Sorocaba e da Academia de História Militar Terrestre do Brasil de São Paulo. Nas palavras do professor: “... quem saiu ganhando fomos todos nós brasileiros, pois embora São Paulo, tenha sido derrotado pela força das armas, saiu dela vitorioso pela moral...” “Nós precisamos dar a essa Revolução uma dimensão que se estenda a todos os quadrantes da Nação Brasileira, lembrando que em todos os lugares houve gente a favor da causa que não era paulista, mas sim brasileira – a reconstitucionalização. O que aconteceu foi que forças superiores obrigaram essas vozes a se calarem. Embora em muitos lugares fora de São Paulo, houve quem assim mesmo fez realizar o seu protesto. A historiografia hoje busca e recupera esses importantes movimentos que foram abortados.”
Encerrando a solenidade houve desfile cívico militar, da qual participaram os Grupos de Escoteiros de Sorocaba; a Policia Militar do Estado de São Paulo, com seus diferentes contingentes – como o Corpo de Bombeiros; soldados do Tiro de Guerra; o corpo de Fuzileiros Navais do Centro Experimental Aramar; os jipeiros; dentre outros. Deram assim um toque muito festivo à solenidade.

Na coluna FÓRUM DOS LEITORES, de O ESTADO DE SÃO PAULO, PAULO ROBERTO GIRÃO LESSA mandou publicar a seguinte carta:
O BRASIL acorda diante de seus problemas antigos, como saúde, educação e outros. Lá pelos anos 1930 a Revolução Constitucionalista (de 1932) já exigia a mudança de modelos ruralistas para um BRASIL que via nascer a indústria e a vida urbana. Hoje temos o problema do descrédito da classe política e uma certa mídia que apela para o consumismo vendendo baixarias. As manifestações diversas traduzem sentimentos que dizem não estar bem uma sociedade sem valores superiores de amor ao próximo e com os mesmos problemas que pioram na ausência de valores humanos. Ainda não sabemos as conseqüências dessas manifestações, mas ao menos sabemos que mudanças para o bem devem vir, e com urgência.
O ESTADO DE SÃO PAULO – CADERNO METRÓPOLE
O DIÁRIO DE UM COMBATENTE DE 1932 – REPORTAGEM DE CARLOS EDUARDO ENTINI – Integrante do BATALHÃO UNIVERSITÁRIO registrou memórias do fronte na Revolução Constitucionalista; texto ficou quase 80 anos guardado.
“A plataforma é pequena para conter o povo que dá votos de felicidade num entusiasmo delirante”. É com essa impressão que AURELIO STIEVANI parte para o combate contra as tropas federais em 14 de julho de 1932 e também abre o diário da Revolução Constitucionalista que escreveu no calor dos fatos. Com quatro volumes de 131 páginas, o relato de STIEVANI é rico em sentimentos que revelam a mobilização dos civis que SÃO PAULO vivenciou naqueles quase três meses de conflito. “A guerra tem seu lado bom. É essa camaradagem, fraternidade que floresce entre aqueles que se batem por uma causa justa”, concluiu o voluntário que lutou no 2º pelotão da 2ª companhia do BATALHÃO UNIVERSITÁRIO PAULISTA.
AURELIO STIEVANI tinha 24 anos e era aluno da Politécnica quando se alistou. Formou-se engenheiro civil no ano seguinte do conflito. O batalhão, formado por universitários, viria a ser chamado de 14 de julho, em referência ao dia em que partiu de SÃO PAULO para ITARARÉ, na fronteira com o PARANÁ. O batalhão universitário era um entre as dezenas que se formaram quando as forças paulistas lideradas pelo GENERAL ISIDORO LOPES tomaram o Estado e iniciaram a marcha para o RIO.
O diário relata 37 dias em que STIEVANI esteve em ação no setor sul. No total foram 41. Os últimos quatro relatam seus dias no hospital, para onde foi depois de ter apanhado uma forte gripe. “Tenho todos os membros entorpecidos”, escreveu da trincheira em BURY, um pouco antes de subir num caminhão e partir para o hospital.
O diário, só agora revelado, ficou com STIEVANI até sua morte, em 1982. Seus pertences foram entregues ao primo, TITO NALON. Mas foi só seu filho, RENZO quem o descobriu em meio a diversos documentos. Depois de quase 80 anos desconhecido, o entregou à sobrinha de STIEVANI, TEREZINHA OLCESE SMITH. Agora ela espera entregá-los aos filhos de STIEVANI.  
 
O penúltimo casarão da Avenida PAULISTA foi demolido nesta manhã. O imóvel, localizado no número 1.373, ficava ao lado do prédio da Justiça Federal, na calçada da FIESP, entre a Alameda CASA BRANCA e a Rua PAMPLONA. Nos últimos 30 anos, a PAULISTA, que completa 122 anos em 2013 e possui um dos metros quadrados mais caros da cidade, perdeu pelo menos 25 casarões. No último dia 5, a Justiça de SÃO PAULO determinou a restauração da Residência JOAQUIM FRANCO DE MELLO, no número 1.919 da PAULISTA, após mais de 20 anos de batalha judicial para que o Estado indenizasse os proprietários pelo tombamento, em 1992. A conta da restauração será dividida entre herdeiros, governo estadual e Prefeitura.

Cerca de 500 integrantes do Movimento de MORARIA PARA TODOS ocuparam hoje de madrugada um prédio na Rua CAPITÃO SALOMÃO, ao lado do LARGO DO PAISSANDU, no centro. A ação foi realizada por volta das 3 horas. A Polícia Militar foi acionada, mas não conseguiu impedir a entrada do grupo no imóvel. Segundo a PM, não houve conflito. De acordo com JUVENAL DA CONCEIÇÃO PEREIRA, coordenador do Movimento em SÃO PAULO, o grupo é formado por pessoas que foram despejadas recentemente de dois outros imóveis do Centro, um na Avenida SÃO JOÃO e outro na Rua SETE DE ABRIL. O Movimento pede que edifícios vazios sejam usados para moradia popular.

A morte de DANIEL PELLEGRINI, o MC DALESTE, mexeu com a cena do funk paulista. Assassinado no palco, em CAMPINAS, DALESTE não foi o primeiro funkeiro vítima da violência no Estado. De 2010 para cá, quatro outros artistas foram executados. Agora, os MCs planejam um clipe conjunto para homenagear o autor de “ANGRA DOS REIS” e pedir paz nos bailes.
Em 2012, além das execuções de MC PRIMO e MC CARECA, na BAIXADA SANTISTA, outro artista sofreu um atentado: JÚLIO FERREIRA, o MC NEGUINHO DO CAXETA, foi baleado ao deixar um restaurante. E MC LÉO BAIXADA teria sofrido ameaças.

Em reunião de mais de duas horas, o presidente da Câmara, HENRIQUE EDUARDO ALVES, e a maioria dos líderes partidários decidiram que a aprovação e realização de um plebiscito da reforma política com efeitos para a eleição de 2014, como propôs a presidente DILMA ROUSSEFF, é inviável. O presidente da Câmara explicou que as novas regras teriam de ser aprovadas pelo Congresso Nacional antes da primeira semana de outubro, o que confronta com o prazo de 70 dias dado pelo TSE para organizar o plebiscito, além do prazo de tramitação tanto do decreto com as perguntas e depois os projetos quês saíssem da consulta popular. O PT, no entanto, não desistiu da idéia de coletar assinaturas para a realização do plebiscito em 2013, mesmo admitindo que as regras só valerão para eleições futuras. O líder do PT na Câmara, JOSÉ GUIMARÃES, anunciou a decisão de coletar as 171 assinaturas para o decreto legislativo.

A presidente DILMA ROUSSEFF cancelou hoje sua participação na abertura da 16ª MARCHA DE PREFEITOS, que vai até o dia 11 de julho em BRASÍLIA, sem esclarecer os motivos. Ao serem comunicados da ausência, os cerca de quatro mil prefeitos que participam do evento vaiaram a presidente. Os ânimos foram acalmados pelo presidente da CNM (CONFEDERAÇÃO NACIONAL DOS MUNICÍPIOS), PAULO ZIULKOSKI. “Não é por aí, temos de ser democratas”. A ausência de DILMA mudou a programação do evento, que antecipou parte das atividades, previstas para ocorrer amanhã. A presidente confirmou para amanhã a presença na marcha.

A COMISSÃO NACIONAL DA VERDADE se reuniu hoje, em BRASÍLIA, com a família do ex-presidente JOÃO GOULART para decidir as medidas necessárias para a exumação dos restos mortais de GOULART, com objetivo de tentar esclarecer a causa de sua morte. Há suspeitas de que ele teria sido assassinado, e não morrido em conseqüência de um ataque cardíaco, como foi dito na época. A ministra da Secretaria de Direitos Humanos, MARIA DO ROSÁRIO, disse que a investigação está sendo feita a pedido da família e é um dever do BRASIL promover o resgate histórico das circunstâncias que envolvem a morte de JANGO. 

Um bombeiro morreu hoje depois de atropelar um animal na pista da Rodovia PEDRO MONTELEONE, conhecida como RODOVIA DA LARANJA, em CATANDUVA. O acidente foi grave e o SARGENTO PM CARLOS ALBERTO GOMES acabou morrendo no local. Ele seguia de moto pela rodovia quando bateu em um cachorro. Com o impacto, ele caiu da motocicleta e foi atropelado por um carro, que vinha na direção contrária. O motorista não se feriu. O bombeiro trabalhava na unidade de NOVO HORIZONTE.  

O ex-diretor da Usina de FUKUSHIMA, MASAO YOSHIDA, de 58 anos, morreu de câncer no esôfago. A informação foi divulgada hoje. A usina teve um vazamento nuclear causado pelo tsunami que assolou o JAPÃO em março de 2011. Na época, YOSHIDA se arriscou para impedir que o pior desastre nuclear desde CHERNOBYL tivesse proporções maiores. Para especialistas, a doença de YOSHIDA não estava relacionada à exposição à radioatividade, devido à rapidez com que se desenvolveu.

AMANDA BERRY, GINA DEJESUS e MICHELLE KNIGNT, as três jovens que foram seqüestradas e abusadas por ARIEL CASTRO, em OHIO (ESTADOS UNIDOS), falaram pela primeira vez publicamente após terem sido libertadas há dois meses. Com um sorriso no rosto, as meninas agradeceram, em vídeo publicado no YOU TUBE, as pessoas que se preocupavam com elas durante os quase dez anos em que foram mantidas como reféns.

2 014     :     -     QUARTA-FEIRA
São acachapantes as capas dos jornais desta quarta-feira, após a tragédia de BELO HORIZONTE:
O  ESTADO DE SÃO PAULO
HUMILHAÇÃO EM CASA
Seleção perde de 7 a 1 da ALEMANHA, maior goleada de sua história. SCOLARI assume responsabilidade e fala em “pânico”. Time sofre  gols em 6 minutos. Vexame abre debate sobre o futuro do futebol brasileiro.
O BRASIL sofreu ontem a maior goleada da história. A vitória da ALEMANHA por 7 a 1 deixou o País perplexo e mostrou a 2 bilhões de espectadores no mundo uma seleção descontrolada emocionalmente e tomada por um apagão logo no 1º tempo, depois que o craque alemão MULLER fez 1 a 0. Em apenas seis minutos, a seleção sofreu mais 4 gols, deixando atônitos até reservas do time adversário. Após o jogo, o técnico LUIZ FELIPE SCOLARI assumiu a culpa pelo fracasso e pediu desculpas pela tragédia que lembrou o MARACANAZO de 1950. “Sou o responsável”, disse. “Não foi a falta de NEYMAR, nem falarmos que o BRASIL era o favorito, nem o choro dos jogadores, o lado emocional, nem o jeito de cantar o Hino Nacional. Levamos um gol, o time entrou em pânico e os alemães aproveitaram”. No sábado, o BRASIL disputa o 3º lugar com ARGENTINA OU HOLANDA.
FOLHA DE SÃO PAULO
SELEÇÃO SOFRE A PIOR DERROTA DA HISTÓRIA – ALEMANHA faz 7 a 1, esmaga BRASIL e vai à final da COPA. Anfitrião, país revive trauma de 1950. FELIPÃO diz ser responsável pelo vexame, que pressiona o futebol nacional por reformas.
Pela segunda vez, a seleção brasileira perdeu  a chance de tornar-se campeã mundial de futebol jogando em seu país. Se na COPA de 1950 o placar de 2 a 1 para o URUGUAI no MARACANÃ teve contornos trágicos, a derrota de 2014 foi marcada pela humilhação. A equipe nacional amargou o maior revés de sua trajetória centenária e o pior resultado de um anfitrião de MUNDIAIS.
Prostrado diante da eficaz ALEMANHA, o time de LUIZ FELIPE SCOLARI sofreu, no MINEIRÃO, em BELO HORIZONTE, a mais elástica goleada do futebol brasileiro em 84 anos de participações em COPAS. Foi vaiado e ouviu “olé”. Diante de 58.141 pessoas, a equipe dirigida por JOACHIM LÖW fez 7 a1. Em 29 minutos de partida, já havia chegado a 5 a 0, com quatro gols num intervalo de seis minutos. Na história, as maiores derrotas do BRASIL haviam sido na primeira metade do século passado: 6 a 0 para o URUGUAI no SUL-AMERICANO de 1920 e 8 a 4 para a IUGOSLÁVIA num amistoso em 1934. Com a vitória, a tricampeã ALEMANHA ultrapassou o pentacampeão BRASIL como o país que chegou a mais finais da COPA – oito. Coube ao alemão KLOSE outro recorde. Marcou seu 16º gol em MUNDIAIS, batendo os 15 de RONALDO.
FELIPÃO definiu o jogo como “catástrofe”. “A escolha da parte tática é minha. O responsável fui eu”, afirmou. O goleiro JÚLIO CÉSAR disse que a seleção sofreu um “apagão” após o primeiro gol alemão. DAVID LUIZ chorou: “Desculpa todo mundo”. Desfalque do time ao lado do zagueiro THIAGO SILVA, o atacante NEYMAR, contundido, foi visto caminhando em sua casa em GUARUJÁ, antes do jogo. Após a partida, não se manifestou.
Para ex-atletas e treinadores, o vexame deve servir à reformulação do futebol nacional. No sábado, às 17 horas, o BRASIL disputa o terceiro lugar em BRASÍLIA.
Enquanto aguardo a chegada da MARINEI, LUCAS e GABRIEL, que irão me levar até a Academia de Polícia Militar para assistir a cerimônia do 82º Aniversário da Revolução Constitucionalista, também leio o DIÁRIO DE SÃO PAULO, que apresenta como manchete:
FELIPÃO ERRA E BRASIL É HUMILHADO
Técnico faz lambança na escalação e coloca em campo um time atordoado, que viu a ALEMANHA jogar de maneira tão fácil que parecia enfrentar uma equipe amadora. Os 7 a 1 do MINEIRÃO é a pior derrota da história da seleção. Deu saudade de NEYMAR. Deu raiva, Deu vergonha. A COPA DO BRAISL não é nossa.

O ESTADÃO traz uma reportagem sobre os 82 anos do Movimento Constitucionalista, com a seguinte manchete: O LEGADO DEIXADO PELA REVOLUÇÃO DE 32. No aniversário do 9 de Julho, historiadores destacam que movimento foi pioneiro na opção pela industrialização e na emancipação feminina. Traz um trabalho feito por EDISON VEIGA e fala dos colecionadores RICARDO DELLA ROSA e do empresário RAUL CORRÊA DA SILVA.
Na página A18METRÓPOLE temos uma análise feita por ANTÔNIO PENTEADO MENDONÇA – A BELEZA DA REVOLUÇÃO CONSTITUCIONALISTA DE 1932 – Presidente da Academia Paulista de Letras e Colunista do ESTADO e da RÁDIO ESTADÃO.
Mas a melhor reportagem é do DIÁRIO DE SÃO PAULO: PELA MEMÓRIA DE MMDC PAULISTA COM MUITO ORGULHO COM MUITO AMOR. DESFILE DESTA QUARTA E REFORMA DO MAUSOLÉU.
Por conta da realização da COPA DO MUNDO, as comemorações pela Revolução de 32 ocorrerão no BARRO BRANCO e não no PARQUE DO IBIRAPUERA.
Neste ano, as comemorações por conta do 82º Aniversário da Revolução de 1932 acontecerão na ACADEMIA DE POLÍCIA MILITAR DO BARRO BRANCO, na zona norte de SÃO PAULO. Diferentemente dos outros anos, o desfile não será realizado na região do PARQUE DO IBIRAPUERA, por causa da COPA DO MUNDO. Segundo informações da assessoria de imprensa da Polícia Militar boa parte do efetivo da corporação está designada para atender às demandas dos jogos. Hoje, a capital paulista recebe a semifinal entre ARGENTINA e HOLANDA, no Estádio do ITAQUERÃO, na zona leste.
Para a festa em homenagem à Revolução, são esperadas as presenças do governador GERALDO ALCKMIN, de comandantes do Exército, Marinha e Aeronáutica, do secretário da Segurança Pública FERNANDO GRELLA VIEIRA, de representantes do Tribunal de Justiça e Assembléia Legislativa.
MAUSOLÚE – O OBELISCO MAUSOLÉU DOS AOS HERÓIS DE 1932, construído no PARQUE DO IBIRAPUEREA em 1947, é uma homenagem aos combatentes que atuaram na Revolução de 1932. O local guarda os corpos dos estudantes mortos durante o movimento e também de outros 713 ex-combatentes (aqui o jornal não está bem informado – os mortos não eram estudantes e são 804 o número dos ex-combatentes ali imortalizados).
Durante as comemorações em homenagem ao conflito no ano passado, o governador GERALDO ALCKMIN anunciou eu o local seria reformado (restaurado). A restauração tinha a previsão de ser entregue hoje, um ano após o anúncio. No entanto, problemas na Justiça com a licitação atrasaram a finalização e a entrega da obra.
Segundo uma nota da Secretaria de Segurança Pública, pasta responsável pela reforma (restauração) do Obelisco foi iniciada em 5 de julho do ano passado. Uma das empresas participantes questionou o edital e a Justiça determinou a suspensão da obra”.
A nota da Secretaria informa ainda que “os trabalhos ficaram paralisados por 40 dias, até que o recurso na Justiça possibilitou a retomada. Em função da paralisação, a conclusão da obra está prevista para setembro”. 

MARINEI, LUCAS e GABRIEL chegam às 7:30 horas. Vão me levar à APMBB, mas antes passamos pelo Colégio da Polícia Militar, pois a Professora ADRIANA, que acolheu LUCAS e GABRIEL no Colégio, quer também ir até a Academia. Chegamos cedo e podemos conversar com muita gente que já se faz presente e que vão chegando. Repórteres da GAZETA, da GLOBO, da TV ASSEMBLÉIA e outros que ali estão querem me fazer perguntas sobre o evento. 
Entre os amigos vamos cumprimentar: CORONEL PM RICARDO JACOB, CORONEL JUIZ ANTÔNIO AUGUSTO NEVES, MARIANO TAGLIANETTI, JOEL LOBO e outras pessoas que vieram de CURITIBA para prestigiar a solenidade. MARIANO TAGLIANETTI é um dos nossos associados incansáveis em projetar o Movimento Constitucionalista no PARANÁ, culminando por ser fundada a ASSOCIAÇÃO PARANAENSE MMDC-32 E HERÓIS DO CERCO DA LAPA. Alguns deles receberão hoje o COLAR DA VITÓRIA. AMADO RÚBIO e sua esposa e filha (dona NADIR e LÍGIA), ALFREDO PIRES (esses dois foram comandantes do Exército Constitucionalista), bem como o atual WILLIAM MASCARENHAS, que hoje passa o cargo para ANTONIO LIVIO ABRAÇOS JORGE, Presidente da União dos Escoteiros do Brasil, seção de SÃO PAULO. CORONEL PM JAIRO PAES DE LIRA, Deputado Estadual MAJOR PM SÉRGIO OLÍMPIO, Vereadores CORONÉIS PM ÁLVARO BATISTA CAMILO e PAULO ADRIANO LUCINDA TELHADA, ALDO STRUFFALDI, EDIMARA DE LIMA, FRANCES AZEVEDO, CAPITÃO ROBINSON CASTROPIL, SARGENTO FERRAÕ E familiares, Professor JOSÉ CARLOS DE BARROS LIMA, MARGARIDA LIMA, ANTONIO CARLOS ARISTIDES, ORÍTIA ABREU SERAFIM, DANIELLA MACELLARO, JOÃO CARLOS DIAS e seus auxiliares do SEMANÁRIO DA ZONA NORTE, Professora MARIA ODETTE, FERNANDO MORENO, PAULINHA CRUZ, ANA CRISTINA LAZZATI, Comendador DE ROSE, ARTHUR PASCHOAL, SÍLVIO LUIZ DA ROCHA, HELIODORO SÁ, VALÉRIA CRISTINA PETRELLA, THELL MORAES MARTINS, e muitos outro conhecidos se fazem presentes nesta solenidade. Notamos também vários coronéis da ativa presentes, além daqueles indicados para serem condecorados: SÉRGIO DE SOUZA MERLO, NIVALDO CÉSAR RESTIVO, AUDI ANASTÁCIO FÉLIX.

O Comandante da APMBB, CORONEL PM JOSÉ MAURÍCIO WEISSHAUPT PEREZ é o anfitrião e nos recebe com fidalguia, apresentando uma Academia que enaltece sobremaneira a comemoração do 82º Aniversário da Revolução Constitucionalista. Com a chegada do Governador GERALDO ALCKMIN é iniciado o evento com o canto do HINO NACIONAL. Depois o governador passa em revista à tropa formada, constituída de alunos oficiais do 1º CFO (os demais estão empregados no policiamento da COPA DO MUNDO.
WILLIAM MASCARENHAS passa o Comando do Exército Constitucionalista para o Chefe dos Escoteiros ANTÔNIO LÍVIO ABRAÇOS JORGE.
Discurso do novo Comandante do Exército Constitucionalista – ANTÔNIO LÍVIO ABRAÇOS JORGE.
Excelentíssimo Sr. Dr. Geraldo Alckmin, Digníssimo Governador do Estado de São Paulo e Presidente de Honra dos Escoteiros de São Paulo
Excelentíssimo General de Exército João Camilo de Campos, Digníssimo Comandante Militar do Sudeste
Excelentíssimo Vice Almirante Liseo Zampronio, Digníssimo Comandante do 8º Distrito Naval
Excelentíssimo Major Brigadeiro do Ar Marcelo Kanitz Damasceno, Digníssimo Comandante do IV Comando Aéreo Regional.
Excelentíssimo Coronel PM Benedito Roberto Meira, Digníssimo Comandante da Policia Militar do Est. de São Paulo.
Excelentíssimo Coronel PM Mario Fonseca Ventura, Digníssimo Presidente da Sociedade Veteranos de 32 – MMDC
Excelentíssimo Coronel PM José Maurício Weisshaupt Perez, Digníssimo Comandante da Academia de Policia Militar do Barro Branco
Demais autoridades civis e militares, familiares, paulistas de todos os cantos, paulistanos e brasileiros que conosco convivem.
Neste Nove de julho, do ano que celebramos o 1o  Centenário do Escotismo no Estado de São Paulo, é com muita honra que eu Antonio Livio Abraços Jorge, Presidente da União dos Escoteiros do Brasil/Região São Paulo, assumo o comando do EXÉRCITO CONSTITUCIONALISTA para cumprir por um ano os deveres e ofícios que me forem designados em prol dos ideais e do culto da memória da REVOLUÇÃO DE 32.
Neste dia 9 de julho, o Estado de São Paulo comemora o 82o aniversário do Movimento Constitucionalista de 1932.
A data representa um marco importante na história do nosso Estado e do Brasil. O movimento exigia que o país tivesse uma Constituição e fosse mais democrático.
Na época, Getúlio Vargas ocupava a Presidência da República devido a um golpe de Estado, aplicado após sua derrota para o paulista Júlio Prestes nas eleições presidenciais de 1930 – o período ficou conhecido como "A Era Vargas".
A Revolução Constitucionalista de 1932 representou o inconformismo do Estado São Paulo e de seus cidadãos em relação à ditadura de Getúlio Vargas, e que pretendia impedir a continuação de seu governo instaurado em 1930.   
Getúlio Vargas não desejava governar com São Paulo como ainda ameaçou reduzir seu poder dentro do próprio Estado de São Paulo, com a nomeação desafiadora de um interventor não paulista para governar o Estado.
Os paulistas não aceitaram este ato de enfrentamento e as arbitrariedades de Getúlio Vargas, o que levou ao conflito que opôs o Estado de São Paulo ao resto do país.
O que era para ser apenas um apaixonado comício acompanhado de uma manifestação política acabou em tragédia naquele dia 23 de maio de 1932. Uma multidão se reuniu na Praça da República para protestar contra o governo de Getúlio Vargas e pedir que o país voltasse a ter uma Constituição quando, em resposta à truculência policial, um grupo de manifestantes decidiu depredar as redações dos jornais situacionistas Correio da Tarde e A Razão.
A confusão foi grande. Logo em seguida, a sede do Partido Popular Paulista (PPP), que apoiava Vargas e abrigava os membros da Legião Revolucionária, uma espécie de milícia paramilitar que dava sustentação aos tenentistas que dominavam o estado, foi igualmente atacada.
A reação da polícia foi violenta. Quatro heróis – Miragaia, Martins, Camargo e Dráusio, este com apenas 14 anos – acabaram mortos.
Eles se transformaram em heróis do solo paulista, sendo a sigla de seus nomes usada para batizar a principal sociedade secreta civil de resistência constitucionalista, o MMDC.
No dia 9 de julho daquele ano, o Brasil assistiu ao início de seu maior conflito armado, e também a maior mobilização popular de sua história. Homens, mulheres, estudantes, crianças, políticos e industriais- participaram da revolta.
O desequilíbrio entre as forças governistas e constitucionalistas era grande. O governo federal tinha o poder militar e os constitucionalistas contavam apenas com a mobilização civil e o amor por sua terra.
As tropas paulistas lutaram praticamente sozinhas contra o resto do país. As armas e alimentos eram fornecidos pelo próprio Estado, que mais tarde conseguiu leve apoio do Mato Grosso.
Cerca de 135 mil cidadãos brasileiros residentes no nosso Estado aderiram à luta, que durou três meses e ceifou a vida de quase 650 soldados no lado paulista.
Mas o impacto da Revolução de 32 não se restringiu apenas ao campo da política: o levante foi também um dos principais marcos para a formação da identidade paulista.
O Movimento Constitucionalista foi um arrojado levante para forçar o governo central a se constitucionalizar, era a procura por um Estado de Direito.
Hoje, fruto desta luta temos um Estado de Direito e uma Constituição Cidadã.  
É importante destacar que a Revolução de 1932 é o único movimento revolucionário ocorrido na História do Brasil em que a comemoração do evento é realizada pelos vencidos e não pelos vencedores.
Esse ato solene é o compromisso de se manter viva a chama de liberdade e civismo que foi acesa em 9 de julho de 1932.
São Paulo com seu povo mostrou ao Brasil que amor não se vende, que princípios não se negociam, que valores e virtudes não são relativos, que a lei não se dobra e o mais importante que a nossa terra não se entrega.
Passados 82 anos, a história nos impôs o dever de mantermos vivo e imortalizar o ideal da causa constitucionalista.
E neste momento honroso e glorioso de minha vida de paulista apaixonado por seu chão, por sua história e por sua gente, não posso deixar de mencionar o Escotismo Paulista, onde os jovens tinham a missão de manter as correspondências da revolução em dia e servir nos hospitais de sangue da Cruz Vermelha Brasileira.
Jovens escoteiros foram para o front das batalhas e, entre as várias incursões da aviação legalista com seus temidos “vermelhinhos”, no dia 18 de setembro, um frágil garoto da cidade de Campinas foi atingido por treze estilhaços, o mesmo número de listas da nossa bandeira – o Escoteiro Aldo Chioratto.
Aldo Chioratto é nosso escoteiro-padrão a personificação do segundo mandamento da Lei Escoteira: o Escoteiro é leal.   
Seus restos mortais repousam no Mausoléu Constitucionalista ao lado dos nossos muitos heróis.
O consagrado escritor Monteiro Lobato, escreveu em agosto de 1932 – “Sejamos lobos contra lobos. Lobos gordos contra lobos famintos”.
Desta Academia Militar , celeiro de Disciplina e Ordem, partiram e não retornaram dos campos de batalha três heroicos e inesquecíveis cadetes – Antonio Ribeiro Junior, Manuel dos Santos Sobrinho e Ruytemberg Rocha.
Combatemos o combate injusto, os constitucionalistas paulistas foram os perdedores do desigual confronto, mas seu lema ecoa e esta perpetuado até hoje nesta imensidão das terras paulistas: “Pela Lei e pela Ordem”.
Ao som distante da marcha Paris Belfort estaremos todos nós paulistas de pé e a ordem e sempre alertas para legitimar e exigir o fiel respeito do estado de direito.
SÃO PAULO 9 DE JULHO DE 2014 – 192 anos da Proclamação da Independência – 124 anos da Proclamação da República e 82 anos da Revolução Constitucionalista.

Em seguida, as autoridades que irão ser condecoradas com o COLAR DA VITÓRIA se posicionam para a imposição da honraria.
Na primeira fileira, auxilio o Governador GERALDO ALCKMIN no momento das condecorações. O vice-presidente da Sociedade, CORONEL PM ANTONIO CARLOS MENDES faz isso na segunda fileira. Também associados com possuem o COLAR DA VITÓRIA nos auxiliam na colocação do COLAR.
RECEBEM O COLAR DA VITÓRIA alusivo ao 80º Aniversário da Revolução Constitucionalista:
Tratamento
Nome
Função
Excelentíssimo Senhor
Guilherme Afif Domingos
Vice-Governador do Estado de São Paulo
Excelentíssimo Senhor
Samuel Moreira
Presidente da Assembléia Legislativa
Excelentíssimo Senhor
Desembargador José Renato Nalini
Presidente do Tribunal de Justiça 
Excelentíssimo Senhor
General-de-Exércio João Camilo Pires de Campos
Comandante Militar do Sudeste
Excelentíssimo Senhor
General-de-Brigada Riyuzo Ikeda 
Chefe do EM do CMSE
Excelentíssimo Senhor
General-de-Divisão Carlos dos Santos Sardinha
Comandante da 2ª Divisão de Exército
Excelentíssimo Senhor
General-de-Divisão Claudio Coscia Moura
Comandante da 2ª Região Militar
Excelentíssimo Senhor
Vice-Almirante Liseo Zampronio
Comandante do 8º Distrito Naval em SP
 Senhor
Major-Brigadeiro-do-Ar Marcelo Kanitz Damasceno
Comandante do IV COMAR
Senhor
Brigadeiro-do-Ar Ricardo Cesar Mangrich
Diretor do Centro Logístico da Aeronáutica
Senhor
Brigadeiro-do-Ar Roland Leonard Abranesco
Diretor do Parque Material Aeronáutico
Excelentíssimo Senhor
Desembargador Luís Renato Pedroso
Assoc. Paranaense MMDC-32 E HERÓIS DO CERCO DA LAPA
Excelentíssimo Senhor
Vereador José Américo Dias
Presidente da Câmara Municipal de São Paulo
Excelentíssimo Senhor
Paulo Adib Casseb  
Juiz Presidente Tribunal de Justiça Militar
Excelentíssimo Senhor
Fernando Grella Vieira
Secretário de Estado da Segurança Pública 
Excelentíssimo Senhor
José Roberto Rodrigues de Oliveira
 Secretário Chefe da Casa Militar
Excelentíssimo Senhor
Edson Aparecido dos Santos
 Secretário Chefe da Casa Civil
Excelentíssimo Senhor
Cel PM Benedito Roberto Meira
Comandante Geral da PMESP
Excelentíssimo Senhor
Luiz Mauricio Souza Blazeck
Delegado Geral de Polícia do Estado de São Paulo
Excelentíssimo Doutora
Norma Sueli Bonaccorso
Superintendente da Policia Técnico-Cientifica - SPTC
Senhor
Antonio Carlos da Ponte
Secretario Adjunto da Segurança Pública
Senhor
Leonardo Torres Ribeiro
Comando do Policiamento da Capital
Senhor
Leônidas Pantaleão de Santana
SUBCOMANDANTE PM
Senhor
César Augusto Luciano Franco Morelli
Comando do Policiamento do Inerior 7
Senhor
Renato Cerqueira Campos
Comandante do Policiamento Ambiental
Senhor
José Maurício Weisshaupt Perez
Comandante da Academia de Policia Militar do Barro Branco
Senhora
Maria Aparecida de Carvalho Yamamoto
Chefe do Centro de Comunicação Social  da Polícia Militar
Excelentíssimo Senhor
Inspetor Gilson Pereira de Menezes
Comandante da Guarda Civil Metropolitana
Doutor 
ANTONIO LACERDA BRAGA NETO
PROFESSOR CARLOS MORITZ VICENTE GOMES
JOEL LOBO
ESSES TRÊS NOMES SÃO DE INTEGRANTES DA ASSOCIAÇÃO PARANAENSE MMDC-32 E HERÓIS DO CERCO DA LAPA.
(Por algum motivo, algumas autoridades não compareceram para serem condecorados: Vice-governador GUILHERME AFIF DOMINGOS, Presidente da Assembléia Legislativa, SAMUEL MOREIRA DA SILVA JÚNIOR, Presidente do Tribunal de Justiça, JOSÉ RENATO NALINI, Presidente da Câmara Municipal de São Paulo, JOSÉ AMÉRICO DIAS; Presidente do TJM/SP, PAULO ADIB CASSEB (já está acertada a entrega do Colar em 16 de julho, no TJM), Secretário da Segurança Pública, FERNANDO GRELLA VIEIRA, Chefe da Casa Militar, CORONEL PM JOSÉ ROBERTO RODRIGUES DE OLIVEIRA, Secretário Chefe da Casa Civil, ÉDSON APARECIDO DOS SANTOS).  
Para encerrar a solenidade acontece um desfile que é aberto pelos familiares dos heróis de 32, comandados por WILLIAM MASCARENHAS que hoje assume a coordenação da COFAM.
ORÍTIA organizou um Pelotão diversificado Veteranos de várias divisões do Exército Brasileiro e entidade Civil.
Nossas crianças desfilam conosco, acreditamos que assim semeamos o Futuro de um Brasil melhor!
Força Expedicionária Brasileira : seus descendentes e admiradores
21 DSup
Batalhão de Guardas: BG Histórico
8º Batalhão de Policia do Exército: 8º PE
Liga Brasileira de Airsoft.
Nosso propósito manter viva a Memória dos Feitos Heroicos:
Quer na revolução de 1932
Quer na 2º Grande Guerra
Quer Hoje, pois neste exato momento soldados  estão a guardar a nossa Pátria.
Um por Todos, Todos por Um
Eu Oritia  Abreu Serafim tel: 997101515, Montei este pelotão depois de conversar com Coronel Mauricio que de imediato aprovou a ideia de unir várias Associações  e formar assim um grande Pelotão não em tamanho mas... em Amor ao Brasil, Apresso por nossos Heróis, Gratidão, e nossa Eterna Admiração.
Segue a relação dos participantes:
FEB Santo André:
Oritia Abreu Serafim
Enzo Abreu Serafim
Erich Abreu Serafim ( 10 anos)
Mauricio Santarelli
21 DSup:
Adriano Vivas
Gabriel Vivas ( 7 anos)
Batalhão de Guardas Histórico : BG
Gilson da silva
Valdir de Capitani
Clovis Roque Xavier
Mauricio Francischetti
8º Batalhão de Policia do Exército: 8º PE
Mariana Camargo (12 anos), representando o Pai, que por motivos profissionais não irá comparecer.
Liga Brasileira de Airsoft: L.B.A CNPJ 18.996.890/0001-07
Endereço: Rua : Doutor José Aureo Bustamante,15 Chácara Santo Antonio CEP: 04710-090 SP -  SP
Alvaro Pinheiro Ferreira - Presidente
Silvana Moura e Silva – Diretora Financeira
Douglaz  Ferraz Junior – Diretor Técnico
Cesar Pegoraro
Aline Moura Pinheiro (8 anos) : filha de Alvaro e Silvana
Bruno Saraiva Carneiro
Cris Lombard
Cleber de Souza Brandão
Ricardo Oliveira Silva
 Michel Aurelio Pereira 
Marcello Batera
 Isac Placido
 Pardhal Ronaldo
Vidal
Desfilam um grupo de escoteiros que tem uma certa ligação com a própria APMBB, um pelotão da MAÇONARIA e um pelotão dos DESBRAVADORES.
Após o desfile há o congraçamento de todos os presentes, com muitas fotos e projetos para os dias futuros. Saio tarde da APMBB, em companhia da MARINEI e do GABRIEL. O LUCAS retorna em outro carro, acompanhado da namorada. Eles me deixam em casa.
A emoção da solenidade de hoje mexe com minha saúde. Vou descansar após o almoço.
Na tarde, às 17 horas, vamos assistir ARGENTINA x HOLANDA, a outra semi-final da COPA DO MUNDO de triste memória para os brasileiros.

Comemorações do 9 de julho


Em solenidade na praça José Bonifácio, organizada ao lado do Monumento em Memória aos Revolucionários de 1932, a defesa constitucionalista feita pelo Estado de São Paulo, iniciada em 9 de Julho daquele ano, foi enaltecida como “momento crucial em prol da Democracia no País” pelo presidente da Câmara de Vereadores de Piracicaba, João Manoel dos Santos (PTB). Nem mesmo o tempo nublado evitou que pelo menos 200 pessoas acompanharam os discursos das autoridades, as homenagens ao ex-combatente Romeu Gomes de Oliveira (único sobrevivente na cidade) e o desfile cívico.
João Manoel fez um paralelo entre a Revolução de 1932 com a derrota no Brasil contra a Alemanha, por 7 x 1, na terça-feira (8). “Assim como ontem, São Paulo perdeu a batalha, mas dois anos seguintes, em 1934, o País voltou a ter uma Carta Magna, fundamental para manter as instituições democráticas”, disse o presidente do Legislativo. Também ressaltou a importância do batalhão de negros que participou das fileiras de combate. “Pouco se fala a respeito destes bravos guerreiros que morreram, às vezes sem serem lembrados. Os negros não foram só escravos no Brasil, mas também foram excelentes soldados”, enfatizou.
O prefeito Gabriel Ferrato (PSDB) também ressaltou a importância da Revolução de 1932 na manutenção da Democracia no Brasil. “Assim como hoje, nos anos 1930, a preocupação do Estado de São Paulo sempre foi com a capacidade do País em fugir do autoritarismo e criar uma sociedade com poder descentralizado”, destacou. Ferrato apelou, ainda, para uma reformulação nas receitas de impostos. “Temos um sistema em que exige diversos serviços da Municipalidade, mas onde a maior parte dos recursos está no governo federal, precisamos rever esta situação”, disse o prefeito Gabriel Ferrato.
Já a comandante da PM, major Adriana Sgrigneiro, aproveitou para detalhar alguns números sobre o trabalho da Polícia Militar no Estado, “que, desde 1831, ainda como Força Pública, atua para manter a segurança da sociedade”. Ela detalhou que, somente no primeiro semestre de 2014, foram registradas sete mil ocorrências, apreensão de 132 armas de fogo e interceptação de 1.800 quilo de drogas. “Tudo isso mostra o quanto a PM é ativa na cidade e está ao lado da população”, disse a major. Ao finalizar, ela homenageou o soldado PM Arnaldo Francisco de Brito, falecido no último dia 27, depois de ter sido baleado em um restaurante. “Que os familiares e amigos sintam-se abraçados por esta comandante”, declarou a major Sgrigneiro.
A solenidade também entregou homenagens a familiares de ex-combatentes já falecidos, depositou flores no Monumento dos Revolucionários, houve ainda salva de 21 tiros e Toque do Silêncio, em memória aos caídos em combate. Na via ao lado da praça José Bonifácio, foi realizado desfile com a participação do Tiro de Guerra, de grupos de escoteiros e do Décimo Batalhão da Polícia Militar (10o BPM). O evento foi organizado pela Câmara de Vereadores de Piracicaba, em parceria com a Polícia Militar e Comissão de Eventos Cívicos de Piracicaba.

BIAJONE, nosso presidente do Núcleo de Correspondência de ITAPETININGA, manda-me o seguinte texto:
Nesta quarta-feira, 9 de julho, feriado paulista que marca o 82º aniversário da Revolução Constitucionalista de 1932, houve cerimônia em homenagem ao ex-combatente Osvaldo Santiago, que viveu em Itapetininga (SP). Uma praça da Vila Rosa, bairro onde morou até morrer, foi rebatizada com o nome do soldado. A antiga 'Praça Harmonia e Trabalho' agora se chama 'Praça Osvaldo Rafael Santiago'.
Santiago, também conhecido como Nhô-Vá, morava no bairro e sempre passeava pelo local. De acordo com a família e amigos, ele gostava de descansar nos bancos da praça. Em consenso, os moradores do bairro apoiaram a mudança do nome.
De acordo com o pesquisador Jefferson Biajone, Osvaldo Santiago se alistou voluntariamente para lutar na revolução quando ainda morava em Apiaí (SP), cidade onde nasceu. Já em 1950, se mudou para Itapetininga onde morou pelo resto da vida. Nho-Vá, como era conhecido, era um dos últimos soldados restantes na região. Ele morreu em junho de 2013.
A neta de Nhô-Vá, Tamise Cristina Sarti, conta que o avô sempre falava sobre a revolução. De acordo com ela, a história dele ficou marcada pela experiência que viveu, principalmente pelos bombardeios. “Ele dizia que foram tempos difíceis, que foi uma época ruim tanto para o país quanto para o estado. Ele até acostumava brincar com a gente com os barulhos de bombas. Ele brincava e a gente tentava imitar”, comenta.
Para os filhos, netos e bisnetos a homenagem é merecida já que Nhô-Vá foi um homem que lutou por Itapetininga e arriscou a vida na revolução pela Constituição. “Com certeza meu pai está lá de cima assistindo tudo isso. Ele deve estar muito feliz com tudo o que está acontecendo. Ele viveu a vida toda aqui nessa região, nesse bairro”, diz o filho dele, o funcionário público Jorge Luiz Campos Santiago.
A Revolução
O 9 de julho marca, no Estado de São Paulo, a data que lembra a revolução histórica. A luta foi entre tropas federais e o exército paulista, contrário ao governo da época, chamado de Governo Provisório de Getúlio Vargas, que assumiu a presidência após a Revolução de 1930. Em desacordo com o governo getulista, e querendo a criação de uma nova constituição para o país, os militares paulistas fizeram a Revolução Constitucionalista de 1932, dando início no dia 9 de julho e só terminou em 4 de outubro com a rendição dos revolucionários.
Já se vão 82 anos, mas os combatentes são sempre lembrados por terem mudado os rumos da história do Brasil e de São Paulo já que lutaram contra o restante do país. Segundo o pesquisador Jefferson Biajone, presidente do Núcleo Martins, Maragaia, Dráusio e Camargo (MMDC), os paulistas se levantaram contra o regime de ditadura. “O país vivia no regime autoritário. Havia acontecido a queda do presidente e o novo presidente eleito em 1930, Júlio Prestes, que era de Itapetininga, não pode assumir a presidência do Brasil. Os paulistas se levantaram contra isso e o obtiveram o que tinham em mente, a constitucionalização”, comenta.
Os soldados da região de Itapetininga tiveram importante participação na revolução. Mais de cinco mil estiveram presentes na luta por mudanças políticas. No município não houve confronto, mas era na cidade que eles se organizavam e eram encaminhados aos campos de batalha em Buri,Itararé, Guapiara, Capão Bonito e Apiaí. O batalhão de Itapetininga foi responsável por enfrentar os militares do sul do país. “Getúlio Vargas havia preparado os exércitos do sul para avançar contra Itapetininga em direção a São Paulo. Então, uma enorme força adversária estava vindo em nossa direção e foi quando se preparou aqui, no setor sul, mais especificamente em Itapetininga, esse enorme quantitativo de soldados regimentados das cidades da região para proteger o estado”, ressalta.

SOLENIDADE DE 9 DE JULHO RETOMADA EM S PEDRO APOS 7 ANOS DE ININTERRUPÇÃO


Prezados companheiros
Estou no interior  com  problema com a postagem de fotos, mas até amanha vai sair.
O importante é que com a imensa graça de Deus ( o ex-prefeito Walmy Modesto concordou com a relocalização foi marco, a Câmara dos Vereadores aprovou por unanimidade e 100% dos descendentes das famílias consultadas tb), em paz, e com a confiança imprescindível em mim depositada pelo nosso presidente Cel Mário Fonseca Ventura e com o apoio do amigo Biajone na elaboração dos diplomas, conseguimos retomar a solenidade de 1932 em SPedro.
São Pedro tinha cerca de 5.000 habitantes em 1932 segundo Sr. Jairo (89anos) e deu 27 dos seus filhos ( 9 de cidades vizinhas), ao todo 36 por São Pedro. Um faleceu na batalha e criamos o diploma JOSE AUGUSTO FROTA ESCOBAR,  e com ele galardoamos 15 personalidades civis e militares que conosco colaboraram nestes quase dois anos de lutas. Tb fomos autoriza a galardoar com a Medalha Constitucionalista  5 pessoas que muito nos ajudaram, o prefeito e seu vice, duas historiadoras que publicaram muitos artigos na imprensa resgatando 1932 e que são VPs do núcleo e o Capitão PMSP da Policia Militar local
As fotos virão até amanhã se Deus permitir, estou selecionando as melhores
Ver por ora o link abaixo no Globo noticias
Grato a Deus, ao Cel Ventura, ao amigo Biajone e a todos vocês, a luta continua.
Atenciosamente 
João Francisco de Aguiar, prof.
Economista,
Terça-feira, 24 de Junho de 2014
Para: jbiajone@gmail.com
Assunto: NOVIDADES NOS NÚCLEOS DE CORRESPONDENCIA MMDC
Prezados amigos e companheiros de luta
Comemorar o 9 de julho de 1932 faz parte inerente à existência de cada núcleo local. Esta é a única forma de irmos solidificando  valores na população, exaltando ao mesmo tempo os heróis de cada região, principalmente aquelas que hajam enviado pessoas para o combate
A luta é dura, mas a batalha é vitoriosa. Em São Pedro estivemos lutando desde fins de 2012 pois há 4 anos esta data não era lá comemorada e ninguém lá fazia a menor questão disso fora duas historiadoras heróicas e um ou outro familiar de combatente que vez por outra reclamavam ou publicavam na imprensa local.
Foram dois anos de lutas, iniciando novas amizades com os idealistas locais e de muito contato com políticos, mas de vitória. Quando começamos a fazer os contatos certos, as portas se abrem. No final todos agradecem e incorporam a data ao calendário de eventos
Graças  Deus em São Pedro estamos chegando a bom termo e em 09 de Julho de 2014 vamos comemorar, com amplo apoio da prefeitura e dos familiares, é nossa expectativa.Há uma grande simpatia da população pela luta de 1932.
Caso algum de vocês ainda não haja conseguido realizar essa solenidade (em auditórios ou em praça pública), serão bem vindos em São Pedro, será as 10 horas da manhã.
De qq forma cada um deve participar na sua localidade ou nas cidades mais próximas para ir vendo como tudo é feito e começar a planejar como vai ser na sua cidade.
Se for o seu caso por favor confirme sua presença comigo em São Pedro.
Será uma honra para nós darmos a você o diploma "José Augusto Frota Escobar", nosso herói maior morto em combate ao socorrer um amigo ferido. um exemplo de coragem e patriotismo. São Pedro enviou 36 voluntários ao combate, 27 do município e 9 de regiões vizinhas. Estes, inclusive o meu pai, engrossaram as fileiras do Batalhão de Piracicaba, ao todo cerca de 800 homens ( 33 ou 34 faleceram).
Vamos em frente, a história reconhecerá o que temos feito e nossos descendentes sentir-se-ão orgulhosos, como nós nos orgulhamos de nossos antepassados colaboradores e combatentes de 1932.
Gostaria igualmente de encoraja-los a redigir um artigo na imprensa local destacando as três datas que habitualmente festejamos: 23/05/1932, 09/07/1932 e 23/10/1932.
Veja os melhores sites: a partir da página do nosso presidente e dos nossos companheiros para conhecerem material e poderem publicar as artigos.
João Francisco de Aguiar, prof.
Núcleo de Correspondência MMDC São Pedro

A pedagoga NYSSIA BARROS RAPOSO DE ALMEIDA, de 41 anos, queria, hoje, prestar homenagem ao pai, FRANCISCO MANUEL RAPOSO DE ALMEIDA e ao avô, que lutaram juntos na Revolução de 1932. Mas as obras no Obelisco do IBIRAPUERA, que guarda os corpos dos ex-combatentes do conflito, a impediram. Ao chegar, ela, que estava com familiares e amigos, foi barrada na entrada do Mausoléu. Segundo os funcionários, a entrada está proibida, para a segurança dos visitantes.
“Uma das coisas que ele (pai) me pediu foi que eu nunca deixasse de vir e trazer a faixa que o acompanhou”, explica NYSSIA que, a partir de então, visita o local todos os anos. “A intenção era chegar o mais perto possível do meu pai”.
Para a filha do ex-combatente, o desfile na Academia de Polícia Militar do Barro Branco não tem significado. “O que simboliza os ex-combatentes é o Obelisco”, defende. NYSSIA ainda reclamou da informação de que as urnas talvez tivessem mudado de lugar sem que ninguém a avisasse.
A PM, em nota, confirmou a interdição do Obelisco, inclusive para parentes. Segundo o texto, o acesso ao Mausoléu oferece riscos “por conta das obras, que impossibilitariam o acesso com segurança dos visitantes”. Após as reformas, a situação será normalizada. Em relação ao local em que as urnas estão armazenadas, a PM não havia se manifestado.
O Obelisco deveria ter sido entregue hoje, durante a celebração do 9 de Julho. De acordo com o governador GERALDO ALCKMIN, porém, questões judiciais atrasaram a reforma, que termina em 90 dias.
O investimento de 10,3 milhões de reais contempla a recuperação do monumento, eliminação de infiltrações, reparações na hidráulica e elétrica e construção de 432 cinerários.
REVISTA InARTE, do Colégio DANTE ALIGHIERI - Depoimento de MARIA ÂNGELA COMEGNA, professora do Departamento de História, Filosofia e Sociologia do Colégio:
Revolução Constitucionalista, Revolução de 1932 ou Guerra Paulista foram os nomes dados ao movimento armado ocorrido no Brasil entre julho e outubro de 1932. A questão democrática se tornou a grande herança política desse movimento em um país de tradição conservadora e elitista. Naquele período, era grande a insatisfação no estado de São Paulo com o governo provisó- rio do presidente Getúlio Vargas (compreendido entre 1930 e 1934). Os paulistas esperavam a convocação de eleições, mas dois anos tinham se passado e o governo provisório se mantinha. Os fazendeiros paulistas, que perderam o poder após a Revolução de 1930, eram os mais contrariados e encabeçaram uma forte oposição ao governo Vargas, havendo também grande participação de estudantes universitários, comerciários e profissionais liberais. Os paulistas exigiam do governo provisório a elaboração de uma nova Constituição e a convocação de eleições para presidentes (dos estados e da República). Exigiam também, de imediato, a saída do interventor pernambucano João Alberto, bem como a nomeação de um interventor paulista no estado de São Paulo. Como Getúlio Vargas não atendeu às reivindicações, em maio de 1932, teve início uma série de manifestações de rua contrárias ao governo federal. A Revolução Constitucionalista começou, efetivamente, em 9 de julho de 1932. Os paulistas fizeram uma campanha, usando jornais e rádios, para conseguir mobilizar grande parte da população. Os combates ocorreram, principalmente, no estado de São Paulo, na região sul do Mato Grosso e na região sul de Minas Gerais. O resultado foi a derrota e rendição paulista em 28 de setembro de 1932. Cerca de 3 mil brasileiros morreram em combate, e mais de 5 mil ficaram feridos. Parque do Ibirapuera No ano de 1954, a cidade de São Paulo festejou o IV Centenário, celebrando o fenômeno de sua metropolização como o auge do desenvolvimento econômico e cultural do Brasil. Para realçar o brilho das festividades, a Comissão do IV Centenário viabilizou a construção do parque do Ibirapuera, como palco das comemorações realizadas. Localizado no bairro homônimo da cidade, e em um local privilegiado de lazer da capital paulista, o parque do Ibirapuera foi escolhido pelas autoridades públicas a partir da segunda metade do século XX para abrigar, além das demais edificações da exposição comemorativa do aniversário de São Paulo, um dos maiores empreendimentos artísticos de caráter monumental realizados até o IV Centenário. Marco da Revolução de 32: o Obelisco do Ibirapuera Maria Angela Comegna - professora do Departamento de História, Filosofia e Sociologia do Colégio Dante Alighieri s Rumos da República 93 Colégio Dante Alighieri | Abril 2014 | InArte. O Monumento Mausoléu ao Soldado Constitucionalista de 1932. O Obelisco Esse monumento funerário, também chamado de Obelisco do Ibirapuera ou Obelisco de São Paulo, é o símbolo maior da Revolução Constitucionalista de 1932. O Obelisco do Ibirapuera foi tombado pelos conselhos estadual e municipal de preservação do patrimônio histórico. O mausoléu do monumento guarda as cinzas dos mártires Martins, Miragaia, Dráusio e Camargo, mortos em maio de 1932, e lembrados pelo acrônimo MMDC. A sigla, de fato, deu nome ao levante revolucionário paulista que precedeu a Revolução Constitucionalista de 1932. As cinzas de outros 713 ex-combatentes, assim como do poeta Guilherme de Almeida, um dos fundadores da modernista revista Klaxon, e de Ibrahim de Almeida Nobre, conhecido como o herói e tribuno de 32, são exemplos daqueles que se encontram sepultados no mausoléu. Também se encontram no local os restos mortais do agricultor Paulo Virgínio, da cidade de Cunha, considerado mais um dos heróis da Revolução na região do Vale do Paraíba. Paulo Virgínio foi executado pelas tropas fluminenses por se recusar a entregar o local onde estavam as tropas paulistas. Paulo, que foi obrigado a abrir sua própria sepultura antes de ser assassinado, teria gritado “Morro, mas sou paulista e São Paulo vence”. Para homenagear os revoltosos e preservar a memória da rebelião, há cenas bíblicas e passagens da história paulista, elaboradas com pastilhas de mosaico veneziano. O monumento é um projeto do escultor ítalo-brasileiro Galileo Ugo Emendabili, que chegou ao Brasil em 1923, quando tinha 34 anos de idade, fugindo à prepotência do regime fascista italiano. Feito em mármore travertino, o monumento foi inaugurado em 9 de julho de 1955, um ano após a abertura do parque do Ibirapuera. Em 1958, foram inauguradas as portas de bronze e, em 1960, os painéis que enfeitam a cripta. Do projeto original, ainda faltam duas piras que ficariam ao lado dos três arcos da entrada. A construção do monumento teve início em 1950, sendo concluída em 1970. A execução da obra foi realizada pelo engenheiro alemão radicado no Brasil Ulrich Edler. O maior monumento da cidade tem 81 metros de altura (contando da base do mausoléu até a ponta do obelisco). Realizado segundo princípios plásticos característicos de diferentes correntes artísticas, o Obelisco tem inscrições acompanhadas de ícones em suas quatro faces: iniciando pela face norte, seguindo pela oeste e sul, e finalizando na face leste. O poema ali escrito é um texto de Guilherme de Almeida, feito em homenagem aos revolucionários de 1932. Abaixo segue o texto: Aos épicos de julho de 32, que, fiéis cumpridores da sagrada promessa feita a seus maiores - os que moveram as terras e as gentes por sua força e fé - na lei puseram sua força e m São Paulo sua Fé. Na base do monumento, junto à entrada da capela e da cripta, voltadas ao Parque do Ibirapuera há uma inscrição de Machado Florence: Viveram pouco para morrer bem morreram jovens para viver sempre. O monumento teve sua concepção baseada em relações numéricas, que levam sempre a algum número da data da revolução: 9/7/1932. A largura maior do interior da cripta é de 32 metros lineares. Cada lado da base menor do obelisco trapezoidal tem 9 metros lineares. Cada lado menor do obelisco trapezoidal, em seu topo, mede 7 metros lineares. No centro da cripta, olhando-se para os lados e para o alto, obtém-se a seguinte relação numérica: 32-09-07 — ou seja, ano, dia e mês da Revolução de 1932. Do lado de fora, o Obelisco é a imagem de uma espada, com quatro faces, voltadas para cada um dos pontos cardeais da cidade, fincada numa praça em formato de coração. No centro da cripta está a escultura do “Herói Jacente”. De olhos semiabertos, ele zela pelos ideais de democracia que nortearam a Revolução de 32. Esse é o significado original atribuído pelo escultor italiano Galileo Emendabili. O monumento, porém, sofreu com problemas administrativos. Até 1954 foi gerido pela fundação que o criou. Naquele ano, passou para a Sociedade dos Veteranos de 32. Ambas não tinham verba nem estrutura para gerir e manter o complexo. A partir de 1991, a direção ficou a cargo da Polícia Militar do Estado de São Paulo. Por fim, cabe ainda ressaltar a importância da preservação do Obelisco e do Mausoléu ao Soldado Constitucionalista de 1932, que expressa materialmente o momento e a disposição demonstrada por São Paulo para enfrentar a ditadura daquele período, em meio às tensões políticas e sociais da época, pois somente dessa forma a construção da história e da identidade paulista serão mais bem compreendidas. Fontes: ANDRADE, Manuella Marianna. O processo de formação do Parque do Ibirapuera. In.: Revista do Arquivo Histórico Municipal de São Paulo, v 204. Departamento do Patrimônio Histórico. Ano 1, nº 1 (1934) - São Paulo: DPH, 1934 - 2006. pp. 49-67. CAPELATO, Maria Helena. O movimento de 1932, a causa paulista. São Paulo: Brasiliense, 1981. COLÉGIO DANTE ALIGHIERI. Obelisco dos Heróis. São Paulo: Educacional. Trabalho realizado pelos alunos Bruno, Fernando e Mayco, da 7.ª série, turma J, do Colégio Dante Alighieri. Disponível em Acesso em 12 dez. 2013. MARINS, Paulo César Garcez. O Parque do Ibirapuera e a construção da identidade paulista. Disponível em < http://www.scielo.br/pdf/anaismp/v6-7n1/02.pdf >Acesso em 11dez. 2013.29 p. MOREIRA, Regina da Luz. São Paulo pega em armas: a Revolução Constitucionalista de 1932. Rio de Janeiro: CPDOC /FGV : Centro de Pesquisa e Documentação de História Contemporânea do Brasil, s.d. 94 Os Rumos da República Interior do Mausoléu ao Soldado Constitucionalista Jacson Abreu/Departamento de Audiovisual do Dante Uma das portas de bronze do Obelisco (à esq); ao lado, inscrição de uma frase de Guilherme de Almeida presente no monumento Jacson Abreu/Departamento de Audiovisual do Dante 8 Os Rumos da República Para entender os motivos que levaram à Revolução de 1932, devemos antes atentar para uma peculiaridade de São Paulo: ter um sentido muito forte de liberdade. Isso vem da época do Brasil Colônia, quando São Paulo era uma vila muito pobre. Como núcleo populacional interiorano, teve que viver longe das facilidades dos nú- cleos litorâneos, mais privilegiados pela Metrópole. Então, por estarem fora do contexto das facilidades metropolitanas, os paulistas vão desenvolver a duras penas esse espírito de liberdade. Essa situação gera o Bandeirantismo e seus grandes nomes, como João Ramalho, Fernão Dias, Raposo Tavares e Borba Gato. Inicialmente, tinham eles o objetivo de caçar índios usados como mão de obra escrava. Com essa ida para o interior, eles descobrem as rotas dos rios, pelos quais os bandeirantes ultrapassam a linha de Tordesilhas, e as terras exploradas acabam aos poucos sendo incorporadas ao Brasil. Em seguida, descobrem as minas de ouro. Saltando no tempo, temos o café como a primeira riqueza de São Paulo. Foi a partir dele que a região começou a se desenvolver. Seus recursos foram utilizados para realizar a modernização e a industrialização. Assim, São Paulo vira um polo de atração de mão de obra da migração. Fica, então, para os paulistas, a ideia de que eles não deviam essa prosperidade a ninguém. Só a eles mesmos. Isso acentua a noção de liberdade, a vocação libertária desse povo. A proclamação da República também deve bastante a São Paulo. Em 1870, houve a Convenção de Itu, a primeira manifestação pública dos republicanos. Na verdade, São Paulo nunca aceitou imposições do governo central, que viessem a ferir a autonomia provincial. Na Revolução de 1930 – uma continuação civil da Revolta Militar de 1924, adotando o ideário tenentista –, São Paulo inicialmente, apoiou Getúlio Vargas, pois ele havia prometido governar sob um regime democrático e republicano. Mas Vargas não cumpriu o prometido. Tornou-se um ditador e perseguiu São Paulo, que sofria com a crise do café (os produtores tiveram que sacrificar estoques inteiros, situação que ameaçou a viabilidade econômica do Estado). São Paulo reclamava o cumprimento das promessas de Vargas e, principalmente, a aprovação de uma Constituição para o Brasil. Getúlio, porém, não atendeu. Começou, então, uma conspiração pró-revolta entre os paulistas. As motivações eram a realidade REFLEXÕES SOBRE 1932 E SEU OBELISCO NO IBIRAPUERA “O Obelisco representa o espírito autônomo de São Paulo na defesa de suas liberdades” Depoimento concedido à revista InArte pelo Professor Paulo Nathanael Pereira de Souza s Rumos da República 99 Colégio Dante Alighieri | Abril 2014 | InArte econômica insuportável e a ânsia pela liberdade através de uma Constituição. Vê-se nesse momento o fortalecimento da vocação libertária dos paulistas. Na época, o governo federal alegou que São Paulo queria se separar do Brasil e ser um estado autônomo. Chegou até a ser divulgado que os imigrantes italianos, presentes em grande número em São Paulo, queriam criar um estado fascista na região, com o apoio de Mussolini! Contudo, todos os documentos mostram que a revolução dos paulistas partiu do desejo uniforme do povo por uma Constituição. Dizem que foi uma revolução da elite. Não é verdade. [o momento] mobilizou membros da elite, operários, povo, jovens, que lutaram por um ideal. Até hoje, há muito preconceito contra a Revolução de 1932. E isso é um problema, porque o que explica um movimento revolucionário na história é sua motivação. E tanto é verdade que a nossa motivação era a Constituição. O Brasil ganhou-a em 1934. Essa Constituição era bastante liberal, mas não prosseguiu em vigor porque as condições da época davam margem para governos totalitários. O período não permitiu a São Paulo desfrutar da Constituição de pela qual tanto lutou. O monumento Mausoléu ao Soldado Constitucionalista de 1932 De fato, São Paulo devia uma homenagem aos seus heróis, como Martins, Miragaia, Dráuzio e Camargo [rapazes que foram mortos por tropas federais durante uma manifestação pró-Constituição, fato que acabou sendo um dos estopins da Revolução em 1932]. E ela veio por meio de monumentos, que estão localizados em cidades onde ocorreram ações revolucionárias. Coube a Galileo Emendabili esculpir essa homenagem no Ibirapuera [Monumento Mausoléu ao Soldado Constitucionalista de 1932], e ele para isso se valeu dos conhecimentos de Guilherme de Almeida [poeta e jornalista da Revolução]. Esse monumento é uma homenagem permanente ao espírito de liberdade do paulista e à sua Revolução Constitucionalista, que, cabe mais uma vez destacar, foi motivada por um anseio coletivo de legalidade e não por um suposto plano de separatismo de São Paulo. É daí que surge o lema “Non ducor duco” (“Não sou conduzido conduzo”) a traduzir a vocação libertária e legalista do povo de São Paulo. Monumentos concretizam memórias. E o brasileiro não costuma respeitar o passado. Nossos monumentos não recebem o cuidado necessário, e o povo passa por eles de forma indiferente. A condenação do Regime Militar [ditadura militar vigente no Brasil de 1964 a 1985] trouxe para o civismo brasileiro um sentido pejorativo, quando na verdade defender o civismo é defender o DNA da nação. Civismo é exercício de cidadania. Como os monumentos parecem ser considerados símbolos da elite que domina o país, acabam sendo vistos com ressalva. Ocorre em relação aos monumentos uma mistura de política com simpatias ou antipatias circunstanciais. O Ibirapuera devia ser um ponto de referência da história do país. O Brasil está acima de governos e de idiossincrasias de facções política. De qualquer forma, o Obelisco expressa algo muito maior que a Revolução de 1932: representa o espírito autônomo de São Paulo na defesa de suas liberdades. É a visão que tenho dessa questão.

Pelo menos 26 ônibus foram queimados na GRANDE SÃO PAULO em um intervalo de duas horas. Os sete ataques, quase simultâneos, começaram logo após a derrota do BRASIL diante da ALEMANHA, pela COPA DO MUNDO, ontem. A capital, GUARULHOS e OSASCO sofreram os atentados.
Os locais atingidos pelas chamas foram SAPOPEMBA e ITAIM PAULISTA, na zona leste, AMERICANÓPOLIS e JARDIM SÃO LUIZ, na zona sul. VILA MEDEIROS, na zona norte. JARDIM PRESIDENTE DUTRA, em GUARULHOS, e Rua ALFREDO BENICASA, em OSASCO. O transporte coletivo nas localidades acabou prejudicado nesta madrugada, já que as garagens recolheram os veículos. Mas nesta manhã, feriado da Revolução Constitucionalista, a situação já estava normalizada. Além do problema com os ônibus, houve um incêndio em um pátio de veículos desativado e uma tentativa de saque a uma loja de eletroeletrônicos.   

O jornalista argentino JORGE LUIZ LÓPEZ, de 38 anos, morreu hoje de madrugada após um carro roubado atingir o táxi que o levava ao HOTEL BRISTOL, em GUARULHOS, onde estava hospedado. O acidente ocorreu à 1:30 hora, no cruzamento entre a Avenida TIRADENTES e a Rua BARÃO DE MAUÁ, no centro de GUARULHOS. O veículo NISSAN VERSA havia sido roubado na PENHA, zona leste. A Polícia Militar perseguia o trio que ocupava o automóvel. Os bandidos passaram no sinal vermelho, atingindo em cheio a lateral do táxi, um modelo FIAT IDEA.
TOPO, como era conhecido o jornalista, estava sem cinto de segurança, bateu a cabeça na porta e foi arremessado para fora do carro. Ele morreu na hora. O taxista fraturou o ombro e está fora de perigo. Dois homens foram presos e um menor, de 17 anos, foi apreendido. JORGE ficou conhecido pelas entrevistas com LIONEL MESSI. O jornalista cobriu boa parte da carreira do astro do BARCELONA e da seleção argentina, na cidade espanhola.
TOPO estava no BRASIL desde o início da COPA DO MUNDO trabalhando para a rádio LA RED e colaborando com o jornal “OLÉ”, o mais famoso diário esportivo da ARGENTINA. Logo que a notícia se espalhou, o jornal estampou em seu portal a manchete “LO LLORAMOS TODOS” e dedicou boa parte de sua cobertura de hoje em homenagens ao profissional, mesmo com a ARGENTINA disputando a semifinal da COPA.
Jogadores, clubes e até o presidente da FIFA, JOSEPH BLATTER, manifestaram solidariedade à família de TOPO. “Meus mais sinceros pêsames aos familiares e amigos do jornalista JORGE “TOPO” LÓPEZ. Notícia terrível. Descanse em paz”, postou o dirigente.  
O ex-jogador argentino e técnico DIEGO SIMEONE também lamentou a tragédia. “Não foi só um grande jornalista, foi também um amigo. Muita dor. Minhas condolências a VERO BRUNATI e família”, escreveu no TWITTER. E foi por meio dessa mensagem que a mulher de TOPO, VERÔNICA BRUNATI, ficou sabendo da morte do marido. “DIEGO, não me diga isso. Por favor, sou a mulher do TOPO. Que alguém me ligue no QUALITY HOTEL JARDIM”, postou, desesperada.
TOPO e a mulher, que também é jornalista e cobre a COPA, estariam hoje no jogo da ARGENTINA. Após isso, eles comemorariam o aniversário de um de seus filhos, na capital.

O corpo do ex-deputado federal PLÍNIO DE ARRUDA SAMPAIO foi enterrado nesta tarde no Cemitério do ARAÇÁ, região central de SÃO PAULO. O político morreu ontem, aos 83 anos, em decorrência da falência de múltiplos órgãos. Ele estava internado havia um mês para tratar um câncer ósseo e completaria 84 anos no próximo dia 26. O corpo do ex-deputado foi velado durante a manhã, na Igreja dos Dominicanos, em PERDIZES. Antes do enterro, o caixão foi coberto com bandeiras do PSOL e do MST. O hino da Internacional Socialista foi entoado na cerimônia. O governador GERALDO ALCKMIN esteve presente no velório. “Um brasileiro que dedicou a sua vida à justiça social, a um país mais justo. Socialmente melhor. Tenho um laço até afetivo porque ele foi promotor público na minha cidade natal (PINDAMONHANGABA)  e muito amigo de meu pai”, disse ALCKMIN. “Ele criou em PINDA o LEGIONÁRIOS NA DEFESA DO MENOR. Meu pai foi o primeiro presidente no LEGIONÁRIOS”, completou o governador. Durante o velório, o senador EDUARDO SUPLICY (PT) entregou aos filhos do ex-deputado uma nota escrita pelo ex-presidente LULA. PLINIO era casado havia 60 anos com MARIETTA RIBEIRO DE AZEVEDO e deixa seis filhos.

Após bombardear 550 alvos na FAIXA DE GAZA, hoje, ISRAEL prometeu intensificar a OPERAÇÃO LIMITE PROTETOR. A ofensiva é uma resposta aos lançamentos de foguetes atribuídos ao HAMAS, grupo radical que governa o território palestino – e ampliou sua capacidade militar e o alcance de seus projéteis para atingir o rival.
A mais grave crise na região desde 2012 já deixou 64 mortos, entre os quais, 13 crianças, segundo fontes médicas. “Decidimos intensificar os ataques contra o HAMAS e outras organizações terroristas em GAZA”, declarou hoje o primeiro-ministro israelense BINYAMIN NETANYAHU.
A campanha de ISRAEL teve início na noite de segunda-feira, dia 7. Um dia depois, o Exército israelense convocou 40 mil reservistas e abriu as portas para uma ofensiva por terra. “O Exército está preparado para qualquer eventualidade”, reiterou NETANYAHU, em um comunicado divulgado após uma reunião do comando militar do país.
O primeiro-ministro afirmou que o “HAMAS pagará um preço alto por disparar foguetes contra cidadãos israelenses”. Desde o início dos bombardeios contra a FAIXA DE GAZA. O HAMAS disparou ao menos 165 foguetes contra ISRAEL. Alguns deles chegaram a JERUSALÉM, TEL AVIV e HAIFA, mais de 160 quilômetros ao norte, mas foram interceptados pelo sistema antimíssil DOMO DE FERRO. Segundo fontes médicas na FAIXA DE GAZA a maioria das mortes ocorridas em razão da operação israelense foi de militantes do HAMAS, mas também havia mulheres e crianças entre os mortos – ao menos 13. Mais de 300 pessoas ficaram feridas. Do lado israelense, até hoje, não havia mortos ou feridos. O pior ataque ocorreu entre a noite de segunda-feira e a madrugada de terça, em KHAN YUNIS. Um míssil israelense lançado contra a casa de um radical islâmico matou o militante e cinco de seus parentes.
A rádio pública israelense afirmou que tropas israelenses mataram hoje dois mergulhadores palestinos que tentavam entrar em ISRAEL pelo mar. O Exército declarou que houve troca de tiros e os palestinos foram mortos perto de onde, no dia anterior, outros quatro militantes morreram de forma similar.
EUA, UNIÃO EUROPÉIA, diversos países árabes e IRÃ pediram um fim imediato da violência. Atendendo ao pedido da LIGA ÁRABE, O Conselho de Segurança das NAÇÕES UNIDAS deve se reunir amanhã para discutir a crise. O EGITO, por sua vez, lamentou a situação, mas reduziu a possibilidade de mediar uma trégua, como fez em outros momentos de escalada de violência na região. Em 2012, com a ajuda dos EUA, o governo do islamita egípcio MOHAMED MORSI negociou um cessar-fogo entre israelenses e palestinos, em um elogiado desfecho.






9 de julho de 2015     :    -      QUINTA-FEIRA
Crônica do Presidente do Tribunal de Justiça de São Paulo, desembargador JOSÉ RENATO NALINI. (Publicada no jornal DIÁRIO DE SÃO PAULO):

A Revolução Constitucionalista de 1932 orgulha São Paulo. Os bandeirantes não alargaram apenas as fronteiras físicas desta Nação que passou a se chamar Brasil, mas dilataram as fronteiras morais de sua gente. Pois o intuito dos paulistas era devolver a República ao Estado de Direito, esfacelado pela ditadura populista de Vargas. Qual a semelhança entre os dois momentos: 1932 e 2015? Também agora, o Brasil clama por ética. Exige respeito pela coisa pública. Lisura na gestão do interesse comum, honestidade na política. O desalento é geral, a falta de perspectiva assola a todos. É urgente a retomada do caminho da probidade. É intolerável assistir à continuidade das práticas nefastas. A caterva inferior não se importando com a faxina propiciada por corajosa atitude daqueles que não hesitam no cumprimento do dever.
Já passou da hora do "basta". O Brasil merece respeito. São Paulo pode se inspirar no sacrifício de sua gente que em uníssono arrostou o perigo e ofereceu sua própria vida para restaurar o tecido esgarçado de uma democracia capenga. Não é necessário pegar em armas. O armamento é outro: é a conclamação a todos os brasileiros lúcidos, para que não percam a capacidade de indignação, para que aceitem levar às últimas consequências a missão de expurgar da vida pública aqueles que confundem o interesse do Estado com suas próprias mesquinharias.
É o momento do brasileiro crescer. Tornar-se adulto. Assumir sua cidadania, que é o protagonismo de quem sabe ter direitos, mas não desconhece a outra face: os deveres, as responsabilidades, as obrigações. A melhor forma de comemorar a data é não trair os que perderam a vida, os que saíram de sua zona de conforto e foram morrer, os que ficaram na vigília, os que deram sua cota de heroísmo para deixar brilhar a verdade da Constituição. Temos todos um compromisso com as próximas gerações. Reflitamos todos sobre o que o Brasil espera de nós e São Paulo pode oferecer ao futuro da Pátria. 

Um pouco antes das 8 horas, MARINEI e LUCAS vêm me buscar para irmos ao IBIRAPUERA. O trânsito está muito bom. Quando chegamos perto do CÍRCULO MILITAR, MARINEI estaciona o carro e vamos a pé até a Avenida PEDRO ÁLVARES CABRAL. A Corrida Internacional Ciclística 9 de Julho acaba de  passar pela avenida e agora tudo está pronto para a PARADA CÍVICO-MILITAR. Vamos encontrar com inúmeros amigos, associados do MMDC, enfim, muita gente. Entre eles (fatalmente vou esquecer de alguns), estão: CORONEL PM ANTÔNIO CARLOS MENDES, FERNANDO MORENO, MARIANO TAGLIANETTI, WILLIAM MASCARENHAS, AMADO RÚBIO, ORÍTIA ABREU SERAFIM e as crianças fardadas de 32 que, pela primeira vez, irão abrir o desfile; ANTÔNIO CARLOS ARISTIDES; OLÍVIO ABRAÇOS JORGE (que deixa hoje o Comando do Exército Constitucionalista); PROFESSORA MARIA ODETTE (que irá assumir o Comando do Exército Constitucionalista - ela vem fardada de enfermeira); GENERAL DE EXÉRCITO JOÃO CAMILO PIRES DE CAMPOS, VICE-ALMIRANTE WILSON PEREIRA DE LIMA FILHO, MAJOR-BRIGADEIRO MARCELO KANITZ DAMASCENO, CORONEL PM FRANCISCO ALBERTO AIRES MESQUITA (COMANDANTE GERAL EM EXERCÍCIO); CORONEL PM REYNALDO SIMÕES ROSSI (DIRETOR DE ENSINO E CULTURA), CORONEL PM CELSO LUIZ PINHEIRO (Coordenador da Parada); CORONEL PM ÁLVARO BATISTA CAMILO, JOSÉ MAURÍCIO WEISSHAUPT PEREZ, CORONEL PM DANILO ANTÃO FERNANDES, CAPITÃO PM LUIZ HUMBERTO CAPARROZ, FRANCISCO GIANNOCCARO, WADIH ABDALLAH, EDIMARA DE LIMA, PROFESSOR JOSÉ CARLOS BARROS DE LIMA, MARGARIDA DE LIMA, MARCELO TIBÚRCIO, ALDREDO PIRES, HERNANNY GUTIERRES, MARIA LÚCIA CAMARGO, DARLINGTON LUIDGE, JORGE BATISTA CRUZ e muitos outros.
CORONEL PM MARIA APARECIDA DE CARVALHO, Chefe do Centro de Comunicação Social (quem conheço desde o tempo em que era MAJOR), confessa que este será o seu último 9 de Julho. Ela irá pedir transferência para a reserva nos próximos meses. 
Com a chegada do Governador GERALDO ALCKMIN, sou obrigado a acompanhá-lo ao palanque oficial e fico ao seu lado durante o tempo todo. É realizada a passagem do Comando do Exército Constitucionalista sob a presidência do Comandante Geral da PMESP. Chegam os despojos dos heróis que estão sendo imortalizados, conduzidos por alunos oficiais: RAUL GONÇALVES DE OLIVEIRA, DIRCE RUDGE PACHECO E SILVA, ANTONIO MARIA VIDEIRA, AGNELLO DA CRUZ PRATES, JOÃO SYLVIO HOELZ, GENERAL Médico RENATO VARANDAS DE AZEVEDO, FRANCISCO JOAQUIM FERREIRA, FRANCISCO GIMENES RODA FILHO, MURRAY MARTINS DE CARVALHO, DIRCÍLIO DE BARROS REBELLO, ROSA GALVÃO e MARCOS RIBEIRO RILHO. Há a salva de tiros e os parentes acompanham as urnas que adentram o Monumento Mausoléu ao Soldado Constitucionalista de 32.
Acompanho o governador no momento em que ele vai colocar uma coroa de flores ao lado do herói jacente.
Segue-se a entrega da MEDALHA CONSTITUCIONALISTA. São galardoados:


POSTO/GRAD
NOME COMPLETO

01
Exmo Sr. Vice-Almirante
WILSON PEREIRA DE LIMA FILHO

02
ExmoSr.  Brigadeiro-do-Ar
ANDRÉ LUIZ FONSECA E SILVA (31/03/2014)

03
Exmo Sr. Brigadeiro-do-Ar
JOSÉ JORGE DE MEDEIROS GARCIA (25/12/2014)

04
Exmo Sr Dr.
YOUSSEF ABOU CHAHIN

05
Exmo Sr.
IVAN DIEB MIZIARA

06
Cel de Infantaria
MARCOS MARQUES DE SOUZA

07
Cel de Comunicação
PAULO CEZAR FERREIRA DE SOUZA

08
Exmo Sr
GIL LANCASTER

09
Cel PM
CLAUDIR ROBERTO TEIXEIRA DE MIRANDA

10
Cel PM
REYNALDO PRIELL NETO

11
Cel PM
SÉRGIO FELLETO

12
Cel PM
ANTÔNIO VALDIR GONÇALVES FILHO
13
Cel PM
MARCELLO STREIFINGER

14
Cel PM
PAULO DE TARSO AUGUSTO JÚNIOR

15
Cel PM
SÉRGIO RICARDO MORETTE


16
Cel PM
ADILSON LUIS FRANCO NASSARO

17
Cel PM
LUÍS HENRIQUE DI JACINTHO SANTOS

18
Senhor Dr
ARLINDO JOSÉ NEGRÃO VAZ

19
Senhor Dr
MAURÍCIO GUIMARÃES SOARES

20
Exma Sra.
SHEILA LUNTER

21
Senhor Dr.
ADALBERTO DENSER DE SA JÚNIOR

22
Ten Cel PM
GEÓRGIA ABÍLIO PÚBLIO MENDES

23
Senhora
SONIA MARIA GONÇALVES JORGE

24
Senhor
KAMEL AREF SAAB

25
Senhor
NACIF AREF SAAB

26
Senhor
CLAUDIO RICIERI BRITTA

27
Doutor
JOSÉ DE ÁVILA CRUZ

28
Doutor
MARTIM DE ALMEIDA SAMPAIO

29
Cabo PM
EDSON RODRIGUES DOS SANTOS

30
Cabo PM
MARCELA MEDEIRO DA COSTA IGNACIO

31
Cabo PM
PATRÍCIA ANDREOTTI PINEIS

32
Cabo PM
ISAIAS HOFACHER ANDRADE

MARTA REGINA RIBEIRO DE ARRUDA também foi condecorada com a MEDALHA CONSTITUCIONALISTA.
Começa então o desfile, com a abertura feita pelas crianças fardadas de 32, uma inovação que encanta todos os presentes.
Termina tarde o desfile. Conversamos com muitas pessoas. Tenho uma grata surpresa, o encontro com AGENOR, nosso veteraníssimo, com 101 anos de idade. Ainda diz que irá até à ALESP.  Vamos então para a Assembléia Legislativa. Em sessão solene presidida pelo Deputado Estadual CORONEL PM PAULO ADRIANO LOPES LUCINDA TELHADA é comemorado os 83 anos da Revolução Constitucionalista e se procede a entrega da MEDALHA DA CONSTITUIÇÃO. É um ato solene digno de aplausos. O CORONEL PM TELHADA está de parabéns na condução dos trabalhos. As pessoas fazem discursos curtos e de maneira objetiva, como é o caso do décano dos deputados, SALIM CURIATI; CAMPOS MACHADO; Deputado Estadual CORONEL PM CAMILO e o GENERAL DE EXÉRCITO JOÃO CAMILO PIRES DE CAMPOS (que demonstra conhecer a fundo o Movimento Constitucionalista de 32).
Passam das 15 horas quando deixamos a Assembléia. MARINEI e LUCAS trazem-me até em casa. Sinto-me contente pelo sucesso das comemorações, mas extremamente cansado.
Mais tarde, pela internet, vejo a manifestação da MARINEI CHALUB a respeito de sua condecoração com a MEDALHA DA CONSTITUIÇÃO:
"Hoje eu tive a honra de ser homenageada na Assembléia Legislativa de SP, fui condecorada com a Medalha da Constituição. Quero dividir minha alegria e agradecer ao Cel PM Mario Ventura, ao Cel PM Telhada, a todos os meus amigos e parceiros de trabalho, afinal, não faço nada, mas fazemos!
Agradeço também imensamente meu amigo e irmãoAntonio Carlos Aristides por todo empenho em seu trabalho voluntário e dou seu crédito pela foto. Obrigada!
 "' se sentindo muito feliz com Mario Ventura em ALESP - Assembleia Legislativa do Estado de São Paulo.
Palavras do HERNANNY GUTIERRES
Um momento especial em minha vida, ser condecorado e elogiado pelos trabalhos que fazemos ao próximo pela maior Autoridade Militar da região Sudeste do país.
Só tenho a agradecer à todos que acreditam no meu trabalho, meus amigos que sempre estão ao meu lado e, assim como eu, sonham com um país melhor e mais justo.
Estou transbordando de felicidade nesta data tão importante.
Obrigado; 
Tomaz Vaquero Brasil Bicca, Sergio Miranda, José Reis, Ivan Karica, Coronel Telhada, Júnior Fabiano Suero, Cristiano Pinha, Viviane Santana, Mario Ventura, Marinei Chalub, Coronel Matheus, Dr. Renato C. Neves, Cristiano Reis, Santos Gcm, Anderson Trofino, Elton Costa, Victor Freitas, Jose Paulo M. Rosa, Maria Teresa G. del Ry, e tantos outros.

Mario Ventura O esforço com os eventos da semana constitucionalista, com viagens a cidades do interior, culminando com a PARADA CÍVICO-MILITAR e a magnífica sessão solene proporcionada pelo DEPUTADO ESTADUAL CORONEL PM TELHADA deram-me de presente violentas caimbras no período da tarde, impedindo a minha ida ao evento do Clube Piratininga. Somente agora estou vendo as imagens no face e totalmente emocionado pelo reconhecimento da EPOPÉIA DE 32. Meus sinceros parabéns por todos que participaram, principalmente ao ARISTIDES e ORÍTIA que imortalizaram nas imagens tudo o que aconteceu em SPAULO Já nos núcleos do interior o resgate do TÚNEL DA MANTIQUEIRA merece destaque pelo valor histórico de valor inestimável. Ao grupo "OS 4 CAVALEIROS DA REVOLUÇÃO" minhas recomendações e que continuem assim atuantes. Sei que os demais núcleos colaboraram muito e todos estão de parabéns. Sempre uso a expressão 'A UNIÃO FAZ A FORÇA" e é isso que está acontecendo. O pelotão das crianças fardadas de 32 emocionou sobremaneira e deverá crescer muito para o 9 de Julho de 2016. Peço à ORÍTIA que continue com o seu trabalho magnífico. Sei que devo de ter esquecido muita gente que poderia ser citada aqui, mas uma delas NÃO PODERÁ SER NUNCA ESQUECIDA. TRATA-SE DA MARINEI CHALUB, meu braço direito e responsável direta pelo sucesso de nossos eventos de JULHO, que ainda continuarão e deverão prosseguir agosto adentro.

Palavras do CAPITÃO PM LUIZ HUMBERTO CAPARROZ:
Desfile em comemoração à Revolução Constitucionalista de 1932, em frente ao Mausoleu aos Herois de 1932, no Ibirapuera e Outorga da Medalha da Constituição, hoje na Assembleia Legislativa de São Paulo. Meus agradecimentos a minha família e a todos que possibilitaram esse acontecimento.

Foram condecorados, hoje, em CAMPINAS, em solenidade comemorativa do 83º Aniversário da Revolução Constitucionalista, proporcionada pelo Núcleo "ALDO CHIORATTO":
01 -  VEREADOR ARTUR CASSEB ORSI
VEREADOR
02 - PREFEITO JONAS DONIZETTE
PREFEITO
03 - CAP PM MARLON ROBERT NIGLIA
COM. SOC. CPI-2
04 - DRº GUSTAVO MASCARENHAS TEIXEIRA
MÉDICO
05 - LORIVAL FERREIRA DOS SANTOS
DESEMBARGADOR - TRT
06 - FRANCISCO ALBERTO DA MOTTA  PEIXOTO GIORDANI
DESEMBARGADOR - TRT
07 - CAP PM ROGÉRIO PRADA PRATAROTTI
OFICIAL
08 - CB PM JOÃO RICARDO ACCORDI ABBADE
DIRETOR MMDC CAMPINAS
09 - GABRIEL GUEDES RAPASSI
DIRETOR CULTURA DE CAMPINAS
10 - JOÃO ALBERTO DE SOUZA TORRES
ADVOGADO
11 - ROSEMARY PERESMOTTA DE OLIVEIRA
CHEFE ESCOTEIRO
12 - CAP PM ALEXANDRE RODRIGUES CABRERA
1º BAEP
13 - TOMAZO MONTALDI
EMPRESARIO
14 - TEN CEL MARCI ELBER MACIEL REZENDE DA SILVA
CMT 8º BPMI
15 - SHIRLEI DE PAULA
EMPRESARIA
16 - ALCIDES MARCIO MIRANDA
INSTRUTOR
17 - DELVAIR FIDENCIO DE LIMA
DIRETOR BANCO BRADESCO
18 - SANDRA REGINA I. P. NAVARRO
ASSESSORA DIRETORIA REGIONAL BANCO BRADESCO
19 - CAP PM SORAYA JORGE SANTANA
CH SET COM SOÇ - 8º BPMI
20 - HELCIO DANTAS LOBO JUNIOR
DESEMBARGADOR - TRT
21 - CB PM LUCIANO FANTINI
8º BPMI
22 - SD PM WAGNER JOSÉ DA CRUZ
8º BPMI
23 - CB PM DAVID FELICIANO DA SILVA
8º BPMI
24 - 1º SGT PM JOSÉ MALAQUIAS DE SOUZA
8º BPMI
25 - CB PM ELIZIA APARECIDA BRUNO
8º BPMI
26 - CB PM SIDNEI JOSE FERREIRA
8º BPMI
27 - MAJ PM ALESSANDRO BAPTISTA LEAL
35º BPMI
28 - CB PM FABIANA APARECIDA ASSUMPÇÃO TORETTI
35º BPMI
29 - 1º SGT PM NELSON AMORIN MOYA JUNIOR
1º BAEP
30 - 2º SGT PM ADAILTON NOVAES DE ALMEIDA
1º BAEP
31 - 1º SGT PM ANTONIO MAURICIO DE ALMEIDA
8º BPMI
32 - CB PM MACIEL NIXDORF DEMETRIO
8º BPMI

Um desfile cívico realizado na manhã desta Quinta-feira (9), por volta das 9h, na Avenida Coronel Marcondes, em frente à Praça Nove de Julho, no Centro de Presidente Prudente, reuniu cerca de 2 mil pessoas neste feriado com o objetivo de relembrar a história da Revolução Constitucionalista de 1932 e homenagear ex-combatentes da região.
Na solenidade, estiveram presentes familiares dos ex-combatentes da região de Presidente Prudente que lutaram na revolução, integrantes da Polícia Militar, Corpo de Bombeiros, atiradores e oficiais do Tiro de Guerra, grupo de escoteiros Guayporé e Monte Carmelo, além do Coral e do Grupo de Flautas do Projeto de Educação Integral Cidadescola, da Banda Regimental de Música do Comando de Policiamento do Interior (CPI-8), Coral dos Servidores Municipais e representantes do Executivo, do Legislativo e da Ordem Demolay.
“Nove de Julho é a data magna do Estado de São Paulo. Foi um evento marcante para a sociedade paulista em busca de um ideal. A importância da Revolução Constitucionalista não é o resultado nos campos de batalha, mas sim o legado que ela nos traz, que foi a mobilização da sociedade por um ideal de redemocratização, de reconstitucionalização, do direito de escolher os seus governantes. E São Paulo lutou pelo Brasil. Embora derrotado no campo de batalha, a vitória veio com a Constituição de 1934, que trouxe avanços significativos”, relatou o coronel da Polícia Militar Francisco Batista Leopoldo Júnior, responsável pelo CPI-8.
Para a professora Patrícia Cristina Oliveira Jesus Molina, de 37 anos, a solenidade é uma oportunidade de repassar aos filhos Júlia, de 4 anos, e Lucas, de 8 anos, a importância da data. "Acho o evento importante para conscientizar as crianças desde pequenas. Muitas pessoas não sabem o que significa a data. Somente sabem que é feriado", avalia.
Homenagens
Em um dos atos mais emocionantes da solenidade, parentes de ex-combatentes depositaram flores no obelisco em homenagem ao Movimento Constitucionalista de 1932.
Francisco Basto, de 65 anos, aposentado, é filho do ex-combatente José Francisco Basto, que morreu aos 90 anos. “Os ex-combatentes foram lutar por amor. Meu pai, com 20 anos, saiu da cidade em que ele morava e foi lutar por um São Paulo melhor. Espero que a população de Presidente Prudente, onde eu moro, nunca se esqueça desta data, que é para nós, filhos e netos de ex-combatentes, de grande alegria”, destacou Basto ao iFronteira. “Meu pai contava que antes não havia armamentos como os de hoje. Naquele tempo, se atirava e imediatamente eles tinham de recarregar a arma para atirar novamente”, lembrou Basto ao iFronteira.
Marilda Goulart, de 80 anos, é filha do tenente Adalberto Goulart, falecido em 1949, aos 50 anos. “O papai até não contava tanta coisa, mas tinha muitas fotografias dele com os companheiros. Era quando a gente falava de Nove de Julho. Ele era uma pessoa muito idealista, tanto é que na revolução ele foi lutar em Ourinhos (SP) com toda a dificuldade que eles tinham de armamento, de uniformes, de tudo. Mas o que valia ali era o idealismo de querer lutar por um Brasil melhor”, destacou Marilda ao iFronteira.
A secretária municipal de Educação, Ondina Gerbasi, também participou da solenidade como sobrinha do ex-combatente Anacleto Roberto Barbosa, já falecido. “A recordação que temos é de ver o capacete, a capa, aquela arma que nos chamava muito a atenção. Ele [Anacleto Roberto Barbosa] nos contava os momentos que foram de preocupação, de temor, porque eles ficaram nas trincheiras e vendo, às vezes, um companheiro tombar”, relatou Gerbasi. “A gente se lembra desses momentos que foram relatados pelo meu tio, mas o que mais marcou, além do fato em si, foi que eles diziam que estavam ali cumprindo um dever e lutando pela Constituição do Estado de São Paulo”, concluiu.
Na ocasião, também foram entregues medalhas de "Valor Militar" a policiais militares pelos seus bons serviços prestados à Polícia Militar e à sociedade.
Após as homenagens, os presentes puderam acompanhar um desfile com a participação de viaturas, motocicletas e cavalaria da Polícia Militar, do Corpo de Bombeiros e até do helicóptero Águia da PM que, de forma inusitada, se inclinou para reverenciar os ex-combatentes.
História
Conhecida como a Revolução de 1932 ou Guerra Paulista, o movimento armado ocorreu no Estado de São Paulo, entre os meses de julho e outubro de 1932, e tinha por objetivos a derrubada do governo provisório de Getúlio Vargas e a promulgação de uma nova Constituição para o Brasil.
A Revolução Constitucionalista de 1932, comemorada no dia 9 de julho, foi um dos fatos históricos de maior significado na memória de Presidente Prudente, onde foi formado o Batalhão de Voluntários Constitucionalistas, composto por mais de mil homens. Eram voluntários pertencentes às mais diversas classes sociais que, na época, mobilizaram lideranças de Presidente Prudente e região.
O batalhão formado em Presidente Prudente e comandado pelo Coronel Miguel Brisola de Oliveira, seguiu para a cidade de Ourinhos onde defendeu às margens do Rio Paranapanema contra a invasão das forças ditatoriais de Getúlio Vargas.
Naquela região estratégica, na divisa com o Estado do Paraná, o batalhão prudentino resistiu ao ataque inimigo, que dispunha de superioridade bélica e numérica.
Presidente Prudente homenageou os tenentes Nicolau Maffei e Casemiro Dias, dando seus nomes a vias públicas da cidade. O município também imortalizou o comandante do batalhão, Coronel Miguel Brisola de Oliveira, como patrono do Parque de Uso Múltiplo (PUM). Outras 33 vias públicas foram denominadas com os nomes de ex-integrantes do Batalhão Constitucionalista de Presidente Prudente.
Em 1934, passou a vigorar a nova Constituição do país, assumindo o governo de São Paulo Armando Salles de Oliveira.
POLÍCIA MILITAR Decreto de 8-7-2015 Aplicando, à vista do acórdão proferido pelo Tribunal de Justiça Militar do Estado de São Paulo nos autos do Conselho de Justificação nº 0003807-59.2014.9.26.0000 – TJMESP (253- 2014 - processo de origem GS-997-13-SSP), que julgou indigno para o oficialato e com ele incompatível Milton da Silva Alves, Cap PM RE 901388-1, da Polícia Militar do Estado de São Paulo, decretando a perda de seu posto e patente, aplica-lhe a pena de demissão, com fundamento no art. 23, I, alínea "c", e parágrafo único, da LC 893-2001, a produzir efeitos desde 16-6-2015.
Um ladrão com o carro roubado instantes antes, e em fuga pela contramão, matou a vendedora ANDREIA SANTANA FEIRE, de 29 anos, após colidir com a moto dela, ontem à noite, na VILA MADALENA. ANDREIA estava voltando do trabalho e tinha passado em um supermercado antes de seguir para casa, na zona norte. O criminoso, não identificado ainda, assaltou um bancário na RUA GIRASSOL, no mesmo bairro, quando ele e sua namorada, dentro de um CHEVROLET SONIC, estavam parados no semáforo.

A Polícia Militar prendeu, nesta manhã, pai e filha suspeitos de roubar quatro motoristas, em GUARULHOS. Os crimes ocorreram em sequência, até que a dupla foi surpreendida pelos agentes. Dentro do carro dos suspeitos, usado para manter as vítimas reféns, havia bolsas e outros objetos roubados. Eles também fizeram saques com os cartões de crédito das vítimas.
No momento da abordagem não havia nenhuma vítima dentro do carro. Não foram divulgados nomes e idades do acusado pela SSP. A filha tem 25 anos e não tinha nenhum registro de crimes.
Mas em um blog usado por policiais militares, PMs deram detalhes da ocorrência em GUARULHOS. Segundo a publicação extraoficial, a filha se chama RENANGELA e o pai, OSVALDO. Entre as vítimas sequestradas, havia uma enfermeira. dona de um CHEVROLET CORSA. Ela foi mantida em cárcere até pai e filha conseguirem sacar 980 reais das contas da profissional.
Foi ela que denunciou a dupla à polícia, que ao cruzar com os acusados, percebeu o nervosismo da garota. O pai, acuado, acelerou, perdendo o controle do carro e batendo em um poste. Com ele estava um revólver calibre 38. Todos os pertences das vítimas foram recuperados.

As primeiras fotos oficiais do batismo da princesa CHARLOTTE foram divulgadas hoje pelo perfil do PALÁCIO DE KENSINGTON no INSTAGRAM. As imagens, tiradas pelo peruano MARIO TESTINO, mostram o príncipe WILLIAN,  a duquesa de CAMBRIDGE, KATE MIDDLETON, e seus dois filhos, em SANDRINGHAM, propriedade rural onde eles vivem ultimamente e onde foi realizado o evento. Uma das imagens e com os bisavôs da princesa, a rainha ELIZABETH 2ª e seu marido, o príncipe PHILLIP, seu avô paterno, o príncipe CHARLES e seus avôs maternos.
Leia Mais:http://opiniao.estadao.com.br/noticias/geral,forum-dos-leitores,1721934
Assine o Estadão All Digital + Impresso todos os dias
Siga @Estadao no Twitter

O governo chinês suspendeu os serviços de trem, fechou escolas e chamou de volta ao porto milhares de barcos na província de GUANGDONG devido à chegada do TUFÃO LINFA. O LINFA tocou a terra na cidade de SHANWEI, no sul da província chinesa, por volta das 12 horas de hoje, horário local. Outro tufão, o CHAN-HOM, deve atingir a província oriental de ZHEJIANG amanhã, com previsão de chuvas intensas e ventos fortes. Os receios de que esse segundo tufão afete a província vizinha de FUJIAN já fizeram com que quase 10 mil pessoas deixassem a região.

2 016   :       -   SÁBADO
Pelo Núcleo MMDC-CAMPINAS, por solicitação do CAPITÃO PM CAMBUÍ, serão entregues Medalhas GOVERNADOR PEDRO DE TOLEDO para as seguintes personalidades:
GERMANO RIGACCI JÚNIOR - Professor Doutor da PUC CAMPINAS
AGUINALDO PEREIRA CATANOCE - Doutor PUC CAMPINAS
2º TENENTE EB GERALDO MAGELA VILELA - Delegado da Junta Militar
TENENTE-CORONEL PM SILVANA ROSA DE JESUS RAMOS - Comandante da PM de GOIÁS - Gabinete do Comandante Geral.
1º TENENTE PM EUNICE SERAFIM DA SILVA MENDONÇA - Oficial de GOIÁS
TENENTE-CORONEL PM CARLA DANIELLE BASSON NIGLIA - Comandante do 35º BPMI
CONDE FRANCISCO SCARPA FILHO - Empresário
MARLENE RITO NICOLAU - Empresária
DELVAIR FIDÊNCIO DE LIMA - Diretor Regional do BRADESCO - CAMPINAS
MATHEUS MARTONE - "MATHEUS CEARÁ" - Humorista
ALFREDO ALMEIDA JÚNIOR - Engenheiro - Empresa CPFL - CAMPINAS
TIAGO COELHO DE OLIVEIRA - Gerente - Empresa BOSCH - CAMPINAS
GENERAL DE BRIGADA RICARDO RODRIGUES CANHACI - Exército Brasileiro
ADRIANA FLOSI - Empresária
CAPITÃO PM DAVI JÚLIO OLIVEIRA DE ALMEIDA - BRPAe
DAVI RODRIGUES DE LIMA - Câmara Municipal de PAULÍNIA
DESEMBARGADOR FERNANDO DA SILVA BORGES
DESEMBARGADORA GISELA RODRIGUES M. A. E MORAES
DOUTOR FÁBIO FELDMAN - Secretário Municipal de Seg. Pública PAULÍNIA
ANGEL FUENTES GONZALES - Consul Honorário da ESPANHA em CAMPINAS
CABO PM MARCIANO ROBERTO FERNANDEZ LEITE - 1º BAEP
CABO PM GISELLI DEAN SALGADO - Auxiliar de Comunicação Social do CPI-2
1º SARGENTO PM WALDEMAR RODRIGUES JÚNIOR - Maestro da Banda Regimental do CPI-2
1º TENENTE PM HERCÍLIO DE ALMEIDA COSTA  8º BPMI
CAPITÃO PM SORAYA JORGE SANTANA - 8º BPMI
1º SARGENTO PM CAIO LEANDRO GONÇALVES DA SILVA - 35º BPMI
1º TENENTE PM VALDEMIR ALVES DE OLIVEIRA - 35º BPMI
1º TENENTE PM JOSÉ ANTÔNIO PEREIRA JÚNIOR - 47º BPMI
CAPITÃO PM AUGUSTO GARÇÃO DE PAIVA - 47º BPMI
2º SARGENTO PM JOSÉ BATISTA DE FREITAS - 1º BAEP
1º SARGENTO PM JANILDO COSTA FERREIRA - 1º BAEP
MIGUEL CAÑELLAS VICENS - COMANDANTE GUARDA CIVIL - ESPANHA.

NÚCLEO DE JAHÚ homenageará as seguintes personalidades com a MEDALHA CONSTITUCIONALISTA:
MAJOR PM RENATO RAMOS
1º TENENTE PM ELCIO ALVES TORRES
SUBTENENTE Inf ALCIDINO JOSÉ BARBOSA
2º SARGENTO PM DOUGLAS GARCIA DE FREITAS
3º SARGENTO PM VÁGNER GOMES PEREIRA
CABO PM DANIEL GIGLIOTI
CABO PM SIRLEI APARECIDA DE JESUS CARVALHO
SOLDADO PM PAULO JOSÉ CAVALCANTI
SOLDADO PM RODRIGO ÉVERTON BUENO RODRIGUES
FÁBIO GRASSI DOS SANTOS
MURILO BARACAT CORTON CONDE
OLAVO NEGRÃO PEREIRA BARRETO
RICARDO DELLA ROSA
URIEL DE CARVALHO
VALENTIM BOTARI
ALCEU MOLENTO JUNIOR
ANTONIO CARLOS DE OLIVEIRA
NEWTON ODAIR MANTELLI
CARLOS ALBERTO BISCARO

MARINEI CHALUB, acompanhada do seu filho LUCAS, vêm me buscar para irmos ao IBIRAPUERA. O carro dela é colocado no estacionamento da Assembléia Legislativa. Caminhamos a pé até o local do desfile.
Vamos encontrar centenas de amigos e amigas. LÍGIA RÚBIO é uma delas. Dá notíciais de seu pai, AMADO RÚBIO, que vai se recuperando de uma operação gravíssima. Ele a mandou, em seu lugar, para assistir às comemorações do 9 de julho. Dedico a ele essa data.
A PARADA CÍVICO-MILITAR DO 9 DE JULHO tem início com a PASSAGEM DE COMANDO DO EXÉRCITO CONSTITUCIONALISTA. A PROFESSORA MARIA ODETTE TRANSFERE O COMANDO PARA DONA ELZA BUZATTO.
ORDEM DO DIA DA NOVA COMANDANTE:
Excelentíssimo Dr. Geraldo Alckmin, digníssimo governador do Estado de São Paulo.  
Excelentíssimo Coronel PM Ricardo Gambaroni, digníssimo Comandante da Polícia Militar do Estado de São Paulo.
Excelentíssimo Sr. Coronel PM Mario Fonseca Ventura, digníssimo Presidente da Associação de Veteranos de 32 - MMDC.
Demais autoridades, familiares e paulistas.
Assumo, neste nove de julho, com muita honra o comando do exército constitucionalista para cumprir, pelo período de um ano os deveres e ofícios que me forem designados em prol dos ideais e da memória da Revolução Constitucionalista de 1932.
Esse ato solene é o compromisso de se manter viva a chama de liberdade e civismo que foi acesa em 9 de Julho de 1932.
Essa chama que marca a fogo meu coração e ilumina a minha alma é o compromisso de servir uma vez mais a causa constitucionalista perante o povo de São Paulo, aos olhos do Brasil e sobre a lápide daqueles que sem apego, imbuídos dos mais altos ideais que uma pátria pode esperar de seus filhos, deram a sua vida pela nação.
Neste momento em que a emoção tenta calar a voz e a idade teima em apagar a memória, lembro vivamente dos amigos e familiares que não mediram esforços em prol da nação e se entregaram a causa maior. 
A família paulista, chamada ao dever, soube mostrar ao Brasil o amor pela pátria. Da casa de minha família partiu meu pai, Archimedes Peres Busato, assim como em tantos outros lares do nosso País.
Enquanto nossos maridos, pais e irmãos estavam na trincheira, sob o calor da metralha, combatendo as forças ditatoriais, a família paulista atuava em auxílio destes bravos jovens.
São Paulo ensinou ao Brasil que amor não se vende. Que princípios não se negociam. Que valores e virtudes não são relativos. Que a lei não se dobra. Que a terra natal não se entrega.
Vivemos tempos difíceis, tempos conturbados. Onde o público se confunde com o privado. Onde o relativismo reina sem medidas e sem freio, alentado por um corporativismo pernicioso. Acredito que é justamente em tempos conturbados que se sobressaem os heróis, forjados nas dificuldades, nas adversidades que a vida nos impõe.
Assim, há exatos 84 anos, a história nos impôs um dever. Um dever inigualável. O dever de imortalizar o ideal da causa constitucionalista. O dever de honrar aqueles que combateram a tirania por um Brasil melhor. O dever de contar aos seus familiares, aos paulistas e aos brasileiros a razão da entrega destes jovens ao sacrifício máximo. Essa é a ordem do dia! Lembrai-vos ó paulistas de tua história.
São Paulo, 9 de julho de 2016.; 84o   (OCTOGÉSIMO QUARTO) Aniversário da Revolução Constitucionalista.
________________________
Elza D’Ambrósio Busato
Na sequência, uma carreta dos bombeiros traz as urnas dos heróis que estão sendo imortalizados nesta manhã. Essas urnas são conduzidas por alunos oficiais que as transportam à cripta do Monumento Mausoléu ao Soldado Constitucionalista de 32. Após a salva de tiros, o Governador do Estado de São Paulo, DOUTOR GERALDO ALCKMIN, acompanhado de autoridades e dos familiares dos heróis, adentram o Monumento:

01 – ANTONIO BENSON
02 – ANTONIO MENDES
03 – ETTORE DE TOLEDO SANDRESCHI
04 – RAYMUNDO STEFANO PINTO
05 – NICANOR COELHO PEREIRA
06 – ALCINDO GUANABARA DE ARRUDA E MIRANDA
07 – FIRMO DE MORAES SARMENTO
08 – EDGARD BUFF
09 – ELSA POPPI MENDES
10 – GUILHERME MENDES
11 – ARISTIDES HENRIQUE BARBOSA
12 – ETHEWALDO MARTINEZ
13 – ADHEMAR MARTINEZ
14 – AMÉRICO ORTIZ
15 – MARIA LEOCADIA DE LIMA MENEZES CAMARGO
16 – Soldado WASHINGTON MENEZES CAMARGO
17 – 2º Tenente JEFFERSON MENEZES CAMARGO
            O Governador retorna ao palanque. Vamos ter a entrega do COLAR IBRAHIM DE ALMEIDA NOBRE e a MEDALHA CONSTITUCIONALISTA:
Recebem o COLAR:
Desembargador JOSÉ RENATO NALINI
Comandante Geral CORONEL PM RICARDO GAMBARONI
Diretor de Ensino e Cultura CORONEL PM REYNALDO SIMÓES ROSSI
Presidente do Núcleo MMDC-SARGENTO MACHADO (RIBEIRÃO PRETO) – JUIZ RICARDO MONTE SERRAT
Presidente da Sociedade Veteranos de 32-MMDC CORONEL PM MÁRIO FONSECA VENTURA
Vice-Presidente da Sociedade Veteranos de 32-MMDC CORONEL PM ANTONIO CARLOS MENDES
Presidente do Conselho Deliberativo da Sociedade Veteranos de 32-MMDC CORONEL PM JAIRO PAES DE LIRA
Presidente do Conselho Fiscal da Sociedade Veteranos de 32-MMDC FERNANDO MORENO
NETA DE IBRAHIM NOBRE RENATA RIBEIRO DA LUZ
Secretária da Sociedade Veteranos de 32-MMDC MARINEI CHALUB.
Neste 9 de julho recebem a MEDALHA CONSTITUCIONALISTA as seguintes autoridades:
POSTO / GRADUAÇÃO
NOME COMPLETO
Presidente Tribunal de Justiça de SP
PAULO DIMAS DE BELLIS MASCARETTI
Doutor
MÁGINO BARBOSA FILHO
General
MAURO CESAR LOURENA CID
Major-Brigadeiro-do-Ar
LUIS ROBERTO DO CARMO LOURENÇO
Vice-Almirante
GLAUCO CASTILHO DALL’ANTONIA
Deputado Federal
CLAUDIO AURICCHIO TURI
General de Divisão
DÉCIO LUIS SCHONS
Brigadeiro-do-Ar
RICARDO AUGUSTO FONSECA NEUBERT
Capitão-de-Mar-e-Guerra
ALEXANDRE MOTTA DE SOUSA
Presidente TJM/SP
SILVIO HIROSHI OYAMA
Presidente Tribunal de Contas
DIMAS EDUARDO RAMALHO
Diplomata
RENATO MOSCA DE SOUZA
Diplomata
TÚLIO AMARAL KAFURI
Veterano de 32 (In Memorian)
GUILHERME MENDES
Coronel PM
FRANCISCO ALBERTO AIRES DE MESQUITA
Coronel PM
ROGÉRIO BERNARDES DUARTE
Coronel PM
FRANCISCO BATISTA LEOPOLDO JUNIOR
Coronel PM
CASSIO ROBERTO ARMANI
Coronel PM
CESAR BRANCO DE ARAUJO
Coronel PM
WAGNER BERTONI JUNIOR
Major Médico PM
MARCO RICARDO RUSSO
Delegado de Polícia
ANTÔNIO JOSÉ CORRÊA DE SAMPAIO
Delegado de Polícia
LUÍS AUGUSTO CASTILHO STORNI
Doutora
ELIETE COELHO BASTOS
Tenente Coronel PM
MÁRIO YTIRO YAMAKAWA
Doutor
CARLOS ALBERTO CRUZ FILHO
Doutor
MAURO GHERSON
Doutor
NACIB AREF SAAB
Doutor
RICARDO AMMIRATI WASTH RODRIGUES
Doutor
EURO BENTO MACIEL
Doutor
OSIRIS MONTEIRO BLANCO
Doutor
LUIZ MANOEL GERALDES
Senhor
CARLOS ALBERTO BAUMGART
Senhor
JABS HAMILTON DA COSTA
Soldado PM
CRISTIANO ANTONIO DO NASCIMENTO

Terminada a entrega das condecorações, vamos ter início ao magnífico desfile. A abertura é sensacional: O BATALHÃO INFANTO JUVENIL “ALDO CHIORATTO” desfila com mais de cinquenta crianças, todas fardadas de 32. Muito aplaudido o Batalhão que traz a esperança de um mundo melhor.
São mais de 11 horas quando termina a PARADA CÍVICO-CULTURAL. As autoridades são se retirando. Conversamos com muita gente e são tiradas centenas de fotografias.
Rumamos para a Assembléia Legislativa. Por propositura do Deputado Estadual CORONEL PM PAULO ADRIANO LOPE LUCINDA TELHADA vamos ter uma sessão solene em homenagem ao 84º Aniversário da Revolução Constitucionalista, com a entrega da MEDALHA DA CONSTITUIÇÃO.
Há a simulação da morte de MARTINS, MIRAGAIA, DRÁUSIO e CAMARGO, por soldados da ESCOLA SUPERIOR DE SOLDADOS. Também temos o lançamento do livro PARA SEMPRE 32, cuja organização foi realizada pela CAMILA GIUDICE e THAIS MATARAZZO. CAMILA entrega um exemplar para o Deputado Estadual CORONEL PM TELHADA e outro para o Presidente da Sociedade Veteranos de 32-MMDC CORONEL PM MÁRIO FONSECA VENTURA.   
Temos um compromisso importante na sequência. O SUBTENENTE GEORGE TRAJANO convida-me para almoçar no VILLA FIORE e me leva para o CERET.
Vamos hoje inaugurar o 53º NÚCLEO DA  SOCIEDADE VETERANOS DE 32-MMDC no CERET. É O NÚCLEO MMDC-NON DVCOR, DVCO, fprmado por 25 diretores. O presidente de honra é o QUINTINO SIMÕES PINTO. O CIMINO é o presidente desse núcleo que começa de maneira auspiciosa.
Assino a ATA nomeando o Presidente do Núcleo. São entregues certificados a todos os diretores. Há o discurso do Presidente da Sociedade Veteranos de 32-MMDC, do Presidente de Honra do Núcleo e também de seu Presidente CIMINO.
É inaugurada uma placa com os nomes de todos os diretores.
Presidente de honra: QUINTINO SIMÕES PINTO
Presidente: ANTÔNIO CARLOS CIMINO
1º Vice-Presidente: CORONEL PM PAULO DE TARSO AUGUSTO JÚNIOR
2º Vice-Presidente: ROBERTO CARVALHO NEVES
CONSELHO DELIBERATIVO
Presidente: FRANCISCO GEORGE TRAJANO DE SOUZA
Membros: DIVALDO ROSA e ERASMO JOHANN BRAGARD DE ALBUQUERQUE
CONSELHO FISCAL
Presidente: DALTON SOARES PIRES
Membros: WÁLTER QUAROTTI e JOSÉ CARLOS VIETRI
DIRETORES
1º  Secretário: SELMA REGINA DA SILVA
2º Secretário: MAURO BORGES MALTA
1º Tesoureiro: DOUTOR JÚLIO CEZAR FERREIRA PACHECO
2º Tesoureiro: WÁLTER MARQUES
1º Diretor Social: MOHAMED MOURAD
2º Diretor Social: WALEREUSE VERÍCIMO MACHADO JÚNIOR
1º Diretor de Relações Públicas: MARCELO PELEGRINO DE CASTRO
2º Diretor de Relações Públicas: TABATA YAMAUCHI TIRELLI
1º Diretor de Honrarias: ADILSON CÉZAR
2º Diretor de Honrarias: ANTÔNIO APARECIDO DELA FINA
1º Diretor Cultural: ALEXANDRE TIRELLI
2º Diretor Cultural: DENISE PEREIRA PINTO GONÇALVES
1º Diretor de Comunicação: JOSÉ GARRIS DEL VALE
2º Diretor de Comunicação: EUGÊNIO CANTERO SANCHES
Diretor de Governança, Planejamento e Comunicação Interna: MARCELO CORDEIRO DE CASTRO
Diretor de Patrimônio: WILLIAM MASCARENHAS
Diretor Jurídico: JOSÉ TITONELE
Segue-se uma confraternização de todos os presentes. Já tarde da noite, o SUBTENENTE GEORGE leva-me até GUARULHOS.
Sinto-me realizado nesta data. Três grandes eventos abrilhantaram o 9 de Julho deste ano.
Pela internet, vejo mensagens de muita gente. Entre elas a do advogado SIDNEI LOBO PEDROSO, que esteve presente na PARADA CÍVICO-MILITAR.i
"Bom dia Sidnei. OBRIGADO PELAS GENTIS PALAVRAS DIRIGIDAS À MINHA PESSOA. MAS QUERO DIRIGI-LAS À SOCIEDADE VETERANOS DE 32-MMDC RAZÃO DE MINHA EXISTÊNCIA NOS ÚLTIMOS ANOS DE MINHA MISSÃO TERRENA. O SUCESSO FOI SEU, principalmente pela tenacidade e determinação. Ontem, na Parada Cívico-Militar do 9 de Julho o Presidente do TJ desembargador Paulo Dimas comentou o Júri Simulado com o governador Geraldo Alckmin de maneira elogiosa. ESTAVA AO LADO O PRESIDENTE DA ASSEMBLÉIA LEGISLATIVA E OUTRAS AUTORIDADES DO CENÁRIO ESTADUAL. MEUS PARABÉNS PELO SUCESSO DA DURA EMPREITADA. POR FAVOR ESTENDA O MEU ELOGIO A TODOS QUE COLABORARAM PELA HISTÓRICA PÁGINA SOMADA AO MOVIMENTO CONSTITUCIONALISTA DE 1932!"

Depois de assistir o desfile em comemoração a data mais importante da história de minha cidade, realizado hoje em comemoração ao octogésimo quarto aniversário da Revolução Constitucionalista de 1932! No mausoléu aos soldados constitucionalistas, um privilégio para quem nasceu na cidade de São Paulo, participar durante esta semana de várias atividades promovidas para homenagear os combatentes, dentre os quais, Martins, Miragaia, Dráusio, Camargo, Alvarenga, bem como, minha terra natal, o voluntário Delmiro Sampaio, que foi morto no campo de batalha no dia 02 de outubro de 1932, o derradeiro dia de batalha da revolução! No registro fotográfico, com o presidente da Sociedade dos Veteranos de 32 - MMDC, o estimado amigo, Coronel Mario Ventura.

Pela  segunda partida seguida, o CORINTHIANS voltou arrasador do intervalo e passou por cima de seu adversário. Hoje, em SANTA CATARINA, a equipe alvinegra derrotou a CHAPECOENSE por 2 a 0, na ARENA CONDÁ. Os meias RODRIGUINHO e MARQUINHOS GABRIEL anotaram os gols do TIMÃO.
Assim como aconteceu no último domingo, quando fez os quatro gols da goleada sobre o FLAMENGO no segundo tempo, o CORINTHIANS encontrou dificuldades para propor o jogo durante os 45 minutos iniciais.
Embalado no torneio de pontos corridos, o clube do PARQUE SÃO JORGE ficou com a mesma pontuação do PALMEIRAS (28). O arquirrival leva vantagem no saldo de gols (16 a 14) e tem um jogo a menos, contra o SANTOS,que será realizado nesta terça-feira, no ALLIANZ PARQUE.


Líder do ranking da WTA há três anos, a americana SERENA WILLIAMS faturou hoje seu sétimo título na grama de WIMBLEDON. Jogando contra a alemã ANGELIQUE KERBER (4ª) SERENA venceu por 2 sets a 0. Com mais este caneco, a tenista chegou ao 22º título de GRAND SLAM na carreira e igualou a marca da alemã STEFFI GRAF. Agora, está a apenas dois de alcançar a australiana MARGARET SMITH COURT, a maior vencedora de toda a história.

Restando pouco menos de um mês para o início dos JOGOS OLÍMPICOS DO RIO, a seleção brasileira feminina de vôlei encara amanhã seu maior desafio da temporada até agora. Vista como uma possível prévia da decisão olímpica, BRASIL e ESTADOS UNIDOS duelam amanhã cedo, em BANCOC, capital da TAILÂNDIA, pelo título do GRAND PRIX.
Atual bicampeão olímpico, o time comandado por JOSÉ ROBERTO GUIMARÃES conquistou a vaga na decisão do torneio depois de bater, sem grandes dificuldades, a HOLANDA, por 3 sets a 0.

Vencedor das duas últimas edições do GRANDE PRÊMIO DA INGLATERRA DE FÓRMULA 1, o inglês LEWIS HAMILTON, da MERCEDES, tem boas chances de conquistar a terceira vitória seguida em SILVERSTONE. Nesta manhã, o piloto conquistou o primeiro lugar no grid de largada da corrida, que acontece amanhã.
Grande rival de HAMILTON na temporada, NICO ROSBERG, que vem perdendo fôlego no campeonato, larga na segunda posição. O holandês MAX VERSTAPPEN e o australiano DANIEL RICCIARDO, ambos da RBR, serão, respectivamente, terceiro e quarto colocados no grid.
Já o brasileiro FELIPE MASSA, da WILLIAMS, não teve um bom dia. O piloto paulista não conseguiu se classificar para o Q3 e larga na modesta décima-segunda colocação. FELIPE NASR, o outro brasileiro da FÓRMULA 1, ficou com o 21º lugar.

O ex-presidente FERNANDO HENRIQUE CARDOSO, de 85 anos, foi internado hoje no Hospital do Coração, em SÃO PAULO, para receber um marca-passo, aparelho que corrige batimentos cardíacos mais lentos. O procedimento ocorreu durante a manhã, e o ex-presidente passa bem e já está no quarto. A expectativa era de que ele voltasse para casa ainda hoje e ficasse sem receber visitas pelos próximos dois dias. De acordo com informações da rádio CBN, o médico CARLOS ALBERTO TELES foi o cirurgião. O ex-presidente está acompanhado de sua mulher, PATRÍCIA KUNDRÁT.
XICO GRAZIANO, político e amigo de CARDOSO, disse em sua conta no TWITTER que “FH fez exames médicos de rotina e se julgou cauteloso colocar marco-passo para acompanhar seus batimentos cardíacos. Está em casa. Numa “boa”. Na página oficial de CARDOSO   

Um espanhol morreu e dois outros homens, incluindo um japonês, ficaram feridos nas corridas de touros da ESPANHA, hoje, terceiro dia do festival de SÃO FIRMINO, na cidade de PAMPLONA, no norte do país. O espanhol de 28 anos morreu depois que o chifre de um touro perfurou seu pulmão e coração durante uma corrida na VILA DE PEDREGUER, no sudeste do país, próxima a VALÊNCIA, disse um porta-voz do governo regional.
O touro que o atingiu quando ele tentava ajudar um outro participante do evento anual. Muitas  cidades espanholas realizam festivais com touros durante o verão. SÃO FIRMINO, festival de nove dias no qual os touros perseguem os corredores que usam lenços vermelhos pelas ruas de PAMPLONA, é o evento mais famoso, atraindo milhares de viajantes de todo o mundo. Hoje, na cidade, um japonês de 33 anos, foi atingido no peito e um espanhol de 24 anos, no braço, enquanto 12 outras pessoas sofreram ferimentos leves, informou o governo local em seu site. O japonês estava em condição estável no hospital, segundo o porta-voz do festival. É a segunda vez que a festa acaba em tragédia: no ano passado, outro participante morreu atingido por um touro.

XXXXX

Nenhum comentário: