quinta-feira, 17 de janeiro de 2019

BOLSONARO X MADURO


Resultado de imagem para BOLSONARO X MADURO


Bolsonaro promete liderar ofensiva internacional para derrubar Maduro

Na próxima semana, presidente brasileiro lançará uma ofensiva em Davos em favor da legitimação do governo de transição na Venezuela, liderado pelo opositor Juan Guaidó, presidente da Assembleia Nacional






Tânia Monteiro e Leonencio Nossa / BRASÍLIA, O Estado de S.Paulo
17 Janeiro 2019 | 21h22
O presidente Jair Bolsonaro fará ofensiva no Fórum Econômico Mundial, em Davos, na próxima semana, para legitimar um governo de transição na Venezuela. A estratégia do Brasil de liderar abertamente o movimento internacional pela queda do presidente Nicolás Maduro foi discutida nesta quinta-feira por Bolsonaro e pelo ministro das Relações Exteriores, Ernesto Araújo, em reuniões ao longo do dia, no Palácio do Planalto e no Itamaraty, com opositores venezuelanos e representantes da Organização dos Estados Americanos (OEA).
Bolsonaro, porém, rechaçou pedidos de sanções econômicas, intervenção militar e instalação de um governo paralelo no território nacional.

Venezuela
Presidente Bolsonaro e o chanceler Araújo (E) recebem o presidente do Supremo venezuelano no exílio, Miguel Ángel Martín e o representante da OEA, Gustavo Cinosi (D) Foto: EFE/ Alan Santos
Em nota divulgada à noite, o Itamaraty indicou que deve apoiar um governo interino do opositor Juan Guaidó, presidente da Assembleia Nacional da Venezuela. “A reunião teve por objetivo analisar a situação da Venezuela decorrente da ilegitimidade do exercício da presidência por Nicolás Maduro e da manifestação do presidente da Assembleia Nacional, Juan Guaidó, de sua disposição para assumir a presidência da Venezuela interinamente, seguindo a Constituição venezuelana”, ressaltou o comunicado.
No encontro no Planalto, Bolsonaro aproveitou para atacar os antecessores. “Tudo nós faremos para que a democracia seja restabelecida, que vocês possam viver em liberdade”, afirmou, em vídeo divulgado pela Secretaria de Comunicação. “Nós nos sentimos de uma maneira bastante constrangida”, ressaltou. “Sabemos como esse desgoverno chegou ao poder, inclusive com a ajuda de presidentes que o Brasil já teve, como Lula e Dilma, e isso nos torna responsáveis pela situação que vocês em parte.”
Auxiliares de Bolsonaro relataram que o presidente fez questão de ressaltar que a “força” que tem dado ao movimento contra Maduro é de caráter humanitário. “Nosso objetivo é dar apoio político porque estamos preocupados com a população venezuelana”, disse o presidente, segundo assessores. “Estamos juntos nessa causa de vocês.”
Na reunião, Miguel Ángel Martín, presidente do Tribunal Supremo de Justiça da Venezuela em exílio, disse a Bolsonaro que as manifestações do brasileiro eram “palavras de esperança” pelo restabelecimento da democracia no país. Já Gustavo Cinose, assessor da OEA, afirmou que Bolsonaro expressou com “contundência” seu apoio para “finalizar” o sofrimento do povo venezuelano contra o “ditador” Maduro.
No fim do dia, em vídeo gravado ao lado de Martín e Cinosi, Bolsonaro disse que fará de "tudo" para restabelecer a democracia na Venezuela. "Então a gente pede a Deus, em primeiro lugar, e depois nós faremos, sim, continuaremos fazendo, tudo o possível para restabelecer aí a ordem, a democracia e a liberdade. (...) A gente pede ao povo da Venezuela resistência, muita fé e eu acredito que a solução virá brevemente", declarou Bolsonaro.
Foi num encontro com os ministros mais próximos que Bolsonaro decidiu, na terça-feira, recorrer a organismos e fóruns internacionais para tratar a questão da Venezuela, informaram duas fontes do Planalto. Além de Davos, o governo adotará um discurso contra Maduro na OEA e na ONU. A princípio, Bolsonaro participará, no dia 23, na cidade suíça, de um encontro intitulado “Diálogo sobre a crise humanitária na Venezuela”.
Bolsonaro e sua equipe definiram que a melhor estratégia é buscar parceiros especialmente na América do Sul com discurso sintonizado contra a Venezuela. Isso ficou claro no encontro do presidente brasileiro com o argentino Maurício Macri no Itamaraty na quarta-feira. Ao lado de Bolsonaro, Macri chamou Maduro de “ditador” e disse que as eleições que reelegeram o venezuelano foram um “escárnio” com a democracia. Um ministro do governo brasileiro afirmou à reportagem que Bolsonaro adotou um discurso “light” para não ofuscar as palavras de Macri, mas está disposto a “liderar” a “derrubada” de Maduro.
Bolsonaro também decidiu que não responderá diretamente a ataques de Maduro, que chegou a compará-lo a Adolf Hitler. Na avaliação do presidente brasileiro e sua equipe, Maduro busca um contraponto para se fortalecer no debate político do continente. É um jogo de xadrez, observou um auxiliar de Bolsonaro. O Planalto está consciente de que nem os Estados Unidos cortaram totalmente relações comerciais com Caracas, um exportador de petróleo. Por sua vez, os venezuelanos são responsáveis por toda a energia elétrica consumida em Roraima.

Campanha.

O deputado federal Eduardo Bolsonaro (PSL-SP), filho do presidente, participou da reunião da tarde no Itamaraty com o ministro Ernesto Araújo e opositores venezuelanos. Desde 2017, a família Bolsonaro mantém ligações com grupos de adversários de Maduro, como o Rumbo Libertad, que esteve nos encontros. Roderick Navarro, um dos líderes do grupo, recebeu apoio do então deputado Jair Bolsonaro nos últimos anos.
Ao final de cerca de dez horas de reuniões no Itamaraty, o ex-prefeito de Caracas Antonio Ledezma e o deputado oposicionista Julio Borges relataram à imprensa que pediram ao governo brasileiro que reconheça um governo de transição por parte do presidente da Assembleia Nacional da Venezuela, que se declarou substituto de Maduro. Também pediram que os órgãos de investigação do Brasil mirem nas movimentações financeiras e “criminosas” de Maduro.
“Pedimos que Bolsonaro pressione e castigue o ditador”, disse Julio Borges. “Queremos um capítulo final para a máfia e o crime organizado de Maduro”, completou. Tanto Borges quanto Ledezma fizeram contorcionismo para responder se Bolsonaro estava disposto a adotar sanções econômicas. “Não são sanções contra a Venezuela, mas contra a camarilha que saqueia o país”, disse Ledezma. / COLABORARAM MARIANA HAUBERT E DANIEL WETERMAN

A PEDIDOS DE ASSOCIADOS, ESTOU ENCAMINHANDO RELATÓRIO DE JANEIRO DE 2018, ONDE A SOCIEDADE VETERANOS DE 32-MMDC PASSOU POR SÉRIO SUFOCO FINANCEIRO, JUSTAMENTE O QUE ESTÁ ACONTECENDO EM JANEIRO DE 2019



4 DE JANEIRO DE 2018   -   QUINTAFEIRA
Depois de passar vários dias em casa, uma vez que o MMDC está em recesso, saio por volta das 11 horas. Vou almoçar no GRILL JOÃO MENDES com MAURÍCIO, MANOELA e SOPHIA. Precisamos acertar alguns negócios na data de hoje, na agência do BANCO DO BRASIL, no interior do Corpo de Bombeiros da SÉ.
Depois, vou ao MUSEU MILITAR. Encontro o GABRIEL trabalhando na cobrança dos associados. Sua mãe, MARINEI, continua de férias e somente no final de janeiro é que podemos contar com ela. A ideia é fazer a Sociedade Veteranos de 32-MMDC passar por uma reestruturação no sentido de valorizar suas honrarias. Em 2017, muitas solenidades não tiveram o cuidado com nossas medalhas e o MMDC passou a ser mero coadjuvante em vários eventos. Isso precisa ser corrigido agora. Já temos em mente algumas ideias, principalmente quanto aos batalhões da PMESP, onde o Comandante da Unidade deverá se entender com a Presidência do MMDC e não deixar nas mãos de soldados, cabos e sargentos, como aconteceu em dezenas de vezes, em detrimento para a imagem da Sociedade.
Atendemos as filhas do veterano da revolução constitucionalista, NILO PORTO, falecido no dia 23 de junho de 1986. Elas trazem as cinzas do combatente de 32 para serem imortalizadas no Monumento Mausoléu ao Soldado Constitucionalista de 32, no próximo 9 de julho.
Uma das filhas de NILO PORTO é a nossa associada CYNTHIA THEODORO PORTO, que, recentemente, no dia 22 de dezembro, foi condecorada com o COLAR DA VITÓRIA.

7 DE JANEIRO DE 2018 - DOMINGO
Através whatsapp, entro em contato com o nosso primeiro associado jurídico LUIZ FERNANDO. Solicito a ele sugestões para a implantação do PLANO DE AÇÃO para 2018 na Sociedade Veteranos de 32-MMDC.
Também mando uma mensagem para os Presidentes de Núcleos:
Senhores Presidentes, Senhoras Presidentes de Núcleos.
Em 2017, as Honrarias da Sociedade Veteranos de 32-MMDC foram banalizadas de tal maneira que precisamos tomar medidas sérias para que fatos desagradáveis não se repitam em 2018, tais como: não cumprimento de prazos, entrega de medalhas sem o devido diploma. Falta de currículos ou currículos mal feitos e contendo erros de nomes; assinatura nos diplomas de pessoas não credenciadas, diplomas entregues sem a assinatura do Presidente do Conselho de Honrarias e Mérito; Tomada de Decisões à revelia do presidente da Sociedade; desvalorização da Honrarias, com entregas com segundas intenções, enfim o cometimento de erros que comprometem as finalidades do MMDC e de seus Núcleos. Para que tenhamos uma Sociedade cônscia de suas responsabilidades, vamos elaborar um Plano de Ação para 2018 com a colaboração de todos e de todas as presidências de Núcleos. Mandem sugestões até 24 de janeiro pelo e – mail celmario@gmail.com
Mando essa mensagem para a MARINEI, para conhecimento e frisando que a nossa prioridade zero é o desconto em folha de nossos associados da PM.
MARINEI responde que precisamos trabalhar, com muito empenho, nas Escolas de Formação da PM no intuito de divulgar o trabalho da Sociedade e conseguir novos associados.
O núcleo campeão de atrapalhadas no ano passado foi o MMDC-IBIRAPUERA “HERÓIS DE 32”, que esteve a ponto até de ser desativado. Não podemos aceitar as confusões praticadas por esse núcleo, em detrimento da Sociedade e de seus núcleos. Amanhã irei mandar uma mensagem nesse sentido para o GRUPO DA ALESP, pois foi justamente nas sessões solenes da ALESP que aconteceram as maiores confusões em 2017. Para o ano que está se iniciando, não poderemos tolerar tais desmandos, cometidos por incompetência ou então por segundas intenções.  

10 DE JANEIRO DE 2018 – QUARTA-FEIRA
Às 13 horas, saio de casa e vou para o MUSEU MILITAR. Tenho uma grande surpresa em lá chegando. O GABRIEL está descendo as escadas e diz que sua mãe quer falar comigo.
MARINEI, muito nervosa, traz ao meu conhecimento que um ladrão furtou o notebook de uso do GABRIEL. Além de levar essa aparelho, o gatuno também levou os cinquenta reais que ontem recebemos do LIGIERI como taxa de cinco diplomas que assinei (as medalhas já tinham sido entregues no ano passado). Vamos levar ao conhecimento do CORONEL PM GALDINO essa nova situação de furto na sala de uso da Sociedade Veteranos de 32-MMDC. O nosso erro foi não trancar a porta, coisa que fazemos hoje, tarde demais. Não é a primeira vez que ocorre furto na sala. Em outubro de 1916 roubaram o meu celular; depois sumiu uma quantia de 200 reais e agora é o notebook que desaparece.
Ficamos a tarde toda comentando o acontecimento. Acontece que também vem à baila a situação da Sociedade, que se encontra no “vermelho”. MARINEI conta que essas suas férias estão sendo prejudicadas pela sua preocupação para com o MMDC. Está terminando de fazer o balancete de 2017 e demonstra muita mágoa pelo tratamento que alguns associados lhe dedicam. Ela não quer mais continuar como funcionária da Sociedade.
MARINEI vai me trazer até em casa e trocamos ideias de como deveremos proceder daqui por diante na Sociedade. A primeira medida que tomo é cancelar toda entrega de medalhas, uma vez que a banalização das honrarias da Sociedade é um dos motivos da evasão de associados. Como está prevista uma sessão solene na Assembleia Legislativa, no dia 7 de fevereiro, também anuncio que isso não será possível acontecer. MANDO mensagens para o MAJOR PM NATANAEL, HERNNANY GUTIERREZ, CAMILA GIUDICE e outras pessoas.
Ainda não sabemos ao certo o quanto é o rombo nas contas, mas MARINEI calcula que seja acima de dez mil reais. Ela retornará das férias em 22 de janeiro. Dessa data em diante iremos tentar reverter essa situação, sob pena de nos afastarmos da Sociedade. Parece que essa é a intenção de certas pessoas, não aquilatando o perigo de termos de encerrar nossas atividades. 

14 DE JANEIRO DE 2018    :      -     DOMINGO
Por volta das 9:10 horas, sou surpreendido com uma mensagem, via celular, da MARINEI, nos seguintes dizeres:
Bom dia, Coronel !
Devido a situação emergencial da Sociedade, que está no vermelho e o juro é altíssimo, o que o Senhor acha de interromper minhas férias amanhã para trabalhar com afinco nisso enquanto há tempo?
Eu proponho para o Senhor voltar amanhã e depois, com a cabeça mais tranquila, eu tiro essa semana de férias que resta.
Que é que o Senhor acha?

Concordo com a ideia da MARINEI, visto que é uma preocupação que está perturbando a nossa secretária. Ao mesmo tempo, elaboro a seguinte mensagem que vai para todos os grupos que estão em meu celular, bem como vários associados e amigos (as):
Face as dificuldades financeiras da Sociedade, vamos antecipar o retorno às atividades para 15 de janeiro. O pagamento de juros bancários é algo que está afundando com o Caixa.
Como ajuda emergencial solicito o pagamento das contas atrasadas e doações para sanar o saldo negativo do Caixa da Sociedade.
Entrega de Medalhas NEM PENSAR nesse momento aflitivo !
Recebo, em imediato, algumas sugestões, mas todas “furadas” que não resolvem o problema do MMDC. Aulas de economia não coadunam com a crise. Precisamos encontrar um meio sadio de evitar a pré-falência da Sociedade. Sabe-se, de há muito, que o “rombo” nas contas da Sociedade dá-se porque os associados, mais da metade, não pagam suas mensalidades.
Alguns falam em diminuir os gastos da Sociedade. Estão completamente alheios aos nossos reais problemas. Não temos gastos. Pagamos somente o essencial. Apenas temos duas pessoas no nosso quadro de funcionários e as mesmas desdobram-se para fazer tudo. O essencial seria ter quatro funcionários, mas isso não podemos nos dar ao luxo de ter.
Passo uma parte do domingo realmente preocupado com a atual situação da Sociedade, mas, a partir de amanhã, havemos de resolver o problema.  

15 DE JANEIRO DE 2018     :    -      SEGUNDA-FEIRA
De acordo com o pedido feito pela MARINEI na data de ontem, estamos encerrando as férias da Sociedade Veteranos de 32-MMDC e retornando às atividades administrativas, face a situação crítica no que tange às finanças. Precisamos encontrar meios para estancar a hemorragia no Caixa.
Na tarde, na sala de uso da Sociedade Veteranos de 32-MMDC, no MUSEU MILITAR, encontramos a MARINEI e o GABRIEL atarefados no sentindo de expedir boletos para os associados pagarem o primeiro trimestre do ano. Acontece que a dívida é muito grande, cerca de 17 mil reais. Estamos aceitando novos associados, cobrando os antigos e procurando doadores. Faço ligação para duas pessoas que poderiam auxiliar o MMDC nessa triste realidade. Pouca coisa conseguimos.
Recebemos a visita do Professor AGUIAR, Presidente do Núcleo de Correspondência de SÃO PEDRO. Estava atrasado em seus pagamentos. Acerta a situação dele e entra numa série de conjecturas, tentando auxiliar a Sociedade, mas somente no campo das ideias. Isso não resolve o problema. MARINEI quer encontrar um meio de estancar a sangria, pois os juros abusivos do banco vai “engolir” algum dinheiro que não temos.
Essa é uma tarde infeliz para nós. Sentimos um certo abandono por parte dos associados que estão mais próximos de nós. Pode ser que muita gente ainda esteja de férias. Não foi bom o primeiro dia de atividades na Sociedade, embora estejamos seriamente preocupados com essa delicada situação.
Também visita a Sociedade o fotógrafo VALCACER. Ele vem trazer um DVD com centenas de fotos tiradas no dia 19 de dezembro na solenidade que aconteceu na Secretaria do Meio Ambiente e no dia 20, no Obelisco.
Saímos do MUSEU por volta das 16:30 horas. MARINEI leva-me até em casa e conversa, exaustivamente, sobre as medidas que serão necessárias nessa altura dos acontecimentos.

16 DE JANEIRO DE 2018     :      -      TERÇA-FEIRA
A Sociedade Veteranos de 32-MMDC apresenta um quadro preocupante no início de janeiro. Está com um saldo negativo de mais de 17 mil reais. E essa quantia vai crescendo dia-a-dia, face juros escorchantes bancários.
Depois de uma noite mal dormida, onde, como presidente da Entidade, sinto-me na obrigação de corrigir esse problema financeiro, não vejo outra saída, a curto prazo, de apelar, humildemente, aos amigos, no sentido de solicitar doações para resolver de imediato esse problema.
É vergonhoso tomar essa atitude, mas acredito que não seja mal compreendido. As razões do déficit estão na evasão de uma centena de associados ao longo de 2017, cujos motivos estão sendo alvo de estudos da Diretoria Executiva e dos Presidentes de Núcleos e Comissões, que se reunirão no dia 20 de fevereiro para a apresentação de medidas saneadoras. 
O MMDC se agigantou com a criação de dezenas de núcleos, cuja finalidade seria a expansão da própria Sociedade, mas se esqueceu que não tinha uma administração em condições de enfrentar a demanda que veio com essa posição tomada pelo Presidente.
Durante o ano de 2017 foram realizadas 321 solenidades, dando a aparência de que a Sociedade estaria no apogeu, mas a verdade era outra e a realidade exige agora uma posição de recondução dos destinos do MMDC.
Conto com sua ajuda ! PRO MMDC FIANT EXIMIA!.

Essa situação mexeu ontem com minha saúde. Não consigo separar minhas outras atividades com o problema do MMDC. Na tarde, contrariado, vou para o MUSEU MILITAR. Encontro MARINEI e GABRIEL trabalhando na confecção de boletos. Eles vieram para a Sociedade antes das 7 horas. É ponto de honra da MARINEI fazer tudo para tirar o MMDC dessa enrascada. Tentamos contatos com associados inadimplentes e outros com poderão nos ajudar com doações. Pouca coisa conseguimos. Uma vantagem é que o saldo negativo baixou para 16 mil reais. Não é quase nada, mas pelo menos não subiu.
Essa tarde é sofrível. Não é fácil a nossa situação. E estamos quase que sozinhos nessa luta. Por enquanto as manifestações de associados não levaram nada que resolvesse o problema. Às 16 horas, MARINEI deixa-me no ponto de ônibus COCAIA. Hoje é rodízio de seu carro. 

18 DE JANEIRO DE 2018    :   -     QUINTA-FEIRA
Estou atravessando uma fase muito ruim na Sociedade Veteranos de 32-MMDC. A centena de pessoas que se afastou não está respondendo aos nossos contatos. São poucos aqueles que se manifestam e uma coisa fica patente: a banalização das honrarias da Sociedade, em 2017, criou um clima sufocante na instituição: ficou patente que não precisava ser associado para ser condecorado. E a realidade se tornou um motivo de fracasso, que se fez notar no débito financeiro. Nunca passei momentos tão desagradáveis como agora no MMDC. Agora, com a decisão de não mais entregar as honrarias da Sociedade, até que tudo se equalize, está sendo aplaudida por algumas pessoas que mantém contato conosco. Um deles é o CORONEL PM LUIZ EDUARDO PESCE DE ARRUDA.
Logo cedo, tomamos ciência que o metrô está parcialmente parado, em greve. Na LINHA AZUL, a que uso, apenas depois da estação LUZ, em direção ao JABAQUARA, os trens estão funcionando.
Pessimista, passo uma manhã de reflexões e pensamentos do que iremos fazer daqui para diante. Em casa, LUCINDA está com a visita de seu irmão AMÉRICO.
Por volta das 13 horas, embarco para a ARMÊNIA. Com a paralisação do metrô naquele trecho, faço o caminho a pé até o MUSEU MILITAR. MARINEI e GABRIEL estiveram, pela manhã, no 3º DP, para registrar o furto acontecido na sala do MMDC, quando “levaram” um notebook. Acontece que eles foram muito mal atendidos e ficaram perdendo um precioso tempo, esperando a vez de fazer o registro da queixa. Acabaram desistindo de registrar esse furto.
Nesta tarde nada acontece de extraordinário. Apenas surge um soldado trazendo 25 currículos de indicados pelo 45º BPMM para receberem a medalha MMDC da sociedade em 21 de fevereiro. MARINEI faz uma ligação com essa Unidade. Atende o MAJOR PM CASTROPIL. É explicado a ele a atual situação da Sociedade e o impedimento de fazermos solenidades de entrega de medalhas. CASTROPIL concorda com as medidas tomadas pela Sociedade. Diz que irá passar para a reserva neste ano e promete ajudar no que for possível.
Numa tarde sufocante, desanimada, MARINEI me conduz para casa, depois das 16 horas. Ela está me ajudando muito nesse episódio tão delicado.

19 DE JANEIRO DE 2018 – SEXTA-FEIRA
Mas o mais importante desse evento (46º Aniversário do CPChq ao qual compareço nesta manhã) foi a conversa que tive com o fotógrafo CLÓVIS, conhecedor de tudo que se passa nas solenidades de entrega de medalhas da Sociedade Veteranos de 32-MMDC. Agora que estamos reformulando as estruturas de uma nova Entidade, face uma série de erros cometidos em 2017, ele conta o dinheiro que rolou nos bastidores dessas solenidades, coisa tenebrosa e que não era do conhecimento da Sociedade. Vem corroborar a banalização das medalhas e constatar o que o Professor ADILSON CÉZAR, Presidente do Conselho de Honrarias e Mérito, comentou, por escrito, em torno de boatos surgidos ultimamente.
Precisamos de testemunhas que estejam dispostas a depor nas acusações em torno do estelionato cometido com as medalhas da Sociedade. Será que irão surgir ???
É duro saber de tantas safadezas à custa da Sociedade Veteranos de 32-MMDC e é mais um motivo para que passemos a construir um novo MMDC, doa a quem doer. A verdade é que o presidente foi enganado dezenas (ou centenas) de vezes, imbuído de que tudo estava correndo certo.
É a chamada banda podre da Sociedade e vamos ter que resolver essa situação grave.
Mais tarde, liga-me no celular a MARIA CECÍLIA, encarregada de fazer a cobrança de 70 pessoas que deixaram de pagar as mensalidades. E ela reforça o descontentamento de muitos ex-associados, que deixaram a Sociedade por causa da esculhambação em torno das honrarias do MMDC e de seus núcleos. Aos poucos, vão encaixando os motivos que levaram a Sociedade ao saldo negativo de dezessete mil reais e que vai ser difícil resolver em poucos dias.
Deixando o CPChq, vou para o MUSEU MILITAR, que fica bem perto. MARINEI e GABRIEL estão atentos na cobrança de boletos. Estão surgindo novos associados, como era de se prever. É necessária haver a moralização do MMDC e separar os maus intencionados. MARINEI elabora uma mensagem para os Presidentes de Núcleos, solicitando o RECADASTRAMENTO dos mesmos. Ainda há diretores (talvez até presidentes) que não estão em dia com os cofres da Sociedade. Tudo precisa ser revisto em 2018.
Convido a MARINEI e o GABRIEL para almoçar na Rua JOÃO TEODORO. Há uma certa tristeza entre os dois. O GABRIEL não conseguiu uma nota classificatória no concurso para soldado da PM. Ficou em 11 mil e está descartado do total que será chamado. MARINEI lutou muito para que o filho estudasse, mas o GABRIEL é muito dispersivo nesse sentido. Dificilmente pega nos livros para se dedicar com afinco aos exames. Esse é realmente o grande problema que aflige a família do WANDER e da MARINEI. Mas nem tudo está perdido e o GABRIEL poderá rever o seu fracasso. Outros exames virão e ele deverá continuar os estudos a partir de agora.
Retornando para GUARULHOS, vamos nos entendendo quanto ao grande desafio que temos pela frente: a reconstrução de uma nova Sociedade e a valorização de nossas honrarias. Os fatos vão sendo descobertos e vai-se descobrindo os motivos sérios que levaram os associados a deixar o MMDC.

23 DE JANEIRO DE 2018 – TERÇA-FEIRA
Minha ideia era chegar às 14:30 horas no MUSEU MILITAR. No entanto, na Rua DOUTOR JORGE MIRANDA sou interpelado por três pessoas conhecidas que estão sabendo da crise financeira que atravessa a Sociedade Veteranos de 32-MMDC. Explicam-me que a banalidade na entrega das medalhas da Sociedade, nos dois últimos anos, onde não há necessidade de ser associado para ser condecorado, criou esse drama para o MMDC. Apoiam a tomada de posição do presidente, onde está proibida a entrega de medalhas enquanto essa crise perdurar. Acham eles que a medida acertada é reformular toda a Sociedade. A ânsia de possuir uma medalha levaram os meus interlocutores a procurar, de uma maneira escusa, o “jeitinho” da compra da honraria. Todos eles foram condecorados nas famosas sessões solenes propostas pelo Deputado Estadual CORONEL PM TELHADA. Surgem os núcleos MMDC-LESTE e MMDC-IBIRAPUERA “HERÓIS DE 32” como os intermediários nas indicações das medalhas. A Sociedade Veteranos de 32-MMDC não sabe a profundidade das coisas que aconteceram nessas entregas indevidas de medalhas, pois fogem aos preceitos da sede.
Também no MUSEU MILITAR, encontro com conhecidos que querem saber como está a Sociedade Veteranos de 21-MMDC.
Na sala de uso da Sociedade, no MUSEU MILITAR, encontro o GABRIEL e a MARINEI tratando das cobranças dos associados. A crise financeira somente não se tornou pior, mas pouco melhorou nesta semana. Nossos diretores estão arredios. Ninguém quer falar com a presidência por enquanto. Talvez ainda estejamos em época de férias e vamos aguardar o mês de fevereiro para tomar outras medidas. Apenas a LARISSA mandou uma mensagem perguntando se a situação melhorou.
Hoje é rodízio do carro da MARINEI. Ela sai exatamente às 16 horas. Deixa-me na ARMÊNIA. Estou já viajando de regresso para GUARULHOS quando cai violenta pancada de água. Durante duas horas, numa viagem complicada, com muita chuva, faço o retorno para casa.

27 DE JANEIRO DE 2018    :      -     SEXTA-FEIRA
Nesta manhã, não sairei de casa. Não adianta ir para SÃO PAULO nesta sexta-feira, pois foi decretado ponto facultativo pelo governador. A maioria estendeu o feriado do aniversário da cidade ao final de semana.
Tenho a ideia de colocar uma mensagem no FACEBOOK lançando a CAMPANHA DOS MIL ASSOCIADOS para o MMDC.
Assim é que redijo o seguinte:
CAMPANHA DOS MIL ASSOCIADOS
A Sociedade Veteranos de 32-MMDC tem como princípios estatutários a preservação, na memória do povo, a dignidade e a grandeza do Movimento Constitucionalista de 1932 e. para tanto, promove eventos cívico-militares e religiosos visando a rememorar os feitos e figuras expressivas da EPOPEIA DE 32, principalmente nas datas de 23 de maio, 9 de julho e 2 de outubro.
Congrega os sócios em um corpo único, com o intuito de defender intransigentemente, os interesses da classe, sem nunca perder de vista a inserção da mesma no campo dos altos objetivos nacionais.
Promove o entrosamento dos descendentes dos veteranos, oficiais e praças da Polícia Militar do Estado de São Paulo, em atividade ou inativos, visto que são herdeiros das tradições da Corporação, na sua participação ativa no Movimento Constitucionalista de 1932.
Imortaliza os despojos dos heróis constitucionalistas no Monumento Mausoléu ao Soldado Constitucionalista na solenidade de 9 de Julho.
Organiza núcleos na capital e no interior de São Paulo, mantendo estreito relacionamento com o Comando da Polícia Militar do Estado, com vistas às suas finalidades. Atualmente foram criados nos último anos cerca de 66 núcleos, principalmente na Academia de Policia Militar do Barro Branco, Escola Superior de Sargentos, Escola Superior de Soldados, Escola Superior de Bombeiros, e também em várias Unidades da Capital (Regimento de Polícia Militar “9 de Julho”, 1º BPChq “TOBIAS DE AGUIAR”, etc).
Defende o modo de vida brasileiro e as tradições, ideais e interesses da Pátria, em concordância com os preceitos constitucionais, intransferíveis e impostergáveis, atribuídos a todos os brasileiros.
Foi reconhecida de utilidade pública pelo Decreto Estadual nº 5.530, de 14 de janeiro de 1960 e pelo Decreto Municipal nº 8.790, de 23 de maio de 1979.
Tendo em vista a expansão da Sociedade Veteranos de 32-MMDC nos últimos anos, há uma necessidade urgente de lançarmos a Campanha dos Mil Associados, tendo como polos geradores do novos participantes da Sociedade os seus Núcleos.
As pessoas que estiverem interessadas em participar dessa luta iniciada em 7 de julho de 1954, movidas principalmente pelo espírito cívico-patriótico, poderão entrar em contato com A Sociedade Veteranos de 32-MMDC através dos e-mails sociedade32@gmail.com  ou celmario@gmail.com ou ainda através do telefone 3105 8541. Poderão também comparecer pessoalmente à Sociedade, atualmente localizada, para fins de trabalho, no Museu Militar da Polícia Militar do Estado de São Paulo, Rua Doutor JORGE MIRANDA, 308, no bairro da LUZ.
Os Núcleos da Sociedade Veteranos de 32-MMDC, tanto na cidade como no interior de São Paulo irão participar ativamente na CAMPANHA DOS MIL ASSOCIADOS, tendo como meta, além dos princípios estatutários, o fortalecimento da Instituição e a busca constante de novos destinos para o MMDC.   
Essa CAMPANHA é anunciada pelo FACEBOOK.

29 DE JANEIRO DE 2018     :      -      SEGUNDA-FEIRA
Vamos iniciar uma semana com a ideia fixa de reconstruir a Sociedade Veteranos de 32-MMDC. Erramos muito, por causa dos outros, em 2017. Houve um festival de entrega de medalhas, onde aconteceram interesses escusos que denegriram a nossa Entidade. Fica difícil esse trabalho. Hoje, a MARINEI traz ao meu conhecimento que o saldo bancário continua negativo em quinze mil reais. Na realidade isso é muito mais porque ela ainda não recebeu o seu ordenado (abriu mão disso por causa desse saldo negativo).
As ajudas não vieram como nós pensávamos que viessem. Muita gente deixa isso de lado. Apenas “ignoram” as dificuldades que a Sociedade está passando. Fazem de conta que o assunto não é deles.
Nesta tarde, passa pelo MUSEU MILITAR o RODRIGO GUTENBERG. Ele é o presidente do CONSELHO FISCAL. Conversamos sobre a necessidade de reunir o CF para a aprovação das contas do ano passado. O assunto também gira em torno das dificuldades que a Sociedade está passando e quais foram os motivos que a isso levaram. A CAMPANHA DOS MIL ASSOCIADOS é comentada. MARINEI está transmitindo a todos os associados os dizeres publicados no FACEBOOK. Agora é o momento de mudar os destinos da Sociedade, afastando os maus elementos.
Quase no final do expediente desta segunda-feira, recebemos a visita do JOSÉ JANTALIA. Ele também quer saber a situação do MMDC.
MARINEI tem planos para os dias vindouros. Nosso objetivo maior é a CAMPANHA DOS MIL ASSOCIADOS. Ela, talvez, é a principal “vítima” de tudo isso. Não recebeu o seu ordenado de janeiro e vê como muito ceticismo o destino da Sociedade. Tem trabalhado ao máximo para efetuar as cobranças, através de boletos, mas não consegue êxito. Ela me transporta até minha residência e promete ajudar no que for possível   

30 DE JANEIRO DE 2018 : - TERÇA-FEIRA
Uma manhã de trabalho em minha biblioteca. Pelo celular, converso com o CAPITÃO PM VALDIR, oficial de ligação da Sociedade com o Núcleo da Escola Superior de Bombeiros. Trata-se da solenidade marcada para 22 de fevereiro, com entrega das Medalhas do núcleo. É uma exceção que estamos fazendo, uma vez que embargamos todas as entregas de Medalhas da Sociedade, face ao estado financeiro do MMDC. Esse núcleo vai se empenhar na Campanha do Mil Associados e é conveniente que façamos esse evento.
Vou tarde para a Sociedade Veteranos de 32-MMDC. Uma pessoa está me aguardando para tentar descobrir onde está sepultado um veterano de 32. É um SubTenente reformado do EB, DELSON BENTES GOMES. Ele adquiriu um terreno que pertenceu a esse voluntário da revolução constitucionalista, HERONDINO DA FONSECA. Foi o seu nome citado nas pesquisas do 4º Núcleo de Correspondência da Sociedade – SÃO VICENTE e desde o ano passado ele solicitou essa informação do MMDC. Nada conseguimos descobrir acerca de HERONDINO DA FONSECA, muito embora os nossos outros núcleos tenham efetuado pesquisas em torno do nome.
Enquanto converso com DELSON BENTES GOMES, MARINEI e GABRIEL continuam empenhados com os nossos associados. O saldo negativo ainda é nossa grande preocupação. O pior é que os diretores da Executiva fogem do problema, não mantendo nem contato conosco. Mantenho contato com o CAPITÃO PM LUIZ HUMBERTO CAPARROZ, nosso Secretário das Medalhas. Ele foi transferido da APMBB para o CPA/M-1. Quero divulgar a Campanha dos MIL ASSOCIADOS e preciso fazer uma visita a esse Comando. CAPARROZ conta que o CORONEL PM CANGERANA, Comandante da Área Centro, está respondendo pela vaga de um coronel no CPC. O tenente-coronel que está no Comando não se encontra no momento e essa minha pretensão lhe será transmitida assim que ele chegar.
Na campanha dos Mil Associados precisamos ir a campo nessa busca que se tornou atualmente a prioridade zero da Sociedade. O TENENTE-CORONEL PM SANTIAGO, comandante do 2º BPMM, está propenso a ajudar a Sociedade, principalmente quanto ao desconto em folha dos associados pertencentes à PMESP. Mantenho um contato, via celular, mas uma visita ao 2º BPMM não pode ser nessa semana. O TENENTE-CORONEL PM SANTIAGO encontra-se em gozo de férias. Antes, através do MAJOR PM NATANAEL, tinha tentado marcar um encontro com o Comandante do 2º BPMM para a próxima quinta-feira.
Outra pessoa que precisamos contactar é o vereador TONINHO PAIVA. Vai-se aproximando a data de 15 de março e a realização do tradicional evento no PARQUE CAPITÃO GINO STRUFFALDI. Talvez consigamos conversar com TONINHO PAIVA na próxima sexta-feira, em seu diretório político no TATUAPÉ. Face a situação financeira da Sociedade, talvez possamos minimizar o problema com a realização dessa solenidade e a entrega do COLAR DA VITÓRIA.
Hoje é rodízio do carro da MARINEI. Ela me deixa na ARMÊNIA um pouco depois das 16 horas. Acontece que está chovendo e sou obrigado a enfrentar a água que cai até chegar no ponto de ônibus COCAIA.

31 DE JANEIRO DE 2018 – QUARTA-FEIRA
Na tarde, na sala de uso da Sociedade Veteranos de 32-MMDC, no MUSEU MILITAR, chego por volta das 14:30 horas. Encontro o CABO PM WANDER, MARINEI e GABRIEL. Logo vou atender a uma antiga associada, residente em SANTO ANDRÉ, que se encontra adoentada e solicita isenção da taxa de contribuição mensal. Vamos estudar essa situação dela na próxima reunião da Diretoria Executiva.
JOSÉ REIS e RODRIGO GUTENBERG comparecem depois das 15 horas. O RODRIGO é o Presidente do CONSELHO FISCAL e conseguiu que o JOSÉ REIS participe do CONSELHO FISCAL em reunião marcada para o dia 5 de fevereiro, às 14 horas, para o estudo do balancete anual da Sociedade Veteranos de 32-MMDC.
REIS irá levar ao conhecimento da Secretaria da Cultura a necessidade da Sociedade em receber ajuda financeira. Vai ser feito um “book” para ser apresentado a esse órgão estatal. Também discutimos a figura do associado jurídico que será incrementada na Sociedade, juntamente com a campanha dos Mil Associados.
Depois da partida do REIS, o RODRIGO conversa durante um bom tempo com a MARINEI sobre a situação financeira da Sociedade, ainda com os problemas do “vermelho” do Caixa.
Vamos sair do MUSEU quase às 17 horas. WANDER, MARINEI e GABRIEL vão me levar até em casa. No caminho, pelo celular, atendo a NORMA, assessora parlamentar do vereador TONINHO PAIVA. Combinamos um almoço, na próxima sexta-feira, no escritório do vereador, no TATUAPÉ, a fim de estudarmos o evento que estamos querendo desenvolver no próximo dia 15 de março, no PARQUE CAPITÃO GINO STRUFFALDI.
Procuro manter contato com o CORONEL PM ANTONIO CARLOS MENDES, que se encontra no GRANDE ORIENTE DE SÃO PAULO. Não consigo. Acontece que logo após a reunião do CONSELHO FISCAL precisa ser realizada a reunião do CONSELHO DELIBERATIVO, para os estudos de aprovação ou não do balancete de 2017. Deixo recado para ele nesse sentido.