terça-feira, 22 de maio de 2018

Encenação Histórica do dia 23/05/1932

Encenação Histórica do dia 23/05/1932

23 DE MAIO DE 2018 - 86º ANIVERSÁRIO DO DIA DA JUVENTUDE CONSTITUCIONALISTA

EXTRAÍDO DAS MEMÓRIAS DO VENTURA


86 a. do DIA DA JUVENTUDE CONSTITUCIONALISTA DE 1932. Pela manhã, o interventor Federal em São Paulo, Embaixador PEDRO DE TOLEDO declara: “O trabalho diabólico desenvolvido no RIO, por alguns políticos coligados, visa enfraquecer minha autoridade e impedir a solução do caso paulista”.
Por volta das 16 horas, realiza-se na Praça do Patriarca, o comício monstro em favor do restabelecimento da autonomia do Estado e da reconstitucionalização do país. O povo em massa dirige-se aos CAMPOS ELÍSEOS e exige por meio de discursos inflamados a organização do secretariado do governo em consonância com a vontade do povo.
E nessa oportunidade que assomando â janela do palácio o professor FRANCISCO MORATO anuncia a escolha dos novos secretários do Interventor Federal.
O Secretariado ficou assim constituído: Educação - Dr JOSÉ RODRIGUES ALVES SOBRINHO; Agricultura – FRANCISCO DA CUNHA JUNQUEIRA; Fazenda – PAULO MORRAIS BARROS; Justiça – Professor WALDEMAR FERREIRA; Viação – FONSECA TELLES; Departamento de Organização Municipal – JOAQUIM SAMPAIO VIDAL; Prefeitura da Capital – GODOFREDO DA SILVA TELES.
No cair da tarde e o surgir da noite a massa humana se agiganta pelo Pátio do Colégio, ruas e praças contíguas. Populares sacam de suas armas e fazem disparos para o ar a guisa de salvas no momento em que SILVA GORDO passa a Secretaria da Justiça a WALDEMAR FERREIRA. O povo, não satisfeito com as vitórias alcançadas dirige-se à sede dos jornais: “RAZÃO”, órgão de OSVALDO ARANHA, o “CORREIO DA TARDE”, de MIGUEL COSTA, incendiando-os.
Daí o povo ruma contra a sede da LEGIÃO REVOLUCIONÁRIA, o PARTIDO POPULAR PAULISTA, o qual era chefiado por MIGUEL COSTA nos altos da Rua BARÃO DE ITAPETININGA, esquina da PRAÇA DA REPÚBLICA.
Por volta das 20:30 horas na PRAÇA DA REPÚBLICA o povo atacava a sede do PPP, instalado à Rua BARÃO DE ITAPETININGA, número 60 (hoje Prédio 298, esquina da Praça). A fuzilaria é intensa de lado a lado. Todos os lampiões de gás nas imediações e as poucas lâmpadas estavam quebradas por tiros. Os atacantes, uns atrás das árvores, outros deitados, defendiam-se, atacavam e socorriam os feridos. As ambulâncias ficam postadas nas Ruas SÃO LUÍS, 7 DE ABRIL e 24 DE MAIO. Enquanto um mulato distribuía munições, o povo lutava desesperadamente a fim de invadir o prédio.
Quando era meia-noite, os atacantes já tinham duas baixas: EUCLYDES MIRAGAIA e ANTÔNIO AMÉRICO DE CAMARGO ANDRADE, morador de CAMPINAS. Alguns atacantes conseguiram trazer um bonde e o colocaram, como muralha, parado à porta do prédio.
Era uma hora e trinta minutos da madrugada quando DRÁUSIO MARCONDES DE SOUZA, ao forçar a porta do prédio, foi alvejado mortalmente vindo a falecer no dia 28 devido aos ferimentos recebidos. DRÁUSIO tinha apenas 14 anos, morador na Rua OSCAR FREIRE, ferido na fossa ilíaca esquerda. O tiro saiu na fossa ilíaca direita.
A luta já durava horas, mas os atacantes não esmoreciam. Havia muita gente ferida e não se sabia ao certo o número de mortos.
Naquela madrugada sangrenta, naquele desespero, muitas pessoas deixaram os abrigos e avançaram para o prédio com o propósito de tomá-lo. Num destes ataques MARIO MARTINS DE ALMEIDA foi atingido por uma rajada de balas no peito no meio da Rua BARÃO DE ITAPETININGA. Não é decorrido muito tempo quando soldados acercaram-se do prédio, assestam uma metralhadora, fazem disparos e recebem um comunicado que transmitem aos populares dizendo que os sitiantes se rendiam e iam desocupar o prédio, o que realmente aconteceu.  
 MÁRIO MARTINS DE ALMEIDA morre ao ser removido para o pronto-socorro da polícia central. Foram feridos também: IGNÁCIO CRUZ, de 21 anos, solteiro, residente à avenida D.PEDRO I, número 7, no IPIRANGA, com dois ferimentos produzidos por balas, na perna direita; SEBASTIÃO BERNABÉ VERGUEIRO DOS SANTOS, de 33 anos, residente à Rua VITÓRIA, número 144, com um ferimento perfuro contuso na perna esquerda; PAULO RIBEIRO, advogado, residente à Rua OSCAR PORTO, número 43, com ferimento perfuro contuso no antebraço direito; MOACYR DE OLIVEIRA, de 21 anos, residente à Rua ANTÔNIO DE GODÓI, 91 com ferimento de bala penetrante da cavidade torácica; JOÃO BAPTISTA DE OLIVEIRA FILHO, de 21 anos, solteiro, residente à Rua SOUZA LIMA, número 24, com ferimento perfuro contuso na fronte frontal esquerda; ORLANDO DE ALVARENGA, de 32 anos, casado, empregado de cartório, residente à Rua MARANHÃO, com ferimento perfuro contuso na região lombar, que viria a falecer em 12 de agosto; SEBASTIÃO ALVES DE OLIVEIRA, de 19 anos, copeiro, com ferimento de bala na região glútea direita; FRANCISCO ANTÔNIO VALENTE, de 19 anos, morador na Rua 21 de Abril, número 313, com ferimento de bala no braço esquerdo e no peito; DOMINGOS NÓBREGA FILHO, de 21 anos, açougueiro, morador à Alameda Santos, número 362, com um ferimento perfuro contuso produzido por bala no pé direito e outro na coxa do mesmo lado.
Horas depois, as iniciais dos nomes dos mortos haverão de formar a sigla da sociedade, a princípio secreta, que viria a ser forja e martelo da revolução constitucionalista: MMDC.
O poeta da Revolução Constitucionalista, GUILHERME DE ALMEIDA, canta em “A SANTIFICADA”: “E houve uma noite de heroísmo/ Que marcou o teu batismo de glória;/ e por isso é que Tens quatro letras gravadas/ Nas quatro estrelas douradas/ Do topo: MMDC.
MÁRIO MARTINS DE ALMEIDA nasceu em São Paulo, no dia 8 de fevereiro de 1901. Era filho do CORONEL JULIANO MARTINS DE ALMEIDA e de Dona FRANCISCA ALVES DE ALMEIDA. Foi estudante do MACKENZIE COLLEGE, tendo terminado os seus estudos sobre a direção do Professor ALBERTO KULLMAN. Era fazendeiro em SERTÃOZINHO estando naquele dia, isto é, 23 de maio de 1932 (31 anos) em São Paulo, de passagem em visita a seus pais. Foi sepultado no Cemitério da CONSOLAÇÃO.
EUCLIDES BUENO MIRAGAIA nasceu em SÃO JOSÉ DOS CAMPOS, no dia 21 de abril de 1911. Era filho de JOSÉ MIRAGAIA e de Dona EMÍLIA BUENO MIRAGAIA. Foi aluno da Escola de Comércio “CARLOS DE CARVALHO” de onde se transferiu no 3º ano para a ESCOLA DE COMÉRCIO “ÁLVARES PENTEADO”. A 23 de maio de 1932 (21 anos) quando foi ferido e morto era auxiliar de um Cartório em São Paulo.
DRAÚSIO MARCONDES DE SOUZA era um jovem estudante. Nasceu em São Paulo em 22 de setembro de 1917. Era filho de MANOEL OTAVIANO MARCONDES DE SOUZA e de dona OTÍLIA MOREIRA DA COSTA MARCONDES. Ferido no dia 23 (15 anos incompletos) falecia no dia 28 de maio de 1932, a 1 hora e 50 minutos.
ANTÔNIO AMÉRICO DE CAMARGO ANDRADE, nasceu no dia 3 de dezembro de 1901. Filho de NABOR DE CAMARGO ANDRADE e dona HERMELINDA NOGUEIRA DE CAMARGO. Era casado e residente em CAMPINAS. Morreu em 23 de maio de 1932 (31 anos) deixando viúva dona INALAH TEIXEIRA DE CAMARGO e 3 filhos: CLÉSIO, YARA e HERMELINDA.
Os restos mortais dos heróis repousam no Monumento Mausoléu do Soldado Constitucionalista de 1932, no IBIRAPUERA, Capital.   
AURELIANO LEITE lembra que o MMDC começou num jantar num restaurante da RUA DAS FLORES, hoje SILVEIRA MARTINS, o “POSILIPO”. Foi a 24 de maio, e “éramos apenas quatro” em torno à mesa: “J. A. SAMPAIO VIDAL, membro do governo empossado, PRUDENTE DE MORAIS NETO, PAULO NOGUEIRA FILHO e eu”.
Trataram de abreviar a refeição, logo puseram mãos à obra. Daí a duas horas estavam reunidas no salão de chá do CLUBE COMERCIAL (à Rua LÍBERO BADARÓ) “VINTE E TRÊS PESSOAS DISPOSTAS A TODO SACRIFÍCIO”; J.A. SAMPAIO VIDAL, pelo governo; PAULO NOGUEIRA FILHO, CESÁRIO COIMBRA, FRANCISCO MESQUITA e AURELIANO LEITE, pelo Partido Democrático; FRANCISCO ALVES DOS SANTOS FILHO, EDGAR BATISTA PEREIRA, BERNARDO DE MORAIS e ALBERTO AMERICANO, pelo Partido Republicano Paulista; CARLOS DE SOUZA NAZARETH e BRENO FERRAZ, pela Associação Comercial; ANTÔNIO CARLOS PACHECO E SILVA, pelas classes liberais; CAPITÃO ANTÔNIO PIETCHER, técnico militar; ROBERTO VITOR CORDEIRO, JOSÉ TELES MATOS, GASTÃO SARAIVA, HERMAN DE MORAIS BARROS e FLÁVIO BATISTA DA COSTA, pelos estudantes; MOACIR BARBOSA, VALDEMAR SILVA e BRÁULIO SANTOS, pelos bancários; JORGE SOUZA REZENDE e TIAGO MASAGÃO FILHO”. Assinaram no outro dia a ata da reunião: SÍLVIO DE CAMPOS, JÚLIO MESQUITA FILHO e ANTÔNIO PEREIRA LIMA.
Alguns dias depois, EDGAR BATISTA PEREIRA lembrou os quatro mortos de 23 de maio para patronos espirituais da sociedade, que até então se chamava GUARDA PAULISTA. Representar-se-iam pelas iniciais: após alguns debates a sugestão foi aceita e daí a GUARDA ficou sendo a MMDC. Dividindo a cidade em vários setores, confiando cada qual a uma liderança, em menos de dez dias já contava a MMDC com cerca de cinco mil homens.
Na primeira vez em que apareceu em público, tinha a MMDC este Conselho Diretivo: SÍLVIO DE CAMPOS, PRUDENTE DE MORAIS NETO, CARLOS DE SOUZA NAZARETH, ANTÔNIO PEREIRA LIMA, ANTÔNIO CARLOS PACHECO E SILVA, AURELIANO LEITE e CAPITÃO ANTÔNIO PIETCHER (como assessor militar). Num domingo, a concentração e parada aconteceu no CANINDÉ. Compareceram mais de mil chefes e sub-chefes de grupos. “Assombrou a cidade e alarmou o BRASIL”, daí a pouco, sabendo de tudo pelos boatos as proporções foram multiplicadas.
O Governo de SÃO PAULO oficializou a MMDC em 10 de agosto – e entregou sua direção a um decenvirato: LUIZ PIZA SOBRINHO, PRUDENTE DE MORAIS NETO, JOSÉ CÁSSIO DE MACEDO SOARES, LÉVEN VAMPRÉ, ANTÔNIO CARLOS DE ABREU SODRÉ, JOAQUIM CELIDÔNIO FILHO, ELIAS MACHADO DE ALMEIDA, CESÁRIO COIMBRA, JAIME LEONEL, MÁRIO BASTOS CRUZ, ABELARDO VERGUEIRO CÉSAAR, ALARICO SOARES CAIUBI e CARLOS DE SOUZA NAZARETH. Esse decenvirato prosseguiu até o fim do Movimento Constitucionalista.
Em seguida a esse Conselho Geral, a MMDC compreendia três grandes divisões: a DIREÇÃO GERAL DO ABASTECIMENTO, a INTENDÊNCIA GERAL e o DEPARTAMENTO DE FINANÇAS.
Originalmente, a MMDC instalou-se na FACULDADE DE DIREITO. Passou-se, depois, para o antigo edifício do FORUM à Rua do Tesouro, esquina da 15 de Novembro (onde depois foi instalada a Caixa Econômica Estadual). Depois com a ampliação de seus serviços veio a instalar-se na Escola de Comércio ÁLVARES PENTEADO. 
85 a. da reforma do GENERAL DE BRIGADA MIGUEL COSTA – 23 DE MAIO DE 1932. MIGUEL COSTA foi promovido a GENERAL DE BRIGADA pelo DIÁRIO OFICIAL DA UNIÃO de 11 de novembro de 1930. O BOLETIM DO EXÉRCITO publicou o ato da promoção em 15 de novembro daquele ano. Foi ele designado para assumir o Comando da 3ª Brigada de Infantaria da 2ª Região Militar. No dia 5 de dezembro de 1930 foi designado Secretário de Estado dos Negócios da Segurança Pública. No dia 29 de abril de 1931 foi designado COMANDANTE GERAL DA FORÇA PÚBLICA.

Homenagem ao herói de 1932 Nelson de Paula Mendes

JOSÉ DIRCEU - CRÔNICA DE LUIZ CARLOS NEMETZ - MEUS CRÉDITOS PARA DARIO GABAI E ROBERTO DE ALMEIDA

Resultado de imagem para josé dirceu está preso

MAIO DE 2018, 15H12

Juíza decide que Zé Dirceu não tem direito à cela especial, mesmo sendo advogado

Apesar de ter ensino superior, juíza da Vara de Execuções Penais do Distrito Federal alega que a carteira da OAB do ex-ministro está vencida e manda petista para uma cela coletiva na Papuda
Mesmo sendo reconhecidamente advogado, ou seja, tendo curso universitário completo, o ex-ministro Zé Dirceu não teve direito à cela especial. A alegação é que sua carteira da OAB (Ordem dos Advogados do Brasil) está com a validade vencida. A decisão foi juíza da Vara de Execuções Penais do Distrito Federal, que negou pedido da defesa e mandou o petista para uma cela coletiva na Penitenciária da Papuda, em Brasília. A informação é da coluna de Ana Helena Paixão, do site Metrópoles.
PUBLICIDADE
A defesa do ex-ministro reivindicava que ele fosse instalado no Núcleo de Custódia da Polícia Militar, onde há salas de Estado Maior. Na mesma decisão, a juíza destacou a condição transitória de Dirceu na Papuda. “Condenado pela 13ª Vara Federal de Curitiba (PR), José Dirceu é preso provisório no Distrito Federal, uma vez que se encontra vinculado a processo oriundo de outro estado da federação”.
De acordo com a magistrada, “caberá ao juízo processante providenciar a remoção do interno, no prazo máximo de 30 dias, ficando desde logo autorizado o recambiamento definitivo do preso àquela jurisdição, o que deverá ser feito por meio do Núcleo de Recambiamento de Apenados da Secretaria do Sistema Penitenciário do Distrito Federal”. Isso quer dizer que a intenção é que Dirceu fique preso no Paraná.




José Dirceu



Entrada
x

Roberto de Almeida

18:51 (Há 4 horas)


REPASSANDO.   Excelente  avaliação.    Vivemos  realmente  no  melhor   dos  mundos.   Se  você   "roubar  uma  banana  na  feira"  está  inapelavelmente  condenado.  Você  é  um  ladrão.    Não  pode  (por  falta  de  recursos)   apelar  para  o  Supremo,  e  nem  para  a  ONU.  Mas,  se  você  montar  uma  quadrilha  para  assaltar  o  erário,  receber  "propinas"  de  empresas  poderosas,  especialmente  se  transportá-las  "na  cueca", ou  em  "malas",  "ganhar"  "sítios"  de  "presente",  ou  "apartamentos",  ou,  ainda,  "armazenar"  milhões  em  espécie  em    "apartamentos" ,  você  terá  direito  a  um  "julgamento   justo"  dentro  do  princípio   da  "presunção  de  inocência".  Se  condenado -  o  que  poderá  acontecer  dentro  de  uma  "década"  (se  você  for  "azarado"   e  não  tiver  bons  advogados)  poderá  aguardar  em  liberdade  -   enquanto  isso,    ou  esperar  "dormindo  em  casa"   (punição  exemplar ! ).    Como   vivemos  num  "pais  das  maravilhas",  principalmente  se  você  "tem  samba no pé",  poderá  nunca  ser  condenado  "por  decurso  de  prazo".




Em  tempo:  a  GLOBO,  num  dos  seus  programas  da  tarde,  divulgou  -que  a  "justiça"  está  estudando a  pedido -  a  possibilidade  de  "legalizar       o  "casamento  TRIPLO".   Três  amigos  foram  amplamente  entrevistados   sobre  a  regularização  da  "união  dos  três" - Um  assunto  da  máxima  importância,  como  podemos  ver,   a  ocupar  o  tempo  dos  nossos  juízes   -  e  da  nossa  mídia.   Três  "avançados"  heróis  foram  amplamente  entrevistados   pela  GLOBO   defendendo  a  "ideia".   Se  a  "moda  pega"  e  a  justiça  concorda,  dentro  em  breve,  poderemos  ser   "pioneiros"   na  instituição  do   "bordel"  familiar",  em  substituição  a  "ultrapassada  família   burguesa",  com  os  auspícios  da  "mídia"  progressista.   Aguardemos.      Boa  Noite,  Boa  Sorte   ROBERTO   





---------- Mensagem encaminhada ----------
De: Dario Gabai <dariogabai1@gmail.com>
Data: 21 de maio de 2018 07:32
Assunto: FW: José Dirceu
Para: Dario Gabai <dariogabai1@gmail.com>




Subject: José Dirceu - REPASSANDO


Crônica Sobre José Dirceu:


A cabeça da serpente. Inteligente, frio, calculista, meticuloso, disciplinado, culto, treinado, discreto, articulado, organizado, vaidoso, ambicioso. O mais importante, lúcido e preparado líder do PT vai preso definitivamente. 30 anos.

 Ele, mais do que qualquer outro, é o mentor intelectual e executor do plano detalhadamente planejado de aparelhar o Estado brasileiro e usurpá-lo para construir uma fina e capilarizada estrutura de poder para implantar uma doutrina radical de esquerda na América Latina a partir do Brasil. Foi pego e derrubado no último degrau da escada que construiu milímetro a milímetro.

 Nunca omitiu seus ideais ideológicos. É um guerreiro que não transige nas suas ideias e não tem limites para alcançar seus objetivos. Não teve escrúpulos para tentar implantar a revolução na qual acredita, pelo meio mais torpe e vil que lhe sobrou: o aparelhamento do Estado para roubar. Muitos dos seus seguidores, e outros ingênuos e bobos alegres, seguiram-lhe os passos para encher as burras. Dirceu não roubou só para si. Roubou para corromper outros. É o eixo de todo o mal que está aí e que movimenta muitas engrenagens marginais que ainda vão aparecer. Coisas muito sérias ainda precisam vir e virão à tona. Armas...Drogas...

Sua prisão definitiva é muito mais significativa e importante que a prisão de Lula. José Dirceu é o “capo”. Ele é o verdadeiro líder. O comandante em chefe. Sua saída de cena desestrutura a pior esquerda que existe: aquela que não mede esforços, nem consequências para tentar dominar. Não há - e nunca houve - outra inteligência sequer comparável à de Dirceu na esquerda brasileira. Zé Dirceu representa o que há de mais sofisticado na esquerda e o que há de pior para o país. Por mais duro que - humanamente isso possa parecer - foi mandado para o lugar certo. Não por ser comunista radical. Eu tenho respeito pela sua clareza ideológica! Mas por ser um ladrão perigoso, atrevido e reincidente. E isso eu não posso respeitar! E, por mais doloroso que seja admitir, o Roberto Jeferson tinha razão...

Texto irretocável de Luiz Carlos Nemetz

ESTAMOS VENCENDO - GRUPO GUARARAPES

ESTAMOS VENCENDO



Entrada
x

Grupo Guararapes general@fortalnet.com.br

14:37 (Há 15 horas)
para Grupo
ESTAMOS  VENCENDO


Não  desejamos a prisão de ninguém, mas aqueles que não cumprem a lei devem ser punidos com rigor. A 

sociedade caminha dentro da estrada a lei. Sem lei temos a desordem, a anarquia.

Os países organizados são possuidores de um número reduzido de leis. Nos USA a Constituição cabe numa folha 


de papel e no Reino Unido nem escrita é. No Brasil são milhões de leis, decretos, decretos lei, e há tanta lei que 


os juízes ficam perdidos no emaranhado de linhas escritas. Quanto mais leis, mais desorganizado é o País.

Toda administração brasileira sabia que a corrupção corria solta. Foi necessário um juiz para que o mundo viesse 

abaixo. O roubo é claro, mas a justiça demora. Mesmo demorando já temos três chefetes presos. É para se bater 

palmas. Estamos no rumo certo

Novos processos estão andando e vamos restabelecendo os valores morais necessários a vida do País. Novas 

. Novos avanços. Dúvidas existem, mas a coisa vai andando e devemos evitar tropeços que nos leve a fortalecer a 
tão falada esquerda corrupta.



A esquerda para vencer é preciso de baderna. CUBA, VENEZUELA, URSS e outros são exemplos.
VIVA A LEI! A LEI! A LEI