quarta-feira, 6 de julho de 2016

VIOLÊNCIA - GENERAL TORRES DE MELO

VIOLÊNCIA

Entrada
x

TORRES DE MELO

)
para mim
VIOLÊNCIA
Durante quase 24 horas as nossas TV e rádios mostram os crimes, os
desastres automobilísticos nacionais e não satisfeitos lançam as desgraças
que acontecem no mundo, principalmente as ações terroristas.
Há programas policiais que chocam a quem assiste e até o prefeito do Rio
vai a TV criticar o sistema de segurança, como se ele não fosse, também,
responsável.
Há dois tipos de violência. A violência física e a violência ética. O
Brasil sofre, atualmente, estas duas violências em elevado grau. Parece,
para o brasileiro comum, pensa que a qualquer momento vai ser morto ou
assaltado por um bandido ou que o país vai se acabar pela quantidade de
roubo do colarinho branco.
O crime violento, combatido pela polícia de rua, é mostrado com toda a
transparência, dando a impressão que todos se matam não rua. Este grave
problema não é só de polícia. A grande culpa começa com a desagregação da
família, a falta de disciplina nas escolas e uma desigualdade social
brutal. Não é só a Polícia  a responsável. É todo um sistema falho, e sem
comando. Ou se faz a integra as informações e se isola da sociedade os
grandes bandidos e, principalmente, educa as crianças ou iremos fracassar
como sociedade.
A violência ética e social é muito mais grave do que a violência física.
Quem é mais prejudicial a sociedade: um crime passional ou um empresa que
rouba milhões? Lógico que é a segunda. A Lava Jato e outras operações estão
a mostrar a desgraça a que chegamos. Roubam milhões ou bilhões e há ainda
quem proteja estes bandidos, esta corja que rouba dinheiro do povo. Levam
meses, anos para se colar um bandido desse na cadeia e agora para eles
tornezeleira , em casa vendo TV e tomando vinho francês.
Mais uma vez vamos recorrer ao grande Rui Barbosa:
“JUSTIÇA TARDIA NADA MAIS É DO QUE INJUSTIÇA

INSTITUCIONALIZADA.”
Rui Barbosa
TEMOS JUSTIÇA? CADA UM QUE RESPONDA.
GRUPO GUARARAPES
GEN TORRES DE MELO
COORDENADOR

Nenhum comentário: