domingo, 17 de julho de 2016

ARMAS DE FOGO PARA "FORÇA DE GUERRA", "FORÇA DE PAZ", "FORÇA DE JUSTIÇA" E "FORÇA DE COMPETIÇÃO" - CORONEL PM NILSON GIRALDI.

ARMAS DE FOGO PARA "FORÇA DE GUERRA"; "FORÇA DE PAZ"; "FORÇA DE JUSTIÇA", E FORÇA DE COMPETIÇÃO **** 

Entrada
x

Nilson Giraldi


para Nilson
Prezados colegas Aspirantes de 1963
              
1. Face às constantes tragédias que têm atingido integrantes da sociedade e policiais em virtude de defeitos de armas de fogo nacionais, por eles utilizadas com a finalidade de servir e proteger essa sociedade e a eles próprios; podendo atingir, também, autoridades em virtude dos defeitos dessas mesmas armas por elas utilizadas para a sua defesa; e face às minhas intensas atividades na área, além de outras relacionadas, tenho sido acionado, constantemente, a dar minha opinião sobre as “armas de fogo mais indicadas, para fins policiais”, a ser utilizadas pelas Polícias Brasileiras; e também sobre as “armas de fogo mais indicadas, para fins de defesa”, a ser utilizadas por Autoridades (Magistrados, Promotores de Justiça, e outras); e como o assunto é de interesse de ambas as partessegue, abaixo, minha opinião sobre as mesmas, mas respeito os que têm opiniões diferentes:
1.1. Ver, ao final, alguns dos links (existem muitos) das tragédias provocadas por armas de fogo nacionais utilizadas por policiais com a finalidade de servir e proteger a sociedade e a eles próprios; podendo ocorrer o mesmo com autoridades que as usam; chegando o problema a tal ponto de gravidade, e recorrência cada vez maior dessas tragédias, que foi criado um grupo denominado “Vítimas da Taurus” cuja finalidade é denunciar as tragédias que essas armas estão provocando;
           2. As Forças Armadas são uma “força de guerra”. Elas existem para defesa do Estado. Elas têm inimigos. Seus integrantes têm que ser treinados para defender o Estado, para matar o inimigo, destruir o inimigo, de preferência a hora que ele menos espera, e à sua disposição têm que ser colocadas armas de fogo próprias, específicas e desenvolvidas para essas finalidades;
            2.1. As armas de fogo das Forças Armadas são “sinônimo de morte”, e seu treinamento tem que estar voltado para essa finalidade;
           3. As Polícias são uma “Força de Paz” a tal ponto que, em vários Estados, elas são chamadas de “Polícia Pacificadora”, embora todas sejam. Elas existem para defesa do cidadão e do próprio policial; para o agressor a lei! Elas não têm inimigo. Seus integrantes têm que ser treinados para servir e proteger a sociedade e a eles próprios, e à sua disposição têm que ser colocadas armas de fogo próprias, específicas e desenvolvidas para essas finalidades. O mesmo ocorre quando uma “Força de Guerra” é utilizada como “Força de Paz”;
           3.1. As armas de fogo das Polícias são “sinônimo de vida”, mesmo quando usadas para fazer cessar a ação de morte do agressor contra a sua vítima, pois o disparo do policial é a última alternativa, medida extrema para preservar vidas inocentes, incluindo a sua, e seu treinamento tem que estar voltado para essa finalidade;
            4. As autoridades (da Magistratura, Ministério Público, e outras) são uma “Força de Justiça”. Elas existem para aplicar Justiça. Seus integrantes têm que ser treinados para se defender de ameaças e possíveis ataques a que estão constantemente sujeitos; e à sua disposição têm que ser colocadas armas de fogo próprias, específicas, e desenvolvidas para essa finalidade;
            4.1. As armas de fogo das autoridades são “sinônimos de defesa”, e seu treinamento tem que estar voltado para essa finalidade;
            5. As diversas modalidades do tiro esportivo são uma “Força de Competição”. Elas existem para competições esportivas de tiro. Seus integrantes têm que ser treinados para essas competições, e à sua disposição têm que ser colocadas armas próprias, específicas, e desenvolvidas para essas finalidades;
            5.1. As armas de fogo do tiro esportivo são “sinônimo de competição”, e seu treinamento tem que estar voltado para essa finalidade;
           6. Assim, as Forças Armadas, que são uma “Força de Guerra”, têm que usar armas de fogo próprias, específicas e desenvolvidas “para a guerra”, e têm que treinar seus integrantes para essa finalidade;
6.1.  As Polícias, que são uma “Força de Paz”, têm que usar armas de fogo próprias, específicas e desenvolvidas “para fins policiais”, e têm que treinar seus integrantes para essa finalidade;
6.2. As autoridades, que são uma “Força de Justiça”, têm que usar armas de fogo próprias, específicas e desenvolvidas “para defesa”, e têm que treinar seus integrantes para essa finalidade; 
6.3. O Tiro Esportivo, que é uma “Força de Competição”, tem que usar armas de fogo próprias, específicas e desenvolvidas “para competições”, e têm que treinar seus integrantes para essa finalidade;
6.4. Embora todas elas possam matar as armas destinadas a um tipo de “força” não devem ser usadas para outro tipo de “força” (não devem ter desvio de finalidade), mas sim para a “força” para a qual foi especificamente desenvolvida;
           7. Pelas circunstâncias da vida; das minhas áreas de atuação, principalmente da policial onde atuo, nacional e internacionalmente, há mais de 63 anos; no tiro esportivo (“Tiro Olímpico”; “Tiro Prático” e “Tiro Policial”) onde atuei, nacional e internacionalmente, durante mais de 40 anos obtendo vitórias importantes, muitas com recordes, em quase todas as suas modalidades; e na convivência íntima que mantenho com autoridades e seus problemas de segurança também há mais de 50 anos, sou considerado, oficiosamente, um dos maiores especialistas em armas de fogo, do mundo, principalmente “para fins policiais” (“Força de Paz”), “para autoridades” (“Força de Justiça”), e “para fins esportivos” (“Força de Competição”). E, com base no que retro informei, esclareço o seguinte:
           7.1. Com relação às armas de porte para “fins policiais” (“Força de Paz”):
7.1.1. Mesmo na reserva presidi GTT, da PMESP, com a finalidade de estudar e propor qual a melhor pistola de porte ostensivo e calibre, entre as nacionais e estrangeiras, para o serviço policial, o qual, após mais seis meses de intensas atividades, pesquisas e testes em situações imitativas da realidade, concluiu, no seu relatório final, ser a pistola Glock, modelo G22, .40S&W, de origem austríaca, como a mais indicada e desenvolvida especialmente para “fins policiais” (“Força de Paz”);
7.1.2. Em seguida novamente presidi GTT integrado por policiais militares e policiais civis, de todo o País, para essa mesma finalidade, dessa vez sob responsabilidade do MINISTÉRIO DA JUSTIÇA- SENASP o qual, no relatório final, teve a mesma conclusão do GTT da PMESP, isto é: A pistola Glock, modelo G22, .40S&W, de origem austríaca, como a arma de porte mais indicada e desenvolvida especialmente para “fins policiais” (“Força de Paz”);
7.1.3. Há pouco mais de dois anos integrei, como um dos membros especializados no assunto, o GTT do MINISTÉRIO DA JUSTIÇA – SENASP, publicado no DOU, com a finalidade de indicar as características da melhor pistola semiautomática para “fins policiais” (“Força de Paz”), entre as nacionais e estrangeiras, destinada à “Força Nacional de Segurança Pública” e, consequentemente, às Polícias Estaduais, tendo em vista que as nacionais, colocadas à sua disposição, não estavam à altura das suas necessidades, o qual, após intensos estudos técnicos, teóricos, e intensivos testes de campo denominados de “tortura”, e usando inúmeras marcas e modelos de pistolas semiautomáticas, do Brasil e do exterior, com e na presença de representantes das respectivas fábricas, que puderam se manifestar, livremente, e executados por integrantes da própria “Força Nacional de Segurança Pública”, tudo filmado, registrado, catalogado, relatado e planilhado que, ao final dos seus trabalhos apresentou relatório reservado, minucioso, altamente técnico, científico, profissional e explicativo de quais seriam essas características, sem citar nomes ou procedências; 
7.1.3.1. Esclareço, no entanto, que as pistolas que apresentaram melhor desempenho em todos os quesitos e testes de campo, inclusive nos de “tortura”, foram as pistolas semiautomáticas Glock modelo G 22 (para serviço ostensivo) e modelo G 23 (para serviço velado), ambas de calibre .40 S&W;.
7.1.4. O GTT, para essa finalidade, manteve-se em atividade, ininterrupta, por mais de um ano;
7.1.5. Desconheço o destino e as providências relacionadas ao seu relatório final;
           7.2. Com relação às armas de porte “para autoridades” (“Força de Justiça”) a ser usadas “para defesa” e de forma velada:
            7.2.1. Durante mais de cinco décadas pesquisei, testei e apliquei em treinamentos imitativos da realidade, com autoridades (“Força de Justiça”), em todas as circunstâncias, e usando todos os tipos de armas de fogo, nacionais e estrangeiras, para essa finalidade;
8. Diante de todos esses fatos; dos “63 anos de estrada” lidando com armas de fogo; e de muitíssimas outras circunstâncias entre as quais: Estudos, levantamentos, pesquisas, aplicações em situações práticas imitativas da realidade por meio de representantes de todos os tipos físicos de policiais e de autoridades (masculinos e femininos), experiência e tempo de serviço (masculinos e femininos), em nível nacional e internacional, e com base nas neurociências quando das suas utilizações em treinamentos e aplicação em confrontos armados verdadeiros, tenho a opinar o seguinte: (Reitero: É minha opinião; respeito os que têm opiniões diferentes):
           8.1. Revólver: Já teve seu tempo de glória. Atualmente não está mais à altura das necessidades do policial para servir e proteger a sociedade e a si próprio;
            8.1.1. Também não de Autoridades para a sua defesa;
           8.2. Pistola semiautomática de porte para o “serviço policial ostensivo”: Uma das melhores do mundo, desenvolvida especialmente “para fins policiais” (“Força de Paz”), é a pistola Glock semiautomática modelo 22 (G 22), calibre .40 S&W, carregador para 15 cartuchos, com opção para 17, de origem austríaca; com certificação nos cinco continentes; de qualidade excepcional e preço altamente competitivo em relação às demais para a mesma finalidade;
8.2.1. Pistola semiautomática de porte para o “serviço policial velado”: Uma das melhores do mundo, desenvolvida especialmente “para fins policiais” (“Força de Paz”), é a Pistola Glock semiautomática modelo 23 (G 23), calibre .40 S&W, carregador para 13 cartuchos, com opção para 15 e 17 cartuchos, também de origem austríaca; com certificação nos cinco continentes; de qualidade excepcional e preço altamente competitivo em relação às demais para a mesma finalidade;
8.2.2. O DPF necessitando de pistolas à altura das suas necessidades substituiu as nacionais que possuía por pistolas Glock, no calibre 9mm, que é seu calibre oficial; e de preço inferior às nacionais;
8.2.2.1. Ainda no mês de novembro último 20 professores do DPF estiveram na sede do CPI-4 – Bauru, com a finalidade de participar de curso cujo objetivo foi formá-los professores do “Método Giraldi”® com essa arma. Milhares de disparos foram efetuados; não houve uma só falha ou incidente de tiro;
8.2.2.2. Mais de 80% das instituições policiais americanas usam pistola Glock, inclusive a Polícia de New York, embora os Estados Unidos seja um dos países que mais produz pistolas no mundo,
