sexta-feira, 10 de outubro de 2014

É DEVER DA IMPRENSA DENUNCIAR AS MARACUTÁIAS QUE ACONTECEM NO PAÍS.

Clique em mim!





 Clique em mim! 




Dilma mostra sua cara autoritária contra a imprensa. Fonte: GLOBO
A presidente Dilma fez uma de suas declarações mais infelizes essa semana, e olha que a lista é grande.  Demonstra, comodisse Ricardo Noblat, profunda ignorância acerca do papel do jornalismo, e se aproxima da postura autoritária de Lula sobre o assunto. Disse Dilma:
"Não é função da imprensa fazer investigação e sim divulgar informações.."  
O que Dilma finge desconhecer é justamente a enorme quantidade de denúncias e escândalos que vieram à tona somente graças às investigações da imprensa. Não fosse esse exaustivo trabalho de investigação dos jornalistas dos (poucos) veículos independentes que sobraram, inúmeros casos de desvio de recursos públicos sequer seriam de conhecimento do público.
A presidente Dilma diz com orgulho que são órgãos do seu governo que estão investigando os escândalos de corrupção na Petrobras: Polícia Federal, Ministério Público. Mas,contraditoriamente, pede, através do Ministro da Justiça, acesso aos depoimentos de Paulo Cesar Costa ao juiz Sérgio Moro. O Procurador-Geral da República negou o acesso, alegando que o processo corre sob segredo de justiça. Isso tudo acontece por que, diferentemente do que pensa a Presidente, o Ministério Público e a Polícia Federal são órgãos do Estado brasileiro, não do governo deste ou daquele partido.
No fundo, o PT adoraria transformar toda a imprensa em órgão oficial de propaganda do governo, divulgando apenas as “informações” previamente autorizadas. É o sonho de todo tirano, de todo ditador, de todo governista autoritário. Os poderosos não costumam apreciar esse papel da imprensa “enxerida”, que insiste em denunciar seus desmandos e “malfeitos”.
Para o bem da nação, que os jornalistas continuem investigando muito, e fazendo emergir do pântano da política a podridão que lá encontram.
Rodrigo Constantino

Nenhum comentário: