quarta-feira, 26 de abril de 2017

ESTIGMA - POR AILEDA DE MATTOS OLIVEIRA - CRÉDITOS A ÁLVARO PEDREIRA DE CERQUEIRA

Álvaro Pedreira de Cerqueira alvaropcerqueira@uol.com.br

para Arialdoeledaltonboanergesboanergesaguia.aderbalbacchib.antonioeliasso.babyabraocfocuselyesercacholasclovis.aticofernando.56.ca.fernando.batal.miltonbertocomarmauolisbpinheiropapanegrosilvio202tresse.espoesilasnortonsengvaldirfiorinielpescador2ffernandobbene.iacilton
De: Maria Lucia <mlucia@sercomtel.com.br>
Assunto: : ESTIGMA (Aileda)
Data: 25/04/2017 16:26:45 CEST
Artigo de minha amiga Aileda que vale a pena ler.
Maria Lucia

ESTIGMA
Aileda de Mattos Oliveira
Tratando-se de Brasil, impossível falar-se em ‘povo’ como a boa sociologia ensina, hoje, também ela vítima da hipocrisia do ‘politicamente correto’. Falemos, apenas, em ‘população de um território’. A parte atuante, além de reduzida proporção, é descontínua nas suas ações, sem que persiga até o final os objetivos lançados como bandeira.
Somos relativistas; satisfazemo-nos com conquistas pela metade. As vibrantes manifestações pelo impeachment da guerrilheira, não levaram em conta a retribuição de Lewandowski à sua madrinha, ao ‘rasgar’ a Constituição. Manteve os gastos da celerada para andar pelo mundo denegrindo o país. Manteve os direitos políticos da criminosa para que venha desgraçá-lo mais ainda.
O outro lado trabalha em bloco, sem se desviar, em nenhum momento, de suas malévolas intenções. Essa é a diferença!
Ignoro os desígnios do Alto, mas nos surpreende que uma terra tão vasta e rica e de natureza exuberante tenha sido reservada para morada de um povo geneticamente sem vitalidade, de passividade doentia. Saídos desse aglomerado amorfo, indivíduos degenerados seguem a carreira política para viverem na soberba do poder à custa dos que trabalham, mas sem maiores horizontes.
É um desperdício de território para gente sem coragem de progredir! Como uma terra tão próspera pôs no seu costado gente sem mobilidade, sem ambição e governantes apátridas, sempre rendidos a mercadores estrangeiros? Mas a resposta para esse fenômeno fica restrita aos estudiosos de assuntos transcendentais que, certamente, falarão em carma, palavra-chave que abre a porta para tudo o que é inexplicável.
Vamos aos fatos. Satisfeita com a engessada rotina e mirando apenas nos possíveis benefícios, o grosso dessa gente negocia a sua ignorância em favor de mais e mais direitos, mantendo-se nos estágios iniciais de evolução intelectual e política.
É uma silenciosa troca de favores entre meros ouvintes, ansiosos pelo mais prometido em palanque, e sagazes vozes de catedráticos em tirar proveito dessa estreita visão popular. Acordo tácito que cai como uma luva nos dedos ágeis e rapinantes da desmoralizada classe política, hoje, praticamente ré de intermináveis processos de ladroagem pública.
Quanto ao covil desta bandidagem, bastava pôr uma grade em volta do Congresso e estaria diminuído o trabalho da Polícia Federal com ordinários que subtraíram bilhões e bilhões que fariam o país crescer e dar a esse povo os direitos legais e os deveres a executar. Mais robustas, porém, ficaram as contas particulares dos desclassificados representantes desta republiqueta de Pedro Malazarte. (1)
Em troca dos direitos a todas as facilidades, o governo tirou dessa gente a educação de qualidade e deu-lhe como brinde a cartilha ideológica. Para não desperdiçar tempo com explicações a quem nada sabe e nada entende, fez da Pedagogia a sua porta-voz, elegendo-a como a nova musa do sistema educacional brasileiro, e ela, por sua vez, saúda em grande estilo o seu patrono, o velhaco Paulo Freire.
Como a ideologia tem um sistema próprio de atingir as mentes, para que aprender outro sistema, o da língua? Mesmo porque, a apreensão e depreensão do sistema da língua traria problemas aos pedagogos que teriam uma nova frente a se ocupar. Quem aprendesse a língua, aprenderia a pensar e iria questionar o sistema ideológico, e isso não está nos planos governamentais.
Entra em cena, então, a Linguística que passa a ocupar, como similar, o lugar da nossa pobre, frágil ex-“flor do Lácio”, como disse um dia em tom poético o nosso Bilac, sem imaginar que ela se transformaria em flor do pântano petista-esquerdista-socialista-comunista.
Essa disciplina, introduzida no Brasil na década de cinquenta do século passado, quer assumir o lugar da Língua Portuguesa que desde o século XIII vem sendo a transmissora da produção intelectual, diplomática, documental de Portugal e do Brasil, após a chegada das caravelas.
Quer dizer que já fomos civilizados? Sim, por incrível que pareça já tivemos uma fase de desenvolvimento dos ensinos básico, médio, superior, da literatura, do jornalismo, cuja explicação para tal fenômeno pode ser fundamentada no seguinte raciocínio: não existiam, até então, o PT e o bandido que o criou.
Esta sigla amaldiçoada congrega amaldiçoados agentes que são meros entes sem alma, mas repletos do que há de mais sujo e perverso no mundo. Ordinários atores, não de uma ficção, mas de uma realidade que a acomodada gente brasileira não tem coragem de exterminar por não saber reagir.
Outra vez é o diacho do relativismo. Paremos de dizer que “ruim com este que aí está, pior sem ele!”. Este também é péssimo; quer doar o país aos gringos. Temos que escolher o melhor, quem goste do Brasil, que olhe para seu interior, que ponha essa imensidão para desenvolver, dando educação a seu povo. Isto temos urgentemente que fazer!
Que sina a deste país! Pobre Brasil que nem gentílico (2) tem! Será sempre ‘brasileiro’, eterno ‘carregador (braçal) de pau-brasil’. Mudemos para ‘brasiliano’, que ‘brasiliense’ já tem dono.
Quem sabe se a palavra, agora sim, obediente às normas da língua quanto à nacionalidade, faz desaparecer o “complexo de vira-lata”, como bem caracterizou a nossa gente Nélson Rodrigues numa de suas certeiras caricaturas verbais.
(1) Figura folclórica, mas espertalhona, da literatura brasileira.
(2) Nome que identifica o nascido num país, estado, cidade.
(Dr.ª em Língua Portuguesa. Acadêmica Fundadora da ABD. Membro do CEBRES)

31º ANIVERSÁRIO DO CPA/M-8 - DIA 5 DE MAIO DE 2017, 10 HORAS.

Exibindo CONVITE.jpg

A VENEZUELA E AS ESQUERDAS BRASILEIRAS - BOLIVAR LAMOUNIER - MEUS CRÉDITOS AO ÁLVARO PEDREIRA DE CERQUEIRA

A VENEZUELA E AS ESQUERDAS BRASILEIRAS // Bolivar Lamounier

Entrada
x

Álvaro Pedreira de Cerqueira alvaropcerqueira@uol.com.br

24 de abr (Há 2 dias)
para Arialdoeledaltonboanergesboanergesaguia.aderbalbacchib.antonioeliasso.babyabraocfocuselyesercacholasclovis.aticofernando.56.ca.fernando.batal.miltonbertocomarmauolisbpinheiropapanegrosilvio202tresse.espoesilasnortonsengvaldirfiorinielpescador2ffernandobbene.iacilton
Especial para os comunistas Arialdo Pacello, César Cantu e FJD Santana demais “colegas” deles

A Venezuela e as esquerdas brasileiras Bolívar Lamounier*

Tivemos de aguardar 13 anos para nos livrarmos do vergonhoso apoio oficial ao chavismo

A A A

http://55ca7cd0-f8ac-0132-1185-705681baa5c1.s3-website-sa-east-1.amazonaws.com/defesanet/site/upload/news_image/2017/04/35949_resize_620_380_true_false_null.jpg
Tivemos de aguardar 13 anos para nos livrarmos do vergonhoso apoio oficial ao chavismo.

*Bolívar Lamounier
*Cientista político, sócio-diretor da Augurium Consultoria, membro das academias Paulista de Letras e Brasileira de Ciência e autor "Liberais e Antiliberais: a Luta Ideológica de Nosso Tempo"
(Companhias das Letras- 2016)

 Passo a passo, o legado chavista vai destruindo a Venezuela. Em vez de agir no sentido da reconciliação da sociedade, Nicolás Maduro, o sucessor de Hugo Chávez, parece querer dividi-la ainda mais. A realidade cotidiana do país é o desabastecimento generalizado e a miséria. Dias atrás os jornais estamparam uma foto de venezuelanos disputando restos de comida com urubus num aterro sanitário de Boa Vista (Roraima).
 
A alucinação de Maduro é de tal ordem que a hipótese de uma guerra civil não pode ser descartada. Informações divulgadas na semana passada dão conta de que ele estaria disposto a recrutar e armar 1 milhão de milicianos para “defender a soberania nacional”. Chefetes fascistas como o atual presidente venezuelano são, em geral, adeptos do blefe como tática política; admitindo, porém, que ele mobilize 300 mil ou 400 mil, as consequências funestas de sua opção logo se evidenciariam.
Cumprir tal ameaça seria um passo irreversível no sentido de uma ditadura totalitária, com a supressão do que lá ainda resta de liberdade, instituições e direitos humanos. Num abrir e fechar de olhos, o chavo-madurismo se firmaria entre os piores exemplos de tirania na América Latina; e nem estável seria, pois dificilmente conseguiria desarmar a horda pretoriana que terá criado.
Por mais trágica que seja, poucas vezes a História latino-americana se configurou tão claramente como uma luta entre o mal e o bem, ou entre o mal como realidade e o bem como uma tênue esperança de reconstrução. Nós, brasileiros, tivemos de aguardar 13 anos e meio para nos livrarmos do vergonhoso apoio oficial ao chavismo.
A famigerada política externa de Lula e Dilma Rousseff primou pela mais absoluta obtusidade, fruto de sua ideologia terceiro-mundista, de sua ignorância e – por que não dizê-lo? – de sua manifesta covardia. Um exemplo egrégio do que acabo de dizer foi o que Lula e sua comitiva nos deram em Cuba no dia 24 de fevereiro de 2010.
A cena está no YouTube, caso alguém a queira apreciar visualmente. Ao desembarcar em Havana, nosso então presidente tomou conhecimento da morte de um pobre-diabo chamado Orlando Zapata Tamayo, um encanador, preso como dissidente de consciência. Zapata morreu em sua cela após 85 dias em greve de fome. Claro, Lula, a primeira coisa que fez ao encontrar os irmãos Castro, foi pedir esclarecimentos e manifestar seu desejo de se avistar com dois ou três presos, certo? Errado.
O que o vídeo no YouTube nos mostra é um Lula subserviente, gaguejando palavras sem nexo e, naturalmente, culpando o miserável Tamayo pelo acontecido. Isso, é bom lembrar, num período em que o governo brasileiro prodigalizava apoio financeiro à ditadura cubana para a construção do porto de Mariel. Ora, Lula é o líder inconteste da esquerda brasileira. A maioria dos políticos, clérigos e intelectuais que se auto intitulam “de esquerda” se dedica diuturnamente a cultuar sua personalidade.
Voltemos, pois, à Venezuela. Ao evocar o que há anos se vem passando naquele país, é inevitável que nos vejamos como testemunhas da atitude das esquerdas brasileiras. Estas, com as exceções de praxe, notabilizam-se, como diria Nelson Rodrigues, por um silêncio “de estourar os tímpanos”. Não defendem os direitos humanos como conceito universal, e sim os direitos humanos de uma determinada faixa ideológica. Quem quiser compreender tal atitude deve começar pelo antiamericanismo.
Para o esquerdista brasileiro (ou para o latino-americano, em geral), ser indiscriminadamente contra os Estados Unidos é a credencial sine qua non de quem luta pelo progresso social e pelo bem da humanidade. O corolário desse posicionamento é que qualquer regime antiamericano é bom. Cuba é excelente; a teocracia iraniana é excelente; o chavo-madurismo pode não ser excelente, mas não é o caso de criticá-lo. É, no mínimo, um aliado em “nossa” luta contra o imperialismo.
Mas o antiamericanismo é somente a ponta emersa de um vasto iceberg. A parte submersa, em geral estruturada em torno da vulgata marxista, é a missão que as esquerdas se arrogam de conduzir a humanidade a algum paraíso terreno. Toda esquerda julga conhecer de antemão o caminho que leva a tal paraíso. Acredita deter de forma exclusiva o conhecimento e o know-how político necessários para a eliminação da pobreza e das desigualdades sociais, para a construção de um mundo transparente, sem trapaças nem corrupção, e para a implantação definitiva da fraternidade e da paz.
A realização desse supremo bem terreno é um dever do qual não se pode abrir mão. No limite, quem se vê dessa maneira não pode coerentemente aceitar o conceito da alternância no poder, pilar inarredável da democracia. Sim, o meu argumento requer pelo menos duas ressalvas. Primeiro, só uma pequena parcela da esquerda se mantém fiel ao marxismo intelectualizado dos velhos partidos comunistas.
O PT, por exemplo, é apoiado por milhares de estudantes, intelectuais e padres que nada leram de Marx. O que os caracteriza é um vago sentimento de justiça. Um anseio francamente utópico de solidariedade social. Uma rejeição da modernidade, a ser substituída por uma espécie de cristianismo das catacumbas. Isso é verdade, mas não altera o meu argumento.
O segundo ponto – e o PT serve outra vez como exemplo – é que a juventude idealista não tem grande influência na ação política. Os atores reais são homens práticos, profissionais e sindicalistas que não servem a ideias, apenas se servem delas. Outra verdade, muito bem ilustrada, aliás, pelo passado brasileiro recente.

PREPARANDO A RECEPÇÃO PARA O PRIMEIRO LADRÃO EM CURITIBA - MEUS CRÉDITOS AO CBB-NINHO.

Moderador CBB-Ninho 
25 de abr (11 horas atrás)
PREPARANDO A RECEPÇÃO PARA O PRIMEIRO LADRÃO EM CURITIBA
 24/04/2017] 
Exclusivo: Exército nas ruas de Curitiba para proteger Sérgio Moro e a DEMOCRACIA...😀
Curitiba, dia 03 de maio, não será tomada pelo exército vermelho de Stédile, Chicão e Eva Dal Schiavon.
Estará protegida pela Força Militar da 5ª Brigada de Cavalaria Blindada, estacionada em Ponta Grossa, há menos de 100 km do teatro de operações.
Quem imaginou que Curitiba seria transformada num "inferno" pelas "viúvas lulistas" cometeu um equívoco abissal.
Primário imaginar que as autoridades de segurança, agora coordenadas e comandadas por um "General Macho" do porte de Carlos Alberto dos Santos Cruz, iriam sucumbir e se acovardar no "grito", PERDEU!
Quem comandou no Congo e provou "o fogo" inimigo não se curvará diante de guerrilheiros de "palanque", miseráveis do "pão com mortadela" e trinta paus...
5 mil homens altamente treinados, comandados pelo General Combatente Jorge Roberto Lopes Fossi darão o ritmo de como os "forasteiros" deverão se comportar diante do Foro Federal de Curitiba...
As ameaças disparadas nas redes sociais contra o Juiz Sérgio Moro, partidas da mais abjeta militância defensora da corrupção, pilhagem e fragmentação do Estado de Direito, sucumbirão diante da altivez e da coragem dos brasileiros destacados para defender a verdadeira democracia.
O recado está dado!
Posted by CRISTALVOX on abril 22, 2017.
 24/04/2017: PEQUENO GRUPO DO EXÉRCITO JÁ ESTÁ POSICIONADO 24 HORAS POR DIA NA FRENTE DA JUSTIÇA FEDERAL
MAS ESTÃO CONECTADOS !
SERÁ UMA DAS MAIORES OPERAÇÕES DA HISTÓRIA DE CURITIBA
FALEI VÁRIAS VEZES COM O COMANDO DA POLÍCIA MILITAR :
ELES ODEIAM OS COMUNISTAS PETISTAS !
O PRIMEIRO COMUNISTA QUE ATACAR, SERÁ AGARRADO, ARRASTADO E PRESO !
A POLÍCIA MILITAR ODEIA OS COMUNISTAS
A POLÍCIA CIVIL ODEIA OS COMUNISTAS
A POLÍCIA FEDERAL ODEIA OS COMUNISTAS
O EXÉRCITO ODEIA OS COMUNISTAS


Livre de vírus. www.avast.com.



--
Anexos (1)
VID-20170424-WA0063.mp4
3 MB     Download
Clique aqui para Responder