domingo, 14 de julho de 2019

PADRE MARCELO ROSSI É ATACADO

Aniversário da Torre Eiffel /130 ANOS

230 ANOS DA REVOLUÇÃO FRANCESA, A TOMADA DA BASTILHA FOI EM 14 DE JULHO DE 1789.



Resultado de imagem para revolução francesa



230 a. da REVOLUÇÃO FRANCESA. A TOMADA DA BASTILHA, a 14 de julho de 1789, por volta das cinco horas da tarde, foi o acontecimento mais decisivo na eclosão da REVOLUÇÃO FRANCESA: “Uma turbamulta de milhares de indivíduos correra de manhã aos INVÁLIDOS a procurar armas. Como na BASTILHA havia outro depósito de armas, gritou-se: “À BASTILHA!” e a onda extravasou para a célebre prisão, tomando-a sem resistência. Diz-se que ficaram mortos alguns populares. Toda a guarnição foi chacinada, a exceção do tenente do rei, DU PUGET. A TOMADA DA BASTILHA, nas circunstâncias em que se deu, entre os abusos intoleráveis de um regime em desorganização, teve grande retumbância na alma popular”. A IDADE CONTEMPORÂNEA começou às 17 horas de 14 de julho de 1789. Nesse horário, a prisão que simbolizava a monarquia em PARIS foi ocupada pelo povo, que assim dava início à Revolução Francesa. Mas as pessoas que queriam tomar o local não pensaram nisso. Elas só queriam munição.
Erguida em 1370, a Bastilha era uma fortaleza militar. No século XVII, o local se firmou como cadeia. “Suas masmorras recebiam prisioneiros do rei”, diz o historiador ANDRÉ JOANILHO, da Universidade Estadual de LONDRINA. Assim ficou até 1789, ano em que a FRANÇA beirava o caos. Enquanto a desigualdade imperava, o governo esbanjava nos gastos e deixava 25 milhões de pessoas insatisfeitas.
Sob pressão, o rei LUÍS XVI (1754-1793) reuniu em maio os Estados Gerais a fim de buscar saídas para o colapso financeiro. Percebendo que os privilégios seriam mantidos, a burguesia fundou sua própria Assembléia Nacional. Ma boatos de que o rei pretendia dissolvê-la geraram uma onda de saques, que culminaram na tomada da fortificação.