segunda-feira, 27 de maio de 2019

A SOCIEDADE VETERANOS DE 32-MMDC IRÁ ATÉ SANTOS NO DIA 31 DE MAIO DE 2019 PARA CONDECORAR AUTORIDADES NA CÂMARA MUNICIPAL DA CIDADE COM A MEDALHA "HERÓIS DE 32"

Clique aqui para voltar à página inicialhttp://www.novomilenio.inf.br/santos/h0186e.htm
Última modificação em (mês/dia/ano/horário): 07/09/03 12:08:03
Clique na imagem para voltar à página principal
HISTÓRIAS E LENDAS DE SANTOS - 1932
Mausoléu para o soldado santista de 32 (A)

vias santistas têm nomes em homenagem à Revolução
Leva para a página anterior
Foram muitos os santistas que perderam a vida nos campos de batalha durante a revolução de 1932, sendo altamente elogiada a bravura dos civis e militares desta cidade demonstrada nesse movimento constitucionalista. Para homenageá-los, foi construído um monumento-mausoléu, na Praça José Bonifácio, incluindo uma cripta para ossuário dos combatentes santistas falecidos posteriormente.
Esse monumento foi assim descrito na edição de dezembro de 1977 (ano IV, número 38) do boletim Prodesan Informativo, editado em Santos pela empresa de economia mista Prodesan - Progresso e Desenvolvimento de Santos:

Monumento-mausoléu santista tem o nome Filhos de Bandeirantes
Foto publicada com a matéria
Mausoléu do Soldado Santista de 1932
Ao fim da Revolução Constitucionalista de 1932, cujos ideais foram consagrados com a promulgação da Constituição Federal de 1934, teve início na Cidade uma campanha visando à construção do Mausoléu do Soldado Santista de 1932, movimento que se estendeu por longos anos. Mas em 26 de janeiro de 1956, aniversário de Santos, o prefeito Antônio Feliciano inaugurava, na Praça José Bonifácio, a grandiosa obra Filhos de Bandeirantes, de Anselmo Del Debbio, destinada a abrigar os santistas heróicos que tombaram na patriótica jornada.
Muito antes, em 1935, uma Comissão Executiva - da qual faziam parte os drs. Antônio Teixeira de Assunção Neto e Nicanor Ortiz, juntamente com Giusfredo Santini e o padre João Batista de Carvalho - se reunia no Salão Nobre de A Tribunapara tomar conhecimento do projeto escolhido para o mausoléu, conforme o Edital de Concorrência Pública lançado em 1934.
De acordo com o júri - do qual faziam parte a pintora Guiomar Fagundes e o arquiteto Waldemar Knese Ferreira, pela Municipalidade; o professor Francisco Leopoldo da Silva, pela Comissão Pró-Mausoléu; e ainda o arquiteto Luís de Anhaia Melo e o escultor Eugênio Pratti, pelos concorrentes -, o primeiro lugar coube ao projeto denominado Filhos de Bandeirantes, ficando em segundo IX de Julho, de Galileu Emendabilli. Os trabalhos Glorificação, de Caetano Fraccarolli, e Non Ducor Duco, de J. B. Ferry, receberam menção honrosa.
Descrevendo sua obra, o autor cita textualmente: "... no alto do monumento, de granada na mão, o soldado destemido empunha para o mais alto a chama da liberdade. É o soldado presente projetando luz sobre o futuro, apontando para as gerações dos paulistas um destino de grandeza e glória".
O Brasão de São Paulo figura na face principal, tendo acima a inscrição IX-VII-MCMXXXII, e numa grande lápide gravados em relevo negativo e em ouro os nomes dos combatentes santistas mortos na revolução: Abel de Carvalho, Afonso de Simone Netto, Alfredo Schammas, Alfredo Ximenes, Álvaro Pires, Amadeu dos Santos, Anacleto Bernardes, Antônio de Araújo, Antônio A. Araújo, Antônio Damin, Antônio Gomes, Antônio N. Prado, Benedito G. Ricardo, Benedito A. do Nascimento, Carolino Rodrigues, Dagoberto Gasgon, Edgard de Vasconcelos, Eduardo A. dos Santos, Emílio Ribas, Eloy Fernandes, Firmino Barbosa, Godofredo Fraga, Indalécio Costa, Isaías Gomes, Ivampa Duarte Lisboa, Januário dos Santos, Joaquim Alves, João Maria, João Pinho, Lúcio Paim, Manoel Gonçalves, Othoniel M. Ferreira, Pedro Alba, Pérsio S. Queiroz Filho, Roberto Fernandes, Sebastião Chagas, Thiago Ferreira e César Mateus.
Uma rua e uma praça em Santos têm seus nomes em homenagem à Revolução Constitucionalista. As histórias dessas homenagens foram citadas assim pelo jornalista e escritor Olao Rodrigues, na obra Veja Santos! (edição do autor, 2ª edição, 1975, Santos/SP):9 de Julho
Rua - Bairros: Vila Belmiro/Marapé
C: Rua José Gonçalves da Mota Júnior
F: Avenida Dr. Nilo Peçanha

Quem propôs a denominação foi o vereador Felipe Folganes na sessão da Câmara Municipal realizada a 16 de setembro de 1948, ao justificar que os próprios moradores da então Projetada nº 105, em homenagem à Revolução Constitucionalista de São Paulo, requereram que a via pública viesse a receber o nome de 9 de Julho.
O vereador Isaac de Oliveira, alegando que o evento merecia consagração pública de maior destaque, ofereceu emenda em que era outorgado o nome de 9 de Julho à Avenida Ana Costa - emenda, aliás, rejeitada após demorada discussão.
Tinha o nº 145 o projeto de lei aprovado em segunda discussão naquela mesma sessão. Daí surgir a lei nº 988, de 30 de setembro de 1948, sancionada pelo prefeito municipal, sr. Rubens Ferreira Martins. É a homenagem pública à Revolução Constitucionalista de São Paulo que irrompeu a 9 de julho de 1932.
Voluntários Santistas
Praça - Bairro: Boqueirão
Encontrada na Rua Itapura de Miranda junto ao nº 1

Lei nº 906, de 21 de agosto de 1937, sancionada pelo prefeito municipal, sr. A. Iguatemi Martins, denominou Voluntários Santistas a Rua Projetada nº 303. Projeto de lei nº 43, aprovado em segunda discussão e sem debate na sessão da Câmara Municipal de 16 daquele mês e ano, sob a presidência do Dr. João Carlos de Azevedo.
Lei nº 3527, de 10 de abril de 1968, do prefeito municipal, engenheiro Sílvio Fernandes Lopes, em seu artigo 5º, determinou que a Rua Voluntários Santistas passasse a ter início na Rua Itapura de Miranda e término na Rua João Pinho, de acordo com o projeto de lei aprovado pela Câmara Municipal na sessão havida a 4 de abril de 1968.
Reflete homenagem de reconhecimento e exaltação de Santos aos voluntários do Município que participaram da Revolução Constitucionalista de São Paulo de 1932. Expressa, ademais, o preito de saudade aos soldados de Santos que tombaram no campo da honra, eternizada sua memória no monumento que se ergue na Praça Patriarca José Bonifácio.




Relação dos homenageados em Santos - 31.05.19

CORONEL RICARDO RIOMEI FUKUMOTO
CORONEL VINICIUS LABRUNA RODRIGUES
MAJOR PM CESAR AUGUSTO SAMPAIO TERRA
VINÍCIUS PEIXOTO IOZZI
CAPITÃO PM 990031-4 WILSON VACCARO MORAES
DANIEL AMÉRICO ROSA MENEZES – CAPITÃO DE MAR E GUERRA
CAPITÃO DE FRAGATA MARCELO ADAHIR VIEIRA FERRERA
PAULO EDUARDO FERREIRA LIMA JÚNIOR
SUBTENENTE WALLACE RAMOS COIMBRA
TENENTE CORONEL DE ARTILHARIA CARLOS HENRIQUE MARTINS ROCHA
TENENTE CORONEL DA PMSP DANIEL TENÓRIO DOS SANTOS
CAPITÃO PM 108463-1 FELIPE TORRES VIEIRA
MAJOR PM 901278-8 REINALDO ALMEIDA
CABO PM 111491-3 MARCELO SOBRAL
GENERAL DE BRIGADA ALEXANDRE DE ALMEIDA PORTO
ANTONIO ALVARES MONTEIRO
CLÉBER MENDES DE LIMA
DR. JOSÉ LUIZ MENDES COLMENERO
TENENTE CORONEL FRANCISCO JOSÉ FORMAGGIO
VEREADOR SERGIO SANTANA (Cabo PM Reformado)
DR. LUIZ RICARDO DE LARA DIAS JÚNIOR
DR. CARLOS TOPFER SCHNEIDER
DR. EDY WILLIAN TEDROS

DRA. LEYNER ANDRADE GOMES DOS SANTOS









Nenhum comentário: