segunda-feira, 21 de setembro de 2015

HISTÓRICO DA SOCIEDADE VETERANOS DE 32-MMDC (ATENDENDO A PEDIDOS) - VAI ATÉ DEZEMBRO DE 1997

HISTÓRICO DA SOCIEDADE VETERANOS DE 32 – MMDC


Foi fundada a 7 de julho de 1954. É uma sociedade civil sem fins lucrativos, com propósitos cívicos e patrióticos e de assistência médica, auxílio funeral e assistência junto à Secretaria de Gestão (antiga Secretaria da Criança, Família e Bem estar Social), quanto ao auxílio – PENSÃO DA LEI ESTADUAL Nº 1.890/78, aos veteranos e às viúvas de veteranos, LEI ESTADUAL Nº 3.988/88
Durante mais de 45 anos a sede da Sociedade Veteranos de 32 – MMDC se situou à Rua Anita Garibaldi, nº 25, no Centro da cidade de São Paulo (vizinha ao Corpo de Bombeiros). Ocorre que, após a revitalização do prédio em 2009, feita pela prefeitura, com a intervenção do Presidente do Tribunal de Justiça, verificou-se que o principal problema do prédio não foi resolvido e infiltrações de águas pluviais causaram grandes estragos ao longo dos anos 2010 a 2014. Solicitamos a intervenção da SubPrefeitura da SÉ para a realização da reforma, complementando-se a revitalização de 2009. Isso não foi feito e, em fins de 2014 não foi mais possível atuar nesse endereço. A Sociedade não tinha mais meios de comunicação: ficou sem o telefone, por causa da umidade nos fios, e sem a possibilidade de usar o computador. Durante 65 dias usamos uma sala no sexto andar do Corpo de Bombeiros. Foi então que, no dia 8 de dezembro de 2014 a sede da Sociedade foi transferida para o Monumento Mausoléu ao Soldado Constitucionalista de 32, conhecido como OBELISCO DO IBIRAPUERA (cuja reinauguração se deu em 9 de dezembro de 2014).
Tem a Sociedade por fim precípuo preservar, na memória do povo paulista, a dignidade e a grandeza do Movimento Constitucionalista de 32. Em cumprimento às suas finalidades a Sociedade propõe-se a:
-Promover eventos cívico-militares e religiosos visando a rememorar os feitos e figuras expressivas do Movimento Constitucionalista de 32, em especial as datas de 23 de maio, 9 de julho, 2 de outubro e 2 de novembro, para cuja organização se valerá do apoio da Polícia Militar do Estado de São Paulo;
-Congregar os sócios em um corpo único, com o intuito de defender, intransigentemente, os interesses coletivos da classe, sem nunca perder de vista a inserção da mesma no campo dos altos objetivos nacionais;
-Promover o entrosamento dos descendentes dos veteranos, oficiais e praças da Polícia Militar do Estado de São Paulo, em atividade ou inativos, visto que são herdeiros das tradições da corporação, na sua participação ativa no Movimento Constitucionalista de 32 ;
-Prestar assistência social a veteranos, suas viúvas e dependentes disso carentes, internação hospitalar de acordo com a Lei Nº 5 049, de 22 de abril de 1986, comprovada sua filiação à Sociedade, aplicado ao regulamento da Lei Nº 1890/78. Fornecer material didático aos que estiverem cursando até o 2º Grau; manter o Monumento – Mausoléu do Soldado Constitucionalista, cujo Diretor é o Comandante da Academia de Polícia Militar do Barro Branco e a guarda afeta ao Batalhão da área;
-Imortalizar os despojos dos heróis constitucionalistas no Monumento Mausoléu;
-Organizar e atualizar um Memorial Constitucionalista “9 de julho” e um Arquivo Histórico e Biblioteca do Movimento Constitucionalista;
-Realizar cursos e conferências sobre o Movimento Constitucionalista:
-Promover visitação a lugares históricos do Movimento Constitucionalista;
-Organizar e/ou reconhecer entidades congêneres em outra cidades;
-Manter estreito relacionamento com o comando da Polícia Militar do Estado de São Paulo, com vistas às suas finalidades;
-Defender o modo de vida brasileiro e as tradições, ideais e interesses da Pátria, em concordância com os preceitos constitucionais, intransferíveis e impostergáveis, atribuídos a todos os brasileiros.

A Sociedade Veteranos de 32 – MMDC foi reconhecida de utilidade pública pelo Decreto estadual Nº 5.530, de 14 de janeiro de 1.960 e pelo Decreto Municipal Nº 8.790, de 23 de maio de 1.979.
Quando de sua fundação, os sócios (obrigatoriamente veteranos de 32) reuniram-se no antigo torreão do Pátio do Colégio, por condescendência daqueles que promoviam a demolição do velho prédio, a fim de reconstruírem a Cabana de Anchieta e o Colégio dos Jesuítas, programada para o Quarto Centenário de São Paulo.
Sabiam os Veteranos de 32 o que significavam para São Paulo aquelas ruínas sagradas da capela do Colégio de Anchieta e reagiram quanto à demolição. Houve até ameaças de conflito e os soldados de 32 já se dispunham a ocupar o Pátio do Colégio para lutar novamente, não mais defendendo o torreão onde faziam suas reuniões, mas o próprio chão paulista.
Alguns nomes se destacaram nesta luta: Vilhena, Vilalva e outros que armados de revólveres tentavam evitar o duplo ultraje: a queda do torreão e o desalojamento dos ex-combatentes de 32.
Na época, o venerando e boníssimo padre Pedreira, com toda a sua humildade, não percebia a intriga que estava armada contra os veteranos e, pesaroso, pedia ao então presidente da Sociedade, Mércio Prudente Corrêa, a devolução do torreão para que se processasse a demolição. Delicadamente não foi atendido.
Surgiram tapumes e, mais tarde, os veteranos foram barrados de entrar no torreão. Os restauradores prometiam que salas seriam cedidas à Sociedade Veteranos de 32 após o trabalho de demolição.
Aproximava-se o Quarto Centenário de São Paulo e se notava que da Epopéia de 32 pouca coisa iria sobrar. A incipiente Sociedade cívica dos Veteranos de 32 tinha como meta perpetuar os feitos e fatos do Movimento Constitucionalista, colocando a Revolução na História do Brasil.
Um dia, no Pátio do Colégio, com frio intenso e sob a tradicional garoa paulista, ao relento, tendo como mesa apenas o capô de um automóvel e a luz da rua, sempre com a indefectível vigilância dos agentes do DOPS, realizaram mais uma reunião e depois prosseguiram numa caminhada à Casa de amigos. Mas tudo foi em vão.A demolição aconteceu e a Sociedade ficou desamparada.

Almoço de confraternização dos Veteranos da Revolução Constitucionalista de 1932 no Restaurante da LIGA DAS SENHORAS CATÓLICAS – RUA FORMOSA – VIADUTO DO CHÁ, em comemoração do dia da Fundação da Cidade de SÃO PAULO, no dia 25 de janeiro de 1957. Eram divulgadas as solenidades para a comemoração do “JUBILEU DE PRATA” da Revolução. A Sociedade Veteranos de 32-MMDC estava instalada na Galeria PRESTES MAIA.

