quinta-feira, 2 de abril de 2020

JORNAL DO JANTÁLIA - 2 DE ABRIL DE 2020 - QUINTA-FEIRA

JORNAL DO JANTÁLIA: Efemérides e Curiosidades
2 de abril é o 92.º dia do ano no calendário gregoriano. Faltam 273 para acabar o ano. Dia Mundial de Conscientização do Autismo e Dia Internacional do Livro Infanto-juvenil
Eventos históricos:
1513 — O explorador espanhol Juan Ponce de León avista pela primeira vez a terra em que é hoje a Flórida.
1800 — Ludwig van Beethoven estreia sua Sinfonia n.º 1, em Viena.
1902 — É inaugurado em Los Angeles a Electric Theatre, a primeira sala de cinema dos Estados Unidos.
1917 — Primeira Guerra Mundial: o presidente dos Estados Unidos Woodrow Wilson pede ao Congresso para declarar guerra à Alemanha.
1946 - Um maremoto arrasa as costas das ilhas Aleutianas, no Alasca, na zona ocidental dos Estados Unidos, e das ilhas do Hawaí, causando a morte de 300 pessoas.
1953 - James Watson e Francis Crick anunciam a descoberta do DNA.
1954 - Walt Disney anuncia a criação da Disneylândia, que seria construída na Califórnia, nos Estados Unidos.
1964 - Congresso declara vaga a presidência do Brasil e empossa Ranieri Mazzilli.
1967 - Estreia o anime Speed Racer (Mach GoGoGo)..
1975 - Concluída a construção da Torre CN em Toronto, Canadá. Ela atinge 553,33 metros de altura, tornando-se na época a mais alta estrutura do mundo.
1979 - Em um lago do Camboja, são encontrados 2 mil esqueletos amarrados entre si. O assassinato em massa foi atribuído ao regime de Pol Pot. O ditador foi responsabilizado por 2 milhões de mortes no país.
1982 — Guerra das Malvinas: a Argentina invade as ilhas Malvinas.
1992 - John Gotti, um dos principais chefes da máfia, é condenado à prisão perpétua pelo tribunal de Nova York. Gotti foi sentenciado, após ser denunciado por um ex-parceiro de crimes. A máfia acabou perdendo grande destaque na imprensa norte-americana com a prisão de Gotti.
2008 — Acontece pela primeira vez o Dia Mundial de Conscientização do Autismo, decretado pela Organização das Nações Unidas no ano anterior, para repetir-se anualmente.
2015 - Terroristas do grupo Al-Shabaab atacam a Universidade de Garissa, no Quênia, matando pelo menos 148 pessoas e ferindo outras 79.
Nasceram em 2 de Abril:
1725 — Giacomo Casanova, escritor italiano (m. 1798).
1805 — Hans Christian Andersen, escritor dinamarquês (m. 1875).
1840 — Émile Zola, romancista e crítico francês (m. 1902).
1875 — Walter Chrysler, industrial estadunidense (m. 1940).
1910 — Chico Xavier, escritor brasileiro (m. 2002).
1914 — Alec Guinness, ator britânico (m. 2000).
1939 — Marvin Gaye, cantor e compositor norte-americano (m. 1984).
1945 — Linda Hunt, atriz norte-americana.
1947 - Emmylou Harris, cantora e compositora estadunidense.
1949 — Pamela Reed, atriz norte-americana.
1961 — Christopher Meloni, ator estado-unidense.
1966 - Supla, cantor, ator e apresentador de televisão brasileiro.
1966 - Andréa Avancini, atriz brasileira.
1966 - Lira, ex-futebolista brasileiro.
1971 - Edmundo, ex-futebolista e comentarista esportivo brasileiro.
1971 - Dener, futebolista brasileiro (m. 1994).
1973 - Regis Danese, cantor e compositor brasileiro.
1975 — Adam Rodriguez, ator norte-americano.
1975 - Pedro Pascal, ator chileno-americano.
1977 - Michael Fassbender, ator alemão criado desde sua infância na Irlanda.
1979 — Grafite, futebolista brasileiro.
e muitos outros...
Morreram em 2 de Abril:
1872 — Samuel Morse, inventor e físico estadunidense (n. 1791).
1983 — Clara Nunes, cantora brasileira (n. 1943).
1989 — Arnaldo Weiss, ator brasileiro (n. 1930).
1990 — Aldo Fabrizi, ator italiano (n. 1905).
2002 - Jack Kruschen, ator canadense (n. 1922).
2005 — Papa João Paulo II (n. 1920).
2015 - Manoel Oliveira, cineasta português (n. 1908).
2016 - Tereza Rachel, atriz e produtora brasileira de peças teatrais (n. 1934).
e muitos outros...
Hoje, no Brasil, comemoram aniversário as seguintes cidades:
Alumínio SP, Calumbi PE, Capão Bonito SP, Carlópolis PR, Cotia SP, Jacarezinho PR,  Pacaembu SP, Poço Fundo MG, Pongaí SP, Porto Franco MA, Sumé PB, Suzano SP,
Ubirajara SP, e Vinhedo SP.

CLARA NUNES - 10 SUCESSOS

MULHER RECONHECEU O CORPO DO MARIDO POR VIDEOCHAMADA EM SP: 'PERDI MEU GRANDE AMOR SEM NEM PODER DAR ADEUS' - POR RODRIGO RODRIGUES E GIACCOMO VOCCIO - G1 SP (02/04/2020)



Por Rodrigo Rodrigues e Giaccomo Voccio, G1 SP e G1 — São Paulo


O servidor público José Dias Palitot Júnior, de 44 anos, com a esposa, a professora Katianne Cristina dos Santos Palitot.  — Foto: Acervo pessoalO servidor público José Dias Palitot Júnior, de 44 anos, com a esposa, a professora Katianne Cristina dos Santos Palitot.  — Foto: Acervo pessoal
O servidor público José Dias Palitot Júnior, de 44 anos, com a esposa, a professora Katianne Cristina dos Santos Palitot. — Foto: Acervo pessoal
Katianne dos Santos Palitot, de 41 anos, viveu nos últimos oito dias o que ela chama de “pior experiência da existência [dela]”. A professora perdeu o marido, o servidor público José Dias Palitot Júnior, que morreu na última segunda-feira (30) por coronavírus.
Segundo Katianne, por causa do risco de contágio da doença, ela não conseguiu dar adeus ao companheiro dos últimos 18 anos. O reconhecimento do corpo dele foi feito por videoconferência em um hospital do ABC Paulista.
“A última vez que vi o meu marido foi na ambulância, quando ele foi transferido de um hospital para o outro, no ABC. Ele morreu sete dias depois da internação e eu não pude vê-lo, nem dizer adeus. Até o reconhecimento do corpo foi feito por videochamada. Perdi o grande amor da minha vida sem poder olhar pra ele e nem poder dar adeus", lamenta a mulher, em prantos.
José Palitot Junior, de 44 anos, morreu uma semana depois de dar entrada no hospital com quadro de muita falta de ar. Ele era funcionário do Tribunal Regional do Trabalho (TRT-2), em São Paulo, e desde o dia 20 de março estava em isolamento domiciliar com a esposa, por causa da pandemia de coronavírus.
Até o dia 23, quando chegou ao hospital Nsa. Sra. Senhora do Rosário, na Vila Maria, Zona Norte da capital paulista, o rapaz tinha sentido poucos sintomas que indicassem um quadro de Covid-19, segundo a companheira dele.
“Como ele já teve bronquite na infância, a gente achou que estava com alguma crise. Porque, dos sintomas iniciais que estavam sendo divulgados sobre o coronavírus, ele não teve febre, não teve tosse seca e nem coriza. A tosse dele tinha muito catarro e a febre chegou só no dia que decidimos correr para o hospital”, conta Katianne.

Transferência

Segundo o relato da mulher, chegando ao hospital, os médicos suspeitaram do quadro de coronavírus porque a tomografia mostrava o pulmão muito comprometido. Palitot foi entubado e o Nsa. Sra. Senhora do Rosário começou o processo de transferência para uma unidade do convênio Notre Dame onde estavam sendo concentrados os casos da doença, já que a unidade de Vila Maria não tinha leito de UTI para pessoas com sintomas de Covid-19.
Depois de muita insistência com o convênio Notre Dame, o funcionário do TRT-2 foi transferido na madrugada seguinte (24) para o hospital Intermédica ABC Paulista, após piora significativa no quadro clínico. No caminho para São Bernardo do Campo, o motorista da ambulância chegou a errar o caminho e ir parar no hospital errado da rede.
“Foi a última que vi meu marido. Ele respirava com ajuda de oxigênio e, chegando ao hospital, fui proibida de ter contato com ele. Os médicos me deram um atestado e também me botaram no isolamento domiciliar, porque tive contato com ele e podia estar contaminada. Meu irmão era quem acompanhava o quadro clínico. Diariamente nós saíamos juntos de carro até o hospital para acompanhar os boletins médicos, que eram dados só uma vez por dia. Com máscara, eu ficava no carro e ele ia conversar com os médicos para saber da evolução do tratamento”, narra Katianne.
O casal José Dias Palitot Júnior e Katianne Cristina Palitot. — Foto: Acervo pessoalO casal José Dias Palitot Júnior e Katianne Cristina Palitot. — Foto: Acervo pessoal
O casal José Dias Palitot Júnior e Katianne Cristina Palitot. — Foto: Acervo pessoal
Nos dias seguintes à internação no ABC, os médicos diziam que o quadro de José era grave, mas estável, segunda a esposa. O pulmão ainda estava comprometido, mas os outros órgãos, como rins e fígado, funcionavam bem. Entretanto, ao chegarem no hospital na segunda-feira (30), o irmão teve a notícia: José Palitot havia falecido.
“Meu irmão veio ao carro e disse que o médico queria falar comigo e explicar que o quadro de saúde tinha se agravado. No caminho do estacionamento até o hospital, ele foi me contando que o José tinha tido uma parada cardiorrespiratória e morreu. Na hora, dei um grito e não consegui me aguentar nas minhas próprias pernas. Foi a pior notícia da minha vida”, lembra.
Ao chegar dentro do hospital, Katianne, ainda de quarentena e usando máscara, foi recepcionada por um médico aos prantos:
“O médico chorava e dizia que, infelizmente, eu não podia ser abraçada ou consolada porque também podia estar contaminada. Foi uma dor terrível.(…) Fui encaminhada para a sala de uma psicóloga, onde ela dizia que eu precisava me recompor para poder reconhecer o corpo do meu marido. Achei que finalmente poderia me despedir, mas ela disse que não, que ninguém podia ter acesso ao corpo. O reconhecimento foi feito por videochamada. Até o celular do funcionário estava embalado num saco plástico. Só vi o rosto dele e a placa em cima do corpo, com os dados pessoais e a data de nascimento”, relembra Katianne.

Sepultamento

José Palitot Junior foi enterrado nesta terça-feira (31), no Cemitério Jardim da Serra, na cidade de Bragança Paulista. O enterro, segundo a companheira, foi feito com o caixão lacrado e sem a realização do velório.
“A mãe dele, de 82 anos, não pode participar. Foram só eu, meu irmão, as irmãs dele e um amigo. Tudo durou uns dez minutos desde a retirada do caixão do carro e o enterro. Fui a única que pode chegar perto do caixão. Pedi para colocarem uma foto dele pregada, porque nem o rosto do grande amor da minha vida, o homem a quem mais amei no mundo e fui amada, pude ver”, desabafa.
Enquanto o caixão passava por dentro do cemitério, Katianne lembra que os funcionários do Jardim da Serra iam jogando água sanitária no caminho, para desinfetar o trajeto.
Depois do sepultamento, a companheira de José Palitot voltou para o isolamento no imóvel da família na Vila Ede, na Zona Norte da capital paulista. Katianne aguarda o fim do período de quarentena e pede agilidade do hospital Intermédica ABC Paulista para confirmar o quadro de Covid-19 do marido.
Dez dias depois do falecimento dele, os exames para coronavírus ainda não saíram.
“É uma espera angustiante pra mim. Estou destruída. Depois de tanta angústia, ainda estou presa em casa, sem poder fazer as devidas homenagens ao meu marido. Como o meu irmão diz, se a gente soubesse a causa real da morte, se foi por coronavírus ou não, podia viver o luto ao lado da família, rezar uma missa. Mas nem isso temos conseguido”, lamenta a esposa.
Além de bronquite, José Palitot tinha o quadro de diabetes. O atestado de óbito dele, segundo Katianne, foi registrado com a causa da morte a parada cardiorrespiratória, seguida de suspeita de Covid-19, diabetes e obesidade.
A professora lamenta todo esse episódio, que ela chama de “pesadelo sem fim”. A mulher manda um recado aos que, até aqui, têm minimizado a ação do coronavírus em São Paulo.
“As pessoas que dizem que isso é apenas uma gripezinha, que fazem piada, elas precisam entender o quanto isso é sério. Jamais esquecerei da cara de medo dos funcionários do hospital, do cemitério e da funerária. Todos estão em pânico, por medo dessa doença. Quem diz que o Brasil pode deixar morrer 5 mil pessoas para salvar o País precisa saber que esses mortos têm família, companheiras, sonhos, como eu e o meu marido tínhamos juntos. E tudo foi destruído”.

Hospital

O G1 entrou em contato com o hospital da Intermédica ABC Paulista, em São Bernardo, para pedir esclarecimentos sobre a morte do servidor público e sobre a demora no esclarecimentos dos exames. Por nota, a unidade lamentou a morte de Palitot e afirmou que o exame do paciente só foi processado na manhã desta quinta-feira (2) e deu positivo para Covid-19.
"Lamentamos o falecimento do paciente José Dias Palitot Júnior, ocorrida no dia 30/3 e cujo resultado positivo para o Covid-19 do exame saiu somente na data de hoje, (02/04). Reforçamos que todos os pacientes com suspeita clínica para o Covid-19 que estão em isolamento domiciliar estão sendo monitorados através de central telefônica e todo o material para pesquisa de coronavírus é encaminhado para o Instituto Adolfo Lutz (IAL)", disse o hospital.
Sobre a professora Katianne Palitot, que está em quarentena domiciliar mas ainda não foi submetida a exames de confirmação para o coronavírus, o hospital afirma que está seguindo as orientações sanitárias das autoridades brasileiras, que indicam o teste nesse momento crítico apenas em pacientes graves.
"Continuamos seguindo os protocolos do Ministério da Saúde de que a testagem seja realizada apenas em pacientes de risco e que necessitem de hospitalização. Já para os familiares que tiveram contato com pessoas infectadas ou suspeitas, e que não apresentem sintomas mais graves, a orientação é ficar de quarentena em casa", declarou a Intermédica ABC Paulista.
José Dias Palitot Júnior e a esposa, Katianne Cristina dos Santos Palitot.  — Foto: Acervo PessoalJosé Dias Palitot Júnior e a esposa, Katianne Cristina dos Santos Palitot.  — Foto: Acervo Pessoal
José Dias Palitot Júnior e a esposa, Katianne Cristina dos Santos Palitot. — Foto: Acervo Pessoal

G1- 2 DE ABRIL DE 2020 - QUINTA-FEIRA

Newsletter
Newsletter G1Created with Sketch.
Resumo do dia
As notícias que você não pode perder diretamente no seu e-mail.
Para se inscrever, entre ou crie uma Conta Globo gratuita.
Inscreva-se e receba a newsletter

Telejornais

Trabalhadores informais
Governo diz que demorou porque precisava editar outra medida. Data para pagar é incerta.
Impacto econômico
Déficit era estimado antes em R$ 124 bi. Novo cálculo considera gasto extra com pandemia.
Imposto de Renda
Idosos terão prioridade. Ontem, Receita adiou para 30 de junho o prazo para envio.
Estudos são usados por especialistas para justificar uso massivo de máscaras.
Entrevista a rádio
Presidente é contra o isolamento, defendido pelo ministro e por especialistas do mundo todo.
Atenção com boatos
Imagem sugeria desabastecimento em MG; presidente apagou e pediu desculpas.
Para advogados, é possível usar informações e respeitar privacidade dos usuários.
Medida é assinada por 3 ministros e segue recomendação da Anvisa.
Aeroporto do arquipélago fica fechado para quem mora na ilha por 15 dias.
Pandemia global
Parentes de vítimas do coronavírus chegam a conviver com cadáveres por dias dentro de casa.
90 camas e 9 respiradores foram requisitados.
Ontem, ministro disse que China cancelou venda ao Brasil por causa de americanos.
Reforço no atendimento
Portaria publicada hoje determina que 14 categorias se inscrevam para reforçar o SUS.
A vida em quarentena
Há quem toque música, faça exercícios ou simplesmente se renda ao tédio.
Prática na cozinha é boa para o bolso e a saúde e ajuda a controlar a ansiedade.
Momento é ideal para evitar pinturas e chapinhas e criar rotina de tratamento.
Solidariedade na crise
'Uma coisa como esta, nunca pensei que ia passar' disse Irma.
Homem e mulher passaram dias internados em hospitais de SP.
Dor das famílias
Katianne Palitot conta que médico chorou ao dar notícia, mas também não pôde abraçá-lo.