sexta-feira, 17 de outubro de 2014

INCREDULIDADE

INCREDULIDADE!!! MARCOS:6:1-6..."E, partindo dali, chegou à Sua pátria, e os Seus discípulos O seguiram. E, chegando o sábado, começou a ensinar na sinagoga; e muitos, ouvindo-O, se admiravam, dizendo: De onde Lhe vêm estas coisas? E que sabedoria é esta que Lhe foi dada? E como se fazem tais maravilhas por Suas mãos? Não é Este o carpinteiro, filho de Maria, e irmão de Tiago, e de José, e de Judas e de Simão? E não estão aqui conosco Suas irmãs? E escandalizavam-se nEle. E Jesus lhes dizia: Não há profeta sem honra senão na sua pátria, entre os seus parentes, e na sua casa. E não podia fazer ali nenhuma obra maravilhosa; somente curou alguns poucos enfermos, impondo-lhes as mãos. E estava admirado da incredulidade deles. E percorreu as aldeias vizinhas, ensinando."Marcos:6:1-6... Jesus decidiu ir até à Galileia. Afinal de contas, não há lugar neste mundo que não mereça ser exposto ao evangelho da graça de Deus. Ali, Jesus usou os mesmos métodos e pregou a mesma mensagem. Jesus até ensinou na sinagoga, no dia de sábado. As Suas palavras eram maravilhosas. Muitos se espantaram da qualidade do ensino ali produzido. No entanto, os resultados foram escassos. Não era um problema de métodos e, certamente, não existiam debilidades no líder daquele projecto. Os resultados não apareceram devido à incredulidade dos ouvintes. Aprendemos aqui algumas coisas importantes. Em primeiro lugar, temos uma mensagem que deve ser proclamada em todos os lugares deste mundo, e não apenas naqueles onde os resultados estão garantidos. Vemos que Jesus partiu para as aldeias vizinhas (não insistiu em ministrar naquele lugar seco pela incredulidade), mas não deixou de ministrar primeiro naquele lugar. Também vemos que se estivermos a fazer o trabalho do Senhor, segundo a vontade do Senhor, não devemos deixar que o inimigo nos convença que temos os métodos errados e que devemos abraçar algum método inovador (mas de moral duvidosa). Também não devemos pensar que o problema está em nós e que qualquer outro servo do Senhor obteria melhores resultados. O ministério do evangelho é um trabalho 100% espiritual. Temos o privilégio de participar dele, mas os resultados pertencem ao Senhor. Não temos a capacidade de produzir fé num coração incrédulo. Que bom quando vemos essa fé despontar pela graça de Deus! Sejamos fiéis...

SESSÃO SOLENE NA CÂMARA MUNICIPAL, DIA 30 DE OUTUBRO DE 2014, 19;30 HORAS - ENTREGA DE HONRARIAS.

Natanael

Anexos11:38 (Há 1 hora)


para mim, sociedade32, contato, coroneltelhada, rosalindias, zalin, fabio.air, falima, walter.mello12, presidencia, justicamilitar., mendes
Srs. Cmts: Cel Ventura, Cel Telhada, Cel Mendes, Dr. Walter, Sr. Juninho, Sgt Tarcisio, Sgt Rosalin, Cb Fabio Lima
Segue em anexo o CONVITE para o Evento deste mês que será em:
-Local: Câmara Municipal São Paulo
-Data: 30/10/14 - 19:30h (5ª feira)
-End.: Vd Jacareí, 100 - 8º andar - Salão Nobre
Solicito a gentileza de postarem o Convite nas redes sociais (site, face, twiter, zap-zap,memórias do ventura, etc) no sentido de divulgarmos o Evento.
Obrigado,
Att.
Ten Natanael

16 DE OUTUBRO DE 2014 - NO ESPAÇO VERDE CHICO MENDES, EM SÃO CAETANO DO SUL - COMEMORAÇÃO DOS 82 ANOS DO TÉRMINO DA REVOLUÇÃO CONSTITUCIONALISTA DE 1932 - EVENTO PROPORCIONADO PELO NÚCLEO MMDC-GRANDE ABC "COMBATENTES DE 32", DA SOCIEDADE VETERANOS DE 32-MMDC. MEUS AGRADECIMENTOS AO CAPITÃO PM JOÃO FRANCISCO TERRON, PRESIDENTE DO NÚCLEO E NARRADOR DA CERIMÔNIA.

ROTEIRO DO NARRADOR
INCORPORAÇÃO DO PAVILHÃO NACIONAL
Formatura Mensal do 6º Batalhão de Polícia Militar Metropolitano – “Coronel PM Nikoluk”.
Neste instante teremos a Incorporação à tropa do Pavilhão Nacional, da Bandeira Paulista e do Estandarte do 6ºBPM/M, sob os acordes da Alvorada Lo Schiavo do maestro Antonio Carlos Gomes, Canção do Expedicionário, letra do poeta Guilherme de Almeida e música de Spartaco Rossi e do Hino a Bandeira, letra de Olavo Bilac e música de Francisco Braga.
Comandante da Tropa comanda: “Sentido” – “Ombro Arma”
 Após a execução dos acordes e o posicionamento da Escolta.

Comandante da Tropa comanda: “Em continência à Bandeira Apresentar Arma”
Após o toque de continência.

Comandante da Tropa comanda: “Bandeira em Forma” – “Ombro Arma” – “Descansar Arma” – “Descansar”

Gostaríamos de destacar a presença do: (nominar as autoridades presentes)

POLÍCIA MILITAR DO ESTADO DE SÃO PAULO

COMANDO DE POLICIAMENTO METROPOLITANO

COMANDO DE POLICIAMENTO DE ÁREA METROPOLITANA 6

SÃO BERNARDO DO CAMPO, 16 DE OUTUBRO DE 2014.

FORMATURA DO BATALHÃO DE POLÍCIA MILITAR METROPOLITANO “CORONEL PM NIKOLUK”, alusiva ao DIA DA CESSAÇÃO DAS HOSTILIDADES DO MOVIMENTO CONSTITUCIONALISTA DE 1932.

Senhoras e senhores. Boa noite!


- É com muita satisfação que na data de hoje o Comandante do 6º Batalhão de Polícia Militar Metropolitano – “Coronel PM Nikoluk”, Ten Cel PM LUIZ ANTONIO DANTAS VALENTE, recebe as autoridades, convidados e o público aqui presente, para prestigiar a Formatura Mensal da Unidade.

Gostaríamos de destacar a presença do: (nominar as autoridades presentes que ainda não foram lidas)


CONTINÊNCIA A MAIS ALTA AUTORIDADE MILITAR PRESENTE E PASSAGEM EM REVISTA À TROPA
Neste momento teremos a apresentação da tropa a mais alta autoridade presente.
Comandante da Tropa comanda: “Sentido”
 (Após a execução do acorde inicial).

Comandante da Tropa comanda: “Ombro Arma”
(Após o toque de continência) o Comandante se desloca até o palanque, onde se apresenta à autoridade e a convida para passar em revista à tropa formada. Os comandantes de pelotão comandarão “Olhar à direita (esquerda)!”, acompanharão a passagem da autoridade e permanecem olhando à esquerda ou direita.
O Comandante da tropa formada, _____________________, se apresenta ao Ilustríssimo ____________________________________________________, Digníssimo Comandante do _______________________________ e o convida a passar em revista.
CANTO DA CANÇÃO DA POLÍCIA MILITAR
Neste momento a tropa formada entoará a Canção da Polícia Militar, letra do poeta Guilherme de Almeida e música do Major Maestro PM Alcides Jácomo Degobb.

Comandante da Tropa comanda “Sentido” e após o canto “Descansar”

ENTREGA DE LÁUREA DO MÉRITO PESSOAL
Constantemente fatos positivos são originários de ações policiais militares, merecedores de elogios perante a Instituição e a comunidade. Fatos que, além de elevar a moral da tropa, são motivadores para o bom desempenho e desenvolvimento da missão policial-militar.
A “Láurea do Mérito Pessoal” tem como finalidade distinguir oficiais e praças da Corporação que, por seus méritos pessoais, se sobressaiam no cumprimento do dever.
A avaliação do mérito pessoal para a concessão abrange aspectos da vida profissional e social, desde a apresentação pessoal e correção de atitudes do policial militar, até sua atuação como cidadão na comunidade, fatos esses que enobrecem a Corporação e seus integrantes, sendo motivo de orgulho e reconhecimento de todos.
O PMZITO do Mérito Pessoal, criado em 1974 (Boletim Geral 197/74), passou a denominar-se "Láurea do Mérito Pessoal", conforme publicação anexa ao Boletim Geral 036/84.                                                   
As láureas são apresentadas em cinco graus, sendo galgadas do 5º ao 1º Grau, possuindo as seguintes características: 5º Grau - em metal bronzeado e couro preto; 4º Grau - em metal cromado e couro preto; 3º Grau - em metal prateado e couro vermelho; 2º Grau - em metal dourado e couro vermelho; 1º Grau - em metal esmaltado e couro branco, com o mapa do Estado de São Paulo.
É motivo de muito orgulho para qualquer policial militar ostentar no peito a Láurea do Mérito Pessoal, visto que essa o distingue entre os demais e representa para aquele que não a possui, a motivação para tentar obtê-la.
Convidamos agora os Policiais Militares que serão agraciados, para tomar lugar de destaque á frente do palanque.

- Outorga de Láurea de Mérito Pessoal, em 5° grau:
Sd PM Leonardo Ferreira da Silva
Sd PM Alan Roberto Burity Vitulo
Sd PM Juarez Grangeiro da Silva Junior


- Outorga de Láurea de Mérito Pessoal, em 4° grau:

Cb PM Ronaldo Tiburcio de Melo
Sd PM Mariano Dias do Carmo Filho
Sd PM Diógenes de Araújo Maia

Convidamos o Sr.___________________________________________ e o Sr._______________________________________________________ para que façam as entregas das medalhas aos agraciados.

Solicito que os agraciados retornem aos seus lugares de origem.

- Outorga de Láurea de Mérito Pessoal, em 3° grau:
Cb PM Salomão Farias de Araújo


- Outorga de Láurea de Mérito Pessoal, em 2° grau:
Cb PM Hugo Tadeu Santos Silva

Convidamos o Sr.__________________________ para que faça a entrega da medalha ao agraciado.

Solicito aos agraciados que retornem ao seu local de origem.

Solicito


Comandante da Tropa aguarda a chegada das Autoridades e comanda “Sentido” e logo após a entrega das LMP comanda “Descansar”

Outorga da Medalha “GOVERNADOR PEDRO DE TOLEDO”
Neste mês de Outubro comemoramos 82 anos do fim da revolução paulista de 1932, o maior confronto militar no Brasil no século XX e um dos mais importantes e dramáticos acontecimentos da história republicana brasileira.
A Medalha “GOVERNADOR PEDRO DE TOLEDO”, foi criada com o fim de galardoar pessoas físicas ou jurídicas, nacionais ou estrangeiras, que por seus méritos e serviços relevantes prestados à São Paulo e ao culto da Revolução Constitucionalista de 1932, se tenham tornado pessoas dignas de especial distinção. Pedro de Toledo, governou São Paulo em 1932 sendo aclamado governador pelo próprio povo, pois idealizava uma verdadeira prática de democracia em nosso Estado Paulistano e no Brasil, e com estes ideais cívicos e patrióticos, apoiou o Movimento Constitucionalista de 1932, sendo fundado à época até nossos dias, o MMDC. O nobre significado da sigla “MMDC”, deve-se às iniciais dos nomes dos quatro estudantes, Martins, Miragaia, Drausio e Camargo, que reivindicando para o povo brasileiro uma Constituição que visasse um Estado Democratico de Direito, no dia 23 de maio de 1932 na Pça da República – SP, acabaram por serem baleados por parte do governo ditatorial e faleceram. O sangue destes quatro heróis culminou na guerra denominada “Revolução Constitucionalista de 32” e trouxe bons reflexos à toda nação, pois em data subseqüente (1934) o Governo Federal promulgou uma Carta Constitucional assegurando direitos e garantias individuais a todos os brasileiros.
A Medalha “GOVERNADOR PEDRO DE TOLEDO”, é portanto uma Comenda Emérita definitiva, pois perpetuará a gratidão e o reconhecimento, para todo o sempre, dos que cumpriram esta jornada cívica para com aqueles que, hoje e no futuro, continuarem abraçando os mesmos ideais de democracia, liberdade e amor à legalidade pelos quais se bateram os heróis e Veteranos de 32.
Hoje, os policiais militares do 6º BPM/M Cel Nikoluk se perfilam, prestando justa homenagem aos homens e mulheres da Força Pública e de todas as classes da sociedade Paulista, heróis anônimos que doaram muito de si, e muitos deles A PRÓPRIA VIDA para garantir um país livre e democrático.
Para receber a Medalha Governador Pedro de Toledo convidamos para tomar destaque perante a tropa a Ten Cel PM ELAINE ALMA LODI, chefe do Centro Integrado de Apoio Patrimonial e o 1º Ten PM RAUL MARCEL DE MENDONÇA também do CIAP pelo empenho e dedicação na reforma do monumento do Obelisco no Parque do Ibirapuera, o maior monumento da cidade de São Paulo e que guarda os corpos dos estudantes mortos durante a Revolução de 1932 e de 713 ex-combatentes.
         Convidamos ainda para tomar lugar de destaque perante a tropa o 1º Ten PM RAFAEL SERPA BONI e o Subten do Exército Brasileiro PAULO ROGÉRIO NUNES pela dedicação em manter vivo os ideais da Revolução de 32.

