sexta-feira, 5 de julho de 2019

99 ANOS DO NASCIMENTO DE LOREHY NOVAZZI, EM 5 DE JULHO DE 1920

Resultado de imagem para LOREHY NOVAZZI
  99 a. nasce LOREHY NOVAZZI, filho de ESTEVAM NOVAZZI e MARIA JANNONI NOVAZZI em IBITINGA (SP), em 5 de julho de 1920. Passou a sua infância em ITÁPOLIS (SP). Em ITÁPOLIS, com cinco anos de idade foi matriculado na ESCOLA PAROQUIAL DO PADRE BORGES (pré-escola), em seguida foi para o Grupo Escolar e ao término para o Instituto de Educação “VALENTIN GENTIL”. Dos 11 aos 13 anos trabalhou nas CASAS PERNAMBUCANAS como office-boy. Em 1933, sua família mudou-se para SÃO PAULO (sendo matriculado no COLÉGIO PAULISTANO. Foi office-boy do doutor LAMEIRA DE ANDRADE (advogado com escritório na PRAÇA DA SÉ, PALACETE SANTA HELENA, demolido para a construção do metrô). LAMEIRA era administrador da Instituição onde também foi seu office-boy. Após o falecimento de LAMEIRA, LOREHY serviu, de 1938 a 1940, na sede da entidade, onde morava com sua mãe, auxiliando-a nos trabalhos assistenciais. Nas horas de folga trabalhava em uma fábrica de guarda-chuvas na rua SÃO CAETANO para ajudar nas despesas da casa. Em 1940, deixou o emprego e os estudos e foi para POÁ (ABRIGO BATUÍRA), que se encontrava em crise administrativa, prestando como voluntário serviços aos menores internados, até 1942. Nesse ano, foi nomeado pelo Conselho, PROVEDOR DO SERVIÇO SOCIAL BATUÍRA, cargo que ocupou até 1992, quando por força da Lei os Estatutos foram reformados, sendo dona MARIA JANNONI, que já era administradora desde 1938, eleita Presidente e LOREHY NOVAZZI, seu vice-presidente, cargo ocupado até 1995, quando foi eleito Presidente da Instituição até 1998, sendo reeleito para o período de 1998 a 2001. Mesmo durante o período quando atuava como provedor do ABRIGO BATUÍRA trabalhou como representante comercial autônomo, tendo se aposentado como tal. Em 1945, junto com JOSÉ LOURENÇO MARQUES DA SILVA, fundou o primeiro jornal da cidade “POÁ JORNAL” do qual foi seu redator por três anos. Em 1946 foi vereador na Câmara Municipal de MOGI DAS CRUZES eleito por POÁ, então distrito daquele Município. Em 1948, trabalhou com vários cidadãos de POÁ pela emancipação Política e Administrativa, o que conseguiu, sendo atualmente o único emancipador ainda vivo. Maçom pela loja “UNIÃO E CARIDADE IV”, de MOGI DAS CRUZES, do GRANDE ORIENTE, (atualmente adormecido). Em 1957, fez parte do CENTRO DE ESTUDOS “LEGIONÁRIOS NA DEFESA DO MENOR”, sendo diplomado no curso de “Psicologia da Criança e do Adolescente”. Em 1958, foi fundador e primeiro presidente do “ROTARY CLUBE DE POÁ”,. Tendo em 1998 (quarenta anos de fundação) recebido em sessão solene o Diploma por serviços prestados à Comunidade e ao Clube. Em 1960, recebeu o Diploma de aproveitamento do curso “O MENOR E A DELINQÜÊNCIA”, proferido na Faculdade de Direito da Universidade de SÃO PAULO pela Sociedade Brasileira de Criminologia e Ciência Penitenciária. Em 1962, recebeu da Câmara Municipal de POÁ o título de “CIDADÃO POAENSE” pelos serviços prestados ao Município. Em 1978, recebeu por intermédio da Câmara Municipal de POÁ a Medalha e Comenda “INFANTE DOM HENRIQUE”, da Sociedade Cultural e Condecorativa do BRASIL. Em 1988, foi nomeado Conselheiro da Fundação do Bem Estar do Menor (FEBEM) como representante das entidades particulares. Por doze anos fez parte do Conselho de Sentenças do Juizado de POÁ. Foi também presidente da mesa eleitoral de POÁ em várias e seguidas eleições até pedir afastamento.
LOREHY NOVAZZI é pessoa muito benquista em POÁ. Conheço-o desde os meus tempos de adolescente. Numa época, em 1958, ele me levou para dar aulas a crianças que estavam se preparando para entrar no ginásio (preparatório). Freqüentei o ABRIGO BATUÍRA durante muitos anos, tendo vários colegas de escola que eram internos do Abrigo, como o JOSÉ VÁLTER TEIXEIRA, o SABIÁ, que depois se formou médico e foi ser vice-reitor de uma Universidade no RIO DE JANEIRO. Outro colega foi o CLÓVIS. Seu irmão CLÁUDIO, morou no Abrigo Batuíra durante muitos anos. LOREHY NOVAZZI esteve presente no velório de minha mãe, ajudando-me a passar o difícil transe (11 para 12 de maio de 2004). Foi quando lhe pedi o histórico de ANTÔNIO GONÇALVES DA SILVA BATUÍRA. No dia 4 de junho de 2004, o ADALVO mandou-me os papéis sobre o BATUÍRA, sobre sua mãe MARIA JANNONI NOVAZZI, sobre PEDRO LAMEIRA DE ANDRADE e também o seu próprio curriculum.



MEMORIAL LOREHY NOVAZZI. O presidente da Câmara de Poá, vereador Mário Sumirê, disse que pretende implantar um Memorial de Poá no piso superior do prédio da Câmara Municipal, local onde está o Centro Cultural Taiguara. Garantiu que já está tomando providências legais para sua implantação e que quer dar o nome de Lorehy Novazzi ao novo espaço. Comerciante que passou a infância na rua 26 de Março, Sumirê diz ser um grande admirador do "Seo Loro". Há uma lei municipal que proíbe dar o nome de pessoas vivas a ruas e prédios públicos. Entretanto, ele pensa em algum tipo de ato normativo que permita tal homenagem.



Nenhum comentário: