segunda-feira, 2 de dezembro de 2019

GUGU LIBERATO TERÁ MISSA DE SÉTIMO DIA EM IGREJA ONDE FOI COROINHA NA INFÂNCIA

Gugu Liberato terá missa de sétimo dia em Igreja onde foi coroinha na infância

Gugu Liberato receberá missa em Igreja onde foi coroinha

sexta 29 novembro, 2019
O sepultamento foi realizado nesta quinta-feira (28)
O sepultamento foi realizado nesta quinta-feira (28) Foto:Divulgação/Record
Gugu Liberato terá a sua missa de sétimo dia no próximo sábado (7). 
Segundo informações divulgadas pela assessoria do apresentador, nesta sexta-feira (29), por meio de um comunicado oficial, a homenagem ocorrerá às 11 horas da manhã, na Igreja Nossa Senhora do Perpétuo Socorro, no Jardim Paulistano, em São Paulo. 
A Igreja escolhida tem um significado importante para os familiares de Gugu, já que o apresentador foi coroinha na instituição quando era mais novo. 
Esther Rocha, responsável pela assessoria do jornalista, contou ainda que o local da missa foi escolhido pela família do apresentador enquanto estava no trajeto da Assembléia Legislativa de São Paulo, para o Cemitério Gethsêmani, onde o enterro do apresentador aconteceu nesta sexta-feira (29). 
VELÓRIO 
A morte do apresentador Gugu Liberato movimentou o Brasil nas últimas semanas. Seu velório teve início às 12h da última quinta-feira (28), e terminou na manhã desta sexta-feira (29). 
A família do apresentador, assim chegou à Assembleia Legislativa de São Paulo para os últimos momentos antes do enterro,  fizeram questão de agradecer o carinho dos fãs.
João Augusto, filho mais velho do jornalista, distribuiu beijos e corações ao público, assim como Rose Miriam, companheira de Gugu.
 
Da Redação
Atualizado sexta 29 novembro, 2019 (1089943)
Leia Mais:


    MANCHETES DO JORNAL O ESTADO DE SÃO PAULO - 2 DE DEZEMBRO DE 2019 - SEGUNDA-FEIRA

    Manchetes dos Jornais


    O Estado De São Paulo




    NOVE JOVENS MORREM PISOTEADOS EM BAILE FUNK DE PARAISÓPOLIS APÓS AÇÃO POLICIAL.

    Nove jovens morrem pisoteados em baile funk de Paraisópolis após ação policial

    De acordo com a Polícia Militar, policiais usaram “munição química” para dispersar multidão que, supostamente, atacou PMs com latas e garrafas

     Vista geral da favela de Paraisópolis, zona sul da capital paulista.
    Vista geral da favela de Paraisópolis, zona sul da capital paulista.EVELSON DE FREITAS (ESTADÃO CONTEÚDO)

    Mais informações

    Uma ação da Polícia Militar no Baile da 17, um dos mais conhecidos de São Paulo e realizado na favela do Paraisópolis, zona sul, terminou com nove pessoas mortas na madrugada deste domingo. De acordo com a PM, policiais da Rocam (Ronda Ostensiva com Apoio de Motocicletas) entraram na comunidade durante uma perseguição a homens armados fugindo com motocicletas. A versão oficial também diz que os suspeitos atiraram contra a polícia.
    Um morador da comunidade que estava no baile funk disse que “essa foi uma das piores” ações da PM na favela. Segundo ele, “a 17 [rua onde acontece o baile funk] é bem concentrada em uma rua encruzilhada, e eles [PMs] chegaram pelas quatro ruas, por isso não tinha para onde correr”.
    O morador contou que tinha “viatura para todo canto”. Em outros bailes, a única opção usada pelos frequentadores de escapar das ações truculentas da PM, segundo o morador, “sempre foram as vielas, mas desta vez os policiais desceram e foram atrás”.

    JORNAL EL PAÍS - 2 DE DEZEMBRO DE 2019 - SEGUNDA-FEIRA.