segunda-feira, 4 de julho de 2016

ADMIRÁVEL MUNDO NOVO - ROBERTO DE ALMEIDA

OH !, ADMIRÁVEL MUNDO NOVO

Entrada
x

Roberto de Almeida

os)
para AraciGiselleMartaPaulotelfleschtelma-loboAndréRicardoricardoallegroRicardoRicardoricknnickeljoaolemosbarbo.JoaquimJoséTâmarajoseJosejosilspJoséJoseHelioDarioDarciDario
AMIGOS,

Depois  das  Operações  LAVA  JATO,  ZELOTES, SAQUEADOR,  BOCA  LIVRE,   ABISMO,  SÉPSIS  e  outras, somos  forçados  a   concluir  que,  numa  época  de  desemprego  em  massa,  de  inflação  em  alta,  ainda  existem  alguns  "nichos"  no  mercado.  A  realidade  aponta,  para  as  novas  gerações,  algumas  profissões  de  futuro.    "Doleiro"  e  "Operador  de  Propinas",  apesar  dos  riscos, ainda  são  opções  para  os  que  acreditam  na  pujança  do  pais,  e  na  "impunidade".      Em  baixa:   "tesoureiro"  do  PT.

Para  os  que  têm  disponibilidade de  algum  "capital",  uma  indústria  de  "futuro"  é  a  da  produção  de  "tornozeleiras   eletrônicas",  considerando  a  "tendência"  da  "justiça"  de  condenar  réus  a  "dormir  em  casa".    O  único  risco  contra  o  qual  o  futuro  empresário tem  que  se  precaver   é  o  "estado  pré-falimentar"   de  algumas  unidades  da  federação.

Enquanto  isso,  em  Brasília,  desenrola-se   mais  um  "capítulo"   da  novela  "Impeachment",  que,  na  REDE  GLOBO,  concorre,  pela  audiência,  com  as  novelas  das  6,  das  sete,  das  oito,  etc.

Ainda  em  Brasília,  "aquele   que  é,  sem  nunca  conseguir  ser",  o  nobre  Deputado,  Waldir  Maranhão,   após  reunião  com  LULA,  anuncia  um  "esforço  concentrado", na  Câmara,  para  analisar  os  problemas  do  pais.     Ora,  tomando  como  evidência  o  que  já  aconteceu  inúmeras  vezes  no  passado,   sabemos  que  "esforço  concentrado"  e  "inquérito  rigoroso"  são,  apenas,  "força de expressão".

Enquanto  isso,  na  terra  dos  "hermanos",  a  "ex"  Presidente  (desconheço  se  ela  pretende  ser  chamada  de  "Presidanta",  problemas  de  "gênero")   Cristina  Kirchner,    já  tem  que  responder  a  "69"  (número  "cabalístico")   "processos"   por  "corrupção",  "lavagem  de  dinheiro"  e  outros   "mal  feitos",  que  já  se   tornaram  corriqueiros   no  chamado  "cone  sul".  No  Chile,  "a"  Presidente,  socialista,  enfrenta  acusações  de  "corrupção";    na  Venezuela,  o   "quase",  já  afundou  o  pais,  os  peruanos  escaparam  por  pouco  de  eleger a  Fugimori.  Isto  já  não  é  coincidência  é  "predestinação".    Enquanto  isso,  nos  EUA,  dizem  que  Hillary,  cujo  passado  com  relação  ao ´"ítem"   "corrupção"  é  repleto  de  "controvérsias",  deverá  ser  a  primeira  mulher  Presidente.


Do  outro  lado  do  Atlântico   a   Inglaterra  diz  "adeus"  à  União  Européia.  Para  os  que  conhecem  a  história  o  resultado  do "plebiscito"  não  foi  uma  surpresa.  Desde  que  o  Primeiro  Ministro  Harold  Macmillan,  em  1961,  solicitou  a  participação  na  então  denominada  Comunidade  Econômica  Européia ,  a  referida  era  o que  parecia  oferecer  menos  à  Grã-Bretanha.   A  "commonwealt",  as  armas  nucleares  e  a  libra  esterlina  como  moeda  internacional,   já garantiam,  como  se  pensava  na  época,  a  independência  da  Grã  Bretanha.   E  o  entusiasmo  inglês  nunca  foi  muito  grande. 

As  "intermináveis"   discussões  com  a  França  de  De  Gaulle,  que  se  opunha  a  entrada  dos  ingleses,  e  que  fez   a  "adesão"  arrastar-se  por  vários  anos,  já  deixavam  claras  as  dúvidas  que  cercavam  a  entrada    dos  ingleses,  os  quais  nunca  foram  defensores  entusiastas  da  união.    


A  pergunta  que  se  coloca  agora  é:  QUEM  SERÁ  A  PRÓXIMA  A  DEIXAR  O  BARCO ?  Quem  viver  verá.

Nenhum comentário: