quinta-feira, 9 de maio de 2019

49 ANOS DO ASSASSINATO DO CAPITÃO PM ALBERTO MENDES JÚNIOR, EM 10 DE MAIO DE 1970..


Resultado de imagem para alberto mendes junior




  49 a. do assassinato do CAPITÃO PM ALBERTO MENDES JÚNIOR, em 10 de maio de 1970. Nasceu em 24 de janeiro de 1947. O MAJOR PM DEPUTADO ESTADUAL OLÍMPIO GOMES fez em 2007 a INDICAÇÃO Nº 303, publicada em Diário Oficial do Legislativo em 27 de março de 2007 e encaminhada ao governador do Estado em 13 de abril de 2007. Diz a Indicação: “INDICO, nos termos do artigo 159 da XII Consolidação do Regimento Interno, ao Excelentíssimo Senhor Governador do Estado que determine à Secretaria de Segurança Pública sejam realizados os estudos e adotadas as providências necessárias a possibilitar a promoção “post mortem” ao posto de Coronel PM do Capitão PM ALBERTO MENDES JÚNIOR, providenciando-se, também, posterior alteração da Lei de 18 de novembro de 1970, para que a pensão concedida aos seus genitores seja ajustada a este último posto da hierarquia da Polícia Militar do Estado de São Paulo.
Na Justificativa da Indicação, entre outros considerandos, o MAJOR OLÍMPIO salienta “.....Aqui no Estado de São Paulo, o 2º Tenente da Polícia Militar ALBERTO MENDES JÚNIOR, em 10 de maio de 1970, tombou no cumprimento do dever vitimado pelas ações de integrantes da organização política clandestina que tinha como um dos seus líderes o então guerrilheiro Carlos Lamarca, os quais atuavam no VALE DO RIBEIRA, onde houve o confronto. O Governo do Estado, mediante a expedição do Decreto de 10 de setembro de 1970 promoveu por bravura, a contar de 8 de maio de 1970, o 2º Tenente PM MENDES ao posto de 1º Tenente PM, e “post-mortem”, a contar de 10 de maio de 1970, ao posto de Capitão, conforme se constata de publicação inserta no Diário Oficial do Estado nº 170, de 11 de setembro de 1970. O Governo do Estado, ainda naquele fatídico ano de 1970, concedeu ao senhor ALBERTO MENDES e sua esposa, senhora ANGELINA PLÁCIDO MENDES, uma pensão mensal, vitalícia e intransferível, no valor correspondente aos vencimentos do posto de Capitão da Polícia Militar do Estado de São Paulo. O senhor e a senhora MENDES, octogenários, nascidos respectivamente, em 24-05-1924 e 10-09-1925, jamais receberam qualquer indenização dos governos federal ou estadual pela morte prematura de seu filho, o qual, se vivo fosse, por suas qualidades pessoais e profissionais, teria alcançado o último posto da oficialidade da Milícia Bandeirante. Assim, tem esta indicação o intuito de buscar sensibilizar sua excelência, o senhor Governador do Estado a determinar providências que possibilitem implementar junto à família MENDES os mesmos princípios de igualdade e justiça que impulsionaram a mais alta Corte do Poder Judiciário do Brasil a reconhecer a necessidade de reparar prejuízos causados à família Lamarca.
Nesta Indicação destacamos a promoção de Carlos Lamarca pela notoriedade de sua figura, no entanto é oportuno lembrar que o então Ministro da Justiça, senhor Márcio Thomaz Bastos, também propôs, no ano de 2003, a promoção a General-de-Brigada de Apolônio de Carvalho, ex-2º Tenente, expulso do Exército Brasileiro em 1935, sendo fundador e militante do Partido Comunista Brasileiro Revolucionário (PCBR) e, posteriormente, banido do País, em troca de um embaixador seqüestrado. Além disso, é público que conhecidas personalidade do mundo político, intelectual e artístico do País foram aquinhoadas com ressarcimentos e pensões, para si ou para os seus, benesses essas que jamais alcançaram a família MENDES.....”          
  49 a. das seguintes anotações, em 10 de maio de 1970, no meu diário: “Tendo de entrar de serviço neste sábado, como oficial de dia do Conjunto de Batalhões (2º, 11º e 12º BPs), vou cedo para SÃO PAULO. Passo pelo PÁTIO DO COLÉGIO e, às 11:30 horas, estou chegando no 11º BP. Recebo o serviço do 2º TENENTE SÉRGIO LUCHESI, do 2º BP. Como notícia estarrecedora temos um acontecimento desagradável no litoral sul. O ex-capitão do EB CARLOS LAMARCA, chefe dos subversivos em SÃO PAULO, numa emboscada, capturou, na última sexta-feira, dia 9, um oficial da Polícia Militar, 2º TENENTE MENDES JÚNIOR e mais dezoito praças. Bastante machucados, foram devolvidos um sargento e três ou quatro soldados. Um deles faleceu no Hospital Militar. LAMARCA mantém em seqüestro o tenente MENDES JÚNIOR e quatorze praças. Desconhece-se quais as finalidades do seqüestro. Isso é algo que deixa em situação aflitiva os componentes da Polícia Militar e, é nessa tensão nervosa que vou tirar meu serviço de Oficial de Dia.” 



