sexta-feira, 5 de abril de 2019

4 DE ABRIL DE 2019 - QUINTA-FEIRA

A imagem pode conter: 2 pessoas, incluindo Mario Ventura, pessoas sorrindo, pessoas em pé e terno

COMANDO MILITAR DO SUDESTE - LANÇAMENTO DA MEDALHA JOÃO DA COSTA MACHADO, AVÔ DO GENERAL-DE-EXÉRCITO ADHEMAR DA COSTA MACHADO FILHO.

27 ANOS DA MORTE DO CANTOR ANTONIO MARCOS - 5 DE ABRIL DE 1992


Resultado de imagem para morte do cantor antonio marcos





Antônio Marcos Pensamento da Silva (São Paulo8 de novembro de 1945 — São Paulo, 5 de abril de 1992) foi um cantorcompositorhumorista e ator brasileiro.[1]


    Biografia[editar | editar código-fonte]

    Antônio Marcos começou trabalhando como office-boy, vendedor de varejo e balconista de loja de calçados antes de passar pelos programas de calouros, chegar ao rádio e finalmente à televisão. De 1960 a 1962, destacou-se no programa de Estevam Sangirardi, cantando, tocando violão e fazendo humorismo.[2]
    Em 1967, integrou o coral Golden Gate e atuou nas peças Pé Coxinho e Samba Contra 00 Dólar, de Pascoal Lourenço, no Teatro de Arena. Convidado por Ramalho Neto, gravou seu primeiro disco pela RCA Victor, como integrante do conjunto Os Iguais, tornando-se logo solista e fazendo sucesso com a música "Tenho Um Amor Melhor Que O Seu" (Roberto Carlos).[2]
    Em 1969, participou do V Festival da MPB da TV Record interpretando "Tu Vais Voltar", a canção ficou em 4°lugar e Antônio Marcos conquistou o prêmio de "Melhor Intérprete" do festival.
    A partir daí, seguiram-se outros sucessos, como "Oração De Um Jovem Triste" (Alberto Luís) e "Como Vai Você" (com Mário Marcos).[2] Foi lançado no cinema por J. B. Tanko, no filme Pais Quadrados... Filhos Avançados (1970), participando também de Som, Amor E Curtição (1972) e de outros, além de atuar em peças teatrais, como Arena Conta Zumbi (Teatro de Arena, direção de Augusto Boal, 1969) e Hair (Teatro Aquarius, direção de Altair Lima, 1970).[2] Atingiu seu maior sucesso em 1973, com "O Homem De Nazaré" (Cláudio Fontana), que seria lançado no ano seguinte em espanhol.[3] Um de seus últimos sucessos foi a canção-tema de O Profeta, telenovela da TV Tupi na qual participava sua futura esposa Débora Duarte. Já casado com a atriz, participaria com ela da telenovela Cara a Cara da TV Bandeirantes, na qual também interpretava a canção-tema.[2]
    Durante a década de 1980, sua carreira entraria em declínio. Como consequência, Antônio Marcos se tornaria usuário de álcool e outras drogas, que levariam a sua internação em clínicas de reabilitação.[1] Em 1991, pretendia lançar um LP contendo uma versão de "Imagine", de John Lennon, mas Yoko Ono, viúva de Lennon, vetou a versão, o que, aliado à falência da gravadora Esfinge, impediu o lançamento do disco.[2]

    Morte[editar | editar código-fonte]

    Morreu em 5 de abril de 1992, vítima de insuficiência hepática, consequência do alcoolismo.[1] Após sua morte, foram lançados os CDs Acervo (1994, coletânea RCA/BMG) e Aplauso (1996, coletânea RCA/BMG).

    Vida pessoal[editar | editar código-fonte]

    Antônio Marcos foi casado quatro vezes. A cantora Vanusa foi sua primeira esposa, com quem teve as filhas Amanda e Aretha (também cantora). Depois casou-se com a atriz Débora Duarte e com ela teve a também atriz Paloma Duarte. Também foi casado com a modelo Rose, com quem teve um filho chamado Antônio Pablo. Também teve um caso com a atriz Miriam Mota, na época com quatorze anos de idade, com quem teve Manoel Marcos.[4] Nos últimos anos de sua vida, vivia com Ana Paula, filha de Cleonice Rossi Braga e enteada de Roberto Carlos.[5]

    Discografia[editar | editar código-fonte]

    Álbuns[editar | editar código-fonte]

    • Antônio Marcos (1968)
    • Antônio Marcos (1970)
    • 08-11-1945 (1971)
    • Sempre (1972)
    • Antônio Marcos (1973)
    • Hombre de Nazaré (1974)[3]
    • Cicatrizes (1974)
    • Ele... Antônio Marcos (1975)
    • Felicidade (1976)
    • Antônio Marcos (1978)
    • O Tempo Conta Dobrado (1982)
    • O Sonho Não Acabou (1984)
    • Antônio Marcos (1987)
    • Todos Os Caminhos (1988)
    • Acervo (1994, coletânea)
    • Aplauso (1996, coletânea)
    • Focus (1999, coletânea)
    • Maxximum (2005, coletânea)

    Filmografia[editar | editar código-fonte]

    Cinema[editar | editar código-fonte]

    Televisão[editar | editar código-fonte]

    55 ANOS DO FALECIMENTO DE DOUGLAS MacARTHUR, em 5 DE ABRIL DE 1964



    Resultado de imagem para douglas macarthur




    Douglas MacArthur (Little Rock26 de janeiro de 1880 – Washington, D.C.5 de abril de 1964) foi um oficial militar norte-americano que serviu tanto no Exército dos Estados Unidos quanto no Exército Filipino e desempenhou um papel proeminente no Teatro do Pacífico durante a Segunda Guerra Mundial. Ele recebeu a Medalha de Honra por seu serviço na Campanha das Filipinas e tornou-se um de apenas cinco homens a alcançar a patente de General do Exército nos Estados Unidos, também sendo o único homem a ser Marechal de Campo das forças armadas das Filipinas.
    MacArthur nasceu em uma família de histórico militar no Velho Oeste norte-americano, estudando na Academia Militar do Oeste do Texas e na Academia Militar dos Estados Unidos, onde se formou em 1903 como o primeiro de sua turma. Ele conduziu uma missão de reconhecimento durante a Ocupação de Veracruz pelos Estados Unidos, pela qual foi nomeado para a Medalha de Honra. MacArthur foi promovido a coronel em 1917 e tornou-se chefe do estado maior da 42ª Divisão de Infantaria. Em seguida lutou na Primeira Guerra Mundial, alcançando a patente de general de brigada e sendo novamente nomeado para a Medalha de Honra, recebendo a Cruz de Serviço Distinto duas vezes e a Estrela de Prata sete.
    Ele serviu como Superintendente da Academia Militar de West Point entre 1919 e 1922, tentando implantar uma série de reformas. Depois disso foi designado para as Filipinas, onde foi instrumental em 1924 para acabar com um motim de oficiais. MacArthur foi um dos juízes da corte marcial do general Billy Mitchell e presidente do Comitê Olímpico dos Estados Unidos para os Jogos de 1928 em Amsterdã. Ele tornou-se Chefe do Estado Maior do Exército em 1930, envolvendo-se como tal na expulsão de veteranos da Primeira Guerra que protestaram em Washington e também no estabelecimento no Corpo Civil de Conservação. MacArthur aposentou-se em 1937 e foi ser conselheiro militar para o governo filipino.
    MacArthur voltou para o serviço em 1941 como comandante das Forças Armadas dos Estados Unidos no Extremo Oriente. Os japoneses invadiram as Filipinas em dezembro, forçando-o a recuar para Bataan e depois fugir para a Austrália. Ele recebeu a Medalha de Honra por suas ações na defesa das Filipinas e lutou no Pacífico pelos dois anos seguintes até reconquistar as Filipinas. MacArthur oficialmente aceitou a rendição do Japão em 2 de setembro de 1945, supervisionando a ocupação do país até 1951. Ele liderou o Comando das Nações Unidas na Guerra da Coreia até ser removido do comando. MacAthur voltou para a vida particular e morreu de cirrose em 1964. Seu legado é em sua maior parte misto.


      Início de vida[editar | editar código-fonte]

      Douglas MacArthur nasceu no dia 26 de janeiro de 1880 em Little RockArkansas, filho de Arthur MacArthur Jr. e Mary Pinkney Hardy.[1] Arthur Jr. era um capitão do Exército dos Estados Unidos filho do jurista e político escocês-americano Arthur MacArthur Sr.,[2] tendo lutado na Guerra de Secessão pela União e alcançado a patente de tenente-general.[3] Pinkney vinha de uma família proeminente de Norfolk na Virgínia.[1] Dois de seus irmãos tinham lutado pelos Estados Confederados durante a Gurra de Secessão, recusando-se a comparecer em seu casamento.[4] Arthur Jr. e Hardy tiveram três filhos: Malcolm, Arthur III e Douglas.[5] A família viveu em uma sucessão de postos do exército no Velho Oeste. As condições eram primitivas e Malcolm acabou adoecendo e morrendo em 1883.[6] MacArthur escreveu em suas memórias que "Eu aprendi a cavalgar e atirar antes mesmo de poder ler; de fato, quase antes de eu poder andar e falar".[7]
      A família deixou o Velho Oeste em julho de 1889 e mudou-se para Washington, D.C.,[8] onde MacArthur cursou a Escola de Força Pública. Seu pai foi designado em setembro de 1893 para Santo Antônio no Texas, onde estudou na Academia Militar do Oeste do Texas.[9] MacArthur participou das equipes de tênisfutebol americano e basebolda escola. Ele foi o orador de sua turma e teve uma nota média final de 97,33% de cem.[10] Tanto seu pai quanto seu avô tentaram sem sucesso lhe conseguir uma nomeação para a Academia Militar dos Estados Unidos em West Point, primeiramente do presidente Grover Cleveland e depois do presidente William McKinley.[11] Após essas duas rejeições,[12] MacArthur teve aulas particulares com a professora Gertrude Hull.[13] Ele em seguida passou na prova por uma nomeação do deputado federal Theobald Otjen,[9] ficando com uma nota 93,3. MacArthur posteriormente escreveu que "Foi uma lição que eu nunca esqueci. Preparação é a chave para o sucesso e vitória".[14]
      MacArthur entrou em West Point no dia 13 de junho de 1899.[15] O trote estava estabelecido em West Point na época, com ele e seu colega Ulysses S. Grant III sendo destacados por cadetes sulistas como filhos de generais. Uma investigação do congresso foi instaurada depois do cadete Oscar Booz ter deixado a academia após um trote e ter subsequentemente morrido de tuberculose. MacArthur foi convocado em 1901 a depor diante de um comitê do congresso, em que testemunhou contra cadetes implicados em trotes, porém diminuiu seu próprio trote mesmo com outros cadetes tendo dado a história completa. O congresso posteriormente criminalizou atos "de natureza assediante, tirânica, abusiva, vergonhosa, insultante ou humilhante", apesar dos trotes terem continuado.[16] Ele foi cabo da Companhia B em seu segundo ano, primeiro sargento da Companhia A em seu segundo ano e primeiro capitão em sua último ano.[17] MacArthur jogou no time de basebol e academicamente ganhou 2424,12 méritos de 2470 possíveis, equivalendo uma aprovação de 98,14%, a terceira maior nota já registrada em West Point, formando-se em 11 de junho de 1903 como primeiro de 93 homens.[18] Era costumeiro na época que os melhores cadetes fossem comissionados no Corpo de Engenheiros do Exército, assim MacArthur foi comissionado como segundo tenente.[19]

      Oficial júnior[editar | editar código-fonte]


      MacArthur c. 1905.
      MacArthur passou sua licença de graduação com os pais em Forte Mason na Califórnia, onde seu pai, agora major-general, estava servindo como comandante do Departamento do Pacífico. Ele depois disso junto-se ao 3º Batalhão de Engenheiros, que partiu em outubro de 1903 para as Filipinas. MacArthur foi enviado para Iloilo, onde supervisionou a construção de um cais no Campo Jossman. Em seguida realizou pesquisas nas cidades de Tacloban, Calbayog e Cebu. Ele foi emboscado em novembro de 1903 por dois guerrilheiros ou foras da lei filipinos enquanto trabalhava em Guimaras, conseguindo matar ambos com sua pistola.[20] MacArthur foi promovido a primeiro tenente em abril de 1904.[21] Ele pegou malária e tinea cruris em outubro enquanto estava em Bataan, voltando para São Francisco, onde foi designado para a Comissão de Detritos da Califórnia e tornou-se o engenheiro chefe da Divisão do Pacífico em junho do ano seguinte.[22]
      Ele recebeu ordens em outubro de 1905 para ir até Tóquio no Japão a fim de ser ajudante de campo de seu pai. Os dois inspecionaram bases japonesas em NagasakiKōbe e Quioto, em seguida indo para a Índia através de XangaiHong KongJava e Singapura, alcançando Calcutá em janeiro de 1906. Pai e filho visitaram MadrasTuticorinQuettae Carachi, a Fronteira Noroeste e o Passo Khyber. Eles então partiram para a China por meio de Bangkok e Saigon, visitando CantãoQingdaoPequimTianjin, Hankou e Xangai até retornarem ao Japão em junho. Os dois voltaram para os Estados Unidos no mês seguinte,[23] com MacArthur Jr. reassumindo seus deveres no Forte Mason enquanto seu filho continuou como seu ajudante. MacArthur recebeu ordens em setembro para apresentar-se ao 2º Batalhão de Engenheiros no Quartel de Washington e entrar na Escola de Engenharia. Lá ele também serviu como "um ajudante para auxiliar em funções da Casa Branca" à pedido do presidente Theodore Roosevelt.[24]
      MacArthur foi enviado para o escritório de engenharia de MilwaukeeWisconsin, onde seus pais estavam vivendo. Ele foi designado em abril de 1908 para o Forte Leavenworth no Kansas, onde recebeu seu primeiro comando, a Companhia K do 3º Batalhão de Engenheiros.[24] Tornou-se adjunto do batalhão em 1909 e depois oficial engenheiro do forte no ano seguinte. MacArthur foi promovido a capitão em fevereiro de 1911 e nomeado chefe do Departamento Militar de Engenharia e da Escola de Engenharia. Ele serviu no Panamá entre janeiro e fevereiro de 1912. A morte de seu pai em 5 de setembro de 1912 fez com que MacArthur e seu irmão Arthur voltassem para Milwaukee afim de cuidarem da sua mãe, cuja saúde tinha deteriorado-se. Ele pediu uma transferência para Washington para que sua mãe pudesse ficar perto do Hospital Johns Hopkins. O major-general Leonard Wood, Chefe do Estado Maior do Exército, levou a questão para Henry L. Stimson, o Secretário da Guerra, que fez com que MacArthur fosse designado para o Escritório do Chefe do Estado Maior.[25]

      História[editar | editar código-fonte]

      Durante a Primeira Guerra Mundial lutou na França, tendo sido considerado um dos maiores heróis do Corpo Expedicionário do Exército Norte Americano, sob o comando do general John J. Pershing, tendo recebido várias das mais altas condecorações Norte Americanas e Francesas.
      Em 1930 foi o chefe do Estado Maior das Forças Armadas dos Estados Unidos em 1932, tendo sido duramente criticado pela repressão a veteranos de guerra, saindo do exército em 1937.
      Com o advento da Segunda Guerra Mundial, retornou para a frente de batalha, sendo nomeado chefe de operações no Sudeste Asiático, combatendo a expansão japonesa pelo Oceano Pacífico, onde comandou a reação americana.
      O momento mais baixo deste período foi a retirada das Filipinas, na altura um protetorado do Estados Unidos, tendo fugido com a sua família, nos últimos dias de batalha. Os seus detractores nunca perdoaram esta fuga, enquanto os seus defensores argumentam que apenas por ordem direta do Presidente aceitou deixar as suas tropas. Em defesa destes, temos o fato de MacArthur ter sido posteriormente condecorado por Franklin Roosevelt com a mais alta condecoração militar de seu país, a Medalha de Honra do Congresso.
      O seu nome ficará para sempre associado à reconquista das Filipinas por parte das tropas norte americanas, cumprindo a sua famosa promessa de regresso "I Shall Return" efectuada dois anos antes.
      A sua actuação ao longo destes anos, concedeu-lhe um lugar ímpar na história da Segunda Guerra Mundial, sendo considerado um dos maiores comandantes militares do século XX e um dos maiores militares norte americanos de todos os tempos, tendo sido juntamente com o Chefe do Estado Maior das Forças Armadas, o General George Marshall, com o General Omar Bradley, e com o General Dwight D. Eisenhower os únicos generais de 5 estrelas do Exército dos Estados Unidos.
      Em 1945, quando nomeado Chefe Supremo das Potências Aliadas, aceitou a rendição dos japoneses após a explosão das bombas atômicas sobre Hiroshima e Nagasaki.
      Esta rendição teve um grande valor simbólico para os americanos, pois foi efectuada na baía de Tóquio a bordo do navio USS Missouri.
      Foi nomeado Comandante Aliado no Japão após a guerra, ocupando o cargo até 1950. Quando a Coreia do Norte invadiu a Coreia do Sul em 1950, os Estados Unidos entraram na guerra comandando a força militar das Nações Unidas. Foi nomeado comandante do Exército das Nações Unidas, tendo expulsado os invasores e atacada a Coreia do Norte, invadindo-a.
      No entanto, a China passou a apoiar de forma veemente o Exército norte-coreano, permitindo ao mesmo suster a incursão das tropas aliadas conduzindo a guerra a uma situação de impasse, que conduziu a uma paz instável que dura até aos dias de hoje.
      Em 1951, como comandante das forças da ONU, foi demitido por Truman, devido a desobediência de ordens do Presidente dos Estados Unidos.
      Regressando ao seu País, o Partido Republicano tentou fazê-lo aceitar a candidatura à presidência dos Estados Unidos, que foi recusada.
      Faleceu em 5 de abril de 1964, aos 84 anos, vitima de uma cirrose biliar primária.
      No cinema, foi vivido pelo ator Gregory Peck no filme MacArthur de 1977. Foi vivido também pelo ator Tommy Lee Jones, no filme Imperador, de 2012. E em 2016 foi interpretado pelo ator Liam Neeson no filme Operação Chromite.

      103 ANOS DO NASCIMENTO DO ATOR GREGORY PECK - 5 DE ABRIL DE 1916.

      Resultado de imagem para gregory peck




      103 a. nasce GREGORY PECK, ator norte-americano, em 5 de abril de 1916. Gregory Peck (Eldred Gregory Peck , La Jolla, 5 de abril de 1916  Los Angeles, 12 de junho de 2003) foi um premiado ator estado-unidense. Interpretou personagens de caráter nobre e corajoso, que lutam contra injustiças. O mais famoso desses é o advogado Atticus Finch do filme O Sol é Para Todos de 1962, que lhe deu o Oscar de melhor ator e que foi escolhido o maior herói das telas pelo American Film Institute em maio de 2003, apenas duas semanas antes de sua morte.É citado na música Flagra, de Rita Lee e já presidenciou a Academy de 1967 a 1970.
      Entre príncipe e plebeu, Gregory Peck era um daqueles atores cuja voz marcante, elegância e autenticidade parecem hoje um segredo que morreu com a grande era clássica do cinema americano. Peck encarnava o "homem verídico", o herói portador do ideal de verdade típico do "american way of life" numa época em que as boas intenções andavam em baixa em Hollywood.
      Gregory Peck iniciou a carreira no teatro mas ficou mais conhecido pelo seu trabalho no cinema. Protagonizou diversas adaptações cinematográficas realizadas a partir de grandes obras literárias, nas quais encarnou personagens heróicas, demonstrativas de seu valor na superação de sentimentos e incertezas: "As Neves do Kilimanjaro" (1952), baseado na obra de Ernest Hemingway, "Moby Dick" (1956), baseado na obra de Herman Melville ou "O Sol é para Todos" (1962), baseado no romance de H. Lee. Esse último papel, o de um consciencioso advogado sulista disposto a defender, contra todos, os direitos de um negro acusado de estupro, lhe valeu um Óscar. O jovem padre idealista de "As Chaves do Reino" (1944) e o repórter exemplar de "A Luz É para Todos" (1947), em sua denúncia do anti-semitismo, também foram trabalhos reconhecidos com indicações ao prêmio da Academia.
      Peck durante muitos anos foi um grande astro de filmes de ação: obteve êxito em westerns como "Duelo ao Sol" (1946), "Da Terra Nascem os Homens" (1958) e em "Gringo Velho" (1990). Atuou em filmes de guerra como "Os Canhões de Navarone" (1960). Mas esteve em comédias também, como "Com o dinheiro dos Outros" (1991).
      Peck representava o último dos homens de bem numa época em que o bom-mocismo havia se tornado, em Hollywood, algo meio démodé. Em Quando Fala o Coração, de Hitchcock, interpretava um amnésico acusado de homicídio submetido a tratamento freudiano. Em "Duelo ao Sol", Peck e Jennifer Jones, num embate de atroz sensualidade, davam vazão a todos os tipos de pulsões do freudismo hollywoodiano. Mas Eldred Gregory Peck parecia pertencer a uma outra época. Ele logo se firmou como guardião dos ideais (perdidos) do "american way" e, à medida que pôde começar a escolher os filmes que iria protagonizar, passou a se ater cada vez mais a papéis edificantes, personagens cuja decência e elegância já não podiam ser dissociadas da aura cultivada pelo ator californiano. Alto, elegante, discreto e sumamente decente, Peck, que aprendeu a gostar de cinema com a avó, parecia ter herdado a aura dos heróis clássicos hollywoodianos que tanto admirara na infância.
      Sua morte foi anunciada em Los Angeles no dia 12 de junho de 2003, uma quinta-feira. Segundo sua mulher Veronique, que estava ao seu lado, "ela estava segurando sua mão, ele fechou os olhos, dormiu e se foi". Encontra-se sepultado na Catedral de Nossa Senhora dos Anjos, Los Angeles, Condado de Los Angeles, Califórnia nos Estados Unidos.1
      Seu neto, Ethan Peck, também é ator.
      Filmografia: Quando a Neve Tornar a Cair (1944) - As Chaves do Reino (1944) - O Vale da Decisão (1945) - Quando Fala o Coração/A Casa Encantada (1945) - Virtude Selvagem (1946) - Duelo ao Sol (1946) - Covardia (1947) - A Luz é Para Todos (1947) - Agonia de Amor (1947) - Céu Amarelo (1949) - O Grande Pecador (1949) - Almas em Chamas (1949) - O Matador (1950) - Falcão dos Mares (1951) - Resistência Heróica (1951) - Davi e Betsabá (1951) - As Neves do Kilimanjaro (1952) - O Mundo em seus Braços (1952) - Loucuras de um Milionário (1953) - A Princesa e o Plebeu/Férias em Roma (1953) - Boom on Paris (1954) - À Sombra da Noite (1954) - Terra Ensanguentada (1954) - O Homem do Terno Cinzento (1956) - Moby Dick (1956) - Teu Nome é Mulher (1957) - Estigma da Crueldade (1958) - Da Terra Nascem os Homens (1958) também produtor - Os Bravos Morrem de Pé (1959) - O Ídolo de Cristal (1959) - A Hora Final (1959) - Os Canhões de Navarone (1961) - Círculo do Medo (1962) - A Conquista do Oeste (1962) - O Sol é Para Todos (1962) - Pavilhão 7 (1963) A Voz do Sangue (1964) - Miragem (1965) - Arabesque (1966) - A Noite da Emboscada (1969) - O Ouro de MacKenna (1969) - A Grande Ameaça (1969) - Sem Rumo no Espaço (1969) - O Pecado de um Xerife (1970) - O Parceiro do Diabo (1971) - Matando sem Compaixão (1974) - A Profecia (1976) - MacArthur (1977) - Os Meninos do Brasil (1978) - Espionagem em Goa (1980) - O Escarlate e o Negro (1983) - A Voz do Silêncio (1987) - Gringo Velho/O Velho Gringo (1989) - Com o Dinheiro dos Outros (1991) - Cabo do Medo (1991).