terça-feira, 5 de julho de 2016

SOLENIDADE ALUSIVA AOS 84 ANOS DA REVOLUÇÃO CONSTITUCIONALISTA NO INSTITUTO DE ENGENHARIA, EM PARCERIA COM O CONSELHO CÍVICO E CULTURAL DA ASSOCIAÇÃO COMERCIAL.


ASSOCIAÇÃO COMERCIAL DE SÃO PAULO CONVIDA PARA A CERIMÔNIA DE OUTORGA DO COLAR CARLOS DE SOUZA NAZARETH, DIA 04/07/2016 17H
A Associação Comercial de São Paulo e o Instituto de Engenharia têm a honra de convidá-lo(a) para a Cerimônia de Outorga do Colar Carlos de Souza Nazareth, em comemoração ao 84º aniversário do Movimento Constitucionalista de 1932.
Na solenidade serão homenageados:
Instituto de Engenharia
Importante participação no Movimento de 32
Maria da Glória Ribas Baumgart
Diretora de marketing do Shopping Center Norte
Profª Drª Nelly Martins Ferreira Candeias
Presidente do Instituto Histórico e Geográfico de São Paulo
Shigeaki Ueki
Ex-Ministro de Minas e Energia
Município de Cruzeiro
Capital da Revolução de 32
SERVIÇO: Cerimônia de Outorga do Colar Carlos de Souza Nazareth
Data: 4 de julho de 2016
Horário: 17h
Local: Instituto de Engenharia
Endereço: avenida Dr. Dante Pazzanese, 120 - Vila Mariana
Informações: (11) 3180-3337
Cerimônia de outorga do Colar Carlos de Souza Nazareth, em comemoração aos 100 anos do Instituto de Engenharia
Data 4 de julho de 2016
Início 17h00
Término 19h00
Local Instituto de Engenharia - Av. Dr. Dante Pazzanese, 120 - Vila Mariana - SP-SP
Desde 2002, o Conselho Cívico e Cultural da Associação Comercial de São Paulo incluiu entre seus objetivos a instituição de uma honraria destinada a homenagear pessoas físicas e jurídicas que se destacassem pela prática de ações de relevo em prol do bem comum, inspiradas no civismo e aperfeiçoamento da sociedade.
Por unanimidade, deliberou-se que a honraria seria na forma de Colar e levaria o nome de Carlos de Souza Nazareth, paulista histórico, que desde sua juventude já mostrava liderança e capacidade de trabalho, condições que o levaram, aos 33 anos de idade, à presidência da Associação Comercial de São Paulo, justamente quando eclodiu o Movimento Constitucionalista de 1932.
Carlos de Souza Nazareth foi uma figura providencial durante toda a campanha constitucionalista, propiciando, pela sua eficiência e valor pessoal, um excelente sistema de suprimentos e apoio logístico ao Exército Constitucionalista. Isso permitiu aos paulistas resistirem durante três meses à colossal concentração de tropas e material bélico que a ditadura mobilizou e lançou contra São Paulo.
Após a derrota militar paulista, Carlos de Souza Nazareth, juntamente com outros líderes constitucionalistas, foi preso e deportado para Portugal, só voltando ao Brasil após o retorno ao regime constitucional, quando foi eleito deputado da Assembleia Legislativa. Contudo, ele deixou definitivamente a vida política quando Getúlio Vargas desfechou o golpe de Estado de novembro de 1937, reimplantando a ditadura.
Carlos de Souza Nazareth faleceu em 28 de março de 1951, aos 52 anos de idade.
CurtirMostrar mais reações
Comentar

REVOLTA DOS CORONÉIS DA PM DO RIO DE JANEIRO. QUÊ VIRÁ DEPOIS DISSO? - MEUS CRÉDITOS AO CORONEL PM AMÉRICO TOGNETTI.



5 de 11.283

NÚCLEO DE CORRESPONDÊNCIA "VOLUNTÁRIOS DE PIRACICABA", DA SOCIEDADE VETERANOS DE 32-MMDC - palestra do TENENTE PM MANOEL SOBRE A REVOLUÇÃO DE 1932 NO 36ºBPMI (LIMEIRA)


Palestra Limeira

Entrada
x

Edson Rontani Júnior



para JBiajone2VP_2NCANAanderlasbazzovjCharlieEduardoEGYDIOGuilhermeGuιlhєrмєjf.aguiarmalusim53MarceloMartinsmarciomimNeusarovinaSoaressociedadeTiagoVP_2NCCamila

Na manhã do dia 05 de julho, teve prosseguimento a programação de atividades do Núcleo Voluntários de Piracicaba.

O Tenente Manoel, Vice Presidente, ministrou palestra aos Oficiais, Praças, e Alunos da Escola de Soldados do 36º BPM/I, em Limeira. Na oportunidade foi tratado sobre aspectos gerais do momento politico que desencadearam a Revolução Constitucionalista, e o papel da Força Pública no levante, e sua função como base para a criação do Exército Constitucionalista.

O Tenente Manoel, aproveitou a oportunidade para discorrer sobre a crise de valores que vivemos em nossa sociedade, e da necessidade de resgatarmos os ideais de união, civismo, e coragem que promoveram uma convergência entre o povo paulista e a sua força policial, na busca e manutenção de direitos básicos.

Ao final o Tenente Coronel Sorge, Comandante do 36º BPM/I, comentou sobre a importância do policial militar conhecer a sua história, e juntamente com o Major Mussoline entregou um Certificado em agradecimento ao Palestrante.

TUMOR REVERENCIAL POR TUMORES DE ESTIMAÇÃO - DE PÉRICLES CAPANEMA


4 de 11.278