Solicito que os agraciados retornem aos seus lugares de origem.


Convidamos agora para tomar lugar de destaque perante a tropa e também receber a medalha Pedro de Toledo os Policiais Militares do 6º BPM/M que cumpriram com suas obrigações e dedicaram quase três décadas de vida à servir ao povo paulista em defesa da vida, da integridade física e da dignidade da pessoa humana.
Como disse Timóteo, Combati o bom combate, acabei a carreira, guardei a fé.

Convidamos:

2º Ten PM LORIVAL MATIAS DE OLIVEIRA
1º Sgt PM RAFAEL DECÂNIO FILHO
1º Sgt PM JOSÉ DANIEL BARBOSA SOARES
2º Sgt PM MARCELO BONIFÁCIO
3º Sgt PM ANDRÉ SANTOS DO NASCIMENTO
3º Sgt PM CLAUDIO SOARES DA SILVA
3º Sgt PM MARCIA MEDEIROS CORREA
3º Sgt PM MARIA DO CARMO DE SOUSA
3º Sgt PM NURUNIHAR SILVIA TRISTAO
3º Sgt PM ADAUTO DE OLIVEIRA

Convidamos o Sr.___________________________________________ e o Sr._______________________________________________________ para que façam as entregas das Medalhas Governador Pedro de Toledo aos agraciados.

Comandante da Tropa comanda: “Sentido” – “Ombro Arma”
O Comandante se posiciona para o desfile e determina para que a escolta da bandeira se posicione para o desfile.
Comandante da Tropa comanda: “Para desfilar, coluna de pelotões por 3, base ao 1º Pelotão, em direção à direita (esquerda)” – “Ordinário” – “Marche”.
O Comandante quando estiver na zona de desfile comandará
”Sentido” – “Em continência à Direita (esquerda)” e os Cmt de Pel ”Sentido” – “Olhar à direita (esquerda) – “Olhar Frente”“.



PALAVRAS DA MAIS ALTA AUTORIDADE
Convidamos o _________________________________________________ para, neste momento, fazer uso da palavra.
CANTO DO HINO NACIONAL BRASILEIRO
Convidamos a todos os presentes para, junto à tropa, entoarem o canto do Hino Nacional Brasileiro, letra de Joaquim Osório Duque Estrada e música de Francisco Manuel da Silva.

Comandante da Tropa comanda “Sentido” e após o canto “Descansar”

DESFILE DE ENCERRAMENTO EM HOMENAGEM AOS HERÓIS DA REVOLUÇÃO PAULISTA DE 32
Encerramos esta solenidade com desfile em homenagem a todos os Heróis do passado e do presente que deram sua vida para a garantia de um ideal nobre recitando a ORAÇÃO ANTE A ÚLTIMA TRINCHEIRA, do poeta revolucionário, Guilherme de Almeida:
(As tochas começarão a serem acesas)



Agora é o silêncio...

É o silêncio que faz a última chamada...

É o silêncio que responde:

— "Presente!"

Depois será a grande asa tutelar de São Paulo,
asa que é dia, e noite, e sangue, e estrela, e mapa
descendo petrificada sobre um sono que é vigília.

E aqui ficareis Heróis-Mártires, plantados,
firmes para sempre neste santificado torrão de
chão paulista.

Para receber-vos feriu-se ele da máxima
de entre as únicas feridas na terra,
que nunca se cicatrizam,
porque delas uma imensa coisa emerge
e se impõe que as eterniza.

Só para o alicerce, a lavra, a sepultura e a trincheira
se tem o direito de ferir a terra.

E mais legítima que a ferida do alicerce,
que se eterniza na casa
a dar teto para o amor, a família, a honra, a paz.

Mais legítima que a ferida da lavra,
que se eterniza na árvore
a dar lenho para o leito, a mesa, o cabo da enxada,
a coronha do fuzil.

Mais legítima que a ferida da sepultura,
que se eterniza no mármore
a dar imagem para a saudade, o consolo, a benção,
a inspiração.

Mais legítima que essas feridas
é a ferida da trincheira,
que se eterniza na Pátria
a dar a pura razão de ser da casa, da árvore
e do mármore.

Este cavado trapo de terra,
corpo místico de São Paulo,
em que ora existis consubstanciados,
mais que corte de alicerce, sulco de lavra,
cova de sepultura,
é rasgão de trincheira.

E esta perene que povoais é a nossa última trincheira.

Esta é a trincheira que não se rendeu:
a que deu à terra o seu suor,
a que deu à terra a sua lágrima,
a que deu à terra o seu sangue!

Esta é a trincheira que não se rendeu:
a que é nossa bandeira gravada no chão,
pelo branco do nosso Ideal,
pelo negro do nosso Luto,
pelo vermelho do nosso Coração.

Esta é a trincheira que não se rendeu:
a que atenta nos vigia,
a que invicta nos defende,
a que eterna nos glorifica!

Esta é a trincheira que não se rendeu:
a que não transigiu,
a que não esqueceu,
a que não perdoou!

Esta é a trincheira que não se rendeu:
aqui a vossa presença, que é relíquia,
transfigura e consagra num altar
para o vôo até Deus da nossa fé!

E pois, ante este altar,
alma de joelho à vós rogamos:

— Soldados santos de 32,
sem armas em vossos ombros,
velai por nós!;
sem balas na cartucheira,
velai por nós!;
sem pão em vosso bornal,
velai por nós!;
sem água em vosso cantil,
velai por nós!;
sem galões de ouro no braço,
velai por nós!;
sem medalhas sobre o cáqui,
velai por nós!;
sem mancha no pensamento,
velai por nós!;
sem medo no coração,
velai por nós!;
sem sangue já pelas veias,
velai por nós!;
sem lágrimas ainda nos olhos,
velai por nós!;
sem sopro mais entre os lábios,
velai por nós!;
sem nada a não ser vós mesmos,
velai por nós!;

sem nada senão São Paulo,
velai por nós!


Neste instante desfila a tropa do 6º Batalhão de Polícia Militar Metropolitano – “Coronel PM Nikoluk”, sob o comando do _______________________________
Na Escolta da Bandeira temos:

Conduzindo o Pavilhão Nacional, ________________________________

Conduzindo a Bandeira Paulista, ________________________________

Conduzindo o Estandarte do 6º BPM/M, __________________________.

Desfila o 1º Pelotão, sob o comando do ______________________________.

Desfila o 2º Pelotão, sob o comando do ______________________________.



DESINCORPORAÇÃO DA BANDEIRA
Comandante da Tropa comanda: “Sentido” – “Ombro arma” – “Bandeira fora de forma”
A Bandeira, acompanhada de sua Guarda, desloca-se, posicionando-se a trinta passos distante da tropa e de frente para esta.

Comandante da Tropa comanda: “Em continência à Bandeira Apresentar Arma”
Terminada a continência dará o comando de “Ombro arma”
Após a execução dos acordes de desincorporação a Bandeira retira-se com a sua Guarda.

Comandante da Tropa comanda: “Descansar Arma” – “Descansar” – “À disposição dos Cmt de Pel para dar destino”


IMAGENS DA SOLENIDADE DO 44º ANIVERSÁRIO DE CRIAÇÃO DAS RONDAS OSTENSIVAS TOBIAS DE AGUIAR - ROTA - EM 15 DE OUTUBRO DE 2014