segunda-feira, 24 de novembro de 2014

Tudo por São Paulo 1932: Walter Kuhlmann de Azambuja, 7º BCR - REDUX

Tudo por São Paulo 1932: Walter Kuhlmann de Azambuja, 7º BCR - REDUX: Walter Kuhlmann de Azambuja (1910-1972) 7º BCR Batalhão de Reservistas de Santos 1ª CIA/Soldado 97 Hoje trago uma matéria originalmente...

Bailado Joinville Le Pont pelos Cadetes da APMBB - 28set11.

MONOTRILHO DE WUPPERTAL, O PRIMEIRO TREM SUSPENSO DO MUNDO - CRÉDITOS AO CORONEL PM TOGNETTI

TOGNETTI, Americo

Anexos23 de nov (Há 1 dia)
para "Undisclosed-R.
 
----- Original Message -----
From: Péricles
Sent: Saturday, November 22, 2014 1:00 AM
Subject: TREM SUSPENSO DA ALEMANHA FAZ 100 ANOS !!!

Conheça o monotrilho de Wuppertal, o primeiro trem suspenso do mundo 

(não é em Borkina Fasso, na Somalia, em Mali, nem no Gabão, embora esses lugares sejam milênios mais antigos que "o alemannia" <???>)

Pensar em um sistema de transporte eficiente, relativamente barato e capaz de não interferir no trânsito de outros meios de locomoção é um dos temas mais recorrentes em discussões que versam sobre mobilidade. Hoje, inclusive, pensar em soluções alternativas ao problema do crescimento acelerado e descontrolado das grandes cidades é um verdadeiro desafio.
E devemos considerar: dispositivos até poucos anos vistos como “exageros da ciência” cabem atualmente em nossos bolsos; saídas inteligentes que deveriam usar os avanços da tecnologia para remediar o caos nos centros urbanos são ainda “o sétimo selo” quando se toca, de alguma forma, no campo das políticas e estratégias de transporte.
Mas e se uma possível solução já estiver em pleno funcionamento? Ainda mais: e se esse fabuloso transportador de passageiros tiver mais de 100 anos? Pois saiba que Henry Palmer, um engenheiro inglês, idealizou em 1824 o que pouco mais tarde se chamaria de “monotrilho” ou “trem suspenso”.
Apesar de ter sido concebido por um inglês, um engenheiro alemão chamado Carl Eugen Langen foi o construtor do primeiro vagão motorizado suspenso do mundo. O protótipo pairou sobre um conglomerado de vilarejos alemães pela primeira vez em 1897 – mais tarde (em 1929), essa região proclamou-se como a conhecida cidade de Wuppertal, localizada na região de Renânia do Norte-Verstfália, às margens do rio Wupper (sul da região de Ruhr).
Notado o sucesso do trem suspenso, a construção de um modelo capaz de transportar pessoas foi finalmente iniciada: de 1898 a 1901, o mestre de obras Wilhem Feldmann conduziu as operações que deram forma ao monotrilho de nome “Wuppertaler Schwebebahn” (que significa, em tradução livre do alemão, “trem suspenso de Wuppertal”).
Curiosidade: em outubro de 1900, um ano antes da conclusão das obras, o imperador alemão William II chegou a dar uma volta de monotrilho durante os ensaios finais que consolidariam o trem como a principal atração da futura cidade de Wuppertal.
Atualmente, o monotrilho é capaz de transportar 75 mil passageiros por dia (praticamente 25 milhões deles a cada ano). O trem suspenso percorre um trajeto de 13,3 km a uma velocidade média de 60 km/h, fazendo 20 paradas em duas dezenas de estações. Cada vagão mede 24 metros de comprimento e pode carregar até 130 pessoas.
De toda viagem, cerca de 10 km são percorridos sobre o rio Wupper. Isso mesmo, quase todo o trajeto do trem suspenso de Wuppertal proporciona aos passageiros uma visão privilegiada. Quando pairam sobre as águas agarrados ao seu trilho, os vagões ficam a uma altura de 12 metros; em seus 3,3 km restantes, o monotrilho “alça voo” à distância de 8 metros do solo.
Ao contrário do que se pode naturalmente pensar, o monotrilho não passou por grandes períodos de reforma ou interdições nesses últimos 112 anos – mesmo enfrentando duas guerras mundiais, diga-se de passagem.
Durante a Grande Guerra (1914 – 1918), a Alemanha exportou muito contingente masculino, deixando praticamente todos os campos de trabalho nas mãos das mulheres – que não possuíam, na época, habilidades necessariamente adequadas à manutenção do trem suspenso.
A Segunda Grande Guerra (1939 – 1945) quase não foi capaz de dobrar os trilhos do trem suspenso de Wuppertal. Apesar de ter sido bombardeada por aviões e ter sido então danificada, a estrutura do tal meio de transporte alemão resistiu bravamente durante o legado de Hitler. Apenas uma rápida interdição fora feita no final de 1945; em 1946, o monotrilho já operava a todo vapor.
Assista ao vídeo anexo e faça um tour por algumas das estações deste fantástico trem que, além de ter resistido a duas Guerras Mundiais, é hoje fonte de inspiração para vários projetos que levam como conceito a ideia originária de Henry Palmer, o projetista inglês do monotrilho.
Desde 1901, ano de sua inauguração, o monotrilho tem se destacado como modelo ótimo de meio de transporte. Pouco espaço em terra é utilizado para instalação das colunas que o sustentam; não há também interferência em outras alternativas de mobilidade – uma vez que os vagões percorrem trilhos que ficam suspensos sobre as ruas. Esse modelo de transporte é hoje adotado por várias cidades mundo afora (Kuala Lumpur, Sydney, Osaka e Tóquio são alguns dos exemplos).>>>>>> (http://www.tecmundo.com.br/trem/40297-conheca-o-monotrilho-de-wuppertal-o-primeiro-trem-suspenso-do-mundo.htm)

[HQ] - Adya Classic - Medley - 02.06.2012


L ESPECTACULAR QUE TE ALEGRARÁ EL DIA
----- Original Message -----
Enviado: quinta-feira, novembro 20, 2014 18:23
Assunto: MUSICAL ESPECTACULAR ONU QUE TE ALEGRARÁ EL DIA
Clásico Popurrí Excepcional, Iniciá con La Marcha Triunfal de Aida
  culmina y con la Marcha Radetzky

















COMANDANTE HORÁCIO ENCONTRA A SOLUÇÃO PARA TODOS OS MALES ATUALÍSSIMOS!!!!!

A COLUNA, PRESTES?
Segunda-feira, 24 de novembro de 2014.

A situação política brasileira caminha para o fim de velhos e perniciosos costumes, abrindo portas ao novo mundo, ideias, caráter, o Hair acontecendo.
E nada mais diarreiante do que ler isto, aquilo, impeachment, reeleição, ele pegou, não pegou, mas todo mundo pega. Revolução já, pegamos em armas, tudo se resume em pegar, ainda mais nesta época de libertação dos costumes, filosofias, o barato é pegar.
Não nos demos conta do aliado maior que assiste de camarote o descabelar de gregos e troianos, quem é a senhora elegante, joias raras enfeitando-lhe o colo, o rosto lindo, róseo, olhos verdes, cabelos negros, viçosos, quem, senão a nobre Morte se emocionando com o desenrolar da sinfonia.
Tremem os temerosos, os eternos que dizem, eu não vou morrer... enquanto isso, o pega-pega, olha o verbo novamente, aumenta, CPI disto, daquilo e CPI da CPI, prisão, soltura, a Policia Federal não tem mais onde colocar tanto tubarão preso, coisa raríssima, Cabral deve estar se virando no túmulo, emocionado.
Madame Morte vai ceifando este, aquele, desgastados pela cobiça, ambição, poder, ela monta e cavalga até a exaustão da nova presa. E os tempos chegam para todos. Madame Morte se encarregará dos comandos, forças, milícias, movimentos, partidos, ela vai tirar um a um, abrirá as cortinas da liberdade para que os novos possam respirar. Ela é a semeadora de novas espécies não apenas a trágica e malcheirosa velha como ensinavam os velhos livros.
O poderoso andar marcial, postura reta, curvam-se diante da idade, a coluna não ´se presta mais aos arroubos sexuais, aventureiros, dura na queda.
Colunas são feitas para serem derrubadas e quanto maiores, maiores os tombos. Colunas de governantes, reis, presidentes, imperadores, se quebraram e continuam se quebrando, elas vergam e quebram.
Uma coluna que não se presta para mais nada é uma coluna gessada, imobilizada e posta no museu da história que, dependendo do porão, pode se desintegrar.
Ouçamos a melodia, digamos o Bolero de Ravel, a música que nasce, cresce, se torna forte e morre ao soar dos compassos tímidos, trôpegos.
Não se desesperem ao sair. Calma, calma, muitos serão transferidos para o castelo do outro lado desse mundo, deve ser um paraíso porque todos que foram não voltaram, pelo menos é o que se diz.
Paciência e tempo, tempo e paciência a hora está chegando a ópera está no fim.