EXTRAIDO DAS MEMÓRIAS DO VENTURA EM 10 DE MAIO DE 2001:
"São 15:30 horas quando tomo o metrô na PRAÇA DA SÉ, a fim de assistir a cerimônia do 31o. ANIVERSÁRIO DA MORTE DO CAPITÃO PM ALBERTO MENDES JÚNIOR, uma das páginas negras do terrorismo no VALE DO RIBEIRA, em 10 de maio de 1970. Uma solenidade lembrando a data acontece no pátio do 1o. BPChq, que tem o seu nome. O CORONEL RUI CÉSAR MELO, nosso COMANDANTE GERAL preside a cerimônia. Os pais do herói comparecem: Dona ANGELINA e Sr. ALBERTO MENDES. Vários coronéis estão presentes, quer da ativa e da reserva, principalmente aqueles que pertenceram a turma do Cap. MENDES JÚNIOR, entre eles:- IVAN MARQUES DE ALMEIDA, LUIZ CAVINATO NETO, PAULO GALANTE, NELSON  CHIAVONE, JOSÉ SAMPAIO LOPES (ainda na ativa, como tenente-coronel no. 2 do almanaque dos oficiais), DAVID GASPAR RIBEIRO FARIA, JOSIAS SAMPAIO LOPES (atual Cmt. da Guarda Civil de São Paulo), JÚLIO GOMES DA LUZ (atual Superintendente da Caixa Beneficente). Dos coronéis antigos: OCTÁVIO GOMES DE OLIVEIRA, ANTÔNIO CARLOS MENDES, NILTON DIVINO D'ADDIO. Dos CORONÉIS DA ATIVA:- OSVALDO DE BARROS JÚNIOR (Cmt. do Pol. Choque),ROBERTO JOSÉ MINOZZI NOGUEIRA (Coordenador do Policiamento Ostensivo), JOÃO BATISTA DOS SANTOS (Cmt. CFAP), JAIRO PAES DE LIRA (Cmt. da APMBB), JOÃO ROGÉRIO FELIZARDO(Adjunto do Corregedor PM), TOMAZ ALVES CANGERANA (Cmt. do CPAM-4).O CAPITÃO CAPELÃO OSVALDO PALÓPITO abençoa o monumento do Capitão ALBERTO MENDES JÚNIOR. Fala em nome da turma do herói o Cel. Res. GASPAR RIBEIRO FARIA, inclusive lendo um trabalho de redação feito pelo Cap. ALBERTO MENDES JÚNIOR, quando cadete do 1o. CFO "A", no. 18, datado de 1o. de dezembro de 1967. Depois o Cel. GASPAR distribui uma cópia desse documento histórico, que irei colocar em minhas memórias.
Compareceu nesta solenidade o conselheiro da Sociedade Veteranos de 32-MMDC, ARIOVALDO CHACUR, acompanhado de seu filho AFIF CHACUR. Também notamos a presença do CAIO ALFAYA e da juíza do Tribunal de Justiça Militar, ROSEANE PINHEIRO DE CASTRO, filha do Cel. Ref. ALCIONE PINHEIRO DE CASTRO.    
O ATUAL COMANDANTE DO 1o. BPChq é o TENENTE-CORONEL PM JOSÉ ROBERTO MARTINS MARQUES. Após a solenidade no 1º BPChq retorno a GUARULHOS curtindo uma gripe".





10 DE MAIO DE 2002 
Por volta das 16 horas, vou ao 1º Batalhão de Polícia de Choque, onde está acontecendo a solenidade comemorativa dos 32 anos da morte do herói da PM, CAPITÃO ALBERTO MENDES JÚNIOR, presidida pelo CORONEL FERNANDO PEREIRA. Estão presentes os CORONÉIS RUBENS CASADO e JAIRO PAES DE LIRA. O anfitrião é o Tenente-Coronel JOSÉ ROBERTO MARTINS MARQUES. Vários companheiros dos bancos escolares da Academia do Barro Branco do Capitão ALBERTO MENDES JÚNIOR estão presentes: NELSON CHIAVONE, JOSIAS SAMPAIO LOPES, JOSÉ SAMPAIO LOPES, CAIUBY ZIMMERMAN DA COSTA, PAULO GALANTE, JÚLIO GOMES DA LUZ e outros. Vejo também o meu companheiro de turma, CORONEL ANTÔNIO CARLOS MENDES, a quem transmito a infausta notícia dada pelo PINHO. O Cel. MENDES conta-me que saiu uma notícia sobre o TÚNEL NOVE DE JULHO, no jornal METRÔ NEWS. O CAIO ALFAYA, secretário do CONSELHO SUPREMO da Sociedade Veteranos de 32-MMDC, também está presente nesse evento. A parte religiosa fica a cargo do Tenente-Coronel Capelão JOÃO BENEDITO VILLANO. Mais uma vez vamos cumprimentar os pais do nosso herói: Dona ANGELINA e Sr. ALBERTO MENDES. 



10 DE MAIO DE 2005
Às 16 horas, acompanhado do CORONEL PM MENDES, comparecemos no 1º BPChq, a fim de assistir uma solenidade religiosa em lembrança aos trinta e cinco anos da morte violenta do CAPITÃO MENDES JÚNIOR. O Comandante Geral, CORONEL PM ELIZEU ECLAIR TEIXEIRA BORGES, preside essa solenidade. Mais uma vez estão presentes os pais do herói da PM, dona ANGELINA e Senhor ALBERTO MENDES, este, com sérias dificuldades para andar (problemas de saúde oriundos de diabetes e por causa de sua avançada idade). Diversos companheiros de bancos escolares do BARRO BRANCO do MENDES JÚNIOR estão lhe homenageando nesta tarde: PAULO GALANTE, IVAN MARQUES DE OLIVEIRA, LUIZ ANTÔNIO RUIVO FERREIRA, ANTÔNIO MARIA CLARET DE OLIVEIRA, NELSON CHIAVONE, JOSIAS SAMPAIO LOPES, JOSÉ SAMPAIO LOPES, JÚLIO GOMES DA LUZ (Superintendente da Caixa Beneficente), LINEU GUARDIANO. Notamos a presença do CORONEL PM JOSÉ ROBERTO MARTINS MARQUES (atual Comandante do Policiamento da Capital); do CORONEL PM TOMAZ ALVES CANGERANA (Comandante do Policiamento de Choque); do MAJOR FLÁVIO DIPIERI (Comandante interino do 3º BPChq); do CORONEL PM Res ROBERTO MENDES, primo do MENDES JÚNIOR e irmão do CORONEL PM ANTÔNIO CARLOS MENDES. A parte religiosa fica a cargo de um capelão da Aeronáutica e é ele que abençoa o Monumento do CAPITÃO PM ALBERTO MENDES JÚNIOR. Quem faz o discurso da turma é o CORONEL PM PAULO GALANTE. O Cmt Geral também enaltece a figura do herói, apanágio para as gerações mais novas da nossa Polícia Militar. Conversamos muito com o CORONEL PM Res CLARET, que trabalhou comigo na antiga 1ª Companhia do 11º BPM, comandada pelo então CAPITÃO CORDEIRO, nos anos 70. Eu era 1º tenente e ele 2º tenente. Outro que trabalhou comigo, o CORONEL PM Res RUIVO, em 1991, no CAES. Eu era o comandante e o RUIVO era MAJOR. Enfim, esses encontros têm o condão de reunir velhos conhecidos e recordar episódios de nossas vidas. 


10 DE MAIO DE 2006
Chegamos no quartel da ROTA no mesmo instante que também o Comandante Geral, CORONEL PM ELIZEU ECLAIR TEIXEIRA BORGES desce de seu carro para receber a continência. No salão nobre, conversamos com vários oficiais: CORONÉIS ANTÔNIO DOS SANTOS ANTÔNIO, RAOGESTON BENEDITO BIZARRIA DIAS, ISIDRO SUITA MARTINEZ, JORGE LUIZ PEREIRA, SAINT CLAIR DA ROCHA COUTINHO SOBRINHO, JOVIANO CONCEIÇÃO LIMA. Da reserva, estão presentes os CORONÉIS RALPH ROSÁRIO SOLIMEO, NELSON SCHIAVONE, BESSA, JOSIAS SAMPAIO LOPES, PAULO GALANTE, UBIRATAN GUIMARÃES, JOSÉ SAMPAIO LOPES, JÚLIO GOMES DA LUZ, LINEU GUARDIANO, LUIZ ANTÔNIO RUIVO FERREIRA, LUIZ CAVINATO NETO, ANTÔNIO CARLOS RUFINO FREIRE, JÚLIO CÉSAR VERLANGIERI FILHO, ANTÔNIO SAMPAIO FERREIRA PONTES, MARCO ANTÔNIO GÓIS, LUIZ ANTÔNIO SANTOS, ALEXANDRE FARRATH, DJALMA DÉCIO SOBRINHO, MANOEL CARLOS ABISSI NOGUEIRA, GÉRSON VITÓRIA, TENENTE-CORONEL PM ALMIR GONÇALVES ALBUQUERQUE (Comandante do 1º BPChq), TENENTE-CORONEL PM FÉLIX (Comandante do Regimento de Polícia Montada “9 DE JULHO”), MAJOR PM DIAS (Sub-Comandante do 1º BPChq), MAJOR PM ANDREOLI (Sub-Comandante do Regimento). Crianças da Escola “CAPITÃO PM ALBERTO MENDES JÚNIOR”, do Colégio da Polícia Militar, várias autoridades civis, como é o caso do CAIO ALFAYA, BIDUEIRA (da T.F.P.) 
Preside a solenidade o Juiz Presidente do Tribunal de Justiça Militar, IVANIR FERREIRA CASTILHO. Ele se faz acompanhar do CORONEL PM JUIZ PAULO ANTÔNIO PRAZAK, também Aspirante da turma de 1969. 

Comanda o dispositivo formado o CAPITÃO PM DANIEL AUGUSTO RAMOS INÁCIO. No pátio, sentados em cadeiras especialmente colocadas para eles, dona ANGELINA e senhor ALBERTO MENDES, pais do herói ALBERTO MENDES JÚNIOR (eles são tios do Cel MENDES, primo de MENDES JÚNIOR). O CAPITÃO CAPELÃO PM OSVALDO PALÓPITO vai exercer a parte religiosa da solenidade. A turma “TIRADENTES”, os aspirantes de 1969, companheiros de ALBERTO MENDES JÚNIOR, está, em sua maioria, presentes. O orador desta tarde é o 1º TENENTE DA RESERVA NÃO REMUNERADA, ANTÔNIO AUGUSTO DE OLIVEIRA, que se emociona muito ao fazer o seu pronunciamento (esse oficial pediu passagem para a reserva não remunerada para se empregar na ACESP. Depois foi ser professor universitário). Também são reverenciados oficiais e praças falecidos no cumprimento do dever, cujos nomes são acrescentados no painel dos heróis do 1º BPChq.




10 DE MAIO DE 2008
Por volta das 15:30 horas saio da Sociedade. Vou participar de outra solenidade. Agora, no pátio do 1º BPChq – 38º aniversário do assassinato do TENENTE PM MENDES JÚNIOR pelo facínora CARLOS LAMARCA. A turma do MENDES JÚNIOR sempre se reúne nesse evento. Não vejo os pais do nosso herói: ALBERTO MENDES e dona ANGELINA (eles estão adoentados e não puderam se locomover nesta tarde muito fria). O TENENTE-CORONEL PM DIAS recepciona seus convidados. Novamente vamos encontrar o CORONEL PM DANIEL BARBOSA RODRIGUEIRO, Sub-Cmt PM, a presidir uma solenidade. Também comparecem o CORONEL PM ARIVALDO SÉRGIO SALGADO, CORONEL PM JOSÉ PAULO MENEGUCCI (Corregedor PM), CORONEL PM JOVIANO CONCEIÇÃO LIMA (Comandante do Policiamento de Choque), CORONEL PM Ref NIOMAR CYRNE BEZERRA, CORONEL PM Res LIBÊNCIO FREIXO (trabalha na Caixa Beneficente), Deputado Estadual MAJOR PM OLÍMPIO, Deputado Estadual CAPITÃO PM CONTE LOPES, CORONEL PM Ref EDILBERTO DE OLIVEIRA MELO e os coronéis da reserva, pertencentes à turma do MENDES JÚNIOR: PAULO GALANTE, IVAN MARQUES DE OLIVEIRA, JOSIAS SAMPAIO LOPES, JOSÉ SAMPAIO LOPES, BESSA, MANOEL CARLOS ABISSI NOGUEIRA e outros. O CAPITÃO CAPELÃO OSWALDO PALÓPITO está encarregado da parte religiosa. Notamos a presença de alunos da Escola “CAPITÃO ALBERTO MENDES JÚNIOR”.
O CORONEL PM Res JOSIAS SAMPAIO LOPES é o orador da turma “TIRADENTES”. Ele fala da saga do MENDES JÚNIOR, sua trágica morte e os dias de hoje, onde marginais da época, terroristas e assassinos (como LAMARCA) estão sendo premiados pelo governo com polpudas indenizações, enquanto o herói MENDES JÚNIOR não recebe as devidas honrarias. Seus pais, ANGELINA e ALBERTO MENDES, com idades avançadas, apenas ficaram recebendo o salário devido ao capitão assassinado. JOSIAS mostra que estamos vivendo num momento onde os assassinos e bandidos dos anos 60/80 estão em altos escalões de governo e agora se vingando do regime anterior. Uma verdadeira inversão de valores.
DISCURSO DO CORONEL RES PM JOSIAS SAMPAIO LOPES AS 16 HORAS DE 09/05/2008
SAUDAÇÃO
Indicado para falar pela Turma Tiradentes, nesta data 09 de maio de 2008, em que se reverência a vida do nosso saudoso Herói Capitão PM Alberto Mendes Júnior, expresso a minha emoção, gratidão por ter a oportunidade de manifestar-me sobre a nossa convivência na atividade operacional e a sua vida na Corporação.
Aproximadamente nos 2 (dois) últimos meses do Curso de Formação de Oficiais (CFO), ou seja, primeiro trimestre de 1969 aproveitávamos as 4º feiras as quais éramos liberados às 13 horas e visitamos algumas Unidades da Corporação a fim de podermos efetuar a escolha para classificação ao término do Curso.
Escolhemos o então Batalhão de Presídios, o 15º BP e fomos atendidos.
O ano de 1.969, particularmente no Estado de São Paulo, havia se iniciado com um grande número de atos terroristas, ou seja, ataques a Quartéis, viaturas policiais, assaltos a bancos, etc. e neste quadro durante uma noite do final de maio de 1969 ocorreu uma invasão terrorista ao 15º BP tendo como resultado a morte de um soldado PM sentinela das armas e o auxiliar vitima de diversos tiros de metralhadora, foi reformado por incapacidade física e por este motivo o nosso período de estágio como Aspirante foi reduzido a fim de sermos logo apresentados ao então Batalhão de Presídios (15º BP).
Como todos os colegas de turma sabem o nosso Ten Mendes era possuidor de espírito jovial e alegre. Captou desde o começo a amizade de todos aqueles com que teve a oportunidade de privar, particularmente em nosso Batalhão o 15º BP. Era o alegre “PORTUGUÊS”, “TIGUEIS”, como era chamado pelos colegas, sempre sorridente, dedicava-se com denodo esforço ao serviço, desempenhando sempre com galhardia as missões que lhe eram confiadas.
Com estas qualidades foi escolhido e movimentado para o 1º Batalhão “Tobias de Aguiar” em 06 de fevereiro de 1.970.

Em fins de abril de 1970 era descoberto um foco de terroristas no Litoral Sul. Tropas do Exército Brasileiro, da FAB, Marinha e Polícia Militar do Estado de São Paulo, deslocaram-se para aquela região. Foi o 1º Batalhão "TOBIAS DE AGUIAR" designado pelo Comando Geral da Polícia Militar, para prestar apoio à Tropa da Companhia Independente sediada na Cidade de Registro.
Para lá seguiu o Tenente MENDES no comando de um pelotão, juntamente a outro efetivo comandado por outro Oficial, todos sob o comando do Capitão PM Carlos de Carvalho. Após uma semana naquela cidade, recebeu o Capitão ordens para regressar com um dos pelotões para São Paulo, deixando em Registro apenas um, comandado por um dos Oficiais. Não houve escolha, pois o Tenente MENDES apresentou-se e solicitou para que permanecesse, demonstrando mais uma vez sua dedicação ao serviço. 
Na noite de 08 de maio de 1970, noite do dia das mães, aproximadamente às 21:00 horas, Carlos Lamarca e mais seis militantes emboscaram cerca de 20 homens do Pelotão Comandado pelo 2º Tenente Alberto Mendes Junior – que decidiu se entregar como refém desde que seus subordinados feridos pudessem receber auxilio médico. Após providenciar o socorro de madrugada, desarmado, a pé e sozinho, o Tenente Mendes buscou contato com os terroristas que estavam com o restante dos seus homens, encontrou Lamarca que decidiu que  seguissem com seus companheiros para Sete Barras.
Na noite seguinte, dois guerrilheiros se extraviaram do grupo, depois de andarem um dia e meio, Lamarca acusou o Tenente Mendes de ter traído e ter causado a morte de seus dois comparsas. Um “Tribunal Revolucionário” condenou o Tenente Mendes à morte, dentre outras barbaridades indescritíveis, o executor inicial Fujimori aproximou-se pelas costas do Tenente Mendes esfacelando sua cabeça a golpes de fuzil. Participaram do assassinato, Lamarca, Diógenes Sobrosa de Sousa, Ariston Oliveira Lucena, Yoshitane Fujimore, Edmauro Gopfert, José Araújo da Nobrega e Gilberto Faria Lima.
Em 08 de setembro de 1970, o terrorista Lucena foi preso e apontou o local onde o Tenente Mendes estava enterrado, relatando o ocorrido.
Seu corpo foi encontrado apenas em 09 de setembro do mesmo ano. Foi velado na sede do Batalhão "TOBIAS DE AGUIAR", seguindo seu enterro a pé para o Cemitério do Araçá, naquele dia a cidade de São Paulo parou, calculando-se o acompanhamento de aproximadamente 100 mil pessoas entre militares e pessoas de todos os segmentos sociais.
Lamarca e seus seguidores são mencionados por alguns Órgãos da mídia como heróis, mas heróis não assassinam de forma cruel, não escondem os restos mortais da família, não torturam como ficou provado em vários processos que tramitaram na Justiça tais como as mortes do Guarda Civil Orlando Pinto Saraiva durante assalto simultâneo a bancos, o agente da policia federal Hélio Carvalho de Araújo executado durante um seqüestro, além de inúmeros outros cujos processos que foram trancados pela Justiça face a sua morte. É a GLÓRIA DA MENTIRA.
Lamarca foi casado com sua irmã de criação Maria Pavan Lamarca com a qual teve dois filhos, Cesar e Claudia.
Pela Comissão de Mortos e Desaparecidos Maria Pavan Lamarca recebeu os benefícios do posto de Capitão e uma indenização de R$ 100.000,00 isento do Imposto de Renda. Posteriormente a Comissão de Anistia concedeu-lhe o posto de Coronel com os benefícios do Posto de General de Brigada, desta forma a viúva oficial Maria Pavan Lamarca que tinha uma pensão de aproximadamente R$ 7.200,00 receberia o salário de General de Brigada que hoje corresponderia a R$ 12.152,61, mensais, indenização de R$ 902.715.97 e duas indenizações no valor total de R$ 200.000,00. Além de Maria Pavan os filhos Cesar e Claudia também foram considerados anistiados. De acordo com dados divulgados pelo Governo já foram concedidas indenizações entre 2002 e dezembro de 2007 no valor de R$ 2,3 bilhões, sendo que 24 pessoas receberam indenização acima de R$ 3 milhões.
Heróis não matam, não se tem noticia desta pratica pelo Marechal Duque de Caxias em suas inúmeras operações, responsáveis pela manutenção e a integridade do nosso território, nem o Marechal Rondon com sua tese sobre os índios “MATAR NUNCA, MORRER SE NECESSÁRIO”, Civilizador do Sertão, Marechal da Paz títulos concedidos por inúmeras entidades internacionais no inicio do século passado, nem Tiradentes, Mahatma Gandhi, Francisco Mendes, Marthin Luther King, etc. tenham defendido a violência, assim como Alberto Mendes Junior.
Tudo isso permite e obriga a uma conclusão: a de que o Tenente PM Alberto Mendes Junior, em sua curta existência de 23 anos realizou o ideal do herói e do santo. Quando chegou a sua vez e a sua hora ele as aceitou e as dominou, renunciando à oportunidade de fuga do dever, que, como uma espécie de última prova, lhe foi concretamente apresentada. Ele se tornou aquele “furacão dócil” de que fala Jacques Maritain (filósofo católico Francês) para definir o santo. E, na solidão dos seus últimos momentos, no mistério para sempre impenetrável desses momentos, ele soube realizar o milagre evangélico e dar sua vida pela suas ovelhas  – os seus soldados.
Depois de divulgar os vencimentos isentos do Imposto de Renda da viúva de Carlos Lamarca, gostaria de salientar que os pais do Capitão PM Alberto Mendes Junior recebem os vencimentos de Capitão em virtude da sua morte em serviço e pelo ato de bravura, que não correspondem nem a metade dos vencimentos da Viúva Lamarca e não serão transferidos para nenhum herdeiro. Não receberam nenhuma indenização do Governo Federal ou Estadual. Seus pais possuem idade avançada (83 e 84 anos), dentre outros sofrimentos da vida,  sofrem também  do mal de Alzheimer e Diabetes o que provoca ainda mais dificuldades financeiras de sobrevivência.
Assim, a Turma Tiradentes sugere ao Exmo Sr Comandante Geral da Corporação, o encaminhamento de proposta ao Governo do Estado para a promoção do Capitão Mendes Junior ao Posto de Coronel, por isonomia, por equidade, e por justiça. Também nos permitam lembrar as quatro indicações encaminhadas pelo Coronel PM Res Wanderley Silva no dia 10 de maio de 2007:
  1. Que o dia 10 de maio seja consagrado na Corporação ao dia do Herói - PM,
  2. Que haja publicação, em Boletim Geral concernente ao feito heróico a ser divulgado e transcrita anualmente por todas OPM, antecedendo o dia do Herói – PM,
  3. Que naquele dia haja solenidade interna de culto ao Herói – PM Alberto Mendes Junior, conjuntamente com os Heróis das outras OPM, dando-se a conhecer os seus feitos históricos, convidando as autoridades, a comunidade local e os familiares dos homenageados,
  4. Que sejam nominados de “Colégio da Policia Militar – ALBERTO MENDES JUNIOR”, todas as unidades escolares existentes e as que forem criadas;
  5. Que seja mantida, anualmente na sede do 1º BPCHOQ PM esta solenidade, a fim de se perpetuar a imagem do “Herói – PM Alberto Mendes Junior, integrante da historia de São Paulo e do Brasil.
Herói é Alberto Mendes Junior pelas suas atitudes e conduta de vida em beneficio da sociedade, em seu curto período de vida, herói da Policia Militar, herói do Estado de São Paulo, herói do nosso Brasil, herói da democracia. Muito obrigado!!!

Está presente o nosso presidente GINO STRUFFALDI e o coordenador da Comissão Cívica e Cultural da Associação Comercial, FRANCISCO GIANNOCCARO. Conversamos muito sobre os nossos eventos do mês de maio. Na segunda-feira, na reunião da Comissão Cívica e Cultural da Associação Comercial serão decididas outras medidas com respeito ao 19 de maio, na Faculdade de Direito do Largo de São Francisco e no dia 23, no Monumento Mausoléu do Soldado Constitucionalista.  






9 DE MAIO DE 2014
Vamos hoje cedo para o 1º BPChq. O aniversário da morte do nosso herói CAPITÃO PM ALBERTO MENDES JÚNIOR é comumente comemorado no dia 10 de maio. Mas neste ano será lembrado hoje, dia 9 de maio. Sempre compareço a essa solenidade triste, mas de alto significativo para a Polícia Militar do Estado de São Paulo. Chego cedo e posso cumprimentar muita gente conhecida. No salão nobre encontramos alguns dos oficiais da TURMA TIRADENTES, a qual pertenceu ALBERTO MENDES JÚNIOR. Mas muitos oficiais reformados, da reserva e ativa estão presentes. Talvez o mais antigo seja o CORONEL PM ROBERTO SALGADO, aos 84 anos, que no dia 7 já esteve presente ao aniversário do 2º BPChq. Nosso Comandante do Exército Constitucionalista, WILLIAM MASCARENHAS, chegou antes de mim e já tirou dezenas de fotografias, colocando-as no FACEBOOK. Os CORONÉIS PM NELSON CHIAVONE, JOSÉ SAMPAIO LOPES, JOSIAS SAMPAIO LOPES, ANTÔNIO CARLOS RUFINO FREIRE, MANOEL CARLOS ABISSI NOGUEIRA e outros da TURMA TIRADENTES estão reunidos para o culto ao nosso herói. CORONEL PM ANTONIO CARLOS MENDES é primo de MENDES JÚNIOR. Conta-me ele que o pai do herói, ALBERTO MENDES,  está internado em estado grave. Ele é seu tio. Dona ANGELINA PLÁCIDO MENDES, mãe de MENDES JÚNIOR já não mais pertence a este mundo. O ex-secretário da Segurança Pública, ANTONIO FERREIRA PINTO também se encontra no salão nobre do 1º BPChq. O Comandante do CPA/M-10 CORONEL PM NIVALDO CÉSAR RESTIVO chega logo depois.
Os vereadores: CORONEL PM ÁLVARO BATISTA CAMILO, CORONEL PM PAULO ADRIANO LOPES LUCINDA TELHADA, CAPITÃO PM ROBERVAL CONTE LOPES prestigiam o evento. Nosso Comandante Geral, CORONEL PM BENEDITO ROBERTO MEIRA recebe as honras da tropa formada, ladeado pelo Comandante do Policiamento de Choque, CORONEL PM CARLOS CELSO CASTELO BRANCO SAVIOLI e pelo Comandante do 1º BPChq, TENENTE-CORONEL PM TENÓRIO. Assistindo a essa cerimônia vejo coronéis da velha guarda da ROTA: BEZERRA, ARIVALDO SALGADO. Estão presentes dezenas de crianças. O CAPITÃO PM NOVAES permanece conosco durante uma boa parte da solenidade. Ele deverá ser promovido a MAJOR em 24 de maio e quer ser classificado no 37º BPMM, Atualmente ele comanda a 1ª Companhia do 5º BPMM, na zona norte, desde 2009, PARQUE NOVO MUNDO. No CAPÃO REDONDO, JARDIM ÂNGELA, o NOVAES comandou a 1ª Companhia do 37º BPMM. Ali serviu por dezesseis anos. Foi declarado ASPIRANTE A OFICIAL em 1993. Promete montar um núcleo da Sociedade Veteranos de 32-MMDC na zona sul, caso se concretize a sua classificação no 37º BPMM. 
O CORONEL PM JOSÉ SAMPAIO LOPES faz um emocionante discurso, em nome da TURMA TIRADENTES, ao herói MENDES JÚNIOR.
DISCURSO DO CEL PM JOSÉ SAMPAIO LOPES
09/05/2014 – 10 horas
Saudação as autoridades e aos Convidados ......  presentes
Mencionar os nomes dos colegas de Turma/1969 presentes.
SAUDAÇÃO ESPECIAl AOS FAMILIARES DO CAP. PM ALBERTO MENDES JUNIOR
Indicado para falar pela Turma Tiradentes, nesta data 09 de maio de 2014, em que se reverência a vida do nosso saudoso Herói Capitão PM Alberto Mendes Júnior, expresso a minha emoção, gratidão por ter a oportunidade de manifestar-me, de fazer um testemunho sobre a nossa convivência na atividade operacional e a sua vida na Corporação.
Infelizmente vamos relembrar o ano de 1.969, que, particularmente no Estado de São Paulo, havia se iniciado com um grande número de atos terroristas, ou seja, ataques a Quartéis, viaturas policiais, assaltos a bancos, assassinatos, etc. e neste quadro durante uma noite do final de maio de 1969 ocorreu uma invasão terrorista ao então 15º BP-PRESÍDIOS, , tendo como resultado a morte de um soldado PM sentinela das armas e o auxiliar vitima de diversos tiros de metralhadora, foi reformado por incapacidade física e por este motivo o  período de estágio como Aspirante do nosso  Herói e do seu colega também classificado no 15º B P  foi reduzido a fim de serem  logo apresentados ao então Batalhão de Presídios (15º BP).
Como todos os colegas de turma sabem o nosso Ten Mendes era possuidor de espírito jovial e alegre. Captou desde o começo a amizade de todos aqueles com quem  teve a oportunidade de privar, particularmente no Batalhão, o 15º BP. Era o alegre “PORTUGUÊS”, “TIGUEIS”, como era chamado pelos colegas, sempre sorridente, dedicava-se com denodo esforço ao serviço, desempenhando sempre com galhardia as missões que lhe eram confiadas.
Com estas qualidades foi escolhido e movimentado para o 1º Batalhão “Tobias de Aguiar” em 06 de fevereiro de 1.970.
Em fins de abril de 1970 era descoberto um foco de terroristas no Litoral Sul. Tropas do Exército Brasileiro, da FAB, Marinha e Polícia Militar do Estado de São Paulo, deslocaram-se para aquela região. Foi o 1º Batalhão "TOBIAS DE AGUIAR" designado pelo Comando Geral da Polícia Militar, para prestar apoio à Tropa da Companhia Independente sediada na Cidade de Registro.
Para lá seguiu o Tenente MENDES no comando de um pelotão, juntamente a outro efetivo comandado por outro Oficial, todos sob o comando do Capitão PM Carlos de Carvalho. Após uma semana naquela cidade, recebeu o Capitão ordens para regressar com um dos pelotões para São Paulo, deixando em Registro apenas um, comandado por um dos Oficiais. Não houve escolha, pois o Tenente MENDES apresentou-se e solicitou para que permanecesse, demonstrando mais uma vez sua dedicação ao serviço. 
Na noite de 08 de maio de 1970, noite do dia das mães, aproximadamente às 21:00 horas,  o marginal  Carlos Lamarca, Capitão do Exército Brasileiro, comunista,  desertor, traidor e mais seis militantes, da organização terrorista intitulada Vanguarda Popular Revolucionária – V P R,  posteriormente Var-Palmares e depois fundindo-se com outra a Colina, emboscaram cerca de 20 homens do Pelotão Comandado pelo 2º Tenente PM Alberto Mendes Junior – que decidiu se entregar como refém desde que seus subordinados feridos pudessem receber auxilio médico. Após providenciar o socorro de madrugada, desarmado, a pé e sozinho, o Tenente Mendes buscou contato com os terroristas que estavam com o restante dos seus homens, encontrou o marginal Lamarca que decidiu que seguisse com seus companheiros para Sete Barras.
Na noite seguinte, dois guerrilheiros se extraviaram do grupo, depois de andarem um dia e meio, o marginal Lamarca acusou o Tenente Mendes de ter traído e ter causado a morte de seus dois comparsas. Um “Tribunal Revolucionário” condenou o Tenente Mendes à morte, dentre outras barbaridades indescritíveis, o executor inicial Fujimori aproximou-se pelas costas do Tenente Mendes esfacelando sua cabeça a golpes de fuzil. Participaram do assassinato, Lamarca, Diógenes Sobrosa de Sousa, Ariston Oliveira Lucena, Yoshitane Fujimore, Edmauro Gopfert, José Araújo da Nobrega e Gilberto Faria Lima e outros das mencionadas Organizações Subversivas que deram apoio e andam por aí, até ocupando cargos públicos.
Em 08 de setembro de 1970, o terrorista Lucena foi preso e apontou o local onde o Tenente Mendes estava enterrado, relatando o ocorrido.
Seu corpo foi encontrado apenas em 09 de setembro do mesmo ano. Foi velado na sede do Batalhão "TOBIAS DE AGUIAR", seguindo seu enterro a pé para o Cemitério do Araçá. Naquele dia a cidade de São Paulo parou, calculando-se o acompanhamento de aproximadamente 100 mil pessoas entre militares e pessoas de todos os segmentos sociais.
O marginal Lamarca e seus seguidores são mencionados por alguns Órgãos da mídia como heróis, mas heróis não assassinam de forma cruel, não escondem os restos mortais da família, não torturam como ficou provado em vários processos que tramitaram na Justiça, tais como as mortes do Guarda Civil Orlando Pinto Saraiva durante assalto simultâneo a bancos, do gerente de banco Norberto Droconetti, o agente da Policia Federal Hélio Carvalho de Araújo executado durante um seqüestro, além de inúmeros outros, inclusive donas de casa, cujos processos foram trancados pela Justiça face a sua morte. É A GLÓRIA DA MENTIRA.
O marginal Lamarca foi casado com sua irmã de criação Maria Pavan Lamarca com a qual teve dois filhos, Cesar e Claudia.
Pela Comissão de Mortos e Desaparecidos Maria Pavan Lamarca recebeu os benefícios do posto de Capitão e uma indenização de R$ 100.000,00 isento do Imposto de Renda. Posteriormente a Comissão de Anistia concedeu-lhe o posto de Coronel com os benefícios do Posto de General de Brigada, desta forma a viúva oficial Maria Pavan Lamarca que tinha uma pensão de aproximadamente R$ 7.200,00 receberia o salário de General de Brigada que na época corresponderia a R$ 14.196,00 mensais, indenização de R$ 902.715.97 e duas indenizações no valor total de R$ 200.000,00. Além de Maria Pavan os filhos Cesar e Claudia também foram considerados anistiados. De acordo com dados divulgados pelo Governo já foram concedidas indenizações entre 2002 a dezembro de 2007 no valor de R$ 2,6 bilhões, sendo que 24 pessoas receberam indenização acima de R$ 3 milhões.
Mas a despesa total parece um saco sem fundo, pois o protocolo da Comissão de Anistia é permanentemente aberto em se tratando de violações imprescritíveis, e cuja reparação pode ser requerida a qualquer tempo. Vejam que até 17 de janeiro de 2010 de 65.000 processos, restavam 12.000 pedidos, e mais 3.500 recursos a serem julgados, o que provavelmente ocasionará uma despesa total de 4 bilhões de reais.
Diante das decisões do governo de indenizar indevidamente a família do delinquente Lamarca, o Clube Militar do Estado do Rio de Janeiro requereu a Justiça Federal a anulação da anistia post-mortem de Lamarca e proventos de General de Brigada. Em 05 de março de 2010 foi concedida decisão liminar para suspender a anistia ao ex-guerrilheiro comunista Lamarca, e a seguir tal decisão foi mantida pelo Tribunal até o julgamento do mérito da ação, haja vista recurso impetrado pela família do guerrilheiro.
Conforme dados do Governo federal, divulgados recentemente pela imprensa  são 43.000, quarenta e treis mil pessoas beneficiarias daquilo que a grande imprensa chama de Bolsa Ditadura.
Heróis não matam, não se tem noticia desta pratica pelo Marechal Duque de Caxias em suas inúmeras operações, responsáveis pela manutenção e a integridade do nosso território, nem o Marechal Rondon com sua tese sobre os índios “MATAR NUNCA, MORRER SE NECESSÁRIO”, Civilizador do Sertão, Marechal da Paz, títulos concedidos por inúmeras entidades internacionais no inicio do século passado, nem Tiradentes, Mahatma Gandhi, Francisco Mendes, Marthin Luther King, etc. tenham defendido a violência, assim como Alberto Mendes Junior.
Tudo isso permite e obriga a uma conclusão: a de que o Tenente PM Alberto Mendes Junior, em sua curta existência de 23 anos realizou o ideal do herói e do santo. Quando chegou a sua vez e a sua hora ele as aceitou e as dominou, renunciando à oportunidade de fuga do dever, que, como uma espécie de última prova, lhe foi concretamente apresentada. Ele se tornou aquele “furacão dócil” de que fala Jacques Maritain (filósofo católico Francês) para definir o santo. E, na solidão dos seus últimos momentos, no mistério para sempre impenetrável desses momentos, ele soube realizar o milagre evangélico e dar sua vida pela suas ovelhas  – os seus soldados.
Guerrilha não é caderneta de poupança. Terrorismo não é investimento em bolsa de valores.
Depois de divulgar os vencimentos isentos do Imposto de Renda da viúva do marginal  Carlos Lamarca, gostaria de salientar que os pais do Capitão PM Alberto Mendes Junior recebiam  apenas  a pensão de Capitão, em virtude da sua morte em serviço e pelo ato de bravura, sendo que cada um recebia uma metade e com o falecimento da Mãe Dona Angelina, a São Paulo Previdência – SPPREV, entendeu que o pai   permaneceria  apenas e unicamente com a sua metade e que já recebia.
Considerando a pensão integral de Capitão PM,   ela  não corresponde  nem a metade dos vencimentos da Viúva Lamarca e não serão transferidos para nenhum herdeiro. Não receberam nenhuma indenização do Governo Federal ou Estadual. Seu pai possui idade avançada, 90 anos, dentre outros sofrimentos da vida, e outros males de saúde, sofre também do mal de Alzheimer e Diabetes o que provoca ainda mais dificuldades financeiras de sobrevivência.
Assim, a Turma Tiradentes reitera a sugestão ao Exmo Sr Comandante Geral da Corporação, presente nesta Solenidade de encaminhamento de proposta ao Governo do Estado para a promoção do Capitão Mendes Junior ao Posto de Coronel, por isonomia, por equidade, e por justiça. Também nos permitam lembrar e reiterar as quatro indicações encaminhadas pelo Coronel PM Res Wanderley Silva no dia 10 de maio de 2007:
Que o dia 10 de maio seja consagrado na Corporação ao dia do Herói - PM,
Que haja publicação, em Boletim Geral concernente ao feito heróico a ser divulgado e transcrita anualmente por todas OPM, antecedendo o dia do Herói – PM,
Que naquele dia haja solenidade interna de culto ao Herói – PM Alberto Mendes Junior, conjuntamente com os Heróis das outras OPM, dando-se a conhecer os seus feitos históricos, convidando as autoridades, a comunidade local e os familiares dos homenageados,
Que sejam nominados de “Colégio da Policia Militar – ALBERTO MENDES JUNIOR”, todas as unidades escolares existentes e as que forem criadas;
Que seja mantida, anualmente na sede do 1º BP CHOQ PM esta solenidade, a fim de se perpetuar a imagem do “Herói – PM Alberto Mendes Junior, integrante da historia de São Paulo e do Brasil e que não seja esvaziada.
Herói é Alberto Mendes Junior pelas suas atitudes e conduta de vida em beneficio da sociedade, em seu curto período de vida, herói da Policia Militar,  herói do Estado de São Paulo, herói do nosso Brasil, herói da democracia. Muito obrigado!!!
JOSÉ SAMPAIO LOPES
Cel PM – Turma Tiradentes/1969
São prestadas homenagens a familiares de MENDES JÚNIOR
No Pátio CAPITÃO PM ALBERTO MENDES JÚNIOR é reinaugurado o monumento ao herói, totalmente restaurado. 
O vereador CORONEL PM TELHADA entrega uma salva de prata, pela Câmara Municipal de São Paulo, à ROTA. Faz um emocionante discurso. Ele foi comandante do 1º BPChq até passar para a reserva no posto de CORONEL PM. Nosso comandante geral fala no final e a cerimônia se encerra com a saída das viaturas da ROTA para o trabalho de rotina.

Com WILLIAM MASCARENHAS e outras pessoas ficamos até mais tarde nesse quartel. Revejo o monumento inaugurado em 1º de dezembro de 1999 aos combatentes de 1932, pelo antigo 1º BC, origem do 1º BATALHÃO “TOBIAS DE AGUIAR”. Sugiro ao atual Comandante da Unidade que esse monumento também seja restaurado.   


Nenhum comentário: