sábado, 30 de julho de 2016

CASA GRANDE E SENZALA - DE ROBERTO GONÇALVES


De: Roberto Gonçalves <roberto.motivacao@gmail.com>
Data: 30 de julho de 2016 08:55
Assunto: Fwd:
Para: OS-YAhoo <os-unimos@yahoogrupos.com.br>, Marco Antonio Poletto
Poletto <polettomarco@folha.com.br>, ana saura <anasaura@gmail.com>,
Air Press Comércio de Gases <airpressoxigenio@terra.com.br>


---------- Mensagem encaminhada ----------
De: Jornal Alumínio Regional <colunajar@gmail.com>
Data: 28 de julho de 2016 14:16
Assunto: Re:
Para: Roberto Gonçalves <roberto.motivacao@gmail.com>


Boa tarde Roberto, recebido.

Sandro

Jornal de Alumínio Regional

Em 28 de julho de 2016 11:33, Roberto Gonçalves
<roberto.motivacao@gmail.com> escreveu:
>
> ---------- Mensagem encaminhada ----------
> De: Roberto Gonçalves <roberto.motivacao@gmail.com>
> Data: 28 de julho de 2016 11:32
> Assunto:
> Para: claudio.souza@ovale.com.br
>
>
>                     CASA  GRANDE  &  SENZALA
>
> Estamos vivendo o esplendor do século 21, com revoluções e inovações
> tecnológicas jamais imaginadas pela humanidade. Quem poderia pensar,
> um século atrás, no tempo do cinema mudo, que o povo  assistiria
> filmes, ouviria músicas, falaria com quem quisesse, vendo e ouvindo a
> pessoa num aparelho de mão, pouco maior que uma caixa de fósforos ?
> Mesmo as comunidades científicas, sempre à frente da sociedade, não
> ousariam afirmar que o homem chegaria à lua tão cedo, assim como
>  os estudiosos, nem de longe garantiam que a  longevidade humana
>  iria crescer a índices acima de todas as previsões. E temos ainda
> o século 21 quase inteiro pela frente para chegarmos à média tão
> sonhada de um século de vida.
> No mundo das grandes invenções, o Brasil tem se beneficiado, porque
> grandes empresas multinacionais se instalam por aqui, permitindo o
> acesso daqueles que dispõem de recursos para adquirir os produtos
> que melhoram a qualidade de vida da população.
> Na questão tecnológica, o Brasil está conectado com os países do
> primeiro mundo, recebendo as invenções quase ao mesmo tempo
> que as populações dos inventores Em contrapartida, continuamos
> abastecendo o primeiro mundo com nosso vitorioso agronegócio,
> principal atividade econômica brasileira em nossa pauta de
> exportações, sempre empurrando o Brasil para a frente.
> A reboque de nosso vitorioso agronegócio, iniciado com a predatória
> exportação do Pau-Brasil, passando por vários ciclos econômicos, com
> destaque para a Cana de açúcar, mineração, café, secundados por
> algodão, soja, cacau, borracha, pecuária,etc., vivemos hoje o brega
> sertanejo como principal destaque da música brasileira.
> A vitoriosa classe econômica beneficiada nesse Brasil que mora na
> Casa Grande é o retrato fiel de nossas instituições. Como os detentores
> do poder econômico, no regime capitalista, são sempre os detentores
> do poder político, permanece, na estrutura de nossos três poderes,
> o espírito seletivo e opressor da Casa Grande, mantendo a população,
> socialmente desarmada, na eternidade da Senzala.
> Na composição de sua obra prima, Casa Grande e Senzala, Gilberto
> Freire retratou o Brasil escravocrata, tempos que havia nobreza,
> reis e rainhas, condes e marqueses, barões e viscondes, punhos de
> renda, carruagens, valsas e danças importadas, porque as classes
> dominantes que habitavam as casas grandes tinham hábitos refinados,
> como acontece até hoje com as elites incrustradas nos três poderes.
> Enquanto a Casa Grande vivia, a Senzala ficava olhando.
> A nobreza da Casa Grande foi para os  Palácios  Alvorada, Jaburu
>  Bandeirantes, etc.
> Se o executivo e o legislativo, representantes da Casa Grande, precisam
>  do voto da senzala para se eleger, imagine então o Judiciário que não
> precisa passar pelo voto popular.
> O Brasil vive a revolução tecnológica, mas não consegue viver sua
> revolução social.
> Temos uma elite arraigada na Casa Grande, dominando os três poderes,
> enquanto o povo permanece na Senzala, alienado, incapaz de
> raciocinar politicamente.
> Somente o povo pode abolir a Senzala e transformar o Brasil numa
> imensa Casa Grande !
> Roberto Gonçalves é Cientista Político

Nenhum comentário: