quarta-feira, 1 de março de 2017

FALECIMENTO DO GENERAL DE BRIGADA EGÊO CORRÊA DE OLIVEIRA FREITAS - POR CORONEL CLÁUDIO MOREIRA BENTO

Gen Bda EGÊO CORRÊA DE OLIVEIRA FREITAS, NA MINHA MEMÓRIA
Por Cel CLAUDIO MOREIRA BENTO
Presidente e fundador da FAHIMTB, IHTRGS E ACANDHIS

Caixa de texto:  Faleceu em Porto Alegre, seu berço natal o muito estimado e muito apreciado, por sua notáveis qualidades e liderança o General Egeo Corrêa de Oliveira Freitas, próximo dos 92 anos de uma vida exemplar como cidadão e soldado
         Comandou a 8a Bda Inf Mtz de 14 Set 82 a 23 Abr 86, por quase quatro anos. Nasceu em Porto Alegre, em 25 Jul 25, filho de José Fagundes de Oliveira Freitas e de D. Dulce Corrêa. Casado com D. Therezinha Py, de cujo consórcio nasceram Marlene e Juarez. Possuía em 2005 quatro netos: Lucíola, Francisco, Daniela e Paulo Francisco, filhos de Marlene.
         Cursou a então Escola Militar de Resende (atual AMAN) onde foi declarado Asp Of de Cavalaria em 17 Dez 48. Portanto, foi o primeiro general egresso da AMAN, a comandar a 8 ª Brigada em Pelotas.
         Cursou a Escola Preparatória de Porto Alegre em 1943/45 e as escolas do Exército, de Equitação (1954), a EsAO, a ECEME (1962/64), o Curso de Informações da ESG (1970), e o Superior de Guerra, na mesma Escola. No exterior cursou o Colégio Interamericano de Defesa (1976/77). Serviu na tropa nos 7o RC, 2o RC Mec e no Regimento Escola de Cavalaria.
         Foi instrutor da ECEME e oficial de Gabinete do então Ministro da Guerra. Comandou o Regimento Osorio (então 3o RCD) em Porto Alegre onde o ajudamos a esclarecer questões relacionadas com o histó­rico da Unidade.
         Foi chefe da Sec/Planejamento do IIIo Exército (atual CMS), Chefe do EM da 6a DE, Sub-Chefe do EM/III Exército e comandante da 8a Bda Inf Mtz, cujo atual quartel general coube-lhe inaugurar e consolidar. Foi instrutor da EsSA e do CPOR/PA.
         Integrou o Corpo Permanente da ESG e a Delegação do Brasil na Junta Interamericana de Defesa (JID). Foi Delegado do Brasil na JID e comandante da Polícia Militar de Brasília/DF. Representou o EMFA junto à Comissão Censitária Nacional do IBGE.
         Sua carreira teve o seguinte curso: Ten em 24 Jun 45; 1o Ten em 25 Jul 51; e Cap em 25 Dez 53; E por merecimento: Maj em 24 Dez 61; Ten Cel em 25 Dez 66; e Cel em 30 Abr 74. Promovido a Gen Bda em 31 Jul 82, sendo transferido para a Reserva em 12 Mar 86.
         Recebeu as seguintes condecorações: Grande Oficial do Mérito Militar, Comendador do Mérito Naval e Aeronáutico, de Brasília e Judiciário Superior do Trabalho. Medalhas: Tiradentes, pelas PMGO, PMMG, PMDF, Cruz de Ferro e de Serviços Distin­tos pela Brigada Militar do RS, Pacificador, MéritoTamandaré e Militar (por mais de 40 anos de bons serviços).
         O General Egeo foi destacado esportista em equitação e praticou esgrima, Tiro e Pentatlo Moderno.
         Em 20 Set 85, cinquentenário da Revolução Farroupilha, pro­moveu palestra na Câmara de Vereadores de Pelotas da qual fo­mos orador e sobre os 150 anos da Revolução Farroupilha. Então nos distinguiu com brasão da 8a Bda Inf Mtz com a seguinte e estimulante dedicatória:

"Ao Cel Bento, historiador emérito, as homenagens da 8a Bda Inf Mtz. Pelotas, 20 setembro 1985".

Sesquicentenário da Revolução Farroupilha
         Na minha referida palestra, alusiva aos 150 anos da Revolução Farroupilha, promovida pela 8a Bda Inf Mtz, em 20 Set 1985, na Câmara de Vereadores de Pelotas, foi abordada a ação pacificadora do Duque de Caxias. Figuraram na Mesa Diretora: Gen R/1 Décio Vignoli; Gen Bda Egeo - comandante da 8a Bda Inf Mtz; Major R/1 Ângelo Pires Moreira - Presidente do IHGPel e bisneto do simbo­lista farrapo Bernardo Pires, e patrões de entidades nativistas.

            Despedidas do General Egeo (BI 23 Abr 1986 da 8ª Bda Inf Mtz)

Meus Comandados: Pela última vez assim os chamo. Pela última vez os vejo em forma sob meu comando, imóveis, disciplina­dos, cumprindo o ritual de uma solenidade militar. Pela última vez, cinjo à cintura, com muita honra, o sabre de Caxias. Pela última vez envergo o uniforme de General da minha Arma de origem, a Cavalaria. É o seu chefe que se retira, que passa o Comando, que encerra o ciclo de sua vida militar de mais de 43 anos de serviço, integralmente dedicados ao Exército e à atividade castrense.
Neste instante, vejo-me como vocês, em forma, a 17 de março de 1943, iniciando a minha longa, empolgante e, para mim, dignificante caminhada. Naquele dia, adolescente, desajeitado, mas também, imóvel, sentia-me tenso, pálido, mãos frias, emocionado. No meu íntimo, uma alegria e um orgulho indescritíveis - envergava, afinal, o uniforme do Exército Brasileiro. Iniciava com muito idealis­mo, com muita fé e com muita esperança, o sonho de ser soldado. E soldado no sentido lato do termo, em tudo que encerra de simpli­cidade e de grandeza; de dedicação e de renúncia; de coragem e de altivez, de respeito e de disciplina, de valores morais e de sen­timentos cívicos, de estudo e de reflexão, de capacitação profis­sional e intelectual, de vida austera e de entrega total ao serviço da nação.Impus-me, naquele dia, ser soldado e tão somente soldado.
Confesso que, dentro de minhas limitações, procurei ao lon­go desse tempo dar o melhor de mim ao Exército e, muitas vezes, com sinceridade afirmo, lamentei não ter conseguido corresponder à grandeza de suas missões.
A vida militar, como vocês sabem, é trabalhosa, penosa às vezes, e lenta a sua ascensão. Mas, por outro lado, pelos valores que persegue e pelas virtudes e atributos de caráter que exige e seus homens, dá e impõe uma formação que permite ao individuo um amplo e desafiante campo de afirmação. Ela é sóbria, austera, modesta. E pela renúncia e retribuições de ordem material, con­duz a nós à busca de satisfações de ordem moral.
Assim foi, dentro desses conceitos, que procurei orientar e condicionar minhas atitudes, comportamento e atividade profissional
Foi áspera, longa, lenta e continuada a caminhada. Mas não me foi, nunca, um pesado fardo. Foi tensa, por vezes, traba­lhosa, mas gratificante sempre. Levo as mais vivas e gratas recor­dações da grandeza d'alma e da generosidade dos nossos ho­mens e do valor profissional do nosso Exército.
Durante esses 43 anos, vivi Exército, pensei Exército, tra­balhei Exército e vibrei Exército. De toda a minha vida, no recôndi­to de minha alma, a honraria maior que poderia ter, seria a de ser considerado um verdadeiro Soldado, pelo perfil que de mim tiver ficado na lembrança de vocês do Comandante e do Chefe, pelas posturas que adotei e pelos exemplos que tenho dado.
Meus Companheiros: É chegado o momento da gratidão. Gratidão a Deus acima de tudo pela felicidade de ter seguido a carreira que tanto desejava.
Gratidão a meus pais, pela formação moral que proporcio­naram e pelo incentivo que me deram. Gratidão à minha mulher e a meus filhos pelo apoio e compreensão.
Gratidão aos meus mestres, comandantes, companheiros e subordinados em todos os tempos. Gratidão à minha 8a Bda Inf Mtz, minha primeira e única missão de General, onde pude exercer, na plenitude o comando de uma Grande Unidade e sentir e compro­var o alto valor moral e profissional dos quadros e da tropa.
Gratidão à generosa gente de nosso extremo-sul, pela fra­ternal acolhida e fidalga convivência, em particular, à dessa tradi­cional e culta cidade de Pelotas, donde levo as mais gratas recor­dações e saudades de muitos amigos. Gratidão a todas as autoridades da área pelo entendimento alto e convivência harmônica. Gratidão aos comandos superiores do Exército, do Vº COMAR e, em especial, do Vo Distrito Naval e da Brigada Militar, pelo apoio permanente e demonstrações de elevado espírito de camaradagem.
Meu caro General Sadi Lisboa Filho. Passo-lhe o Comando da 8ª Brigada de Infantaria Motorizada. Cumprimento-lhe pela comissão em que é investido Desejo a V. Exa. toda a felicidade e muito sucesso. O seu reconhecido valor, equilíbrio, dinamismo e espírito afável são penhores seguros do brilho que terá o seu comando e da sua pronta Integração à gente generosa de nossa terra.
Meus ex-comandados, meus companheiros, meus amigos, vou mirá-los um pouco mais, para que fique bem gravada em minha memória as imagens desse ato.
Termino aqui, neste momento, minha carreira militar. Sinto-me tenso e emocionado. Hoje, como há 43 anos, a encerro com a mesma Fé com o mesmo idealismo, com a mesma esperança na crescente grandeza de nosso Exército e na dignidade da nossa profissão.
Adeus meu Exército. Dispo a farda, mas não a dispo de minha alma. Fui soldado. Continuarei soldado. Adeus".

Estiveram presentes à cerimônia as seguintes autoridades: Gen Ex Paulo Campos Paiva, Cmt III Ex; Gen Div Floriano Aguilar Chagas, Cmt 6a DE; Gen Div Raimundo Maximiano Negrão Torres, Cmt 3a RM; Vice-AIte Henrique Otávio Aché Pilar, Cmt 5o DN; Gen Antônio Luiz Rocha Veneu, Ch EM IIIo Ex; Cel PM Ubirajara Sá Gomes, Chefe da Casa Militar do Governo Estadual; CMG Ayrton Silveira Bittencourt, Capitão dos Portos do RS; CMG Augusto José Souza Coimera, Ch EM 5o DN; Cel Rubens Amorim Souto, Cmt 6o GAC; Cel Tirteu Frota, Cmt 18° BI Mtz; Cel Valter Bazarov Cardoso Pinto, Cmt 9o BI Mtz; Cel Arlênio Souza da Costa, Cmt 19o BI Mtz; Cel Adilson Falcão da Mota, Cmt 8o B Log; Maj Adriano Pereira Júnior, Cmt 8o Esqd C Mec; TC Clóvis Defensor, Ch EM CPA/1; TC Waldir da Costa Gomes, Cmt 4o BPM; Cel Dalvo João Storchi, Ch CRO/3; TC Élcio Cláudio Castro Pereira, Cmt 3o Gl; Cap PM Ed­son Ruiz Pereira, Cmt SGI; José Maria da Silva, Vice-Prefeito de Pelotas; Lourenço da Silva Filho Ch Gab Prefeito de Rio Grande; Paulo Eduardo Brenner Soares, Reitor da UCPel; Cel Carlos Alberto Brilhante Ustra, ADIEx/ROU; Cel Carlos Bidegain, Cmt Bda Cav/3; CC Eduardo Gonçalves de Moraes, Delegado Cap Portos, Pelotas; Álvaro Gomes de Figueiredo, Gerente do Aeroporto; Alcides dos Anjos Teixeira, Deleg. PF; Prof. Basílio de Souza Barbosa, Dele­gado de Educação; Clair Lobo Rochefort, Diretor do Diário Popular; Cláudio Horácio Rodrigues Coelho, Diretor do SENAI; Edgar Lourent, Diretor TV Tuiuti; Érico Pegoraro, Dep Estadual; Prof. Platão Louzada Alves da Fonseca, Dir ETFPel; Pedro Machado Filho, ex-Prefeito de Pelotas; Exmo Sr. Juiz Roberto Antônio Lanas, Diretor Fórum Pelotas; Sérgio Almeida S. Soares, Coordenador 26a Reg. Trad.; Teófilo Salomão, Vereador; Zilda Morrone, Coord. Reg. de Educa­ção; Geraldo Macil, Conselheiro do MTG; Hélio Freitas, Editor Diá­rio da Manhã; Irotildes Duarte de Oliveira, Del Reg. Polícia; Italo Bachieri, Gerente CEF; João Augusto de Moraes, Pres. Núcleo LDN; José Pinto da S. Netto, Gerente Banco do Brasil; João Carlos Lanas, ex Dir-Fórum; Jomar Bessonat Laurino, Reitor FURG; Cel Juan C Reissig, Cmt da 3a DE; Gen Ignacio M. Bonifácio, Cmt BE; Cel Alberto F. Mira, Chefe do DEP/II/EME; Ten Cel Tabaré Acuna, Sv. Info. das Forças Armadas; Ten Cel Arturo Aguirre, do DEP ll/EME; Ten Cel Raul M. Saraiva, E2 da 3a DE.