8.2.3. Pistola semiautomática de porte velado “para defesa”: Uma das melhores do mundo, desenvolvidas especialmente para “Autoridades” (“Força de Justiça”), é a pistola Glock modelo 27 (G 27) de calibre .40 S&W, carregador para 9 cartuchos, com opção para 11, 13, 15 e 17 cartuchos, também de origem austríaca; com certificação nos cinco continentes; de qualidade excepcional e preço altamente competitivo em relação às demais para a mesma finalidade. Compacta, pequena, confortável, leve, precisa e forte;
8.2.4. Esclareço que o tempo e o gasto de munição com pistolas Glock para deixar o policial ou a Autoridade em condições de usá-la para servir e proteger a sociedade e a si próprio são menores do que com outras marcas e modelos de pistolas; 
8.3. Espingarda semiautomática: Uma das melhores do mundo, desenvolvida especialmente “para fins policiais” (“Força de Paz”), é a “Benelli” semiautomática, calibre 12 (italiana); com certificação nos cinco continentes; de qualidade excepcional e preço altamente competitivo em relação às demais para a mesma finalidade;
8.3.1. O Exército Nacional adquiriu espingardas calibre 12, “Benelli”, semiautomáticas, para suas missões de paz, isto é, para “fins policiais” (“Força de Paz”);
8.4. Metralhadora portátil para fins policiais: Uma das melhores do mundo, desenvolvida especialmente para fins policiais (“Força de Paz”), é a “HK” alemã, calibre .40S&W (MP5/40) – (H.K.: Hekler & Koch); com certificação nos cinco continentes; de qualidade excepcional e preço altamente competitivo em relação às demais para a mesma finalidade;
           8.5. Carabina semiautomática para fins policiais. Uma das melhores do mundo, desenvolvida especialmente para fins policiais (“Força de Paz”), é a “carabina semiautomática .40S&W;  
8.6. Fuzil para fins policiais: Um dos melhores do mundo, desenvolvido especialmente para fins policiais (“Força de Paz”) pela “Heckler & Kock” (HK) da Alemanha, é o “HK G36”, de calibre 5.56, É o fuzil mais usado por forças policiais do mundo, e com certificação para essa finalidade nos cinco continentes; de qualidade excepcional e preço altamente competitivo em relação aos demais para a mesma finalidade;
9. Esclarecimento: Os Direitos Humanos são a conquista mais importante da humanidade em todos os tempos; eles são amplos, gerais e irrestritos;
9.1. E o Policial e as Autoridades também têm direito aos Direitos Humanos; só que o Policial e as Autoridades, em virtude das suas profissões, têm mais direitos humanos do que o cidadão comum;
9.2. E um desses direitos humanos é o Policial ter arma de fogo à altura das suas necessidades e confiança para servir e proteger a sociedade e a ele próprio; e as Autoridades para defesa própria;
9.3. No entanto exigem que o Policial e as Autoridades cumpram os Direitos Humanos, e que estas apliquem penas a quem não os cumprir, mas não respeitam seus direitos humanos um dos quais é o direito de possuir arma de fogo à altura das suas necessidades, e isso acaba provocando tragédias irreparáveis contra si e contra a sociedade;
10. SOLUÇÃO PARA TUDO O QUE FOI RETRO INFORMADO: Autorização para que as polícias estaduais (“Força de Paz”) adquiram, mediante licitação internacional, com participação de indústrias nacionais e estrangeiras, armas de fogo à altura das suas necessidades e confiança com a finalidade de servir e proteger a sociedade e seus integrantes; também as Autoridades (“Força de Justiça”), do contrário tragédias irreparáveis contra essa sociedade, contra Policiais e contra Autoridades continuarão a ocorrer.
Atenciosamente.
Nilson Giraldi – Cel PMESP
83 anos de idade; 63 anos de estrada “combatendo o bom combate, mas ainda sem terminar a corrida, e mantendo a fé”. 


E para aqueles (as) que ainda não assistiram minha entrevista para TV em que falo sobre o assunto, e outros, todos importantes a qualquer pessoa, ou a desejam assistir novamente, basta acionar o link abaixo.
Deus abençoe a todos (as); abençoe também suas Famílias e trabalhos.


Nenhum comentário: