sexta-feira, 6 de janeiro de 2017

O TUIUTI 194 - MEUS AGRADECIMENTOS A RUI SANTOS VARGAS.

O TUIUTI 194


Entrada
x
ÓRGÃO DE DIVULGAÇÃO DAS ATIVIDADES DA ACADEMIA DE HISTÓRIA MILITAR TERRESTRE DO BRASIL/RIO GRANDE DO SUL (AHIMTB/RS) - ACADEMIA GENERAL RINALDO PEREIRA DA CÂMARA - E DO INSTITUTO DE HISTÓRIA E TRADIÇÕES DO RIO GRANDE DO SUL (IHTRGS) - 280 anos da chegada do Brigadeiro José da Silva Pais a Rio Grande - - 100 anos da entrada do Brasil na I GM - ANO 2017 Janeiro N° 194 PRIMEIRA GUERRA TOTAL Luiz Ernani Caminha Giorgis - Editor Em 2012, o historiador norte-americano David A. Bell lançou a obra Primeira guerra total - a Europa de Napoleão e o nascimento da guerra como a conhecemos (Rio de Janeiro: Record, 2012, 545 p.). O autor é formado em História pelo Harvard College e possui pós-doutorado pela Universidade de Princeton. Foi professor em Yale e cola-borador do New York Times e da revista Time. É um pesquisador da Revolução Francesa e de Napoleão Bonaparte. Na obra, Bell cobre o período imediatamente posterior ao desencadeamento da citada Revolução e o advento de Napoleão. O foco é a ação das forças do governo sobre a região da Vendéia (Vendée), que se mostrou claramente contra-revolucionária a partir de 1793. Foi uma sublevação que se revestiu de revolta camponesa e se transformou em movimento contra-revolucionário. Houve um forte componente religioso, posto que a população da Vendéia era católica. As ações repressoras do governo foram extremamente violentas, com execuções em massa, esfolamentos, estupros, etc. Um verdadeiro genocídio. O General François Joseph Westermann teria declarado (senzapagare.blogspot.com.br): "A Vendeia já não existe! Morreu sobre os sabres da nossa Liberdade (sic) com as suas mulheres e crianças. Esmaguei as crianças sob as patas dos meus cavalos, massacrei todas as mulheres que nunca mais hão-de gerar bandidos. Não tenho que me censurar por ter feito prisioneiros. Matei-os a todos. As ruas estão cobertas de cadáveres. São tantos que em muitos lugares formam pirâmides". 2 Bell enfatiza que os ideais de “Liberdade, Igualdade, Fraternidade” da Revolução Francesa não foram válidos na Vendéia. Ocorreu exatamente o contrário. O glamour revolucionário francês ficou esmaecido na Vendéia. Na principal imagem da Revolução (ao lado), a Marianne com os seios expostos é o simbolismo da mãe pátria com sua energia e espírito bélico, mas também pacífica, protetora e maternal. Pois bem, na Vendéia não foi assim. Introduzidas estas questões, Bell passa a abordar o tema principal, ou seja, o da guerra total. As operações francesas na Vendéia tiveram características da guerra total, tal como as conceituações hodiernas. Na Vendéia ocorreu a primeira guerra total da História. Atualmente, existem conceituações diversas que, na verdade, possuem um denominador comum, o da utilização de todos os meios possíveis, legais ou não, para vencer o inimigo. Mas é preciso ter cuidado com o exagero dos neologismos: guerra assimétrica, de guerrilhas, irregular, híbrida (com ações violentas ou não), guerra composta, informacional, de I, II, III, IV e V gerações, não linear, por procuração (proxywar), contemporânea, de baixa e de alta intensidade, global e a guerra permanente; não deixando também de considerar a guerra psicológica, a eletrônica e a cibernética. O espanhol José Ortega Y Gasset dizia que: A guerra não é um instinto, mas um invento. Os animais a desconhecem e ela é de pura instituição humana como a ciência e a administração”. Sobre a Guerra Híbrida, particularmente, o Gen Ex Carlos Alberto Pinto Silva diz que: Pode-se cogitar ser ela um conflito no qual os atores, Estado ou Não-Estado, exploram todos os modos de guerra simultaneamente, empregando armas convencionais avançadas, táticas irregulares, tecnologias agressivas, terrorismo e criminalidade, visando desestabilizar a ordem vigente. A Guerra Híbrida, para a conquista do Poder, pode ser interpretada com a militarização da teoria do caos. Recentemente, um general russo criou até uma doutrina, a Doutrina Gerasimov (do General Valery Gerasimov) que nada mais é do que uma proposta para uma nova forma russa de guerra, que conjuga métodos convencionais e não convencionais de combate com aspectos do poder nacional sendo, com frequência, denominada “guerra híbrida (Military Review, acessível em www.joomag.com). Salvo melhor juízo, O Tuiuti não vê grandes novidades na tão decantada proposta de Gerasimov, embora seja tema importante e que exige debates e reflexões. E cuidado com os neologismos! Enquanto os diletantes teóricos civis e militares ficam embevecidos com teorias, doutrinas e neologismos irresponsáveis o exército de verdade se preocupa com a comida na barriga do soldado, com a munição no carregador da arma e com o combustível no tanque da viatura. É com isso que se faz guerra... 3 Voltando ao tema, este Informativo recomenda a leitura da obra de David Bell. Trancrevemos, a seguir, a Introdução desse importante trabalho. Boa leitura a todos. Introdução Esta será a última guerra. (CHARLES FRANÇOIS DUMOURIEZ, 1792) Os anos de 1889 e 1890 foram de júbilo e esperança. Um regime poderoso e abominado não apenas ruiu inesperadamente, como o fez de modo surpreendentemente pouco violento. Em meio a suas ruínas, uma nova ordem internacional parecia tomar forma, construída a partir do respeito à paz, à democracia e aos direitos humanos. O momento pareceu tão transformador que muitos pensadores avançados previram nada menos do que o advento do fim da guerra. A desilusão, no entanto, veio com velocidade crueL Os anos seguintes não trouxeram paz, e sim uma violência ininterrupta, que as potências dominantes descobriram ser infelizmente difícil de conter. Rapidamente, a expectativa generalizada de fim da guerra deu lugar à igualmente difundida convicção de que uma era de conflito apocalíptico havia começado. De fato, argumentou-se amplamente que, para derrotar adversários malignos, agora era necessário travar guerras demoradas e de grandes proporções, com medidas outrora condenadas como bárbaras. O curioso dessa descrição é que ela se aplica igualmente bem a dois séculos diferentes. Mais obviamente para nós, aplica-se ao período que se iniciou em 1989-1990. Mesmo antes de os alicerces apodrecidos da União Soviética terminarem de cair por terra, cientistas políticos de renome defendiam que o fim das guerras estava próximo. Alguns pensavam que o mundo simplesmente começava a banir os conflitos de larga escala. Outros acreditavam que a paz viria da difusão da democracia, pois democracias supostamente não lutariam entre si. Francis Fukuyama, em um artigo famoso e injustamente desqualificado, associou o fim da guerra ao "fim da história", querendo com isso denotar o fim de conflitos em torno da forma apropriada de sociedade. Em vez do fim das guerras, claro, seguiu-se uma intensificação do conflito e do perigo: na Guerra do Golfo, na Guerra dos Bálcãs e depois no forte distúrbio global iniciado em 11 de setembro de 2001. Em seguida aos horríveis ataques terroristas daquele dia, o presidente dos Estados Unidos, George Walker Bush, começou a caracterizar a luta entre o Ocidente e seus adversários como o confronto entre as forças da liberdade e as forças do mal. Alguns célebres defensores de seu governo associaram isso à Segunda Guerra Mundial e advertiram que a própria sobrevivência do Ocidente estava por um fio. Alguns afirmaram que, para prevalecer, o Ocidente até mesmo deveria desconsiderar restrições ao comportamento militar. "Entre nós, mantemos a lei, mas quando operamos na selva, devemos também usar as leis da selva", escreveu o diplomata britânico Robert Cooper em um influente ensaio de 2002. Pouco depois, os Estados Unidos e seus aliados começaram uma guerra preventiva no Iraque, iniciada com uma tentativa explícita de matar o chefe de Estado daquele país. Desde então, operações militares americanas envolveram uma série de conhecidas recaídas nas "leis da selva". Nesse momento, é difícil saber como ou quando o período atual de 4 instabilidade violenta e de perigo pode vir a acabar. Tão distante, tão próximo. Porém, surpreendentemente, a descrição se aplica igualmente bem aos anos de 1789/90, quando o colapso do Antigo Regime e o início da Revolução Francesa desencadeou imaginações esperançosas ao redor do mundo. Mesmo antes desses eventos, o pensamento avançado no Ocidente já começava a ver a guerra como um anacronismo em vias de desaparecer. Como escreveu um otimista clérigo inglês em 1784, "aproxima-se o tempo em que o som da trombeta e o alarme da guerra não mais serão ouvidos pela Terra". Em 22 de maio de 1790, o novo governo revolucionário da França chegou ao ponto de publicar uma renúncia formal às "guerras de conquista", naquilo que foi chamado uma "declaração de paz ao mundo". Nela se prometia que dali em diante a França somente utilizaria suas forças armadas para a autodefesa. Apenas 23 meses mais tarde, contudo, a França invadiu a Bélgica, então sob domínio austríaco, iniciando um conflito que mobilizaria todas as principais potências europeias e continuaria, com breves intervalos, por mais de 23 anos, até a derrota final da França em 1815. Desde o início, ambos os lados concebiam essa longa luta em termos apocalípticos: "uma guerra até a morte", como um de seus primeiros defensores franceses declarou, "que nós lutaremos [...] para destruir e aniquilar todos os que nos atacarem, ou para sermos nós mesmos destruídos". Nenhum lado chegou ao ponto de praticar o extermínio explicitamente, mas guerras de guerrilha desesperadas e tentativas selvagens de reprimi-las geraram atrocidades por todo o continente em uma escala que não voltaria a ser alcançada até a Segunda Guerra Mundial. Como o próprio Napoleão Bonaparte explicou, antecipando Cooper, "custou-nos caro retornar [...] aos princípios que caracterizaram o barbarismo dos primórdios das nações, mas fomos compelidos [...] a lançar mão, contra o inimigo comum, das armas que ele utilizou contra nós". Desnecessário dizer que os paralelos não podem ser exatos. A incrível amplitude do derramamento de sangue e destruição da Europa napoleônica - isto é, tanto a Europa em que Napoleão viveu como jovem oficial quanto aquela que ele veio a dominar como líder da França - excedeu enormemente tudo o que se viu de 1989 para cá. Mas tampouco são os paralelos meros acasos. O final do século XVIII e o início do XIX assistiram a mudanças fundamentais nas atitudes do Ocidente em relação à guerra e ao começo de um padrão histórico recorrente, do qual os eventos desde 1989 fornecem apenas o exemplo mais recente, embora também particularmente claro. Nesse padrão, o sonho da paz perpétua e o pesadelo da guerra total estiveram vinculados de maneiras perturbadoras e complexas, cada qual a sustentar o outro. De um lado, uma ampla e persistente corrente de opinião pública continuou a ver desaparecer de um mundo civilizado o mais rápido possível; de outro, houve uma tendência recorrente e poderosa a caracterizar os conflitos que efetivamente surgem como lutas apocalípticas a serem travadas até a destruição completa do inimigo e que poderiam ter sobre seus participantes um efeito purificador, quiçá redentor. Hoje em dia, as linguagens indissociáveis da guerra e da paz definem os extremos do pensamento ocidental, em particular o americano, sobre o assunto, com "portavozes" de ambos os lados a desqualificar seus oponentes como espécies de loucos que negam a realidade: as pombas da paz "iludidas" versus os falcões "paranóicos" e "maníacos por guerra". Alguns comentadores sofisticados interpretaram que essas linguagens refletem circunstâncias históricas recentes. Robert Kagan, por exemplo, estabelece um contraste: de um lado, está 5 a Europa ocidental, que teria desfrutado de paz sem responsabilidades graças à proteção americana desde a Segunda Guerra Mundial, e que, consequentemente, esquiva-se da guerra; de outro, estão os Estados Unidos, que enfrentaram o tormento de ter um oponente após o outro. "Americanos são de Marte, europeus são de Vênus", conclui. Mas, a rigor, essas linguagens tomaram forma muito antes da Segunda Guerra Mundial. E elas têm mais em comum entre si do que gostam de admitir os dois lados, pois em ambos os casos a guerra figura como algo totalmente excepcional, totalmente externo à ordem social estabelecida. Não surpreende que intelectuais e políticos tenham com certa frequência se associado à ideia de que uma guerra final, aniquiladora, poderia paradoxalmente inaugurar o reino da paz perpétua. Para citar a mais famosa expressão dessa ideia, o tratado de H. G. Wells, The War That Will End War [A guerra que acabará com as guerras], de 1914: "Esta agora é uma guerra pela paz [...]. Esta, a maior de todas as guerras, não é apenas mais uma guerra — é a última guerra!" Cento e vinte dois anos antes, o general e político francês Charles Fran- çois-Dumouriez prometeu de forma semelhante: "esta será a última guerra". O fato de nós vermos a guerra através de lentes conceituais essencialmente estabelecidas e polidas dois séculos atrás na Europa não significa que nossa visão seja necessariamente distorcida. Obviamente, houve ocasiões em que o Ocidente esteve diante de um perigo apocalíptico. Devemos, todavia, reconhecer o poder e a persistência dessas lentes, bem como os efeitos de distorção que elas podem ocasionar. Na década de 1990, uma relutância em utilizar força militar, em parte fundada na percepção da guerra como uma tolice anacrónica, levou ao sofrimento e à morte em massa nos Bálcãs e em Ruanda, enquanto estadistas ocidentais educadamente discutiam sanções e pressão política. Apenas no primeiro caso eles por fim lembraram que existem bárbaros no mundo e que eles respondem somente ao uso da força. Considere-se também o seguinte: desde setembro de 2001, os Estados Unidos estão envolvidos em uma Guerra ao Terror que custou, até o momento, o mesmo número de vidas civis americanas que se perdem a cada duas semanas e meia em acidentes automobilísticos nas autoestradas do país. É o mesmo número de vidas que a União Soviética perdeu a cada seis horas, em quatro anos agonizantes, durante a Segunda Guerra Mundial. Com todo seu desejo manifesto de adquirir armas de destruição em massa, nossos oponentes neste novo conflito até agora não demonstraram capacidade de empunhar nada mais poderoso do que facas, armas de fogo e explosivos convencionais. Isso pode até ser uma guerra, mas merece realmente comparação com a Segunda Guerra Mundial e seus 50 milhões de mortos? Nem todo adversário é uma ameaça apocalíptica. Mesmo assim, as linguagens com as quais estamos acostumados a discutir guerra e paz tornam difícil fazer emergir esta afirmação. Dito de modo simples, tornou-se muito difícil discutir guerra em termos não apocalípticos. Por que isso ocorre? Por que o Ocidente sempre retorna àquelas concep- ções indissociáveis do fim da guerra e da guerra apocalíptica? Não se pretende aqui oferecer uma resposta a toda essa ampla questão. Neste livro, contudo, exploro como e por que o padrão começou. No centro da história está uma transformação extraordinária. Durante o século XVIII, bem como em séculos anteriores, a maioria das culturas ocidentais aceitava a guerra como uma faceta inevitável, e comum, da existência humana. Governantes ocidentais viam a guerra como seu principal propósito e lutavam continuamente - durante o século XVIII, 6 não mais do que seis ou sete anos se passaram sem ao menos uma grande potência europeia estar em guerra. Mas desde o fim dos terríveis conflitos religiosos da Reforma, as guerras se tornaram algo relativamente fácil de controlar e restringir. Os exércitos eram relativamente pequenos; as grandes batalhas, relativamente pouco frequentes (embora devastadoras, quando ocorriam); e os civis, relativamente bem tratados. De modo geral, líderes militares viam seus adversários como pares dignos de respeito. Isso não significa dizer que a guerra não fosse aterrorizadora. A guerra é algo aterrorizador por definição. Mas os histo-riadores precisam ser capazes de distinguir graus de horror, e, se o século XVIII não reduziu exatamente cães de guerra a "cãezinhos amestrados" (como Sir Michael certa vez formulou jocosamente), seus conflitos ainda estão entre os menos terríveis da história europeia. Essas condições de guerra quase permanente e ao mesmo tempo controlada pareciam inteiramente naturais e apro-priadas aos nobres que lideravam os exércitos europeus sob o Antigo Regime. Isso permitia que os valores aristocráticos da honra e do serviço tivessem uma expressão perfeita sem ameaçar seriamente a estabilidade e a prosperidade sociais. A guerra decerto funcionava como uma espécie de teatro da aristocracia, assim como ocorria com as cortes reais da época. Na guerra, vidas e valores aristocráticos eram ostentados em meio a esplendor, refinamento, bravura e demonstrações de autoconfiança absoluta. As elites europeias do século XVIII supunham que esse mundo duraria para sempre. Não se deram conta de que estavam à beira do eclipse total. A transformação teve origem no plano intelectual. Durante o grande movimento de ideias a que hoje chamamos Iluminismo, pensadores influentes come- çaram a argumentar que o estado de guerra permanente talvez não fosse, de fato, o destino inexorável da humanidade. As sociedades humanas, segundo eles, seguiam um mesmo caminho de evolução histórica, do princípio selvagem a níveis cada vez mais elevados de civilização, gentileza e comércio pacíficos. Desse ponto de vista, a situação então prevalecente de guerra restrita não representava um equilíbrio natural, mas sim um estágio no caminho rumo ao desaparecimento completo da guerra. Nos tempos modernos, a guerra logo se tornaria um estado de coisas detestável e excepcional, um vestígio grotesco da infância violenta do homem. Esses pensadores não eram de modo algum os primeiros profetas da paz perpétua: pacifistas filosóficos e religiosos os precederam em muito tempo. Mas para cristãos devotos, em particular, o fato inescapável do pecado original implicava que um reino de paz somente pudesse resultar de uma mudança divina da natureza humana. Os pensadores do século XVIII, ao contrário, descreviam a paz como a culminação de mudanças sociais inteiramente naturais, que já eram visíveis e ocorriam segundo leis cientí- ficamente observáveis. Essa diferença os tornou os pacifistas mais convincentes, e aparentemente mais realistas, que o mundo jamais conhecera, e suas ideias rapidamente se tornaram senso comum entre europeus letrados, incluindo até mesmo muitos nobres e oficiais militares. Mas ao mesmo tempo em que essas ideias ganhavam popularidade, outros europeus começaram a encarar o abismo da guerra e a ver não somente algo terrível, mas também algo cercado por um terrível fascínio, até mesmo por uma terrível qualidade sublime. Eles começaram a ver na guerra o teste final de uma sociedade e de um indivíduo; começaram a imaginá-la como uma experiência elementar, purificadora, redentora até - e talvez, portanto, como uma experiência desejável. A guerra poderia até ser fundamentalmente estranha a um 7 modo de vida civilizado, mas seria a "civilização" necessariamente uma bênção? Não poderia a guerra servir como um corretivo à corrupção e à mesquinharia da existência civilizada? "A guerra é um dos fenômenos mais saudáveis para o cultivo da raça humana", escreveria o sábio alemão Wilhelm von Humboldt. "É o extremo concebível do assustador." Essa nova glorificação da guerra não marcou, entretanto, um retorno à sua anterior compreensão aristocrática. Ao contrário: a guerra continuou a ser vista como um estado de coisas excepcional e extremo, e não como uma faceta corriqueira da existência humana. Para os entusiastas, já não era uma questão de autocontrole aristocrático, de estabelecer uma reputação emulando um modelo impessoal de gló- ria. A guerra estava se tornando uma questão de autoexpressão romântica. Na verdade, o próprio conceito e a própria experiência do "eu" na guerra estavam mudando. Antes da Revolução Francesa, ideias desse tipo tinham pouco impacto nos governantes europeus e menos ainda na conduta de guerra, mas durante os primeiros três anos da Revolução (1789/92), um dos mais importantes momentos de fermentação política e cultural de toda a história, elas explodiram na cena principal do debate político no maior e mais poderoso estado europeu. Durante o mesmo período, a aristocracia francesa perdeu sua posição predominante no Estado e nas Forças Armadas de seu país e viu-se alvo de uma hostilidade revolucionária visceral. Como resultado dessas mudanças, quando a França pegou em armas em 1792, não foi para combater algo como as guerras limitadas conhecidas das potências do Antigo Regime. O que se seguiu merece o adjetivo "apocalíptico". Os conflitos de 1792 a 1815 não testemunharam nenhum grande avanço da tecnologia militar, mas a Europa mesmo assim experimentou uma transformação extraordinária no escopo e na intensidade da guerra. Os números falam por si próprios. Mais de um quinto de todas as grandes batalhas travadas na Europa entre 1490 e 1815 ocorreram exatamente nos 25 anos depois de 1790. Antes de 1790, apenas um punhado de batalhas tinha envolvido mais de 100 mil combatentes. Em 1809, a batalha de Wagram, então a maior jamais vista na era da pólvora, envolveu 300 mil. Quatro anos mais tarde, a batalha de Leipzig mobilizou 500 mil, dos quais 150 mil foram mortos ou feridos. Durante o período napoleônico, a França sozinha contabilizou quase um milhão de mortos de guerra, possi-velmente uma proporção mais alta de seus jovens do que aaueles mortos na Primeira Guerra Mundial. Na Europa inteira, o número total de vítimas pode ter chegado a 5 milhões. Em um processo sem precedentes, as guerras trouxeram alterações significativas no território ou no sistema político de cada um dos Estados europeus. A luta de guerrilha deixou feridas abertas em regiões da Espanha, da Itália, da Áustria, da Suíça e da própria França. Essa, portanto, foi a primeira guerra total. O conceito de "guerra total" merece uma explicação. Sua ressonância é enorme, e muitos historiadores usaramno para descrever as guerras de 1792- 1815. Parece também, contudo, tratar-se de um daqueles conceitos que ficam mais confusos à medida que dele nos aproximamos. "Guerra total" é frequentemente definida como aquela que envolve a mobilização completa dos recursos de uma sociedade para atingir a destruição absoluta de um inimigo, apagando-se qualquer distinção entre combatentes e não combatentes. Essa formulação parece, à primeira vista, bastante clara. Mas será que alguma guerra real corresponde a esse padrão ideal? (Até mesmo um conflito termonuclear de grandes proporções não envolveria a 8 mobilização de todos os recursos de uma sociedade!) Caso a resposta seja negativa, o que determina qual guerra se aproxima suficien-temente do ideal para se qualificar como "total"? As ambiguidades são tantas que um estudioso importante, Roger Chickering, chegou perto de concluir que o conceito deveria ser simplesmente descartado. Creio que "guerra total" continua a ser um termo útil, mas apenas quando aplicado à guerra em um contexto político e cultural amplo. O que marcou os conflitos iniciados em 1792 não foi simplesmente seu escopo e sua intensidade radicalmente novos, mas também a dinâmica política que conduziu de modo inexorável os participantes em direção a um engajamento total e ao abandono dos limites. Mesmo antes de a França atacar a Áustria, muitos dos lí- deres políticos franceses tinham passado a ver a guerra dessa nova maneira, como um extremo insondável, estabelecido fora das fronteiras ordinárias da existência social, que poderia terminar apenas em vitória total ou em derrota total. Essa visão levou a França a declarar guerra, não obstante lhe faltassem objetivos claros, práticos e estratégicos; produziu a convicção difundida de que os inimigos da França haviam eles próprios se inclinado a uma "guerra de extermínio"; ajudou a demonizar as populações inimigas e tornou quase impossível enxergarem-se soldados inimigos como adversários respeitáveis e não combatentes inimigos como espectadores inocentes; levou a França a conquistar cada vez mais territórios como uma zona de contenção contra aqueles inimigos e a impor reformas revolucionárias mesmo onde isso se desse ao preço de graves levantes. Tais ações levaram os inimigos da França, especialmente os rebeldes contrários às ocupações francesas, a adotar uma visão igualmente radical do conflito. Em suma, os franceses defensores da guerra estabeleceram uma corrida ao abismo que não podia ser facilmente revertida, mesmo depois de terem eles próprios saído de cena. Napoleão Bonaparte, a despeito de seu gosto pela conquista, não era um defensor consciente da guerra total (e menos ainda o lendário megalomaníaco sedento por sangue). Foi, contudo, a intensificação radical da guerra que lhe deu destaque e poder, e, no fim, ele já não podia contê-la: Napoleão foi, sucessivamente, produto, senhor e vítima da guerra total. Como argumentou de modo convincente o estudioso francês Jean-Yves Guiomar, é essa fusão entre política e guerra que distingue uma "guerra total" moderna de incidentes anteriores em guerras sem restrições e mesmo de extermínio. De conflitos assim, desnecessário dizer, a humanidade guarda um longo e lamentável registro antes do século XVIII. Tais conflitos não tiveram, no entanto (exceto em algumas áreas geograficamente confinadas, como as cidades-Estado), tentativas concertadas de subjugar, com fins exclusivamente militares, sociedades inteiras. Esse fator é o que aproxima os conflitos de escala continental de 1792-1815 das guerras mundiais do século XX. Efetivamente, o termo "guerra total" surgiu na França e na Alemanha no fim da Primeira Guerra Mundial, não apenas para descrever as lutas, mas também para ajudar a vislumbrar conflitos ainda mais violentos, nos quais as nações concentrariam todas as forças disponíveis para um golpe único, poderoso, destruidor. No discurso que na Segunda Guerra Mundial conferiu uma notoriedade especial ao termo - Joseph Goebbels gritando para uma multidão de nazistas no Palácio de Esportes de Berlim "Wollt ihr den totalen Krieg?" ("Vocês querem guerra total?") -, ainda se fazia referência a um futuro a ser realizado, não ao passado ou ao presente. Convocações ao engajamento total, observa Guiomar, tenderam a vir muito mais de 9 líderes políticos civis do que de militares profis-sionais. Esse é, portanto, o argumento essencial de A primeira guerra total. As transformações intelectuais do Iluminismo, seguidas pela fermentação política de 1789-1792, produziram novas maneiras de entender a guerra que tornaram possível a intensificação cataclísmica dos combates pelos 23 anos seguintes. Desde então, os mesmos processos deram forma ao modo pelo qual as sociedades ocidentais enxergaram o conflito militar e nele se engajaram. Esse é um argumento novo. Entre os historiadores, o senso comum há muito atribui a intensificação da guerra depois de 1792 a dois diferentes fatores. Primeiro, eles citam a ideologia revolucionária, sugerindo que as guerras ganharam corpo a partir do conflito entre sistemas de crença fundamentalmente incompatíveis, um radicalmente igualitário e outro conservador e hierárquico. Depois, eles invocam o nacionalismo, argumentando que, embora guerras anteriores houvessem lançado casas dinásticas umas contra as outras, esses novos conflitos ocorreram entre nações inteiras que chegavam a novos estágios de autoconsciência. Tanto ideologia quanto nacionalismo desempenharam papéis imensamente importantes na história desse período. Mas seriam eles os principais fatores conducentes à intensificação da guerra? Ambas as explicações datam do próprio período em questão e ecoam de forma muito clara justificativas para a guerra dadas à época. Por exemplo, o conservador britânico Edmund Burke, em 1796: "É contra uma doutrina armada que estamos em guerra [...] se ela puder existir, prevalecerá". Ou o futuro estrategista militar Carl Von Clausewitz, em 1812: "[Agora] não é o rei quem trava guerra contra o rei, nem um exército contra outro exército, mas um povo contra outro povo". Ademais, ambas as explicações reduzem a guerra a pouco mais do que um instrumento de objetivos políticos cambiantes. Nenhuma delas faculta qualquer objetivo de se tratar a guerra como uma atividade significativa e dinâmica por si mesma, que por sua vez tem efeitos profundos e complexos na política e na cultura (não surpreende que a famosa definição da guerra como "a extensão da relação política, conduzida por outros meios" deriva do período - do próprio Clausewitz). Ambas as explicações também padecem de problemas cronológicos mais específicos. Considere-se que, mesmo durante o período mais radical da Revolução Francesa (terminado em 1794), nem todos os líderes franceses advogavam a expansão da ideologia revolucionária pela força. Seguiu-se um retorno à política dinástica nua e crua com Napoleão, que colocou três de seus irmãos e um cunhado em tronos estrangeiros e se casou ele próprio com a filha do imperador austríaco. Mesmo assim, foi justamente durante os últimos anos, os menos revolucionários de seu domínio, que as guerras aumentaram em amplitude e se tornaram mais ferozes na supressão de rebeliões contra o domínio francês. O nacionalismo certamente contribuiu para as guerras. Os conceitos de engendramento de nações sob nova forma e de mobilização de populações inteiras ajudaram a inspirar desde a levée en masse (recrutamento em massa de soldados) da França em 1793 até a insurreição espanhola de 1808 contra Napoleão e a "guerra de libertação" alemã em 1813. O lema da "guerra de nações" havia, contudo, surgido na França e na Alemanha décadas antes da guerra revolucionária, enquanto o regime napoleônico terminou por minimizar a linguagem nacionalista, mantendo-se fiel a sua restauração da política dinástica e a sua transformação em um império multinacional. Os soldados mal treinados e mal 10 equipados da levée en masse tiveram importância porque eram muitos, mas sua ajuda no esforço de guerra francês foi menor do que supuseram seus contemporâneos. Tentativas similares de recrutamento geral na Áustria e na Prússia também tiveram sucesso apenas parcial. Napoleão contou com soldados profissionais o máximo que pôde. Quanto à guerra espanhola contra Napoleão, a qual ainda tem em geral a reputação de ter sido um levante espontâneo de todo o povo espanhol, grande parte da população na verdade permaneceu indiferente à guerra, ao passo que as atividades dos rebeldes por vezes se assemelhavam tanto ao crime organizado quanto à liberação nacional. Neste livro, portanto, olho menos para nacionalismo e ideologia do que para as transformações daquilo que eu chamaria de a "cultura da guerra" entre meados do século XVIII e as primeiras décadas do XIX - em outras palavras, grosso modo, durante o período de vida de Napoleão (1769-1821). Já mencionei aquela que foi a transformação mais importante: o modo pelo qual a guerra deixou de ser vista como um aspecto ordinário da vida social e passou a afigurar-se como algo inteiramente à parte do curso apropriado da história. Duas outras mudanças, relacionadas àquela, aconteceram ao mesmo tempo, e A primeira guerra total também as discute. Primeiro, surgiram novas percepções das Forças Armadas. Eu argumento que foi nesse período que os "militares" vieram a ser definidos de forma duradoura como uma esfera à parte na sociedade, muito distinta da esfera "civil". A distinção não era desconhecida na Europa, mas havia anteriormente aparecido sobretudo em sociedades que buscavam ajuda de exércitos mercenários, como as cidades-Estado da Itália do Renascimento. Na maior parte da Europa, soldados comuns haviam com frequência vivido afastados de não soldados e tinham um conjunto de experiências distinto, mas as ideias de "militar" e "civil" ainda não eram parte do vocabulário social. Decerto a própria palavra civil", no sentido de "não militar", ainda não havia aparecido em dicionários ingleses ou franceses. Antes da década de 1790, um civilian [civil] em inglês significava um especialista em Direito Civil (ou seja, Romano). A distinção não existia porque os homens que dominavam as sociedades do Antigo Regime não estabeleciam fronteiras claras entre sua função profissional como oficiais militares e sua identidade social como aristocratas. Apenas na nova era da guerra a noção de "militar" como um mundo próprio, com suas próprias regras e valores distintos, operado por homens cujas experiências os desvinculavam de seus pares civis, ganhou corpo pela primeira vez. Somente então o substantivo civilian - em francês, civil - ganhou seu sentido moderno que nos é familiar. É verdade que essa redefinição de "militar" coincidiu com o aparecimento de exércitos de cidadãos abastecidos por recrutamento. Já em 1793, os revolucionários franceses proclamaram todo cida-dão do sexo masculino um soldado, ação que em certo sentido diminuiu as barreiras entre "militares" e "civis", e não o contrário. O recrutamento e o serviço militar obrigatório não significavam, todavia, que todo cidadão devesse sempre se comportar como um soldado, mas sim que todo cidadão devesse estar preparado para desistir da vida "civil" em tempos de emergência nacional e ingressar no domínio do "militar". Na verdade, os líderes militares das guerras revolucionárias e napoleônicas buscavam explicitamente desfazer os vínculos dos recrutas com a vida civil e lhes incutir um etos novo - um etos militar. Neste sentido, o surgimento dos exércitos de recrutados na verdade reforçou a distinção entre militar e civil. 11 Essa nova separação de domínios deu origem por sua vez ao militarismo, outro fenômeno que não existia de fato antes de 1789. O militarismo, tal como eu o definiria, baseia-se precisamente na suposição de uma divisão muito clara entre sociedade "militar" e sociedade "civil", pois envolve a imposição dos valores daquela sobre esta. Os militaristas acreditam na superioridade moral das Forças Armadas sobre a sociedade civil: as primeiras são louvadas por sua disciplina, sua capacidade de autossacrifício e de superar adversidades; a segunda é desprezada como fraca, corrupta, absorta. Na Europa do Antigo Regime, a subordinação das Forças Armadas à aristocracia e aos príncipes tornava essa doutrina praticamente impensável, exceto, talvez, na Prússia de Frederico, o Grande - e mesmo aí, a noção de que um corpo militar autônomo pudesse vir a tomar o poder político para si teria soado totalmente absurda. Todo o propósito do exército era servir ao monarca. O militarismo moderno surgiu a princípio na França revolucionária e contribuiu para produzir o primeiro golpe de estado dos tempos modernos, o de Napoleão Bonaparte em 1799. A palavra "militarismo" surgiu mais ou menos ao mesmo tempo. Desde então, claro, tornou-se um elemento conhecido da cultura e da política do Ocidente moderno. Nos Estados Unidos dos dias atuais, o historiador Andrew Bacevich descreveu um "novo militarismo americano" que se expressa em tudo, seja em filmes como Top Gun [Ases indomáveis] ou na ideia difundida de que o serviço militar constitui uma qualificação essencial para um posto político elevado (pensemos nas candidaturas presidenciais de John Kerry e Wesley Clark em 2004). Como resultado dessas mudanças, uma cultura da guerra que nos é estranha deu lugar, no início da década de 1800, a uma cultura que se reconhece facilmente hoje em todo o mundo ocidental, especialmente nos Estados Unidos. Na verdade, as atitudes americanas de hoje em dia às vezes parecem sinistra e particularmente próximas àquelas da Europa de Napoleão. Por um lado, os americanos de hoje geralmente percebem a guerra como uma situação excepcional - não obstante o fato de as Forças Armadas americanas haverem se envolvido em cinco grandes operações militares nos últimos 15 anos e manterem bases em um grande número de países. Frequentemente, americanos referem-se à guerra como algo superado nas nações civilizadas. Políticos dos Estados Unidos acusam automaticamente os adversários do país de malfeitores crimenosos e os ameaçam de perseguição e até mesmo de assassinato, sem nunca lhes fazer a cortesia de uma declaração formal de guerra. Mas muitos americanos, conforme observa Bacevich, têm um fascínio inabalável pela guerra, considerando-a um teste para o valor de sua sociedade. Tratam membros das Forças Armadas com um respeito que beira a reverência e dão por certa a impossibilidade de alguém que jamais tenha estado em combate compreender "como realmente é" a experiência e como ela muda uma pessoa. Essas atitudes, que hoje nos parecem atemporais e naturais, somente passaram a existir na Europa do final do século XVIII e começo do XIX, de onde posteriormente se expandiram pelo mundo. É por esta razão que, se quisermos entender o lugar da guerra na imaginação moderna, precisamos viajar no tempo rumo à era dos mosquetes, canhões e barcos a vela. A tecnologia da guerra desde então mudou mais do que se pode pensar. Estratégia, tática e logística mudaram praticamente tanto quanto. Mas o lugar da guerra na cultura ocidental mudou muito menos, mesmo considerando-se as grandes transformações encetadas pelas duas guerras mundiais. 12 E, surpreendentemente, a história cultural da guerra na Europa de Napoleão permaneceu um território em larga medida inexplorado até muito recentemente e ainda carece de uma visada sistemática. É verdade que muitos aspectos da história contada aqui já apareceram em livros de história - o que dificilmente deixaria de ocorrer, pois existiam, segundo algumas estimativas, mais de 220 mil livros e artigos publicados sobre Napoleão e seu Império até 1980! Mas historiadores e cientistas sociais tentaram com muito menos frequência examinar o lugar da guerra na sociedade e na cultura do Ocidente, particularmente para períodos anteriores ao século XX. Antes de mergulhar na história propriamente dita, vale a pena discutir brevemente por que eles não o fizeram, pois esse contexto vai ajudar a mostrar de onde vem A primeira guerra total e como o livro tomou forma. Podemos começar com o fato de que as ciências sociais modernas nunca entenderam verdadeiramente bem a guerra. Na verdade, muitas vezes preferiram nem tratar do assunto. Isso não ocorre principalmente porque muitos académicos têm tendências pacifistas e poucos têm experiência militar, embora ambas as afirmações sejam verdade. Fundamentalmente, conforme observaram de modo perspicaz sociólogos como Hans Joas e Michael Mann, isso ocorre porque as ciências sociais, de modo geral, descendem justamente do pensamento liberal do Iluminismo, que desprezava a guerra como algo primitivo, irracional, estranho à vida civilizada. Mesmo o marxismo, que teve uma influência intelectual tão forte de meados do século XIX ao final do século XX, não se afastou inteiramente desse pensamento. Embora Marx enxergasse o conflito de classes (que se dá dentro das sociedades, não entre elas) como o motor da mudança histórica, ele ainda acreditava que tal conflito desembocaria em uma condição de harmonia social e paz perpétua. Ele também não exaltou a violência como purificadora e redentora, ao contrário do que fariam alguns de seus seguidores no século XX. Uma corrente de filósofos e cientistas sociais do século XIX levou a guerra mais a sério, argumentando que sem ela as sociedades se enfraqueceriam e definhariam. Tais filósofos e cientistas sociais, no entanto, viviam sobretudo na Alemanha e praticamente sumiram de vista depois da Primeira Guerra Mundial. Dentre os principais pensadores do século XX, um dos poucos a colocar a guerra no centro de suas reflexões foi um homem cujo reacionarismo político o indispôs com a tradição liberal das ciências sociais. O jurista alemão Carl Schmitt chegou ao ponto de colocar seu formidável intelecto a serviço de Adolf Hitler e de abraçar a perseguição nazista aos judeus. Mesmo assim, o ódio que ele sentia em relação ao pensamento liberal lhe proporcionou intuições [insights] incrivelmente aguçadas a respeito das consequências desse pensamento para a guerra, e nenhum estudioso do assunto pode se dar ao luxo de ignorá-las, por mais repugnante que o autor seja. O que acontece, indagou Schmitt, quando uma guerra é travada em nome da paz perpétua, quando se "desenrola, então, a cada vez na forma de 'derradeira guerra da humanidade"? Eis sua resposta: "Tais guerras têm de ser particularmente intensivas e desumanas porque ultrapassando o político, ao mesmo tempo degradam o inimigo em categorias morais e outras e precisam transformá-lo em um monstro desumano que não só precisa ser combatido, mas definitivamente aniquilado". Ao escrever essas linhas em 1932, Schmitt tinha em mente a Primeira Guerra Mundial e o Tratado de Versalhes, que impôs indenizações de guerra punitivas à Alemanha, mas a passagem também tem uma relevância para um período anterior - para o qual o próprio Schmitt chamou a atenção em trabalhos 13 posteriores. Em seu Theorie dês Partisanen [Teoria da guerrilha], que começa com a luta da Espanha contra Napoleão, Schmitt propôs utilmente o conceito de "inimizade absoluta" para descrever uma condição na qual cada lado nega a própria humanidade ao outro. Por algum tempo, a profissão histórica diferiu dos cientistas sociais. No século XIX, a história ainda era predominantemente literária, uma arte narrativa, e o passado não oferecia um assunto mais dramático e atraente do que a guerra. Mestres como Ranke, Macaulay, Michelet e Parkman deram à guerra um lugar de destaque em suas obras, levaram a sério a ciência militar e puseram o clímax de batalhas no coração de suas histórias. No século XX, entretanto, a história assumiu uma direção mais cientí- fica, académica, e muitos historiadores seguiram os cientistas sociais no caminho que afastava do campo de batalha. Os líderes da influente "Escola dos Annales" de história social, que se desenvolveu na França no início do século XX, esvaziavam explicitamente a "história dos eventos" - que denotava história militar em especial - em nome da ênfase em fatores económicos, sociais e geológicos "mais profundos". O mais importante “annaliste”, Fernand Braudel, atinha-se tão fortemente a esse princípio que foi capaz de produzir o copião de sua obra-prima, O Mediterrâneo, quando estava em um campo alemão de prisioneiros de guerra. Historiadores especialistas em século XX resistiram mais do que outros a essa tendência (algo não surpreendente, dado o impacto cataclísmico das guerras mundiais), mas em análises de outros períodos a guerra perdeu sua posição outrora proeminente. Desde a década de 1980, muitos historiadores passaram a buscar inspiração na crítica literária e na filosofia pósmoderna, mas também essas disciplinas compartilham da aversão das ciências sociais pela guerra. Michel Foucault, um dos filósofos contemporâneos de mais importância para historiadores, tinha um certo fascínio pela guerra, mas basicamente porque via a sociedade moderna promovendo ela própria uma "guerra silenciosa" por meio de um amplo espectro de práticas repressivas (invertendo a observação de Clausewitz, Foucault brincou dizendo que "a política é a continuação da guerra por outros meios"). Enquanto isso, na cena principal da historiografia resistem um desinteresse e uma ignorância surpreendentes da história militar pré- século XX. A American Historical Review, carro-chefe da profissão nos Estados Unidos, não publica um artigo sobre história militar napoleônica há mais de trinta anos. A história militar não morreu, mas se tornou claramente segregada de outras áreas da história, quase uma disciplina à parte. Ela atrai muitos praticantes talentosos e originais, que, todavia, não formulam geralmente o mesmo tipo de pergunta que seus colegas especializados em domínios outros que não o militar. Esses historiadores se concentraram no desenvolvimento da tecnologia, da tática e da estratégia, na motivação e na eficácia do combate, na composição social das forças armadas e no modo pelo qual soldados comuns vivenciaram o combate. Um dos mais brilhantes e prolíficos dentre eles, John Keegan certa vez se queixou de que "os historiadores militares nem sequer iniciaram uma tentativa de tramar os marcos e as fronteiras intelectuais de seu próprio campo de operações". Por muito tempo, os historiadores militares lamentavelmente fizeram pouco para situar a guerra em um contexto cultural mais amplo. Nos últimos anos, contudo, a situação finalmente começou a mudar. Na Grã-Bretanha e nos Estados Unidos, historiadores das ideias têm redescoberto o lugar central ocupado pela guerra e pela diplomacia no pensamento político pré- moderno. Na França, uma nova geração 14 de especialistas no período revolucionário finalmente começou a exortar o fantasma do historiador diplomático do fin-de-siècle Albert Sorel, cuja história, bastante intimidadora, das relações internacionais durante a Revolução, era movida por uma insistência redutora na primazia dos interesses nacionais franceses. Na Alemanha, historiadores culturais, como Michael Jeismann e Karen Hagemann, têm dedicado uma atenção renovada às formas modernas de militarismo e belicosidade. Em muito desse trabalho. Carl Schmitt permaneceu um ponto de referência proeminente e muito disputado. Não é coincidência que esse novo trabalho tenha começado a aparecer desde o fim da Guerra Fria e que a reflexão sobre o assunto tenha se intensificado desde 11 de setembro de 2001. A competição entre a OTAN e o Pacto de Varsóvia, com seu baixo contínuo de guerra por procuração no Terceiro Mundo e sua ameaça de destruição mútua certa supôstamente evitando um conflito aberto entre superpotências, fez parecerem muito distantes as esperanças utópicas e as lutas apocalípticas dos primeiros tempos da história contemporânea. Desde 1989, os paralelos e conexões passaram a se afigurar muito mais prementes e importantes. Tornou-se uma tarefa vital entender como a cultura moderna da guerra e da paz tomou forma. A primeira guerra total enfrenta essa tarefa valendo-se tanto da história militar tal como tradicionalmente praticada quanto das formas de história cultural que se desenvolveram na última geração. Tento estabelecer algumas conexões entre esses campos injustamente separados, enfatizando tanto a centralidade da guerra para um período em relação ao qual ela tem sido ignorada pela maioria dos historiadores quanto a centralidade da cultura para as transformações militares que têm sido estudadas essencialmente a partir de um ponto de vista operacional. Como estou lidando com um assunto muito amplo, há algumas coisas que ne-cessariamente não fiz nas páginas que se seguem e, em prol da clareza, vale a pena dizer quais são elas. Em primeiro lugar, os leitores não encontrarão aqui um balanço sistemático das guerras revolucionárias e napoleônicas. Conforme diziam com certa frequência as pessoas que viveram o período, parecia por vezes que o tempo se tornara insuportá- velmente comprimido - "este quarto de século igualou muitos séculos” para citar Chateaubriand. Recontar as grandes batalhas por si só tornaria este livro duas vezes maior. De todo modo, os leitores podem buscar tal história em muitas outras fontes, a começar pelas magníficas histórias das guerras revolucionárias de Timothy Blanning, pela investigação sobre as campanhas de Napoleão de David Chandler e pelos estudos incisivos dos exércitos da Revolução Francesa de JeanPaul Bertaud e John Lynn. Dois outros assuntos importantes são relativamente tangenciais para o lugar cambiante da guerra na imaginação europeia à época, e recebem, portanto, uma atenção também menor. Um deles é a economia. Não pretendo negar a importância da concorrência económica para iniciar as guerras ou a importância dos recursos económicos e dos sistemas de gasto e tributação para que se as deflagrem, sem falar da maneira pela qual a França de Napoleão elevou a prática da pilhagem a uma arte. Mas exceto onde a economia impingiu fantasias, mitos e representações da guerra - por exemplo, no estabelecimento, por pensadores do Ilu-minismo, de um elo entre paz e comércio -, eu não lhe dedico uma atenção sistemática. O segundo desses assuntos - por mais doloroso que seja admiti-lo para um devoto de C. S. Forester e Patrick O’Brian - é a guerra naval. Também não tenho intenção de negar a 15 importância das marinhas no decorrer das guerras revolucionárias e napoleônicas. O domínio britânico dos mares, de modo geral, e as vitórias britânicas de Aboukir e Trafalgar, em particular, determinaram o resultado da guerra tanto quanto qualquer outro fator. A guerra naval, contudo, mudou muito menos do que a guerra terrestre durante esse período, e fora da Grã-Bretanha teve relativamente pouco a ver quer com o desenvolvimento da guerra total, quer com as crenças, histórias e mitos que dela surgiram. Esta menção à Grã-Bretanha conduz a uma outra advertência. Embora as mudanças que examino fluíssem por toda a Europa, necessariamente me concentrei mais na França do que em qualquer outro país. A França esteve na encruzilhada do Iluminismo europeu; sua revolução e o surgimento de Napoleão foram eventos decisivos da época. O fenômeno da guerra total atingiu um terrível auge em 1793- 1794, na região francesa da Vendeia. O militarismo moderno, tal como o defino, originalmente tomou forma na França no final da década de 1790. E, claro, foi a França quem levou adiante as guerras do período, inicialmente sob o governo revolucionário de 1792-1799 e depois sob Napoleão. As conquistas de Napoleão foram mais longe na criação de um império em escala europeia do que qualquer coisa desde o tempo de Carlos Magno, talvez até dos césares. Com muitos dos meus colegas historiadores abraçando atualmente a doutrina da "história mundial", uma última omissão pode soar aos leitores como problemática: trato apenas muito raramente do mundo além da Europa. Será que esta decisão pode ser justificada com razões outras além do propósito habitual de manter este livro em um tamanho razoável? Enquanto eu escrevia, colegas muitas vezes me sugeriram que as origens da guerra total moderna certamente seriam encontradas nas fronteiras imperiais do início da época moderna. Certamente foi lá, muito antes da Revolução Francesa, que os europeus primeiro dispensaram noções de conten- ção cavalheiresca e empreenderam guerras brutais de extermínio contra supostos "selvagens". Ou os europeus não aprenderam o pior de seu comportamento em batalhas imperiais na Ásia, na África e nas Américas? Na verdade, acredito que a resposta a essa pergunta é "não". Para começo de conversa, os europeus difícilmente necessitariam de impérios coloniais para aprender a arte do assassinato em massa. Os terríveis massacres das guerras religiosas da época da Reforma começaram muito antes de a maioria dos impérios europeus se transformar em algo muito maior do que entrepostos comerciais, e os piores exemplos ocorreram em estados alemães, que não tinham colónias. O desenvolvimento dos impérios ultramarinos francês e britânico coincidiu com a introdução de relativas moderação e contenção da guerra na Europa, não com seu desaparecimento. As potências europeias muitas vezes cometeram atrocidades em suas fronteiras coloniais, mas é simplesmente errado pensar que elas normalmente se comportavam de maneira sistematicamente exterminadora em relação a populações autóctones. Muitos impérios europeus nesse período eram surpreendentemente frágeis e pouco difundidos. Os europeus dependiam dos nativos, como parceiros comerciais, guias e aliados militares. As potências europeias negociavam continuamente com as autoridades indígenas e, na verdade, tentavam instruí-las quanto aos ritos peculiares da guerra europeia. Episódios como a Guerra Franco-indígena - quando os franceses ajudaram a exterminar uma tribo de índios em uma região situada no que hoje corresponde ao estado americano de Wisconsin - tendiam a ocorrer não como resultado de uma agressão 16 planejada, mas quando essas redes e alianças frágeis se rompiam e quando europeus se viam envolvidos em guerras entre entidades indígenas. Mesmo no século XIX, como sugeriu Isabel Hull em um estudo recente sobre a porção alemã do leste africano, o ambiente colonial basicamente proporcionava aos europeus um laboratório para testar suas próprias ideias preexistentes sobre guerra. "Os alemães", conclui a autora, "não aprenderam nada da guerra colonial que não confirmasse sua ideia preconcebida sobre o modo correto de se lutar em guerras". Isso se aplica com mais força ainda à França do século XVIII, por uma razão simples. Poucos anos atrás, o historiador francês Jean-Clément Martin confessou seu espanto quanto à absoluta incompetência dos revolucionários franceses que tentaram dar fim à insurgência sangrenta na região da Vendeia em 1793- 1794. Certamente, especulou Martin, os soldados franceses haviam adquirido uma experiência considerável com guerras desse tipo, de guerrilha irregular, fora da Europa. Mas será isso verdade? Embora muitos militares franceses houvessem combatido nas Américas, na índia e na África nas décadas de 1770 e 1780, os distúrbios da Revolução atropelavam todo esse emaranhado de experiências. Mesmo antes da rebelião da Vendeia começar, quase todos os oficiais do Antigo Regime tinham renunciado ou sido dispensados, e os veteranos pré- 1789 compunham uma minoria dos soldados rasos. A rigor, os exércitos revolucionários inicialmente não tinham experiência colonial quase nenhuma. Eles logo a ganhariam, no entanto, especialmente, como veremos, no Egito e no Haiti. E então começariam a exportar a nova cultura de guerra da Europa para o resto do mundo, à custa do mundo. Uma palavra final à guisa de introdução. Escrevi A primeira guerra total para leitores em geral, não para meus colegas historiadores. Tentei, portanto, na medida do possível, incrustar meus argumentos em apontamentos e histórias - eventualmente, algumas até muito impressionistas -, e não apenas em análises. Ao adotar essa abordagem, tive sorte em pelo menos um aspecto, pois poucos períodos oferecem uma concentração tão rica de eventos vívidos e cativantes - com muita frequência, aterradoramente cativantes. Poucos perí- odos proporcionam personagens tão incríveis, a começar pelo próprio Napoleão Bonaparte. Ao descrever tais eventos e personagens, vali-me não apenas de minha própria pesquisa original, mas também, naturalmente, dos ricos canais de conhecimento especializado que se encontram na literatura académica. Se tais qualidades não tornam o livro completo e definitivo sobre o assunto, e se os especialistas acharem que algumas histórias já são conhecidas, paciência. O livro é uma viagem exploratória, não um levantamento exaustivo de um terreno arquivístico intacto. Mas vivemos um momento que necessita de ensaios acessíveis, pelo menos tanto quanto de monografias de peso. Pois como os americanos vêm descobrindo nos últimos anos, poucos assuntos são mais arriscados de se discutir de forma abstrata e árida, sem medida dos custos humanos envolvidos - sem ouvir os gritos, ver os corpos, cheirar a pólvora e o sangue - do que a guerra. x-x-x-x-x-x-x-x-x-x Editor: Luiz Ernani Caminha Giorgis, Cel AHIMTB/RS www.ahimtb.org.br www.acadhistoria.com.br Para a reflexão dos leitores: “A nação francesa renuncia travar qualquer guerra cujo objetivo seja a conquista e nunca mais vai empregar suas forças contra a liberdade de qualquer povo” Assembleia Nacional Francesa em 22 de maio de 1790.

Rui Santos Vargas santosvargas.rui@gmail.com

Anexos
para Cco:mim
Boas leituras!



---------- Mensagem encaminhada ----------
De: Luiz Giorgis


NESTE NÚMERO, A INTRODUÇÃO DO LIVRO DO HISTORIADOR DAVID BELL SOBRE A GUERRA TOTAL, COM OS COMENTÁRIOS DO EDITOR.
ASSUNTO IMPORTANTE, QUE TIRA DA REVOLUÇÃO FRANCESA O GLAMOUR QUE TODOS CONHECEM.
ABRAÇOS A TODOS.
CAMINHA.











Área de anexos

4 DE JANEIRO DE 2017 - QUARTA-FEIRA

A SOCIEDADE VETERANOS DE 32-MMDC FARÁ GRANDES REALIZAÇÕES EM 2017

DIA    Q U A T R O     DE    J A N E I R O     DE     2 017    –    QUARTA-FEIRA.
80 anos e 8 dias de idade.
Início de minhas memórias – 9 de Julho de 1950.
DIA 180º DO ANO 67º
58 anos e 212 dias na PMESP
57 anos e 324 dias na ESCOLA DE OFICIAIS – 20 983 dias – 500 492 horas.
53 anos e 119 dias da DECLARAÇÃO À ASPIRANTE A OFICIAL.
28 anos e 295 dias no Posto de Coronel – 345 meses e 23 dias.
5 anos e 181 dias na Presidência da Sociedade Veteranos de 32-MMDC
11 057 dias CORONEL - 25 anos e 21 dias na reserva.
11 241-664 440                         11 057-258 916                              10 783-252 492.
DIA DE SANTA ÂNGELA DE FOLIGNO. Nasceu em 1248, no povoado de FOLIGNO, na ITÁLIA. É considerada uma das primeiras místicas italianas. A vida de ÂNGELA foi marcada pelo luxo e pela falta de regras. Era casada e mãe de vários filhos. Aos 37 anos, morrem-lhe os filhos, o marido e os pais, numa tragédia. Desolada, abandonou tudo em busca da fé. Ingressou na Ordem Terceira de SÃO FRANCISCO.
Plano de 2001 – 9115 201/31/ 11513/ 151 182/218211 27413410371, com cinco variações (75).

708 a. falece SANTA ÂNGELA DE FOLIGNO no dia 4 de janeiro de 1309. Seu túmulo fica na Igreja do Convento Franciscano de FOLIGNO, na ITÁLIA. Ela viveu uma profunda experiência mística, após a qual seguiu o exemplo de SÃO FRANCISCO, na pobreza e na ajuda aos irmãos. ORAÇÃO À SANTA ÂNGELA DE FOLIGNO: “Ó DEUS, Pais e Senhor nosso, a experiência de SANTA ÂNGELA nos ensina o quanto é agradável a Vós a conversão sincera dos corações ao evangelho. Queremos deixar tudo o que em nossa vida é injustiça se egoísmo, a fim de conhecer-Vos melhor e servir-Vos em nossos irmãos, sobretudo os mais necessitados. Amém. SANTA ÂNGELA, rogai nos nós.”
524 a. em que CRISTÓVÃO COLOMBO deixava o NOVO MUNDO em direção à EUROPA, no dia 4 de janeiro de 1493. Quando aportou na AMÉRICA CENTRAL, em outubro, o navegador pensava ter atingido as ÍNDIAS por uma rota alternativa.
258 a. inauguração do Museu Britânico, em LONDRES, no dia 4 de janeiro de 1759.
232 a. JACOB LUDWIG CARL GRIMM nasce em HANAU em 4 de janeiro de 1785. Um ano depois nasce o seu irmão WILHELM. Juntos, eles são chamados de IRMÃOS GRIMM, responsáveis por imortalizar uma série de lendas populares da cultura oral alemã. CHAPEUZINHO VERMELHO, RAPUNZEL e A BELA ADORMECIDA são alguns dos seus famosos textos. A dupla é bastante dedicada à língua germânica, produzindo dicionários e estudos sobre lingüística e folclore.
227 a. divisão territorial francesa é realizada em 4 de janeiro de 1790.
208 a. nasce LOUIS BRAILLE em 4 de janeiro de 1809. Falece em 6 de janeiro de 1852.
207 a. JOSÉ BONAPARTE, com exército de 80 mil homens, chega a SERRA MORENA, iniciando em 4 de janeiro de 1810 a ocupação de ANDALUZIA.
142 a. do jornal O ESTADO DE SÃO PAULO. O primeiro número circulou a 4 de janeiro de 1875, fundado por FRANCISCO RANGEL PESTANA e AMÉRICO DE CAMPOS, sob o nome de PROVÍNCIA DE SÃO PAULO. A redação, a administração e oficinas do jornal, que viria a ser o vanguardeiro das idéias republicanas na PROVÍNCIA, foram instaladas num prédio da rua do PALÁCIO, hoje, Rua do TESOURO, na esquina da Rua do COMÉRCIO – hoje, Rua ÁLVARES PENTEADO – onde ficariam até 1884. Tirando os cinco anos em que esteve sob intervenção da ditadura de GETÚLIO VARGAS, sua trajetória foi marcada pela seriedade, pela clareza de pontos de vista e pela qualidade do noticiário. Desde a primeira edição, em 1875, ainda com o nome de A PROVÍNCIA DE SÃO PAULO, o jornal também se firmou como um dos maiores e mais importantes veículos de comunicação do BRASIL e destacou-se pelas lutas em defesa da democracia, que em muitos momentos confundiram-se com a própria história do País. Foi o primeiro jornal a lutar contra a escravidão e a adotar uma linha abertamente abolicionista. Também foi o primeiro grande diário a apoiar o voto secreto e não se intimidou diante dos regimes de exceção. Nos anos 70, durante a ditadura militar, publicou versos de OS LUSÍADAS, de LUÍS DE CAMÕES, no lugar de matérias censuradas por mostrarem protestos, prisões ou declarações contrárias ao regime. Décadas antes, a mesma coragem tinha custado ao ESTADO cinco anos de intervenção. Em 1940, prepostos da ditadura VARGAS invadiram a sede do jornal e expulsaram diretores e jornalistas. Só a partir de 1945, sob a direção de JÚLIO DE MESQUITA FILHO e FRANCISCO MESQUITA, o ESTADO voltou a ser um veículo de comunicação livre. Anos depois, ele passaria a encabeçar o GRUPO ESTADO, do qual fazem parte outros veículos que também fazem aniversário hoje: a RÁDIO ELDORADO, criada em 1958; o JORNAL DA TARDE, que começou a circular em 1966, e a AGÊNCIA ESTADO, inaugurada em 1970. Em 2000, foi lançado o portal estadao.com.br, que reúne todo o conteúdo dos diversos veículos do grupo em um único endereço da INTERNET.
A PROVÍNCIA DE SÃO PAULO era um diário de quatro páginas e que sairia com esse nome até 31 de dezembro de 1889, um mês e meio após a queda da monarquia. O primeiro editorial apresentava o jornal como um órgão independente, sem compromisso partidário, que defendia as liberdades, especialmente o fim da escravidão e do império. Ao completar 137 anos de existência, a partir de 2012, o público terá acesso a todas as páginas do diário, mais de 2,4 milhões pelo computador. O lançamento ocorrerá no primeiro semestre, em data a ser brevemente anunciada. “Vamos colocar toda a coleção do ESTADO, desde a primeira edição de A PROVÍNCIA DE SÃO PAULO, à disposição do público, com todo o conteúdo do jornal, tudo digitalizado”, informou o diretor de Projetos Digitais, JOÃO CABRAL, na edição de O ESTADO de 4 de janeiro de 2012. Ele e o gerente PAULO SILVESTRE coordenam uma equipe de 50 funcionários que trabalham desde fevereiro de 2011 na digitalização de todo o material publicado. Em 2011, o ESTADO ganhou três categorias do Prêmio ESSO de Jornalismo, o mais tradicional do País: Informação Econômica, Fotografia e Criação Gráfica. Sete profissionais do jornal foram agraciados.
“O futuro não é o que se espera. É o que faz”, escreveu CARLOS LACERDA na abertura de seu artigo publicado no ESTADO no dias do centenário do jornal, em 1975. Com seu estilo peculiar, o jornalista e político cassado citava previsões sobre os anos 2000 para dar seu recado sobre o regime ditatorial. “A vida doméstica será automatizada. Conheceremos o computador de bolso. Haverá telefones de bolso. O ensino será programado e a domicílio, por vídeo. O espetáculo escolhido em casa por meio de bibliotecas centrais audiovisuais...A liberdade restituída pela eletrônica.” Em meio a exercícios futuristas, LACERDA também falava sobre a sua pesquisa no arquivo do ESTADO para preparar um livro em que contaria a história dos irmãos JÚLIO e FRANCISCO MESQUITA, tarefa à qual se dedicou por alguns meses. Naqueles meados dos anos 1970, o meio mais usual para consultar jornais antigos era folhear o original de papel, em volumosas coleções encadernadas guardadas no arquivo do jornal ou em algumas poucas bibliotecas. O acesso ao acervo do ESTADO não era um privilégio de LACERDA. O público também podia fazer pesquisas, mas esbarrava nas dificuldades de consulta e reprodução por se tratar de exemplares únicos. O microfilme, então o meio mais moderno de preservação e difusão, ainda era uma realidade recente, e bastante restrita no BRASIL. A microfilmagem da coleção integral do ESTADO havia começado em 1970, em parceria com a Biblioteca do Congresso Americano em WASHINGTON. O trabalho estaria concluído em dois anos, mas somente em 1979 uma cópia seria entregue à Biblioteca Nacional, que continuaria o trabalho. Foi esse conjunto de mais de 2 mil rolos de microfilmes que, mais de três décadas depois, permitiu a digitalização do gigantesco acervo de 137 anos de maneira mais rápida e eficiente. Após minuciosa análise técnica, as melhores unidades de microfilme armazenadas no arquivo do jornal e na Biblioteca Nacional, no RIO DE JANEIRO, foram selecionadas para serem escaneadas por um equipamento especial. Com os milhões de arquivos digitais resultantes, um software de tratamento das imagens entrou em ação para eliminar imperfeições. Paralelamente, uma equipe dedicava-se a indexar e organizar as páginas em cadernos. Desses dois processos dependia o sucesso da etapa seguinte: converter as imagens em textos, de modo que todo o conteúdo possa ser encontrado por meio de busca de palavras. Para isso, um software de reconhecimento de caracteres varreu todas as páginas, transformando imagens em letras. Quando o resultado não era satisfatório, as páginas originais foram fotografadas novamente. Perfiladas, as páginas cobririam 1.440 km, distância entre SÃO PAULO e VITÓRIA DA CONQUISTA (BA). Encadernados, os volumes ocupam 230 metros, altura de um prédio de 76 andares. Digitalizadas, estarão em qualquer computador. Passado, presente e futuro a apenas alguns cliques.   
121 a. nasce o engenheiro ISRAEL PINHEIRO em 4 de janeiro de 1896.
118 a. das publicações no jornal DIÁRIO POPULAR, edição de 4 de janeiro de 1899: procuraram-nos alguns engraxates, reclamando do senhor intendente de Polícia que mande marcar os lugares na ladeira de SÃO JOÃO, que devem ser pelos mesmos ocupados e determinar o espaço que deve existir entre uma cadeira e outra. Dizem-nos que alguns comerciantes daquela ladeira não consentem na colocação das cadeiras e caixas em frente ou ao lado das suas portas.
Reclamam moradores e transeuntes da Rua GENERAL JARDIM do mau estado de asseio em que se acha a mesma na esquina da Rua DOUTOR CESÁRIO MOTTA. Há muito barro e parece também que os varredores não costumam aparecer por ali.
Consta que a Câmara de BATATAIS está negociando um empréstimo, em boas condições, a fim de tratar com urgência dos serviços de esgotos. A nova Câmara que deve ser empossada no dia 7 de janeiro está de acordo com essa operação financeira que é para realizar importantes melhoramentos para a cidade.
Foi preso em JARDINÓPOLIS, o preto SABINO JOAQUIM FRANCISCO que passava naquela localidade cédulas falsas do valor de 500 réis. Preso em flagrante foi remetido para BATATAIS onde foi feito inquérito devendo o passador ser remetido para esta capital.
Um numeroso grupo de indivíduos árabes promoveram (sic. Leia-se promoveu) ontem, às 10 horas da noite, grande conflito na Rua 25 DE MARÇO, sendo trocadas muitas cacetadas.
O governo parece que mandará outra vez a SÃO BERNARDO o doutor primeiro delegado auxiliar, a fim de presenciar a sessão de posse da Câmara eleita. Há receio de perturbação da ordem, pois o sargento comandante do destacamento não oferece garantia a todos.
Notícias da BAHIA dizem que a 6 de janeiro é esperada a chegada do cruzador ADAMASTOR. O comércio português prepara grandes festejos para receber o comandante FERREIRA DO AMARAL e a oficialidade do ADAMASTOR.   
109 a. nasce EDWARD TELLER, físico americano de origem húngara, em 4 de janeiro de 1908. Foi um dos criadores do programa GUERRA NAS ESTRELAS.
106 a. (PETERSBURGO) Em vista dos preparativos militares que está fazendo a TURQUIA, o governo resolveu pedir a DUMA NACIONAL, em 4 de janeiro de 1911, um crédito de 50 milhões de rublos para custear o aumento da esquadra russa no MAR NEGRO. 
105 a. o Museu Paulista foi visitado durante o ano de 1911 por 94.025 pessoas, enquanto em 1910 o número de pessoas foi apenas de 67.772. Seria certamente maior ainda a freqüência do nosso museu se os meios de comunicação divulgassem esse passeio. (publicado no jornal O ESTADO DE SÃO PAULO de 4 de janeiro de 1912).
104 a. primeira transmissão telefônica sem fio entre NOVA YORK e BERLIM, em 4 de janeiro de 1913.
104 a. publicação no jornal O ESTADO DE SÃO PAULO, edição de 4 de janeiro de 1913: em rodas bem informadas assegura-se que a questão do café do BRASIL aos ESTADOS UNIDOS está virtualmente terminada, e que os estoques pertencentes à valorização, que se acham nos armazéns de NOVA YORK serão vendidos aos poucos. 
102 a. nasce o ex-combatente da Revolução Constitucionalista de 1932, EUCLIDES PANNARONI, em 4 de janeiro de 1915. Pertenceu à LEGIÃO PAULISTA, ESQUADRÃO DE CAVALARIA. Falece no dia 25 de agosto de 2004.
  99 a. falece FRANCISCO IGNÁCIO MARCONDES HOMEM DE MELLO, BARÃO HOMEM DE MELLO. Nasceu em PINDAMONHANGABA, em 1º de maio de 1837. Morre em MONTE BELO RJ, em 4 de janeiro de 1918. Sua biografia acha-se condensada em minhas memórias no lançamento da data de seu nascimento. Foi Presidente da Província de SÃO PAULO em 1864.
  98 a. assassinato, em BERLIM, DE ROSA LUXEMBURGO E KARL LIEBKNECHT, fundadores do Partido Comunista alemão, em 4 de janeiro de 1919. Outros principais líderes da insurreição espartaquista na capital alemã também foram executados.
  88 a. nasce MARTIN LUTHER KING, líder negro americano, defensor dos direitos humanos, em 4 de janeiro de 1929.
  86 a. decisão do Campeonato Paulista de 1930.Num campeonato marcado pelo equilíbrio, SANTOS e CORINTHIANS chegaram à última rodada, disputada somente em 4 de janeiro de 1931, separados por apenas dois pontos. O TIMÃO, com 42 pontos, lutava pelo tricampeonato e enfrentava o forte time santista, que sob a batuta do atacante FEITIÇO havia meses antes goleado por 6 a 1 a seleção francesa, terceira colocada na COPA DO MUNDO no URUGUAI. Uma vitória do PEIXE provocaria um jogo extra. Tamanha expectativa foi retratada pelos jornais da época, que destacaram a invasão da torcida corintiana no estádio do SANTOS. “Para se ter uma idéia do que foi este embate, basta que se diga que tendo sido aberto os portões por volta do meio-dia, já se podia calcular, uma hora depois, 10 mil pessoas, uma compacta assistência que se espraiava pelas enormes dependências do “estadinho do Santos”, publicava a GAZETA no dia seguinte.
O apoio foi fundamental para a vitória longe de casa. Sob os olhares de 20 mil pessoas o CORINTHIANS de GRANÉ, DEL DEBBIO, DE MARIA e RATTO, atropelou o SANTOS por 5 a 2.
No dia seguinte a GAZETA publicava: “Venceu com a mais legítima das vitórias. Dessas que não admitem nenhuma contestação tal a limpidez e superioridade.” Era o segundo tricampeonato do clube do PARQUE SÃO JORGE.
  86 a. um terremoto destrói a cidade de OAXACA, no MÉXICO, em 4 de janeiro de 1931. Entra também em erupção o vulcão POPOCATÉPETL.
  85 a. MAHATMA GANDHI, líder pacifista, é preso pelo governo britânico na ÍNDIA, em 4 de janeiro de 1932. 
  83 a. nasce ELIAS GLEIZER em 4 de janeiro de 1934, filho de poloneses que fugiam da perseguição aos judeus na EUROPA, ILICZ GLEJZER (nome de batismo) fez sua estréia na TV no fim da década de 1950, atuando em "JOSÉ DO EGITO" (1959), da TV TUPI. Depois disso, atuou em várias outras tramas, com passagem pela RECORD e pelo SBT, onde fez "AS PUPILAS DO SENHOR REITOR" (1994). Mas foi na GLOBO que construiu sua carreira. Com as sobrancelhas grossas e um sorriso bondoso, especializou-se em viver o típico velhinho bonachão, papel que fez em tramas como "SONHO MEU" (1993) e "ERA UMA VEZ" (1998). Também interpretou muitos religiosos, como o FREI JOSÉ de "SINHÁ MOÇA" (2006).
"Eu fiz mais de cinco novelas com crianças. Eu tenho cara de vovô. Mas fiz mais novela de padre. Foram dez padres. Também fiz frei, só não consegui ser bispo", brincou ele em depoimento ao MEMÓRIA GLOBO, em 2011. Curiosamente, apesar de "cara de vovô", ELIAS não teve filhos e nem construiu família, já que nunca chegou a se casar.
Seu último trabalho na TV foi uma participação especial em "BOOGIE OOGIE", no ano passado. Antes disso atuou em "FLOR DO CARIBE" (2013) como um judeu que teve os pais perseguidos por nazistas. Como na vida real. Morreu na manhã de 16 de maio de 2015, aos 81 anos, o ator paulistano ELIAS GLEIZER. Ele estava internado no Hospital COPA D´OR, no RIO DE JANEIRO, desde o dia 6 de maio, quando sofreu queda em uma escada rolante. Com o acidente, ele fraturou cinco costelas e teve o pulmão perfurado. Segundo o hospital, ELIAS morreu devido a complicações que levaram à falência circulatória após uma bronco-pneumonia.
Colegas de trabalho lamentaram a morte de GLEIZER.
Famoso por dar vida a "vovôs" na telinha, como o querido PEPE de "ERA UMA VEZ" e o TIO ZÉ de "SONHO MEU" (com CAROLINA PAVANELLI), ELIAS também brilhou como o MANEL BARBOSA de "DIREITO DE AMAR", de 1987, e como o VELHO BARTÔ de "COMO UMA ONDA", um louco que vivia em uma caverna.
ELIAS GLEIZER, morto no dia 16 de maio de 2015, aos 81 anos, foi enterrado no dia 17 de maio de 2015 no Cemitério Israelita de VILAR DOS TELES, em BELFORD ROXO (RJ). Como ele não deixou filhos, a família foi representada pela irmã, ROSA AMAR, e pela sobrinha SIMONE. Ao site EGO, SIMONE disse que o tio era muito ativo e ficou triste por estar no hospital nos últimos dias. "Ele sempre prezou muito o trabalho", contou. A cuidadora do ator, SHIRLEY RAMOS, também falou da disposição de ELIAS. "Ele só queria trabalhar. Estava chateado por fazer hemodiálise".

  77 a. do prêmio NOBEL DE LITERATURA, o chinês GAO XINGJIAN. Ele é ignorado em seu país. Exilado na FRANÇA, suas obras estão banidas na CHINA – apenas pela internet elas podem ser baixadas. Em 2004, numa reunião da sociedade local de literatura contemporânea, um membro foi banido ao tentar falar sobre um de seus livros. GAO XINGJIAN recebeu o prêmio em 4 de janeiro de 1940.
  76 a. nasce o Coronel PM Ref. MANOEL PORFÍRIO VIEIRA CAMARGO em 4 de janeiro de 1941. Entrou para a FORÇA PÚBLICA em 12 de fevereiro de 1964. Foi declarado ASPIRANTE A OFICIAL em 15 de dezembro de 1965. PROMOÇÕES: 2º Tenente – 25 de agosto de 1966; 1º Tenente – 23 de março de 1970; Capitão – 15 de dezembro de 1975; Major – 24 de maio de 1983; Tenente-Coronel – 25 de agosto de 1987.
  76 a. ALFONSO XIII abdica em ROMA de seus direitos ao trono espanhol, em 4 de janeiro de 1941.
  75 a. NEHRU sucede GANDHI à frente do Partido Popular do Congresso Indiano, em 4 de janeiro de 1942.
  74 a. finalização das obras do PENTÁGONO, sede do Departamento de Defesa dos ESTADOS UNIDOS, em WASHINGTON, o maior prédio de escritórios do mundo, em 4 de janeiro de 1943.
  73 a. cidade Argentina de SAN JUAN é destruída por um abalo sísmico em 4 de janeiro de 1944. 
  69 a. da INDEPENDÊNCIA DA BIRMÂNIA, declarada em 4 de janeiro de 1948.
       a. de dona LÉIA, esposa do Cel. PM Res LUIZ ANTÔNIO DE ARAÚJO ROCHA, companheiro da ESCOLA DE OFICIAIS (falecida).
  67 a. empresa RCA VICTOR declara que começaria a produzir discos de longa duração, os LP´S de vinil, em 4 de janeiro de 1950.
  63 a. com a intenção de dar um presente à sua mãe, ELVIS PRESLEY paga 4 dólares para gravar seu primeiro disco, em 4 de janeiro de 1954. O produtor musical e dono do estúdio, SAM PHILLIPS, gostou do que ouviu e um ano depois fazem juntos algumas gravações comerciais.
  61 a. pintor CÂNDIDO PORTINARI entrega os painéis de GUERRA E PAZ para a sede da Organização das NAÇÕES UNIDAS, em NOVA YORK, em 4 de janeiro de 1956.
  59 a. da rádio ELDORADO, inaugurada em 4 de janeiro de 1958.
  59 a. retorna a TERRA o SPUTNIK I, no dia 4 de janeiro de 1958, primeiro satélite artificial lançado pela UNIÃO SOVIÉTICA, em outubro do ano anterior.
  57 a. falece o escritor ALBERT CAMUS, em 4 de janeiro de 1960. CAMUS morreu, aos 47 anos, vítima de um acidente automobilístico. Sua obra tem uma importância filosófica incontestável, em romances como O ESTRANGEIRO, A PESTE e A QUEDA, em ensaios como O MITO DE SÍSIFO e em peças de teatro como CALÍGULA.
  53 a. das anotações feitas em 4 de janeiro de 1964 (sábado). ANO 14º - MÊS 6º - DIA 179º - 5 anos e 213 dias na FORÇA PÚBLICA – 120º dia como ASPIRANTE – 107º dia no BATALHÃO DE GUARDAS.
Estando apenas escalado para entrar de Oficial de Dia na segunda-feira, dia 6, posso passar um fim de semana sossegado. Durante a manhã apenas desço até à AGUA FRIA onde vou comprar carne e um jornal. Em casa leio o DIÁRIO DA NOITE e assim vou até a hora do almoço. A tarde é dedicada à arrumação dos boletins gerais da Força Pública do ano que passou. Também as crianças me distraem. Leio algumas revistas e depois passo a assistir televisão: REPÓRTER ESSO – A MARCA DO ZORRO – TV PREMIADA ATKINSONS – BONANZA (ROSS CATWRIGHT enamora-se de uma viúva, viciada no jogo de cartas, que não conhece moral nem honra quando se trata de jogatina). Os irmãos de ROSS armam uma armadilha para a viúva, impedindo assim o casamento.
Somando as cadernetas do Bar e da COAP, vou obter os seguintes totais de despesas no mês que passou: COAP – CR$20396,50 e Bar – CR$13233,00 que juntamente com os oito mil cruzeiros de aluguel de casa vão perfazer CR$41629,50 na maior quantia que devo para o TENENTE EUCLIDES, proprietário da casa onde moro e dos estabelecimentos comerciais onde faço meus gastos. Isso mostra que o custo de vida está cada vez ficando mais exorbitante. De novembro para dezembro tive mais três mil cruzeiros de aumento nas despesas da COAP e Bar.
Ainda assisto o programa AS DUAS FACES DO OESTE, pelo canal 4. 
  52 a. do registro feito em 4 de janeiro de 1965 (segunda-feira). ANO 15º - MÊS 6º - DIA 179º - 6 anos e 214 dias na FORÇA PÚBLICA - 226 dias como 2º TENENTE - 473 dias no BATALHÃO DE GUARDAS.
O caso do SOLDADO FLORISBELO FURTADO DA ROSA com a Escola de Cabos ainda não acabou. Foi feito um requerimento pedindo inscrição àquela escola e hoje deverá ser entregue. Para tanto esse soldado precisa ir comigo para SÃO PAULO.
São 9 horas quando nos encontramos na estação local e, com o Cabo Escrevente WÁLTER ERMAN HAYDER e mais alguns conhecidos, vamos fazer a viagem para SÃO PAULO. Chegamos com muita chuva, mas, mesmo assim, dirigimo-nos para o BATALHÃO DE GUARDAS.
No BG, colocamos o requerimento num envelope. Lacramos o mesmo e o entregamos ao estafeta. Na Sala das Ordens soube que minhas férias foram prorrogadas e, nestas condições, deverei me apresentar para o serviço somente no dia 20 de janeiro. O 2º TENENTE GERSON DE OLIVEIRA vai hoje buscar o dinheiro para pagamento da licença-prêmio em pecúnia e, amanhã, receberei tal quantia.
Almoço no BG bem como o soldado FLORISBELO, no refeitório da guarda com diversos conhecidos do Batalhão: soldados JOÃO "TAUBATÉ", POSSIDÔNIO SEVERO DE MEDEIROS, 3º SARGENTO RIBEIRO, CABO JÚLIO e outros.
Passam das 12 horas quando deixamos o BG. Preciso ir até o meu lar, pois o pessoal deve estar precisando de dinheiro. Tomamos o ônibus VILA AURORA, apesar da chuva que cai. MARIA já me espera e, depois de diversas conversas, fica acertado que permanecerei em POÁ durante toda esta semana em curso.
Ainda com o SOLDADO FLORISBELO, vou a um MUSEU DE CERA localizado no princípio da Avenida SÃO JOÃO. Esse museu se divide em duas partes: científica e policial.
É cedo para voltarmos para POÁ. Resolvemos assistir a um filme no CINE ÁUREA - MAS QUE MULHERES! - não é uma película muito boa, servindo apenas para passar o tempo.
Na estação ROOSEVELT vamos embarcar no trem das 19:30 horas. Viajamos com todos aqueles conhecidos da viagem da manhã.
Em POÁ, após jantar em casa de meus pais torno a sair e, vou permanecer até tarde da noite, conversando com as praças de serviço no destacamento, inclusive o próprio soldado FLORISBELO. Nesta noite sou obrigado a chamar a atenção do 2º SARGENTO NELSON RIZZO que, atualmente, está trabalhando muito mal como comandante do destacamento local.   
51 a. dos escritos em 4 de janeiro de 1966 (terça-feira). ANO 16º - MÊS 6º - DIA 178º - 7 anos e 214 dias na FORÇA PÚBLICA - 591 dias como 2º TENENTE - 838 dias no BATALHÃO DE GUARDAS.
O pagamento do mês de dezembro de 1965 ainda não saiu, apesar de já haver a safadeza do governo de não pagá-lo antes das festas de NATAL e FIM DE ANO. Naturalmente, há uma reação das praças e com razão. Hoje, ao chegar no BG sinto uma tensão nervosa nos componentes da Unidade, todos perguntando acerca do pagamento e já demonstrando pessimismo na própria pergunta.
Começo o expediente dessa maneira, esperando alguma novidade acerca do dinheiro até o final deste dia. Os próprios oficiais não estão gostando do fato do pagamento estar demorando tanto.
Minha atividade na FIF resume-se em despachar papéis, contando sempre com a presença dos aspirantes estagiários. Hoje tenho comigo: DOWER ROBERTO CUNHA BASTOS, EURICO ALVES COSTA, ADAUTO VIEIRA DOS SANTOS e PAULO DE OLIVEIRA COELHO.
Com referência à tesouraria, estou mais folgado agora, uma vez que encerramos os trabalhos atinentes aos balancetes mensal e anual. Chego a dispensar o SARGENTO VICTOR VALÉRIO, uma que o mesmo merece (trabalhou até às 17 horas de sexta-feira e deu um duro danado ontem).
Ao meio-dia deixo o BG com os Aspirantes EURICO, COELHO e VIEIRA. Vamos ao Serviço de Fundos saber acerca do pagamento. O CAPITÃO WALDOMIRO DE ABREU não está suportando mais a presença dos tesoureiros. Vive o drama da "chateação" e agora diz simplesmente que qualquer novidade telefonará para o quartel, chamando o tesoureiro. Para hoje nada está planejado e talve o pagamento não saia mesmo nesta terça-feira.
Com os aspirantes vou ao Serviço de Intendência, onde converso com o TENENTE MOACIR DE SIQUEIRA que, inclusive, dá-me duas guias - de fornecimento de material de escritório e impressos de papelaria.
Ainda com os aspirantes, vou ao Quartel General. Na repartição sobre "Alterações do Pessoal" vou saber o destino de um ex-soldado "TIEZIO DE CARVALHO", a pedido do COMANDANTE ANSELMO. Ali conversamos com o 2º TENENTE QOAA BELETATO.
Retornamos ao BG às 14 horas. Dou as novidades para o MAJOR CLÁUDIO e, em seguida, o SOLDADO ROBERTO MAIO, motorista do Comando, leva-me até o meu lar.
O ROBERTO MAIO vai até sua casa almoçar e fica acertado que às 15:30 horas novamente passará em meu lar e mais uma vez iremos ao BG, pois poderemos ser surpreendidos com um telefonema do Serviço de Fundos, a qualquer instante.
Almoço com minha família e consigo descansar um pouco. No horário marcado chega o MAIO e novamente retornamos ao Batalhão.
Estão de serviço: 2º TENENTE JOSÉ HAMILTON PORT (Oficial de Dia); 3º SARGENTO LOPES (meu auxiliar na FIF e Comandante da Guarda neste dia). Telefonista CABO EDMUR. São quase 16 horas e ninguém sabe de nada acerca do pagamento.
Resolvo ficar no quartel até 17 horas. Neste horário o Banco fecha e não há mais possibilidade de recebermos neste 4 de janeiro. A tropa aguarda impaciente quaisquer novidades.
Vai acontecer aquilo que previra antes. O ordenado do mês de dezembro não sairá mesmo neste dia. Novamente, com o SOLDADO MAIO, motorista do Comando, deixo o BG, encaminhando-me de carro para meu lar.
Passo uma noite intranquila. Tenho vontade de deixar de ser tesoureiro do BG, pois a situação não é boa. A questão de vencimentos na Força Pública passou a ser esmola e, segundo muitos, é mais fácil pedir esmolas do que receber na FP. As praças estão descontentes e eu mais ainda, pois tenho de aguentar perguntas de minuto para minuto, todos os fins de mês e começo também.
Apresentou-se no BG, hoje, o 2º TENENTE DEVANIR ANTÔNIO DE CASTRO QUEIROZ, transferido do 6º BP (SANTOS) para esta Unidade.
Acontece que já em 6 de janeiro o DEVANIR entrará em gozo de 30 dias de férias. Parece que ele não permanecerá no BG.   
  51 a. do JORNAL DA TARDE. Surgido no dia 4 de janeiro de 1966, o JT renovou os padrões da imprensa brasileira, com capas-cartazes e reportagens que ficavam entre o jornal diário e as revistas. “PELÉ CASA NO CARNAVAL”, foi a manchete do primeiro número do JT. Outra manchete esportiva chamava a atenção:”GARRINCHA PARA O CORINTHIANS”. Títulos inovadores e descontraídos já eram a marca registrada do jornal, que em seu primeiro número assim noticiou a ameaça de processo movida por ROBERTO CARLOS pelo dono de um calhambeque que apareceu numa foto do “REI”: “CALHAMBEQUE FAZ BIBI NA JUSTIÇA”. O JT, como O ESTADÃO, destacou-se também pela defesa da democracia e da liberdade. Na época da ditadura militar, no começo dos anos 70, a estratégia usada pelo ESTADÃO para protestar contra a censura foi a publicação de trechos de OS LUSÍADAS, de CAMÕES, no lugar das reportagens proibidas. O JT, por sua vez, publicava receitas culinárias.
  50 a. dos acontecimentos anotados em 4 de janeiro de 1967 (quarta-feira). ANO 17º - MÊS 6º - DIA 179º - 8 anos e 214 dias na FORÇA PÚBLICA – 21º dia como 1º TENENTE – 274 dias na 2ª Companhia Independente.
Viajo mais cedo para GUARULHOS, mas antes passo pelo Serviço de intendência a fim de acertar alguns casos com o CAPITÃO TREVISAN e 1º TENENTE FLÁVIO VAZ.
Os novos oficiais do QOAA estão fazendo estágio naquele Serviço. É a primeira vez que tenho um contato mais direto com eles. A essa turma pertencem o NÍVIO MARCELINO e o RAMON PEREZ.
O jornal NOTÍCIAIS POPULARES traz, em letras garrafais, na primeira página “FORÇA PÚBLICA – TENENTE-CORONEL vai ser preso. Trata-se do caso da demissão da CASA MILITAR do Governador LAUDO NATEL, que, para melhor entendimento, segue neste diário em noticiário publicado em jornal.
CRISE DA FORÇA PÚBLICA PODE SER RESOLVIDA NA AL. O pedido de demissão coletiva dos membros da CASA MILITAR do governador está criando uma crise entre o Poder Executivo e a FORÇA PÚBLICA, com possibilidades discutíveis de solução imediata. Como o ato do governador que causou o descontentamento (acabou com o benefício financeiro para os oficiais que passarem para a reserva no posto de coronel) se limitou a ser uma reprodução do ato do governo federal que extinguiu aquele benefício nas Forças Armadas, a solução imediata fica remota, pois dificilmente o senhor LAUDO NATEL poderá recuar da mensagem e a perspectiva é de grande número de reformas até o fim do mês. Esse episódio deverá criar um novo caso que caberá ao futuro governador ABREU SODRÉ solucionar definitivamente, pois as queixas da FORÇA PÚBLICA vêm de longa data e estão se acumulando. Na formação do Secretariado e na escolha do novo comando da FORÇA PÚBLICA e do DELEGADO GERAL, o futuro governador começará a enfrentar nova onda de reivindicações, como ocorre em toda mudança de governo. O caminho aparente para uma solução será a rejeição da mensagem pela Assembléia, o tocante àquela limitação. Se o dispositivo for rejeitado, perdurará a situação atual, amainando os descontentamentos da Milícia paulista.
Ao final do expediente de hoje, informações procedentes do gabinete do Secretário de Segurança davam conta de que o TENENTE CORONEL JOÃO ÁUREO CAMPANHÃ será punido com a pena de vinte dias de prisão pelo ato de indisciplina ao demitir-se, juntamente com os oficiais que integravam a CASA MILITAR do governador. Inicialmente, correram rumores de que o titular da Pasta teria sido chamado a BRASÍLIA pelo presidente da República, mas logo a notícia era desmentida pelo chefe do seu gabinete, DELEGADO ARY JOSÉ BAUER.
Os demais membros da CASA MILITAR, que não assinaram o memorial, mas também se demitiram vão ser chamados para dizer se estão ou não solidários com o TENENTE CORONEL CAMPANHÃ. Se estiverem, serão punidos.
Chego da 2ª CI  lá pelas 9 horas. Logo em seguida avisam-me que o detento GUILHERME DE MACEDO será ouvido pelo escrivão CAPOVILLA, na Delegacia. Como esse preso é testemunha do IPM que estou fazendo, também o ouvirei em seguida.
O 1º SARGENTO FLÁVIO é porta-voz do TENENTE SÉRGIO PEREIRA. Fala-me que aquele oficial quer terminar com essa situação criada por mim, com a parte dada ontem. Ao mesmo tempo ameaça-me com outros comentários. Não aceito essa intimidação. Digo ao SARGENTO FLÁVIO que o que está sendo feito já está escrito e o TENENTE SÉRGIO não deve a mim nenhuma explicação. Suas explicações devem ser endereçadas ao CAPITÃO JAIR DE OLIVEIRA MOURA MORAIS e não a mim.
Parto para o Destacamento. Enquanto o detento MACEDO presta declarações no Inquérito Policial na Delegacia, converso com o TENENTE NUNES FERNANDES, que está por conta com o TENENTE SÉRGIO PEREIRA. Telefono para o CAPITÃO JAIR e peço a ele para conversar em particular conosco. O comandante da 2ª CI assim o faz e explicamos uma série de coisas erradas que vêm acontecendo na Unidade, tudo por culpa do TENENTE SÉRGIO, que vem agindo arbitrariamente.
Ouço o detento MACEDO que acusa o SOLDADO CARNEIRO de ter introduzido pinga na cadeia pública. O expediente transcorre rapidamente. Deixo a Companhia com o TENENTE NUNES FERNANDES e ASPIRANTE LUÍS LUCAS. Conversamos muito sobre os desmandos do TENENTE SÉRGIO.
Em meu lar, quero sossego. Chega os acontecimentos no quartel. Na televisão, assisto: PROGRAMA ZÁS-TRÁS;  Seriado OS TRILHOS DA MORTE (11º capítulo); novelas REDENÇÃO – MINAS DE PRATA – ABNEGAÇÃO.
BATMAAN e ROBIN contra o CORINGA e o filme de longa metragem ALGEMAS PARTIDAS. Esse filme mostra a estória de um rapaz que tinha por pai um escroque e por mãe uma vadia viciada em drogas. RICANDO MONTALBAN interpreta o papel de um fornecedor de entorpecentes.     
  48 a. casamento do 1º TENENTE AMAURI DE ARAÚJO, na CAPELANIA MILITAR, em 4 de janeiro de 1969, um sábado. Estão presentes para cruzar espadas: TENENTE-CORONEL ALTINO MAGNO FERNANDES, Cmt do 1º BP “TOBIAS DE AGUIAR” (atualmente em gozo de férias), CAPITÃES ÂNGELO e SAVIOLI. TENENTES ROLIM, ALUÍZIO, PAZELLI, DALMIRO, BALATKA, FERREIRA DE SOUZA, OTÁVIO, FELICIANO, MAURÍCIO, EDMUNDO ZABORSKI, RENATO, EDUARDO CAVALCANTI, VENTURA. Após o casamento os recém-casados são recepcionados no Clube dos Oficiais. O noivo é “raptado” e levado para o Batalhão. Seus colegas dão-lhe “um trato”. Somente vestindo um saco, na capota de um automóvel, regressa ao Clube dos Oficiais. 
Acontece o Final do I FESTIVAL DE MÚSICAS CARNAVALESCAS, defronte o TEATRO MUNICIPAL. O ASPIRANTE-A-OFICIAL TOGNETTI é o comandante do policimento.
Naquela época o CAPITÃO CAMILO DIAS DOS ANJOS era o Cmt Interino do 1º Batalhão “TOBIAS DE AGUIAR” (férias do TENENTE-CORONEL ALTINO MAGNO FERNANDES). No Sub-Cmdo interino estava o CAPITÃO RENATO NOGUEIRA MAGALHÃES (O MAJOR SALVADOR D´AQUINO estava afastado para tratamento de saúde); o CAPITÃO JOSÉ MARQUES MOREIRA era o FISCAL. O TENENTE PAZELLI comandava a CCS (face as férias do 1º TENENTE CALCIOLARI.
Eu comandava interinamente a 2ª Companhia. O 1º TENENTE DURVAL DOS SANTOS ROSA era o oficial de Operações (S3).
  38 a. das anotações feitas em 4 de janeiro de 1979: nesta quinta-feira os jogos de volibol dos oficiais da reserva e reformados conta com a presença do Comandante Geral. O MAJOR PM WALTER CRISCIBENE apresenta ao nosso comandante alguns problemas que poderão trazer dificuldades neste mês. Leio certos documentos sobre agressões e violência. Recebo do Clube do Livro, pelo senhor JOÃO, o exemplar de “ONDE ESTÃO AS CRIANÇAS?”, de MARY HIGGINS CLARK. Na noite, pelo JORNAL NACIONAL fico sabendo que o frio na EUROPA já matou 115 pessoas. Leio “OS CONSPIRADORES”, de BARBEY D´AUREVILLY.
  37 a. presidente norte-americano JIMMY CARTER anuncia um corte de exportações de trigo à UNIÃO SOVIÉTICA, em 4 de janeiro de 1980, por causa de sua invasão ao AFEGANISTÃO.
  32 a. da operação da coluna, sofrida pelo ex-presidente da República,  JOÃO BAPTISTA FIGUEIREDO, no dia 4 de janeiro de 1985. 
  31 a. acidente de helicóptero no RALLY PARIS-DAKAR, em 4 de janeiro de 1986. O organizador THIERRY SABINE, e mais quatro pessoas morrem no acidente.
  30 a. das seguintes anotações em 4 de janeiro de 1987: meus estudos de hoje são sobre Defesa Interna, apostila do CORONEL PM Res PAULO WILSON. Neste domingo estou pessimista com relação ao vestibular para o CSP-87 face o número de matérias que se tem pela frente. Na tarde, o CAPITÃO PM MONTINI, Supervisor da Área de Choque, mantém um contato telefônico comigo no sentido de mandar uma equipe do COE até a região de MAUÁ. Houve um assalto seguido de seqüestro de três pessoas. Uma dela fugiu e está orientando a PM. A tropa do 2º BPChq irá agora para o PACAEMBU: fará o policiamento do jogo BRASIL x ITÁLIA. Trata-se do Mundialito de Seniors, com a participação de PELÉ. Também há um pedido de policiamento para uma competição de luta-livre.
Chove bem neste domingo. Na minha biblioteca relembro os apontamentos do CAO-77 sobre Trabalho de Comando e Estado Maior. Termino de ler A MAIOR VIOLÊNCIA DO MUNDO, de PERCIVAL DE SOUZA.
O BRASIL vence, nesta noite, a ITÁLIA por 3 a 0. LELLI fez um gol contra aos 29 minutos do primeiro tempo. RIVELINO marca aos 25 minutos do segundo tempo e DARIO completa o marcador aos 36 minutos. O jogo aconteceu no PACAEMBU. O BRASIL jogou com ADO, TONINHO, DJALMA DIAS, ALFREDO e MARCO ANTÔNIO; TEODORO (DARIO), CARPEGIANI e RIVELINO (DICÁ); CAFURINGA (LOLA), PELÉ e EDU.
Na VILA BELMIRO, ALEMANHA 1 x ARGENTINA 1.
Equipes de salvamento enfrentam dificuldades para encontrar os corpos vitimados na queda do BOEING 707 da VARIG. O único sobrevivente é NEUBA YESSOH, um professor da Universidade de ABDIJÃ. Um dos brasileiros mortos é o delegado de polícia de BRASÍLIA, JORGE LAZUTA.
O Presidente REAGAN sofrerá uma nova operação para retirada de pólipos no cólon.   
  29 a. falece o colunista e chargista HENFIL, em 4 de janeiro de 1988, vítima de AIDS. Hemofílico, ele foi contaminado numa transfusão de sangue.
  29 a. transf. para a reserva do GENERAL-DE-DIVISÃO FRANCISCO BAPTISTA TORRES DE MELLO, ex-CMT. GERAL da PMESP, no dia 4 de janeiro de 1988. Foi nomeado para assumir esse cargo pelo decreto de 25 de abril de 1974. Foi exonerado por decreto de 3 de novembro de 1977. Ele substituiu no Comando Geral da PMESP o CORONEL PM THEODORO CABETTE. Entregou o comando para o então CORONEL do Exército ARNALDO BASTOS DE CARVALHO BRAGA, promovido mais tarde a GENERAL-DE-BRIGADA. O GENERAL ARNALDO BASTOS DE CARVALHO BRAGA falece em 10 de janeiro de 2008.
  29 a. morre SEAN Mc BRIDE, político irlandês, Prêmio NOBEL (1974) e Prêmio LENIN DA PAZ, em 4 de janeiro de 1988.  
  26 a. nasce o neto de Dona VALDECIR e do Senhor ZEZITO, ÉVERTON CÉSAR BRITO, em 4 de janeiro de 1991.
  26 a. da passagem da guarda do MONUMENTO-MAUSOLÉU DO SOLDADO CONSTITUCIONALISTA de 32, do 12º BPMM para o 3º BPChq, em 4 de janeiro de 1991. Essa guarda pertenceu novamente ao 12º  BPMM. Somente em 2015 é que deixou de ser do 12º BPMM e passou para os cuidados da DIREÇÃO DE ENSINO E CULTURA, uma vez que a Administração do Monumento foi entregue à DEC.
  25 a. terroristas do ETA assassinam o professor MANUEL BROSETA, em VALÊNCIA (ITÁLIA) em 4 de janeiro de 1992.
  25 a. JORNAL DA TARDE publicava em 4 de janeiro de 1992 o aumento de 126% que o governo tinha anunciado aos aposentados. Um navio da Petrobrás havia afundado no litoral de São Paulo. Noticiava também que peritos haviam recomendado análise da estrutura da embarcação, mas a Petrobrás prorrogou o contrato. Investimentos estrangeiros fizeram as bolsas de valores de São Paulo e do RIO subirem.
  22 a. NEWT GINGRICH, do Partido Republicano, torna-se líder do Congresso dos ESTADOS UNIDOS, em 4 de janeiro de 1995. 
  20 a. das anotações feitas em 4 de janeiro de 1997: neste sábado, pela manhã, na biblioteca, leio o JORNAL DA TARDE. O PM JOÃO GOMES DE OLIVEIRA JUNIOR foi visitar sua avó, dona ESMERALDA, e traz a notícia de mais uma briga entre o AMERICO e o JOSÉ, seus tios, acontecida ontem. Os irmãos beberam e se desentenderam em acusações mútuas à ex-mulher do AMÉRICO, a MARIA e a esposa do JOSÉ, a DORA. O AMÉRICO levou a pior e hoje mostra uma cara toda machucada. À tarde, pela televisão, assisto as notícias sobre as pavorosas enchentes em MINAS GERAIS, as inundações no RIO e na EUROPA e ESTADOS UNIDOS. A AUSTRÁLIA é surpreendida por incêndios e por um ciclone. PAULO MALUF dá uma entrevista coletiva para a imprensa, ao lado de sua mulher SÍLVIA, no Hospital SÍRIO LIBANÊS, onde se convalesce da operação da próstata. Ele acusa o governo de tentar comprar votos no Congresso para a reeleição e diz que inicia campanha para a Presidência em um mês. À tarde, após almoçar lá pelas 15 horas, descanso um pouco e volto à biblioteca para relembrar os dias 4 a 10 de janeiro de 1992 a 1996. O JORNAL NACIONAL da GLOBO atualiza os dados das inundações nas 101 cidades mineiras: 63 mortes, 6.500 desabrigados. Uma família perdeu 7 parentes num desmoronamento de terra em cima de uma casa. Num outro soterramento morreram 5 membros de outra família. No norte do RIO há 5 mil desabrigados. Pela primeira vez, desde o início da ocupação da residência do embaixador japonês no PERU os guerrilheiros do Movimento Revolucionário TUPAC AMARU apareceram no teto da mansão em LIMA, na escuridão dessa madrugada. Os rebeldes, que mantêm 74 reféns na casa, penduraram cartazes protestando contra a pobreza, criticando o presidente ALBERTO FUJIMORI e reafirmando a exigência da libertação de seus mais de 400 companheiros presos. Viúvo há um ano, o presidente checo, VACLAV HAVEL, de 60 anos, casou-se hoje com a consagrada atriz DAGMAR “DASA” VESKRNOVA, de 43 anos. O frio causa 292 mortes na EUROPA e ESTADOS UNIDOS. O mais rigoroso inverno europeu em dez anos, com o degelo e as tempestades provocando o caos nos ESTADOS UNIDOS.
  19 a. da morte do dono do Hotel GLÓRIA, EDUARDO TAPAJÓS, em acidente de helicóptero, no dia 4 de janeiro de 1998. Outras anotações: na manhã deste domingo o AMÉRICO vem visitar sua mãe, dona ESMERALDA,  que se encontra em casa. Telefono para minha mãe e lhe comunico que hoje não irei em POÁ. Não estou bem de saúde, bastante desanimado, com a pressão alta, muito embora tome os remédios. O calor é bastante desagradável também. Na biblioteca, continuo relendo o 14º tomo de minhas memórias, meses de fevereiro, março, abril de 1964. Em 9 de fevereiro de 1964 falecia o cantor e compositor ARY BARROSO. Em 17 de fevereiro morria o CORONEL Reformado PAULO DA CRUZ MARIANO. No dia 1 de fevereiro o 2º TENENTE MÁRIO TOLEDO DE CAMARGO deixava o BATALHÃO DE GUARDAS, transferido para o 10º BPM (SANTO ANDRÉ). No dia 2 de março chegava no BG o 2º TENENTE OMAR JOSÉ DE CAMPOS VERDE. No dia 7 de março acontecia a FESTA DA ESPADA no CFA com 27 cadetes sendo promovidos a ASPIRANTE A OFICIAL (três eram do Estado de SANTA CATARINA). No dia 13 de março complica-se a política nacional com um comício do Presidente JANGO GOULART aos trabalhadores. O BG entra em rigorosa prontidão. O 2º TENENTE MAURO ROCCO D´ÂNGELO deixava o BG, transferido para o Serviço de Engenharia. Em 17 de março chegavam no BATALHÃO DE GUARDAS os novos aspirantes: OSIRIS, HERMES, LUÍS GONZAGA, UBIRATAN, TRAJANO, CARVALHO DIAS e RICCIARDELLI. No dia 19 de março, passeata cívica da Família Paulista, com milhares de participantes, repudiando o comunismo. No dia 20 de março deixavam o BG o ASPIRANTE AMÉRICO, transferido para o 2º BP; o ASPIRANTE BORINI SOARES que ia para o 8º BP; o ASPIRANTE MENDES, transferido para o 11º BP. Chegava o 2º TENENTE GÉRSON DE OLIVEIRA. No dia 23 de março, suicídio do soldado JOSÉ OTÁVIO PEREIRA, na terceira companhia do Batalhão de Guardas. No dia 27 de março (sexta-feira santa) falecia a madrinha de minha mãe, em SANTOS, DONA JÚLIA. Meus pais foram ao enterro no dia 28. em 31 de março deixavam o BG: CAPITÃO EUGÊNIO AUGUSTO SARMENTO, transferido para o 9º BP; ASPIRANTES UBIRATAN e OSIRIS classificados no Regimento de Cavalaria e não no Batalhão de Guardas. Em abril de 1964 tivemos prontidões de dias seguidos no BG por causa da revolução. JANGO GOULART refugiou-se no início no RIO GRANDE DO SUL e depois foi para MONTEVIDÉU. RANIERI MAZZILI assumiu a Presidência, interinamente, em 2 de abril. No dia 5 de abril falecia o herói da 2ª Grande Guerra, o GENERAL DOUGLAS MAC ARTHUR. No dia 8 de abril, no CANINDÉ, o governador ADHEMAR DE BARROS agradecia à FORÇA PÚBLICA a sua participação na Revolução. Estavam presentes o Comandante Geral, GENERAL EB JOÃO FRANCO PONTES e o Destacamento da FP era comandado pelo CORONEL DIVO BARSOTTI. No dia 11 de abril, o Congresso elege para Presidente o MARECHAL UMBERTO ALENCAR CASTELLO BRANCO, assumindo o alto cargo no dia 15 de abril. No dia 21 de abril, a FORÇA PÚBLICA desfilava no VALE DO ANHANGABAÚ. No dia 27 de abril, chegava no BG o ASPIRANTE A OFICIAL OSCAR TEREZA PINHEIRO DO CARMO. No dia 8 de abril o BG encaminhava para o Presídio Militar “ROMÃO GOMES” o soldado OIRASIL WERNECK, comunista declarado, enquadrado em crimes contra a Lei de Segurança Nacional.
Na tarde deste domingo caiu um helicóptero em ANGRA DOS REIS. A aeronave decolou de um heliponto próximo à casa do empresário EDUARDO TAPAJÓS, na localidade de MOMBAÇA. Três minutos depois perdeu altura e caiu no mar. A mulher de EDUARDO, MARIA CLARA TAPAJÓS, um casal de amigos de BRASÍLIA e o piloto foram resgatados com vida. EDUARDO TAPAJÓS, de 68 anos, dono do HOTEL GLÓRIA, ficou preso no cinto de segurança e afundou junto com o helicóptero. O aparelho ainda não foi encontrado.
  18 a. da operação  “8581 8472 74144 14213 1/75”, no dia 4 de janeiro de 1999. Outras anotações nesta segunda-feira: LUCINDA vai concretizando a reforma da casa. Com o quarto e a sala prontos, ela cuidará da mudança dos moveis nesta segunda-feira. Com isso, o quarto dos fundos fica para mim. Não é sem tempo porque a minha biblicoteca não tem mais espaço para o arquivo da papelada que virá neste ano e no próximo milênio. Tenho muito trabalho com a segunda aula programada para a Rua BENJAMIN CONSTANT. A primeira foi em 30 de dezembro de 1998.
Os números da violência em 1998 são mostrados num painel pelo DUDA que me auxilia muito nesta palestra. Esse rapaz atualizou todos os números. Um exemplo são as 89 chacinas do ano que passou, com 308 vítimas. Chama também a atenção a violência no trânsito com dados alarmantes, piores do que câncer, infarto ou AIDS.
Cruzo com o CORONEL PM Ref ALAOR GODÓI nas imediações do Corpo de Bombeiros. Não tenho notícias da mega-operação com o crime de roubos de cargas. Na OPERAÇÃO OSÓRIO soube que JANUS afastou-se da mesma e não deixou substituto, muito embora tenha apresentado um possível substituto há alguns dias.
Em casa, LUCINDA e MARLENE cuidaram da arrumação das dependências reformadas: o antigo quarto da MARLENE e a sala. Até o terno estofado que estava na garagem do senhor JOSÉ BOARETTO já retornou para casa.
O culpado pela danificação da parte da grade de ferro de nossa garagem diz que já está de posse da nova grade e que irá pintá-la antes de colocá-la. No dia 19 de dezembro essa pessoa deixou um carro sem freio estacionado na Avenida BENVINDO TOLENTINO NETO. Um outro carro bateu na traseira deste e, desgovernado, foi de encontro à grade de nossa garagem.      
  17 a. falece o ex–combatente de 32, OSWALDO JOÃO TOLEZANO, no dia 4 de janeiro de 2000.

ACONTECEU EM 4 DE JANEIRO DE 2001  : -   QUINTA-FEIRA
Resolvo colocar uma carta, que escrevi para o meu primo NECO no correio. Minha mãe insistiu muito nisso. O rapaz completará 32 anos no dia 8 de janeiro. Por causa do uso de droga, foi condenado a passar um tempo na cadeia modelo de PIRAJUÍ. Da PRAÇA JOÃO MENDES, onde fica o correio, faço uma boa caminhada até a Rua MAJOR QUEDINHO, número 28, onde fica o DIÁRIO POPULAR. Vou buscar o vídeo JESUS, uma promoção do jornal, após colecionar 15 selos que dão direito a esse brinde.
O calor deixa-me cansado para a reunião do MMDS. Estamos avaliando as estatísticas sobre os roubos de carga, que nesse ano não tiveram a intensidade das outras operações realizadas desde 1990. Há suspeita de que investigadores e delegados de polícia estão prejudicando a equipe que está trabalhando neste ano. As despesas da MEGA-OPERAÇÃO estão sendo pagas no BRADESCO. O MARIVALDO é o tesoureiro do investimento. Passo pela AORPM. Cumprimento o CORONEL PM Ref EDILBERTO. Segundo a certidão de nascimento o seu aniversário é 2 de janeiro. Diz ele que nasceu em 30 de dezembro. Fala sobre a festa da Associação em 25 de janeiro. A nova Diretoria assumirá nessa data. O CORONEL PM EDILBERTO continuará na Presidência no triênio 2001-2004. Cumprimento outros oficiais na AORPM: TENENTE-CORONEL PM MOACYR, TENENTE PM Ref SILVINO FIORIO NETO e outros. Às 15 horas, sem obrigações com o MMDC (fechado até 8 de janeiro) retorno a GUARULHOS. 

FALECEU o Cel. Ref. SEBASTIÃO FLORENTINO, aos 68 anos, vítima de um infarto fulminante. Muitas vezes, nas nossas visitas à Associação dos Oficiais da Reserva, encontramos ali o FLORENTINO, sempre amável, alegre, conversando animadamente conosco. FLORENTINO nasceu em 18 de dezembro de 1932.

Ontem, numa tentativa de assalto ao Supermercado PÃO DE AÇÚCAR, em JACAREÍ, morreram no tiroteio o policial civil MAURO MORALES, de 37 anos; a representante comercial ANDRÉA ERNESTO SILVA e o assaltante ROBERTO ALVES LOUREIRO.
Duas mulheres, uma delas grávida de seis meses, feridas no confronto durante roubo a um carro–forte, em JACAREÍ, no dia 3 de janeiro de 2001, morreram neste dia 4. Com isso, sobe para cinco o número de vítimas nessa ocorrência. Duas outras, com ferimentos graves, ainda estão internadas. Segundo depoimento de dois assaltantes presos, a quadrilha pertence ao ABC paulista e teria planejado a ação com o auxílio de uma pessoa do VALE.

MANUEL SUBTIL, português, invadiu a RTP (Rádio e Televisão Portuguesa) e disse que iria detonar uma bomba porque uma reportagem havia provocado a falência de sua empresa. Ficou entrincheirado no prédio durante oito horas e depois se entregou à polícia. Ele invadiu o prédio em companhia de sua ex-mulher, de sua atual mulher e de duas filhas.

Beneficiado por liminar do presidente do STJ, PAULO COSTA LEITE, o juiz aposentado NICOLAU DOS SANTOS NETO, LALAU, voltou hoje à tarde para a CASA DE CUSTÓDIA DA POLÍCIA FEDERAL, onde esteve preso de 8 de dezembro de 2000 até 3 de janeiro de 2001. Vai ocupar a mesma sala improvisada de 6 metros quadrados. Fora transferido para a carceragem do 77º D P – SANTA CECÍLIA – onde não ficou nem vinte e quatro horas.

Foi interditado o Estádio de São Januário por causa do acidente que deixou mais de 150 feridos no jogo VASCO x SÃO CAETANO.

O presidente da CÂMARA FEDERAL, MICHEL TEMER, enviou à CORREGEDORIA-GERAL da Câmara representação contra EURICO MIRANDA por quebra de decôro, o que significa o primeiro passo para o processo de cassação do mandato do deputado.

Em ANGRA DOS REIS, uma lancha que levava turistas para a ILHA DE MANDALA, colidiu com uma embarcação não identificada. Morreram o piloto e dois turistas.

Anunciado o fechamento da revista GEORGE, fundada por JOHN  KENNEDY, morto em acidente de avião em julho de 1999, aos 38 anos. A publicação, lançada em 1995, circulou pela última vez em março de 2001.

4 DE JANEIRO DE 2002:-     SEXTA-FEIRA
115113 `1  6181/31323181.
O Presidente da Sociedade Veteranos de 32-MMDC recebeu, pela manhã, um telefonema de Dona CÉLIA, queixando-se de problemas com seu filho DIEGO, que, recentemente, torceu o pé. Deve ter exorbitado em caminhadas, ontem, e agora o local está muito inchado. O rapaz deveria fazer provas no colégio e a sua situação impossibilita o deslocamento. Dona CÉLIA corre com o filho e o Sr. PIRES acha de vir mais cedo para o MMDC, tentando fazer às vezes da secretária. Encontro-o preocupado com isso. O Sr. KELLER, de PIRAJUÍ, sempre com seu jeitão acaipirado, pegou o presidente de empreitada para falar coisas do passado, entrando lances da Revolução de 32, época de ADHEMAR DE BARROS na política, INESITA BARROSO, TONICO e TINOCO, ZÉ FIDELIS e outros nomes da época. O Sr. PIRES gosta disso. Enquanto isso encontro alguns documentos de 32 que vou mandar para o site criado pelo ROMEU CICCONE. O CORONEL RENALDO telefona para dizer que a questão do depósito dos quinze mil reais, depositados pela Secretaria da Cultura numa conta já encerrada do MMDC, só será resolvida na semana que vem. A Sociedade está com algumas dívidas para pagar.
O expediente que faço, das 14 às 16 horas, passa muito depressa. O calor é de 30 graus no centro da cidade, mas não chove como era de se prever. Dona Célia vem mais tarde, mas ainda está muito preocupada com seu filho DIEGO, que poderá perder o ano letivo, caso não faça as provas.
Retornando para casa, o ambiente ainda é um tanto diferente por causa do anúncio da gravidez da KÁTYA EL MOUALLEN. O apelido de BILU – um diminutivo de bisavó Lucinda – não está agradando a LUCINDA, mas foi criado por mim num sentido carinhoso. Na verdade, ela está assustada em se tornar bisavó de uma hora para outra.

Pela televisão, acompanho a ocorrência em PORTO ALEGRE, que teve início às 8h45, quando um assaltante faz nove pessoas reféns no interior de um micro-ônibus, que é usado como taxi-lotação. Duas mulheres foram liberadas, mas o marginal ainda mantém três pessoas reféns, já transcorridas doze horas do fato. A polícia cercou o micro–ônibus. JOÃO SÉRGIO DOS SANTOS PEREIRA, 30 anos, que seria um técnico em eletrônica, diz ter uma bomba amarrada ao corpo. Quer quinhentos mil reais e um helicóptero para a fuga. ANA LUÍZA DELFINO PIRES, de 65 anos, foi a primeira refém a ser libertada, às 12h10, em troca de dois pneus novos para o lotação. Ás 14h30, em troca de água, o assaltante trocou MARINA NUNES PESSIM, outra refém. Por volta das 22h30, mais uma refém foi libertada, MARIA ESTEVES. Ela foi trocada por comida para o seqüestrador e os reféns. O impasse avança noite afora.    

Os primeiros testes feitos na urina e no sangue de FERNANDO DUTRA PINTO não detectaram a presença de substâncias tóxicas. Os peritos tentam encontrar vestígios de venenos caseiros como raticidas e formicidas e de remédios barbitúricos e psicotrópicos, além de drogas como cocaína e heroína. O irmão de FERNANDO, ESDRA DUTRA PINTO, em depoimento à Corregedoria, disse acreditar que houve negligência e omissão nos socorros prestados pelos funcionários da prisão.
Foi seqüestrada nesta noite a jornalista S.B.P., de 34 anos. Abordada por dois homens e uma mulher enquanto sacava mil reais num caixa eletrônico em MOEMA ela foi encapuzada e colocada num carro com uma arma apontada para a cabeça. Obrigaram-na a tomar calmantes.

ASSISTO o filme PERFUME DE GARDÊNIA, de 1992, direção de GUILHERME DE ALMEIDA PRADO, com CHRISTIANE TORLONI, JOSÉ MAYER, BETTY FARIA, RAUL GAZOLLA e CLÁUDIO MARZO. Um taxista que trabalha de madrugada separa-se da mulher quando ela, por acaso, transforma-se em uma figurante de novela, em seguida artista de cinema até chegar a estrela-vamp de filme pornô. Mais tarde, a mulher reencontra o filho, já rapaz e o marido. Este, numa auto-punição, se faz acusar como assassino de certos crimes. A polícia não acredita na farsa e julga que o suposto criminoso é alguém alienado, merecendo ser internado num manicômio. Aí, ele realmente mata a mulher, mas a culpa recai no filho. Final, o rapaz fica preso por ter assassinado a mãe e o marido fica louco.
       
DOLLY, a primeira ovelha clonada do mundo, desenvolveu artrite, aumentando o temor de que o processo de clonagem tenha provocado um defeito genético.

UM AMERICANO morreu hoje durante combate no leste afegão. A morte ocorreu durante uma batalha em KHOST, perto da fronteira com o PAQUISTÃO. O líder interino do AFEGANISTÃO, HAMID KARZAI, disse que o líder supremo do TALEBAN, mulá MOHAMMAD OMAR, continua livre. KARZAI prometeu entregar o fugitivo aos EUA, caso ele seja capturado. Combatentes afegãos, com apoio de tropas norte-americanas, cercaram uma aldeia do sul do país, onde supostamente se esconde o mulá OMAR.

ANTÔNIO TODDE, o homem mais velho do mundo, de acordo com o GUINESS BOOK, morreu hoje, aos 112 anos. Ele era um criador de ovelhas da cidade de NUORO, na ILHA DA SARDENHA, na ITÁLIA.

FALECEU o presidente da cervejaria holandesa HEINEKEN NV, FREDDY HEINEKEN, aos 78 anos, vítima de hemorragia cerebral. Responsável pela transformação de um negócio familiar, criado em 1864, em uma empresa de porte internacional, HEINEKEN será substituído pela filha, CHARLENE.

A esposa do jogador de basquete americano MICHAEL JORDAN, JUANITA VANOY JORDAN, pediu o divórcio alegando diferenças irreconciliáveis. Após doze anos de casamento, JUANITA, que contratou um detetive particular e descobriu que o marido tinha uma amante, pediu a custódia permanente dos filhos de 13, 11 e 9 anos, a residência de 2.250 metros quadrados em HIGHLAND PARK e a metade do patrimônio do casal, avaliado em 400 milhões de dólares.

4 DE JANEIRO DE 2003  :  -  1 + 1 = 2 (/202 91 15y  9418202)   SÁBADO
Depois das festas do final de ano, temos um sábado agradável, próprio para a restauração da saúde. A temperatura caiu para 24 graus e chuvisca várias vezes durante o transcorrer do dia. Ainda estou empenhado no arquivo das diversas pastas do ano passado, coisa que finalmente consigo fazer neste sábado. Com isso, começa uma nova fase nas minhas memórias, talvez ampliando minha biblioteca com a mudança do meu quarto para aquele cômodo construído na laje.
LUCINDA continua, pacientemente, tomando conta de sua mãe. Dona ESMERALDA requer vigilância permanentemente, evitando-se qualquer queda ou outro acontecimento desagradável.

O DIÁRIO OFICIAL deste sábado publica a transferência para a reserva não remunerada de: 1º Tenente Dentista MARCELO ALEXANDRE CALAMITA e 1º Tenente Dentista MARINA FERREIRA MARTINS TOSTA.
 
Um avião a jato modelo CITATION que transportava o presidente do PL, WALDEMAR COSTA NETO, derrapou na cabeceira da pista do Aeroporto de CONGONHAS, em SÃO PAULO, e caiu sobre a alça de acesso que liga a AVENIDA DOS BANDEIRANTES à marginal da AVENIDA RUBEM BERTA, sobre uma barraca de cachorro–quente. O acidente ocorreu por volta das 19 horas, quando o avião aterrissava, e teve como única vítima o ambulante JOSÉ JOSIAS PEIXOTO, dono da barraca de lanches, que ficou levemente ferido na cabeça. O jato executivo era pilotado por HERNÂNI PRÓSPERO JÚNIOR e tinha como co–piloto RONALDO DOS REIS MEIRELLES. COSTA NETO voltava de uma festa em BURITIS, GOIÁS, com a namorada, MARIA CRISTINA MENDES CALDEIRA. O aeroporto ficou parcialmente interditado por uma hora.

Cruel com as vítimas amarradas e amordaçadas em cativeiros, GILMAR DOS SANTOS NEVES, de 24 anos, o “MANCHA”, autor de pelo menos 20 sequestros, foi preso às 17 horas deste sábado no GUARUJÁ. Ele era um dos criminosos mais procurados pela polícia paulista e tinha ligações com IVAN RODRIGUES DA SILVA, o “MONSTRO”, chefe do bando que seqüestrou e matou o prefeito de SANTO ANDRÉ, CELSO DANIEL, em janeiro de 2002.  

NASCEU a primeira neta do técnico do CRUZEIRO, WANDERLEY LUXEMBURGO, filha de VANESSA LUXEMBURGO e FABIANO PEREIRA DA COSTA: FABIANA.

TRANSFERIDO o taxista CLAUDIONOR ALMEIDA, acusado de pedofilia e de matar sua mulher, a jornalista SUELI JACINTO, em 16 de dezembro, na PRAIA GRANDE, da CADEIA PÚBLICA de ITANHAÉM para o CENTRO DE DETENÇÃO PROVISÓRIA de SÃO VICENTE, ameaçado de morte pelos presos.

O BRASIL estréia no SUL–AMERICANO DE FUTEBOL SUB–20 com uma vitória sobre o PERU por 3 a 0. Os uruguaios, donos da casa, começaram com o pé direito, vencendo o EQUADOR por 2 a 0.

FALECEU o diretor de fotografia CONRAD L. HALL, que ganhou OSCARS por BELEZA AMERICANA e BUTCH CASSIDY. Tinha 76 anos e foi vítima de um câncer na bexiga. Ele deve ser indicado para o OSCAR de 2002 por ESTRADA PARA PERDIÇÃO.

Morreram na madrugada duas das sete pessoas feridas a bala durante os violentos distúrbios que se registraram ontem em CARACAS entre simpatizantes do presidente HUGO CHÁVEZ e manifestantes de oposição. Pelo menos outras 78 pessoas foram feridas por pedradas ou afetadas por gás lacrimogêneo.

O segundo suposto bebê clonado pela empresa CLONAID, ligada ao MOVIMENTO RAELIANO, é uma menina nascida ontem à noite, em um País ao norte da EUROPA, filha de uma lésbica holandesa. O anúncio foi feito hoje pela diretora da CLONAID, BRIGITTE BOISSELIER. Ontem, ela havia informado que o segundo clone humano nasceria no dia 5 de janeiro. O líder da seita raeliana na HOLANDA, BART OVERVLIET, disse que a mãe vive com sua companheira naquele País e as duas teriam decidido criar a criança juntas.

Pelo menos seis pessoas morreram nos últimos dias na EUROPA em razão das fortes chuvas, que resultaram no bloqueio de estradas e ferrovias e na interrupção do tráfego fluvial. Ventos de até 200 quilômetros por hora e inundações levaram o caos a algumas regiões da ALEMANHA, FRANÇA, REINO UNIDO, PORTUGAL, BÉLGICA, ÁUSTRIA, HOLANDA e REPÚBLICA TCHECA, com a interrupção do tráfego em rios importantes, como o RENO, que rompeu diques de emergência em regiões de COLÔNIA. Mas autoridades disseram que o nível do rio não está mais subindo tão rapidamente e que a cidade histórica será poupada. Três pessoas morreram afogadas na ALEMANHA e na FRANÇA e três em acidentes de carro na ROMÊNIA.

ASSISTO na GLOBO – FANTASMAS – filme de 1998, com PETER O´TOOLE, BEM AFLECK, LIEV SCHREIBER, ROSE McGOWAN e JOANNA GOING. Duas irmãs voltam à cidade de SNOWFIEL e encontram quase toda a população assassinada de forma brutal sem nenhum motivo aparente. O xerife local, seu assistente e um professor especialista de epidemias antigas tentam decifrar o mistério e se deparam com forças sobrenaturais.  PETER O´TOOLE encarna o professor que foi chamado para tentar desvendar o que há por trás das mortes.

ASSISTO também nesta noite, no SBT – OS AMORES DE PICASSO, filme de 1996, com ANTHONY HOPKINS, NATASCHA McELHONE, JULIANNE MOORE e JOSS ACKLAND. O momento mais maduro da vida do grande pintor PABLO PICASSO quando, aos 62 anos, revela-se um homem temperamental, trocando constantemente de amantes. É sabido que o artista era um gênio e um atleta sexual, mas essa visão do diretor de VESTÍGIOS DO DIA e RETORNO A HOWARDS END não esconde seu julgamento moral rígido, já notado no título original – SOBREVIVENDO A PICASSO – Apesar de uma certa semelhança física, o ator ANTHONY HOPKINS não consegue salvar o navio do naufrágio.

2 004  :   -      DOMINGO
Na madrugada, com início às 3 horas, ACELINO “POPÓ” FREITAS torna-se CAMPEÃO MUNDIAL DOS SUPERPENAS E DOS LEVES. O pugilista brasileiro fez história hoje, ao derrotar por pontos o armênio ARTUR GRIGORIAN, que era o campeão dos leves havia mais de sete anos. Aos 28 anos, o baiano está invicto com 35 vitórias, sendo 31 por nocaute.  ÉDER JOFRE conquistou títulos mundiais dos galos e dos penas, mas jamais teve esses cinturões simultaneamente em seu poder.

FAX DO LEITOR do JORNAL DA TARDE, de 4 de janeiro de 2004. POUCO CASO. Tem razão o leitor PAULO ALVES DE OLIVEIRA, autor da carta “Monumento” (SPP, 27/12, Página 03 A), ao sentir-se chocado com o enorme banner de propaganda pendurado no Obelisco do Parque do Ibirapuera. De quem é a responsabilidade deste pouco-caso com um monumento que representa uma passagem histórica de coragem e patriotismo dos paulistas que deram suas vidas na Revolução Constitucionalista de 32 ? É da prefeita MARTA, que não mede esforços para engordar o caixa da Prefeitura com taxas e aumento de impostos e cedendo locais para a publicidade. Será que seus colegas de NOVA YORK e PARIS, esta última cidade de seus sonhos, autorizariam cobrir a Estátua da Liberdade, a Torre Eiffel e o Obelisco da Praça da Concórdia em homenagem às conquistas de Napoleão Bonaparte ? Depois deste pouco-caso com nossa história, a prefeita deveria vir a público e pedir desculpas a SÃO PAULO.
                                                  OLAVO FORTES CAMPOS RODRIGUES.
   
Há 38 anos, em 1966, a primeira edição da história do JORNAL DA TARDE saiu às ruas com um furo: “PELÉ casa no carnaval”, dizia sua manchete. No pé da página, outra informação nada desprezível: “GARRINCHA para o CORINTHIANS”. O nascimento do JT representou uma audaciosa inovação não só de linguagem, como no tratamento gráfico. Para uma galeria de fotos de bandidos foragidos, que ocupava toda a primeira página, a manchete natural seria “PROCURA-SE”. Mas foi “ELES PROCURAM POR NÓS”. O jornal vinha também com uma centenária herança de luta e apego a valores éticos. É, afinal, um produto de O ESTADO DE SÃO PAULO. Lançado em 4 de janeiro de 1875 com o nome de A PROVÍNCIA DE SÃO PAULO, um diário de quatro páginas e 2 025 exemplares, O ESTADO completou hoje 129 anos de existência e 124 de vida independente. SÃO PAULO era uma cidade de 20 mil habitantes e 2.992 prédios, quando a primeira edição chegou às ruas sob a responsabilidade de um grupo de republicanos que pregavam o fim da monarquia. Em 1888, quando o nome de JÚLIO MESQUITA apareceu como diretor-gerente no cabeçalho da primeira página, o jornal comemorou a abolição da escravatura, pela qual vinha lutando desde a fundação. Foi a primeira de uma série de grandes causas que abraçou ao longo de sua história, sempre em defesa da liberdade e da democracia. Já com o nome de O ESTADO DE SÃO PAULO, que adotou um mês e meio após a proclamação da República, o jornal logo se destacou pela qualidade do noticiário e pela clareza de pontos de vista.
Sete anos depois, a tiragem do ESTADO saltou de 10 mil para mais de 18 mil exemplares com a publicação em 8 de março de 1897, de notícias sobre a GUERRA DE CANUDOS. EUCLIDES DA CUNHA era a estrela da redação. “Um jagunço degolado não verte uma xícara de sangue”, escreveu, do interior da BAHIA, o repórter que mais tarde aprofundaria essa observação nas páginas de OS SERTÕES. Durante a I GUERRA MUNDIAL, sobre a qual JÚLIO MESQUITA escreveu uma série de artigos – publicados no livro A GUERRA, em 2002, pelo seu bisneto RUY MESQUITA FILHO – a empresa lançou uma edição vespertina que, conhecida como ESTADINHO, circularia de 1915 a 1919. Nessa época, MONTEIRO LOBATO era um dos colaboradores do jornal. Com a morte de JÚLIO MESQUITA, em março de 1927, NESTOR PESTANA e JÚLIO DE MESQUITA FILHO, assumiram os cargos de diretor. Cinco anos depois, começaria um dos períodos mais duros para o jornal. Seus proprietários, JÚLIO DE MESQUITA FILHO e o irmão FRANCISCO MESQUITA, que lutaram contra GETÚLIO VARGAS na REVOLUÇÃO CONSTITUCIONALISTA DE 1932, foram presos e exilados durante o ESTADO NOVO.
O jornal foi ocupado por soldados da FORÇA PÚBLICA em 25 de março de 1940 e ficou sob intervenção da ditadura até 1945. Só foi devolvido à família MESQUITA em dezembro, após a queda de GETÚLIO. O período de intervenção não conta na história do ESTADO, que por isso fala em 129 anos de existência e em 124 de vida independente.
O dia 4 de janeiro marca também o aniversário da RÁDIO ELDORADO, fundada em 1958, e do JORNAL DA TARDE, lançado durante o regime militar. Após a morte de JÚLIO DE MESQUITA FILHO, em 1969, JÚLIO DE MESQUITA NETO assumiu a direção do ESTADO, enquanto seu irmão RUY MESQUITA dirigia a redação do JORNAL DA TARDE.
  
Neste domingo não irei à POÁ. Estou gripado. O JOÃO GOMES DE OLIVEIRA JÚNIOR leva-me até à banca de jornais do japonês, na rua SANTANA DO JACARÉ. Ali, compro as revistas ISTO É e ÉPOCA. Mais uma vez, temos o triste retorno de JOSÉ CÂNDIDO DA SILVA, na farsa burlesca entre ele e a MARLENE. Hoje, ela está muito agressiva, brigando com a mãe por questões fúteis.

Continuo lendo ONZE MINUTOS, de PAULO COELHO. Faço uma ligação telefônica para minha mãe, já que não fui a POÁ neste domingo. Ela continua com a obsessão no jogo do bicho. Fala em grupos, em dezenas, enfim, isso vem desde o seu tempo de mocinha, quando meu avô tinha um chalé de jogo-de-bicho em SANTOS. Mais tarde, meu pai conseguiu ganhar um bom dinheiro e ajudou a construir a casa no terreno que, por herança de meu avô MANUEL PINTO DA FONSECA, coube à minha mãe. Meu primo RENATO está visitando-a, nesta noite.

O SÃO PAULO foi o destaque da rodada da COPA SÃO PAULO DE FUTEBOL JÚNIOR ao golear o CRICIÚMA por 5 a 0. Já o PALMEIRAS derrotou o BARRA-MT por 3 a 0 e o CORINTHIANS venceu o FIGUEIRENSE, de virada, por 2 a 1, com um gol de BOBÔ.

A gripe ataca de vez quando estou assistindo o filme RISCO DUPLO, na GLOBO. É um filme de 1999, dirigido por BRUCE BERESFORD, com ASHLEY JUDD, TOMMY LEE JONES, BRUCE GREENWOOD e ANNABETH GISH. ASHLEY faz mulher condenada pela morte do marido e que descobre ter sido vítima de armação dele e da amante, a quem ela, inadvertidamente, confiou a guarda do filho. Na cadeia, a heroína também descobre que uma pessoa não pode ser condenada duas vezes pelo mesmo crime e só pensa em escapar para vingar-se. TOMMY LEE JONES faz o policial que termina envolvido na caçada ao fugitivo.

Policiais do 12º Distrito Policial, no PARI, região central da cidade, investigam o assassinato do PM ROGÉRIO APARECIDO DE LIMA, de 26 anos, lotado no 13º Batalhão de Polícia Militar. O PM foi morto por volta das 23:30 horas, dentro da Pizzaria ORNELLAS, na rua ORNELLAS, nº 174, no CANINDÉ. ROGÉRIO comprava uma pizza no estabelecimento quando um bandido entrou e anunciou o assalto. Mesmo sem reagir à suposta tentativa de roubo o PM ROGÉRIO acabou morto.

O auxiliar de enfermagem LINCOLN THIEME, de 42 anos, foi morto pelo assaltante FLÁVIO SILVA OLIVEIRA, de 20 anos, na madrugada deste domingo, após ser mantido refém por 45 minutos, no BIXIGA, Centro. O ladrão estava fugindo depois de assaltar um bar na região e já tinha atirado em LEONARDO FERREIRA LIMA, de 16 anos, que tentou detê-lo. O adolescente também morreu. FLÁVIO e um parceiro tinham roubado seiscentos reais do bar SKINA. Na fuga, o ladrão tentou levar como refém o motoboy de uma pizzaria. Nesse momento, LIMA se atracou com ele e foi baleado. FLÁVIO prosseguiu na fuga, foi cercado pela PM (ROTA) e fez THIEME e seu irmão reféns. Durante a negociação, conduzida pelo CAPITÃO MARCOS CÉSAR CARNEVALE, o bandido executou THIEME e baleou o PM RENATO MOREIRA JÚNIOR na perna, sendo morto em seguida. O refém morto morava no RIO e veio a SÃO PAULO passar o réveillon.

LANÇADO no dia 1º de janeiro em 154 salas de todo o PAÍS, o filme nacional SEXO, AMOR & TRAIÇÃO, de JORGE FERNANDO, começou o ano com bons resultados. O longa, que é um remake do mexicano SEXO, PODER E LÁGRIMAS, ficou atrás apenas de O SENHOR DOS ANÉIS – O RETORNO DO REI. A comédia romântica, estrelada por MALU MADER, MURILO BENÍCIO e FÁBIO ASSUNÇÃO atraiu 260 mil espectadores às salas de exibição. Esse resultado confere ao filme na abertura de uma produção nacional ( 1.683 pessoas por sala) ultrapassando recentes sucessos como CARANDIRU e OS NORMAIS. Somado público das pré-estréias pagas (iniciadas no dia 25 de dezembro) e do dia 1º de janeiro, o filme acumula mais de 380 mil espectadores.

MORREU o presidente da empresa de consultoria SIMONSEN ASSOCIADOS, HARRY SIMONSEN JÚNIOR, que a fundou em 1966. Foi pioneiro na realização de pesquisas de mercados para empresas. Aos 72 anos, de infarto, em SÃO PAULO.

Foi eleito para a Presidência de GEÓRGIA o advogado MIKHAIL SAAKASHVILI, de 36 anos, um dos líderes dos protestos que culminaram com a renúncia do ex-presidente EDUARD SHEVARDNADZE, no dia 23 de dezembro. A ex-república soviética enfrenta problemas de corrupção, desemprego e conflitos étnicos.

O veículo robotizado SPIRIT – uma espécie de jipe – da Agência Nacional de Aeronáutica e Espaço dos EUA, transmitiu as primeiras imagens de MARTE, onde pousou no dia 3 de janeiro. A paisagem registrada é de uma planície com pequenas pedras. A transmissão de imagens provou que o robô pousou em segurança. A NASA começou a receber as imagens captadas pelas câmeras do SPIRIT no sábado, dia 3, à noite (madrugada de domingo pelo horário de BRASÍLIA), apenas três horas depois do pouso. A partir de fotos em preto-e-branco, os cientistas vão montar uma imagem panorâmica da superfície de MARTE. O SPIRIT pousou com sucesso, pondo fim a uma série de missões a MARTE que não deram certo. Apenas uma das últimas três tentativas de pousar no planeta foi bem-sucedida. Em 1999, uma missão da NASA falhou.
           
O primeiro-ministro britânico, TONY BLAIR, fez hoje uma visita surpresa à cidade de BASTA, no IRAQUE, onde elogiou os dez mil soldados britânicos que fazem parte das forças de ocupação lideradas pelos EUA. “Nos próximos anos, a população deste País  vai olhar para trás, ver o que vocês fizeram e reconhecer que tem uma enorme dívida de gratidão com vocês”, afirmou BLAIR aos soldados. Depois do encontro com as tropas, BLAIR reuniu-se com o administrador americano no IRAQUE, PAUL BREMER, com o enviado britânico ao País, JEREMY GREENSTOCK, e com o governador de BASRA, WAEL ABDULLATIF. Eles conversaram sobre a transição ao poder aos iraquianos.

O escritor norte-americano JOHN TOLAND, autor de uma biografia de ADOLF HITLER e ganhador do PRÊMIO PULITZER por THE RISING SUN, morreu neste domingo. Ele estava internado em um hospital em DANBURY, no Estado de CONNECTICUT, por conta de uma pneumonia, conforme informou sua família.

O cantor RAY DAVIES, da banda KINKS, foi ferido com um tiro na perna em NOVA ORLEANS, nos EUA. DAVIES, de 59 anos, foi atingido durante perseguição a dois homens que roubaram a bolsa de uma mulher que estava em sua companhia.

2 005   :   -   TERÇA-FEIRA
A COPA SÃO PAULO DE FUTEBOL JÚNIOR começa hoje com 2.200 jogadores atrás de um único objetivo: a fama. São 88 equipes, cada uma com 25 atletas sonhando usar os holofotes da mídia para ganhar espaço no concorrido meio do futebol. TEVÊS, RÁDIOS e JORNAIS do BRASIL estarão atentos, procurando um novo KAKÁ, um novo ROBINHO, um novo VÁGNER LOVE – jogadores que participaram da “COPINHA” nos anos de 2001, 1002 e 2003, respectivamente. “Com os profissionais de férias, todos passam a observar a COPA SÃO PAULO DE FUTEBOL JÚNIOR”, diz o lateral VINÍCIUS, do PALMEIRAS, um dos candidatos à revelação do torneio deste ano. Para a competição, cada vez mais inchada, foi montado o seguinte regulamento: na primeira fase, classificam-se os primeiros colocados dos 22 grupos e mais os 10 melhores por índice técnico. Daí em diante, o sistema passa a ser o mata-mata. A final é no dia 25, aniversário da cidade de SÃO PAULO. Até lá, muito garoto vai suar sangue para se destacar e, quem sabe, ganhar um contrato de profissional.

DIÁRIO DE SÃO PAULO – na coluna DIÁRIO DO LEITOR, vamos encontrar: “PASSADO HISTÓRICO DE SÃO PAULO”. Embora o seu governo não tenha sido só de desacertos, MARTA SUPLICY entrará para a história como a prefeita que menos cuidou do passado histórico e cultural da cidade de SÃO PAULO. A sutil destruição de sua memória foi marcada pelo rebatismo de ruas e avenidas que homenageavam pessoas e datas ligadas à cultura e à tradição do povo paulistano, entre elas a mudança da denominação do TÚNEL NOVE DE JULHO, a péssima conservação dos monumentos existentes nas praças públicas – marcos de nosso passado glorioso – além de nunca ter comparecido a um desfile cívico no dia 9 DE JULHO – dia em que se comemora a REVOLUÇÃO CONSTITUCIONALISTA DE 1932 – para representar SÃO PAULO. Tal menosprezo feriu o patriotismo do povo paulistano que governou nesses quatro anos, tal como um furacão que passa e não deixa boas lembranças.” Essa crônica foi escrita pelo advogado PEDRO PAULO PENNA TRINDADE, conselheiro da Sociedade Veteranos de 32-MMDC.

E as chuvas de janeiro vieram. Ontem caiu muita água em SÃO PAULO, além dos tornados em SANTA CATARINA e do forte vendaval em BOITUVA. Na madrugada, cai muita água. Levanto tarde, já que nada tenho programado. Mesmo com as chuvas, já bem mais fracas, vou para a cidade. Como já era esperado, o tráfego é lento. Participo da costumeira reunião na Entidade que continuo a presidir em 2005 (não aparece um oficial candidato à minha substituição, o que seria conveniente). VICTÓRIO cuida de todo o arquivo, demonstrando ser diligente e sistemático. Pode-se ficar sossegado quanto a isso, pois sabe onde estão todos os documentos. Almoçamos em estudos de futuros planos. Depois, já bem mais sossegado, faço uma demorada partida de xadrez com AMÉRICO, ganhando-a.
Retorno com dificuldade para GUARULHOS. Um caminhão carregado de engradados de cerveja tombou na VIA DUTRA, quase na entrada da cidade, causando uma corrida às latinhas de cerveja espalhadas na pista e, conseqüentemente, grande confusão no trânsito.
Em casa, está o bisneto da LUCINDA, o IAGO EL MOUALLEN. Ele monopoliza a bisavó com as suas brincadeiras. Ela somente vai ficar um pouco mais tranqüila com a chegada da mãe do menino, a KÁTYA.
LUCINDA diz que telefonou o TENENTE BARRETO. Ficou de fazer uma outra ligação mais tarde. Acredito que deva ser algo relacionado com a ata da Assembléia Geral de 17 de dezembro e com o novo Estatuto da Sociedade, papéis de suma importância para este ano e que até agora não surgiram neste 2005.
Mais tarde, mantenho uma conversa telefônica com o TENENTE BARRETO. Diz ele que ainda não recebeu resposta do CORONEL Ref JAIRO PAES DE LIRA sobre a ata da Assembléia Geral de 17 de dezembro, que aprovou o novo estatuto da Sociedade Veteranos de 32-MMDC. Passo-lhe os dados do advogado ROMAGNOLI e acertamos, na pior das hipóteses, uma reunião no QCG, às 10 horas de 10 de janeiro.

O SANTOS estreou com o pé direito na COPA SÃO PAULO DE JUNIORES ao golear o DEMOCRATA por 4 a 0, no Estádio SANTA CRUZ, em RIBEIRÃO PRETO. O BOTAFOGO local venceu o AURORA, de MATO GROSSO, por 3 a 2. Outros dois jogos foram realizados hoje, pelo GRUPO K, com sede em OSASCO. O FLUMINENSE estreou com um empate em 0 a 0 com o VILA NOVA, de GOIÁS, e o OSASCO assumiu a liderança do grupo ao vencer o RONDÔNIA por 2 a 1.

Com a prisão de três homens, hoje à noite, a Polícia Civil acredita que esclareceu o seqüestro do jornalista IVANDEL GODINHO JÚNIOR, de 52 anos, ocorrido em 22 de outubro de 2003. A polícia chegou ao trio depois de estourar um cativeiro no PARQUE ARARIBA, na zona sul de SÃO PAULO, onde o diretor do Sindicato dos Motoristas de SÃO PAULO, JORGE LUIZ DE JESUS, de 40 anos, era mantido refém há uma semana. Segundo a polícia, o trio confessou que teria matado IVANDEL dentro de um cativeiro na zona sul. Esse cativeiro estaria localizado no bairro do CAPÃO REDONDO. Investigadores da 6ª Delegacia Seccional Sul foram até o local apontado pelo trio e encontrou restos mortais. A polícia irá solicitar exames de DNA para comprovar se os restos mortais são mesmo do jornalista.

A assistente de vendas HELITA DOMINGUES, 24 anos, foi arrastada pela enxurrada e desapareceu num córrego ao lado da avenida VISCONDE DE NOVA GRANADA, em OSASCO, às 20:20 horas do dia 3 de janeiro. Ela dirigia seu CORSA e tentou atravessar uma área alagada, mas perdeu o controle do carro, que foi arrastado. O aposentado CLAUDIMIR DA SILVA presenciou a cena e tentou salvá-la. Correu para uma ponte e chegou a pegar no braço dela, mas não conseguiu resgatá-la. HELITA pediu socorro também ao 190 pelo celular. Uma viatura da PM foi deslocada, mas não encontrou o carro, que foi achado cem metros depois. CLAUDIMIR conta que já salvou duas pessoas nesse local. HELITA vivia só com a mãe, em OSASCO. Aos 14 anos, viu o pai ser morto num assalto em frente de casa. Depois, começou a trabalhar e formou-se em administração de empresas. Ela havia comprado o seu carro zero a 25 dias.

O treinador de boxe CEVERINO RIVEROS LOPEZ, de 44 anos, foi assassinado com dois tiros em seu apartamento na região do ARICANDUVA, na zona leste da Capital, no último domingo, dia 2. A principal suspeita é sua ex-namorada, que é uma pugilista profissional. Ela teria cometido o crime por não se conformar com a separação recente. LOPEZ, também conhecido como RALPH RIVEROS, fez parte da seleção paraguaia de boxe e passou a trabalhar como treinador após sofrer um acidente que o impossibilitou de continuar competindo.

Foi repleto de brincadeiras o encontro do presidente LUIZ INÁCIO LULA DA SILVA com os representantes da 12ª FEIRA NACIONAL DO VINHO. Depois de brindar com uma taça de vinho tinto ao lado da imperatriz e das damas de honra do evento, ele demonstrou conhecimento sobre a bebida: “Quando se bebe um vinho, há três palavras mágicas: buquê, intenso e retrogosto”, disse, antes de brincar: “imaginem se a imprensa me vê bebendo!” O presidente se referia à polêmica ocorrida em maio do ano passado, quando o correspondente do THE NEW YORK TIMES, LARRY ROHTER, escreveu uma matéria sobre o hábito de beber de LULA; o vinho entrou no Palácio do Planalto escondido nos bolsos dos vestidos das damas de honra.

ANDRÉ AZEVEDO assumiu o terceiro lugar entre os caminhões no rali DACAR, hoje, ao terminar em segundo a quinta etapa, entre as cidades marroquinas de AGADIR e SMARA. VLADIMIR TCHAGUINE chegou em primeiro e lidera o rali. Em segundo está FIRDAUS KABIROV. Outro bom resultado obteve JEAN AZEVEDO entre as motos, ao terminar em 12 º lugar. O primeiro colocado é ANDY CALDECOTT, da AUSTRÁLIA. A liderança nas motos é do espanhol MARC COMA, que chegou em segundo hoje, atrás de ANDY. O ex-líder DAVID FRÉTIGNÉ, da FRANÇA, caiu para sétimo. O fato triste foi o acidente do motociclista espanhol JORDI DURÁN, que sofreu fraturas no cotovelo, clavícula e no fêmur. Nos carros, o britânico COLIN McRAE voltou à liderança ano chegar em primeiro em SMARA, seguido pelo sul-africano GINIEL DE VILLIERS e pela alemã JUTA KLENSCHMIDT. O norte-americano ROBBY GORDON caiu do primeiro para o 7º lugar, ao ficar em nono na etapa.

MANTIDA pela Suprema Corte do CHILE a prisão domiciliar do ex-general e ditador AUGUSTO PINOCHET, indiciado por nove sequestros e um homicídio, em SANTIAGO.
 
ALEM TECHALE, de 17 anos, noiva do campeão olímpico e recordista mundial dos dez mil metros, KENENISA BEKELE, morreu num treino, hoje. O agente JOS HERMENS disse que ALEM, campeã mundial júnior dos 1.500 metros em 2003, e BEKELE corriam em uma área montanhosa, perto de ADIS-ABEBE, capital da ETIÓPIA, quando ela desmaiou, morrendo antes de chegar ao hospital. Na RÚSSIA, DIMITRI NELYUBIN, 33 anos, campeão olímpico no ciclismo em SEUL (1988), morreu após ser apunhalado na rua, em SÃO PETERSBURGO.

Os tripulantes de um barco pesqueiro malaio resgataram com vida uma mulher que havia sido arrastada pela onda na província indonésia de ACEH. MELAWATI, de 24 anos, sobreviveu cinco dias em alto-mar agarrada a um tronco de palmeira, bebendo água de chuva e alimentando-se dos frutos e da casca da palmeira, segundo os jornais locais. O maremoto matou mais de 155 mil e deixou 500 mil feridos e 5 milhões de desabrigados.

Rebeldes iraquianos assassinaram hoje pela manhã o governador da capital BAGDÁ, ALI AL-HAIDRI, quando o comboio em que seguia a autoridade foi surpreendido em uma emboscada. Na troca de tiros, um segurança também foi morto e outros dois ficaram feridos. O crime acontece a menos de um mês das eleições gerais iraquianas, previstas para o dia 30 de janeiro. Também hoje, um homem-bomba matou dez pessoas em um ataque perto da ZONA VERDE, considerada área de segurança máxima de BAGDÁ, onde estão prédios do governo do IRAQUE e as embaixadas dos EUA e da GRÃ-BRETANHA. AL-HAIDRI é a mais alta autoridade iraquiana a ser morta desde que um membro do conselho do governo foi vítima de um carro-bomba em maio de 2004. O governador já havia escapado de outra emboscada em setembro. Horas depois, um grupo liderado pelo líder da AL-QAEDA no IRAQUE, o jordaniano MUSAB AL-ZARQAWI, assumiu, num comunicado divulgado na internet, a autoria do assassinato do governador.

A morte de duas pessoas que estavam internadas, uma menina de dez anos e uma mulher de 25, elevou para 185 o número de vítimas fatais do incêndio ocorrido na discoteca REPÚBLICA DE CROMAGNON, em BUENOS AIRES, na semana passada. Autoridades informaram que ainda 261 pessoas continuam hospitalizadas.

Os corpos da diplomata brasileira LYS AMAYO D´AVOLA, 46 anos e de seu filho, GIANLUCA, 10 anos, devem deixar a TAILÂNDIA na próxima sexta-feira, dia 7, disse hoje a mãe de LYS, a atriz TERESA AMAYO. Ela, que atuou na novela “SENHORA DO DESTINO”, da TV GLOBO, desistiu de localizar o seu genro, o empresário italiano ANTÔNIO D´AVOLA.

ANUNCIADO acordo da Igreja Católica da CALIFÓRNIA, com 87 vítimas de abusos sexuais praticados por membros da diocese local contra menores nas últimas seis décadas. Serão pagos cem milhões de dólares em indenizações. Em 2003, a diocese de BOSTON pagou 85 milhões de dólares em acordo semelhante. Calcula-se que o total de indenizações do gênero nos EUA possa atingir um bilhão de dólares. Em LOS ANGELES.

A GLOBO apresentou “AVASSALADORAS”, filme brasileiro de 2001. Direção de MARA MOURÃO, com GIOVANNA ANTONELLI, REYNALDO GIANECCHINI, CACO CIOCLER, DRICA MORAIS, BEATRIZ SEGALL, BIANCA BYINGTON, ROSI CAMPOS, INGRID GUIMARÃES, WELLINGTON NOGUEIRA, MARÍLIA GABRIELA. Convencida de que não existem homens solteiros (e interessantes) disponíveis no mercado, GIOVANNA ANTONELLI recorre a uma agência que promove encontros. O segundo filme do FESTIVAL NACIONAL, que começou ontem – com XUXA E OS DUENDES – baseia-se em experiências da diretora e de suas amigas, todas mulheres que vivenciam as aflições e preocupações afetivas e profissionais da faixa dos 30 anos. MARA fez um filme caprichado em termos de cor e cenografia, mas que os críticos descartaram como “televisivo”. Em AVASSALADORAS, ROSI CAMPOS é ótima, sendo que GIANECCHINI está perfeito no papel de cafajeste.

Em seguida, a GLOBO apresenta o segundo capítulo de “24 HORAS”, série que começou ontem. JACK BAUER tenta desvendar o mistério de um vírus letal que seria desencadeado na CALIFÓRNIA caso não fosse colocado em liberdade perigoso terrorista, RAMON SALAZAR. Seu irmão, HÉCTOR, “mandou” um cadáver infectado para o governo norte-americano e ameaça distribuir o vírus caso não fosse colocado em liberdade o terrorista.

4 DE JANEIRO DE 2006   :    -    QUARTA-FEIRA
Os jornais de hoje publicam o roubo que aconteceu no Instituto Histórico e Geográfico de SÃO PAULO, nos primeiros dias de 2006. No “DIÁRIO DE SÃO PAULO” a manchete da página A10 é a seguinte:
LADRÕES ROUBAM MUSEU E LEVAM PEÇAS DO IMPÉRIO.
Entre os objetos estão manuscritos de dom PEDRO I, condecorações e uma espada da Revolução de 1932. Polícia não tem pistas dos criminosos.
Escrituras do período imperial, condecorações da Revolução Constitucionalista de 1932, louças importadas e outras antiguidades de inestimável importância para a memória do país foram roubadas do Instituto Histórico e Geográfico de SÃO PAULO (IHGSP), entidade privada sem fins lucrativos, reconhecida por leis estadual e federal como de utilidade pública. Não há pistas dos ladrões que invadiram a sede da instituição, na rua BENJAMIN CONSTANT (Centro da Capital), entre os dias 1º e 2 de janeiro.
Perícia feita na manhã de anteontem pela Polícia Civil não detectou impressões digitais em nenhuma das vitrines que expunham parte do acervo histórico, nem nas cinco portas arrombadas com pé de cabra. Os ladrões usaram luvas para subtrair os cerca de 130 itens. O Instituto não dispunha de sistema de vigilância nem de circuito interno de imagens. Uma câmera instalada na rua não estava funcionando na hora da invasão. Segundo PEDRO ABARCA, secretário-geral do IHGSP, das 20 h às 7 h, não há serviço de portaria contratado, que só atua no resto do dia.
“O que sabemos é que quem roubou tem familiaridade com o acervo histórico, pois arrombou justamente os andares (3º, 4º, 7º e 8º) onde havia peças importantes”, disse a presidente do instituto, NELLY CANDEIAS, ao mostrar os espaços vazios, onde antes estavam quadros, armas, anéis, louças e manuscritos com mais de um século de existência. Foi NELLY quem constatou o furto anteontem.
A tese da presidente é reforçada pelo fato de os ladrões terem ignorado uma TV de 32 polegadas, DVD, aparelho de som e máquina fotográfica digital, levando apenas objetos raros, negociáveis no mercado negro. Ontem, os membros da entidade contataram donos de antiquários pra tentar impedir negociações das peças.
A fatal de segurança do estabelecimento é justificada pela falta de recursos. Com problemas financeiros, a entidade vive com o aluguel de dois andares do edifício ERNESTO DE SOUZA CAMPOS, local do museu, e de recursos de 130 membros.
“NEM SABEMOS TUDO QUE SUMIU”
Três bilhetes escritos por dom PEDRO I datados de 1831, quando o imperador abdicou a coroa do BRASIL em favor de seu filho dom PEDRO II, manuscritos da princesa ISABEL, além de uma espada usada pelo GENERAL BERTOLDO KLINGER, na Revolução Constitucionalista de 1932, são alguns dos itens furtados.
Segundo a presidente do IHGSP, NELLY CANDEIAS, os ladrões terão dificuldade para vendê-las. NELLY acredita que pode recuperar os itens. “Nem sei ainda se já foi relatado tudo o que sumiu. Esse roubo é um desalento para a história do país”, disse NELLY, que não dispõe de catálogo com fotos dos objetos, muitos deles doados por pessoas ligadas à Revolução de 1932.
O Instituto é aberto à visitação com hora marcada, mas conta apenas com uma secretária, um porteiro e duas faxineiras. No 4º andar, há o memorial de 1932, onde funciona um centro de estudos sobre o movimento armado em que o Estado de SÃO PAULO lutou por mudanças no país. Na ocasião, insatisfeito com as pesadas tributações e a discriminação política que lhe eram impostas pelo governo de GETÚLIO VARGAS, SÃO PAULO iniciou a revolução no dia 9 de julho daquele ano. No Instituto, além do museu com objetos da GUERRA DO PARAGUAI e pertences de SANTOS DUMONT, há hemeroteca (arquivo de revistas e jornais antigos), biblioteca, mapoteca e auditório, quase sempre ocioso. Por decisão judicial, o Instituto está proibido de vender qualquer um dos itens de seu acervo.    

O jornal “O ESTADO DE SÃO PAULO” completa hoje 131 anos de existência – 126 dos quais de vida independente, excluindo-se os cinco em que esteve sob intervenção do ESTADO NOVO, implantado por GETÚLIO VARGAS. O aniversário corre num momento de profunda reformulação do veículo que começou a circular como “A PROVÍNCIA DE SÃO PAULO”, em defesa dos ideais abolicionistas e republicanos, que viraram a página da história, com a adoção do título “O ESTADO DE SÃO PAULO”. Em 2005, o ESTADO foi o grande vencedor do CABORÉ, o mais importante prêmio da publicidade e da comunicação brasileiras, na categoria veículo impresso. Também, pelo terceiro ano consecutivo, foi eleito em 2005 o Veículo Mais Admirado em pesquisa da TROIANO CONSULTORIA DE MARCAS, também em parceria com o GRUPO MEIO&MENSAGEM. Foram mais de uma dezena de prêmios relacionados ao projeto de contínua reformulação do veículo, iniciadas em 17 de outubro de 2004, quando apresentou aos leitores o seu novo projeto gráfico, complementado pelo lançamento de cadernos e suplementos, entre os quais ALIÁS, CASA&, LINK, PALADAR, GUIA, TV&LAZER, VIDA&, METRÓPOLE, NEGÓCIOS e RETRATOS DO BRASIL. 

O JORNAL DA TARDE completa hoje 40 anos se preparando para uma nova virada. “Nosso projeto é fazer uma atualização da imagem gráfica e, cada vez mais, transforma-lo num jornal popular de qualidade”, adianta SANDRO VAIA, da diretoria executiva do jornal. “Será um popular voltado para um público seletivo, com uma linguagem clean”. Para o editor-chefe, CELSO KINJÔ, a idéia é rejuvenescer o jornal. Os planos para o JT nos seus 40 anos também são os de, cada vez mais, colocar SÃO PAULO como personagem principal de suas páginas. O jornal foi o precursor de uma nova linguagem gráfica – suas capas já foram expostas no MUSEU DE ARTE DE SÃO PAULO. Deixou a sisudez dos textos tradicionais para aderir a uma forma mais coloquial de expressão e lançou novidades, como os roteiros de cinema, teatro e TV, que logo foram incorporados pelos outros jornais. Também foi alvo de censura entre 1970 e 1973. E cada notícia rabiscada com lápis vermelho pelo censor de plantão era substituída por uma receita de culinária brasileira, apimentada com títulos recheados de ironia, como steak à DELFIM ou aves à PASSARINHO. Ainda hoje fazem aniversário outros três integrantes do GRUPO ESTADO: a RÁDIO ELDORADO, criada em 1958; a AGÊNCIA ESTADO (1970) e o portal ESTADAO.COM.BR (2000).

No MMDS, por volta das 12:30 horas, recebemos notícias do envolvimento do AMÉRICO, RONALDO e NILDO na “OPERAÇÃO 2006”. Já estão em plena atividade. Mas, não há ocorrências dignas de vulto. Por enquanto colhem os oficiais as informações necessárias para deslanchar de vez o plano preparado por mim, à revelia do CARMELO. VICTÓRIO cuida do recebimento dos relatórios. Parece que este oficial melhorou um pouco do seu estado de saúde precário nos dois primeiros dias do ano.
A partir das 14 horas, estou no MMDC. Ali, já estão: o presidente GINO, os advogados ROMAGNOLI, JANAÍNA, ANTÔNIO FROTA, o CORONEL RICARDO JACOB, dona MARIA ODETE, Professor EGBERTO MAIS LUZ e o nosso ANTÔNIO CARLOS NACLÉRIO HOMEM. Embora a reunião seja informal vamos discutir assuntos importantíssimos:
O CORONEL PM Res RICARDO JACOB, tesoureiro, traz ao nosso conhecimento que em fins de 2004 foram descontados dois cheques nos valores de R$1.000,00 e R$1.600,00, por MÔNICA REGINA CALAFFE, que estão sob suspeita;
ROMAGNOLI está com tudo pronto para iniciar a AÇÃO POR DANOS MORAIS contra DAUILIBI; também traz a notificação para o direito de resposta ao tendencioso artigo desse senhor, publicado nos jornais O ESTADO e JORNAL DA TARDE, de 17 de dezembro de 2005. O presidente GINO acha que essa notificação deva ser assinada pelos três presidentes da Sociedade: o da Diretoria Executiva, o do Conselho Deliberativo e o do Conselho Fiscal. Tento avisar o CORONEL RENALDO, mas sua senhora, dona REGINA, diz que isso só será possível na sexta-feira. Com isso, vamos perder alguns dias;
CARRARO traz à baila assuntos já passados: o processo do IPH contra a Sociedade, as ações de REGINA CELENTANO, o caso do MMDCA, a ação de CARVALHOSA contra a Sociedade. Ele aponta erros que a meu ver não existiram por parte do MMDC. As circunstâncias de envolvimento de pessoas desonestas não vão de encontro aos interesses da Sociedade. No entanto, há muitas confusões geradas pela má fé de certas pessoas. A credibilidade da Sociedade somente está voltando agora que temos um presidente novo (embora tenha 91 anos).   
Por ser uma reunião informal, muitos pontos de vista surgem na discussão, inclusive de dona MARIA ODETE, que vem demonstrando boa vontade num trabalho de voluntariado.
O ANTÔNIO CARLOS NACLÉRIO HOMEM traz fotografias de minha prima NAIR. Vamos escaneá-las, com a ajuda do ANTÕNIO FROTA. Com isso, as horas vão passando e deixamos mais tarde o MMDC.
Ao passar, de ônibus, pela MARGINAL TIETÊ, observo que em 2006 ainda continuam as obras do aprofundamento da calha do rio, aumentando em 80% a capacidade de vazão, de 600 metros cúbicos por segundo para 1.048. Não só o aprofundamento como também o alargamento possibilitaram que as chuvas que caíram desde o Reveillon na capital não tivessem os efeitos danosos das outras enchentes. Agora o rio consegue assimilar, sem transbordar, 99 milímetros de chuva sobre toda a Bacia do TIETÊ durante 12 horas, ou 122 mm durante 24 horas. Na última enchente do TIETÊ, choveu mais que isso: entre 16 horas do dia 24 de maio e 9 horas do dia 25, foram 140,4 mm. Assim, não dá mais para bradar “enchentes nunca mais”. Mas a obra deve reduzir a freqüência de cheias e eliminar os pontos de alagamento sob a PONTE DAS BANDEIRAS, da CASA VERDE e ANHANGÜERA. Na aparência, o TIETÊ ganhou, entre a BARRAGEM DE PENHA e o CEBOLÃO, a feição dos rios que cortam as grandes cidades de países desenvolvidos. Virou um canal, com taludes de concreto. Nove milhões de metros cúbicos de rocha, solo local e proveniente do assoreamento foram retirados do TIETÊ. Além de evitar enchentes, o aprofundamento da calha permite a navegação do rio, para transporte. O projeto ainda inclui, além de 9 mil árvores nas margens, holofotes sobre o TIETÊ. Eles ajudarão os paulistanos a enxergar o seu rio. 
Quando chego em casa, LUCINDA conta que recebeu um telefonema de minha prima RITA REGINA. Ela está vindo nesta noite a GUARULHOS para nos entregar o convite de casamento de sua filha VIOLETA. Antes de comparecer em casa, ela e seu filho passam pela residência de tia COTA e CARMINHA.
Por volta das 21:30 horas, chegam em casa: tia IRENE, meu irmão CARLOS, RITA REGINA e seu filho SEBASTIÁN EDUARDO (vem dirigindo o carro). Contam que se perderam nas ruas laterais de onde moramos. É uma grata surpresa a visita de meus parentes. Pela primeira vez vêm à nossa residência. Trazem o convite de casamento de minha prima VIOLETA MISTRAL STABROWSKI BARRUECO. No dia 10 de fevereiro, na Igreja de NOSSA SENHORA DE LOURDES, em POÁ, ela casar-se-á com LEANDRO DRUMOND. Durante algumas horas ficamos conversando sobre assuntos de família. Eles trazem notícias de tia COTA, com 99 anos, que não conhece mais as pessoas. Tia IRENE é a única das irmãs de minha mãe que ainda está lúcida, mas claudica de uma das pernas e comparece em casa apoiada em uma bengala. Tem viajado, como é de seu gosto. Passou o Reveillon em SANTOS, em companhia do CARLOS e de sua família. Tarde da noite eles deixam GUARULHOS, retornando a POÁ.

Amigos, parentes e colaboradores do presidente JUSCELINO KUBITSCHEK se emocionaram ontem, assistindo à estréia da minissérie JK. Eles se reuniram na casa da filha dele, MARIA ESTELA KUBITSCHEK LOPES, em COPACABANA. Ela contou ter voltado no tempo. “Foi uma pesquisa de época fantástica, os personagens são bem reais, mesmo os fictícios, como o CORONEL LICURGO, pois existia gente como ele”, disse ela ao repórter. “Como filha, fiquei emocionada. Como brasileira, feliz por ver essa história positiva. Mostra que aqueles anos dourados foram construídos por nós e que podemos fazê-los voltar”. O piloto oficial de JUSCELINO, RENATO GOULART, o veterano da turma, ficou perto da TV, pois escuta pouco. Estavam lá amigas de infância de MÁRCIA (a outra filha do presidente) e MARIA ESTELA: BEATRIZ, DIANA, MARIANA e MARIA. “Mamãe dizia que tinha seis filhas, tão amigas nós éramos”, explicou MARIA ESTELA. “MÁRCIA não está mais conosco, papai e mamãe a levaram e devem estar felizes com essa minissérie. Ele sempre soube que um dia seria reconhecido, mas não estaria mais vivo para ver isso acontecer”.
A atriz SAMARA FELIPO também esteve lá. Ela viverá MARIA ESTELA e as duas se tornaram próximas. “Eu a convidei para que nós nos conhecêssemos melhor”, contou MARIA ESTELA. “O engraçado é que mesmo os íntimos vão conhecer a história de papai. Quando apareceu o FÁBIO ASSUNÇÃO como JOÃO CÉSAR, meu avô, várias pessoas pensaram que era meu filho, que tem o mesmo nome, em homenagem ao bisavô”. O elenco principal da minissérie não foi à festa que a Rede GLOBO ofereceu para comemorar a estréia num restaurante na BARRA DA TIJUCA. Os profissionais de bastidores (técnicos, contra-regras, etc) ficaram no andar térreo, enquanto atores veteranos como HUGO CARVANA, NATHALIA THIMBERG, IDA GOMES e EVA WILMA, que fazem pequenos papéis, se fecharam no mezanino. LETÍCIA SABATELLA e DEBORAH BLOCH apareceram, mas saíram tão logo p capítulo terminou. WÁGNER MOURA, JOSÉ WILKER (que vivem o presidente em duas fases), DÉBORA FALABELLA, MARÍLIA PERA (dona SARAH), JÚLIA LEMMERTZ (que brilhou no primeiro capítulo, como dona JÚLIA, mãe do presidente), FÁBIO ASSUNÇÃO (como o pai, JOÃO CÉSAR) não assistiram com a equipe. Houve atraso nas gravações de ontem e o elenco preferiu ver a estréia na casa do diretor DENNIS CARVALHO.
  
A chuva que há quatro dias castiga o Estado de SÃO PAULO fez mais duas vítimas fatais. Em CIDADE DUTRA, na zona sul, um motorista perdeu o controle do carro, caiu em um córrego e morreu, à 0:30 hora. Deslizamentos e alagamentos ocorreram em todas as regiões da capital. Já em SOROCABA, às 23 horas de ontem, uma mulher de 31 anos morreu atingida por um raio. Outras quatro mortes ocorreram na madrugada de ontem, em FRANCISCO MORATO e VÁRZEA PAULISTA. Nos dois casos, mãe e filha foram vítimas de soterramentos. Em  SOROCABA, ainda há um aposentado desaparecido desde o dia 2 de janeiro. Ele foi arrastado pela correnteza. BARUERI, ITAPEVI e JANDIRA estão sem abastecimento desde às 14 horas de ontem. Em OSASCO, ruas, casas e até um clube ficaram debaixo d´água.

O prefeito JOSÉ SERRA rescindiu definitivamente a concessão que autoriza o CÍRCULO MILITAR de SÃO PAULO a utilizar um terreno municipal de 30 mil metros quadrados no IBIRAPUERA. O despacho do rompimento foi publicado hoje no “DIÁRIO OFICIAL DA CIDADE”, mas não estabelece quanto tempo a entidade ainda pode permanecer no local. O CÍRCULO MILITAR disse, por meio de sua assessoria, que não pretende deixar o terreno e vai recorrer judicialmente da decisão. O terreno onde está instalado o CÍRCULO MILITAR não é a única área municipal concedida que o prefeito pretende tomar de volta. Até janeiro, a Prefeitura deve apresentar ao Ministério de Defesa a proposta de ocupação de um quarto da área do CAMPO DE MARTE, na zona norte. Dos cerca de 2 milhões de metros quadrados, pelo menos 500 mil deverão dar espaço a um parque. Originalmente paulistano, o local passou para o Governo Federal durante a Revolução Constitucionalista de 1932 e, desde 1958, vem sendo disputado na Justiça.

O polidor de rodas automotivas NOEL CAVALCANTE DE BASTOS, de 31 anos, foi preso em casa, sentado na cama e tocando violão. Na sala ao lado, a Polícia Militar encontrou o corpo nu de seu ex-cunhado, que havia sido esquartejado horas antes, sem motivo aparente, por BASTOS. BASTOS havia se mudado de GOIÂNIA para SÃO PAULO há dois meses, segundo o delegado GERMANO DE SOUZA WILLVEIT, assistente do 8 º Distrito Policial (BRÁS/BELÉM). Havia sido acolhido na Capital pela irmã, que lhe ofereceu sua casa na MÓOCA e um trabalho de auxiliar de costura. Na madrugada do dia 3, BASTOS e o ex-marido de sua irmã, MARCOS DE LIMA, de 47 anos, assistiam um filme juntos, na casa da irmã do polidor. Ela havia viajado com a filha de 9 anos para uma chácara. BASTOS teria dito que se drogou cheirando um tipo de cola usada em trabalhos com madeira e carpetes. Perdeu a consciência e acordado horas depois ficou surpreso por ter esquartejado o ex-cunhado. LIMA foi decapitado e teve os braços cortados com um facão e uma faca de cozinha.

O promotor de Justiça de VALINHOS, JOÃO LUIZ PORTOLAN MINNICELLI TROCHMANN, acusado de tentar matar sua mulher, ÉRIKA MAY TROCHMANN, foi denunciado pelo procurador-geral, RODRIGO PINHO, por lesão corporal dolosa gravíssima. O crime ocorreu em 6 de dezembro de 2002 e teria sido motivado pelo fato de ÉRIKA ter pedido a separação. O promotor está afastado das funções, mas continua recebendo normalmente. TROCHMANN, que chegou a ficar preso no Batalhão de Cavalaria “9 DE JULHO”, já havia sido denunciado pelo MP por tentativa de homicídio qualificado por motivo torpe. Na época, o Órgão Especial do Tribunal de Justiça também aceitou a denúncia, por 18 votos a seis. Porém, a defesa de TROCHMANN recorreu ao Supremo Tribunal Federal, que rejeitou o processo de tentativa de homicídio, sob a alegação de “arrependimento eficaz”, pois o promotor socorreu a vítima.

O PALMEIRAS teve muitas dificuldades em sua estréia na COPA SÃO PAULO DE FUTEBOL JÚNIOR e não passou de um empate por 2 a 2 contra o IRATY, hoje, no estádio MAJOR LEVY SOBRINHO, em LIMEIRA. Na preliminar, a INTERNACIONAL bateu o BOTAFOGO, da PARAÍBA, e assumiu a liderança do GRUPO Q.
O SANTOS não teve dificuldades para bater o ANGRA DOS REIS por     4 a 1, pelo GRUPO U, hoje, no estádio JOAQUIM DE MORAES FILHO, em TAUBATÉ.
O SÃO PAULO deu vexame. Jogando no estádio da FONTE LUMINOSA, em ARARAQUARA, o tricolorzinho perdeu por 1 a 0 para o BRASILIENSE. O MOTO CLUB-MA venceu a FERROVIÁRIA.

O barco brasileiro BRASIL 1 deixou a segunda etapa da Regata VOLTA AO MUNDO VOLVO OCEAN RACE. O veleiro voltou ao porto ELIZABETH, na CIDADE DO CABO (ÁFRICA DO SUL), depois de sofrer sérios danos estruturais em conseqüência dos fortes ventos e ondas. A equipe brasileira, comandada por TORBEN GRAEL, está na vice-liderança da competição. Após realizar reparos no veleiro, a equipe decidirá no final da semana se segue navegando até MELBOURNE ou se retomará a competição em sua próxima etapa.

TERMINOU a desavença entre a RÚSSIA e a UCRÂNIA quanto ao fornecimento de gás natural, que afetou por dois dias o suprimento do produto na EUROPA. A disputa colocou em dúvida a confiabilidade dos russos no continente.

O primeiro-ministro de ISRAEL, ARIEL SHARON, sofreu nesta noite um novo derrame cerebral, poucas semanas após sofrer o primeiro, e seu estado é grave. Ele foi submetido a uma cirurgia para conter a hemorragia cerebral e, segundo fontes médicas e políticas, poderia não se recuperar. O vice-premier, EHUD OLMERT, assumiu interinamente as funções de primeiro-ministro. Um coágulo havia obstruído a irrigação do cérebro e provocado a hemorragia, sendo necessária a cirurgia de emergência. “O derrame não afetou apenas uma parte do cérebro, mas várias partes do corpo. Será muito difícil tê-lo de volta como primeiro-ministro”, disse uma fonte no hospital, enquanto ministros do KADIMA, o partido de SHARON, diziam-se pessimistas quanto a sua recuperação. SHARON, de 77 anos, foi levado hoje por volta das 22 horas (horário local) para o hospital, menos de três semanas após sofrer um derrame moderado. Ele estava em sua fazenda, no Deserto de NEGEV, sul do país, quando se sentiu mal. Ele se preparava para uma angioplastia que seria realizada amanhã. SHARON sentiu forte dor de cabeça e pressão no peito. Após conversar  com seu médico, decidiu ir ao hospital e embora pudesse ser levado ao SOROKA HOSPITAL, em BEERSHEBA, mas perto de sua fazenda, foi decidido que iria para JERUSALÉM. SHARON chegou ao hospital de ambulância pouco antes das 23 horas, e foi levado de maca para a emergência. Estava acompanhado pelos dois filhos, GILAD e OMRI.

As notícias que chegaram pouco antes da meia-noite não podiam ser melhores: os doze homens presos numa mina de carvão na VIRGÍNIA OCIDENTAL estavam vivos. Mas a retificação da notícia, que chegou duas horas mais tardes, era o retrato da tragédia: na verdade, apenas um havia sobrevivido. Onze morreram. O corpo de um décimo-terceiro já havia sendo encontrado à tarde.

Grupos rebeldes iraquianos mataram hoje mais de 50 pessoas em vários atentados na região central iraquiana, no dia mais violento desde as eleições parlamentares de 15 de dezembro. No pior deles, um atacante suicida se explodiu no cemitério xiita de MUQDADIYAH, 100 km a nordeste de BAGDÁ, durante um funeral. Morreram 36 pessoas e mais de 30 ficaram feridas. Antes de o homem-bomba detonar seu cinturão com explosivos, extremistas lançaram granadas de morteiro contra a procissão do funeral, com cerca de 150 homens.

Durante a noite, face ao início da Operação “2006” trabalho em dois planos que deverão ser apresentados para apreciação dos demais oficiais da Entidade sob minha direção. Eles levam as seguintes senhas:
9185204  1618436384 III
4/ 40~4e/ 91Z214 14215H418
Ainda trabalharei nesses planos amanhã.                  


2 007   :     -    QUINTA-FEIRA
São 132 anos de existência e 127 de vida independente. O jornal O ESTADO DE SÃO PAULO, que chega hoje à sua edição nº 41.351, foi fundado em 4 de janeiro de 1875 por um grupo de idealistas republicanos, sem nenhuma ligação partidária.
Diário de quatro páginas e 2.025 exemplares, chamava-se então A PROVÍNCIA DE SÃO PAULO, nome que conservou até 31 de dezembro de 1889, um mês e meio após a queda da monarquia, atendendo ao apelo dos colecionadores que não gostariam de arquivar no mesmo ano exemplares com logotipos diferentes.
A PROVÍNCIA foi uma inovação. O francês BERNARD GREGOIRE agitou o mercado com sua criatividade, ao sair a cavalo pelas ruas, barrete branco na cabeça, uma buzina na mão e um maço de jornais debaixo do braço, anunciando as notícias do dia. A venda avulsa foi um sucesso. De 2.550 exemplares, em 1880, a tiragem saltou para 3.300 seis anos depois.
Em 1888,  quando o nome de JÚLIO MESQUITA apareceu no alto da primeira página como diretor-gerente, o jornal comemorou a abolição da escravatura, uma causa que vinha defendendo desde a fundação. “VIVA A REPÚBLICA” foi a manchete, de página inteira, na edição de 16 de novembro de 1889.
Durante a PRIMEIRA GRANDE GUERRA, sobre a qual JÚLIO MESQUITA escreveu uma série de artigos (eles foram publicados em 2002 no livro A GUERRA, em quatro volumes, pelo seu bisneto RUY MESQUITA FILHO), a empresa lançou uma edição vespertina – O ESTADINHO – que circulou de 1915 a 1921. Seu diretor era JÚLIO DE MESQUITA FILHO, que iniciava a carreira de jornalista, enquanto o irmão, FRANCISCO MESQUITA, se dedicava à área administrativa.
JÚLIO DE MESQUITA FILHO e FRANCISCO MESQUITA, que assumiram a direção do ESTADO em lugar do pai, falecido em 15 de março de 1927, lutaram na REVOLUÇÃO CONSTITUCIONALISTA de 1932, depois de terem apoiado GETÚLIO VARGAS em 1930. Foram presos e mandados para o exílio em PORTUGAL, de onde voltaram em 1934, quando seu cunhado, ARMANDO DE SALLES OLIVEIRA, foi nomeado interventor e, em seguida, eleito governador. Por sua indicação, JÚLIO DE MESQUITA FILHO coordenou a comissão que planejou a Universidade de SÃO PAULO.
Com o ESTADO NOVO, que consolidou a ditadura VARGAS em 1937,  JÚLIO DE MESQUITA FILHO foi preso 17 vezes e exilado, primeiro em LISBOA e depois em BUENOS AIRES. Estava na ARGENTINA em 25 de março de 1940, quando soldados da FORÇA PÚBLICA ocuparam a sede do jornal, sob a alegação de que seus proprietários armazenavam armas para derrubar o governo. O ESTADO passou cinco anos e meio sob intervenção, período que não se conta em sua história de 132 anos. Só foi devolvido em dezembro de 1945, após a queda da ditadura.
Depois da morte de JÚLIO DE MESQUITA FILHO, em 1969, JÚLIO DE MESQUITA NETO assumiu a direção do ESTADO, enquanto seu irmão RUY MESQUITA dirigia o JORNAL DA TARDE, fundado três anos antes. A imprensa começava a atravessar os anos mais duros do regime militar. Os dois jornais não se dobraram diante da censura imposta pela ditadura. Recusando-se a fazer autocensura, que consistiria em substituir as matérias cortadas, o ESTADO publicava versos de OS LUSÍADAS, de CAMÕES. No JORNAL DA TARDE, o espaço, que não podia ficar em branco, era preenchido com receitas de doces e bolos. A censura só acabou em 4 de janeiro de 1975. Com a morte de JÚLIO DE MESQUITA NETO, em 1996, RUY MESQUITA assumiu o cargo de diretor.

Saio de casa depois das 11 horas. Na avenida BRIGADEIRO FARIA LIMA está sendo inaugurada a agência do ITAÚ, construída naquele terreno que fica entre a Avenida BENVINDO TOLENTINO NETO e a rua AUAD ABRAHÃO. Uma bandinha anima os correntistas que ali estão para movimentar a nova agência. Vamos hoje reabrir a Sociedade Veteranos de 32-MMDC. Chove muito quando chego na PRAÇA DA SÉ.  No MMDC, encontro trabalhando a funcionária LILIAN e a faxineira, dona GENILZA. Fico sabendo que a LUCIENE está com problemas com seu filho doente, com problemas virais.                              
Temos um problema: não está conectando, no computador, a internet. Telefonamos para o técnico, PEDRO, que promete ainda hoje dar uma olhada no que está acontecendo com o aparelho.
Extensa correspondência está para ser aberta. São contas a pagar, ainda algumas felicitações natalinas e documentos de rotina. Chega RONALDO e me convida para almoçar. Encontramos OREZ e ELÁDIO e durante um bom tempo trocamos idéias sobre as modificações na área da segurança pública. O novo delegado geral assumiu ontem e a posse do novo COMANDANTE GERAL DA POLÍCIA MILITAR está marcada para amanhã, às 11 horas. AMÉRICO gravou o quarto capítulo de LOST, da terceira temporada, e durante 40 minutos o assisto.
Retornando ao MMDC, encontro o presidente GINO e o CORONEL MENDES. As conversas são sobre os últimos dias do ano passado. Agora, iremos começar uma intensa atividade com relação ao JUBILEU DE DIAMANTE da Revolução Constitucionalista de 1932.
O GINO, recém saído de uma pneumonia, não teve medo das chuvas que caem hoje. O MENDES chama-lhe a atenção pelo perigo que ele corre. GINO está com 92 anos e talvez fosse melhor ele se resguardar mais. Por volta das 16:30 horas, deixamos a Sociedade. No Corpo de Bombeiros, encontramos o Comandante, CORONEL PM ANTÔNIO DOS SANTOS ANTÔNIO e um major. Parece que na are dos bombeiros não haverá modificações agora que muda o Comando Geral. A agência do BANESPA, que funcionou durante anos dentro do Corpo de Bombeiros, mudou para um outro lugar, na Avenida RANGEL PESTANA, no dia 2 de janeiro. Cumprindo com o acordo que fez com os correntistas que permaneceram no BANESPA, foi creditado ontem uma quantia equivalente ao vencimento. Até o dia 22 deveremos cobrir essa quantia.
O MENDES vai até a LINDÓIA, na Rua PEDRO VICENTE. Embarco no EXPRESSO COCAIA, retornando para casa.                                                                                                                                   

Recebo um telefonema da LUCIENE. Conta que pegou uma virose no final do ano e que, ontem, ficou doente, também com uma virose, o seu filho. Sem ter com quem deixar o menino, ela não pôde vir trabalhar.
O presidente LUIZ INÁCIO LULA DA SILVA decidiu hoje não atender o pedido do governador do RIO, SÉRGIO CABRAL FILHO, de colocar os militares para reforçar a segurança do entorno de quartéis. Na interpretação do Exército, os soldados vão apenas aumentar o número de sentinelas no trabalho que já fazem, mas não expandido sua área de fiscalização. O governador pediu atuação “na proteção das áreas de entorno das instalações militares”, exercendo o papel de polícia, “de acordo com o artigo 15 da lei complementar 97”. Mas para que isso ocorresse era preciso que ele reconhecesse insuficiência dos meios de patrulhar o Estado, o que não é o caso.
A decisão foi completamente negociada e discutida. Os ministros da Defesa, WALDIR PIRES e interino da Justiça, LUIZ PAULO CORREA, telefonaram para o governador para lhe explicar que as tropas federais não podem atuar “na proteção das áreas”.

A Bandeira do BRASIL, de 7 metros de comprimento por 6 de largura, foi furtada. “Não consegui encontrar o propósito para a pessoa fazer uma coisa dessas. Vamos improvisar para o aniversário da cidade”, disse o administrador do PARQUE DA INDEPENDÊNCIA, DANIEL VARELA.

Em apenas seis dias, cinco suspeitas de bomba no Metrô. Só hoje, o GATE foi acionado duas vezes para retirar supostos explosivos de estações. No início da tarde, uma maleta deixada sobre uma lixeira causou apreensão nos passageiros da Estação SÃO BENTO. Às 15 horas, um agente do GATE constatou que a mala estava vazia. Três horas depois, a PM foi de novo chamada, desta vez na Estação SANTANA, para desativar outro suposto artefato: uma caixa de sapatos com um par de tênis velho. As suspeitas de bomba tornaram-se freqüentes após a explosão num vagão da LINHA 2 (VERDE) no dia 23 de dezembro. Ninguém se feriu, mas pelo menos três pessoas ficaram intoxicadas.

Foram quase 37 horas trancada em uma casa de três cômodos, ao lado de um homem armado. Ainda assim, segundo o delegado-seccional SÍLVIO BALANGIO JÚNIOR, a pensionista CARLA JOELMA ALENCAR VIANA, de 33 anos, ficou espontaneamente com o ex-marido, o presidiário ÉDSON FÉLIX DOS SANTOS, o EDINHO, de 34 anos. O impasse, iniciado às 15:30 horas do dia 2 no bairro de QUITAÚNA, em OSASCO, terminou às 3:55 horas sem ser esclarecido. Na madrugada, EDINHO, cansado, dormiu. Ajudada por um policial, CARLA pulou a janela. Criminoso se rende mais de uma hora depois, sem resistência.  
Anunciada pela FORD a compra da TROLLER. Especializada em veículos offroad, a empresa de capital nacional tem uma fábrica no CEARÁ. A operação faz parte de um plano de investimento de 2,2 bilhões de reais que a multinacional americana pretende fazer no BRASIL para evitar que o mercado nacional seja invadido por empresas asiáticas.

2 008    :      -      SEXTA-FEIRA
VOCÊ PODE MUITO BEM AJUDAR QUEM QUER QUE SEJA SEM QUE ISTO SE CONVERTA NUM PESO A MAIS A CARREGAR NAS COSTAS. AJUDAR NÃO SIGNIFICA FAZER O QUE A OUTRA PESSOA PRECISA EXPERIMENTAR POR SI MESMA. AJUDAR É APENAS INDICAR O CAMINHO.

Hoje o JORNAL DA TARDE completa 42 anos. Nascido em pleno verão de 1966, de lá para cá o jornal inovou, surpreendeu com matérias e capas ousadas, mas sempre com o mesmo propósito: colocar a Cidade de SÃO PAULO como pauta prioritária em todas as suas editorias e nas colunas que dialogam diretamente com o leitor. Uma delas é o “É COM VOCÊ”, que diariamente traz as denúncias e pedidos de melhorias dos leitores de todas as regiões da Capital e a “PRA COMEÇO DE CONVERSA” que informa em primeira mão os cidadãos paulistanos sobre os acontecimentos políticos e cotidianos da Capital.
O JT chega hoje à sua edição nº 13.647 como o mais paulistano dos jornais, focado em serviços e determinado a ajudar seus leitores a viver melhor. A comemoração dos 42 anos de existência do JT marca também o aniversário de fundação de “O ESTADO DE SÃO PAULO” (1875), da RádioELDORADO (1958) e da Agência ESTADO (1970). São ainda empresas do grupo a OESP MÍDIA (1984), OESP GRÁFICA (1988), BROADCAST (1991) e PORTAL ESTADÃO (2000) – www.estadao.com.br O ESTADO, que completa hoje 133 anos de existência e 128 de vida independente, tinha quatro páginas e 2.025 exemplares quando foi lançado, por um grupo de idealistas republicanos. Chamava-se então A PROVÍNCIA DE SÃO PAULO, nome que manteve até 31 de dezembro de 1889, um mês e meio após a queda da monarquia.

No dia 20 de maio de 2004 o então CAPITÃO PM Méd MARCUS HILÁRIO GARCIA (atualmente MAJOR) operou-me um carcinoma basal. Acontece que essa situação voltou novamente e o TENENTE-CORONEL PM CODELO conversou com a TENENTE Fem PM Méd ANA CÉLIA XAVIER para fazer essa cirurgia.
Novamente o SARGENTO PM Ref JOÃO GOMES DE OLIVEIRA JÚNIOR vai me conduzir até o HOSPITAL MILITAR, tal como fez em 20 de maio de 2004. Chegamos ali bem cedo, por volta das 8 horas. Enquanto aguardo o momento de ser atendido, converso com alguns conhecidos: um cabo do 2º BPChq, que ainda trabalhou durante o tempo que ali comandei (1987). Não consigo recordar o nome dele, mas na época era soldado. Faltam-lhe quatro anos para passar para a inatividade.
O TENENTE-CORONEL PM Ref AMORIM, da AORRPM, também passa pelo HM, cumprimentando os conhecidos.
Por volta das 9:20 horas sou atendido pela TENENTE ANA CÉLIA. Ela faz uma breve avaliação e me encaminha para a TENENTE Fem PM Méd JULIANA GONÇALVES. Acontece que essa médica somente atende no período da tarde.
Dispenso o SARGENTO JOÃO e vou passar o tempo no Centro de Reabilitação, onde se encontra o TENENTE-CORONEL CODELO. Conversamos com seus oficiais e praças, alguns já conhecidos desde o dia 14 de dezembro, quando estivemos presentes no Centro, durante o aniversário da Unidade, entregando medalhas da Sociedade Veteranos de 32-MMDC. Almoço no Centro Médico, a convite do CODELO. Por volta das 13 horas, sou apresentado à TENENTE JULIANA, filha do nosso conhecido CORONEL NORIVAL GONÇALVES. Ela quer marcar a data da operação, mas precisa que eu faça exames de sangue (diabetes, colesterol, etc etc), além de ter uma avaliação cardiológica. Uma polícia feminina foi colocada para me auxiliar e são marcados os exames para a próxima quarta-feira, dia 9.
Relembro que o NORIVAL GONÇALVES foi assistente militar da Assembléia Legislativa como CORONEL PM. Ele nasceu em 26 de setembro de 1946. Entrou para a então Força Pública em 15 de fevereiro de 1965. Foi declarado ASPIRANTE A OFICIAL em 15 de dezembro de 1966. PROMOÇÕES: 2º TENENTE – 25 de agosto de 1967; 1º TENENTE – 23 de março de 1970; CAPITÃO – 15 de dezembro de 1975; Major – 24 de maio de 1983; TENENTE-CORONEL – 15 de dezembro de 1987; CORONEL – 24 de maio de 1993.
Viajando de ônibus, chego até o metrô SANTANA. Desço na ARMÊNIA e chego em GUARULHOS depois das 14 horas. Sinto-me desanimado e frustrado por não ter sido submetido à operação. Por outro lado, reconheço os cuidados da médica em querer fazer uma avaliação de meu estado de saúde, situação essa em que sou negligente. Antes, passava pelo Hospital das Clínicas, onde fazia um tratamento de pressão alta. Mas há anos que a sistemática do HC mudou e não mais cuidei da saúde. Esta é uma oportunidade de retornar a esse cuidado, necessário quando já ultrapassei os setenta anos.     

Cerca de mil imóveis na Avenida PAULISTA e em outras áreas da região central da capital tiveram o abastecimento de energia elétrica cortado por uma hora e quarenta minutos nesta tarde. Um defeito em dois cabos subterrâneos da rede da Eletropaulo deixou casas, prédios, escritórios e lojas sem luz a partir das 16:11 horas. Vias menores dos bairros HIGIENÓPOLIS, BELA VISTA, CONSOLAÇÃO, REPÚBLICA e SANTA CECÍLIA também foram afetados.

Uma parede e uma laje de concreto frustraram os planos de uma quadrilha de cavar um túnel a partir de uma oficina vizinha para roubar a transportadora de valores PROSEGUR, em SÃO JOSÉ DOS CAMPOS. Sem dinamite para explodir as fundações do edifício, os bandidos libertaram os donos da oficina e seus parentes, que eram mantidos reféns em uma chácara. Os marginais fugiram e abandonaram as vítimas no cativeiro, em JACAREÍ. Na fuga, chamaram a atenção da polícia e chegaram a ser perseguidos por PMs. Eles atiraram pregos que furaram os pneus das viaturas.

A polícia investiga se ROBERTO APARECIDO ALVES CARDOSO, o CHAMPINHA, de 21 anos, está envolvido nas mortes de dois homens em JUQUITIBA. O crime teria acontecido em 2003, antes do assassinato do casal FELIPE CAFFÉ e LIANA FRIEDENBACH, ocorrido em outubro do mesmo ano em EMBU GUAÇU. O delegado

ULISSES AUGUSTO PASCOLATI, do 100º DP (JARDIM HERCULANO), responsável pelo inquérito, ainda não está convencido da participação de CHAMPINHA na morte dos dois homens. A polícia não descarta a hipótese de que o irmão de uma das vítimas, principal testemunha do caso, esteja envolvido. Ele tem antecedentes, pois foi indiciado em um homicídio no JABAQUARA, do qual foi absolvido. Um dos enterrados no SÍTIO BELVEDERE, em JUQUITIBA, seria o sitiante MANUELITO OLIVEIRA DE SOUZA, de 50 anos. Três dias depois, a polícia localizou o irmão de MANUELITO, morador do M´BOI MIRIM. “Primeiro, o homem foi relutante. Depois chorou e deu sua versão dos fatos”, disse DEJAIR RODRIGUES, delegado da 6ª Seccional (SUL). A testemunha, que teve a identidade preservada, contou que seu irmão se desentendeu com CHAMPINHA e um outro homem, conhecido como MANUEL DA FACA, em um bar de JUQUITIBA. A dupla teria ido até a casa de MANUELITO e matado ele e um amigo a facadas, ateado fogo aos corpos e incendiado o imóvel. O irmão de MANUELITO disse à polícia que foi obrigado por CHAMPINHA a enterrar os corpos. O outro corpo ainda não foi encontrado.   

O vice-presidente JOSÉ ALENCAR, de 76 anos, se submete, desde a última quinta-feira, dia 3, a tratamento de quimioterapia para combater o tumor abdominal retirado no dia 30 de outubro de 2007. JOSÉ ALENCAR está internado no Hospital SÍRIO-LIBANÊS e deverá ter alta no dia 6. Em outubro, ALENCAR foi operado em NOVA YORK para a retirada do tumor maligno.

As vitórias do democrata BARACK OBAMA e do republicano MIKE HUCKABEE na prévia eleitoral presidencial de IOWA, ontem à noite, tiveram algo em comum: ambos atraíram, cada um à sua moda, os eleitores que desejam mudanças no governo. Ambos vêm se apresentando como “anti-WASHINGTON”, como pessoas de fora que nada têm a ver com a politicagem habitual. Não é uma novidade. Tem mais jeito de uma oportuna reciclagem.
OBAMA declarou hoje, no dia seguinte ao triunfo na primeira prévia do Partido Democrata, que sua mensagem de esperança e mudança agradou aos jovens e o ajudou a superar HILLARY CLINTON na disputa pela indicação a candidato à Presidência dos ESTADOS UNIDOS. A senadora de NOVA YORK passou, em um mês, de franca favorita a um minguado terceiro lugar em IOWA e viu seu eleitorado dividir-se, boa parte fugindo para JOHN EDWARDS.

Um faxineiro equatoriano de 37 anos sobreviveu ao cair do 47º andar de um prédio de NOVA YORK e seus médicos acreditam que ele voltará a caminhar. ALCIDES MORENO caiu acidentalmente, em dezembro último, junto com seu irmão, EDGARD, que morreu na queda. ALCIDES foi levado ao hospital com ferimentos no peito, abdômen, dez fraturas nos braços e pernas e hemorragia cerebral. Recebeu uma transfusão de 11 litros de sangue.

JUAN DAVID GÓMEZ TAPIERO é EMMANUEL ROJAS, o filho da refém das FARC, CLARA ROJAS, nascido em cativeiro, segundo teste de comparação de DNA do menino e da mãe da seqüestrada, CLARA GONZÁLEZ DE ROJAS. O resultado positivo, anunciado hoje pelo governo da COLÔMBIA, confirma a versão do presidente colombiano, ÁLVARO URIBE, de que o fracasso da operação de resgate de três reféns que as FARC prometeu entregar  se deveu ao fato de que EMMANUEL não estava em poder da guerrilha. Além do menino e da mãe dele, as FARC entregariam também a deputada CONSUELO GONZÁLEZ DE PERDOMO a uma comitiva formada por militares venezuelanos, membros do Comitê Internacional da CRUZ VERMELHA e representantes de governos latino-americanos e europeus.

Pela primeira vez em sua história, o RALI DACAR não será realizado. O anúncio do cancelamento da maior competição off-road do mundo foi feito um dia antes da largada, que aconteceria amanhã, na capital de PORTUGAL. Para se ter idéia, é como se cancelassem a Copa do Mundo um dia antes da partida de abertura. O medo do terrorismo na MAURITÂNIA fez com que os organizadores da prova tomassem essa atitude.
Na véspera de NATAL, quatro turistas franceses foram assassinados em ALEG, cidade localizada a 250 km da capital da MAURITÂNIA. O crime foi atribuído ao grupo terrorista AL-QAEDA. No comunicado oficial do cancelamento do rali, a organização afirmou que sofreu ameaças dos terroristas.
Preparado para fazer sua 21ª participação no DACAR, o piloto de caminhão da equipe PETROBRÁS LUBRAX, ANDRÉ AZEVEDO, lamentou o fato, porém concordou com a decisão tomadas pelos organizadores: “Ficamos muito triste, principalmente quando olhamos o semblante dos pilotos mais novos. Apesar disso a decisão foi correta, pois correr riscos não vale a pena”, disse ANDRÉ.
Além de ANDRÉ e do navegador MAYKEL JUSTO, mas oito brasileiros disputariam o DACAR: os pilotos de moto, JEAN AZEVEDO, RODOLPHO MATTHEIS, ZÉ HÉLIO e SYLVIO BARROS; e os de carro, JOÃO FRANCIOSI / LOURIVAL ROLDAN (navegador), PAULO NOBRE / SÉRGIO WILLIAMS (navegador). 

4 DE JANEIRO DE 2009      :      -      DOMINGO
Estou tranqüilo neste domingo. Estaria melhor se não fosse uma dor que irrita, no joelho esquerdo, que me surpreende pela manhã. Com LUCINDA recordamos como se deu a revelação da gravidez da KÁTYA EL MOUALLEN, há seis anos atrás. Mais tarde, ela e o IAGO estão em casa.  
O JOSÉ, irmão da LUCINDA, visita-a. Resolvo levar uma caixa de documentos antigos para a HEMEROTECA VENTURA. Pesada, o esforço que faço deixa-me “baqueado” para o resto do dia. Mas ainda dá para trabalhar no computador. Resolvo tirar “esqueletos do armário”, revendo minhas memórias de 1967/1968, com o intuito de achar fatos interessantes acontecidos quando eu era 1º TENENTE e trabalhava no policiamento ostensivo da capital. 

O corpo do estudante de Relações Públicas FILIPE PINHEIRO GONÇALVES DE MATOS, de 21 anos, foi encontrado pelo Corpo de Bombeiros às 11 horas, entre as praias de PITANGUEIRAS e da ENSEADA, no GUARUJÁ, na BAIXADA SANTISTA.
FILIPE, que fazia turismo na cidade, mas estudava e morava no PARANÁ, desapareceu às 6:30 horas de ontem. Após participar de uma festa, o jovem decidiu entrar no mar acompanhado por um grupo de amigos na PRAIA DAS PITANGUEIRAS. Ao tentar nadar, o universitário se afogou e foi levado pela correnteza marinha. O corpo foi localizado por turistas presos nas pedras, próximo ao MORRO DO MALUF, no GUARUJÁ.
O corpo foi transferido para GUARULHOS, onde mora a família do rapaz. Outras duas pessoas ainda permanecem desaparecidas no mar do litoral sul.

LINDEMBERG ALVES, de 22 anos, que matou com dois tiros a ex-namorada ELOÁ CRISTINA PIMENTEL, de 15, em outubro do ano passado, deve acompanhar os depoimentos das testemunhas de acusação do caso. A informação é da advogada do rapaz, ANA LÚCIA ASSAD. Os depoimentos estão marcados para a próxima quinta-feira, às 9 horas, no Fórum de SANTO ANDRÉ. Devem ser ouvidos pelo juiz a adolescente NAYARA RODRIGUES, ferida por um tiro dado por LINDEMBERG; os adolescentes IAGO e VÍTOR, rendidos pelo rapaz quando faziam um trabalho escolar no apartamento de ELOÁ, além do irmão mais novo da vítima e de PMs que participaram das negociações com o jovem, que manteve ELOÁ refém por 100 horas.

O SANTOS seguiu o exemplo dos rivais SÃO PAULO e PALMEIRAS e também estreou com goleada na COPA SÃO PAULO DE FUTEBOL JÚNIOR, em SÃO JOSÉ DO RIO PRETO. A primeira vítima foi o CENE-MT. Com grande atuação dos garotos NEYMAR, ANDRÉ e SERGINHO, o time santista derrotou o adversário por 4 a 0 e ainda se deu o luxo de desperdiçar inúmeras chances de gol. Pelo Grupo G o GRÊMIO derrotou a PORTUGUESA por 4 a 3, enquanto o TAUBATÉ venceu o NACIONAL-AM por 2 a 0.

O espanhol CARLOS SAINZ venceu hoje a segunda etapa do RALI DAKAR, na ARGENTINA e CHILE. Em dupla com o francês MICHEL PERIN, ele completou os 237 km em 1h56min14seg. Com o resultado, assumiu a liderança geral entre os carros. Os brasileiros mais bem colocados são GUILHERME SPINELLI e MARCELO VÍVOLO, em 11º.

Mais de mil pessoas desabrigadas, pontes derrubadas e estradas interditadas. Depois de um mês da catástrofe que provocou 135 mortes no Estado, especialmente no VALE DO ITAJAÍ, voltou a chover forte em SANTA CATARINA, reproduzindo o cenário de destruição. Desde sexta-feira as chuvas desta vez atingem com mais força 18 municípios do VALE DO ARARANGUÁ, no sul do Estado, e quatro cidades já estão em situação de emergência: CRICIÚMA, TURVO, NOVA VENEZA e IÇARA.

Soldados israelenses se espalharam rapidamente pela FAIXA DE GAZA no segundo dia da ofensiva militar por terra. Caças, navios de guerra e peças de artilharia na fronteira deram apoio às tropas da infantaria e tanques israelenses que dividiram o território palestino em duas zonas, impedindo a movimentação norte-sul. Após sofrer pesados bombardeios, a CIDADE DE GAZA, a maior da região, foi cercada.
HUSSAM HAMDAM, um dos líderes do HAMAS, foi morto num ataque aéreo, e fontes palestinas afirmam que só hoje pelo menos 40 pessoas morreram e mais de 180 ficaram feridas – o número é impreciso, pois ambulâncias não conseguiam chegar até diversos pontos onde havia vítimas dos ataques. Um soldado israelense foi morto por um tiro de morteiro e 35 ficaram feridos.   

A UNIÃO EUROPÉIA pediu hoje o fim dos confrontos na FAIXA DE GAZA e enviou uma missão ao ORIENTE MÉDIO para tentar obter uma trégua, mas reconhecendo que enfrenta uma difícil tarefa.
OS EUA, antigos aliados de ISRAEL, vetaram na noite de ontem uma declaração do Conselho de Segurança da ONU pedindo um imediato cessar-fogo entre o HAMAS e o Estado judeu e manifestando preocupação com a escalada da violência após a incursão terrestre isralense em GAZA. A LÍBIA, o único país árabe no CS da ONU, havia pedido a reunião de emergência. Hoje, o Departamento de Estado disse que a ação militar de ISRAEL precisa ser “consciente das potenciais conseqüências para os civis”. 

Uma mulher-bomba matou hoje pelo menos 38 pessoas e feriu outras 72 a poucos metros da mesquita do imã MUSA AL-KAZIM, um dos maiores santuários xiitas do IRAQUE, na cidade de KAZIMIYA, a noroeste de BAGDÁ. A mulher detonou os explosivos que levava junto ao corpo no meio de um grupo de peregrinos iranianos, a maioria mulheres e crianças, que se dirigia à cidade sagrada de KARBALA, ao sul de BAGDÁ, para participar, na quarta-feira, dia 7, da ASHURA – celebração de autoflagelação dos muçulmanos xiitas que lembra a morte do imã HUSSEIN, neto do profeta MAOMÉ. 

2 010      :           -      SEGUNDA-FEIRA
O jornal O ESTADO DE SÃO PAULO que completa hoje 135 anos de fundação e 130 anos de vida independente (descontados os cinco anos em que esteve sob a ocupação da ditadura de GETÚLIO VARGAS), passou os últimos cinco meses de 2009 e os primeiros três dias de 2010 sob censura – uma das quatro mais longas de sua história. Ela foi imposta em 31 de julho pelo desembargador DÁCIO VIEIRA, do Tribunal de Justiça do DISTRITO FEDERAL, que proibiu a publicação de reportagens sobre a OPERAÇÃO BOI BARRICA, rebatizada como OPERAÇAO FACTOR, com a divulgação de investigações feitas pela Polícia Federal sobre o empresário FERNANDO SARNEY, filho do presidente do Senado JOSÉ SARNEY, no Estado do MARANHÃO.
A série de reportagens sobre o chamado CASO SARNEY, iniciada com a revelação em junho dos atos secretos do Senado, rendeu ao jornal em 2009 o Prêmio ESSO de Reportagem, o principal do jornalismo brasileiro. Foi somente um dos muitos prêmios recebidos em 2009 pelo GRUPO ESTADO, que para 2010 prepara uma série de novidades aos seus consumidores.

Há 50 anos morria o NOBEL de LITERATURA ALBERT CAMUS. A data será lembrada no BRASIL, entre outras iniciativas, pela turnê do espetáculo CALÍGULA, com direção de GABRIEL VILLELA  e com THIAGO LACERDA no papel principal. A peça será apresentada em cidades como RIO DE JANEIRO, PORTO ALEGRE, NATAL, SALVADOR, BRASÍLIA, VITÓRIA e CAMPO GRANDE, e volta a SÃO PAULO no fim do ano.

Na Sociedade Veteranos de 32-MMDC encontro nossa funcionária MARINEI CHALUB, que, embora em gozo de férias, veio acertar pagamentos, bem como receber seu ordenado. O tesoureiro, TENENTE-CORONEL PM CODELO, também ali se encontra. Queixa-se que a Sociedade entra em débito no mês de janeiro. A solução é cobrar os associados que estão devendo e isso ele bem poderia fazer, com o auxílio de um soldado ou de um graduado. Mas não faz as necessárias cobranças e vai esperar a funcionária retornar para que ela faça essa parte.
Permaneço até tarde na Sociedade, tendo saído apenas para ir almoçar. Encontro alguns oficiais que comentam como passaram o reveillon. Cai um temporal em SÃO PAULO e o MMDC vai sofrer com a fúria das águas. O telhado não dá vazão e entra muita água no segundo andar. Até uma placa do forro cai sob o peso da água. É uma pena. Reinaugurado no dia 17 de dezembro, uma quinzena depois tem esse problema que prejudica a Sociedade e põe em risco os papéis que se acham arquivados nessa sala. Quando passa um pouco a chuva deixo, contrariado, o MMDC. Voltam novamente as mazelas de antigamente.

A chuva de pouco mais de uma hora que atingiu a capital nesta tarde voltou a travar o trânsito, inundou vias importantes, interrompeu a circulação de trens do Metrô e da CPTM e provocou a queda de um muro na Avenida 23 de MAIO – dois carros que passavam pelo local foram atingidos. Pela segunda vez no ano, o TÚNEL DO ANHANGABAÚ foi fechado por causa do alagamento que durou três horas e meia. A interdição começou às 16 horas. As marginais tiveram trechos alagados. A Avenida 9 de Julho parecia um rio em alguns pontos Uma moto foi arrastada pela enxurrada. Como conseqüência, o trânsito ficou caótico.

O ganhador paulista da MEGA SENA DA VIRADA retirou, hoje de manhã, em uma agência da Caixa Econômica Federal de RIBEIRÃO PRETO o prêmio de R$72.450.747,46, mas manteve o mistério em torno de sua identidade. O jogo foi feito na lotérica AVENIDA, a única de SANTA RITA DO PASSA QUATRO, onde o sortudo morava. A outra metade dos R$144,9 milhões ficou com um felizardo de BRASÍLIA, que pegou a bolada na cidade-satélite de RIACHO FUNDO. O comentário na cidade de SANTA RITA é de que o novo milionário seria um jardineiro conhecido como ADOLFO, de 78 anos, pai de 11 filhos.    

O desembargador ROBERTO ANTÔNIO VALLIM BELLOCCHI transmitiu a presidência do Tribunal de Justiça de São Paulo para o desembargador ANTÔNIO CARLOS VIANA SANTOS, eleito em dezembro para mandato de dois anos. Para evitar episódios emblemáticos como o dos servidores licenciados por doenças inexistentes, o TJ-SP criou um Núcleo de Gestão e Planejamento Estratégico, informou hoje o novo presidente da corte. Há 40 anos na magistratura, VIANA tem dois motivos para se declarar “entristecido”. O primeiro é a história dos funcionários combalidos que gozavam de boa saúde. O segundo dissabor, ele conta, é que começou sua carreira na comarca de SÃO LUÍS DO PARAITINGA, agora em ruínas pelas tempestades que castigaram o VALE DO PARAÍBA no fim do ano. Ele espera que o poder público reconstrua a cidadezinha que lhe traz boas lembranças, enquanto ele próprio almeja dar um fim no escândalo da Justiça adoecida.

A estréia de PALMEIRAS e SANTOS na COPA SÃO PAULO DE FUTEBOL JÚNIOR foi do jeito que o torcedor gosta: com goleada. Mas enquanto o alviverde venceu o RIO BRANCO-AC por 4 a 1 com folga, o time de VILA BELMIRO teve de suar para obter o mesmo placar contra o COMERCIAL-MS.
O FLUMINENSE também sofreu, jogando em SÃO BERNARDO. A vitória sore o XV DE JAÚ, pelo GRUPO F, veio aos 47 minutos da etapa final, com um gol de pênalti de WELLINGTON. O jogou chegou a ser interrompido por causa da forte chuva.

O lateral-esquerdo ROBERTO CARLOS ainda não entrou em campo, mas já arrancou aplausos da FIEL. Hoje, em uma das últimas respostas que deu durante sua apresentação como reforço do CORINTHIANS, veio a revelação. “Vou terminar minha carreira aqui. Não sei se em dois, três ou quatro anos, mas paro de jogar futebol no CORINTHIANS.”

A sérvia ANA IVANOVIC encerrou uma série negativa que vinha desde agosto. Venceu hoje na estréia do TORNEIO DE BRISBANE a australiana JELENA DOKIC. O brasileiro THOMAZ BELLUCCI também começou bem: bateu o argentino JUAN IGNÁCIO CHELA.  
JUSTINE HENIN voltou ao tênis nesta madrugada, em grande estilo. A belga, ex-número um do mundo, que ficou um ano e meio afastada do tênis, venceu a russa NÁDIA PETROVA.

CYRIL DESPRES teve um grande dia hoje. O francês, que disputa o RALI DACAR na categoria motos, venceu a etapa disputada entre as cidades argentinas de LA RIOJA e FIAMBALA – em um trecho de 182 quilômetros – e ainda assumiu a classificação geral da competição. Na etapa de hoje, a terceira do rali, DESPRES foi seguido por dois portugueses: HELDER RODRIGUES, o segundo colocado, e PEDRO GONÇALVES, o terceiro.
Na categoria carros, a FRANÇA também está na frente. A etapa de hoje foi vencida pela dupla STÉPHANE PETERHANSEL e JEAN-PAUL COTTRET. Os espanhóis CARLOS SAINZ e LUCAS CRUZ chegaram  em segundo e também estão na segunda colocação da classificação geral, atrás da dupla francesa.
Dois competidores sofreram acidentes hoje: o espanhol JODI VILLADOMS, da categoria motos, e o francês HUBERT DELTRIEU, da quadriciclos. Embora não tenham sofrido lesões graves, os dois estão fora da competição.

Nesta noite, abrindo a caixa de mensagens em meu correio eletrônico encontro a notícia da viagem de nossa funcionária MARINEI CHALUB ao Estado do MATO GROSSO:
Cel Ventura, boa noite
Amanhã pela manhã estarei seguindo viagem para o Mato Grosso, visitar meu pai, caso precise meu celular é 9719-6934.
Cel deverá chegar na Sociedade Contas como telefone e água, não se preocupe porque já estão todas agendadas para pagto na data correta, as contas que ainda não haviam chegado eu tirei 2ª via pela internet hoje e já agendei.
Por favor qualquer novidade com o Cap Gino me avise.
Abraços,
Marinei.
ESTIMADA MARINEI
DESEJO A VOCÊ UMA ÓTIMA VIAGEM. Chegaram algumas contas hoje, mas vamos pensar nisso depois do dia 20 (afinal são poucos dias apenas).
Quando caiu o temporal desta tarde eu estava na Sociedade. O telhado não aguentou, caindo até uma placa do forro. Enfim isso é um problema que irei levar para a Prefeitura. Não se preocupe com isso.  

Nesta noite tem início na GLOBO a minissérie “DALVA E HERIVELTO. O romance tem início em 1936, quando HERIVELTO assiste a uma apresentação de DALVA no TEATRO PÁTRIA, no RIO. Logo, DALVA se une à dupla PRETO e BRANCO, composta por HERIVELTO MARTINS e NILO CHAGAS (1917-1973), interpretado pelo ator MAURICIO XAVIER. Em menos de um mês o radialista CÉSAR LADEIRA o grupo como TRIO DE OURO.
Com o primeiro disco lançado, com o título de ITAQUARI, o trio estoura nas rádios. DALVA fica grávida de um filho de HERIVELTO e os fãs decidem o nome do menino por meio de uma votação na Rádio MAYRINK VEIGA. Com uma agenda lotada, conquistam fama e dinheiro. Para as apresentações do trio, a maioria no CASSINO DA URCA, HERIVELTO escolhia as músicas de DALVA e até arrumava seus cachos. Mas ele mantinha relacionamentos extraconjugais. Só abandonou a vida de boêmio ao conhecer a aeromoça LURDES TORELLY (MARIA FERNANDA CÂNDIDO). Não demora, HERIVELTO abandona DALVA.
O diretor da minissérie, DENNIS CARVALHO, mostra o escândalo que foi a separação. Por meio de poemas, HERIVELTO mostrava o amor por LURDES. Ele cantava CAMINHO CERTO e DALVA retrucava com ERREI SIM. Em 1949, DERCY GONÇALVES (FAFY SIQUEIRA) convida o TRIO DE OURO para uma viagem à VENEZUELA e o casamento acaba. HERIVELTO, então, ficará os próximos 40 anos casado com LURDES. Em 1965, DALVA sofre um acidente de carro e, seis anos depois, morre de câncer. HERIVELTO morreria em 1992, de embolia pulmonar.
A trama da GLOBO tem início em 1972, com a cantora no leito de morte, sonhando com uma visita do ex-marido. A partir daí, os personagens relembram suas vidas.
FÁBIO ASSUNÇÃO é HERIVELTO. ADRIANA ESTEVES enrolou os fios de cabelo para encarnar a diva DALVA DE OLIVEIRA. THIAGO FRAGOSO faz o primogênito PERY RIBEIRO. No processo de separação dos pais, foi para um colégio interno com o irmão BILLY. YAÇANÃ MARTINS é a única filha mulher de HERIVELTO com a aeromoça LURDES.  

Morreu hoje, às 19:20 horas, em SÃO PAULO, o CORONEL Reformado do Exército ANTÔNIO ERASMO DIAS, aos 85 anos, vítima de complicações decorrentes de um câncer. Deixa seis filhas.
O corpo está sendo velado no salão nobre da Assembléia Legislativa, e será sepultado amanhã no cemitério do PAQUETÁ, em SANTOS. Ele ficou famoso por sua atuação nos anos de chumbo, marcada pelo combate sem tréguas aos opositores do regime militar.
Sua missão mais polêmica foi o cerco ao campus da Pontifícia Universidade Católica (PUC) em 22 de setembro de 1977, ocasião em que prendeu 900 estudantes e os levou para o quartel da Rondas Ostensivas Tobias de Aguiar (ROTA) e para o DOPS, a polícia politica. Naquela noite a tropa de choque explodiu bombas incendiárias contra manifestantes que pretendiam refundar a União Nacional dos Estudantes (UNE).
Nascido em PARAGUAÇU PAULISTA a 2 de junho de 1924, ERASMO era formado e licenciado em História pela Universidade de São Paulo e bacharel em Direito. Ficou no Exército, de que tanto se orgulhava, por 35 anos.
Em março de 1974, no governo EMÍLIO GARRASTAZU MÉDICI, recebeu a incumbência de dirigir a Secretaria de Segurança Pública de São Paulo, o que fez com mão de ferro – PAULO EGYDIO MARTINS governava São Paulo.
ERASMO ficou no poder durante cinco anos, até março de 1979, período em que protagonizou ações controversas. Acusado de arbitrário e truculento freqüentemente dizia a seus interlecutores que agia amparo no sistema legal vigente.
Negou violências até o fim da vida, mesmo quando as evidências eram tantas, como na invasão da PUC. “A uma ação corresponde uma reação”, justificava.
Durante sua gestão, o Instituto Médico Legal – braço da Segurança Pública – endossou episódios sombrios dos porões. Legistas subscreveram laudos que atestavam como suicídios a morte do jornalista VLADIMIR HERZOG e a do operário MANEL FIEL FILHO, nos porões do DOI-CODI, do antigo II EXÉRCITO.
Foi fundador da ARENA e elegeu-se deputado federal, pela primeira vez quando deixou a Segurança Pública. Depois no PP (PARTIDO PROGRESSISTA), foi deputado estadual e vereador pela cidade de São Paulo. Abandonou a política em 2004, alegando desgosto com o Legislativo.
Nos últimos meses, a saúde precária por causa da doença que devastou seu intestino, quase 20 quilos mais magro, ERASMO vivia modestamente em um flat na Alameda JAÚ. Na hora do almoço, com dificuldades, caminhava pela Avenida PAULISTA e pela BRIGADEIRO LUIZ ANTÔNIO. A quem o abordasse mantinha o discurso eloqüente sobre os “perigos da esquerda trotskista”.

Faleceu, aos 93 anos, TSUTOMU YAMAGUCHI. A história dele e de outras pessoas que fugiram dos efeitos da bomba que foi jogada em HIROSHIMA e da outra em NAGASAKI, viajando num trem para a cidade de NAGASAKI estão contadas no livro O ÚLTIMO TREM DE HIROSHIMA, do cientista americano CHARLES PELLEGRINO. Em HIROSHIMA, YAMAGUCHI estava a 3 quilômetros do ponto exato onde a primeira bomba nuclear foi detonada em 6 de agosto de 1945. Ele estava na cidade de passagem, a trabalho. No momento da detonação, caminhava por uma plantação de batatas e se aproximou de uma mulher de roupas pretas, quando um clarão, como o flash de uma câmera fotográfica, se acendeu em frente aos seus olhos. Apesar de não saber que se tratava de uma detonação nuclear, o engenheiro se jogou no chão rolando até uma vala de irrigação, cobrindo os olhos e os ouvidos. Mesmo assim, o som da explosão rompeu seus tímpanos, deixando-o surdo de um ouvido. O chão estremeceu e arremessou YAMAGUCHI para fora da vala, suspendendo-o a uma altura de quase 1 metro. Quando recobrou a consciência, farrapos de roupas ardentes estavam caindo do céu. Ele não conseguia ver o sol. Uma parte do seu corpo queimou, ficando num tom marrom-escuro. Naquele momento, o engenheiro só pensava em voltar para NAGASAKI e encontrar sua mulher e filho que estavam em casa. CHARLES PELLEGRINO descreve com uma riqueza impressionante de detalhes como aconteceram as duas explosões, num livro que mistura informações científicas com a historia real das vítimas dos dois únicos ataques nucleares contra civis já feitos na história. Na segunda explosão, em NAGASAKI, mais uma vez TSUTOMU YAMAGUCHI estava próximo do epicentro da detonação, dessa vez abrigado dentro da fábrica da MITSUBISHI, onde ele trabalhava. A mulher e o filho, que estavam em casa, também sobreviveram à explosão. Mas ambos morreriam anos depois, de câncer. Ninguém foi tão diretamente exposto – duas vezes – aos efeitos da radiação nuclear como YAMAGUCHI. Sobrevivente, ele fez questão de contar sua impressionante história. Durante o resto da vida, YAMAGUCHI ficou conhecido como um árduo defensor da paz. ‘O que é preciso ser feito não é apenas falar das bombas, e sim levar o mundo a tomar conhecimento dos terríveis efeitos do seu lançamento sobre as pessoas.”, diz o autor do livro O ÚLTIMO TREM DE HIROSHIMA.  

O cantor argentino SANDRO, também conhecido como SANDRO DA AMÉRICA, morreu hoje, aos 64 anos, vítima de choque séptico. Ele havia passado por um transplante duplo de pulmões e coração em novembro, após oito meses na fila por um doador. O cantor, que sofreu nos últimos anos de enfisema pulmonar, foi a principal figura do rock argentino nos anos 1960 e 1970. Depois, adaptou-se às baladas românticas e ao pop latino, transformando-se em um artista cult.

Um homem abriu fogo num tribunal federal de LAS VEGAS, matando um policial e ferindo outro segurança. Forças policiais reagiram e mataram o atirador, informou o FBI. A troca de tiros durou alguns minutos e foi registrada por várias emissoras de TV. Os motivos que levaram o homem a atacar os policiais não foram revelados.

Uma bomba colocada à beira de uma estrada matou quatro soldados americanos no sul do AFEGANISTÃO. Em um outro ataque na mesma região, um militar britânico morreu. As bombas colocadas em estradas têm sido bastante utilizadas pelos insurgentes – em 2009, 129 soldados americanos morreram em razão de ataques com esse tipo de artefato. 

DUBAI inaugurou o prédio mais alto do mundo, numa cerimônia reluzente apesar das enormes dívidas, levando algumas pessoas a questionar se a nova torre será a glória suprema de um dos EMIRADOS ÁRABES UNIDOS ou seu último suspiro. A inauguração ocorre após o emirado pedir moratória e de ter de recorrer a um empréstimo de 10 bilhões de dólares do emirado vizinho, ABU DHABI.
O BURJ DUBAI – que em árabe quer dizer TORRE DUBAI – custou 1,5 bilhão de dólares, tem 192 andares, 57 elevadores, 828 metros de altura e ultrapassa o prédio que vinha sendo considerado o mais alto do mundo, o TAIPEI 101, em TAIWAN, de 509 metros de altura. O novo prédio é quatro vezes mais alto que o EDIFÍCIO ITÁLIA, em SÃO PAULO. 

4 de janeiro de 2 011        :          -        QUARTA-FEIRA
A pedido do CORONEL PM ANTÔNIO CARLOS MENDES vou pesquisar em minha biblioteca acerca do CORONEL DOMINGOS QUIRINO FERREIRA. Era MAJOR do 2º BC. Foi nomeado por promoção a TENENTE-CORONEL, por decreto de 13 de dezembro de 1921. Por decreto de 13 de julho de 1921 foi nomeado para comandar a FORÇA PÚBLICA em comissão. Foi promovido ao posto de CORONEL em 13 de dezembro de 1921, tornando-se Cmt Geral efetivo. Foi substituído pelo CORONEL PEDRO DIAS DE CAMPOS em 28 de julho de 1924. DOMINGOS QUIRINO FERREIRA NETO, médico da Santa Casa de Misericórdia, é seu parente. Esteve conosco em julho de 2007 na Associação Comercial numa solenidade de entrega do Colar “CARLOS DE SOUZA NAZARETH”. Na VILA GUARANI há uma escola com o nome do “CORONEL DOMINGOS QUIRINO FERREIRA”. Ele participou também da Revolução de julho de 1924. Também estou pesquisando sobre o voluntário JOÃO DE OLIVEIRA DO PRADO que combateu na Revolução de 1932, a pedido do MILTON FERNANDES. Nesta manhã nada encontrei sobre essa pessoa. JOÃO OLIVEIRA DO PRADO nasceu em 1908, natural de SÃO FRANCISCO DO SUL, SANTA CATARINA. Ele é tio-avô de RAFAEL PRADO, solicitante da informação enviada pelo MILTON.

Mais um ano de inovações, de conquista de prêmios, de luta contra a censura. O ESTADO DE SÃO PAULO, fundado em 4 de janeiro de 1875 com o nome de A PROVÍNCIA DE SÃO PAULO, completa hoje 136 anos de circulação e 131 anos de vida independente com o compromisso de levar adiante as principais características que marcaram sua trajetória – firmeza e coerência na linha editorial para atender às exigências da comunicação moderna. O jornal foi sempre ousado e corajoso, desde a fundação, quando nasceu do ideal de um grupo de republicanos, dois anos após a Convenção de ITU (1873), quando se apresentou como um órgão independente, sem nenhuma ligação partidária, embora empenhado na derrubada da monarquia. VIVA A REPÚBLICA foi a manchete de A PROVÍNCIA na edição de 16 de novembro de 1889, numa primeira página que só estampava essa notícia em letras enormes, sem nenhuma ilustração. No ano anterior, o jornal comemorava a abolição da escravatura, pela qual vinha lutando. Prêmios e inovações à parte, o ESTADO atravessou 2010 ainda sob censura judicial. Desde 31 de julho de 2009, o jornal está proibido de publicar informações sobre a OPERAÇÃO BOI BARRICA, da Polícia Federal, que investigou atividades do empresário FERNANDO SARNEY, filho do senador JOSÉ SARNEY, no MARANHÃO. O empresário entrou com pedido de desistência da ação movida contra o jornal, mas o advogado MANUEL ALCEU AFFONSO FERREIRA apresentou no Tribunal de Justiça do Distrito Federal manifestação na qual sustenta que o ESTADO prefere o prosseguimento da ação para julgamento do mérito. A celebração dos 136 anos do ESTADO coincide com o aniversário de fundação da RÁDIO ELDORADO (1958), do JORNAL DA TARDE (1966) e da AGÊNCIA ESTADO a OESP MÍDIA (1988), a BROADCAST AE (1991) e portal estadao.com.br (2000). Em 2010, a Redação de O ESTADO DE SÃO PAULO tornou-se definitivamente digital. Mais que tecnologia, foi uma revolução cultural. Seguindo a tendência ainda presente na imprensa brasileira, o ESTADO vinha segurando sua melhores notícias, os furos, para a edição de papel. Não mais. O leitor hoje é imediatamente informado, seja por celular, tablet ou web, quando uma notícia importante chega ao conhecimento de repórteres e editores. No dia seguinte, a edição do jornal completa a informação com aprofundamento e análise. É como a grande imprensa mundial, do americano THE NEY YORK TIMES ao britânico THE GUARDIAN, se comporta. E, embora a postura do “digital first” seja uma profunda inovação no jornalismo brasileiro, não foi a única tocada pelo GRUPO ESTADO no ano que passou. O ESTADO foi o primeiro veículo brasileiro com presença no iPAD, o tablet da APPLE. Já havia sido, em 2008, o primeiro no Iphone. Os tablets representam uma nova maneira de fazer jornalismo que une a elegância da organização do papel com as fascinantes possibilidades da multimídia. O último ano foi de estudo intenso dessa nova plataforma e, no início de 2011, o aplicativo para o iPAD chegará à versão 3.0 e logo migrará também para os tablets que rodam o sistema ANDROID, caso do GALAXY TAB da SAMSUNG. A cultura digital que tomou a Redação gerou também uma nova forma de trabalhar com as mídias sociais. Mais do que uma frenética busca por seguidores em sistemas como o TWITTER, a Redação de O ESTADO DE SÃO PAULO dedicou-se à relação com seus leitores.    

A presidente DILMA ROUSSEFF repreendeu nesta noite o GENERAL-DE-EXERCITO JOSE ELITO DE CARVALHO SIQUEIRA, ministro do Gabinete de Segurança Institucional (GSI) por dizer em entrevista, na segunda-feira, dia 3 de janeiro, que não é motivo de vergonha para o País o desaparecimento de presos políticos durante a ditadura militar (1964-1985) Foi o primeiro “puxão de orelha” de ministro do novo governo. ELITO pediu desculpas à presidente pela declaração polêmica, segundo fontes do Planalto. Ao longo do dia, ele já tinha recebido recados de assessores de que DILMA não gostara de seu comentário, Ao ser recebido à noite pela presidente, chegou a jogar a culpa na imprensa, afirmando que a declaração foi “mal interpretada”. A desculpa foi aceita. Torturada na época da ditadura, DILMA fez um discurso, no dia da posse, em que afirmou não ter ressentimentos nem rancores. Antes mesmo de assumir, ela chamou os comandantes das Forças Armadas para dizer que não haveria “revanchismo” e pedir que não houvesse por parte dos militares “glorificação” do golpe de 31 de março de 1964, que implantou uma ditadura de 21 anos no País.
Desde a distensão política, no fim dos anos 1970, famílias e entidades de direitos humanos cobram a localização dos restos mortais de 138 vítimas da repressão consideradas “desaparecidas políticas”. Dois generais de Exército ouvidos pelo ESTADO avaliaram que ELITO “começou mal o seu trabalho”, ao entrar em choque com as orientações de DILMA e tomar a dianteira de um debate que não lhe dizia respeito. Sua função, observaram, é garantir à presidente as informações necessárias na área de defesa e inteligência para o exercício do poder. ELITO comanda cerca de 800 seguranças da Presidência e outros 900 homens que trabalham como arapongas da Agência Brasileira de Inteligência. ELITO foi escolhido para chefiar o GSI por ser reconhecido na caserna como um oficial que nunca causou “problemas”. Sua declaração polêmica, porém, derrubou logo no início do governo a figura de um militar discreto e apaziguador que DILMA tanto buscava.  

Ao tomar posse oficialmente hoje, o novo secretário estadual de SAÚDE, GIOVANNI GUIDO CERRI, ressaltou a importância das parcerias para melhorar a gestão da pasta. Uma delas, já adiantada, será com a Secretaria Estadual de Educação para combater o consumo de álcool entre os jovens. “Pretendemos fazer uma cruzada contra as drogas, principalmente com o álcool, que é vetor de doenças e violência de várias naturezas”, afirmou CERRI, ex-diretor da Faculdade de Medicina da USP. Ele ressaltou ainda que promoverá uma organização física e a informatização da secretaria para que todos os equipamentos de saúde deixados pelas gestões anteriores sejam usados de maneira plena. Outra medida é humanizar o atendimento nos hospitais e ambulatórios estaduais, como forma de melhor acolher e orientar os cidadãos e seus familiares. Ele prometeu ainda fazer uma gestão “apartidária”, conforme pedido do governador GERALDO ALCKMIN.

Depois de retomar o tratamento de quimioterapia, hoje pela manhã, o ex-vice-presidente da República, JOSÉ ALENCAR, voltou a apresentar sangramento intestinal e foi transferido para a UTI Cardiológica do Hospital SÍRIO LIBANÊS, na capital paulista. Segundo boletim médico divulgado no final da tarde, ALENCAR seria submetido a sessão de hemodiálise e passaria por exames. Os médicos tentam definir o local exato do sangramento. 

O ex-secretário estadual de Transportes MAURO ARCE assumiu hoje a presidência da Companhia Energética de SÃO PAULO (CESP). O convite foi feito pelo titular da Secretaria Estadual de Energia, JOSÉ ANIBAL. ARCE deverá ressuscitar o projeto de privatização da companhia após fracassos seguidos na tentativa do governo de vender a CESP. No ano passado, o ex-governador JOSÉ SERRA ordenou o retomado dos planos de investimentos na CESP, mas quase nada foi feito. ARCE foi o responsável por diversas concessões de estradas paulistas em 2009. 

A dez dias do fim de “PASSIONE” três principais mistérios ainda precisam ser devendados: quem matou EUGÊNIO (MAURO MENDONÇA) e SAULO (WÉRNER SCHÜNEMANN)? TOTÓ (TONY RAMOS) morreu mesmo? E quem será a próxima vítima? Com tantos segredos, o faro detetivesco do público vai ficando cada vez mais aguçado. E, para manter todo esse mistério, um forte esquema de segurança foi implantado para a gravação nas duas semanas derradeiras. Na última sexta-feira, dia 31 de dezembro, os atores receberam os capítulos apenas com as suas cenas, desconhecendo o destino dos outros personagens. Em uma das séries de capítulos picotados, encontram-se vários flashbacks, que vão ajudar na solução de alguns mistérios e desfechos de personagens. E também há uma grande revelação, que leva a crer que será a volta de TOTÓ. O roteiro da gravação também é uma incógnita: os intérpretes só ficam sabendo em que diva deverão estar no PROJAC, mas apenas chegando ao estúdio conhecem a cena que irão gravar. Além disso, já está decidido que horas antes de o ultimo capítulo ir ao ar, será gravada a cena que revelará, finalmente, a identidade do assassino.

Faleceu o médico e pianista JOVELINO MORAES DE CAMARGO NETO, aos 78 anos. Desde criança quis ser pianista e médico. Cumpriu suas metas. Terminou o conservatório, compôs algumas músicas e, em 1952, apresentou-se no Teatro Municipal da capital paulista. A Medicina, no entanto, ainda o chamava. Entrou para a faculdade enquanto ainda lecionava no conservatório. Os estudos exigiram dele grande dedicação e decidiu, então, deixar de tocar. Mas não abandonou a música. Ao entrar em casa, o primeiro que fazia era ligar o som. Gostava do erudito à MPB. Na carreira, sua grande sensibilidade o levou a se especializar em Psiquiatria. Mais tarde, mudou de vertente e abriu seu próprio consultório de Psicanálise.

Faleceu o ator HÉLIO ARY SILVEIRA, em SANTANA DO LIVRAMENTO, aos 80 anos. Se perguntasse para HÉLIO onde gostava mais de atuar, sem hesitar ele respondia que era nos tablados dos palcos de teatros. Neles, ele gostava de sentir a reação direta que esta arte despertava nos espectadores e sempre se preocupava se arrancaria ou não as sonoras risadas do público nas peças de humor que costumava atuar. HÉLIO nasceu na gaúcha SANTANA DO LIVRMENTO, em 1930, cidade onde viveu com sua família até o fim da adolescência. Lá, estudou piano e integrou um coral que cantava em diversas festas de casamento de toda a região. Porém, a decisão de se tornar ator surgiu quando se mudou para a cidade do RIO DE JANEIRO. Lá, iniciou sua formação em peças infantis. Depois, foi para a TV, onde atuou nas extintas TUPI e MANCHETE e na REDE GLOBO. Na mesma época, também fez cinema. Já com sólida formação artística, trabalhou na década de 1970 nas novelas “PAI HERÓI” e “ASTRO REI”. Nos anos 1930, contracenou com JÔ SOARES no programa de humor “VIVA O GORDO”, sucesso da época na REDE GLOBO. Em 2001, realizou seu último trabalho na minissérie “OS MAIAS”, onde parte das gravações foi feita na cidade do PORTO, em PORTUGAL. Encantou-se com a receptividade e o grande reconhecimento que teve do povo português. Segundo a família era uma pessoa bem-humorada, e sempre dizia que cada trabalho era uma diversão. Encerrou a carreira por causa da doença de ALZHEIMER, que infelizmente o fazia perder a memória e esquecer textos.   

O CRUZEIRO estreou bem na COPA SÃO PAULO DE FUTEBOL JÚNIOR. Hoje, em ARARAS, o time mineiro bateu o UNIÃO BARBARENSE por 3 a 0. Os gols foram marcados por ALLISSON, ÉLBER e LÉO. Com o resultado, a RAPOSA assume a liderança do Grupo 0, já que o time da casa, o UNIÃO SÃO JOÃO, venceu o IAPE, do MARANHÃO, por 3 a 1 e fica em segundo lugar no critério desempate. Também hoje o VASCO bateu o AMERICA-RN por 2 a 0, em OSASCO, e chegou a três pontos no Grupo E. Já o ATLÉTICO MINEIRO estreou mal no Grupo I ao ser derrotado por 3 a 1 pelo CRICIÚMA.

RAFAEL NADAL começou a temporada com vitória. Em sua primeira partida oficial em 2011, o líder do ranking mundial derrotou o eslovaco KAROL BECK com tranqüilidade por 2 sets a 0, no ATP 250 DE DOHA. Com o resultado, o espanhol avançou para as oitavas de final, na qual vai enfrentar o eslovaco LUKAS LACKO. Segundo colocado na lista da ATP, ROGER FEDERER também venceu em sua estréia. O suíço ganhou do holandês THOMAS SCHOOREL por 2 sets a 0. Na próxima fase ele enfrenta o compatriota MARCO CHIUDENELLI.   

Documentos diplomáticos do governo iraniano revelados hoje pelo site WIKILEAKS mostram que o presidente do país, MAHMOUD AHMADINEJAD, era a favor de enviar o urânio de baixo enriquecimento para fora do país. Em troca, receberia combustível pronto para o uso, mas o núcleo considerado radical do governo vetou a proposta sobre a alegação que ela representaria uma “derrota virtual”.

Graças a um exame de DNA, um homem que havia sido condenado por roubo e estupro teve sua sentença revertida hoje após passar mais de 30 anos na prisão nos ESTADOS UNIDOS. CORNELIUS DUPREE JÚNIOR, de 51 anos, havia sido condenado a 75 anos de reclusão por estuprar e roubar uma mulher de 26 anos. O exame, feito somente no ano passado, provou que ele não foi o autor dos crimes.

O governador da província paquistanesa de PUNJAB, SALMAN TASEER, foi morto a tiros hoje por um de seus seguranças, segundo a polícia. Os outros guardas que faziam a escolta do governador reagiram e cinco pessoas ficaram feridas no tiroteio. O suspeito foi detido. TASEER era próximo do presidente paquistanês, ASIF ALI ZARDARI. A polícia investiga se o guarda-costas que fazia a segurança do governador, identificado como MUMTAZ QADRI, agiu sozinho. O Ministério do Interior ainda afirmou que todos os seguranças de TASEER estão sendo interrogados pela polícia. QADRI planejava o assassinato de TASSER há três dias. O segurança também teria afirmado que o governador “merecia ser morto” por ser contra a Lei da Blasfêmia. TASSER fazia críticas à medida com freqüência em sua conta na rede de microblogs TWITTER. Recentemente, ele defendeu que uma mulher cristã condenada pela lei deveria ser perdoada. A posição do governador fez com que ele recebesse uma série de ameaças de morte.

Outra inexplicável morte em massa de pássaros ocorreu esta semana no sul dos ESTADOS UNIDOS, no Estado de LOUISIANA. Cerca de 500 aves foram afetadas. O incidente ocorre poucos dias após 5 mil pássaros mortos terem caído do céu no ARKANSAS. Os dois casos estão sendo investigados Uma das hipóteses apontadas por cientistas é que o estresse causado pelos fogos de artifício do Ano Novo tenha matado as aves. Mas autoridades dizem que provavelmente não conseguirão determinar uma causa exata.

4 DE JANEIRO DE 2012       :       -    QUARTA-FEIRA
Atualizo o dia 4 de janeiro. Estou preocupado com o evento marcado para 22 de janeiro, na PRAÇA DA SÉ. Entro em contato, via fone, com a CORONEL PM MARIA YAMAMOTO para verificar como está andando o planejamento da Polícia Militar sobre a Abertura dos 80 Anos do Movimento Constitucionalista. Diz ela que está na pauta em caráter de urgência.
Recebo e-mails sobre o futuro núcleo formal de ITAPIRA:
Olá Srs!
João! Ainda não tive tempo de rever o Estatuto! Logo menos, com algum tempo disponível eu leio e te envio resposta.
Estou no aguardo do contato do Márcio sobre os convites entregues. Para a Lilian e o Plínio Magalhães.
Sobre a reunião, poderemos fazer no Sábado, dia 07 de Janeiro, no período da tarde, pode ser? Por mim, pode ser na minha casa mesmo, talvez com um bom café, ou algo assim... Se conseguirmos um lugar mais "público" também seria ótimo.
* Quem está por Itapira? Carlos? Preciso que ligue para o Márcio (Museu) e pergunte URGENTEMENTE sobre a Câmara Municipal estar disponível no dia 29.
* Sobre São Paulo no dia 22 de Janeiro, quem vai? Vamos fazer uma lista, cabem cinco pessoas em um carro, e entre nós, quem possui carro é só o João e o Márcio.
* Tenho ótimas notícias sobre nosso Núcleo! Poderemos dar um passo a frente e fazer algo realmente grande em Itapira. Na reunião colocarei isso em pauta, já marquem aí!!!
P.S. Sempre anexarei o e-mail do nosso caro Cel. Ventura, para que ele esteja sempre "Ligado" em nosso trabalho, saiba o que está acontecendo pelo Núcleo e também, se possível e se quiser, poderá nos dar algum conselho ou alguma ajuda. Peço que sempre nos falemos assim.
AGUARDO CONTATO DE TODOS POR AMANHÃ!
Obrigado!
Abraços!
Eric Lucian Apolinário
Pesquisador - Presidente
(19) 8102-7351
Núcleo Cel. Francisco Vieira
Sociedade Veteranos de 1932   
http://nucleommdcitapira.blogspot.com/

De: João Paulo Marquezini Machado
Para: ch_marquezinim@yahoo.com.br; marciocarlosmc@gmail.com; Eric lucian Apolinário
Enviadas: Terça-feira, 3 de Janeiro de 2012 14:53
Assunto: Estatuto revisado;
Senhores, boa tarde;
Terminei de revisar o estatuto. Lembrando que o modelo é do Núcleo MMDC de Campinas (que segundo o Capitão André - Vice-presidente) chegou faz menos de um mês de um advogado especializado em fundação de Associações e afins.
Peço que todos leiam e observem as alterações que estou propondo (em azul).
E também alguns detalhes (em vermelho) que acredito ser de alguma importância para debatermos.
Se os senhores acharem por bem mais alterações não hesitem em apresentá-las, como eu.
É fundamental que todos estejamos de acordo e satisfeitos com o que será aprovado.
Abraço.
PAX DOMINI SIT SEMPER VOBISCUM.
Att.
Tec. Agr. João Paulo Marquezini Machado
Fiscalização Estadual - cred.: CDA: 1819/08
Governo do Estado de São Paulo
Secretaria da Agricultura e Abastecimento
Coordenadoria de Defesa Agropecuária
Escritório de Defesa Agropecuária de Campinas
MARINEI, CAMILA e MARKUS
Vamos acompanhando o trabalho dos nossos amigos que estão montando o NÚCLEO DE ITAPIRA e organizando uma solenidade para o dia 29 de janeiro. É importante apoiarmos o trabalho deles, pois é o nosso próprio trabalho em prol do Movimento Constitucionalista de 1932.
Não se esqueçam que precisamos divulgar ao máximo a nossa solenidade de ABERTURA dos 80 Anos da Revolução de 32.

De: João Paulo Marquezini Machado
Data: 4 de janeiro de 2012 08:35
Assunto: Re: INFORME 04/01 - URGENTE
Para: Eric lucian Apolinário
Cc: "marciocarlosmc@gmail.com" , "ch_marquezinim@yahoo.com.br" , "celmario@gmail.com"

Bom dia a todos;
Meu querido e estimado amigo;
Concordo que alguns convites tem de serem feitos de forma diferenciada. Mas acredito que estamos tomando uma postura errada em esperar uma resposta de imediato.
Sugiro que, sejam sim feitos convites pessoas a pessoas que consideramos importantes para o Núcleo, porém elas também sejam convidadas para uma reunião de apresentação. E deixe que a ideia madureça na cabeça destas pessoas.
Por isso, acredito que, antes precisamos firmar a reunião: Dia 07 as 15h para mim está ótimo.
Aguardo o pronunciamento de todos!
PAX DOMINI SIT SEMPER VOBISCUM.
Att.
Tec. Agr. João Paulo Marquezini Machado
Fiscalização Estadual - cred.: CDA: 1819/08
Governo do Estado de São Paulo
Secretaria da Agricultura e Abastecimento
Coordenadoria de Defesa Agropecuária
Escritório de Defesa Agropecuária de Campinas

Resoluções de 3-1-2012
Classificando:
Em decorrência de promoção o Ten Cel PM 792387-2 Gilberto Pereira de Carvalho, no 1º BPTran; o Ten Cel PM 801865-A José Gonçalves Souza, no 19º BPM/M; o Ten Cel PM 802530-4 Antônio Eugênio Amaral de Almeida, no 5º BPM/I, a contar de 19/12/11; o Ten Cel PM 810323-2 Airton Edno Ribeiro, no CPM, mantendo sua adição ao CAES; o Ten Cel PM 810328-3 Carlos Alberto Galindo dos Santos, no 1º BPM/M; o Ten Cel PM 810336-4 Eduardo de Mello Vargas, no CSM/AM; o Ten Cel PM 810342-9 George Henrique Marques Alves, no CSM/M Subs; o Ten Cel PM 810345-3 Ieros Aradzenka, no 6º BPM/I, mantendo sua condição de adido ao Gab Cmt G; o Ten Cel PM 810351-8 Jurandir Antonio da Silva, no 16º GB; o Ten Cel PM 810365-8 Nelson Vicente Coelho, no 35º BPM/I; o Ten Cel PM 810368-2 Paulo César Berto, no 13º GB; o Ten Cel PM 810378-0 Ronaldo de Oliveira e Silva, no CSM/M Tel, cessando sua adição ao CSM/M Tel; o Ten Cel PM 820172-2 Gerson Cosme de Souza, no 46º BPM/I, a contar de 19/12/11; o Ten Cel PM 822226-6 Cássio Roberto Armani, no CCB, cessando sua adição ao CBM; o Ten Cel PM 822232-A Dimítrios Fyskatoris, no C Com Soc; o Ten Cel PM 822254-1 Mauro Cézar dos Santos Ricciarelli, na Correg PM; o Ten Cel PM 822255-0 Mauro Minoro Takara, no CBI; o Ten Cel PM 822256-8 Nivaldo César Restivo, no 4º BPChq; o Ten Cel PM 822257-6 Paulo Barthasar Júnior, no CPA/M-6; o Ten Cel PM 822263-A Reynaldo Simões Rossi, na 6ª EM/PM, cessando sua adição à 6ª EM/PM; o Ten Cel PM 822279-7 André Luiz Cavalcante, no CPC; o Ten Cel PM 822293-2 Carlos Alberto Protti, no 29º BPM/M, a contar de 16/12/11; o Ten Cel PM 822298-3 Carlos Roberto Terreaga, no 48º BPM/I; o Ten Cel PM 822303-3 Demárcio Arantes Teles, no 48º BPM/M, a contar de 19/12/11; o Ten Cel PM 822324-6 Francisco Cláudio Calgievicz Otto, no 26º BPM/M; o Ten Cel PM 822357-2 Lourenço Mondin, no 16º BPM/I; o Ten Cel PM 822358-A Luiz Antônio Jardini, no 40º BPM/I; o Ten Cel PM 822365-3 Márcio Tadeu Anhaia de Lemos, no 40º BPM/M; o Ten Cel PM 822376-9 Maurici Acrani, no 13º BPM/M; o Ten Cel PM 822400-5 Ricardo de Oliveira Corte Brilho, no 50º BPM/M; o Ten Cel PM 822401-3 Ricardo de Siqueira Brandão, no 1º BPM/I, a contar de 19/12/11; o Ten Cel PM 822412-9 Sérgio Ricardo Veneziani Kanno, no 19º BPM/I; o Ten Cel PM 822421-8 Wagner Rodrigues, no CPA/M-1; o Ten Cel PM 823156-7 Orlando Pereira de Lima, na ESSd, cessando sua adição à ESSd; a Ten Cel PM 830076-3 Erika Bérgamo, no 25º BPM/I, passando à condição de adida, como se efetivo fosse, ao Gab Cmt G; a Ten Cel PM 830146-8 Mirian dos Santos Tarantino, na DEC; o Ten Cel PM 830566-8 Adriano Ribeiro de Magalhães Filho, no 38º BPM/M; o Ten Cel PM 830573-A Cláudio de Oliveira, no CPI-6; o Ten Cel PM 830576-5 Donizete Martins dos Reis, no 42º BPM/I; o Ten Cel PM 830577-3 Edson Luiz Gaspar, no 12º BPM/I; mantendo a condição de adido ao GRPAe; o Ten Cel PM 830584-6 Gilberto Tardochi da Silva, na APMPMSP, passando à condição de adido, como se efetivo fosse, à DPCDH; o Ten Cel PM 830589-7 Ivanovitch Simões Ribeiro, na DP; o Ten Cel PM 830592-7 João Luiz de Campos, no 7º BPM/M; o Ten Cel PM 830595-1 José Eduardo de Barros Zampieri, no 10º GB; o Ten Cel PM 830599-4 Luís Alberto Syma, no 34º BPM/I; o Ten Cel PM 830600-1 Luís Antônio Fernandes Rosa, no 38º BPM/I; o Ten Cel PM 830601-0 Luiz Carlos da Costa, no CSM/M Int, a contar de 20/12/11; o Ten Cel PM 830604-4 Marcos Renato Vieira, no 23º BPM/I; o Ten Cel PM 830606-A Milton Augusto dos Santos, no 1º GB; o Ten Cel PM 830608-7 Naby Affiune, no CPAmb; o Ten Cel PM 830609-5 Newton Hugolino Michelazzo, no 1º BPRv; o Ten Cel PM 830616-8 Sérgio Aparecido Pincelli, no 43º BPM/M; o Ten Cel PM 830621-4 Wagner Roberto Ribeiro Soares, na APMPGJ, cessando sua adição à APMPGJ; o Ten Cel PM 840857-2 César Branco de Araújo, no 49º BPM/I; o Ten Cel PM 840858-A Francisco Batista Leopoldo Júnior, no 18º BPM/I; o Ten Cel PM 840863-7 Washington Luiz Gonçalves Pestana, no 20º BPM/M; o Ten Cel PM 841386-0 Edvaldo Sertório do Amaral, no 3º BPM/M, a contar de 16/12/11; o Ten Cel Med 851138-1 Luís Fernando de Carvalho Corrêa, no C Med; o Ten Cel Dent 832281-3 Amilton Luís Ferreira Pinto, no C Odont; o Maj PM 812729-8 Celso Aparecido Rodrigues, no 39º BPM/M; o Maj PM 830326-6 Eliseu Gonçalves, no 35º BPM/I; o Maj PM 831379-2 Antônio Tadeu da Silva, no DSA/CG; o Maj PM 840569-7 Lídio Guariglia Costa Júnior, no 6º BPM/M; o Maj PM 840880-7 Fernando Marcos Pedroso de Carvalho, no 54º BPM/I; o Maj PM 840909-9 Norlei José Divino, no 19º BPM/M; o Maj PM 841684-2 Alexandre Laterza, no 2º BPM/M; o Maj PM 841763-6 Marcos Tadeu de Souza, no CPA/M-6; o Maj PM 842099-8 Márcio da Silva, no 29º BPM/M; o Maj PM 843099-3 Renato do Nascimento, no 32º BPM/M; o Maj PM 851729-A Durval Silvano Gasparini, no 15º BPM/M; o Maj PM 852004-6 Alexandre Wellington de Souza, no 13º BPM/I; o Maj PM 852010-A Arquimedes Eleutério de Souza, no 18º BPM/I, passando à condição de adido como efetivo fosse ao 26º BPM/I; o Maj PM 852018-6 Carlos Eduardo Fanti, no 19º BPM/I; o Maj PM 852021-6 Carmelino Antônio Zaccari, no 15º GB; o Maj PM 852030-5 Clécio Tadeu da Silva, no CSM/AM; o Maj PM 852031-3 Daniel Correia de Godoy, no 2º BPRv; o Maj PM 852033-0 Eddy Antônio Carvalho Júnior, na Correg PM; o Maj PM 852042-9 Eduardo Rangel, no CPA/M-12; o Maj PM 852044-5 Everton Rubens Rodrigues da Cunha, no 2º BPChq, passando à condição de adido como se efetivo fosse ao RPMon; o Maj PM 852045-3 Ezequiel Morato, no 37º BPM/M; o Maj PM 852047-0 Fernando Alencar Medeiros, no 16º BPM/M; o Maj PM 852054-2 Hideo Augusto Dendini, na APMCMSP, cessando sua adição; o Maj PM 852058-5 Jean Carlos de Araujo Leite, na ESB; o Maj PM 852060-7 Jefferson Bastos, no 42º BPM/I; o Maj PM 852062-3 João de Paula Ferreira Neto, na BRPAe Presidente Prudente, permanecendo adido se como efetivo fosse à 6ª EM/PM; o Maj PM 852076-3 Luiz Roberto de Oliveira Vicente, no 30º BPM/I; o Maj PM 852080-1 Marcelo Antônio Jerônimo de Melo, no 3º BPM/I; o Maj PM 852082-8 Marcelo Gonzales Marques, no 1º BPChq; o Maj PM 852087-9 Marcelo Maschietto, no CPD; o Maj PM 852089-5 Marcelo Vieira Salles, na 2ª EM/PM, passando à condição de adido, como efetivo fosse, à C Mil; o Maj PM 852090-9 Marcelo Zacarias Gonçalves, na ESSgt; o Maj PM 852096-8 Mauro Luchiari Júnior, no 19º BPM/I; o Maj PM 852101-8 Nivaldo dos Santos Furlan, na BRPAe Praia Grande; o Maj PM 852102-6 Olímpio Ferreira Magalhães, no 19º BPM/M; o Maj PM 852105-A Paulo Henrique Oliveira Ferratto, no 28º BPM/M, a contar de 20/12/11; o Maj PM 852107-7 Paulo Sérgio Merino, na EEF; o Maj PM 852108-5 Régis Moyzes Pereira, na DTel; o Maj PM 852110-7 Ricardo Campos de Camargo, no 49º BPM/I; o Maj PM 852113-1 Rogério César de Paula Brambilla, no 14º BPM/M; o Maj PM 852115-8 Rogério Rodrigues Santos, no CPChq; o Maj PM 852116-6 Rogério Silva Pedro, no 29º BPM/I; o Maj PM 852127-1 Walter Nyakas Júnior, na CMil; o Maj PM 852437-8 João Marcos de Araújo, no 23º BPM/I, a contar de 19/12/11; o Maj PM 855001-8 Fábio de Souza Silva, no 43º BPM/M; o Maj PM 860511-4 Cícero Lázaro Ferreira Barboza Júnior, no C Med; o Maj PM 862599-9 Paulo Sérgio Ramalho, na DP; o Maj PM 862749-5 André Luiz de Oliveira, no 20º BPM/M; o Maj PM 862756-8 Carlos Alberto da Silva, no 45º BPM/M; o Maj PM 862757-6 Carlos Alberto Machado, no CPI-3; o Maj PM 862764-9 César Casademunt Toller, no 18º GB; o Maj PM 862771-1 Edson Suezawa, no CPI-6; o Maj PM 862777-A Enio Lopes Bernardo, no 16º BPM/I; o Maj PM 862794-A Luiz Félix de Souza Júnior, no 46º BPM/I, a contar de 19/12/11; o Maj PM 862804-1 Maurício José Raimundo, no 53º BPM/I, a contar de 22/12/11; o Maj PM 871858-0 Erivelton Carlos de Oliveira, no CPA/M-7; o Maj PM 871860-1 Ivo de Oliveira Lopes Júnior, no 29º BPM/M, a contar de 16/12/11; o Maj PM 871866-A Wagner Antônio Alves, na DFP; o Maj PM 871869-5 Ziul Martins Rodrigues, no 43º BPM/I; a Maj PM 880342-A Cenise Araújo Calasans, no 31º BPM/I; a Maj PM 910264-7 Carla Danielle Basson Niglia, no CPI-2; a Maj PM 910269-8 Sílvia Perpétua Costa, na 5ª EM/PM, passando à condição de adida, como se efetivo fosse, à APMSSP; o Maj QAOPM 782454-8 Wadson Gomes Oliveira da Silva, no CPC, cessando sua adição ao EM/E; o Maj Med 888264-9 Bóris Gerson Napchan, na EEF; o Maj Med 891338-2 Itamar Roberto Antônio de Souza, na Correg PM; o Maj Dent 854165-5 Mauro Fonseca Ferreira Jorge, no CPI-4.
Em decorrência de sua reversão ao serviço ativo publicada no Diário Oficial do Estado 234, de 14/12/11, Seção II, o Maj PM 822268-1 Wilson Bibbó, no 1º BPM/M, a contar de 8/12/11.
Passando: A condição de adido, por conveniência do serviço, como se efetivo fosse o Maj PM 830543-9 Marcelo Nascimento, da 2ª EM/PM, ao CIPM; o Maj PM 830559-5 Rogério Vieira Peixoto, da BRPAe Araçatuba, ao GRPAe; o Maj PM 841484-0 Marcelo Alves Marques, do 22º BPM/I, ao 50º BPM/I, no período de 9 a 18/12/11; o Maj PM 852035-6 Ednaldo Soares Alexandre, do 16º BPM/M, à APMSSP; o Maj PM 852039-9 Eduardo Alexandre Beni, da BRPAe Praia Grande, ao GRPAe.
A disposição do CAES, por conveniência do serviço, no período de 26 a 29/12/11, a fim de cumprir fase do CSP-I/12 a Ten Cel PM 830165-4 Rosa de Cassia Suzuki, da ESSd; o Ten Cel PM 830576-5 Donizete Martins dos Reis, do 42º BPM/I; o Ten Cel PM 830577-3 Edson Luiz Gaspar, do GRPAe; o Maj PM 822252-5 Marco Antônio Melli Bellagamba, do 3º BPRv; o Maj PM 830513-7 Augusto Bispo da Silva, da EEF; o Maj PM 830514-5 Ben-Hur Araújo Junqueira Neto, do CSM/AM; o Maj PM 830515-3 Carlos Eduardo Righi, da APMSSP; o Maj PM 830555-2 Ricardo Ferreira de Jesus, da APMPMSP; o Maj PM 830562-5 Walmir Corrêa Leite, da 5ª EM/PM; o Maj PM 830563-3 Walter de Oliveira, do CPI-4; o Maj PM 830597-8 José Roberto Garçon, do CBM; o Maj PM 830617-6 Sílvio Lúcio Franco Nassaro, do 41º BPM/I; o Maj PM 840865-3 Antônio Carlos Biazotto Filho, do CPAmb; o Maj PM 840870-0 Claudir Roberto Teixeira de Miranda, da APMSSP; o Maj PM 840879-3 Evandro Teixeira Alves, da ESB; o Maj PM 840895-5 Luiz Cezar Freire, da 6ª EM/PM; o Maj PM 840899-8 Marcelo da Silva Pignatari, do 11º BPM/M; o Maj PM 840906-4 Mauro Lopes dos Santos, do CCB; o Maj PM 840916-1 Paulo de Tarso Augusto Júnior, da DFP; o Maj PM 840921-8 Rogério Gago, do 12º GB; o Maj PM 840924-2 Sérgio Ricardo Morette, do CBM; o Maj PM 840931-5 Takao Ikeda, da Correg PM; o Maj PM 840932-3 Wagner Bertolini Júnior, do 1º GB; o Maj PM 840933-1 Wagner Luís Cardoso Mora, do CCB; o Maj PM
841126-3 José Eduardo Bexiga, da DPCDH; o Maj PM 841390-8 Américo Massaki Higuti, da C Mil; o Maj PM 841391-6 Aderson Durynek, do CSM/M Int; o Maj PM 843533-2 Carlos Henrique Martins Navarro, do CSM/AM; o Maj PM 851963-3 Fernando Antônio de Mello Bartasevícius, do 7º BPM/M; o Maj PM 851968-4 José Roberto Rodrigues de Oliveira, da C Mil; o Maj PM 851973-A Luiz Carlos Pereira Martins, da 1ª EM/PM; o Maj PM 851979-0 Marco Aurélio dos Santos Pinho, do 3º BPAmb; o Maj PM 851986-2 Reinaldo Eliseu Giordano Gomes, do CIPM; o Maj PM 851989-7 Rogério de Oliveira Xavier, do 4º BPAmb; o Maj PM 851994-3 Wagner Tardelli, da BRPAe Sorocaba; o Maj PM 851998-6 Wladimir Karasek Neto, do 21º BPM/M; o Maj PM 852000-3 Adilson Luís Franco Nassaro, do 32º BPM/I; o Maj PM 852009-7 Antônio Valdir Gonçalves Filho, do 15º GB; o Maj PM 852023-2 Célio Egídio da Silva, da DEC; o Maj PM 852066-6 José Luís Salomão, do CCB; o Maj PM 852073-9 Luís Henrique Di Jacintho Santos, do 3º BPRv; o Maj PM 852121-2 Sérgio Felleto, do CIPM; o Maj PM 862711-8 Adílson Antônio da Silva, do CCB; o Maj PM 862722-3 Francisco de Souza Filho, do 25º BPM/M; o Maj PM 862724-0 Gilson Paulo Saltoratto, do 3º BPM/M; o Maj PM 862727-4 Jaime Gardenal Júnior, do CPI-10; o Maj PM 862732-A Luís Amaury Kruel Moutinho, do 3º BPAmb; o Maj PM 862733-9 Marcelino Fernandes da Silva, da Correg PM; o Maj PM 862735-5 Marcello Streifinger, do 3º BPChq; o Maj PM 862736-3 Marcos Antônio Ramos, do 7º BPM/I; o Maj PM 862739-8 Tércius Zychan de Moraes, da 1ª EM/PM; a Maj PM 876710-6 Sílvia Martinez Brandão Ferreira de Moraes, da 6ª EM/PM; a Maj PM 891181-9 Gisélia Lomba Bernardes, do 26º BPM/I; a Maj PM 901205-2 Mônica Puliti Dias Ferreira Bondezan, da DP; a Maj PM 901241-9 Geórgia Abílio Públio Mendes, da 5ª EM/PM; o Maj Med PM 870908-4 Pedro Rebelo de Carvalho, do CPI-9; o Maj Med PM 883057-6 Sérgio da Silva Martins, do C Med.
Transferindo:
Por conveniência do serviço o Ten Cel PM 92318-4 Antônio Luiz Bazela, do CPA/M-5, para a DTel; o Ten Cel PM 93254-0 Antonio Dirceu dos Santos, do CPA/M-9, para a APMSSP; o Ten Cel PM 771384-3 José Carlos Marcondes de Souza, do 1º BPRv, para o 5º BPRv; o Ten Cel PM 772785-2 Marinho de Oliveira, do CSM/M Subs, para a APMAL; o Ten Cel PM 781339-2 João Carlos Farias Santos, do CPA/M-2, para a DTel; o Ten Cel PM 790442-8 Gerson Daniel Rodrigues, do CBI, para o PMRG; o Ten Cel PM 790527-A Ben Hur Baptista, do 12º BPM/I, para a DPCDH; o Ten Cel PM 790543-2 Claudemir Mauro Alcarria, do 18º BPM/I, para o CPChq; o Ten Cel PM 792743-6 Benedito Roque de Souza, do 11º BPM/I, para o CPI-2; o Ten Cel PM 793481-5 Eduílio José Garcia Filho, do 46º BPM/I, para o CPI-1, a contar de 19/12/11; o Ten Cel PM 801102-8 Benedito Luis de Castro, da DEC, para a ESSgt; o Ten Cel PM 801107-3 José Luiz de Souza, do 16º BPM/M, para o CPA/M-5; o Ten Cel PM 801123-A Antônio Humberto Emílio, do 48º BPM/I, para o EM/E-CoordOp; o Ten Cel PM 801140-A Gilberto Lima Santos, do 3º BPM/M, para o CPA/M-2, a contar de 16/12/11; o Ten Cel PM 801144-3 Jackson Justus, do 38º BPM/I, para o CRPM; o Ten Cel PM 801169-9 Perez Santiago Rodrigues, do 10º GB, para o CCB; o Ten Cel PM 801185-A Vitor Mauricio Gusmão Lopes, do 7º BPM/I, para o CPI-7, a contar de 22/12/11; o Ten Cel PM 810311-9 João Carlos Arraez, do 34º BPM/I, para o CPI-9; o Ten Cel PM 810320-8 Wagner Benedito Lopes Telles, do CPI-2, para o CIPM; o Ten Cel PM 810321-6 Wagner Facchini de Bortolo, do 49º BPM/I, para o 11º BPM/I; o Ten Cel PM 810357-7 Luís Henrique Falconi, da DFP, para o CIAF, cessando sua adição; o Ten Cel PM 822272-0 Adilson Paes de Souza, do CPA/M-10, para o CPC; o Ten Cel PM 822275-4 Aldemar Fernando Belloti, do 40º BPM/I, para o 7º BPM/I, a contar de 22/12/11; o Ten Cel PM 822286-0 Aparecido Pavanelli, do 25º BPM/M, para o CPA/M-7; o Ten Cel PM 822288-6 Augusto Francisco Cação, do 5º BPRv, para o RPMon; o Ten Cel PM 822292-4 Benjamin Francisco Neto, do 7º BPM/M, para o 11º BPM/M; o Ten Cel PM 822294-A Carlos Antonio Nóia de Souza, do 14º GB, para o CCB; o Ten Cel PM 822297-5 Carlos Henrique de Araújo, do CCB, para o 14º GB; o Ten Cel PM 822308-4 Dorival Alves Filho, do 20º BPM/M, para o 41º BPM/M; o Ten Cel PM 822321-1 Fernando Demétrio de Oliveira, do 1º BPM/M, para o 22º BPM/M, a contar de 27/12/11; o Ten Cel PM 822329-7 Heitor José Frare, da DP, para o CIAP; o Ten Cel PM 822333-5 Homero do Val Souto, do CSM/AM, para o 1º BPAmb; o Ten Cel PM 822355-6 Líbero Vieira de Paula Filho, do 48º BPM/M, para o CPA/M-4, a contar de 16/12/11; o Ten Cel PM 822364-5 Marcelo França dos Santos, do 23º BPM/I, para o EM/E-Assist Adm; o Ten Cel PM 822375-A Mário Ytiro Yamakawa, do CIAF, para a DFP; o Ten Cel PM 822384-0 Newton Massami Tamada, do 43º BPM/M, para o CPA/M-9; o Ten Cel PM 822396-3 Renato de Almeida Rezende,
do 36º BPM/M, para o CPM; o Ten Cel PM 822407-2 Rubens Delsin, do 16º GB, para o CSM/MOpB; o Ten Cel PM 822415-3 Sílvio José de Souza, da 5ª EM/PM, para a 2ª EM/PM; o Ten Cel PM 822416-1 Ulisses Puosso, do CPC, para o 16º BPM/M; o Ten Cel PM 822423-4 Wanderley Pinto Rodrigues, do 50º BPM/M, para o CPA/M-10, a contar de 27/12/11; o Ten Cel PM 822569-9 Sílvio Tucci, do EM/E-Assist Adm, para o 25º BPM/M; a Ten Cel PM 830177-8 Rosimeire Aparecida Soler da Silva Montagner, do C Com Soc, para a 5ª EM/PM, permanecendo adida como se efetiva fosse ao CPTran; o Ten Cel PM 830571-4 Carlos Eduardo Falconi, da APMPGJ, para o CPI-10, permanecendo adido como se efetivo fosse ao GRPAe; o Maj PM 781905-6 Francisco das Chagas Barbosa, do 5º BPM/I, para o CPI-1, a contar de 19/12/11; a Maj PM 790323-5 Eliane Borges da Cruz, do 5º BPM/M, para o 21º BPM/M; o Maj PM 793369-0 Waldir Pires, do 43º BPM/M, para o CPA/M-3; o Maj PM 801417-5 Enilson de Andrade Melo, do CSM/MM, para o CSM/MSubs; o Maj PM 801556-2 Edernald Arrison de Souza, do 5º GB, para o 3º GB, a contar de 26/12/11; o Maj PM 810326-7 Armando da Silva Moreira, do 16º BPM/M, para o CPTran; o Maj PM 810329-1 Carlos Alberto dos Santos, do 6º BPM/M, para o 41º BPM/M; o Maj PM 810347-0 João Carlos Pelissari, do 31º BPM/M, para o 26º BPM/M, cessando sua adição; o Maj PM 810356-9 Luiz Geraldo Câmara Carlos, do CSM/M Subs, para o 3º BPM/M; o Maj PM 810371-2 Roberto Alboredo Sobrinho, do CSM/MOpB, para o CCB; o Maj PM 813317-4 Carlos Alberto Bussinger Carreira, do 50º BPM/M, para o 27º BPM/M, a contar de 27/12/11; o Maj PM 821884-6 Gilberto Felício de Camargo, do 54º BPM/I, para o 53º BPM/I; o Maj PM 822222-3 Alexandre Mazzetto, do 19º BPM/M, para a Correg PM; o Maj PM 822239-8 Hélio Rossi Júnior, do CPA/M-12, para o EM/E-Assist Adm; o Maj PM 830513-7 Augusto Bispo da Silva, da EEF, para a APMBB; o Maj PM 830514-5 Ben-Hur Araújo Junqueira Neto, do CSM/AM, para a DL; o Maj PM 830523-4 Eder Ken Shiikuma, do 13º BPM/M, para o CPA/M-1; o Maj PM 830526-9 Fábio Antônio Barbieri, do CSM/MOpB, para o CBM; o Maj PM 830547-1 Nemar Luiz da Costa Limeira, do 32º BPM/M, para o 17º BPM/M; o Maj PM 830560-9 Temístocles Eleutério de Souza, do 27º BPM/M, para o 50º BPM/M, a contar de 27/12/11; o Maj PM 830562-5 Walmir Corrêa Leite, da 5ª EM/PM, para a 4ª EM/PM; o Maj PM 830579-0 Eduardo Nocetti Holms, do 18º GB, para a ESB; o Maj PM 830615-0 Robson Bianchi, do 29º BPM/I, para o 1º BPRv; o Maj PM 830619-2 Valter Padulla, do 17º BPM/M, para o CSM/MM; o Maj PM 831359-8 Ricardo Garcia Salem, do CCB, para o 13º GB; o Maj PM 840860-2 Marco Antônio Ramos de Almeida, do 53º BPM/I, para o 40º BPM/I, a contar de 22/12/11; o Maj PM 840868-8 Cássio Pereira Pederiva, do 20º BPM/M, para o 50º BPM/M; o Maj PM 840872-6 Dover Eduardo Agassi de Oliveira, da DFP, para o CIAF; o Maj PM 840876-9 Ericson Jonas, do 8º BPM/M, para o 31º BPM/M; o Maj PM 840877-7 Ernesto Púglia Neto, da APMBB, para o CSM/MM; o Maj PM 840879-3 Evandro Teixeira Alves, da ESB, para o CSM/MOpB; o Maj PM 840893-9 Luís Alberto Irikura, do 19º BPM/I, para o 37º BPM/I, a contar de 16/12/11; o Maj PM 840907-2 Nelson Celegatto, do 8º BPM/M, para o CPA/M-11; o Maj PM 840917-0 Raul Santo de Oliveira, do CPD, para a DTel; o Maj PM 840922-6 Rogério Vieira dos Santos, do 14º BPM/M, para o 1º BPM/I; o Maj PM 840930-7 Sugar Ray Robson Gomes, do 31º BPM/I, para o CPI-8, passando à condição de adido como se efetivo fosse ao CPI-4; o Maj PM 840934-0 Walter Castro Garcia, do 29º BPM/M, para o 5º BPM/M; o Maj PM 841392-4 Cláudio Alexandre Cubas de Almeida, do 53º BPM/I, para o 2º BPM/I, permanecendo adido como se efetivo fosse à APMTCE; o Maj PM 841400-9 Walter Romano, do CPTran, para o 1º BPTran; o Maj PM 841851-9 Maurício Moraes de Souza, do 3º GB, para o CSM/MOpB, a contar de 26/12/11; o Maj PM 851948-0 Allan Martins, da APMCMSP, para a APMSSP, cessando sua adição; o Maj PM 851953-6 Átila Gregório Ribeiro Pereira, da DTel, para o CCB, cessando sua adição; o Maj PM 851956-A Carlos Jorge Miranda, do 26º BPM/M, para o 8º BPM/M; o Maj PM 851958-7 Deocleciano Borella Júnior, do 2º BPAmb, para o CPI-10; o Maj PM 851962-5 Edson Reis da Costa, do 51º BPM/M, para o 8º BPM/M; o Maj PM 851971-4 Leandro Pavani Agostini, do 2º BPChq, para o CPChq; o Maj PM 851988-9 Roberto Suganuma, do 40º BPM/I, para o 7º BPM/I, a contar de 22/12/11; o Maj PM 851990-A Samuel Rossi da Silva, do 44º BPM/I, para o 2º BPAmb; o Maj PM 852009-7 Antônio Valdir Gonçalves Filho, do 15º GB, para o CBI; o Maj PM 852025-9 Cícero Bernardo da Silva, do CPI-2, para o 8º BPM/I; o Maj PM 852026-7 Claudinei Pereira, do 45º BPM/M, para o CPC, cessando sua adição; o Maj PM 852028-3 Cláudio Perpetuo Cândido, do CBM, para o 20º GB; o Maj PM 852057-7 Itayre Perez Ferraz, do 41º BPM/M, para o CPA/M-2; o Maj PM 852066-6 José Luís Salomão, do CCB, para o 5º GB; o Maj PM 852071-2 Leônidas Dias da Silva Baier, do CPChq, para o Gab Cmt G, permanecendo adido como se efetivo fosse ao EM/E-Coord Op; o Maj PM 852094-1 Marcus Vinícius Valério, do CSM/MM, para a DL; o Maj PM 852118-2 Samuel Rebessi Penteado, do 3º BPM/I, para o 16º GB; o Maj PM 852434-3 José Francisco Guimarães dos Santos, do 21º BPM/M, para o 13º BPM/M, cessando sua adição ao CPC; o Maj PM 862723-1 Gerson Ferreira da Silva Filho, do 37º BPM/M, para o 1º BPM/M, a contar de 26/12/11; o Maj PM 862726-6 Ivan Efimovicius Pieslak, do CPA/M-11, para o 51º BPM/M; o Maj PM 862736-3 Marcos Antônio Ramos, do 7º BPM/I, para o 40º BPM/I, a contar de 22/12/11; o Maj PM 862742-8 Adriano Alves Pazelli, do 39º BPM/M, para o 9º BPM/M; o Maj PM 864397-A Geraldo José Casoti, do 49º BPM/I, para o 11º BPM/I; a Maj PM 872993-0 Vitória Rita Loyolla Hollanders, do 43º BPM/I, para a BRPAe São José do Rio Preto, permanecendo adida como se efetiva fosse ao CPI-6; a Maj PM 891189-4 Ana Rita do Amaral Souza Streifinger, do DSA/CG, para a DPCDH, cessando sua adição à 5ª EM/PM; a Maj PM 891193-2 Helena dos Santos Reis, do 30º BPM/I, para o CPI-5; a Maj PM 891201-7 Eliane Nikoluk Scachetti, do CPI-1, para o 5º BPM/I, a contar de 19/12/11; a Maj PM 901210-9 Daniela Michelão Penasso Cella e Santos, do CPI-10, para o 44º BPM/I; o Maj Méd PM 870907-6 Antonio Martins Tieppo, do CRPM, para o C Med, a contar de 19/2/10.
Apostila do Secretário, de 3-1-2012
Retificando:
A Resolução SSP de 1º-11-2011, publicada no Diário Oficial do Estado 207, de 2/11/11, Seção II, na parte referente à ransferência, por conveniência do serviço, do Ten Cel PM 822271-1 Adelino Sinomar Pereira dos Reis, do 25º BPM/I, para o CPI-8, para declarar que a movimentação foi a contar de 3/10/11 e
não como constou.

Recebo um e-mail do nosso presidente de honra, GINO STRUFFALDI, solicitando a publicação no jornal eletrônico de seu artigo:
Buon Giorno,  mamma!
A canção italiana, “Quando m’ innamoro”, de autoria de Emilio Pericoli e cantada por Gigliola Cinquetti, cuja letra reproduzo parcialmente a seguir, em dois idiomas, diz:
Dicono che non só trovare un fiore
E che non hó mai niente da regalare
Dicono che c’e un chiodo dentro Il mio cuore
E che per questo non puó palpitare.
Dizem que não sei achar uma flor
E que nunca tenho nada para presentear
Dizem que tenho um prego em meu coração
E que por isso não pode palpitar.
Nas palavras seguintes, a cantora desmente o que dizem as más línguas e declara que sabe retribuir o amor que lhe dedicam.- Gigliola Cinquetti, quando lançou a canção era, além de ótima cantora,  uma linda adolescente que tinha gentileza até no nome, pois Gigliola deriva-se de ‘Giglio’ que é a flor símbolo da pureza.
No entanto, há no mundo muitas pessoas que respondem perfeitamente à descrição contida no início da canção. A maioria por não ter recebido ensinamentos adequados de parte dos pais, em geral pessoas que também não receberam qualquer informação a respeito desse importante assunto.
Incluo-me nesta última categoria. Em 1930, adolescente, fui levado para a Itáiia, onde já havia morado, porque minha mãe estava muito doente e lá veio a falecer em 1931.
Durante meses, ao levantar-me pela manhã, saía de meu quarto e atravessava um hall de uns 4 metros para ver minha mãe, acamada com doença grave que a castigava com dores terríveis.
Buon giorno mamma, come stai? – Dizia isso já pensando em sair e, após uns dois ou três minutos, descia para o café da manhã e só aparecia no dia seguinte para o mesmo procedimento. Não me lembro quantos meses isso durou, pois fui estudar numa cidade a 30 quilômetros de minha casa, em colégio interno, onde  me encontrava quando ela faleceu.
Muitos anos mais tarde aprendi que as pessoas idosas, especialmente as doentes, precisam de atenção, contato, apoio e carinho. Uma simples telefonada pode tirar um doente de grande sufoco emocional.
Não pensem que eu esteja carente: embora idoso e com problemas sérios de saúde, tenho toda a assistência de meus familiares, filho, filhas, netos, netas, nora e genros, maridos e esposas de netas e netos e, especialmente, de minha querida esposa com quem estou casado há mais de 72 anos.
O que  sinto é um grande arrependimento por não ter ficado mais tempo com minha mãe, mesmo sem ter qualquer tipo de obrigação a cumprir fora de casa.
Se fosse hoje, após o café, subiria para o quarto dela e ficaria horas curtindo minha mãezinha, procurando amenizar-lhe o sofrimento, contando-lhe estórias da minúscula aldeia de montanha onde vivíamos, nos apeninos toscanos, ou da ensolarada cidade de Santos, onde nasci e havíamos morado durante 10 anos.
Meu sobrinho médico, que dirigia um departamento de oncologia do hospital de uma universidade federal, disse-me haver lutado muito até conseguir uma seção para idosos, o que não existe em grande número de hospitais, ao passo que em muitos deles há departamentos  exclusivos para crianças.
Como vemos, o idoso é ainda um ser descartável.
Não é incomum vermos idosos mal vestidos, sujos e mal alimentados residindo em quartinhos desconfortáveis nos fundos de residências luxuosas e cujos filhos estão bem de finanças.
Questão de informação, de mentalidade, de bom senso e de altruísmo.

Na Sociedade Veteranos de 32-MMDC tenho a tarde comprometida com a visita do senhor JÚLIO DARVAS e SABINA. Explicam-me eles o funcionamento da organização KI-VIAGEM, onde ambos têm atuações importantíssimas. A criação do CLUBE VALORIZAÇÃO DOS VETERANOS VENCEDORES deverá ter uma estrutura parecida. Ainda recebo a visita do COLOMBO e almoço, às pressas, com o nosso amigo PASSOS. MARINEI comparece hoje ao MMDC, mesmo estando de férias, para organizar o programa do débito automático dos nossos associados que recebem pelo banco SANTANDER. Ele passou uma parte de suas férias em JAHU, onde se encontra seu pai, que, ainda neste mês, deverá sofrer uma operação da próstata. MARINEI retornará somente no dia 16. Também, por telefone, mantenho contato com o CAPITÃO PM ANÍSIO, nosso secretário. Ele está iniciando o CURSO DE APERFEIÇOMENTO DE OFICIAIS e deverá sofrer certas limitações quanto ao seu voluntariado no MMDC. Esse curso irá absorvê-lo até o mês de outubro.   

Resolvida a greve dos policiais militares e bombeiros, FORTALEZA amanheceu hoje com 34 delegacias fechadas. Isso porque, na mesma noite em que o governo estadual e os PMs entraram em acordo, os policiais civis decidiram radicalizar o movimento por melhores salários e que já se arrasta por cinco meses. Mesmo tendo até a manhã de 5 de janeiro para se apresentar ao trabalho, boa parte dos PMs e bombeiros já retornou as atividades. Com a volta do policiamento, o comércio e repartições públicas funcionaram normalmente. Segundo o CAPITÃO PM WÁGNER SOUSA, presidente da Associação dos Profissionais de Segurança Pública do Estado do CEARÁ, todas as motos que haviam sido retidas pelos manifestantes voltaram às ruas. Cerca de 30 viaturas foram liberadas para o patrulhamento.
A perseguição a um veículo roubado usado durante seqüestro relâmpago provocou ao menos cinco colisões na Marginal do TIETÊ, na região do CEBOLÃO, zona oeste, hoje pela manhã. A via ficou congestionada durante boa parte da manhã, principalmente na pista expressa, mas a local e a central também foram atingidas. Ninguém ficou ferido. Um homem, de aproximadamente 25 anos, que estava em um FIAT STILO, foi vítima de seqüestro relâmpago na região de VILA ANASTÁCIO, também na zona oeste, por volta das 8:30 horas. Ele foi rendido por três bandidos, um deles armado. Os criminosos fizeram saques em diversos caixas eletrônicos com a vítima. Por volta das 10:30 horas, os bandidos entraram na rodovia ANHANGUERA, na altura do km 25, sentido SÃO PAULO, encontram um bloqueio da Polícia Rodoviária Estadual. Policiais da Ronda Ostensiva com Apoio de Motocicleta (ROCAM) da PRE perseguiram o veículo. Na fuga, os bandidos colidiram com os veículos. Segundo o PM FRANÇOIS MORETTI DOS SANTOS, da ROCAM, o homem que estava armado jogou o revólver no Rio TIETÊ. Ao menos dois motoristas que tiveram o carro atingido e a vítima do seqüestro relâmpago compareceram à Central de Flagrantes do CEAGESP, para onde os presos foram encaminhados.

Três corpos de vítima das chuvas que castigaram MINAS GERAIS ontem foram encontrados hoje. Assim, chega a oito o número oficial de mortes desde o início do período chuvoso, em outubro. Ao menos três pessoas continuavam desaparecidas hoje no Estado. MINAS tem 66 cidades em estado de emergência e mais de 10 mil pessoas fora de suas casas, entre desalojados e desabrigados. Ao todo, 119 municípios já foram afetados. Um dos corpos encontrados hoje foi o do taxista DENÍLSON MACIEL DE ARAUJO SILVA, de 26 anos, vítima do deslizamento de terra que causou o desmoronamento de parte da rodoviária de OURO PRETO, na região central de MINAS. Ele foi encontrado com a ajuda de cães farejadores após 40 horas de trabalho.

O logotipo do banco ITAÚ já foi removido do topo do Conjunto Nacional, na Avenida PAULISTA. A retirada do letreiro ocorreu por causa da LEI CIDADE LIMPA – a Prefeitura entende que a exibição da marca fere a legislação que veta propagandas. Com a saída da marca, também deve parar de funcionar os famosos relógio e termômetro no topo do prédio, visíveis a quilômetros de distância à noite. O banco mantinha o equipamento em funcionamento. Procurado o ITAÚ não se manifestou. O relógio fazia parte da paisagem da PAULISTA desde 1962, quando a montadora WILLYS OVERLAND DO BRASIL criou o letreiro. Em 1967, a FORD DO BRASIL comprou a WILLYS OVERLAND e trocou o luminoso verde por um painel com o nome FORD, que marcava as horas. A marca do ITAÚ apareceu em 1976.

Um grupo de punks anarquistas e antifascistas invadiu um prédio abandonado pela administração da Universidade de São Paulo (USP) dentro da CIDADE UNIVERSITÁRIA, no BUTANTÃ, zona oeste da capital paulista. Pelo menos nove deles ocupam o imóvel há um mês. Localizado a menos de 100 metros da Reitoria e ao lado do Museu de Arte Contemporânea (MAC), o imóvel em questão é conhecido como Centro de Vivência da USP. Ela abrigou durante anos a sede do Diretório Central dos Estudantes (DCE) e lojinhas, até ser fechado para reforma, em 2006.

O ano começou com um vazio no coração do torcedor do PALMEIRAS. O dia 4 de janeiro de 2012 vai ficar marcado como o da despedida do maior ídolo da história recente do clube. O goleiro MARCOS foi vencido pelas dores, conseqüência de tantas batalhas que o acompanharam nos últimos anos, e decidiu pendurar as luvas aos 38 anos. A decisão foi tomada hoje à tarde, depois que o eterno camisa 12 – número que trazia sorte ao goleiro – teve uma conversa definitiva com o diretor de futebol CÉSAR SAMPAIO Foi justamente o dirigente, que atuou com o goleiro e que vai viver este momento na carreira, que fez o anúncio oficial após o treino na reapresentação do elenco na Academia de Futebol. MARCOS defendeu o PALMEIRAS em 530 partidas, vencendo 11 títulos, o principal deles a LIBERTADORES de 1999, uma das maiores conquistas da história do clube. O goleiro ficou eternizado ainda por ter sido o titular, e com destaque, na conquista do pentacampeonato mundial pela seleção brasileira na COPA DO MUNDO de 2002 – foi decisivo nas oitavas de final contra a BÉLGICA e fez uma defesa fundamental na decisão diante da ALEMANHA.

CORINTHIANS e SÃO PAULO estrearam com goleada na COPA SÃO PAULO DE JUNIORES. À tarde, em JAGUARIÚNA, o time alvinegro passou por cima do SANTOS, da PARAÍBA, por 9 a 0. Algumas horas mais tarde, em BARUERI, o Tricolor atropelou o PALMAS, de TOCANTINS, por 10 a 0. Com o resultado, o CORINTHIANS terminou a primeira rodada na liderança do GRUPO M, o que não parecia fácil. Um pouco mais cedo, no jogo preliminar, o JUVENTUS havia feito 6 a 0 na DESPORTIVA-ES. Em BARUERI, os meninos do SÃO PAULO mostraram ao técnico EMERSON LEÃO, que estava nas tribunas, que têm condições de serem utilizados no time de cima.

O espanhol MARC COMA venceu o trecho entre SAN JUAN e CHILECITO, na ARGENTINA, e se aproximou do líder CYRIL DESPRES nas motos. Nos carros, o francês STÉPHANE PETERHANSEL venceu a etapa e assumiu a liderança.

Um dia após a operação CENTRO LEGAL, que fez uma faxina na Cracolândia, na região da Rua HELVETIA e Alameda DINO BUENO, os usuários passaram a se concentrar em grupos menores por várias ruas e praças das proximidades. Com eles, migraram também os problemas de segurança que deflagraram a operação inicialmente. Grupos vagavam a esmo pelo bairro, carregando cobertores e trouxas de roupas. Longe das vistas da polícia, alguns consumiam crack em cachimbos. Na maioria das aglomerações, com cerca de cem pessoas, na Praça PRINCESA ISABEL, a equipe de repórteres do jornal DIÁRIO DE SÃO PAULO foi alvo de pedras atiradas pelos dependentes químicos,que protestavam contra a presença deles. De acordo com o comandante-geral da Polícia Militar, CORONEL PM ALVARO BATISTA CAMILO, manter a população expulsa da Cracolândia em movimento é parte da estratégia da PM para desarticular o tráfico de drogas na região. “É preciso romper o vinculo do traficante com o usuário e para isso é preciso retirá-los dali”, disse CAMILO. “Só quebrando a logística do tráfico haverá condições de o Poder Público ajudar quem precisa”, afirmou o comandante da PM. Segundo CAMILO, apesar da diáspora de dependentes químicos, não foi registrado aumento da criminalidade no entorno da antiga Cracolândia. “A migração de usuários pela região estava prevista e por isso a ação da polícia não tem data para acabar. O policiamento foi reforçado na região exatamente para isso”, afirmou CAMILO. O coordenador de políticas sobre drogas da Secretaria da Justiça de Defesa da Cidadania no governo de São Paulo, LUIZ ALBERTO CHAVES DE OLIVEIRA, falou que é fundamental dificultar o acesso do usuário à droga. “Enquanto eles estiverem confortáveis com a situação, como ocorria na Cracolândia, não buscarão ajuda”, disse OLIVEIRA.

Dois atores da Rede GLOBO foram vítimas de um assalto, na noite do dia 3, na BARRA DA TIJUCA, no RIO. FÁBIO BIANCHINI e FELIPPE LUHAN tinham acabado de sair de um shopping, por volta das 21 horas. A dupla pegaria um carro estacionado nas proximidades quando foi abordada por dois ladrões. Os atores reagiram e conseguiram deter um dos bandidos após luta corporal. O ladrão precisou ser internado, com o maxilar quebrado.

A madrugada foi violenta para a família CUSTÓDIO, moradores da PENHA, na zona leste. Com uma faca, um adolescente de 17 anos investiu contra o pai para evitar que a mãe continuasse a ser espancada por ele. A Policia Militar foi chamada para apartar uma briga envolvendo todos os moradores da casa número 513 da Rua COMENDADOR CANTINHO. Por volta da 1 hora, segundo a polícia, um menor esfaqueou o desempregado JOSÉ CARLOS CUSTÓDIO diversas vezes. A confusão entre pai e filho começou dentro de casa e terminou no meio da rua, com a intervenção da PM. O jovem contou que o pai é alcoólatra e, sempre que bebe, fica agressivo. Antes de quase ser morto, o desempregado teria batido na mulher e mãe do adolescente, a dona de casa, EDNA MADALENA BASTOS CUSTÓDIO, de 53 anos, com uma vassoura. JOSÉ CARLOS tem passagem por outros casos de agressão. A namorada do menor também contou à polícia que apanhou do sogro e episódios como esse são comuns. JOSÉ CARLOS foi encaminhado ao Hospital do TATUAPÉ, onde está internado em estado grave.

O filho do ex-lutador de boxe MAGUILA foi internado no dia 2 de janeiro em um hospital municipal da zona leste por ter ingerido veneno. ADENILSON RODRIGUES, de 33 anos, teria chegado ao pronto-socorro com uma intoxicação por “chumbinho”, usado para matar ratos. Os médicos usaram remédios para tentar reverter o quadro. Ele permanece internado.

A Polícia Rodoviária Federal vai pedir ao Ministério Público que entre na Justiça para impedir o funcionamento do templo da Igreja MUNDIAL DO PODER DE DEUS, na cidade de GUARULHOS, na GRANDE SÃO PAULO. Na inauguração, no último domingo, mais de 100 mil pessoas, de acordo com a própria Polícia Rodoviária Federal, compareceram ao local, prejudicando o tráfego na VIA DUTRA.

A Prefeitura vai transformar os resíduos da demolição do prédio do MOINHO, na região central, como base em pavimento ecológico destinado à Avenida SAPOPEMBA, a maior via de SÃO PAULO. Serão implantados 4,5 quilômetros de asfalto ecológico. Os extintos edifícios SÃO VITO e MERCÚRIO também forneceram 5 quilômetros de material para a via. O material é triturado e utilizado como sub-base para a pavimentação.

O ex-presidente LULA reagiu bem a primeira sessão de radioterapia, hoje, no Hospital SÍRIO-LIBANÊS, em SÃO PAULO. O tratamento contra o câncer na laringe deve continuar por mais sete semanas e, nesse período, LULA deverá comparecer diariamente ao centro médico para receber o medicamento. O ex-presidente deixou o hospital hoje à tarde. Pouco antes, ele recebeu visitas do prefeito de São Paulo, GILBERTO KASSAB, e do presidente do Instituto LULA, PAULO OKAMOTO. A equipe médica que cuida de LULA decidiu fazer mais uma sessão de quimioterapia após a radioterapia. LULA assistiu ao jogo do CORINTHIANS pela COPA SÃO PAULO DE FUTEBOL JÚNIOR – o time do ex-presidente venceu o SANTOS, da PARAÍBA, por 9 a 0. No começo da radioterapia, o ex-presidente pode voltar a ficar rouco, pois é comum haver inflamação das cordas vocais. A região também pode ficar dolorida. LULA continuará acompanhado por um fonoaudiólogo e uma nutricionista para minimizar os efeitos colaterais da radiação.

LINO FERRARI, diretor e presidente do GRUPO LINOFORTE, fábrica de estofados sediada em OSVALDO CRUZ, nasceu em 1918. Começou o seu negócio nos anos 1950, ao lado da mulher, MARIA FORTE, e dos três filhos. Era uma pequena fábrica de colchões de palha, que logo se transformou numa grande empresa de estofados, hoje é líder no segmento no país. Em 16 de dezembro, o pioneiro foi internado para uma cirurgia no fêmur, mas devido a complicações de ordem pulmonar, LINO FERRARI acabou morrendo nesta quarta-feira, aos 93 anos. Além da mulher e dos três filhos, ele deixou sete netos, 12 bisnetos e um tataraneto.   

JAIME PALADINI nasceu em ORLEANS, no interior de SANTA CATARINA, em 1953. Foi um grande defensor do meio ambiente. No município de TUBARÃO, ele presidiu o diretório do PC do B e até se candidatou a prefeito em 1996. Em outubro de 2011, JAIME ganhou a Medalha do Mérito Funcional ALICE GHILHON GONZAGA PETRELLI, do governo do Estado, como destaque de atendimento ao público. Recentemente, ele havia fundado o GEASC (Grupo Ecológico Ativista do Sul Catarinense). O professor lutava há oito anos contra um câncer. Morreu nesta quarta-feira, aos 58 anos, em SÃO PAULO vítima de câncer na laringe. Ele deixa mulher, um filho e dois enteados

PADRE ADELINO DE CARLI nasceu na VILA MARIA, município de MARÁU (RS) em 28 de maio de 1928. Aos 29 anos, foi ordenado sacerdote e trabalhou durante vários anos como missionário no CHILE e na ARGENTINA, onde contribuiu para a construção do Santuário de NOSSA SENHORA DOS MIGRANTES no Bairro da BOCA, em BUENOS AIRES. Atualmente, era membro da Congregação dos Missionários Scalabrianos de SÃO CARLOS. Em 1975, aos 47 anos, ADELINO começou seu sacerdócio em SÃO BERNARDO DO CAMPO, no ABC Paulista. O religioso foi vigário substituto na Igreja SÃO JOÃO BATISTA, em RUDGE RAMOS, e depois padre na Igreja NOSSA SENHORA DA BOA VIAGEM, a matriz de SÃO BERNARDO DO CAMPO. Ele também exerceu o cargo de vigário forâneo de SÃO BERNARDO e DIADEMA. Sua atuação mais famosa, porém, foi durante a greve dos metalúrgicos nos anos de 1979 e 1980. Entre os líderes sindicalistas da época, estava o ex-presidente LUIZ INÁCIO LULA DA SILVA. Com a intervenção no sindicato, o então bispo de SANTO ANDRÉ, dom CLÁUDIO HUMMES, liberou a matriz de SÃO BERNARDO DO CAMPO para as assembléias sindicais. Muitos fiéis foram contra a ação, mas padre ADELINO reagiu. “De que vale prestar culto a Deus e dar as costas a quem luta pelo pão da vida?”, questionou o padre na ocasião. Depois de apoiar os movimentos sindicais no ABC PAULISTA, padre ADELINO foi transferido para GUARIBA, no interior paulista, e depois para CORUMBÁ, no MATO GROSSO DO SUL. PADRE ADELINO morreu nesta quarta-feira, aos 83 anos, no RIO DE JANEIRO, vítima de pneumonia.

Quem conviveu com CELSO AGOSTINHO tem na ponta da língua a definição para o gerente de operações da Editora ALTO ASTRAL: era um líder nato. CELSO estava na editora há duas décadas e ajudou a construir a trajetória bem-sucedida da empresa bauruense criada por JOÃO BIDU e PEDRO JOSÉ CHIQUITO, em 1986. Até o fim do ano passado, já abatido pela doença na medula, ele fazia questão de trabalhar pelo menos parte do dia. O estilo reservado era outra característica marcante do gerente de operações, que raramente aparecia em fotos. CELSO era discreto em relação aos problemas de saúde. Amigos contam que familiares chegaram a fazer teste de compatibilidade para doação de medula óssea, sem sucesso. Também revelam que a doença era considerada rara e suas conseqüências eram estudadas. Nos últimos dias, o quadro de saúde se agravou e ele foi internado no Hospital da UNIMED, onde morreu nesta quarta-feira, aos 44 anos. Deixou mulher e duas filhas. Funcionários da editora e ex-colegas de trabalho foram surpreendidos pela notícia, pois acreditavam que ele poderia se recuperar. “Ele estava sempre perto mesmo nos piores momentos”, conta o jornalista SANDRO PAVELOSKI, gerente de redação da ALTO ASTRAL. Para o editor-chefe do BOM DIA BAURU, THIAGO ROQUE, CELSO era líder sem fazer esforço. “Exigente sem faltar com o respeito, didático sem ser pedante, passional sem ser irresponsável”, descreve. Os dois trabalharam juntos de 2001 a 2005. Outros ex-colegas de empresa também comentaram o choque provocado pela notícia da morte.   

A operação de 3 horas e meia feita hoje para retirada de um tumor da glândula tireóide da presidente argentina CRISTINA KIRCHNER, foi considerada bem sucedida pelos médicos. Ela deve permanecer internada por 72 horas no Hospital AUSTRAL, na cidade de PILAR, na GRANDE BUENOS AIRES, e voltará ao cargo, segundo as previsões iniciais, no dia 24 de janeiro.

4 DE JANEIRO DE 2013      :       -      SEXTA-FEIRA
Tenho uma manhã praticamente tranqüila. LUCINDA recupera-se da quebra de uma costela e trincamento noutra. MARLENE tomou conta da casa desde o dia em que aconteceu o acidente. Há uma conformação com o fato e a procura de se entender o que nos reservou para início de 2013.

Pela Internet, tomo conhecimento da tragédia que abalou o RIO nesses últimos dias:
RIO - A chuva não deu trégua à baixada fluminense durante toda a madrugada desta sexta-feira, dia 4. Após um temporal na noite de quarta-feira, a chuva perdeu intensidade mas não parou durante toda a madrugada em Duque de Caxias, cidade mais afetada pelos estragos do temporal. O Instituto Estadual do Ambiente (Inea) manteve o alerta máximo para a cidade e também em São João de Meriti, Belford Roxo, Nilópolis, Mesquita, Nova Iguaçu, todas na região da Baixada Fluminense. Na região Serrana, também afetada pelas chuvas, e em Angra dos Reis, voltou a chover forte na madrugada e a situação é de atenção, segundo o instituto. Hoje, o governador do Rio, Sérgio Cabral se reúne com o ministro de Integração Nacional, Fernando Bezerra e o secretário Nacional de Defesa Civil, Humberto Viana. A reunião vai avaliar os estragos causados pela tempestade e definir ações para as regiões mais afetadas. O encontro acontece no Rio, no Palácio Guanabara, em Laranjeiras, na zona sul, e também terá a participação de secretários estaduais de Defesa Civil, Saúde e Meio Ambiente. Em Xerém, a prefeitura de Duque de Caxias contabilizou 400 pessoas desabrigadas na noite de ontem, mas segundo a Defesa Civil, o número passou de 1000 pessoas. Ao todo, 200 casas foram destruídas na cidade, a maior parte nas regiões de Pedreira, Pocilga e Café Torrado, bairros mais próximos à cabeceira do rio Capivari, que transbordou em função das fortes chuvas da madrugada de quinta-feira. Duas pessoas ainda estão desaparecidas na região, entre elas um funcionário Companhia Estadual de Águas e Esgotos (Cedae), chamado de Eneas Paes Leme. A outra vítima era morador de Duque de Caxias. Na região Serrana, as chuvas voltaram com intensidade nessa madrugada, mas não há relatos de destruição. A situação preocupa as autoridades de Defesa Civil. Em função do terreno encharcado pelas chuvas, toda a região está instável e há possibilidade de novos deslizamentos.

Já na Sociedade Veteranos de 32-MMDC, ainda num início de ano onde estamos pensando em grandes feitos para 2013, vejo que um dos projetos seria a realização de um SIMPÓSIO “A FORÇA PÚBLICA PAULISTA & AS REVOLUÇÕES BRASILEIRAS”. A idéia nasceu de conversas estabelecidas em eventos na Academia de Polícia Militar do Barro Branco com o YURI, parente do GENERAL MIGUEL COSTA. Vou solicitar a ajuda de outras pessoas, como é o caso do CORONEL PM LUIZ EDUARDO PESCE DE ARRUDA, atual Diretor de Ensino e Cultura da PMESP, que entende muito da nossa história:
 Caríssimo CORONEL PM ARRUDA
DD Diretor de Ensino e Cultura da PMEP
Em fins de 2012, em conversa informal com YURI, parente do GENERAL MIGUEL COSTA aventou-se a hipótese de realizarmos um Simpósio que, através de palestrantes, fossem esclarecidas as nossas revoluções onde a FORÇA PÚBLICA tomou parte ativa. O escopo principal é entender o por quê de 30 e a contra revolução de 32. Mas o principal disso tudo é reavivar a chama de civismo do povo bandeirante.
Conversei com o Deputado Estadual MAJOR PM OLÍMPIO e ele sugeriu que o simpósio seja realizado na Assembléia Legislativa.
Como tudo isso tem ligação direta com a nossa Polícia Militar e acredito que o tema também é interessante para a atual oficialidade ativa, submeto à sua apreciação a idéia do I SIMPÓSIO "A FORÇA PÚBLICA PAULISTA & AS REVOLUÇÕES BRASILEIRAS".
Aceitarei de bom grado a crítica do nobre companheiro e da viabilidade ou não de realizarmos o Simpósio. Sempre usei o princípio de cinergia e posso cometer enganos que em vez de ajudar venha a prejudicar o conjunto.  

De: Mario Ventura
Data: 28 de dezembro de 2012 22:33
Assunto: Re: Simpósio
Para: Yuri Abyaza Costa
CARO YURI Vamos sair a campo a partir de 2 de janeiro. O Deputado Estadual MAJOR PM OLÍMPIO já prometera fazer o simpósio na Assembléia Legislativa. Acredito que o mês de fevereiro é o ideal. Mesmo assim falaremos com o CORONEL PM RICO para agilizar o museu militar.
Em 28 de dezembro de 2012 18:58, Yuri Abyaza Costa escreveu:
Prezado Coronel Ventura.
Também acho que os palestrantes são suficientes para esse primeiro evento. Acho um pouco difícil que eles se habilitem para uma reunião prévia, todos são muito ocupados e práticos, é chegar, palestrar, ouvir o colega e ir embora. Acredito que agora que temos as confirmações, precisamos verificar o lugar mais adequado, se não puder ser na Sede da Sociedade MMDC-32, poderia ser no auditório do Museu, o que seria até melhor, já que as peças estão lá mesmo. A segunda coisa é criar o certificado para eles. Uma pasta com foto de capa, que estampe o título também e suporte o cronograma do evento. Criar o cronograma, verificar o som e o telão, elaborar os convites, convidar as pessoas, criar um cardápio para o final do evento, verificar os horários e o tempo de cada palestrante e outras coisas. Após isso, os convites já podem ser enviados, o que acha?AbçsYuri

Em 27 de dezembro de 2012 19:30, Mario Ventura escreveu:
ESTIMADO YURI Acredito que os palestrantes citados irão dar conta do simpósio planejado. Minha idéia é reunir todos num dia previamente combinado para conversarmos, informalmente, do que estamos idealizando. Será que janeiro daria para fazer essa reunião? Precisamos criar um banco de dados de todos nós para o livre acesso de nossas comunicações. PoderÍamos trocar muitas ideias pela internet. Por exemplo, que dia seria melhor para nossa reunião, uma vez que estamos num período deférias. O mês de janeiro seria adequado para essa prévia reunião ou deixaríamos para fevereiro? Você cuidaria de fazer os contatos para chegarmos a um consenso?No meu caso não me importo quanto ao dia e a hora e coloco a Sociedade Veteranos de 32-MMDC para isso. Poderia também ser outro lugar. 

Em 27 de dezembro de 2012 12:06, Yuri Abyaza Costa escreveu:
Prezado Coronel Ventura.
Temos mais uma confirmação, que é a do prof. Dr. Guilherme Bravo, o tema dele será 1930.
Então até o momento estamos assim:
1) Cel PM George H. Alves. (1924)2) Yuri Abyaza Costa (As Colunas Paulistas e Gaucha) 3) Prof. Guilherme Bravo (1930)4) Aqui falta alguém para falar de 1931) Cel PM Mario Ventura (1932)6) Prof [não lembro o nome dele agora) (ANL)7) Prof Marly Viana (1935)8) Prof Paulo Cunha (GMC)
Ainda não confirmei com o Cel PM Álvaro G. Dos Santos, para falar sobre a importância da preservação do patrimônio material e imaterial.
Depois falaremos com o Cel Pm Ricco para ver a possibilidade de incrementar o evento.
O Sr. Acha que é necessário mais palestrantes?
Agora é ajustar a etapa final: data, local, certificado, algum brinde para os palestrantes, data-show, chefe do cerimonial, cronograma, divulgação, convite e mais algumas outras coisas e já deixar divulgado a semana GRANDES VULTOS DA FORÇA PÚBLICA PAULISTA. O que acha?
AbraçosYuri

Em 26 de dezembro de 2012 14:50, Mario Ventura escreveu:
CARO YURI VAMOS FALAR COM O CORONEL RICCO JÁ NO COMEÇO DE 2013.BOAS ENTRADAS!!!

Em 26 de dezembro de 2012 13:44, Yuri Abyaza Costa escreveu:
Prezado Coronel Ventura.
Temos mais uma confirmação para o Simpósio. É a do professor Dr Paulo Cunha (UNESP) que pretende falar sobre Miguel Costa. Fiz mais dois convites a dois professores doutores, aguardo ainda a resposta deles.
Pensei no seguinte: como o senhor tem amizade com o Cel. Ricco (Diretor do Museu de Polícia Militar) pensei que poderia sugerir a ele, a viabilidade de expor algumas peças da Força Pública durante o Simpósio, com certeza incrementaria o evento e ajudaria a divulgar mais o nome do Museu e fortaleceria as palestras, pois as peças ilustrariam os argumentos. O que acha da ideia?
Reforço os votos de boas festas e feliz 2013.AbraçosYuri
Yuri Abyaza Costa @yuriabyazacosta
meus telefones: 55 11 99872-3808 - 98399-6707
"conhecereis a verdade e a verdade vos libertará" J 8:32

Recebo a visita do CORONEL PM ROGÉRIO BERNARDES DUARTE, atual Comandante da ESCOLA SUPERIOR DE BOMBEIROS. Está sendo cogitada a criação de uma Associação dos Bombeiros e o DUARTE solicita o uso do endereço da Sociedade para o estabelecimento provisório da sede dessa Associação. Os bombeiros são nossos vizinhos e muito já ajudaram a Sociedade em tempos passados. Não vejo dificuldade alguma nessa parceria. O TENENTE PM ROGÉRIO manda colocar na Sociedade uma fechadura automática, a fim de facilitar a vida da MARINEI, no atendimento do público. AMADO RÚBIO passa pelo MMDC. Conversamos sobre alguns convites que recebemos hoje: Inauguração da Sala HERBERT LEVY, no dia 12 de janeiro, às 15 horas, em SÃO JOÃO DA BOA VISTA e sobre a passagem de comando do 2º  GRUPO DE ARTILHARIA ANTIAÉREA – GRUPO JOSÉ BONIFÁCIO E FERNANDO DE NORONHA, também conhecido como a FORTALEZA DE ITAIPU. O CORONEL GILSON PASSOS DE OLIVEIRA passará o Comando para o TENENTE-CORONEL MÁRCIO ROBERTO BEZERRA MORGADO. Conhecemos a FORTALEZA DE ITAIPU, onde nosso querido GINO STRUFFALDI, na época da revolução de 32, era CABO TELEGRAFISTA. Ele sempre falava sobre os seus trabalhos em ITAIPU e a importância da Fortaleza em 1932. GINO foi homenageado nesse quartel algumas vezes. Lá estive em companhia dele e do CORONEL PM ANTÔNIO CARLOS MENDES. Essa passagem de comando está marcada para o dia 18 de janeiro, às 10:30 horas.
Almoço na Associação dos Oficiais Militares do Estado de São Paulo com OLIVEIRA. Ele também passa pela Sociedade e presta ajuda em pequenas coisas que estamos precisando. MARINEI mostra-me algumas mensagens que me diz respeito e sobre elas também recebo um telefonema do SILVIO LUIZ DA ROCHA. Há uma corrente entre os presidentes dos núcleos de correspondência do interior para que eu continue na Presidência da Diretoria Executiva da Sociedade Veteranos de 32-MMDC.
Ilustríssimo Presidente da Sociedade dos Veteranos de 1932,Cel. Mario Fonseca Ventura
-Venho através desta, junto com meus companheiros de núcleos,pedir a vossa permanência neste biênio de 2013/2014,que fique na Sociedade dos Veteranos de 1932 como nosso presidente para que possamos dar continuidade as nossas atividades pois sem vossa pessoa,não saberemos que o futuro nos pode reservar.
Após inúmeras batalhas que acompanhei de sua digníssima pessoa na sociedade,jamais o vi cair diante de qualquer situação difícil,nem sequer reclamar de absolutamente nada. És um verdadeiro guerreiro cuja sua armadura, nos protege e nos faz sentir mais motivados a seguir a luta pela memória daqueles que lutaram e tombaram pelos ideais de 1932.
Como podermos seguir a luta sem vossa liderança? Como poderemos lidar com um futuro de desprezos aos nosso heróis sem vossa experiência?
Pergunto-vos, pois não acredito que haja ninguém com esta capacidade no momento,quiçás em um outro tempo vindouro,onde muitos verão que belo exemplo deixaste,quando a vossa hora chegar,como chegará para todos.
Não nos deixe Presidente
Não nos abandone
Ficai e lutai conosco, nobre comandante da memória dos heróis que tombaram em 32
Vós sois forte e sob a proteção do Criador, ficarás mais tempo que possas imaginar
Pois também és um herói, não só de nós deste mundo, mas daqueles que estão vendo vosso valoroso trabalho e que nos esperam um dia na pátria eterna
"Sustentai o fogo Cel. Ventura, pois a vitória é nossa"!!!!
PS: Uma última coisa; estou lhe devendo para o 9 de julho de 2013,o desfile das comunidades estrangeiras. Este é seu sonho de muitos e muitos anos....então por favor,deixe eu ajudar a realizá-lo, conforme sempre foi sua vontade.
Silvio Luiz da Rocha
São Paulo,4 de janeiro de 2013.

De: Vitor Bazzo <bazzovj@hotmail.com>
Para: "e.jtisiani@ig.com.br" <e.jtisiani@ig.com.br>; "biajone@yahoo.com" <biajone@yahoo.com>; "erj@merconet.com.br" <erj@merconet.com.br>; "guilherme.slash@hotmail.com" <guilherme.slash@hotmail.com>; "nmsmenezes@hotmail.com" <nmsmenezes@hotmail.com>; "jrdias@weydias.com.br" <jrdias@weydias.com.br>; Carlos Henrique Rovina <charlie_rovs@hotmail.com>; Maria Helena De Toledo S. Melo <malusim53@yahoo.com.br>; "jf.aguiar@uol.com.br" <jf.aguiar@uol.com.br>; "e.berardoknives@gmail.com" <e.berardoknives@gmail.com>; "silviozuin@yahoo.com.br" <silviozuin@yahoo.com.br>; gisele.domingues18@gmail.com; atprado@uol.com.br
Enviadas: Quinta-feira, 3 de Janeiro de 2013 21:01
Assunto: RE: Pedido para a permanência do Presidente Cel VENTURA na Presidência da Sociedade Veteranos de 32-MMDC - respeitosamente faz.
PREZADO EGYDIO,
QUANDO ESTIVEMOS REUNIDOS EM SÃO PAULO, NO PRIMEIRO ENCONTRO DA VITÓRIA, QUESTIONAMOS O CEL. VENTURA, EU E OUTROS PRESIDENTES DE NCS, SOBRE A POSSIBILIDADE DELE PERMANECER A FRENTE DA SOCIEDADE MMDC NESTE PRÓXIMO ANO E ELE NOS RESPONDEU QUE AGUARDARÁ ATÉ O MÊS DE ABRIL, QUANDO ANALISARÁ A SITUAÇÃO E TOMARÁ UM POSICIONAMENTO.
EMBORA CONFIE PLENAMENTE NO CEL. VENTURA E SAIBA DE SEU AMOR PELA CAUSA E PELA NOSSA SOCIEDADE MMDC, CREIO SER BASTANTE INTERESSANTE COMPARTILHAR SUA IDÉIA DE ENVIARMOS TODOS, MENSAGENS SOLICITANDO SUA PERMANÊNCIA NA PRESIDÊNCIA DA SOCIEDADE MMDC.
DIGO ISSO PORQUE, RECEIO TERMOS ALGUÉM NA PRESIDÊNCIA, QUE NÃO COMPACTUE COM A IDÉIA DOS NÚCLEOS DE CORRESPONDÊNCIA, O QUE PODERÁ DIFICULTAR EM MUITO, NOSSA LUTA PELA MEMÓRIA DA REVOLUÇÃO DE 1932.
DIANTE DO EXPOSTO, PEÇO A TODOS OS PRESIDENTE DE NCS, QUE A EXEMPLO DO COMPANHEIRO E ESTIMADO EGYDIO, FAÇAMOS NOSSOS PEDIDOS AO CEL. VENTURA, QUE PERMANEÇA NOS CONDUZINDO EM NOSSA LUTA.
ATENCIOSAMENTE,
VITOR JOSÉ BAZZO
1º TEN DENT PM
PRESIDENTE NC PRES. PRUDENTE
São os meus votos, e tenho a absoluta certeza, para que todos estejam bem, principalmente, de saúde e passada as festas de final de 2012 retornamos ao nosso trabalho de excelente gerenciamento dos Núcleos e divulgação do Movimento Constitucionalista.
Não sei se os companheiros estão cientes, mas houveram neste final de ano fortes rumores que o digníssimo Presidente da nossa Sociedade Sr. Cel VENTURA objetiva nem concorrer para sua reeleição em abril/2013 e, baseado nisto, entrei em contato com o mesmo para saber da verdade conforme conteúdo transcrito nas mensagens abaixo.
Realmente, por motivo relacionado ao amparo familiar ele tinha este intuito, mas, visto que sua abdicação será prejudicial não só a Sociedade como um todo, mas, especificamente aos NCs pela sua competência, apoio e amor ao que faz, conforme nos diz o próprio Presidente é "a sua menina dos olhos", resolvi redigir um e-mail datado de 18Dez12 pedindo-lhe para que permaneça entre nós e enviei-lhe sendo que surtiu resultado e me parece que contaremos com o mesmo também no biênio 2013/2014.
Disto exposto, peço-lhes, respeitosamente, se possível, para que cada um dos irmãos elabore seu pedido junto ao emérito Presidente solicitando a sua indispensável permanência, apesar dos problemas de ordem familiar, o que o conhecendo irá sensibilizá-lo sobre maneira e teremos a certeza de continuarmos a marchar ombro a ombro.
Não há necessidade da confecção de um texto tão longo quanto o elaborei, nem citação do meu nome ou pedido neste assunto, cada qual poderá escrevê-lo à sua maneira, natural, mas o importante é o significado da mensagem para que FIQUE CONOSCO.  
Em 2013, como já avisado pelo nosso amicíssimo e leal Prof. BIAJONE será um ano marcante no progresso do desenvolvimento maior dos 16 NCs e a efetiva divulgação e perpetuação da EPOPEIA BANDEIRANTE.
Aceitem todos o meu mais efusivo e respeitoso abraço.
Egydio (Conselheiro NC MMDC de PIRACICABA)


CARÍSSIMO EGYDIO
Aguardo 2013 com esperança que a Sociedade crescerá muito, principalmente tendo uma equipe tão séria e compenetrada à testa dos núcleos do Interior, hoje a "menina dos olhos" do presidente.
Vou pensar seriamente nas amáveis palavras que você me dirigiu, mas o ponto principal da questão é a família, que se sente desamparada com o meu esforço para com o MMDC.  
CORONEL PM MARIO FONSECA VENTURA
PRESIDENTE DA SOCIEDADE VETERANOS DE 32-MMDC

Rua Anita Garibaldi, 25 - Centro - SP
Fone: 3105 8541
Em 18 de dezembro de 2012 17:14, EGYDIO JOAO TISIANI <e.jtisiani@ig.com.br> escreveu:
Caríssimo amigo, Comandante e DD. Presidente da Sociedade dos Veteranos de 32-MMDC Sr. Cel PM VENTURA
Parece que foi ontem mesmo que recebi o gentil convite do emérito Prof. BIAJONE para empreitada da fundação de um Núcleo MMDC em Piracicaba, confesso-lhe que não acreditei no sucesso, iniciei-a meio timidamente me dirigindo a um dos jornais local para fazer o comunicado da sua criação e, num curto espaço de tempo, com muita dedicação levando o trabalho muito a sério, veja em que se transformou nosso profícuo Núcleo: Uma divulgação ampla em todo município em que 1 em cada 3 habitantes (população já passou dos 400.000) têm conhecimento sobre nossa representatividade e o básico da verdadeira história da Revolução Constitucionalista, algo jamais imaginável por muitos antes de 22/10/2011 data da fundação do Núcleo de Correspondência Voluntários Paulistas de Piracicaba - o NCVPP. 
Ontem, sozinho nesta missão, ora cercado por amigos e membros competentes como o atual Presidente jornalista EDSON RONTANI JUNIOR, a Vice-Presidente historiadora e acadêmica de Pedagogia ANNA THEREZA PRADO DE ALMEIDA CARVALHO e o 2º Ten QOPM ANDRÉ MANOEL DA SILVA, com os ferrenhos colaboradores diretora do Museu H.P. Prudente de Moraes MARIA ANTONIETA SACHS MENDES e sua equipe, presidente da Câmara dos Vereadores JOÃO MANOEL DOS SANTOS e sua prestativa assessora GLÁUCIA MOTTA, Secretária da Ação Cultural ROSÂNGELA CAMOLESI, Salão do Humor de Piracicaba, os jornais A TRIBUNA PIRACICABANA, GAZETA DE PIRACICABA e o JORNAL DO POVO (JP), além da minha família (esposa, filho, filha, neto e genro) que antes nada sabia sobre a Guerra Paulista hoje com relativo conhecimento e me auxilia nesta obra, entre outros. 
É, na verdade, uma grande conquista para todos nós cuja meta principal é cultuar e DIVULGAR os feitos dos nossos heróis constitucionalistas na vitoriosa, no campo político (Constituição), Revolução de 32. 
Realmente, durante a administração de V.Sª, nossa Sociedade evoluiu 20 anos em 1 ano e meio (tempo sob seu comando) e houvemos, neste período, 16 Núcleos representativos e atuantes; quanto à sua meta de até final de 2013 atingirmos o número de 50 Núcleos, talvez, seja meio difícil porém não impossível, acredito que chegaremos na faixa dos 30, mas vamos trabalhar muito para o intento, porém, prezado Comandante, é absolutamente necessária a sua permanência na presidência com a vindoura eleições de 2013 na Sociedade, pois, mesmo havendo em nosso meio outras pessoas capazes em sua boa condução JAMAIS, acredito eu, que haveremos alguém tão competente, amigo, dedicado, leal e com a presteza, feeling e carisma quanto V.Sª.
Por favor, em nome de todos os Núcleos Interioranos, peço-lhe respeitosamente para que permaneça conosco nesta sagrada UNIÃO para que continuemos a superar todos os obstáculos que se apresentem.
Muito obrigado por tudo que de maravilhoso realizou e vem realizando para a perpetuação da Epopéia Paulista de 32 e receba meu enorme, respeitoso e carinhoso abraço.
Egydio (Conselheiro do NC Voluntários de Piracicaba)
Eduardo Berardo
15:57 (1 hora atrás)

para Charlie, Tenente, Egydio, JBiajone, Edson, Guilherme, Neusa, jrdias, Maria, João, gisele.domingu., atprado, Silvio, mim
Caro Coronel e nosso Comandante Ventura, diante da possibilidade de vossa saída da torre de comando da Nossa Querida Sociedade de Veteranos de 32 MMDC, bem como da reação de todos os meus colegas Presidentes e Vice-Presidentes de Núcleos de Correspondência, fui forçado a me recordar situação similar, a qual certamente Vossa Senhoria conhece melhor que eu, a qual a presente ocasião me concede o direito de referenciar.
Durante a campanha brasileira junto aos aliados contra os países do eixo, na terrível Segunda Guerra Mundial, constituiu-se o Primeiro Grupo de Aviação de Caça, o qual hoje bem conhecemos pelo bordão "Senta a Pua!". Naquela ocasião nosso país ainda não tinha enfrentado nenhum conflito armado com aeronaves de combate, o que portanto, não nos dava nenhum aviador com experiência em combate.
A parca experiência de nossos valorosos e bravos voluntários era a de tão somente pilotar aeronaves no Correio Aéreo Nacional, nada parecido com a realidade tenebrosa que enfrentariam.
Mas o valor do Soldado Brasileiro se fez mais uma vez presente, e nossos jovens pilotos foram aos Estados Unidos conhecer as aeronaves com as quais combateriam, bem como para estudar técnicas e táticas de combate.
Nossos Brasileiros surpreenderam a todos, pela bravura, voluntariado e habilidades demonstradas em combate. Cada piloto aliado, conforme acordado, combateria por 25 missões, conquistando depois destas, o direito de voltar aos seus países, seus lares.
Quando nossos bravos combatentes brasileiros completaram as almejadas 25 missões, por vontade própria, reeditando e reconfirmando imensurável senso de voluntariado e de patriotismo, todos, sem excessão, resolveram continuar em combate, uma vez que nosso país não contava com pessoal habilitado para o recompletamento. Ou seja, se eles deixassem o combate, nosso país não contaria com ninguém combatendo a tirania nazista pelos céus da Europa. Assim, todos aqueles bravos aviadores ficaram, sendo que nosso aviador que mais concluiu missões fora o Comandante Alberto, que voou exatas 100 missões.
Não estamos em estado de guerra, mas junto com meus companheiros de Núcleos de Correspondência, como se estivéssemos na posição do povo brasileiro da década de 1940, pedimos a V. Sª. encarecidamente que, calcado nos seus valores de bom Soldado, siga por mais algum tempo na luta, à frente de nossa sociedade. No momento, assim como em 1944, não vislumbramos ninguém com mais capacidade para nos manter firmes nessa luta!
No meio do mês de dezembro, fui convidado pelo Comandante para assumir o Comando da Força Tática do meu Batalhão. Mesmo com meus quase 42 anos e à caminho de meu terceiro filho, aceitei de pronto a missão de dirigir esses valorosos homens no combate cada vez mais duro e perigoso à criminalidade. Como poderia eu me furtar dessa missão???
Desta forma, rogo-lhe que atenda a nosso clamor e siga no Comando de nosso MMDC. Não nos deixe nesta luta sem o seu direcionamento.
Atenciosamente,
Cap Berardo
"VERÁS QUE UM FILHO TEU NÃO FOGE À LUTA!"
Em 4 de janeiro de 2013 22:10, Charlie Rovs <charlie_rovs@hotmail.com> escreveu:
Caríssimo irmão em armas Egydio,
Espero que esta mensagem encontre-o bem de saúde e de espírito desejando votos de um ano novo repleto de realizações e sucesso.
Vossa idéia é extremamente pertinente e importante. A presença do Coronel Ventura à frente da Sociedade foi de extrema importância, especialmente para nossos Núcleos de Correspondência, e acredito que a meta traçada (50 Núcleos) seja bastante apertada mas precisamente plausível.
Estarei enviando mensagem ao Coronel solicitando a continuidade do trabalho junto a Sociedade e principalmente aos Núcleos de Correspondência.
Um grande abraço
ROVINA
jf.aguiar
17:09

Prezados companheiros 
As palavras do Berardo, Bazzo e dos demais que já se manifestaram são tocantes. A relação com a história do " Senta a Pua" na segunda guerra é muito feliz.
Sou totalmente solidário com vocès para o alcance dessa meta, que o Coronel Ventura continue no manche dessa nossa aeronave que agora efetivamente começa a alçar voo firme e ascendente.
Eu sou novo na sociedade, pouco mais de 6 meses . Nesse período, posto que curto, pude observar algumas características que o qualificam, dentre outras:
1. Seguramente ele está entre os que mais conhecem a verdadeira história da Revolução Constitucionalista de 1932. Além de conhecer ele expõe de forma patriótica inequívoca. 
2. Ele conhece mais do que ninguém a "Sociedade de Veteranos de 32", sua história, e todos os meandros políticos a ela relacionada;
3. Ele talvez seja dentre os expoentes da sociedade aquele que maior trânsito tem com as autoridades militares e civis, inclusive o Governador do Estado e os deputados e vereadores de São Paulo;
4. Ele tem conseguido ao longo dos anos administrá-la em paz, sendo aberto a novas idéias (a sugestão dos NCs por exemplo), sem receio de perda de controle e de autoridade.
5. Sob qualquer tempo ele tem conseguido uma gestão pacífica e equilibrada
6. Contribui para isso um certo tempo de vida mínimo que ele acumulou. Este cargo, a meu ver, requer alguém mais experimentado e calejado.
Esses pontos já seriam suficientes para a ratificação do seu nome, mas ainda acrescento "humildade", uma característica rara entre os brasileiros que tem ocupado postos elevados em cargos civis e militares.
Assim engrosso o movimento a favor da permanência do Coronel até o tempo que permita surgir uma pessoa de igual calibre.
Neste momento a sua saída seria altamente arriscada para os destinos da  sociedade. Muito ainda há a ser feito em termos de consolidação das suas estruturas e essas medidas só podem ser tomadas por alguém que possa gozar de aceitação geral e de forma irrestrita
Meu voto nesta assembléia de Abril já está dado e sem volta, a favor do Coronel Mário Ventura.
Sem mais, renovo votos de saudações a todos
João Francisco de Aguiar, prof.
Filho de combatente em 1932, com muita honra.
Nucleo de Correspondência de São Pedro ( Presidente)
11 - 95456261 

Já em casa, LUCINDA comunica-me que nosso vizinho REGINALDO, recentemente operado de diverticulite, teve uma complicação hospitalar, pegando uma pneumonia. Encontra-se na UTI e isso cria preocupaçoes sérias na família de dona EMÍLIA e senhor FRANCISCO. Recebo pela Internet outras mensagens:

CARISSIMO CEL VENTURA
As palavras de EGYDIO são as minhas palavras e também da de todos os nossos demais presidentes de NC. Vossa presença à testa de nosso grupamento é IMPRESCINDIVEL. 
Nós iremos colocar uma PLACA dentro da ASSEMBLEIA LEGISLATIVA DE SÃO PAULO em agradecimento à concessão de quase 60 anos que eles fazem aos nossos veteranos da medalha da CONSTITUIÇÃO e o senhor estará lÀ e será o nosso PRESIDENTE.
Iremos ainda colocar placas na USP e tantas outras coisas acontecerão. Precisamos do senhor e o senhor sabe disso.
Enorme abraço e no contato
BIAJONE
New York

Caríssimo Comandante,
espero que esta mensagem o encontre bem de saúde, com paz de espírito e que esses desejos se estendam a toda a família.
Venho respeitosamente motivado pela leitura de vosso Blog, quase que diária, atrelado ao fato de estar preocupado com a situação enfrentada pelo Senhor a frente da Sociedade, sacrificando com isso por muitas ocasiões o convívio familiar em prol de um movimento belo e necessário.
Entendo os motivos que estão levando o Senhor a passar o bastão a outra pessoa que se atreva a desempenhar tão bem as funções na presidência quanto o Senhor nos últimos anos.
O Senhor tem uma meta importante que é a criação dos 50 Núcleos de Correspondência, que acredito que foram um avanço astronômico, principalmente no interior do Estado, e até fora dele, de modo que a Sociedade se tornou foco de conversas, de interesse da comunidade de uma forma geral.
Ao mesmo tempo que a presença de Vossa Senhoria se faz necessária à frente nos liderando, e nos conduzindo com primazia, entendo que os percalços encontrados aliados ao fato da abnegação tornam sempre um pouco mais difícil a tarefa. Mas tenha certeza Comandante que o Senhor tem, não somente em mim, mas peço aqui a permissão para dizer em nome dos Presidentes de Núcleos de Correspondência, EM NÓS parceiros nesta tão valorosa Jornada.
Conte sempre conosco. A missão é árdua, sim, mas os maiores desafios são destinados somente aos melhores combatentes.
CARLOS HENRIQUE LORENÇO ROVINA
9º NC - TENENTE DARIO GUARITA
Mario Ventura
22:55

para Charlie
ESTIMADO ROVINA
Acredito mais que conseguimos fazer amigos ao longo da jornada e isso é o principal, que nós nos entendamos. Desde tenente aprendi a comungar esforços com todos, principalmente nos meus quase dez anos de choque. Isso porque, nessa área, precisamos com ansiedade de uns dos outros, pois senão as missões não saem. Acredito que unido ao que aprendemos no "NINHO DAS ÁGUIAS" muito nos auxilia nessa filosofia. Quando vim para a Sociedade consegui trazer tenentes que hoje ocupam postos principais na Corporação. E tenho feito isso na constância do meu trabalho. Uma das lutas mais árduas, começada em 1998, foi a criação do núcleo CADETE RUYTEMBERG ROCHA, na APMBB. Foram realizadas muitas palestras, muitas investidas nesse sentido, até que criamos o núcleo em 3 de abril de 2009. Todos os núcleos são importantíssimos, mas a amizade demonstrada nos 16 núcleos de correspondência foi algo que até me surpreendeu. Em cada lugar em que vamos há demonstrações de carinho e de uma amizade sadia.
Quanto ao processo sucessório é uma exigência estatutária e todos os associados poderão se manifestar no sentido de se candidatarem aos cargos de presidente da Diretoria Executiva e do Conselho Fiscal. Somente há uma ressalva quanto ao Conselho Deliberativo (somente podem concorrer os conselheiros). Não haverá quebra de continuidade em hipótese alguma.
Acredito que as pessoas que pretendam se candidatar deverão ter em mente a continuação dos princípios estabelecidos pelos presidentes anteriores. Esse processo será deslanchado em abril próximo, mas a passagem dos cargos é realizada em 7 de julho. Até lá estarei à frente da Sociedade e aquilatarei o potencial de cada candidato, sabendo que a Sociedade somente se fortificará dentro da união estabelecida por todos nós. As mensagens que estou recebendo somente me gratificam pelo esforço que tenho feito desde maio de 1996, quando vim para a Sociedade com o intuito de colaborar, voluntariamente, pelos princípios de civismo, ideais divinos dos nossos  heróis de um movimento inusitado, que demonstrou ao mundo o que um país pode fazer em busca da democracia.

Prezado Coronel
Demorei um pouco, mas queria confirmar o nosso firme interesse de realizar em maio de 2013 uma cerimônia de entrega de algumas medalhas MMDC em SPedro para as autoridades chaves para os interesses da Sociedade dos Veteranos de 32 - MMDC.
Preciso cravar uma data em sua agenda e ofereço a principio os 4 sábados exceto dia 18 de maio
Precisamos fechar uma destas datas com a secretaria do novo prefeito Sr. Helio Zanata  ( 04/05/12 ou 11/05/2012 ou 25/05/2012).
Na semana que vem estarei reunindo-me com minhas vice-presidentes (uma delas coordenadora da pasta da Educação e cultura da prefeitura e esposa de vereador eleito do partido do novo prefeito Sr. Helio Zanata).
Caso o senhor possa dar -me dois sábados melhor senão fixe um sábado pelo menos
Sem mais atenciosamente
Renovo votos de elevada estima e consideração
João Francisco de Aguiar, prof. 11 - 95456261 

Mario Ventura
4 de janeiro de 2013 23:23
Para: "jf.aguiar"
ESTIMADO AGUIAR
Vamos fixar a data de 11 de maio para a realização do DIA DA JUVENTUDE (morte de MARTINS, MIRAGAIA, DRÁUZIO e CAMARGO) em SÃO PEDRO. A relação das pessoas que receberão as medalhas, bem como os respectivos currículos deverão dar entrada na Sociedade até 11 de abril, portanto (um mês de antecedência). Se a listagem chegar antes, melhor ainda, pois teremos tempo de trabalhar na confecção de diplomas e a colheita das assinaturas necessárias. Apenas quero fixar com você também que, organizada a lista e encaminhada para a Sociedade não sofra alterações. Isso desgasta sobremaneira as nossas atividades que para 2013 serão muitas. Outros esclarecimentos, como preço da medalha, onde e como adquirir, solicito entrar em contato direto com a MARINEI, que está recebendo por cópia essa resposta ao nobre amigo.
Como é de costume, os clubes grandes da capital estrearam com vitórias tranqüilas na COPA SÃO PAULO DE FUTEBOL JÚNIOR. SANTOS e SÃO PAULO entraram hoje em campo pela primeira vez na edição deste ano e não tiveram dificuldades para triunfar. O PEIXE conquistou uma ótima vitória, mas ficou um gostinho de que o placar poderia ter sido mais elástico. A equipe encarou o REMO, em JAGUARIÚNA, e ganhou o jogo por 3 a 0. Já o SÃO PAULO ganhou por vantagem ainda maior. Goleou o UNIÃO RONDONÓPOLIS, do MATO GROSSO, por 5 a 0, em SÃO CARLOS.

O governador de SÃO PAULO, GERALDO ALCKMIN, afirmou hoje que a Polícia Militar poderá atuar nas internações à força de viciados em crack em SÃO PAULO. “Pode não ser necessário, pode ser necessário. Ninguém quer agredir ninguém, ninguém quer violentar ninguém”, disse. A internação compulsória foi anunciada ontem, quinta-feira, dia 3. As ações serão coordenadas por uma comissão antidrogas formada por promotores, juízes e advogados. Um plantão será criado no CRATOD (Centro de Referência de Álcool, Tabaco e Outras Drogas) para atender a casos emergenciais. De acordo com ALCKMIN, a internação compulsória será usada nos casos mais graves. “Quando a pessoa está correndo risco de vida, extremamente debilitada e com dificuldades de tomar decisões”, argumentou. Após receber o primeiro atendimento, o dependente químico será avaliado por médicos que vão oferecer o tratamento adequado. Caso o usuário não queira ser internado, o juiz poderá determinar a internação imediata, desde que os médicos atestem que a pessoa não tem domínio sobre sua saúde e condição física. A medida deverá ser implantada na CRACOLÂNDIA nos próximos dias, após um evento para oficializá-la.

A primeira falha do ano em uma linha da CPTM, a 9 – ESMERALDA, na manhã desta sexta-feira, foi definida pelo governador GERALDO ALCKMIN como sabotagem. A LINHA 9 parou às 4:20 horas, quando o primeiro trem do dia, que seguia no sentido GRAJAÚ, na zona sul, enroscou o pantógrafo na rede de energia, próximo à Estação MORUMBI. A linha liga o GRAJAÚ a OSASCO, GRANDE SÃO PAULO, e transporta 300 mil passageiros todos os dias. “A Linha 9 foi revitalizada, os trens são novos. Isso aqui é sabotagem, é vandalismo e sabotagem. Já foi comunicado à polícia”, disse ALCKMIN, enquanto exibia à imprensa fotos tiradas durante a manhã na via férrea. Ele mostrou imagens de cabos de vassouras amarrados e jogados no meio do trilho. Os objetos foram jogados por alguém da Ponte do MORUMBI e atingiram o pantógrafo do trem, que é responsável pela alimentação de energia da composição, provocando a pane. ALCKMIN garantiu que não houve falha no sistema.

A Corregedoria da Polícia Militar prendeu hoje seis PMs da Força Tática do 35º Batalhão (ITAQUAQUECETUBA) acusados de matar três jovens abordados na cidade vizinha, POÁ, na GRANDE SÃO PAULO, em 26 de dezembro. Um deles foi encontrado morto no dia seguinte e hoje os outros dois cadáveres carbonizados foram localizados. Os PMs negam ter cometido os crimes. Câmeras de segurança no Terminal Rodoviário de POÁ flagraram os policiais em duas viaturas abordando os três jovens em um CORSA, no dia 26 de dezembro. O carro havia sido roubado no dia anterior. Na seqüência, as imagens mostram os três sendo colocados em uma viatura e um PM assumindo a direção do CORSA. A investigação da Corregedoria começou no dia 29, após a denúncia do pai do primeiro jovem encontrado morto, FERNANDO FERREIRA RIBEIRO, de 17 anos. O corpo foi encontrado em MOGI DAS CRUZES com dois tiros na nuca. Amigos de FERNANDO contaram ao pai dele, o autônomo CELSO RIBEIRO, sobre a abordagem policial que os três haviam sofrido no Terminal de POA. A partir da denúncia, a PM descobriu as imagens do circuito de segurança do terminal e identificou os PMs envolvidos. Hoje, foram encontrados em MOGI DAS CRUZES, os corpos dos outros dois jovens que estavam com FERNANDO, os irmãos THIAGO RODRIGUES ALVES, de 23 anos, e ALAN RODRIGUES ALVES, de 16. THIAGO estava em liberdade condicional e respondia por tráfico de drogas. A família conseguiu reconhecer os irmãos, mas a polícia pediu o teste de DNA para confirmação. Foram presos um TENENTE e um SARGENTO, cada um no comando de uma viatura, e quatro soldados. O oficial tem três ocorrências de resistência seguida de morte desde 2008.
Cinco homens foram assassinados em três municípios da BAIXADA FLUMINENSE, hoje de madrugada. Dois homens foram mortos a tiros em NOVA IGUAÇU. Em JAPERI, policiais encontraram o corpo de GILMAR LINS DOS SANTOS com marcas de espancamento. Em BELFORD ROXO, LELIS DE CASTRO, de 27 anos, foi executado a tiros. Na localidade de ANDRADE ARAUJO, um homem, não identificado, também foi morto a tiros.

Morreu hoje ADRIELLY DOS SANTOS VIEIRA, de 10 anos, atingida na cabeça por bala perdida à 0:15 hora de 25 de dezembro em PIEDADE, no RIO. Ele foi operada apenas oito horas depois por falta de neurocirurgião no Hospital Municipal SALGADO FILHO. O médico escalado era ADÃO ORLANDO CRESPO GONÇALVES,que afirmou à polícia que tinha avisado o chefe há um mês que não faria mais plantão. ADRIELLY foi transferida para o Hospital Municipal SOUZA AGUIAR. No dia 30 de dezembro, ela teve morte cerebral, mas o coração só parou hoje.

Natural de PIRASSUNUNGA, o padre JOSÉ ROBERTO BERTASI, 64 anos, foi ordenado sacerdote em 1975. Por cinco anos, atuou como diretor de seminário na cidade. Em 1980, foi enviado a ITAJUBÁ, MINAS GERAIS, com a missão de reabrir o seminário menor que havia funcionado no Instituto PADRE NICOLAU. Lá, permaneceu até 1985. Naquela época, além de celebrar missas na capela do seminário, atendia as igrejas de NOSSA SENHORA APARECIDA e do bairro de PIEDADE. Em seguida, foi nomeado diretor do seminário maior de teologia, da VILA FORMOSA, em SÃO PAULO. Após curso de reciclagem teológica, no RIO DE JANEIRO, assumiu como mestre de noviços em ITAPETININGA. Também chegou a ser nomeado para a Paróquia SÃO JOSÉ, em CAMPINAS, e como diretor do 1º ano do curso de filosofia. Ele retornou para VILA FORMOSA como pároco e reitor do Santuário de NOSSA SENHORA DO SAGRADO CORAÇÃO, permanecendo por oito anos. No início de 2005, foi transferido para o santuário diocesano de NOSSA SENHORA APARECIDA DO SUL, em ITAPETININGA. Em 2011, foi nomeado para atuar na comunidade de NOSSA SENHORA DA AGONIA, em ITAJUBÁ. “O padre não é aquele que caminha à frente nem atrás do povok mas o que caminha com o povo, respeitando as tradições, a fé, a devoção e a religiosidade populares. Se não fazemos isso, vamos atropelando, machucando, ferindo as pessoas.” PADRE BERTASI faleceu hoje, dia 4 de janeiro, vítima de câncer no pulmão. O BOMPAR (Centro Social Nossa Senhora do Bom Parto) divulgou nota de pesar. “Com muita tristeza comunicamos o falecimento do querido padre JOSÉ ROBERTO BERTASI, missionário do SAGRADO CORAÇÃO, que deu sua vida pela missão. Rezemos por ele, pela família e pela nossa Província dos Missionários do Sagrado Coração. BERTASI colaborou significativamente para a concretização do atendimento da Creche MENINO DEUS. Nossa vida a um sopro se assemelha. Entristecemo-nos com sua ausência, mas nossa certeza na ressurreição nos leva a crer que permanecemos misteriosamente unidos, em um só coração, em uma só alma.”

O presidente da VENEZUELA, HUGO CHÁVEZ, ainda está sofrendo de insuficiência respiratória como conseqüência de uma severa infecção pulmonar, enquanto luta para se recuperar de uma cirurgia de câncer realizada em 11 de dezembro, disse o ministro da Informação e Comunicação, ENERNESTO VILLEGAS. “Após a delicada cirurgia do dia 11 de dezembro, o comandante CHÁVEZ enfrentou complicações como resultado de uma severa infecção pulmonar”.

Pelo menos nove pessoas morreram e outras nove ficaram feridas após um tiroteio iniciado por um homem na província de CAVITE, uma cidade 16 quilômetros ao sul da capital MANILA, na região central das FILIPINAS. Duas meninas, de 3 e 7 anos, e uma grávida estão entre os mortos. O governador da província de CAVITE, JONVIC REMULLA, disse que o homem foi identificado como RONALD BAE, de 30 anos. Autoridades locais confirmaram que o responsável pelo tiroteio se encontra entre as vítimas fatais após ser baleado pela polícia. Está sendo procurado um homem que ajudou BAE a carregar seu revólver, identificado com o nome de JOHN PAUL. BAE estava bebendo cerveja em CAVITE, ontem à noite, e abriu fogo de maneira indiscriminada contra seus vizinhos, sem motivo aparente, segundo apontaram as autoridades Filipinas à emissora de rádio DzMM. Ele estava armado com uma pistola de calibre 45. O governador da província afirmou que BAE é um conhecido vendedor de drogas e consumidor de metanfetamina. Depois do incidente, ele pediu à polícia nacional que duplique os esforços na luta contra a posse ilegal de armas de fogo, segundo ABIGAL VALTE, porta-voz do presidente BENIGNO AQUINO.

A jovem paquistanesa MALALA YOUSAFZAL, ferida pelos talebans, recebeu alta do Hospital QUEEN ELIZABETH, em BIRMINGHAM, no centro da GRÃ-BRETANHA, onde estava internada desde meados de outubro. MALALA, de 15 anos, foi ferida por defender a educação para mulheres. A jovem precisará ser submetida a uma cirurgia de reconstrução do crânio nas próximas semanas.      

A FATAH – facção do presidente da Autoridade Palestina, MAHMOUD ABBAS – reuniu hoje centenas de milhares de militantes na CIDADE DE GAZA, em uma inédita demonstração de força desde que o rival islâmico, HAMAS, assumiu o controle do território, há quase seis anos. O ato celebrou o aniversário de 64 anos da criação do grupo por YASSER ARAFAT. As duas facções palestinas travaram uma breve guerra civil em 2007 e a cúpula da FATAH foi expulsa à bala da FAIXA DE GAZA. Apesar dos esforços em busca da reconciliação, os lados foram incapazes de forjar um novo governo de união nacional. Há cinco anos, a AP governa a CISJORDÂNIA e o HAMAS, GAZA. No mês passado, o grupo islâmico realizou uma manifestação na CISJORDÂNEA – o ato, porém, reuniu um número bem menor de palestinos. Para analistas, a ofensiva israelense contra GAZA, em novembro, acabou por aproximar os rivais palestinos. A manifestação de hoje tingiu as ruas do isolado território palestino de amarelo, a cor da FATAH. Um mar de bandeiras e cartazes tomou uma das praças centrais de GAZA. Os discursos, porém, foram marcados por um tom conciliador e o próprio ABBAS, falando da CISJORDÂNIA, previu que as duas facções em um futuro próximo chegarão a um acordo. Na prática, os dois lados não se entendem sobre como o poder seria dividido, quem controlaria as forças de segurança nem quais seriam os integrantes do gabinete palestino.       

2 014     :      - SÁBADO
EXCELENTE SITUAÇAO!!! FILIPENSES: 1:3-14... …as coisas que me aconteceram têm, antes, contribuído para o progresso do evangelho. —Filipenses 1:12...Gênesis 10–12Mateus 4 ...Na Primeira Batalha do Marne, durante a Primeira Guerra Mundial, o tenente-general francês Ferdinand Foch enviou o seguinte comunicado: “Meu centro está desistindo, minha direita está em retirada. Excelente situação. Estou atacando.” Sua disposição de ver esperança numa situação difícil eventualmente levou suas tropas à vitória...Algumas vezes, nas batalhas da vida, podemos sentir como se estivéssemos perdendo em todas as frentes. A família em desacordo, os negócios em retrocesso, as finanças em calamidade ou a saúde em declínio pode acrescentar um viés pessimista ao modo como vemos a vida. Mas aquele que crê em Cristo pode sempre encontrar um modo para concluir: “Excelente situação”...Veja Paulo. Quando ele foi jogado na prisão por anunciar o evangelho, sua atitude foi surpreendentemente otimista. Ele escreveu à igreja de Filipo: “Quero ainda, irmãos, cientificar-vos de que as coisas que me aconteceram têm, antes, contribuído para o progresso do evangelho” (Filipenses 1:12)...Paulo encarou o seu aprisionamento como uma nova plataforma para evangelizar a guarda do palácio romano. Além disso, outros cristãos foram encorajados pela situação de Paulo a compartilhar o evangelho com mais ousadia (vv.13-14)...Deus pode usar as nossas provações para que cooperem para o bem, apesar da dor que trazem (Romanos 8:28). Essa é apenas mais uma forma de podermos honrá-lo...As provações podem ser a estrada de Deus para o triunfo...

O mês de janeiro de 2014 apresenta seus primeiros dias com alta temperatura. Isso faz com que sinta meio atordoado, sem ânimo para fazer grandes coisas. Tinha idéia de mexer em algumas partes de minha biblioteca, organizando documentos que seriam transferidos para a HEMEROTECA VENTURA. Mas isso ainda não irei fazer. Atualizo o dia 4 de janeiro e, lendo e-mails recebidos vou transportar um deles para o meu blog:
Publicado em O Estado de S. Paulo [Caderno Metrópole],
segunda-feira, 19 de julho de 2010, p. C6.
1932
Em 1965, eu fazia pesquisa, em Amparo, quando o fazendeiro Jacinto Cintra me convidou para conhecer a fazenda de café de sua família há várias gerações. Como me entretivesse no terreiro, perguntei-lhe se era possível visitar a velha casa. Disse-me que sim, mas ele próprio não entraria. A sala ainda tinha o revestimento de papéis de parede muito antigos. O recinto não era tocado fazia muitíssimos anos. No centro da sala, o piso de madeira carbonizado tinha a marca ampla de uma fogueira. Na Revolução Constitucionalista de 1932, tropas vindas de Minas Gerais invadiram São Paulo e chegaram até Amparo. Ocuparam a fazenda e a residência da família. Sendo inverno, os soldados haviam feito uma fogueira dentro da casa para aquecer-se. A Revolução terminou e os Cintra voltaram à sua fazenda, mas não à sua casa. Em justo e sofrido protesto contra a violação do que, para os antigos, era o lugar sagrado da família, nunca mais haviam entrado nela.
Naquele tempo, os paulistas ainda sentiam no peito o desapreço contra São Paulo, que já se manifestara na Revolução de 1924 quando o presidente Artur Bernardes mandou bombardear a capital, argumentando que, sendo seu estado rico, os paulistas a construiriam de novo. Ali na fazenda dos Cintra a história fora interrompida. Era como se eu estivesse entrando na casa no dia seguinte ao do término da Revolução de 1932, as paredes ainda impregnadas das muitas amarguras da derrota.
Na sequência, fui a Cunha, no Alto Paraíba. Acompanhado de pessoa de família antiga na região, visitei o velho cemitério. Queria conhecer o lugar em que fora sepultado Paulo Virgínio, um caboclo de velha cepa, herói mítico da Revolução de 1932, exumado e transladado para o Mausoléu do Soldado Constitucionalista, no Ibirapuera. Fora cruelmente torturado com água fervente e executado por tropa da Marinha, após cavar a própria sepultura, porque afirmara ser paulista e, mesmo sob tortura, se negara a dizer onde se encontravam os combatentes de São Paulo.
Meu guia contou-me, então, anedota alegórica que corre por aquelas serras sobre outro morador, caipira rústico, alheio a tudo, sem a bravura de Paulo Virgínio. Surpreendido na roça por tropa legalista e perguntado se era legalista ou paulista, declarou-se paulista. Imediatamente, foi ordenado seu fuzilamento. Nesse meio tempo, avançaram os paulistas que, tendo visto o roceiro com a tropa inimiga, quiseram saber se era paulista ou legalista. Escaldado, declarou-se legalista, ouvindo, então, a sentença de que fosse fuzilado. Antes, porém, outro troço de legalistas fez os paulistas recuarem, caindo o caboclo novamente nas mãos de gente contrária. Perguntado se era legalista ou paulista, pensou um pouco e de sopetão dependurou-se num galho da árvore sob a qual se encontrava:
– Iéu?! Iéu sô fruita, ó!
* Professor Emérito da Universidade de São Paulo.
Dentre outros livros, autor de A Sociabilidade do Homem Simples (Contexto, 2008),
Sociologia da Fotografia e da Imagem (Contexto, 2008),
A Aparição do Demônio na Fábrica (Editora 34, 2008),
O Cativeiro da Terra (Contexto, 2010).

Jose de Souza Martins

Caro Coronel Mario Ventura,
Porque pode ser de seu interesse, repasso-lhe o e-mail de Caetano Gramani, que mora em São Carlos, cujo pai lutou na Revolução de 1932. Caetano Gramani pai teria completado 100 anos no ano passado. Tinha 19 anos quando se alistou nas forças da Revolução Constitucionalista. 
Há um episódio bonito na história desse Caetano da Revolução, que era filho de famoso farmacêutico de São Paulo, Gaetano Gramani, imigrante italiano, que está sepultado no Cemitério do Araçá. O velho Gaetano alarmou-se com a falta de notícias do filho alistado na Revolução. Mandou um telegrama para o comando revolucionário em São Paulo, mais ou menos nestes termos:
"Peço notícia sobre meu filho Caetano Gramani, que se alistou na Revolução. Gostaria de saber se está vivo. Se ele morreu na luta, peço informar-me para que eu o substitua na triancheira."
Meu genro, geólogo, é neto do avô da trincheira.
Caetano Gramani: caetano@damazonica.com.br
Cordialmente, José de Souza Martins

Prezado JOSÉ DE SOUZA MARTINS
Lembro ter lido o seu artigo em 2010. Mas achei melhor colocar em meu blog
para conhecimento dos nossos seguidores da Sociedade Veteranos de 32-MMDC e amigos que gostam de participar de minhas memórias.
A nossa luta pela divulgação da EPOPEIA DE 32 foi coroada em 2013 com cerca de 220 eventos. Em 2012 realizamos 140 solenidades e já era um número substancial de cerimônias enaltecendo 32.
Apenas restam 29 veteranos vivos, tendo dona BIANCA MORANDI, em BAURU, como a mais idosa, 105 anos. MARIA DE LOURDES CAPARELLI, em SOCORRO, completou 100 anos e vai rumando em 2014 para os seus 101 anos. Face a essa situação, achamos por bem criar a COFAM, em 9 de julho de 2010, COMISSÃO DOS FAMILIARES DOS HERÓIS DE 32, a fim de continuarmos a saga tão bonita do Movimento Constitucionalista.
Fico feliz em saber que CAETANO GRAMANI, bem como o próprio escritor JOSÉ DE SOUZA MARTINS, cultuam e veneram os nossos heróis.
Coloco a Sociedade Veteranos de 32-MMDC à disposição dos nossos amigos. Estaremos em recesso administrativo até 15 de janeiro, mas depois dessa data aguardo a visita de vocês para trocarmos idéias sobre a nossa luta na preservação dos Ideais de Direito, coisa que a Nação está precisando muito.

No período da tarde, após 14 horas, cai violenta pancada d´água, melhorando um pouco a temperatura deste sábado.
O PALMEIRAS estreou nesta noite com vitória na COPA SÃO PAULO DE FUTEBOL JÚNIOR. O VERDINHO suou, mas bateu o FLUMINENSE DE REIRA, da BAHIA, por 1 a 0. O PALMEIRAS é tido como um dos favoritos à conquista do torneio, o que seria um feito inédito em sua história. A equipe é a atual vice-campeã brasileira sub-20. Quem estreou dando show foi o CRUEIRO. A RAPOSA enfrentou o SÃO JOSÉ-AP e aplicou 8 a 0. O destaque da partida foi o atacante LUCAS KELVIN, autor de três gols.

O médico alemão JOHANNES PELL, que cuidou de MICHAEL SCHUMACHER em 2009, quando o ex-piloto sofreu um acidente de moto, revelou que o alemão convive com o cérebro danificado. Em entrevista ao jornal “BILD, PEIL disse, ainda, que o acidente ocorrido há cinco anos afetou o conjunto de irrigação cerebral de SCHUMI. “A artéria esquerda estava rompida. E só existem duas artérias responsáveis por irrigar o cerebelo (parte do sistema nervoso responsável pelo equilíbrio e pelos movimentos voluntários)”, explicou. SCHUMACHER segue internado após um acidente de esqui e o estado é grave.

O PM ANDRÉ LUÍS CORREA DO CARMO, de 42 anos, teve sua casa roubada por três criminosos nesta manhã, na Rua PRÍNCIPE DAS ASTÚRIAS, em AMERICANÓPOLIS, na zona sul da capital. Um dos suspeitos foi baleado por um desconhecido depois do roubo. O soldado saia de casa quando foi abordado por CLEYTON MAX VICTORIANO DOS REIS, de 25 anos, RAFAEL ALEXANDRE DE SOUZA, de 25, e por um adolescente de 17 anos. Eles estavam armados e obrigaram o policial a entrar na casa.
No local estavam a mulher do agente e a filha do casal. Os bandidos roubaram o carro de ANDRÉ, uma MONTANA SPORT, um celular, 400 dólares e as duas pistolas dele – uma da Polícia Militar e outra particular. O PM ANDRÉ e sua família não ficaram feridos. Após o roubo os suspeitos fugiram e decidiram praticar outro roubo, desta vez na Avenida CUPECÊ. Porém, enquanto tentavam roubar um carro, um desconhecido passou em um carro e atirou contra CLAYTON. Mesmo ferido na perna, ele conseguiu correr e, com a arma do policial na mão, obrigou um motorista de ônibus a deixá-lo entrar no coletivo. O motorista disse à polícia que ele estava sangrando e pediu para entrar no veículo. Em seguida, policiais militares encontraram o suspeito, o prenderam e o encaminharam para o Hospital SABÓIA. A polícia também conseguiu prender os outros dois criminosos. O menor será encaminhado para a FUNDAÇÃO CASA.

Um usuário de drogas matou o irmão com uma facada, em COTIA, na GRANDE SÃO PAULO. O homem, de 37 anos, teria agredido o vizinho, quebrado objetos em casa e saído com uma faca com a intenção de matar a ex-mulher, de quem estava separado há poucas semanas. O irmão mais velho, de 55 anos, tentou impedir a ação e acabou morrendo no meio da rua.

NATÁLIA PONTE, mãe do menino JOAQUIM PONTE MARQUES, de 3 anos, foi presa novamente nesta manhã após a Justiça decretar a prisão preventiva dela e do padrasto do menino, GUILHERME LONGO. NATÁLIA foi presa em SÃO JOAQUIM DA BARRA (SP), cidade onde vivem seus pais, e levada para a Cadeia Feminina de FRANCA, onde permanece detida sozinha em uma cela.

Bandidos incendiaram quatro ônibus e atacaram a tiros uma delegacia em SÃO LUÍS,no MARANHÃO, ontem à noite. Quatro pessoas ficaram feridas, entre elas uma menina de 6 anos que teve 90% do corpo queimado e está internada em estado grave no Hospital Municipal CLEMENTINO MOURA, o SOCORRÃO 2. A mãe e a irmã da criança, que tem 1 ano e 4 meses também sofreram queimaduras pelo corpo, mas não correm risco de morte. Segundo testemunhas, a mãe das crianças implorou para os bandidos não fazerem nada com elas, mas mesmo assim eles jogaram gasolina e atearam fogo. A quarta vítima foi identificada como MARCOS RONY, que está no centro cirúrgico do mesmo hospital, com queimaduras por todo o corpo.
Na noite de sexta-feira, três suspeitos foram presos e, entre a tarde e a noite de hoje, quatro adolescentes, que teriam confessado o crime, foram apreendidos, além de outro adulto, de 27 anos, considerado o coordenador dos ataques.
O primeiro ataque foi no bairro JOÃO PAULO. Quatro homens inteceptaram o veículo, mandaram os passageiros descerem e iniciaram o fogo. Em VILA SARNEY FILHO, três passageiros foram queimados.
As ações ocorreram após uma operação da Tropa de Choque no Complexo Penitenciário de PEDRINHAS. O Secretário de Segurança Pública, ALUÍSIO MENDES, afirmou que o serviço de inteligência descobriu que a ordem para os ataques partiu de detentos do presídio, contrariados com as medidas adotadas após o Conselho Nacional de Justiça apontar irregularidades no complexo penitenciário. A secretaria confirmou a morte de um policial militar reformado na noite de ontem, mas ainda não há indícios de que os crimes estejam relacionados.

SILVANE BORTOLI, de 20 anos, foi morta com uma pancada na cabeça na madrugada de quinta-feira na cidade de SALTINHO, em SANTA CATARINA. Ela estava na casa da irmã e do cunhado, VANDERLEI KOGH, de 26 anos, que foi encontrado com ferimentos de tiro na cabeça. Ele chegou a ser socorrido, mas morreu ontem. Para a polícia, há indícios de crime passional, com homicídio seguido de tentativa de suicídio. A suspeita seria a irmã de SILVANE, de 22 anos, que está hospitalizada em coma. A polícia acredita que ela tenha se intoxicado com uma alta dose de medicamentos. Outras hipóteses para o crime não foram descartadas.

O menino KAUÁ DAVI DE JESUS SANTOS, de 7 anos, que se afogou ao ter o braço sugado pelo ralo de uma piscina em GOIÁS, morreu hoje de madrugada, após três dias internado em BRASÍLIA. Segundo o boletim médico, após várias tentativas de reanimação, a criança teve falência múltipla de órgãos por volta das 5 horas deste sábado. O acidente aconteceu na última quarta-feira, dia 1º de janeiro, no Condomínio RESIDENCIAL PRIVÉ DAS THERMAS 1, em CALDAS NOVAS, no sul goiano. Resgatado pelo Corpo de Bombeiros, o menino foi transferido de helicóptero para a unidade de saúde do Distrito Federal.

A folga de fim de ano da presidente DILMA ROUSSEFF terminou e, segundo a assessoria do Palácio do Planalto, ela retorna amanhã a BRASÍLIA. DILMA passou o RÉVEILLON na Base Naval de ARATU, na região metropolitana de SALVADOR, na BAHIA. Hoje, ela foi de lancha com a família à PRAIA DA VIRAÇÃO, na ILHA DOS FRADES, em SALVADOR, e aproveitou para tomar banho de mar. A presidente chegou à base naval no dia 28 de dezembro para as comemorações de ANO NOVO. Ela está acompanhada da mãe, DILMA JANE, da filha, PAULA, e do neto, GABRIEL, de 3 anos. O local tem sido escolhido por DILMA para passar os períodos de descanso por ser uma praia privada.       

O ex-primeiro-ministro de ISRAEL, ARIEL SHARON, em coma há oito anos desde que sofreu um derrame, teve uma piora acentuada no seu estado de saúde e, até tarde de hoje o risco da morte era alto. Segundo o hospital de TEL HASHOMER, onde SHARON está internado, o ex-premiê teve insuficiência renal e isso está afetando outros órgãos. Os dois filhos de SHARON foram para o hospital e um funeral de Estado está sendo programado.

De acordo com a agência de notícias FRANCE PRESSE, a marinha italiana resgatou mais de mil imigrantes ilegais que viajavam em diversas embarcações rumo à ITÁLIA, somente durante a última quinta-feira. Segundo um comunicado da Marinha, no grupo estavam 30 mulheres e 46 crianças e adolescentes, a maioria proveniente do EGITO, do IRAQUE, do PAQUISTÃO e da TÚNÍSIA.

O Grupo ESTADO ISLÂMICO do IRAQUE e do LEVANTE, ligado à rede terrorista AL-QAEDA, assumiu hoje a autoria do atentado suicida que matou seis pessoas na quinta-feira em BEIRUTE, no LÍBANO – entre eles, a brasileira MALAK ZAHWE, de 17 anos, que vivia na cidade havia quatro anos, que vivia na cidade havia quatro anos e era filha de libaneses. Ela e a madrasta, que também morreu, foram enterradas ontem, no sul do LÍBANO.

Pelo menos 16 pessoas morreram por conta da nevasca que atinge os ESTADOS UNIDOS. A onda de frio, que pode chegar a temperaturas de 34 graus negativos segundo meteorologistas, fez os governos de NOVA YORK e NOVA JERSEY decretarem estado de emergência e recomendaram que os oradores não saiam de suas Casas.
Em temperaturas tão baixas, a pele exposta congela em minutos e o risco de morte por hipotermia é alto devido aos ventos fortes, que podem provocar a queda da temperatura para até 56 graus abaixo de zero. Centenas de escolas foram fechadas em cidades como BOSTON e NOVA YORK. Em MINNESOTA, as aulas da segunda-feira passada foram canceladas em todo o Estado pela primeira vez em 17 anos. Além disso, milhares de voos tiveram de ser remarcados em todo o território do país, o que também afetou turistas brasileiros: muitos enfrentaram dificuldades para retornar dos ESTADOS UNIDOS ou viajar até lá durante os últimos dias.
Segundo o metereologista RYAN MAUE, há pelo menos 40 anos não se via temperaturas tão baixas no país. De acordo com o especialista, o frio extremo vai durar mais alguns dias, quando uma massa de ar quente fará os termômetros subirem um pouco. Mas ele alerta que, mesmo assim, os norte-americanos vão sofrer com nevascas, geadas e tempestades até fevereiro.     



2 015     :     -    DOMINGO     
Pela manhã, MARLENE vai comprar os remédios receitados ontem para a crise que LUCINDA vem enfrentando em sua saúde. Algumas coisas colaboraram para o desencadeamento de mais um problema de virada do ano, pois há três anos consecutivos vêm acontecendo fatos desagradáveis com ela. A falta de alimentação, o vício de fumar há dezenas de anos, e a queima de fogos de artifício na passagem do ano, mexeram com a sua estrutura física, já fragilizada pelos outros motivos. Agora ela se cuida. Notável e digno de elogios é o trabalho que vem fazendo a sua filha MARLENE, cuidando com desvelo da mãe.
Neste domingo, sem grandes atribulações na presidência da Sociedade Veteranos de 32-MMDC, face o recesso administrativo que terminará somente a 21 de janeiro, posso trabalhar tranquilo na atualização de minhas memórias e na guarda dos documentos mais importantes na minha biblioteca.
PAULO CESAR, KÁTYA e IAGO estão mais em seu apartamento, desde o final de dezembro. Não mais dormem em casa. PAULO CESAR, inclusive, está empregado como manobrista de uma garagem de carros.  

Quando o CORONEL PM ZENILDO TADEU VIEIRA PEIXOTO morreu, juntamente com sua esposa ANDRÉA, sua sobrinha KÁTIA e seu marido LUCIANO, em 29 de dezembro, coloquei a notícia em meu blog e hoje vimos que 869 pessoas leram o acontecido trágico. Mais tarde, a notícia do sepultamento, também colocada no blog, atingiu 61 leituras. Por isso, resolvo ir até a Igreja onde será rezada a missa de 7º dia.

Vou à Igreja NOSSA SENHORA DE SALETE, onde chego por volta das 17:20 horas. Sou a primeira pessoa a chegar à igreja. Posso, portanto, assistir a chegada dos oficiais pertencentes à turma do ZENILDO. FERNANDO MORENO, nosso associado da Sociedade Veteranos de 32-MMDC, também assiste essa missa.
Pertencem à TURMA TUIUTI - declarados ASPIRANTES A OFICIAL em 24 de agosto de 1968: JOSÉ APARECIDO DE LIMA, ANTONIO DE JESUS GANDOLFI (falecido), DIRSON RODRIGUES MONTEMOR (falecido), JOSÉ WILSON MACOTA, COJI YANAGUITA, ARY RAPOSO DE FARIA, SEBASTIÃO ROSA CALDERARO, HITIO TSUNODA, AMILTON CONSTANTINO CONTTI, ORLANDO DA SILVA MARCONDES, REGINALDO PINHEIRO DE OLIVEIRA, ROBERTO MARTINEZ, RONALDO AUGUSTO BRETAS MARZAGÃO (agregado em 13 de janeiro de 1976, por ter sido nomeado Promotor Público), JOSÉ CARLOS NOGUEIRA, AMÉRICO TOGNETTI NETO, WÁLTER ROBERTO SOLA, ROBERTO MONTGOMERY SOARES, DIRCEU SORDI NOGUEIRA, LUIZ VERARDINO, JOSÉ WÁLTER SILVEIRA, LUIZ PANHOCA NETO, LINEU DO NASCIMENTO RIBEIRO, SEBASTIÃO TENÓRIO DOS SANTOS FILHO, ANTÔNIO BRANCO, SÉRGIO PESTANA GAI, ISAIAS DE MELLO MASCARENHAS NETO, CLÁUDIO DI SESSA, ANTÔNIO CARLOS ROSA ZANDONADI, JOSÉ FRANCISCO MEIRELLES SANTOS, GILBERTO BITTENCOURT CRUZ (falecido), LUIZ AYLTON CASERTANI, ODILON PINHEIRO GUIMARÃES, JOSÉ ROBERTO MAIA, LUIZ FRANCISCO DE CAMARGO, DÁRCIO FERNANDES, PAULINO CORRÊA JÚNIOR, JOSÉ CARLOS DA FONSECA, OTÁVIO DIAS NUNES JÚNIOR, ADEMIR BENTO, FÁBIO SOLANO PEREIRA, JOSÉ BENEDITO TORRES PINTO, EDILBERTO FERRANINI (falecido), ZENILDO TADEU VIEIRA PEIXOTO, VALTER PEREIRA PÚBLIO, RENALDO ALVES DA SILVA, PAULO CÉZAR NEVES, CARLOS ALBERTO REGULLE (falecido), PAULO MIRANDA DE CASTRO, PAULO ROBERTO TRIDENTI, LAÉRCIO BASÍLIO DE MELO TAVARES, MARCO AURÉLIO MARTINS FERNANDES, LUIZ CARLOS ROSA DUARTE, JÁCOMO ANTUNES DE ANDRADE, OSVALDO CAVALHEIRO JÚNIOR, ALFREDO VIEIRA DAS NEVES, VICTORINO RODRIGUES SANCHEZ (falecido), JOÃO ANTONIO DO NASCIMENTO, JAIRO DE ALMEIDA LIMA, ANTÔNIO DE CAMARGO SILVEIRA, ANTÔNIO CHIARI, ALEXANDRE CANOVA CARDOSO, ODAIR DE OLIVEIRA CONCEIÇÃO, CARLOS EDUARDO GUIMARÃES DA FONSECA, NILTON DIVINO D´ADDIO, JOSÉ RAIMUNDO DE CASTRO, JOÃO PAULO LUCIANO DE MELO, ALVIM GAGLIATO, GUARACIABA DE AGUIAR, ROTHSCHILD ADILSON SILVA, ARMANDO DE ALBUQUERQUE, ROBERTO CARDOSO, JOSÉ RODRIGUES DE SOUZA NETTO, ROBERTO LEMES DA SILVA (falecido), WÁLTER SCHMIDT, PAULO DE SOUZA ALVES FILHO, SÍLVIO CAVALLI (falecido), LOURIVAL COSTA RAMOS, JOSÉ AGUILAR, JOÃO ANTÔNIO BRAZ NETO, DOMINGOS JOSÉ FERNANDES, WALDIR NACCARATO, ARIEL REY TOLEDO, ROBERTO MENDES, DUXFERRI GOMES DE OLIVEIRA, OSWALDO CARVALHO FILHO, MIGUEL PEIXOTO FRISENI, APARECIDO SALLES DE SOUZA, HOLLIWOOD GARCIA DE MARINS, PAULO SAMPAIO XAVIER LOPES. É uma turma grande, que entrou na então FORÇA PÚBLICA em fevereiro de 1964 (eu fui promovido a ASPIRANTE A OFICIAL em 7 de setembro de 1963, portanto não peguei essa turma na ESCOLA DE OFICIAIS. Em agosto de 1968 eu já era 1º TENENTE. Muitos deles trabalharam comigo, outros apenas tomei conhecimento de seus trabalhos pelos contatos profissionais. Para minha surpresa, nem a metade da turma está presente na missa de 7º dia do ZENILDO. Como a turma TUIUTI é grande, sendo a primeira depois das que saíram da Escola, inclusive a minha, em 7 de setembro de 1963, com apenas 15 integrantes, acreditava eu que a Igreja NOSSA SENHORA DA SALETE iria ficar totalmente lotada dos companheiros do ZENILDO e seus familiares. Não foi isso que aconteceu.
Após o término do santo ofício, conversamos com alguns dos oficiais da Turma TUIUTI. Também encontramos na Igreja a TENENTE-CORONEL PM LODI, que teve empenho destacado no restauro do Monumento Mausoléu ao Soldado Constitucionalista de 32.
MORENO deixa-me da Estação JARDIM SÃO PAULO. Retorno à GUARULHOS, onde chego por volta das 21 horas. Encontro LUCINDA já deitada. Ela ainda se queixa de dores do lado direito. Ela ainda sente enjoos com a comida e isso não é nada bom. Está tomando os remédios LEVOFLOXACINO, MALEATO DE DEXCLORFENIRAMINA + BETAMETASONA e DOMPERIDONA   

Recebo uma mensagem do SARGENTO PM FLÁVIO FERRÃO:
Em JAN15
Desejamos um excelente 2015, com o mesmo vigor do jequitibá-rosa (Cariniana estrellensis) que fotografamos ao fundo, uma das mais antigas árvores do Brasil, que vive no interior de São Paulo, no Parque Estadual de Vassununga no município de Santa Rita do Passa Quatro.
Nesse ano novo necessitamos ressaltar a família, a moral, a honestidade, a compreensão, o civismo e o profissionalismo, a fim de contribuir em uma educação mais consistente aos nossos jovens, almejando um futuro promissor a nossa Nação.
Abraços da família Ferrão 

domingo, 4 de janeiro de 2015

Lula já está sob tratamento de novo câncer, desta vez no pâncreas


O jornalista Leandro Mazzini, que assina coluna diária no jornal O Sul, Porto Alegre, informou neste domingo que o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva combateu de um ano para cá um novo câncer e o controlou, dizem fontes ligadas ao petista. Lula se curou da doença na laringe, mas foi acometido de um câncer no pâncreas, que teria sido descoberto no início de 2014. O ex-presidente passou a visitar esporadicamente o Hospital Sírio Libanês em São Paulo durante a madrugada, entrando de carro pela garagem privativa do corpo clínico para evitar boataria. E tomou um forte medicamento para evitar a quimioterapia.
Há dois meses o repórter teve acesso a informações sigilosas sobre o estado de saúde do ex-presidente, e desde então confirmou a informação com quatro fontes distintas, que pediram anonimato – um médico do Sírio, que não compõe a equipe que cuida de Lula; um diretor do PT; um assessor especial do Palácio do Planalto; e um parlamentar amigo de Lula.
O ex-presidente não faz tratamento intensivo no hospital – onde se curou do primeiro câncer – porque estaria tomando diariamente um medicamento importado dos Estados Unidos, que custa cerca de R$ 30 mil por mês (ainda não comercializado no Brasil). Seria sob o princípio do Bevacizumab, com uma versão mais recente e potente do popular Avastin, que ameniza o quadro clínico e a dor, e evita a quimioterapia.
O quadro de saúde impediu Lula de intensificar a agenda de campanha junto à presidente Dilma Rousseff, embora tenha feito visitas a algumas capitais, mas sempre sob orientação e cuidados médicos. A presença do médico Roberto Kalil na festa da vitória de Dilma, no Palácio da Alvorada, onde Lula se encontrava na noite do dia 26 de outubro, não seria mera visita à amiga que também combateu a doença sob os cuidados do mesmo médico de Lula.
Questionada há mais de um mês, a assessoria do Instituto Lula, que responde por assuntos pessoais do ex-presidente, negou veementemente a nova doença, e informou que só se comunicaria oficialmente diante de nota do Hospital Sírio e Libanês. Procurada para uma nota oficial, a assessoria do hospital informou que não vai se pronunciar – e assim não confirmou, mas também não negou.
Neste sábado (3), a Coluna conseguiu contato com mais dois médicos do Sírio. Um repórter colaborador conversou com o médico de Lula, Dr. Roberto Kalil. Indagado sobre a nova doença, ele avisou que não se pronunciaria, e citou o último boletim médico de Lula como o único informe oficial a respeito da saúde do líder petista e paciente.
O documento porém não cita novo câncer, e apenas informa que o quadro de Lula é bom. Uma outra fonte ligada ao hospital confirmou as visitas de Lula pela madrugada, e informou que o ex-presidente passará a fazer seus check-ups a cada seis meses a partir de agora.

Um homem foi preso nesta madrugada em SUMARÉ, a 118 quilômetros de SÃO PAULO, após render, por quatro horas, duas pessoas em um posto de conveniência - uma das vítimas era o dono da loja. O ladrão ameaçou explodir o caixa eletrônico do local, que fica na Rua ANTÔNIO GOMES SOARES, 414, no bairro MARIA ANTÔNIA, e matar os reféns.
O homem pediu a presença da mãe e da imprensa local durante a negociação com a Polícia Militar. Na ação, que começou às 22 horas de ontem, o assaltante ameaçava explodir duas bananas de dinamite num terminal do BANCO 24 HORAS instalado no posto, matando todos que estavam em volta, inclusive ele próprio.
Os policiais da 2ª Companhia do 41º Batalhão da PM do Interior tiveram de acionar agentes do GATE para desarmar as bombas.

Um homem morreu durante uma troca de tiros com a polícia, ontem à tarde, após assaltar uma farmácia na CASA VERDE. O homem estava acompanhado de um comparsa, que foi baleado e caiu em um córrego na Avenida ENGENHEIRO CAETANO ÁLVARES. O caso está sendo investigado pelo DHPP.

Há dez meses a empregada doméstica VERÔNICA CARNEIRO DA CUNHA, de 35 anos, o marido e os filhos montaram um barraco na FAVELA DO CIPÓ, no JARAGUÁ. Sem condições de pagar aluguel, a família escolheu o local por ser aparentemente seguro, cercado por eucaliptos. A sombra que os protegia do sol e de parte da chuva quase matou o marido e um dos filhos de VERÔNICA ontem à tarde. Por volta das 16 horas, uma tempestade com fortes ventos derrubou a enorme árvore por cima de oito casas, feitas de papelão e madeira.
O Corpo de Bombeiros, o SAMU, e o helicóptero ÁGUIA, da Polícia Militar, foram acionados para atender a ocorrência. JOSÉ AUGUSTO DA SILVA, de 33 anos, o filho LUCAS, 8, e a vizinha DANIELLE AGUIAR CORREA, 33, sofreram fraturas nas pernas, pés e clavículas. Hoje, JOSÉ AUGUSTO recebeu alta, mas não havia ninguém para buscá-lo na SANTA CASA. Por isso, ele ficou no hospital, pelo o que a família sabia. DANIELLE e LUCAS foram operados na madrugada e devem permanecer por, pelo menos, mais três dias no Hospital das Clínicas.
"Era um vento muito forte. O VÍTOR (bebê de quatro meses) começou a chorar na cama e eu fui tirá-lo de lá. Quando fui para a cozinha, um galho caiu na cama. Depois, veio a árvore toda", contou VERÔNICA.
Filho da coméstica, JULIANO CARNEIRO ANSELMO, 13, conseguiu escapar também. Ele teve apenas um arranhão no cotovelo. O adolescente ainda não conseguiu dormir direito após ver o padrasto desacordado e o irmão gritando de dor.
"Ele (o padrasto) estava em pé do meu lado. De repente, foi parar debaixo de uma árvore", relatou o menor. "Meu irmão pedia para eu beliscá-lo para ter certeza que aquilo não era um pesadelo".
Vizinhos da comunidade formada por cerca de 400 famílias fizeram uma força-tarefa para salvar as vítimas. "Tentamos levantar a árvore, mas não conseguimos. Daí cortamos a lateral do sofá, onde o GUGA (JOSÉ AUGUSTO) estava preso, e o soltamos", disse o ajudante geral FERNANDO SEVERINO, 25 anos. "A base de algumas árvores estão queimadas. Quando chove e venta, elas envergam", relatou o vizinho da família.
Marido de DANIELLE, o ajudante geral ALEXANDRE ESTEVÃO PEREIRA, 42 anos, conta que à noite é possível ouvir eco da ventania passando pelo oco dos eucaliptos.

O filho mais velho de ZECA PAGODINHO, ELIAS GABRIEL DA SILVA, de 28 anos, foi enterrado nesta tarde. ele morreu por volta das 5 horas após complicações pneumológicas. ELIAS estava internado desde o dia 31 de dezembro. ZECA acompanhava o velório, mas, por volta das 15 horas, começou a se sentir mal e não compareceu ao enterro. Artistas marcaram presença no velório. O sambista ARLINDO CRUZ estava bastante emocionado. "A dor é muito grande", disse. ELZA PIQUET, irmã de ELIAS, postou em seu INSTAGRAM um texto lamentando a morte do irmão. ELIAS era fruto de um relacionamento anterior de ZECA. O cantor é pai de mais quatro filhos, todos de seu atual casamento, com MÔNICA SILVA.

Mergulhadores tentaram chegar aos destroços afundados do avião de passageiros da AIR ASIA que caiu no domingo passado, mas foram obrigados a regressar diante do mau tempo, enquanto que autoridades indonésias disseram ter detectado um quinto grande objeto submerso que se acredita ser parte do avião. A agência meteorológica da INDONÉSIA disse que tempestades tropicais sazonais provavelmente contribuíram para o acidente, causando o congelamento dos motores da aeronave. Até hoje, 34 corpos tinham sido retirados do mar.

Um enorme navio cargueiro que levava automóveis e seguia para a ALEMANHA encalhou ontem à noite na entrada das ÁGUAS DE SOUTHAMPTON, no sul da INGLATERRA, perto da ILHA DE WIGHT. As 24 pessoas a bordo do HOEGH OSAKA, com bandeira de CINGAPURA, foram resgatadas de helicóptero. O navio acabou tombando e parou aproximadamente a 45º, na diagonal. Uma megaoperação envolvendo diferentes agências começou a ser feita hoje para resgatar o cargueiro. Na ESCÓCIA, um navio de carga com bandeira de CHIPRE naufragou. Oito tripulantes continuavam desaparecidos até à noite. 

4 DE JANEIRO DE 2016     :  -    SEGUNDA-FEIRA
Estou estudando um PLANO DE AÇÃO para 2016 com relação ao que pretendemos fazer neste Ano Novo no MMDC. O ano que terminou apresentou uma mudança radical para a Sociedade Veteranos de 32-MMDC, obrigada que foi a mudar-se para o Monumento Mausoléu ao Soldado Constitucionalista de 32. Nossa ida para o OBELISCO DO IBIRAPUERA, deixando em definitivo a degradada sede na RUA ANITA GARIBALDI, trouxe uma série enorme de compromissos para o MMDC. Muito embora a administração, segurança e manutenção seja de alçada da Polícia Militar, agora a cargo da DIRETORIA DE ENSINO E CULTURA, a presença física da Sociedade no Monumento acarreta encargos que impedem o nosso trabalho, ainda mais que apenas temos uma funcionária para cuidar de tudo. É humanamente impossível continuarmos trabalhando no Obelisco em 2016, a não ser que recebamos auxílio das partes envolvidas. Foi encaminhado um ofício ao Senhor Diretor de Ensino e Cultura da PMESP, CORONEL PM REYNALDO SIMÕES ROSSI, no sentido de que seja providenciada uma nova sede para a Sociedade Veteranos de 32-MMDC. Uma sala no Museu da PM foi arrumada para isso, mas o ano terminou e não recebemos o "sinal azul" para que se concretizasse essa mudança. Acredito que 2016 irá apresentar o mesmo quadro e as mesmas dificuldades que enfrentamos no ano passado. Como MARINEI CHALUB é a única funcionária, cuidando de toda a administração, ela não pode trabalhar no Obelisco, interrompida a todo instante por visitantes ou então por perguntas dos PMs que ali trabalham, de como as coisas devem acontecer. A questão das solenidades é algo que preocupa muito para 2016. Algumas regras deverão ser obedecidas. Elas já existem, mas as autoridades proponentes dos eventos continuam a criar sérios entraves, com atrasos no envio das relações e dos currículos. Esperemos que, a partir de 21 de janeiro, possamos desenvolver um trabalho mais racional. As dificuldades deverão ser distribuídas para todos.
Numa mensagem que a MARINEI me passa nesta manhã, embora em gozo de férias, transmite essa preocupação.
Minha idéia era iniciar um tratamento dentário nesta segunda-feira. Mas não levanto bem nesta manhã. Tenho certa dificuldade para andar e prefiro não sair de casa.

O aposentado JAIR DE AGNOLI, de 61 anos, foi preso hoje pelos policiais da Delegacia de Investigações Gerais de ITANHAÉM, no litoral paulista, suspeito de decapitar a sua mulher e arrancar as pontas de todos os dedos dela na noite do Ano Novo.
O corpo da dona de casa MARIA DAS DORES FERREIRA DE AGNOLI, 62, foi encontrado pela polícia em um matagal, no sábado.
Segundo a delegada EVELYN GONZALEZ GAGLIARDI, o suspeito foi até o distrito policial fazer o boletim de ocorrência de desaparecimento da mulher e entrou em diversas contradições.
Depois de perceber que não tinha mais saída, confessou o crime. O idoso contou que os dois começaram a discutir e a vítima, que sofria de depressão, teria pegado uma faca para ameaçá-lo.
JAIR contou ter tentado desarmar a mulher, que caiu e bateu com a cabeça no box do banheiro. ele, então, teria pegado um pedaço de pau e a golpeado na cabeça. Depois, disse ter decapitado a vítima e cortado as pontas de seus dedos.
O aposentado colocou as pontas na privada e deu descarga. A cabeça ele afirma ter descartado em um condomínio e, hoje, indicou o local aos agentes. Agora, a polícia quer saber se ele teve ajuda para cometer o crime. O casal estava junto havia 37 anos.

O Setor de Homicídios de GUARULHOS revelou ter encontrado uma cápsula de pistola ponto 40 e outra de 9 milímetros no bar onde ocorreu a chacina  do ano na região metropolitana. Na matança, ocorrida no sábado, foram assassinadas 4 pessoas e uma está internada na UTI de um hospital da cidade. Até hoje, a informação oficial era de que os peritos não haviam encontrado nenhuma bala no local. Mas, hoje, uma fonte revelou ao jornal DIÁRIO DE SÃO PAULO que no próprio sábado os materiais foram recolhidos pelo Setor de Homicídios, horas depois da primeira varredura no local.
A novidade só reforça a tese de envolvimento de agentes públicos no crime, já que pistolas ponto 40 são de uso exclusivo das polícias.
Na quinta-feira, dois dias antes da chacina, o CABO PM FELIPE RAMALHO, de 30 anos, foi assassinado durante um roubo a uma loja de autopeças, distante 1,5 km do local da matança. Um suspeito foi preso e outro foi identificado, hoje, conforme apuração do DIÁRIO. O nome dele permanece em sigilo. Segundo a polícia, pelo menos três homens participaram do assassinato de LEONARDO DE SOUZA, FRANCISCO PEREIRA CAETANO, ambos de 23 anos; HERMES AUGUSTO MOREIRA, 19, e ADRIANO SILVA ARAÚJO, 28.

O CORINTHIANS, maior vencedor da COPA SÃO PAULO JÚNIOR (nove títulos), está garantido na segunda fase. Hoje, em LIMEIRA, o TIMÃO derrotou o BOTAFOGO-PB por 2 a 0. Os gols foram marcados pelos atacantes GABRIEL VASCONCELLOS - artilheiro da última edição - e GUSTAVO TOCANTINS. A equipe foi a seis pontos no GRUPO 11. Os paraibanos têm três, INTER DE LIMEIRA e BRAGANTINO, que empataram em 2 a 2, somaram seus primeiros pontos no torneio.
Já o SANTOS ficou bem perto da vaga ao bater o AMÉRICA-PE por 2 a 1, de virada. O PEIXE lidera o GRUPO 7, com seis pontos. Amanhã, o SÃO PAULO busca a segunda vitória, contra o TIRADENTES-CE, em BARUERI, às 21 horas, mesmo horário de ESTANCIANO-SE e PALMEIRAS, em SÃO JOSÉ DOS CAMPOS. O VERDÃO empatou seu primeiro jogo.  

Foram encontrados na manhã desta segunda-feira (4) os destroços do bimotor que caiu quando sobrevoava Paraty, na Costa Verde do Rio de Janeiro. Dois corpos foram achados no local da queda, uma mata no bairro Corumbé, segundo os bombeiros. A aeronave pertence à rede de supermercados Shibata, com unidades em diversas cidades paulistas.
Segundo Força Aérea Brasileira (FAB), apenas duas pessoas estavam no bimotor – o piloto e um segundo ocupante. Até a última atualização desta reportagem, as vítimas não haviam sido identificadas.
A FAB informou ainda que o bimotor King Air, modelo C-90, prefixo PP-LMM, saiu do Campo de Marte, em São Paulo no domingo (3), às 13h34, e deveria ter chegado a Paraty às 14h14.
Avião saiu do Campo de Marte com destino a Paraty. (Foto: Reprodução/TV Rio Sul)
O Corpo de Bombeiros disse que recebeu diversas ligações de moradores do bairro Corumbé, que contaram ter visto aeronave cair na mata – uma área de difícil acesso. Um estrondo também foi relatado por quem vive próximo ao local.
No domingo, uma equipe dos bombeiros foi até a mata para fazer buscas, mas não conseguiu encontrar indícios do bimotor. As buscas foram encerradas durante a noite, por conta da falta de visibilidade, e retomadas nesta segunda.
"Eu estava sentado no bar da minha cunhada, quando vi o avião vindo no sentido ao mar. Ele fez a volta para ir na direção de Angra, aí perdeu altura e passou baixinho, perto do morro e não vi mais ele. Quando cheguei em casa, fiquei sabendo que o avião tinha caído", contou o pescador Júlio César Martins.

Um trágico acidente em SÃO GONÇALO (RIO) matou quatro pessoas de uma mesma família, domingo à noite. Entre as vítimas está um bebê de 9 meses. Um fio de média tensão atingiu o veículo da família, que se preparava para retornar para casa após visita a parentes. Morreram RAFAEL OLIVEIRA, de 35 anos; ADÃO MOREIRA, 87, e um menino de 13 anos. A quinta vítima, MARIA OLIVEIRA, 60, foi socorrida com ferimentos leves. Em nota, a AMPLA lamentou o acidente. Segundo a concessionária, "a empresa obteve a informação de que uma explosão provocada por terceiros próximo ao local teria causado o rompimento do cabo".

Um homem invadiu o Ministério da Fazenda, em BRASÍLIA, com uma picape AMAROK, com placas de LONDRINA e acabou preso pela Polícia Federal. O "ataque" ocorreu por volta das 4:40 horas. A porta de entrada e as catracas foram destruídas, mas não houve vítimas. Sem ser identificado, o homem, um aditor da Receita Federal, que acabou preso, primeiro disse ter problemas mentais, mas depois afirmou que havia invadido o prédio público por não gostar do PT. Um guincho foi acionado para retirar o veículo do local. O ministério funcionou normalmente hoje e a entrada dos servidores aconteceu pelo edifício anexo.

Após a polêmica em torno do veto da vinculação do reajuste do BOLSA FAMÍLIA à inflação, na Lei de Diretrizes Orçamentárias, pela presidente DILMA ROUSSEFF, o governo assegurou que haverá reajuste nos benefícios deste ano.
A ministra do Desenvolvimento Social, TEREZA CAMPELLO, afirmou que aumento irá ocorrer, mas não se sabe quando nem percentual a ser concedido. Esse recurso virá da previsão do Orçamento para 2016, de 1,1 bilhão de reais a mais em relação a 2015. O valor do benefício varia de 77 reais a 336 reais por família.

Combatentes da Al-Qaeda no Iêmen apedrejaram uma mulher "condenada à morte por adultério" e "prostituição" em Mukala, cidade do sudeste controlada pelos jihadistas, afirmaram testemunhas. O apedrejamento - punição extremamente rara no Iêmen - aconteceu no domingo, segundo as testemunhas, que informaram que homens armados "colocaram a mulher em uma cova no pátio de um edifício militar e a apedrejaram até a morte na presença de dezenas de habitantes" de Mukala, capital da província de Hadramut.

Um forte terremoto de magnitude 6,7 foi registrado nesta segunda-feira (4) no nordeste da Índia, perto da fronteira com Mianmar e Bangladesh, informou o Serviço Geológico dos Estados Unidos (USGS, na sigla em inglês). Pelo menos nove pessoas morreram e quase 200 ficaram feridas, segundo a agência Reuters.
O sismo foi registrado às 4h35 locais (21h05 de domingo, em Brasília), a 33 km da cidade de Imphal, capital de Manipur.
Um porta-voz da Autoridade Nacional de Gestão de Desastres (NDMA, sigla em inglês), Anurag Gupta, disse que seis mortes foram registradas em Imphal, enquanto pelo menos 43 pessoas ficaram feridas na capital regional e em seus arredores, de acordo com a France Presse.
Segundo o porta-voz da NDMA, alguns edifícios foram danificados, entre eles um prédio de seis andares. Os danos não foram muito graves.
O ministro do Interior da Índia, Rajnath Singh, relatou através do Twitter que conversou com os governantes das áreas atingidas pelo terremoto e confirmou o envio imediato de duas equipes de resgate da Força Nacional de Resposta de Desastres (NDRF, sigla em inglês) a Manipur.
Unidos ao restante do país por uma estreita faixa de terra, sete estados do nordeste da Índia estão situados em uma zona de frequente atividade sísmica.
Bangladesh
Em Bangladesh, o terremoto surpreendeu muitos cidadãos e pelo menos 40 pessoas deram entrada no Hospital Universitário de Daca, depois que ficaram feridas durante a saída desesperada de edifícios devido ao pânico.
"Duas pessoas foram internadas e as outras foram atendidas no momento", disse o diretor desse centro médico, Mizanur Rehman, que acrescentou que um jovem de 23 anos chegou morto ao hospital, depois que "aparentemente" sofreu uma parada cardíaca.
Vários veículos de imprensa locais dão conta de até outras duas mortes por situações similares em diferentes pontos do país, mas, no entanto, as autoridades bengalesas não ofereceram um balanço oficial do número de vítimas e dos danos materiais causados pelo terremoto.
"Não temos notícias de vítimas relacionadas com o sismo. Os mecanismos de prevenção estão em andamento", disse à Efe Mohammad Akhtar, um policial da província de Sylhet, a região de Bangladesh mais próxima do epicentro do terremoto.


2 017   :        -   QUARTA-FEIRA
Estou atravessando uma fase de pleno descanso. Nesse princípio de janeiro não há contatos com o MMDC, que se encontra em recesso administrativo até 25 de janeiro. Mas há projetos de grandes acontecimentos durante 3017, principalmente por parte dos Núcleos existentes na Secretaria de Educação (NÚCLEO MMDC CAETANO DE CAMPOS) e do existente no TRIBUNAL DE CONTAS.
Enquanto vão transcorrendo os primeiros dias do ANO NOVO, posso retemperar as forças para os planejamentos futuros, que demonstrarão uma Sociedade Veteranos de 32-MMDC mais dinâmica. Aguardo também soluções acerca da cessão de posse do local onde será implantada em definitivo a sede da Sociedade. O CORONEL PM REYNALDO SIMÕES ROSSI, Diretor de Ensino e Cultura da PMESP, cuida disso, face sua condição de administrador do Monumento Mausoléu ao Soldado Constitucionalista de 32.
 
Morreu às 22h desta terça-feira (3), aos 88 anos, a atriz e escritora Vida Alves, que deu o primeiro beijo da TV brasileira, na novela "Sua vida me pertence", de 1951, e o primeiro beijo gay, no início dos anos 1960. Ela estava internada no hospital Sancta Maggiore, em São Paulo, desde 28 de dezembro. A causa da morte foi falência múltipla dos órgãos.
A saúde da atriz se complicou há um ano, quando se submeteu a uma cirurgia, mas o problema persistiu. O velório começou às 8h desta quarta-feira (4) no cemitério do Araçá , na região central de São Paulo. O enterro está marcado para as 16h, no mesmo local.
Vida Amélia Guedes Alves nasceu em Itanhandu (MG) em 15 de abril de 1988. Avó da cantora Tiê, teve uma carreira que durou mais de mais de 70 anos. Começou no rádio e depois atuou em telenovelas, contracenando com grandes nomes, como Tarcísio Meira, Glória Menezes, Eva Wilma e Aracy Balabanian. Trabalhou ainda no cinema, apresentou programas na TV e escreveu novelas.
Em 1995, ela criou junto com outros artistas a Associação dos Pioneiros Profissionais e Incentivadores da Televisão Brasileira, conhecida como Pró-TV, que busca preservar a memória da TV brasileira e da qual era presidente.
Vida Alves colecionava itens raros do período do lançamento da TV no Brasil e tinha um museu na própria casa onde morava. Sua trajetória é contada na biografia "Vida Alves – Sem medo de viver" (Imprensa Oficial), de Nelson Natalino, lançada em 2013.
Uma das filhas de Vida, Taís, falou ao Hora 1 sobre o legado da mãe. "Vida foi uma inovadora, uma beijoqueira. E eu ainda brincava: 'Vidinha, ainda bem que você não deu o segundo beijo [da história da TV], porque do segundo beijo ninguém fala. Ela foi a primeira beijoqueira".
Tiê comentou a morte de sua avó em sua página oficial no Facebook. "Dona Vida Alves fez a passagem. Minha amiga, minha avó, minha parceira, minha musa beijoqueira. 88 anos de muita luz, amor, arte e vida. Vire estrela e descanse em paz. Te amo pra sempre e vou sentir saudades todos os dias", escreveu a cantora.
A Pró-TV divulgou nota sobre a morte de Vida Alves, a quem chamou de "símbolo da televisão". "Incansavelmente, ao lado dos colegas de profissão, lutou pela criação de oficial do Museu da Televisão Brasileira, que por 13 anos abrigou dentro de sua casa, e pela preservação da memória da radiodifusão", diz a nota.
"Nesse momento difícil, nos solidarizamos com a família de Vida Alves, com seus amigos e colegas da área, que ela sempre fez questão de representar".
Corpo da atriz Vida Alves, uma das pioneiras da televisão brasileira, é velado em SP
Primeiro beijo
Vida Alves foi entrevistada pelo G1 em 2014, para comentar o último capítulo da novela "Amor à vida", em que Niko (Thiago Fragoso) e Félix (Mateus Solano) protagonizaram o primeiro beijo gay em novelas da TV Globo.
Ela se disse orgulhosa do fato de seu trabalho ter sido lembrado. Afirmou ter ficado emocionada ao saber que pessoas comemorarm a cena nos bares: "Foi suave, romântica e leve".
O primeiro beijo da TV brasileira foi na novela "Sua vida me pertence", de 1951, na Tupi. O par romântico dela era Walter Forster (1917-1996), também diretor da trama. Gravada ao vivo, a cena era uma ousadia para a época. O pudor era tão grande, lembrou Vida, que o fotógrafo da Tupi não registrou o momento do beijo – ela dizia que o profissional considerou que a imagem não seria publicada na imprensa.

"Foi um ano após a inauguração da TV. Foi um beijo técnico, não poderia ser diferente. Walter Forster era dez anos mais velho que eu. Era o diretor artístico, de certa forma meu chefe", lembrou a atriz.
"Eu fui escolhida para fazer um par romântico pois havia me casado um ano antes, tido um filho, então estava fora da TV. Ele achou que eu era certa pois não tinha uma cara muito 'gasta' na TV. Ele explicou ao meu marido, numa visita à minha casa, como seria. Absolutamente marcado. 'Tal postura, tal olhar, a boca ligeiramente aberta, me aproximo e fico uns segundinhos'. Assim foi feito, sem ensaio, tudo ao vivo."
Primeiro beijo gay
Vida Alves foi pioneira novamente no teleteatro "A calúnia", em que protagonizou um beijo gay, com a atriz Geórgia Gomide (1937-2011). Vida contava que o beijo aconteceu em 1964. Outros registros do beijo dizem que ele foi apresentado em dezembro de 1963.
"São coisas que existem, e se bem focadas e realizadas, contribuem para uma sociedade mais aberta e mais consciente", afirmou ao G1. Ela se lembrou da gravação: "As duas moças, eu e a Geórgia Gomide, (...) sentaram-se uma perto da outra. Deram as mãos e disseram que se amavam. Deram um beijo, também de uma forma mais romântica que erótica".
Questionada se a repercussão do beijo gay foi maior do que a do beijo hétero, respondeu afirmativamente. "Era 1964. Já havia videotape. Já procurei essa fita, mas não achei. Eu me lembro dos comentários. Diziam que 'estamos ficando extravagantes'. Mas não foram tão exagerados".

Para ela, o evento teve importância social. "São coisas que existem, e se bem focadas e realizadas, contribuem para uma sociedade mais aberta e mais consciente", disse. Em entrevista à TV Globo, completou: "Sinto orgulho de ser elemento formador da TV".
A atriz Vida Alves em foto de julho de 2010 no Museu da TV, do qual ela foi diretora, em São Paulo (Foto: Tiago Queiroz/Estadão Conteúdo/Arquivo)
A atriz Vida Alves, em foto de dezembro de 1952 (Foto: Folhapress/Arquivo)
Vida Alves e Walter Forster na novela 'Sua vida me pertence', de 1951; eles protagonizaram o primeiro beijo da TV brasileira (Foto: Divulgação)
Walter Foster e Vida Alves na novela 'Sua vida me pertence', de 1951; atores protagonizaram o primeiro beijo da história da TV brasileira (Foto: Divulgação)
Vida Alves atuando ainda jovem, em foto não datada (Foto: Divulgação)
A atriz Vida Alves entrega homenagem a Octávio Florisbal, então diretor-geral da TV Globo, no evento de lançamento da exposição '60 anos da Telenovela Brasileira' na TV Globo em São Paulo, em setembro de 2011 (Foto: Zé Paulo Cardeal/TV Globo)
Da esq. para a dir.: a atriz e apresentadora Hebe Camargo, a atriz Vida Alves, e o ator Carlos Miranda vestido como o personagem Vigilante Rodoviário visitam a exposição ‘60 anos da Telenovela Brasileira’ em outubro de 2011, na sede da TV Globo em SP (Foto: Zé Paulo Cardeal/TV Globo)
Glória Maria entrevista a atriz Vida Alves em especial que lembrou os melhores momentos dos 60 anos das novelas brasileiras, em dezembro de 2011 (Foto: Renato Rocha Miranda/TV Globo)
O ator Tony Ramos e a atriz Vida Alves posam em evento de lançamento da programação da TV Globo em março de 2013 (Foto: Bob Paulino/TV Globo)
Vida Alves participa de apresentação da exposição '60 anos da Telenovela Brasileira', parceria entre Rede Globo e a Associação dos Pioneiros Profissionais e Incentivadores da Televisão Brasileira (Pró-TV) em setembro de 2011 (Foto: Zé Paulo Cardeal/TV Globo)
Vida Alves, ao centro entre atores e atrizes, na exposição '60 anos da Telenovela Brasileira', em outubro de 2011 (Foto: Estevam Avellar/TV Globo)
Velório do corpo da atriz Vida Alves, de 88 anos, no Cemitério do Araçá, na região centro-oeste de São Paulo (Foto: Marcelo Gonçalves/Sigmapress/Estadão Conteúdo)

Corpo da atriz Vida Alves é enterrado em São Paulo
Familiares e amigos estiveram na cerimônia no cemitério do Araçá, região central de São Paulo, nesta quarta-feira, 4.
Bárbara VieiraDo EGO, em São Paulo
Enterro da atriz e escritora de Vida Alves (Foto: Celso Tavares / EGO)
O corpo da atriz e escritora Vida Alves foi enterrado na tarde desta quarta-feira, 4, por volta das 16h37 no cemitério do Araçá, região central de São Paulo. Pioneira na TV, Vida morreu na terça, 3, vítima de falência múltipla dos órgãosO velório aconteceu mais cedo com familiares e amigos famosos que foram se despedir de Vida
Vida era messiânica, então o funeral teve uma cerimônia rezada em japonês. Gianni Alves, neto de Vida, fez um discurso durante o enterro."Eu queria falar uma coisa antes. Minha avó era uma pessoa que também era difícil é quem conviveu sabe. Ela gostava de mandar. Vida Alves deixou a gente mas a vida continua vamos viver. Estamos aqui, netos dela, a bisneta Violeta", disse ele.
Emocionada, a atriz Eva Wilma falou sobre a preocupação de Vida de manter a memória da história da TV. Ela ajudou a fundar o Museu Pro TV, que está em busca de um local para iniciar suas atividades. "Vida tinha muita garra, muita força todos esses anos acreditando na nossa história na TV. Vida foi um exemplo de mulher. Ela deixa um marco na televisão brasileira".
Já a atriz Laura Cardoso relembrou quando conheceu Vida Alves e falou sobre sua importância para a história do rádio e da televisão. "Nós nos conhecemos meninas ainda no rádio. Batalhadora, exemplo de mulher e à frente do seu tempo. Ela deixa o legado de trabalho, de exemplo e de profissionalismo."
Thais Alves, filha de vida Alves
(Foto: Celso Tavares/EGO)
A comunicadora Thais Alves,  63 anos, filha de Vida, falou ao EGO com exclusividade. Segundo ela,  a mãe era muito ativa e se queixava de estar na cama e "não chegar a lugar nenhum". "Ela passou por uma cirurgia em agosto de abdômen e intestino e ganhou de presente mais quatro meses de vida. Ela estava muito mal nos últimos dias. Minha mãe me dizia que estava cansada porque era muito ativa e como ficou na cama estava cansada de não chegar a lugar nenhum. Agora descansou", disse Thais.
Emocionada, a filha de Vida falou sobre o legado da mãe. "O legado que ela deixa é: persevere, porque isso dá o movimento. E o arrojo", declarou Thais.
A cantora Tiê, neta de Vida, também falou ao EGO.  "Eu acompanhei bastante os últimos dias dela, que estava se despedindo com calma. Passei o ano novo com ela, falei que ela ia descansar e que teve uma vida cheia de coisa boa. Ela foi tranquilamente", relatou.
EGO NAS REDES SOCIAIS


Tiê falou sobre a importância de Vida em sua vida e carreira. "Minha grande amiga e incentivadora... Ela que me ensinou a fazer arte com todo o amor do mundo."
Cineasta: 'Vida foi um marco
Clery Cunha, 77, cineasta que dirigiu Vida Alves em "A pequena órfã", de 1975, também falou ao EGO sobre a morte da amiga.
"A Vida foi um marco na TV Tupi. A Vida fazia parte da constelação de atrizes junto com Laura Cardoso e outras. A Vida sempre tinha uma palavra de estímulo para os figurantes na época que, gente como técnico de TV, podia participar. Ela falava com todo mundo, incentivava todo mundo", relembra ele. 
Vida, inclusive, foi indicada como melhor atriz pela atuação no filme "A pequena órfã". "Foi uma participação tão incrível que ganhamos o prêmio de Melhor Filme no Festival de Rezende. Fico consternado hoje aqui. Com certeza foi uma perda muito grande. Vida participaria de "É Impossível Morrer",  filme de Clery e da mulher dele, Faby Oliveira, 41 anos, produtora executiva e apresentadora. "É meu longa-metragem de temática espírita. Ela reagiu muito bem ao convite", conta ele.
Irmã: 'Vida era muito simples'
Helle Alves, 90 anos, irmã de Vida, falou sobre a generosidade da atriz. "A Vida era muito simples e como presidente do Museu ProTV, ela tinha muitos colegas aposentados e sem recursos. Quando alguns morriam as esposas ligavam porque não tinham dinheiro para o enterro e ela sempre estendeu a mão."
Vida também lembrou de como a irmã era apaixonada por TV. "Na inauguração da TV Tupi ela se casou com um técnico italiano que veio montar a TV. Ela era muito entusiasmada. Ela viveu e vibrou a TV de uma maneira impressionante. Ela era apaixonada pela televisão. Mas a gente que viveu com ela sabia que a vida dela era aquilo, e que a criação da TV seria um capítulo novo na história. Ela acompanhou todos os passos", contou.
Rolando Boldrin (Foto: Celso Tavares / EGO)
O músico e ator Rolando Boldrin também falou sobre a morte de Vida. "Eu conheço a Vida há 58 anos quando eu tinha 22, hoje tenho 80. Comecei a trabalhar junto com ela, fizemos várias comédias e espetáculos clássicos na televisão. Fomos para outros canais. Com ela só fiz teatro na televisão. Novela não fiz. A gente tinha muito contato, um convívio grande, fui na casa dela recentemente, ela foi ao meu programa. Ela era maravilhosa. Uma pessoa que nunca quis se sobressair sobre ninguém, uma atriz muito grande e muito boa. Ela interrompeu a carreira dela para lutar pela preservação da memória da TV", contou.
Vida deixa os filhos Thais e Heitor, os netos Tiê, Gianni, Karina e as bisnetas Liz e Amora e Violeta.
Para o diretor de TV Álvaro Moya, 86 anos, que conhecia Vida desde a década de 1950, o nome da atriz é um marco na história da televisão brasileira. "Ela era lindíssima e teve a coragem de dar o primeiro beijo na televisão. Foi um escândalo na época, porque uma coisa é você ver no cinema,  mas ver na televisão e depois encontrar com eles no Centro da cidade é diferente. Foi um ato de coragem, foram pioneiros. A Vida, além de ser muito bonita, era muito querida e generosa com as outras pessoas. Era modesta, não tinha esses defeitos que as pessoas de TV têm, ela se considerava uma trabalhadora."
Vida Alves na novela Sua Vida me Pertence
(Foto: Reprodução / TV Globo)
Carreira pioneira
A atriz deu o primeiro beijo da TV brasileira, na década de 50, e marcou história. A novela era "Sua Vida me Pertence" e o par romântico, Walter Foster. Na época, a produção era transmitida ao vivo pela TV Tupi.
Nascida em Itanhandu, Minas Gerais, no dia 15 de abril de 1928, Vida também deu o primeiro beijo gay da TV brasileira, nos anos 60, em um dos episódios do programa TV de Vanguarda, também da TV Tupi. Na ocasião, ela e Geórgia Gomide interpretavam diretoras de um internato para meninas que se apaixonam.
/2017
Presidente do STF, Cármen Lúcia, quer convocar o Exército IMEDIATAMENTE, VEJA!
A iniciativa começou a ser discutida em dezembro por Cármen Lúcia com as instituições.
A Presidente do Supremo Tribunal Federal, quer convocar imediatamente o Exército, pois disse que os acontecimentos estão cada vez mais graves no nosso país. Cármen Lúcia estuda a possível oportunidade de fazer um recenseamento para a população carcerária.
A Presidente do STF se reunirá com os presidentes dos Tribunais de Justiça de Manaus para ver o que é possível fazer para diminuir o índice de violência e criminalidade no Brasil. Ela entende que o ocorrido em Manaus é um fato muito grave e que deve ser tomada uma providência em relação a isso para não voltar a ocorrer novamente.
130 presos já foram transferidos para uma penitenciária que estaria desativada até o momento, porém foi a única solução possível no momento para que não venha acontecer outra nova rebelião. Contudo, a Presidente do Supremo Tribunal Federal disse que apesar de tudo, o ocorrido não foi nada surpreendente e que já era de se esperar, pois essa ‘guerra’ já está prevista há muito tempo.

Durante o tempo em que permaneceu na carceragem da Polícia Federal, em CURITIBA, o deputado cassado EDUARDO CUNHA passou a exercer voz de comando e organizar os afazeres do dia no local, segundo investigadores. Desde que foi transferido para PINHAIS, no entanto, há três semanas, o peemedebista vem dando sinais de abatimento por estar num regime mais restrito, sozinho numa cela e privado do contato com os demais presos, inclusive no banho de sol.
Na carceragem da PF, CUNHA tinha mais liberdade de circulação e não se sentia tão isolado. Enquanto esteve em CURITIBA, conviveu com OLÍVIO RODRIGUES e LUIZ EDUARDO SOARES, dois delatores que atuaram no Setor de Operações Estruturadas, o departamento de propinas da ODEBRECHT. Ambos foram soltos no mesmo dia em que CUNHA foi transferido para o Complexo Médico-Penal de SÃO JOSÉ DOS PINHAIS.
A defesa do peemedebista foi contrária à mudança. Reclamou que implicaria contato mais restrito com os advogados e, em recurso ao Supremo Tribunal Federal, afirmou que a transferência para o presídio tinha o objetivo de pressioná-lo a fazer um acordo de delação premiada.
Incomodado com o andamento de seus processos, CUNHA decidiu se dedicar exclusivamente a estudar sua defesa e orientar os advogados.
O peemedebista abandonou, por tempo indeterminado, a ideia de escrever um livro, que, segundo ele, contaria os bastidores do impeachment da petista DILMA e seria seu “presente de NATAL” aos inimigos políticos.
Envolvido com os detalhes da defesa, CUNHA chegou a comentar com interlocutores que, embora discorde das decisões do juiz SÉRGIO MORO e do modo como o magistrado atua no processo, enxerga nele um profissional bem preparado. Segundo relatos, o peemedebista percebeu que o juiz lê todas as longas petições e disse que MRO se diferencia dos demais magistrados pela “inteligência”.
Sobre a disputa entre sua  defesa e os acusadores, CUNHA tem dito que alcançou vitórias, em especial, ao ver tanto as testemunhas de acusação como as de defesa negarem sua responsabilidade na nomeação de JORGE ZELADA para a diretoria de Internacional da PETROBRÁS.
Conforme relato do deputado cassado a interlocutores, isso exclui o ato de ofício necessário para imputação do crime de corrupção.

A Polícia Federal indiciou o engenheiro GLAUCO LEGATTI, ex-gerente da Refinaria ABREU E LIMA, empreendimento da PETROBRÁS em PERNAMBUCO, por corrupção passiva e organização criminosa. O indiciamento também atribui os crimes de corrupção ativa, lavagem de dinheiro e organização criminosa ao engenheiro SHINKO NAKANDAKARI, apontado pela LAVA JATO como operador de propinas, e ao executivo ERTON MEDEIROS FONSECA, ligado à GALVÃO ENGENHARIA.
ABREU E LIMA, no RECIFE, foi o primeiro alvo da LAVA JATO no âmbito da PETROBRÁS. A investigação apontou um superfaturamento bilionário na refinaria.
Em novembro, LEGATTI procurou a força-tarefa da LAVA JATO para prestar “esclarecimentos de forma espontânea”, após ter sua tentativa de delação premiada frustrada. O ex-gerente disse ter recebido propina da ODEBRECHT e de SHINKO NAKANDAKARI e entregou documentos que comprovariam as declarações.
O indiciamento de LEGATTI se refere a “crimes de corrupção passiva, por ter recebido vantagem indevida alcançada pela GALVÃO ENGENHARIA, em razão de sua função como gerente da refinaria.”  
O criminalista LUÍS GUSTAVO RODRIGUES FLORES disse apenas que o indiciamento de LEGATTI “não é surpresa”. A defesa dos outros indiciados não foi localizada.

A força-tarefa da Policia Civil do AMAZONAS que investiga o massacre no Complexo Penitenciário ANÍSIO JOBIM – COMPAJ – identificou oito líderes da facção FAMÍLIA DO NORTE, acusados de coordenar o assassinato de56 detentos na unidade. O Secretário de Segurança Pública do AMAZONAS, SÉRGIO FONTES, informou hoje que deve encaminhar ao Ministério da Justiça o pedido para transferência de todos a presídios federais.
Para FONTES, tem de haver cuidado na seleção dos que serão transferidos. “Não adianta mandar muitos, mandar “um prego” porque volta como liderança”.
Os investigadores se detêm em uma primeira fase na análise da gravação do circuito interno de segurança do presídio, que poderá oferecer provas de quem cometeu cada assassinato. A secretaria não descarta que ainda haja armas em posse dos presos, já que as imagens mostram diversos artefatos que não foram apreendidos; ao fim da rebelião, os detentos devolveram quatro pistolas e uma espingarda calibre 12. A perícia mostrou, no entanto, que mais armas curtas e ao menos mais uma arma longa aparecem nas gravações. Celulares apreendidos deverão ter a memória vasculhada em busca de novas imagens do massacre.
As autoridades acreditam que a parte da unidade de regime semiaberto localizada vizinha ao COMPAJ, que abriga presos em regime fechado, tenha alimentado o motim com as armas. Para apurar essa hipótese, o Secretário de Segurança Pública do AMAZONAS, SÉRGIO FONTES, disse ao ESTADO hoje que agentes públicos podem estar envolvidos nesse processo de facilitação. “É perfeitamente viável essa possibilidade”. Além disso, os investigadores esperam poder recolher depoimento de presos que testemunharam o ataque.
FONTES destacou que o reforço policial nos últimos dois anos, principalmente na região metropolitana, levou o ritmo de prisões a mais do que dobrar, o que contribuiu para agravar a situação considerada já precária dos presídios. Para evitar que os que tenham cometido crimes menos graves acabem se transformando em massa de manobra da facção, a administração quer acelerar a separação dos detentos de acordo com a gravidade do delito cometido. Mas, para isso, é necessária a construção de novas unidades. “Imagine alguém entrando no sistema agora, tendo cometido um crime, e chegando lá alguém bate no ombro e pergunta, depois do que aconteceu: “E aí, filho, você vai para que facção?”. O cara vai fazer o quê? É a mesma lógica do ESTADO ISLÂMICO”.

De acordo com o órgão de comunicação da REDE GLOBO DE TV, VINÍCIUS, o filho do apresentador do Jornal Nacional, WILLIAM BONNER e da jornalista FÁTIMA BERNARDES, passa bem. O rapaz de dezenove anos fo vítima de um desastre de automóvel quando viajava na RJ-106, entre a cidade de Búzios e Cabo Frio.
A informação é da Purepeople, que esteve com o setor jornalístico da Globo. De acordo com notícias, o rapaz se encontra fora de perigo e está em boas condições.
O impacto
O apresentador William, pai do acidentado, não apresentou o Jornal Nacional nesta terça-feira (3), foi substituído pelo jornalista Chico Pinheiro. A sua mãe, Fátima, está de férias.
Sobre o acidente
O filho da apresentadora do "Encontros" estava com um amigo, Giuliano Costa. Eles estavam na BR, quando o veículo em que se encontravam colidiu com um caminhão.
Eles foram socorridos e levados ao pronto-socorro da cidade de Tamoios (Cabo Frio). O jovem filho dos famosos teve alta e ficou fora de perigo. No entanto, o seu colega foi para outro hospital, o Santa Izabel, pois o seu estado de saúde inspirou maiores cuidados.
Comentários no "Encontros"
Nesta quarta-feira (4), a substituta de Fátima no programa matinal, Ana Furtado, falou sobre o incidente com o filho dos jornalistas. "Que Vinícius estava no carro, mas que não sofreu nenhum tipo de problemas e que está fora de perigo".
"Giuliano está em processo de recuperação e continua hospitalizado". A comunicadora desejou "muita força para os familiares e que todos estão na torcida, para que fique bom, o mais rápido possível", disse.
Foi um vídeo curto de 24s, sem rodeios ou maiores detalhes. Ana só informou o básico e foi bem rápida e sucinta em suas palavras. A emissora da Globo não quis chamar muita atenção sobre o assunto.
Fátima e Bonner já são muito comentados nas redes sociais pela separação do casal. Eles são alvos constantes de alfinetadas dos internautas. Nesse final de ano, o nome deles foi bastante citado nas redes sociais a respeito da retrospectiva do ano que passou. Eles não apareceram na homenagem e os fãs e seguidores ficaram chateados e postaram muitas mensagens e opiniões a respeito do assunto

A TURQUIA tem certeza sobre a identidade do atirador que matou 39 pessoas em uma boate de ISTAMBUL na noite do ANO NOVO, disse o ministro das Relações Exteriores, MEVLUT CAVUSOGLU. Novas prisões foram feitas hoje, mas o autor do ataque continuava foragido. O atirador matou um policial e um civil na entrada da famosa boate REINA e depois abriu fogo com um fuzil no interior do local, recarregando sua arma meia dúzia de vezes e atirando nos que estavam feridos no chão. O ESTADO ISLÂMICO reivindicou a autoria do ataque, dizendo ter sido uma represália pelo envolvimento militar da TURQUIA na SÍRIA.
“A identidade da pessoa que cometeu o ataque em ORTAKOY (bairro onde fica a boate) foi determinada, a investigação continua”, disse o chanceler em entrevista na TV, sem dar mais detalhes. Uma fonte de segurança e um jornal turco disseram na terça-feira que o atirador conhece táticas de guerrilha e pode ter treinado na SÍRIA. Uma imagem do suspeito foi divulgada por uma TV pública e logo tirada do ar.
A polícia prendeu hoje 27 suspeitos de pertencer ao EI na Província de ESMIRNA, no oeste da TURQUIA, por sua suposta vinculação com o ataque à boate. Segundo o jornal HURRIYET, os detidos, entre eles vários menores, pertencem a três famílias da ÁSIA CENTRAL que supostamente conviviam com o atacante na cidade de KONYA (centro) e tinham fugido de suas casas após o atentado. Outras 16 pessoas foram detidas em ISTAMBUL e em KONYA entre domingo e hoje.
Segundo as investigações, o líder da célula que cometeu o ataque estava em KONYA, responde pelo pseudônimo de “YOUSEF HOCA” e teria organizado a viagem do atirador de KONYA para ISTAMBUL.