Compunham o efetivo do Quartel-General os seguintes oficiais, Praças e Funcionários Civis:
Gen Bda Egeo Corrêa de Oliveira Freitas; Cel Inf QEMA Omar Lima Dias; Ten Cel Cav Orlando Centeno de Oliveira; Ten CelArt QEMA Maurílio Araçatu Balbino; Ten Cel Inf QEMA Sérgio Bianchi Zambonato; Maj Art QEMA José Carlos de Nardi; 1o Ten QAO Homero Fazio; Cap QAO Ingo Sturm; Cap QAO Satyro Vieira de Araújo Viegas; 2°Ten R/2 Int Bruno Nunes Bono; 2°Ten Méd Gil­berto Luiz Graff; SubTen Irassu Almeida Mendes; SubTen Alberi­co Marino Cruz; SubTen Nereu Nicanor F. Rodrigues; 1°Sgt Juvânio Guilherme Silva; 1°Sgt Carlos Ney Olart Estivalet; 1°Sgt Adriano Menezes Trindade; 10 Sgt Carlos Danilo Rodrigues Martins; 10 Sgt João Antônio Pinto da Silva; 1o Sgt Getúlio Jaques; 1o Sgt Edir Rodrigues Lessa; 1o Sgt Gilberto Silvio Ludtke; 1o Sgt Guaraci Alves Paz; 1o Sgt João Francisco Garcia Leal; 1o Sgt Paulo Neves Bonow; Sgt João Clóvis Oliveira de Quadros; 2o Sgt João Sérgio Marques da Costa; Sgt Adilson Moura de Freitas; 2o Sgt José Antônio da Silva Rodrigues; Sgt Flávio Farias Guerra; 2o Sgt Lidio Emílio Felix, Sgt Gilberto Brandt; Sgt João Verlei Bilhalva Pereira; 3o Sgt Pedro Roberto Waltmann de Freitas; 3o Sgt Carlos Umberto da Silva; 3o Sgt Lúcio Adão Gonzales; 3o Sgt Hegilberto Adão Steinles; Func. Civ. Alencar da Costa, Anna Ceny G. Olivei­ra, Glece Thereze Medina Nunes, José Francisco Rodrigues Go­mes, Nara Regina Couto Porciúncula, Neusa Maria Lopes Medeiros, Maria Lúcia Bartel Moura, Sandra Maria Rodrigues Moraes, Volney Rosa e Yara Gonçalves Saltão. (Transcrito do BI Esp Nr 6 da 8a Bda Inf Mtz de 25 Out 85).

Histórico da construção e da inauguração do novo QG
         Na data de 25 Out 1985, há 32 anos, foram inauguradas as novas instalações do QG da 8a Bda Inf Mtz. A criação deste QG teve origem em 14 Jan 1981, quan­do os vereadores Mansur Maluf, Élbio Abreu e José Karini propuse­ram à Câmara de Vereadores de Pelotas a expedição de mensa­gem em regime de urgência, ao Sr. Prefeito Municipal, solicitando a doação à União de área de 12 ha para sediar o QG da 8a Bda. O Sr. Prefeito Municipal, Irajá Andara Rodrigues, envia, en­tão, à Câmara de Vereadores a Mensagem nº 7.481 que encaminha projetos de Lei que doa à União/Ministério do Exército uma área de 68,5 ha situada no Bairro do Pestano.
Em 31 de Dezembro de 1981, a Lei Municipal nº 2703, afim de atender às exigências da União, altera dispositivos da Lei nº2689, confirmando, porém, a doação efetuada.
         A 8 de março de 1983, o Prefeito Municipal Bernardo Olavo Gomes de Souza assina, na Delegacia no Serviço do Patrimônio da União/RS, como Outorgante-Doador, o Contrato de Doação com Encargo. Em abril de 1983 iniciam-se as obras de construção do QG da Bda que, até a data da passagem de comando atingiram os seguintes custos: 1983: Cr$ 424.502.525; 1984: Cr$ 784.000.000. Estão incluídas as seguintes instalações com suas respec­tivas áreas construídas: Pavilhão do Comando: 1.320.75 m2; Rancho: 786.40 m2; Corpo da Guarda: 153.22 m2; Estação Rádio: 73.39 m2.             Todos nós viemos a este mundo e escrevemos nossa História. E o general Egeo escreveu uma bela e rica e exemplar história, no Exército Brasileiro e em especial na Arma de Cavalaria, se despedindo do Exército na terra onde o General Osorio - o legendário, residiu e deixou ilustre descendência, conformo a abordo em meu livro General Osório - o maior herói e líder popular brasileiro – Bicentenário. Resende: AHIMTB/IHTRGS, 2008; obra disponível em “Livros” para baixar no site da FAHIMTB www.ahimtb.org.br.
         Aqui os nossos sinceros pêsames em nome de todos os integrantes da FAHIMTB, IHTGRS e ACANDHIS à D. Terezinha Py, filha de meu professor na Escola Preparatória de Cadetes em 1952 e a seus filhos e netos que podem se orgulhar de ter um chefe de família à altura do General Egeo que ora nos deixa.
         Decorridos 16 anos da passagem de comando do Gen Egêo, dentro do Projeto História do Exército no Rio Grande do Sul publicamos, em parceria com o historiador militar Cel Luiz Ernani Caminha Giorgis, o livro cujas capas reproduzimos abaixo, com abas do Cel Omar Lima Dias, chefe do Estado-Maior do General Egeo. Apresentação do Gen Bda João Taceli Finamor Machado, comandante da 8ª Brigada de Infantaria Motorizada, em cujo Salão de Honra a obra foi lançada com toda a pompa e circunstância e já com o nome de Brigada Manoel Marques de Souza I, por nós indicado, e encaminhado pelo então comandante da Brigada Virgílio Ribeiro Muxfeldt. RECORDAR É REVIVER!!!
 
 
 













  






Nenhum comentário: