terça-feira, 14 de março de 2017

Lula no banco dos réus: íntegra do primeiro depoimento na Justiça Federal

Lula no banco dos réus: íntegra do primeiro depoimento na Justiça Federal

HOMENAGEADOS EM 15 DE MARÇO DE 2017, ÀS 10 HORAS, NA PRAÇA CAPITÃO GINO STRUFFALDI

Resultado de imagem para capitão gino struffaldi

Resultado de imagem para capitão gino struffaldi
Resultado de imagem para capitão gino struffaldi

CAPITÃO GINO STRUFFALDI    ETERNO GUERREIRO

                              MEDALHA MMDC


VICE-PREFEITO BRUNO COVAS

SUB PREFEITO SÉ EDUARDO ODLOAK

CAPITÃO PM EMERSON SOBRAL

CAPITÃO PM LAUDISON EDUARDO GERALDI

CAPITÃO PM WLADER EDUARDO SANTOS

CAPITÃO PM IVAN GARCIA DE SOUZA

CAPITÃO PM LAÉRCIO HENRIQUE JUSTINO DE OLIVEIRA

SR. RONALDO CAPAROZ GARCIA

SUBTENENTE PM CARLOS ALBERTO DA SILVA

SUBTENENTE PM ROGÉRIO DE OLIVEIRA

COMENDADOR OLDEMAR LUZ

1º SARGENTO PM JULIO CESAR DE FREITAS AVALLONE

2º SARGENTO PM VALMIR RODRIGUES DE PAULA

SOLDADO PM RODRIGO NOVAES GOMES

SOLDADO PM NEILAINE PENTELHÃO COSTA

SOLDADO PM BRUNO ANTONIO DE OLIVEIRA 

RODRIGUES LEITE

SOLDADO PM RAMON LUDVIG DE MORAIS

SOLDADO PM DENNIS VERCESI MARQUES DE AGUIAR

SOLDADO PM HENRIQUE GABRIEL NOGUEIRA

SOLDADO PM FELIPE CAPELLO FERREIRA DA SILVA

Sr. EDSON CARLOS PIRES

LUIZ EDUARDO BEZERRA PERO





MEDALHA DRÁUSIO


CAP PM ADRIANO DE SOUZA FERNANDES

CAP PM SERGIO MARQUES

DR. CARLOS ALBERTO GONNELLI

SR. LAURENTINO VILAR

SR. ALGIRDAS ANTONIO BALSEVICIUS

SR. ALDO STRUFFALDI

2° TEN ROGÉRIO FELIPE LOPES

SUB. TEN PM MARCOS ROBERTO GALIANI TOZZO

1° SGT PM CLEVERSON CANDIDO MARTINS

3° SGT PM ALISSON FRANCIS MONTENEGRO BASILIO

COMENDADOR LUIZ SÉRGIO ÁLVARES DE ROSE

CB PM RICARDO ITANO GARRIDO

SD PM ADALÉCIO DE SOUZA

SD PM WELLINGTON AUGUSTO DA SILVA

SD PM EVERTON APARECIDO DE ALMEIDA

SD PM KAROLINA SILVA DINIZ

SD PM FRANCIELI SANTANA SIMÕES

SD PM JAQUELINE RODRIGUES FERREIRA

SD PM JOÃO GABRIEL GARCIA DA SILVA

SD PM FERNANDO COSTA GIORLANO

SD PM ADRIANO SANTOS DE SOUZA
Resultado de imagem para CAPITÃO GINO STRUFFALDI
SD PM ROGÉRIO LOURENÇO DA SILVA

SD PM MARCELO FERNANDES GARCIA

SD PM CLAUDINEI FERNANDES DOS SANTOS

SD PM DARCIO NOGUEIRA DE SOUZA

SD PM EVANIO RODRIGUES

SD PM RAFAEL FILIPE COSTA FERREIRA

SD PM HIGOR PORTUGAL MAHNIC

SD PM FABRICIO GONÇALVES PEREIRA

SR. SIDNEI BEZERRA DA SILVA



SR. JOSÉ MARIA DA SILVA SANTOS






                          MEDALHA MARECHAL TROMPOWSKY

CEL PM ANTONIO CARLOS MENDES – Vice Presidente Sociedade Veteranos de 32-MMDC


SENHORA MARINEI CHALUB – Secretária da Sociedade Veteranos de 32-MMDC

Resultado de imagem para capitão gino struffaldi
Resultado de imagem para capitão gino struffaldi



Resultado de imagem para capitão gino struffaldi







Amanhã, dia 15 de Março, será realizada uma Solenidade em homenagem ao Herói Constitucionalista, Gino Struffaldi.
No dia 16 de março de 2013, a Câmara Municipal de São Paulo, inaugurou a Praça Capitão Gino Struffaldi em homenagem a este combatente que se destacou na Revolução de 1932 e possui uma história de lutas pela liberdade e importância para este Estado e também a Nação.


O evento ocorrerá na Bela Vista, ao lado da avenida 9 de julho, todos estão convidados para prestigiar essa linda homenagem ao Capitão Struffaldi.

#podeconfiarpmesp
CENTRO DE COMUNICAÇÃO SOCIAL PMESP.

BRASIL EM DESMANCHE - GENERAL LUIZ EDUARDO ROCHA PAIVA


Brasil em desmanche

O poder da esquerda e da liderança política fisiológica é fator de atraso e falência moral
·           
·           
·          
*Luiz Eduardo Rocha Paiva
01 Março 2017 | 03h11
Uma causa longínqua, mas decisiva, do desmanche do Brasil é o seu sistema de ensino deficiente na transmissão de conhecimentos, no desenvolvimento da cultura, na formação cívica do cidadão, na valorização da História e das tradições, o que enfraquece o patriotismo, e na conscientização de princípios morais e éticos, fatores de fortalecimento da sociedade. Essas deficiências facilitaram a implantação e expansão no País da crise de valores, nos anos 1960-1970, que contaminou a instituição da família globalmente e abalou sociedades imaturas como a brasileira.
Tal cenário foi explorado pela esquerda socialista, a partir dos anos 1960, permitindo-lhe o progressivo domínio do sistema de ensino brasileiro. Os partidos e movimentos dessa ideologia acabaram por dominar, também, o meio artístico e parte da mídia. Com os formadores de opinião nas mãos, promoveram a satanização da maioria conservadora, falsamente acusada de radical, regressista e avessa a anseios da população carente. Na verdade, “o conservadorismo não é contrário às mudanças, como se costuma supor, mas entende o progresso útil como proveniente do saber anterior e acumulado e, portanto, plantado nas virtudes e nos valores do passado” (Rohmann, Chris, O Livro das Ideias, Rio de Janeiro, Editora Campus, 2000, pág. 79).
A democracia não se sustenta em nações sem consciência cívica, Justiça legítima e eficaz, onde o Estado não provê as necessidades básicas à população e é gerido por lideranças desacreditadas. A esquerda socialista estava no poder desde 1994, primeiro a fabianista e depois a marxista, em parceria com lideranças patrimonialistas. Ambas são responsáveis por desacreditar a nascente democracia brasileira e afundar o País no mar de lama que sufoca a Nação. Com sua ultrapassada visão de Estado, governo e sociedade, os socialistas ditaram rumos desastrosos na busca do Estado de bem-estar social, num país que não alcançou o nível de riqueza capaz de sustentá-lo e mantê-lo em desenvolvimento. Imagine se tomassem o poder nos anos 1960.
A crise brasileira está no limite do suportável. A continuar o ritmo de deterioração política, econômica, moral e social, a tendência será o advento de rebeliões generalizadas, comprometendo a unidade política do País. Esse contexto é o resultado de mais de uma década de danosas políticas populistas eleitoreiras, de gestão econômica irresponsável e insustentável e da estratégia de corrupção para perpetuar o PT no poder.
O presidente da República e o PMDB foram parceiros da liderança petista e por isso também são responsabilizados pela crise nacional. Assim, embora o impeachment de Dilma Rousseff fosse o melhor para o País, e o processo tenha sido legal, era possível antever as dificuldades para o sucessor superar os óbices e recolocar o Brasil nos eixos.
Hoje, o Estado não cumpre o papel que lhe delega a Nação de garantir sua segurança, desenvolvimento e bem-estar. Na segurança pública a situação é de pré-anomia, pois o Estado não demonstra autoridade nem capacidade de controlar todo o território nacional, tampouco de exercer o comando e a disciplina sobre órgãos de segurança da população. A demora em controlar as revoltas em presídios das Regiões Norte e Nordeste e o motim da PM do Espírito Santo revelam leniência, indecisão e falta de vontade ou autoridade dos governos federal e estaduais. A mistura dessas fraquezas com o não atendimento das necessidades básicas da população é um estopim para a disseminação de revoltas capazes de provocar o caos político-social e comprometer a segurança nacional.
A efetiva reabilitação do Brasil, em todos os setores afetados, demandará mais de uma década, mas o ponto de partida e os alicerces da recuperação estão na economia. Será fundamental haver evidências seguras de reabilitação, nos próximos meses, para as tensões se amenizarem. Com isso o governo terá fôlego para encaminhar as soluções para os problemas dos setores político e social.
É justo reconhecer que o governo busca implementar medidas necessárias à recuperação econômica, mas precisa convencer a sociedade a aceitar sacrifícios. Ela concordaria em arcar com um pesado ônus para ajudar o Brasil a sair do abismo desde que o andar de cima apertasse, e muito, o próprio cinto. Porém a liderança nacional, nos três Poderes da União, não entende que o exemplo vem de cima e é a base moral da autoridade. Nos altos escalões do serviço público, da União e dos Estados, existem megassalários turbinados por benesses complementares, cuja legalidade sem legitimidade afronta a justiça. A socialização equilibrada desse custo é a única forma de legitimar sacrifícios impostos a uma sociedade sem reservas para cortar.
A deterioração da economia nos próximos meses geraria cenários de conflitos, pois as tensões sociais se agravariam, escalando para revoltas em diversas regiões e ameaçando os Poderes constitucionais e a unidade nacional. O Executivo sem a confiança da Nação, leniente, tímido e sem força política, ao lado de um Legislativo desacreditado e descomprometido e de um Judiciário dividido, terá sérias dificuldades para pacificar o País com base no arcabouço legal vigente. Para aquilatar o nível de violência desses conflitos basta lembrar que a unidade nacional é cláusula pétrea para as Forças Armadas.
A Nação precisa entender que o poder da esquerda socialista, ideologia liberticida e fracassada, e da nossa liderança política fisiológica é fator de atraso e falência moral. Elas afundaram o Brasil, promoveram a quebra de valores morais e do princípio da autoridade, bases da paz social, incentivaram a indisciplina no serviço público e fraturaram a coesão nacional. Como deter o desmanche do País, dentro das normas legais, com a Nação sujeita à forte influência socialista e sob o poder de lideranças fisiológicas tão difíceis de expelir?
*General da reserva, ex-comandante e professor emérito da Escola de Comando e Estado-Maior do Exército

PROPINA E O SEXO DOS ANJOS - ROBERTO DE ALMEIDA

"PROPINA" E O "SEXO DOS ANJOS"

Entrada
x

Roberto de Almeida


para GiselleMartatelfleschtelma-lobotelmaAndréRicardoRicardoRicardoricknnickelricardoallegrojoaolemosbarbo.JoaquimJoséTâmarajoseJosejosilspJoséJoseHelioDarioDarioDarciDario
AMIGOS

O  que  tem  a  ver  "propina"  com  o  "sexo  dos  anjos" ?   Na  minha  opinião,  nada.   Como  os  amigos  já  sabem,  na  Idade  Média  os  "teólogos",  talvez  por  falta  de  assunto  ou  excesso  de  tempo  "livre",  dedicavam-se  a  amplas  divagações  sobre  assuntos   que  fugiam  a  compreensão  da  "plebe"  tais  como  o  "sexo  dos  anjos",  ou,  tão importante  quanto,  se  "o  Diabo  podia  procriar".  Afinal  de contas  muitos,  especialmente   mulheres,  arderam   na  fogueira    por   acusações  que  diziam  respeito  a  estes  temas.

Parecia,  apenas   parecia,  que  anos  de  "racionalismo"    tinham  enterrado  estes  dilemas.   Entretanto,  aqueles  que  acompanham  o  noticiário  nacional  podem  constatar  que ,  se  enterramos  os  anjos  (com  ou  sem  sexo)  e   o  demônios (com  a capacidade  ou não  de  produzirem  rebentos)   outros  "temas"  (tão  esotéricos   quanto)   voltam  a  ocupar  a  mente  dos  "doutos"   que,  encastelados  nos  poderes  da  república,    dirigem   a  "plebe  rude"  deste  "lado  do  Paraíso".  

Substituímos   "anjos" e  "demônios"  por  assuntos  como  "propina".   Debruçam-se  os  nossos  "maiores"  à  discussão  do  que   é  "propina".   Realmente,  o  tema  está  assumindo   nas  cortes  da  república   e  nos  corredores  do  poder,  importância    que  os  "metafísicos"  medievais  atribuíam  ao  sexo  de  anjos  e  demônios,  para  admiração  dos  "simples"  e  perplexidade  dos  "boçais".


O  que  é  "propina"  ?   Eis  o  grande  tema  que  ocupa,  no  momento,  o  noticiário.  "Caixa  Dois"  é  propina  ?  É  um  desdobramento  do  tema.   Ora,   qualquer  pessoa  que  conheça os  rudimentos  da  contabilidade   sabe  o  que   é  chamado  de   "caixa  dois"  e  qual  a  sua  "utilidade".  Não  há  necessidade de  grandes  vôos   metafísicos   para  se  saber  um  pouco  sobre  a  matéria  e  sua  utilidade   no  dia-a-dia   das  empresas  que  utilizam,  tal  "expediente".

Na   minha   opinião,  com  o  avançar  das  investigações  da  "lava-jato",  aproximamo-nos  daquele  momento   em  que  é  necessário  o  tao  aguardado  - pelo  menos   por    uma  parcela  consciente  da  população  que  não  se  preocupa,  nem  tem  interesse  em  "samba-no-pé",  mas  está  mais  interessada  no  seu  futuro  e  o  dos  seus  filhos  -   em  que  é  dado  "o  pulo  do  gato"   para  que  tudo  termine    em  "pizza".     

É  interessante,  e  instrutivo,  observar-se  como  os  "conceitos"    tornam-se  "elásticos",  especialmente  na  área  jurídica,  onde,  "no  frigir  dos  ovos",  irão  morrer    as  esperanças éticas  dos  poucos,  neste  pais,   que  ainda  se  preocupam   com  a  justiça.

Claro  que  "alguns"  sofrerão  o  "peso  da  lei",  principalmente    nas   instâncias  iniciais.  A  figura  do  "bode  expiatório"  também  é  medieval.    Sobre  o  infeliz  "bode"  eram  "jogadas"  todas  as  culpas.  Com  isso,  salvavam-se  os  poderosos  e  aliviavam-se  as  consciências  e  dirigiam-se  as  "raivas"  e  "frustrações"   do  "zé  povo"  para  o  "bode".    Claro  que, atualmente,  a   situação  do  "bode"  ficou  mais  fácil,  principalmente  se  o  estado  (leia-se  o povo)  puder  pagar  pelas  "tornozeleiras".


BOA  NOITE,  BOA  SORTE