Convocada pelos veteranos de 1932-MMDC foi realizada na noite de 26 de maio de 1955, no torreão do antigo edifício do Palácio do Governo, no PÁTIO DO COLÉGIO, importante reunião daquela associação. Debateu-se, num clima de ordem e civismo, o veto do governador do Estado ao projeto de lei que concedia 23 milhões de cruzeiros para a conclusão do Monumento do Soldado Constitucionalista. Compareceu grande número de associados daquela entidade, em sua maioria veteranos da revolução, tendo presidido os trabalhos o senhor MÉRCIO PRUDENTE CORRÊA, que fez um apelo ao governo e ao povo para que não deixassem a meio caminho as obras do Mausoléu. Foram formulados vários protestos pelo veto ao projeto de auxílio e, logo em seguida, foi oferecido um voto de aplauso ao vereador PAULO VIEIRA, autor do projeto que concede 20 milhões de cruzeiros às obras do monumento.
Ficou decidido ainda, que a Associação não cessaria seus esforços enquanto não alcançasse seus objetivos, ainda que devesse sair às ruas pedir ao povo fundos para a conclusão das obras.
Falaram diversos oradores, todos exaltando o sentido da obra do escultor GALILEU EMENDABILI, que também se achava presente. O presidente MÉRCIO PRUDENTE CORRÊA destacou a figura do professor BENEDITO MONTENEGRO, presidente da Comissão Pró-Monumento, cuja luta ao longo de tantos anos deveria se transformar, agora, num estímulo aos que desejassem ver de pé a homenagem ao soldado de 32.
GALILEU EMENDABILI, responsável pela grande obra inacabada do IBIRAPUERA, não escondeu sua decepção pelo veto aposto ao projeto que dava origem â reunião. Revelou que a conclusão da obra depende ainda de mais 40 milhões de cruzeiros, mas acredita que a Câmara Municipal, a Assembléia Legislativa, o povo e o próprio Executivo estadual não permitirão que essa ajuda se ausente da homenagem que se quer fazer aos mortos de 32.  

No dia 27 de junho de 1957 reuniam-se os veteranos de 32, componentes do BATALHÃO “PAES LEME”, na Rua FORMOSA, 367S, 16º andar. A mesa que presidiu a reunião foi composta por FRANCISCO D´ALCÂNTARA QUARTIER, ex-comandante do BATALHAO “PAES LEME”, doutor JOÃO DE DEUS BUENO DOS REIS, JOSÉ ACÁCIO FONTOURA, CONRADO SERGENICHT FILHO e engenheiro RICARDO GUIMARÃES SOBRINHO. Durante a reunião que contou com grande número de ex-combatentes, foram rememorados os principais feitos do batalhão e lidas as atas de antigas reuniões, ficando resolvido o seguinte: 1º - apoiar integralmente o programa organizado pelos veteranos de 32 da MMDC e das rádios emissoras de São Paulo. 2º - comparecimento de todos os componentes do batalhão, às 7:30 horas do dia 9 de julho, na praça JOÃO MENDES, atrás da Catedral, para, incorporados, assistirem a missa das 8 horas. 3º - acompanhamento do cortejo até o IBIRAPUERA, em cujo mausoléu será depositada uma coroa na urna que guarda os despojos de FERNÃO SALES, simbolizando a homenagem do batalhão a todos os seus mortos. 4º - realização de nova reunião, à rua FORMOSA, 367, 16º andar, às 20 horas do dia 3 de julho de 1957, quarta-feira, para a qual ficam convocados todos os integrantes do batalhão.    
Foi aí que um prefeito cedeu, a título precário, um desvão de escada na Galeria Prestes Maia. Nesse lugar, a Sociedade Veteranos de 32 MMDC ficou até o ano de 1.969.

Primeira reunião do CONSELHO SUPREMO da SOCIEDADE VETERANOS DE 32-MMDC, realizada no auditório “CARLOS DE SOUZA NAZARETH”, na ASSOCIAÇÃO COMERCIAL DE SÃO PAULO, em 19 de maio de 1959. Numa ASSEMBLÉIA GERAL EXTRAORDINÁRIA, foi eleito para PRESIDENTE DO CONSELHO o doutor JOSÉ AUGUSTO CÉSAR SALGADO. Foram escolhidos como secretários o doutor GERALDO GOULART e FRANCISCO CALDEIRA BELLEGARDE FILHO. Também foi eleito o primeiro presidente da DIRETORIA EXECUTIVA, MÉRCIO PRUDENTE CORRÊA, ficando a data de 23 de maio para a posse do presidente. 

Reunião do CONSELHO SUPREMO DA SOCIEDADE VETERANOS DE 32-MMDC para a eleição do presidente do Conselho e do presidente da Diretoria Executiva, em 11 de março de 1964. Foi eleito o Dr. LAURO DE BARROS SICILIANO para o Conselho Supremo, assumindo o cargo em 23 de maio de 1964. Para a presidência da Diretoria Executiva foi eleito o General WALDEMIRO MEIRELLES MAIA, assumindo em 19 de março de 1964, em virtude da crise política que assolou o País naquele ano. Essa reunião foi realizada no SALÃO RUI FONSECA, na ASSOCIAÇÃO COMERCIAL DE SÃO PAULO. O então presidente do CONSELHO SUPREMO, MÉRCIO PRUDENTE CORRÊA, e da DIRETORIA EXECUTIVA, ELÍSIO LEAL, eram demissionários. ELÍSIO LEAL passara a presidência para o Dr. BENEDITO LANG.     

Entrada do Sr GERALDO FARIA MARCONDES na Sociedade Veteranos de 32-MMDC, no dia 27 de agosto de 1964, recebendo o número de sócio 5.314. Serviu na Revolução Constitucionalista de 1932 no 5º BC, de QUITAÚNA. O seu comandante na linha de frente era o CAPITÃO ROSA. Na época do movimento passou pelo setor norte: SÃO LUIZ DE PARAITINGA, TÚNEL, FAZENDA BELLA, QUELUZ, PINHEIROS e CRUZEIRO. Ferido em combate, esteve no Hospital Militar do CAMBUCI. O Sr MARCONDES ocupou diversos cargos na Diretoria Executiva da Sociedade Veteranos de 32-MMDC, inclusive os de presidente do CONSELHO SUPREMO e da DIRETORIA EXECUTIVA. Em 9 de julho de 2002 assumiu o cargo de Presidente da Diretoria Executiva para um mandato de três anos. Em 7 de julho de 2005 deixa a Presidência, sendo substituído pelo CAPITÃO Ref GINO STRUFFALDI, do Exército, combatente de 1932, eleito para o cargo em 27 de abril de 2005. Cumpriu o primeiro mandato até 7 de julho de 2007. Ele nomeou o Sr GERALDO FARIA MARCONDES como DIRETOR DO MONUMENTO-MAUSOLÉU. Em 2006, com sérios problemas de saúde na pessoa de sua esposa, dona JÚLIA, ele pediu demissão do cargo de Diretor do Monumento, cargo esse assumido pelo Professor JOSÉ CARLOS DE BARROS LIMA. No dia 6 de julho de 2007, GINO STRUFFALDI foi reeleito e cumpriu o segundo mandato até 7 de julho de 2009. Senhor GERALDO FARIA MARCONDES perde a esposa, dona JÚLIA, em 28 de dezembro de 2007. Falece no dia 25 de julho de 2008. Seu corpo foi exposto no Monumento Mausoléu do Soldado Constitucionalista, na noite de 25 para 26 de julho. Foi rezada missa de corpo presente no Monumento e o enterro realizou-se no Cemitério São Paulo, no dia 26 de julho de 2008. 

Reunião do CONSELHO SUPREMO da Sociedade Veteranos de 32-MMDC, no Instituto de Engenharia PALÁCIO MAUÁ, viaduto dona PAULINA, número 80, 8º andar, em 30 de março de 1966. Foram reeleitos para a presidência do CONSELHO SUPREMO o dr. LAURO DE BARROS SICILIANO e para a presidência da DIRETORIA EXECUTIVA, o general WALDEMIRO MEIRELLES  MAIA.  A posse dar-se-ia em 23 de maio de 1966 para o biênio 1966/1968.

Diretores da entidade, João Cintra Filho e Francisco Molinari desentranharam dos arquivos um ofício enviado em 1.963 ao Sr. Prefeito; dão-lhe nova redação, atualizando-o, e no dia 20 de maio de 1.968 entregaram ao General Meirelles Maia, Presidente da Sociedade. No dia 22 de maio, na casa do Comandante Saldanha da Gama, na solenidade de outorga da Medalha MMDC ao Senhor Prefeito Brigadeiro Faria Lima e personalidades, o Presidente da Sociedade faz entrega do documento em que pede uma sede para o MMDC.

O Brigadeiro Faria Lima ficou surpreso ao saber em que condições eram realizadas as atividades da Sociedade Veteranos de 32 – MMDC assinando um ofício endereçado ao Tenente-Coronel Flávio Capeletti, seu chefe de gabinete militar da Prefeitura. Dizendo que a sede do MMDC teria de ser resolvida em oito dias

Na semana seguinte são chamados à Prefeitura João Cintra, Francisco Molinari e o Presidente recem-eleito, Nelson de Moraes Lopes, para decidirem quanto à escolha de um prédio – um na rua Conde do Pinhal, 88 e o outro na rua Anita Garibaldi, 25. Foi escolhido o segundo endereço.

O processo foi encaminhado a Coordenaria das Regionais (Sub-Prefeitura da Sé) que não o acolheu favorável. Voltou o mesmo às mãos do Prefeito que, com novo ofício da Sociedade Veteranos de 32 – MMDC, insistindo na escolha do prédio, sendo então homologado pelo Prefeito.

Em meados de novembro de 1.968, a Sociedade recebia aviso para desocupar urgentemente os Box da Galeria Prestes Maia onde funcionava, precariamente, a sede. Era Presidente na época, Nelson Moraes Lopes.

O DECRETO MUNICIPAL Nº 7.541, de 5 de julho de 1.968 autorizou a permissão de uso, a título precário, de imóvel de propriedade Municipal, na Rua Anita Garibaldi, º 25.
A Assembléia Legislativa, pelo Presidente Doutor Nelson Pereira, colocou à disposição da Sociedade o mobiliário que pertenceu à antiga Assembléia, colaborando com a Sociedade.
Finalmente, a Sociedade deixava a Galeria Prestes Maia e se instalou definitivamente na Rua Anita Garibaldi, nº 25, onde desenvolve suas atividades até os dias de hoje.
MÉRCIO PRUDENTE CORRÊA foi o primeiro presidente da Sociedade Veteranos de 32-MMDC, fundada em 7 de julho de 1954. Nasceu em 11 de março de 1908. Faleceu no dia 20 de abril de 1983, no Hospital SANTA CATARINA, em SÃO PAULO, vítima de insuficiência cardíaca congestiva, doença pulmonar crônica obstrutiva. Estava com 75 anos. Seu filho, MÉRCIO PRUDENTE CORRÊA FILHO, solicitou à Sociedade Veteranos de 32-MMDC, em 2006, a autorização, deposição “ad perpetuum” das cinzas do ex-combatente. Por ocasião das comemorações do cinqüentenário da Revolução de 32, assim se pronunciou FRANCISCO BELLEGARDE FILHO “para não esquecermos nesta data memorável o nome de MÉRCIO PRUDENTE CORRÊA, fundador da Sociedade Veteranos de 32-MMDC, em 1954, e que hoje está com problemas de saúde nos seus pouco mais de 70 anos”. “queremos lembrar e prestar nossa homenagem ao grande soldado e lutador MÉRCIO PRUDENTE CORRÊA, por ter conseguido reagrupar os veteranos e reavivar o espírito de 1932, fazendo com que, hoje, o 9 de julho seja uma data nacional”. “Sempre tendo MÉRCIO PRUDENTE CORRÊA como líder, a Sociedade Veteranos de 32 continuou sua luta para conseguir a sede própria. Tanto que, em 1957, o então prefeito de SÃO PAULO, TOLEDO PIZZA, autorizou os Veteranos a ocuparem o desvão de escadas e uma vitrine na GALERIA PRESTES MAIA, onde programamos e oficializamos o 9 de Julho como data máxima da entidade”, diz BELLEGARDE. “Mas – continua – a 8 de julho de 1968, o prefeito FARIA LIMA, através do DECRETO NÚMERO 7.541 de 5 de julho de 1968, autorizou o uso do edifício da nossa atual sede, à Rua ANITA GARIBALDI, nº 25, onde até hoje nos reunimos”. Na sessão plenária do dia 4 de setembro de 1971, o presidente do Instituto Histórico e Geográfico de SÃO PAULO, AURELIANO LEITE, conferiu ao MÉRCIO PRUDENTE CORRÊA o COLAR D. PEDRO I. O colar foi criado para  comemorar a transladação das cinzas do Primeiro Imperador do BRASIL, da Igreja de SÃO VICENTE DE FORA, em LISBOA, para a CAPELA IMPERIAL, sob o MONUMENTO DA INDEPENDÊNCIA, na COLINA DO IPIRANGA, em SÃO PAULO, por ocasião das comemorações do sesquicentenário de nossa independência. O diploma da medalha está assinado pelo presidente AURELIANO LEITE e pelo Secretário do Conselho do Colar, HELIODORO TENÓRIO DA ROCHA MARQUES e datado de 23 de junho de 1976. No dia 21 de fevereiro de 2006, MÉRCIO PRUDENTE CORRÊA FILHO trouxe à Sociedade Veteranos de 32-MMDC várias fotografias da época em que seu pai foi presidente da Sociedade, bem como um livro onde consta a primeira ata da reunião da Diretoria Provisória da Sociedade. É datada de 8 de maio de 1957, sendo que MÉRCIO PRUDENTE CORRÊA era o presidente. Em 22 de abril de 1955 foi constituída a Diretoria Provisória, pelos Estatutos aprovados em reunião efetuada nessa data: MÉRCIO PRUDENTE CORRÊA – Presidente; FRANCISCO C. BELLEGARDE FILHO – Secretário; ELYSIO LEAL – Tesoureiro; EROS PRUDENTE CORRÊA, PAULO A. AQUILINI, LAMARTINE TEIXEIRA, EDMUNDO BAPTISTA, Dr. STYLITA RIBAS e PAULO F. RUCHEMBOCK, como diretores vogais. A COMISSÃO RELATORA DOS ESTATUTOS foi: Dr. OCTÁVIO UCHÔA DA VEIGA, Dr. HERMAN DE MORAES BARROS, Dr LAURO DE SAMPAIO ARAÚJO e Dr JOSÉ ANTUNES DE ABREU.

Convocada pelos veteranos de 1932-MMDC foi realizada na noite de 26 de maio de 1955, no torreão do antigo edifício do Palácio do Governo, no PÁTIO DO COLÉGIO, importante reunião daquela associação. Debateu-se, num clima de ordem e civismo, o veto do governador do Estado ao projeto de lei que concedia 23 milhões de cruzeiros para a conclusão do Monumento do Soldado Constitucionalista. Compareceu grande número de associados daquela entidade, em sua maioria veteranos da revolução, tendo presidido os trabalhos o senhor MÉRCIO PRUDENTE CORRÊA, que fez um apelo ao governo e ao povo para que não deixassem a meio caminho as obras do Mausoléu. Foram formulados vários protestos pelo veto ao projeto de auxílio e, logo em seguida, foi oferecido um voto de aplauso ao vereador PAULO VIEIRA, autor do projeto que concede 20 milhões de cruzeiros às obras do monumento.
Ficou decidido ainda, que a Associação não cessaria seus esforços enquanto não alcançasse seus objetivos, ainda que devesse sair às ruas pedir ao povo fundos para a conclusão das obras.
Falaram diversos oradores, todos exaltando o sentido da obra do escultor GALILEU EMENDABILI, que também se achava presente. O presidente MÉRCIO PRUDENTE CORRÊA destacou a figura do professor BENEDITO MONTENEGRO, presidente da Comissão Pró-Monumento, cuja luta ao longo de tantos anos deveria se transformar, agora, num estímulo aos que desejassem ver de pé a homenagem ao soldado de 32.
GALILEU EMENDABILI, responsável pela grande obra inacabada do IBIRAPUERA, não escondeu sua decepção pelo veto aposto ao projeto que dava origem â reunião. Revelou que a conclusão da obra depende ainda de mais 40 milhões de cruzeiros, mas acredita que a Câmara Municipal, a Assembléia Legislativa, o povo e o próprio Executivo estadual não permitirão que essa ajuda se ausente da homenagem que se quer fazer aos mortos de 32.  

Falece MARIA JOSÉ BARROSO, veterana da REVOLUÇÃO DE 1932, conhecida como “MARIA SOLDADO”, em 11 de fevereiro de 1958. Nasceu em 15 de dezembro de 1901. O número de inscrição de MARIA JOSÉ BARROSO na Sociedade Veteranos de 32-MMDC, onde começou em outubro de 1955, diz que ela nasceu em LIMEIRA, em 15 de dezembro de 1901. Serviu na Revolução Constitucionalista de 1932 na LEGIÃO NEGRA, nas frentes NORTE e SUL, como enfermeira. O jornal A GAZETA diz em 5 de setembro de 1932 que “uma mulher de cor, alistada na LEGIÃO NEGRA, vencendo toda a sorte de obstáculos e as durezas de uma viagem acidentada, uniu-se aos seus irmãos negros em pleno entrincheiramento na frente do sul, descrevendo a página mais profundamente comovedora, mais cheia de civismo, mais profundamente brasileira, da campanha constitucionalista, ao desafiar a morte nos combates encarniçados e mortíferos para o inimigo. MARIA DA LEGIÃO NEGRA! Mulher abnegada e nobre da sua raça.”
 O Museu que ficava no interior do Monumento-Mausoléu do IBIRAPUERA leva o seu nome. Em reunião da Diretoria Executiva de 20 de abril de 2006 determinou-se que esse Museu fosse transferido, em caráter precário, para o Colégio SANTO IVO, onde fica a exposição da Sociedade Veteranos de 32-MMDC, na LAPA, pois peças estavam sendo sucateadas do museu, numa situação de abandono no interior do Monumento Mausoléu, que se encontrava em restauro. No dia 24 de abril de 2006 foi feito cuidadoso inventário das peças situadas nesse Museu e, dias após, foram transferidas para o COLÉGIO SANTO IVO. No dia 20 de abril de 2006, o Professor JOSÉ CARLOS DE BARROS LIMA, coordenador do núcleo da LAPA, foi designado DIRETOR DO MUSEU “MARIA SOLDADO”. Em fevereiro de 2011 mandei para a Diretora de Comunicação Social da Sociedade Veteranos de 32-MMDC um breve histórico de MARIA JOSÉ BARROSO para ser publicado na edição do mês do jornal eletrônico “32 EM MOVIMENTO”, que foi colocada na web em fins de fevereiro desse ano.

Enterro de MARIA JOSÉ BARROSO, “MARIA SOLDADO”, falecida em 11 de fevereiro de 1958. O jornal “A GAZETA”, de 12 de fevereiro de 1958 publicava a seguinte notícia:
FALECEU A MULHER SÍMBOLO DE 32
O falecimento da senhora MARIA JOSÉ BARROSO, ocorrido ontem nesta Capital, causou profunda consternação, pois todos os que participaram direta ou indiretamente da Revolução Constitucionalista lembram-se da bravura demonstrada pela mulher combatente, assim chamada pelo seus heróicos feitos nas frentes revolucionárias, como integrante da LEGIÃO NEGRA. A bravura demonstrada por MARIA JOSÉ BARROSO causava sempre admiração a seus companheiros, razão pela qual passou a ser chamada de “MARIA SOLDADO”.
Terminada a Revolução, continuou a merecer a simpatia de todos e quando aparecia nas comemorações alusivas àquele movimento era sempre alvo das mais carinhosas e expressivas manifestações dos paulistas. Ainda recentemente, por ocasião do JUBILEU DE PRATA do Movimento Constitucionalista, em agosto de 1957, foi escolhida como “MULHER SÍMBOLO DE 32”, o que demonstra admiração e respeito que lhe atribuíram os ex-combatentes.
O seu corpo foi velado, em câmara ardente, na sede dos Veteranos de 32-MMDC, instalada na Galeria PRESTES MAIA, de onde saiu o enterro, hoje, às 10 horas, para o Cemitério do ARAÇÁ.

No dia 6 de julho de 1958 - inauguração das portas de bronze do Monumento-Mausoléu ao soldado de 32, no dia 6 de julho de 1958. Forma solenemente iniciadas nessa data as comemorações do 25 º aniversário da Revolução Constitucionalista de 1932. Às 10 horas, procedeu-se à inauguração das portas de bronze do Monumento-Mausoléu no PARQUE IBIRAPUERA. A esta cerimônia estiveram presentes os senhores: doutor JOSÉ ATALIBA LEONEL, secretário da Segurança Pública, representando o governador do Estado general PORFÍRIO DA PAZ; brigadeiro ARMANDO ARARIGBOIA, comandante da 4 ª Zona Aérea; D. PAULO ROLIM LOUREIRO, bispo auxiliar; doutor MARIO RONDINELLA, representando o magnífico reitor da Universidade de SP; major DOMINGUES COSTA HERNANDES, do CPOR; representantes de secretários do governo do Estado; dona OLGA PEREIRA PINTO, presidente da Associação Cívica Feminina; ÊNIO EVES MINHOTO, presidente do Centro Acadêmico XV DE AGOSTO; representantes da Câmara Municipal, da Associação Comercial e de outras entidades.
Após a bênção das portas por D. PAULO ROLIM LOUREIRO, falou o veterano MACHADO FLORENCE, chefe do cerimonial da Sociedade Veteranos de 32-MMDC, que expôs o significado das portas. A primeira, denominada “PORTA DA VIDA”, significa o trabalho, o progresso e a cultura do povo paulista, apresentando esculturas em alto relevo representativas de atividades econômicas e culturais de SÃO PAULO, na época da revolução constitucionalista. A segunda, chamada “PORTA DA GLÓRIA” é uma homenagem aos heróis de 1932 com esculturas representativas de suas lutas e sacrifícios. A “PORTA DA VIDA” está voltada para o nascente e a “PORTA DA GLÓRIA” para o poente.
Em seguida, a menina IARA MARIA PEREIRA LEITE e os meninos MÉRCIO PRUDENTE CORRÊA FILHO e LUIZ ANTÔNIO SIQUEIRA SAMPAIO do Departamento Júnior da Sociedade Veteranos de 32-MMDC fizeram entrega das chaves das portas aos senhores JOSÉ ATALIBA LEONEL, secretário da Segurança Pública e ao professor BENEDITO MONTENEGRO, presidente da Fundação Monumento-Mausoléu, os quais abriram simultaneamente a “PORTA DA VIDA” e a “PORTA DA GLÓRIA”, inaugurando-as oficialmente. Ao final, foi realizada uma visita à cripta do monumento, onde se encontram sepultados os despojos dos heróis constitucionalistas.  

Primeira reunião do CONSELHO SUPREMO da SOCIEDADE VETERANOS DE 32-MMDC, realizada no auditório “CARLOS DE SOUZA NAZARETH”, na ASSOCIAÇÃO COMERCIAL DE SÃO PAULO, em 19 de maio de 1959. Numa ASSEMBLÉIA GERAL EXTRAORDINÁRIA, foi eleito para PRESIDENTE DO CONSELHO o doutor JOSÉ AUGUSTO CÉSAR SALGADO. Foram escolhidos como secretários o doutor GERALDO GOULART e FRANCISCO CALDEIRA BELLEGARDE FILHO. Também foi eleito o presidente da DIRETORIA EXECUTIVA, MÉRCIO PRUDENTE CORRÊA, ficando a data de 23 de maio para a posse do presidente. 

O NÚCLEO DE FRANCO DA ROCHA da Sociedade Veteranos de 32-MMDC proporciona em 23 de setembro de 1962 a inauguração do OBELISCO comemorativo do 30º aniversário da Revolução Constitucionalista, às 16 horas, na FONTE LUMINOSA daquele município.

Solenidade realizada no quartel do “BATALHÃO TOBIAS DE AGUIAR”, em 29 de setembro de 1962, comemorando o 30º Aniversário do término da Revolução Constitucionalista de 1932. As festividades foram iniciadas às 8:30 horas com o recebimento das bandeiras, seguindo-se a revista às tropas. Compareceram à solenidade entre outras autoridades: VIRGÍLIO LOPES DA SILVA, secretário da Segurança Pública; MÉRCIO PRUDENTE CORRÊA, presidente da Sociedade Veteranos de 32-MMDC; ANTÔNIO HÉLIO XAVIER DE ALMEIDA, representando o presidente da Câmara Municipal; HILDA MACEDO, diretora da Polícia Feminina; General EURÍALE DE JESUS ZERBINI, chefe do Estado Maior do II Exército, ex-comandante geral da Força Pública; Capitão de Mar e Guerra HERIK MARQUES CAMINHA, chefe da Comissão Naval em SÃO PAULO; Coronel OLDEMAR FERREIRA GARCIA, comandante geral da FORÇA PÚBLICA. Foram condecoradas 16 bandeiras e estandartes dos Batalhões da FORÇA PÚBLICA que participaram da EPOPÉIA DE 32. Cerca de 58 medalhas foram entregues às famílias dos que tombaram no cumprimento do dever durante o Movimento de 32. Entre eles figuram o general JÚLIO MARCONDES SALGADO; o Tenente-Coronel ANTÔNIO PINTO DE OLIVEIRA; o Coronel OTÁVIO AZEREDO; o 1º Tenente JOSÉ ERNANI TRAVASSOS; O 1º Sargento BENEDITO ESPÓSITO; o 1º Sargento ADERBAL SERPA; o 3º Sargento RODERVAL RUBENS MARTINS; o Cabo ALFREDO DOS ANJOS FONSECA; o Coronel VIRGÍLIO RIBEIRO DOS SANTOS; o Cabo JOSÉ BORGES DA SILVA; o Coronel OSCAR DE MELO GAIA. Foram entregues também 26 medalhas a combatentes de 32 que ainda se encontram no serviço ativo: Coronel Monsenhor PAULO AURISOL CAVALHEIRO FREIRE; Coronel RODOLFO ASSUMPÇÃO; Tenente-Coronel WÁLTER JOSÉ HOLATZ NOGUEIRA; Major CÁLIO DE CAMPOS MONTES; Capitão OSVALDO TALARICO; Major FRANCISCO ANTÔNIO BIANCO JÚNIOR; Tenente-Coronel ANTÔNIO PAES DE BARROS NETO; Tenente-Coronel ADAUTO FERNANDES DE ANDRADE; Coronel JARBAS NOGUEIRA DE LIMA; Tenente-Coronel MARCO AURÉLIO CIDADE; Major AZAEL SIMÕES LEISTNER; Tenente LIBERTÁRIO PALUMBO; 2º Tenente LUIZ FELICIANO DE OLIVEIRA; Tenente-Coronel UBIRAJARA SILVEIRA; Major PAULO AFONSO FONSECA PIRES; Capitão TANCREDO COLAÇO; Coronel NABOR NOGUEIRA SANTOS; Tenente-Coronel HUGO DE ALMEIDA PORTELLA; Tenente-Coronel ALFREDO COSTA JÚNIOR; Tenente-Coronel DAGOBERTO VELTRI e várias praças que estiveram na Revolução.
Na mesma solenidade mais 800 medalhas MMDC foram entregues pelo Conselho da Sociedade Veteranos de 32-MMDC aos elementos da reserva e reformados da FORÇA PÚBLICA; ex-combatentes e civis veteranos da Revolução. Em seguida, foi lida pela senhora JULIETA SIQUEIRA, presidente da Associação de Viúvas e Órfãos da Caixa Beneficente, o “POEMA A NOSSA FORÇA PÚBLICA”, de autoria do CORONEL PEDRO PRADO FILHO. Logo depois discursou o presidente da Sociedade Veteranos de 32-MMDC, MÉRCIO PRUDENTE CORRÊA, seguindo-se a oração do TENENTE-CORONEL UBIRAJARA SILVEIRA, comandante do 1º BP, ambos lembrando os fatos admiráveis ocorridos durante a Revolução de 32. 

Reunião do CONSELHO SUPREMO DA SOCIEDADE VETERANOS DE 32-MMDC para a eleição do presidente do Conselho e do presidente da Diretoria Executiva, em 11 de março de 1964. Foi eleito o Dr. LAURO DE BARROS SICILIANO para o Conselho Supremo, assumindo o cargo em 23 de maio de 1964. Para a presidência da Diretoria Executiva foi eleito o General WALDEMIRO MEIRELLES MAIA, assumindo em 19 de março de 1964, em virtude da crise política que assolou o País naquele ano. Essa reunião foi realizada no SALÃO RUI FONSECA, na ASSOCIAÇÃO COMERCIAL DE SÃO PAULO. O então presidente do CONSELHO SUPREMO, MÉRCIO PRUDENTE CORRÊA, e da DIRETORIA EXECUTIVA, ELÍSIO LEAL, eram demissionários. ELÍSIO LEAL passara a presidência para o Dr. BENEDITO LANG.     

No dia 6 de julho de 1964 chega em BOTUCATU a caravana da Sociedade Veteranos de 32-MMDC sob a direção dos veteranos SILVIO SAMPAIO MOREIRA, JAIR PEREIRA BATISTA e ANTÔNIO FIGUEIREDO BORGES, conduzindo os despojos de heróis constitucionalistas desconhecidos, exumados em CAPÃO BONITO. Por volta das 16:10 horas é realizada a exumação solene dos despojos do Herói LUIZ GONZAGA ÁVILA, ex-combatente dos batalhões “ARQUIDIOCESANO” e “PAIS LEME”. Na prefeitura de BOTUCATU os despojos dos heróis são entregues às autoridades locais. Na noite, sessão solene na Câmara Municipal. Os restos mortais ficam em vigília na Câmara Municipal, sob a guarda da PM e do TIRO-DE-GUERRA. 

No dia 7 de julho de 1964 procedeu-se a retirada dos despojos dos heróis da Revolução Constitucionalista de 1932 da Câmara Municipal de BOTUCATU e em cortejo conduzidos para a Catedral Metropolitana. Às 8 horas, missa celebrada por D. FREI HENRIQUE GOLLAND TRINDADE, arcebispo metropolitano. Os ataúdes são retirados da Igreja e colocados no seu adro. Palavra oficial do Prefeito JOAQUIM AMARAL AMANDO DE BARROS; desfile do TG 123; honras fúnebres; toque de silêncio pelo corneteiro da Sociedade Veteranos de 32-MMDC e partida para o Monumento Mausoléu do Soldado Constitucionalista no IBIRAPUERA. Entre os despojos conduzidos para o Monumento Mausoléu estão os do herói LUIZ GONZAGA ÁVILA, ex-combatente dos batalhões ARQUIDIOCESANO” e “PAIS LEME”. LUIZ GONZAGA ÁVILA alistou-se voluntariamente aos 16 anos de idade e nas linhas de frente recebeu ferimentos graves tendo seu braço esquerdo amputado e por doze anos consecutivos sofreu em silêncio, conseqüências dos ferimentos recebidos, porém, enaltecendo sempre o seu querido Estado de São Paulo. 

Entrada do Sr GERALDO FARIA MARCONDES na Sociedade Veteranos de 32-MMDC, no dia 27 de agosto de 1964, recebendo o número de sócio 5.314. Serviu na Revolução Constitucionalista de 1932 no 5º BC, de QUITAÚNA. O seu comandante na linha de frente era o CAPITÃO ROSA. Na época do movimento passou pelo setor norte: SÃO LUIZ DE PARAITINGA, TÚNEL, FAZENDA BELLA, QUELUZ, PINHEIROS e CRUZEIRO. Ferido em combate, esteve no Hospital Militar do CAMBUCI. O Sr MARCONDES ocupou diversos cargos na Diretoria Executiva da Sociedade Veteranos de 32-MMDC, inclusive os de presidente do CONSELHO SUPREMO e da DIRETORIA EXECUTIVA. Em 9 de julho de 2002 assumiu o cargo de Presidente da Diretoria Executiva para um mandato de três anos. Em 7 de julho de 2005 deixa a Presidência, sendo substituído pelo CAPITÃO Ref GINO STRUFFALDI, do Exército, combatente de 1932, eleito para o cargo em 27 de abril de 2005. Cumpriu o primeiro mandato até 7 de julho de 2007. Ele nomeou o Sr GERALDO FARIA MARCONDES como DIRETOR DO MONUMENTO-MAUSOLÉU. Em 2006, com sérios problemas de saúde na pessoa de sua esposa, dona JÚLIA, ele pediu demissão do cargo de Diretor do Monumento, cargo esse assumido pelo Professor JOSÉ CARLOS DE BARROS LIMA. No dia 6 de julho de 2007, GINO STRUFFALDI foi reeleito e cumpriu o segundo mandato até 7 de julho de 2009. Senhor GERALDO FARIA MARCONDES perde a esposa, dona JÚLIA, em 28 de dezembro de 2007. Falece no dia 25 de julho de 2008. Seu corpo foi exposto no Monumento Mausoléu do Soldado Constitucionalista, na noite de 25 para 26 de julho. Foi rezada missa de corpo presente no Monumento e o enterro realizou-se no Cemitério São Paulo, no dia 26 de julho de 2008. 

No dia 30 de março de 1966 realiza-se uma reunião do CONSELHO SUPREMO da Sociedade Veteranos de 32-MMDC, no Instituto de Engenharia PALÁCIO MAUÁ, viaduto dona PAULINA, número 80, 8º andar, em 30 de março de 1966. Foram reeleitos para a presidência do CONSELHO SUPREMO o dr. LAURO DE BARROS SICILIANO e para a presidência da DIRETORIA EXECUTIVA, o GENERAL WALDEMIRO MEIRELLES MAIA. A posse dar-se-ia em 23 de maio de 1966 para o biênio 1966/1968.

Reunião do CONSELHO SUPREMO DA SOCIEDADE VETERANOS DE 32-MMDC, onde foi eleito para Presidente da Diretoria Executiva o Doutor NELSON DE MORAES LOPES, no dia 8 de março de 1968. Tomou posse em 23 de maio de 1968. No entanto, o Dr. NELSON, em janeiro de 1970, veio a falecer. Com a morte do presidente da Diretoria Executiva, substituiu-o o CAPITÃO FRANCISCO MOLINARI, em reunião do CONSELHO SUPREMO de 7 de janeiro de 1970.
Na PRAÇA DA REPÚBLICA, em 23 de maio de 1968, diz o Comandante da QUARTA ZONA AÉREA: “Aqui também está o altar da Pátria! E pensando nela, a Pátria que os mercenários não venceram, nós, representantes da FORÇA AÉREA BRASILEIRA, associando-nos ao ardor da mocidade de SÃO PAULO, estamos certos de atender ao estímulo do poeta, tão caro aos jovens desta Terra, assegurando que: JAMAIS A DEIXAREMOS MORRER!”.  47 a. da posse do Presidente da Diretoria Executiva da Sociedade Veteranos de 32-MMDC, doutor NELSON DE MORAES LOPES. Nesse 23 de maio de 1968 faleceu o ex–combatente doutor TITO PACHECO. O doutor NELSON DE MORAES LOPES veio a falecer em janeiro de 1970 e, no dia 7 de janeiro daquele ano, em reunião extraordinária do CONSELHO SUPREMO foi eleito, para substitui-lo, o CAPITÃO FRANCISCO MOLINARI.

Em 5 de julho de 1968 era publicado em DIÁRIO OFICIAL o Decreto nº 49.946  que autorizava o sepultamento de despojos de HERÓIS DE 32, no Monumento Mausoléu, de 6 de julho de 1968:
ANTÔNIO CAMARGO – CABO do 4º Esquadrão do Regimento de Cavalaria da Força Pública (atual Regimento de Cavalaria Nove de Julho); HERMES RIBEIRO DE FREITAS – Aspirante do 4º RI; SYLVIO DE CAMPOS – Chefe Eminente do Movimento Constitucionalista; SEVERO FOURNIER – Capitão do Exército Brasileiro; AUGUSTO CORRÊA LEITE, Anspeçada do 5º B.C.P da Força Pública; VENÂNCIO RAMOS – Soldado do 5º BCP da Força Pública;JOÃO PROCÓPIO MODESTO – voluntário do Batalhão 23 de Maio; além de quatro Heróis não identificados e exumados em SÃO JOSÉ DOS BARREIROS, que participaram do Movimento Constitucionalista de 1932, conforme relação fornecida pela Sociedade Veteranos de 32-MMDC, tornando-se, assim, merecedores do mais alto respeito público.    

08JULHO1968 Solenidade de entrega da nova sede da Sociedade Veteranos de 32-MMDC, ato assinado solenemente pelo Exmo. Sr. BRIGADEIRO JOSÉ VICENTE FARIA LIMA, DD. PREFEITO da Capital, às 9 horas de 8 de julho de 1968, com a presença de todos os diretores da Sociedade, Membros do Conselho Supremo e do Conselho da Medalha. Às 10 horas, o prefeito inaugurava a rua “ARCY DA ROCHA NÓBREGA” GENERAL R/1 do Exército Brasileiro, combatente de 1932 e falecido em 8 de janeiro de 1968. No quartel do 4º R.I., em QUITAÚNA, às 12:30 horas, partida do cortejo com os restos mortais dos heróis de 32 para o BATALHÃO “TOBIAS DE AGUIAR”. Nesse batalhão, às 14 horas, solenidades em homenagem aos Heróis, pelos Exmos. Srs. Cmt Geral da FORÇA PÚBLICA, Comando do Batalhão, Oficialidade e Tropa. Responsável: CORONEL ALTINO MAGNO FERNANDES. Às 15 horas, partida do cortejo em demanda a PRAÇA DA REPÚBLICA. Às 16 horas, na PRAÇA DA REPÚBLICA, encontro dos Heróis, exumados na Capital e no Interior do Estado. Chefe do Cerimonial: PAULO BOMFIM. Encomendação Religiosa: Padre ELISEU MURARI, veterano Capelão Militar em 1932, acolitado pelo veterano Dr. GERALDO GOULART. Assumiria o Comando do Exército Constitucionalista, o CORONEL JOSÉ THEÓFILO RAMOS, em substituição ao GENERAL CÉSAR S. SEIXAS, em sistema de rodízio, ambos veteranos de 1932. Comando do Destacamento Militar: veteranos ARLINDO VIEIRA DE SOUZA CAMPOS e GERALDO NORBERTO FREIRE BRAGA.
ESTADO MAIOR: DOUTOR IBRAHIM NOBRE, DOUTOR GUILHERME DE ALMEIDA, DOUTOR LAURO DE BARROS SICILIANO, GENERAL WALDOMIRO MEIRELES MAIA, DOUTOR NELSON MORAES LOPES, DOUTOR JOSÉ AUGUSTO CÉSAR SALGADO, ALFREDO ELLIS JÚNIOR, DOUTOR BENEDITO MONTENEGRO, PROFESSOR ERNESTO LEME, PROFESSOR REINALDO RAMOS DE SALDANHA DA GAMA, PADRE ELISEU MURARI, DOUTOR FRANCISCO EMÍDIO PEREIRA NETO, PROFESSOR BRUNO ALVES CRUZ, DOUTOR JOSÉ MARIA CABELO DE CAMPOS, DOUTOR PEDRO CABELO CAMPOSS.
PORTA BANDEIRA: HENRIQUE DE AGUIAR VALIM
PORTA ESTANDARTE DA SOCIEDADE: ARMANDO BARSUGLIA.
CORNETEIRO MOR – ELIAS DOS SANTOS OLIVEIRA.

36º aniv. da REVOLUÇÃO CONSTITUCIONALISTA DE 32, em 9 de julho de 1968. No Monumento-Mausoléu, às 8 horas, outorga da MEDALHA “MMDC”. Responsável: Tenente FRANCISCO MOLINARI e membros do Conselho da Medalha. Ás 9 horas, Missa solene de “Requiem” oficiada por Sua Eminência Reverendíssima doma AGNELLO ROSSI, Cardeal Arcebispo de SÃO PAULO, na CATEDRAL METROPOLITANA, com homenagens póstumas aos companheiros falecidos de 1967 a 1º de julho de 1968. Durante a missa, a guarda de honra aos ataúdes estava a cargo dos veteranos: ELÍSIO LEAL, Dr. GERALDO GOULART, Dr. BENEDITO LANG, SYLVIO SAMPAIO MOREIRA, FRANCISCO C. BELEGARDE FILHO, DARCY BANDEIRA DE MELLO, AMLETO MARQUES e JÚLIO DA COSTA LEAL. Às 10:45 horas, chega do cortejo, ao Monumento-Mausoléu, trazendo os restos mortais dos heróis. Chefe do cerimonial: PAULO BOMFIM com o roteiro seguinte: Colocação das URNAS no cadafalso; Honras Fúnebres por Tropas Militares; Encomendação Religiosa por Sua Eminência Reverendíssima dom AGNELO ROSSI, Cardeal Arcebispo de SÃO PAULO; Oração Ante a Última Trincheira pelo Poeta Soldado de 32, GUILHERME DE ALMEIDA; Cerimônia de Sepultamento dos Heróis; Toque de Missão Cumprida pelo Corneteiro-Mor da Sociedade Veteranos de 32, veterano ELIAS DOS SANTOS OLIVEIRA; Desfile em continência aos Heróis pelos Veteranos de 32, Forças Armadas Federais, Estaduais e Instituições.
Desfile Militar: a cargo das Forças Armadas.
Desfile de Veteranos: a cargo do CORONEL HOMERO DA SILVEIRA. Comandante do Exército Constitucionalista em 1968: CORONEL JOSÉ THEÓFILO RAMOS. Ajudante de Ordens: Veterano JARBAS DE ARAÚJO. ESTADO-MAIOR: Dr. LAURO DE BARROS SICILIANO e Dr. NELSON MORAES LOPES. Membros do Conselho Supremo, Diretoria, Conselho da Medalha e Senhoras Veteranas de 32.
Responsáveis pelos sepultamentos: TENENTE ELVIMEDORACH P. C. CARVALHO, Diretor da Exumação; Subinspetor JOEL CARDOSO MELLO, diretor do Departamento da Juventude; e veteranos: BENEDITO CAMPOS CARVALHO, JARBAS DE ARAÚJO, PAULO AQUELINO, JÚLIO DA COSTA LEAL, AMLETO MARQUES e JOÃO CINTRA FILHO.    

Falece o Coronel Ref. BENEDICTO DE CASTRO OLIVEIRA, ex–combatente de 32, no dia 3 de maio de 1969. Como CAPITÃO, ele comandou o Batalhão de Voluntários de SOCORRO. Seu sub–cmt. foi o então segundo–tenente RUBENS TEIXEIRA BRANCO. Em 32, pertencia ao Batalhão de SOCORRO, o então aluno–oficial JONAS FLORES RIBEIRO. TEIXEIRA BRANCO chegou a ser cmt. da FP e JONAS foi comandante do CORPO DE BOMBEIROS.

37º aniversário da REVOLUÇÃO CONSTITUCIONALISTA DE 1932, em 9 de julho de 1969. O programa comemorativo ao aniversário, promovido pela Sociedade Veteranos de 32-MMDC começou com missa solene na CATEDRAL DA SÉ, oficiada por dom AGNELLO ROSSI, cardeal arcebispo de SÃO PAULO. Os despojos dos dez heróis constitucionalistas, exumados neste Estado e no RIO DE JANEIRO, foram velados durante toda a noite por uma guarda militar e pelos veteranos de 32. A celebração da missa de requiem começou às 9 horas. As dez urnas, com os restos mortais dos heróis LELIO RIBEIRO BOAVENTURA (Major do Exército Brasileiro, trasladado do Cemitério São João Batista, paulista), BOLIVAR RIBEIRO BOAVENTURA (2º Tenente do Batalhão “PAES LEME”, também paulista) e YOLANDO RIBEIRO BOAVENTURA (voluntário do Batalhão PAES LEME, paulista), ÉRICO NEVES DE MELO (do 2º RCD do Exército Brasileiro, riograndense), JOSÉ ALVES BERNARDO (soldado do 7º BCP da Força Pública, paulista), HYGINO MESSA (voluntário do Batalhão “MARCÍLIO FRANCO”, paulista), JOÃO DE PAULA FRANCO (voluntário do Batalhão “MARCILIO FRANCO”, paulista), PAULO LIMOEIRO (soldado do 2º RCD do Exército Brasileiro, paulista), DANTE MARTELETTI (voluntário do 2º BATALHÃO ESPORTIVO, paulista) e outro não identificado, estavam cobertas com as bandeiras brasileira e paulista, e escoltadas por uma guarda mista, composta por soldados do Exército, Marinha, Aeronáutica, Força Pública, Guarda Civil e veteranos. Após a missa, o cardeal abençoou as urnas, que foram carregadas pelas mais altas autoridades presentes para a escadaria da Catedral, onde foram homenageadas pelo povo e por um destacamento da Divisão de Polícia Militar da FORÇA PÚBLICA, que prestou as honras devidas. Em seguida, uma a uma as urnas foram colocadas sobre os carros do Corpo de Bombeiros, enquanto a banda de música da FORÇA PÚBLICA executava a marcha fúnebre. O cortejo foi formado, com destino ao Monumento-Mausoléu no IBIRAPUERA. Compareceram à missa de requiem o governador ABREU SODRÉ; o prefeito PAULO MALUF; o general CANAVARRO PEREIRA, comandante do II EXÉRCITO; o brigadeiro JOSÉ VAZ DA SILVA, comandante da 4ª ZONA AÉREA; o almirante HÉLIO DE AZEVEDO LEITE, comandante do 4º DISTRITO NAVAL; os almirantes JÚLIO DE SÁ BIERRENBACH e LUÍS PENIDO BURNIER; comandantes de várias unidades do Exército, assim como os comandantes das Forças Auxiliares –FORÇA PÚBLICA e GUARDA CIVIL– e os senhores CARVALHO PINTO, HÉRBERT LEVY, LAUDO NATEL, DEPUTADO NELSON PEREIRA, VEREADOR JOSÉ MARIA MARIN, além de outras autoridades.
Enquanto era celebrada a missa na SÉ, a Sociedade Veteranos de 32-MMDC fez a entrega de 45 condecorações durante as comemorações realizadas no PARQUE DO IBIRAPUERA, no Monumento-Mausoléu. Após a outorga das condecorações, que foi dirigida pelo CAPITÃO FRANCISCO MOLINARI, secretário do Conselho da Medalha MMDC, houve nova cerimônia para a recepção do cortejo que transportou os despojos dos heróis de 32, da SÉ ao IBIRAPUERA. Num breve discurso, o governador ABREU SODRÉ disse que as solenidades traduziam a “inspiração do povo paulista e do povo brasileiro, em geral, de amor à lei, respeito à Constituição e luta pela liberdade. O poeta PAULO BOMFIM, que foi escoteiro da Revolução Constitucionalista, presidiu a cerimônia de recepção. Assim que o cortejo chegou no Monumento-Mausoléu, com os DRAGÕES DA INDEPENDÊNCIA à frente e dois carros de bombeiros transportando as urnas, foram iniciadas as honras fúnebres. O arcebispo de SÃO PAULO, dom AGNELO ROSSI, fez a encomendação dos despojos, jogando água benta sobre as urnas. O poeta PAULO BOMFIM recitou em seguida um trecho da “ORAÇÃO ANTE A ÚLTIMA TRINCHEIRA”, de autoria de GUILHERME DE ALMEIDA, e finalmente pediu às autoridades para fazer o sepultamento das urnas no interior do Mausoléu. As solenidades terminaram com um desfile “puxado” pela BANDA da GC, ao longo da avenida IBIRAPUERA, com a participação dos veteranos de 32, batalhões da FORÇA PÚBLICA e corpos da GUARDA CIVIL. Receberam condecorações, entre outras autoridades: o secretário de TURISMO, ORLANDO ZANCANER; CORONEL EURICO JOSÉ COLLA; TENENTE-CORONEL ARNALDO RÉGIS; PRIMEIRO-TENENTE ALAOR SILVA BRANDÃO; ODETE GOMES e o INSPETOR-CHEFE DE DIVISÃO DA GUARDA CIVIL, ANTÔNIO VICENTE.  
Era Presidente do Conselho Supremo o Doutor LAURO DE BARROS SICILIANO. Presidente da Diretoria Executiva: NÉLSON MORAES LOPES. A responsabilidade geral pelo evento esteve a cargo do doutor NÉLSON MOARES LOPES e o Chefe Geral de Programação foi BENEDITO CAMPOS CARVALHO.
Responsáveis pelas caravanas: número 1, RIO DE JANEIRO, veteranos: Doutor DARCY BANDEIRA DE MELLO, Doutor JOSÉ PARANHOS DO RIO BRANCO e SUBINSPETOR WALDYR AGENOR BRAMBILLA, da Guarda Civil de São Paulo, membro do Departamento da Juventude. Caravana número 2, OLÍMPIA, PIRASSUNUNGA e BRAGANÇA PAULISTA. Veteranos: BENEDITO CAMPOS CARVALHO, GERALDO NORBERTO FREIRE BRAGA, JOSÉ LEANDRO DE BARROS PIMENTEL, 1º TENENTE ELVIMEDORACH PENHA CRHISTOPHE CARVALHO, Diretor de Exumação e Transladação e 2º TENENTE JOSÉ ROBERTO CAPPELLI da Força Pública do Estado de São Paulo, membros do Departamento da Juventude. O CORNETEIRO-MOR foi o veterano ELIAS DOS SANTOS OLIVEIRA.  
Falece o ex-combatente de 32, PAULO NOGUEIRA FILHO, autor dos quatro volumes de “A GUERRA CÍVICA DE 1932”, em 30 de outubro de 1969. Em 23 de maio de 1980, os restos mortais de PAULO NOGUEIRA FILHO foram trasladados do Cemitério da CONSOLAÇÃO para o 1º BATALHÃO DE POLÍCIA “TOBIAS DE AGUIAR” e, desse batalhão, para o Monumento-Mausoléu do Soldado Constitucionalista, no IBIRAPUERA.

Em 8 de abril de 1970 reuniu-se o CONSELHO SUPREMO DA SOCIEDADE VETERANOS DE 32-MMDC sob a presidência do doutor LAURO DE BARROS SICILIANO. Nomeação de novos conselheiros: DARCY BANDEIRA DE MELLO, GERALDO FREIRE BRAGA, REINALDO SALDANHA DA GAMA, JOSÉ PARANHOS DE RIO BRANCO, CAPITÃO RUBEN COSTA, CORONEL HELIODORO TENÓRIO DA ROCHA MARQUES, OSCAR B. FAGUNDES. Eleição para o novo presidente do Conselho Supremo e para o novo presidente da Diretoria Executiva. Foi eleito REYNALDO SALDANHA DA GAMA para substituir o Dr. SICILIANO, a partir de 23 de maio de 1970. O CAPITÃO FRANCISCO MOLINARI foi reeleito para a Presidência da Diretoria Executiva.    

Comemorações do DIA DO SOLDADO CONSTITUCIONALISTA, em 23 de maio de 1970. O II EXÉRCITO, o 6º DISTRITO NAVAL, a 4ª ZONA AÉREA, a POLÍCIA MILITAR e entidades civis receberam às 16:30 horas, em cerimônia realizada no auditório da Federação do Comércio, diplomas de sócios de honra da Sociedade Veteranos de 32-MMDC.
O GENERAL JOSÉ CANAVARRO PEREIRA, Comandante do II EXÉRCITO, foi condecorado pela entidade, que distinguiu os GENERAIS VICENTE DE PAULA DALE COUTINHO, Comandante da 2ª REGIÃO MILITAR, e ERNANI AIROSA DA SILVA, Chefe do Estado Maior do II EX, como integrantes da Força Expedicionária Brasileira. Estes oficiais compuseram a mesa diretora da solenidade, juntamente com o ALMIRANTE SÍLVIO DE MAGALHÃES FIGUEIREDO, Comandante do 6º DISTRITO NAVAL, e CORONEL RUI SARAIVA, representando a 4ª ZONA AÉREA. A cerimônia foi presidida pelo Professor REINALDO RAMOS SALDANHA DA GAMA, hoje empossado como presidente do Conselho Supremo da Sociedade.
Estavam presentes ainda à cerimônia e receberam medalhas como expedicionários à II GRANDE GUERRA MUNDIAL o BRIGADEIRO ROBERTO BRANDINI, o CORONEL RUBENS RESTEL, Comandante da Guarnição de CAMPINAS, o CAPITÃO-DE-MAR-E-GUERRA VICENTE CONTE, Capitão dos Portos do Estado de São Paulo; o CORONEL ALTINO MAGNO FERNANDES, Chefe do Estado Maior da Polícia Militar e o Comandante JAIR OLIVÉ, do Estado Maior do 6º DISTRITO NAVAL.
Após a execução do Hino Nacional Brasileiro, o Prof SALDANHA DA GAMA que substitui ao Sr LAURO DE BARROS SICILIANO na presidência do Conselho do MMDC, abriu a segunda parte dos trabalhos afirmando que “desde 1932 lutamos em prol da democracia para salvar o Brasil do perigo vermelho”.
O CAPITÃO PM FRANCISCO MOLINARI, que assumiu hoje a Presidência da Diretoria Executiva da Sociedade Veteranos de 32-MMDC, fez a entrega de diplomas de Sócio de Honra ao Instituto Histórico e Geográfico, à Sociedade Geográfica Brasileira, à Sociedade Brasileira de Heráldica e Medalhística, à Liga das Senhoras Católicas e, “post-mortem”, ao jornalista JÚLIO DE MESQUITA FILHO.
Às 18 horas, foi prestada uma homenagem da 4ª ZONA AÉREA aos mártires do Movimento Constitucionalista de 1932, com leitura da ORDEM DO DIA e colocação de uma coroa de flores pela Sociedade Veteranos de 32-MMDC. Encerrando, proferiu oração o poeta PAULO BOMFIM.
Como parte dos festejos de seu aniversário, a Sociedade MMDC fez celebrar missa rezada pelo capelão de 1932, padre ELISEU MURARI, seguindo-se o desfile dos estabelecimentos de ensino desta capital e sessão solene em que foi homenageada a memória do ex-prefeito FARIA LIMA.
O CLUBE PIRATININGA realizou, hoje à tarde, a cerimônia de colocação de flores na placa em homenagem aos heróis da Revolução de 1932. Na oportunidade falou o Sr JOAQUIM EUGÊNIO DE LIMA NETTO e o poeta PAULO BOMFIM, do CLUBE PIRATININGA.
Na placa está escrita a seguinte frase: “MARTINS, MIRAGAIA, DRÁUSIO, CAMARGO/ E FORAM BRAVOS/ FORAM PAULISTAS/ AQUI TOMBARAM/ PELAS 13 LISTAS/ 1932-1956.
23MAIO1970 Translado dos restos mortais do menino–herói ALDO CHIORATO, morto em 1932, para o MONUMENTO-MAUSOLÉU DO SOLDADO CONSTITUCIONALISTA em 23 de maio de 1970 (foi vítima de um bombardeio efetuado pelos “vermelhinhos” contra a cidade de CAMPINAS).

38º aniversário do Movimento Constitucionalista de 32, em 9 de julho de 1970. Pela manhã houve missa na Catedral da Sé, celebrada por dom AGNELO ROSSI. A seguir, traslado de restos mortais de heróis de 32 para o Mausoléu do Ibirapuera onde foram sepultados, com a presença do vice-presidente da República, ALMIRANTE RADEMAKER; GENERAL CANAVARRO PEREIRA, comandante do II Exército; governador ABREU SODRÉ; prefeito PAULO MALUF; BRIGADEIRO JOSÉ VAZ DA SILVA; deputado federal EDMUNDO MONTEIRO, além de outras autoridades civis e militares, em 9 DE JULHO DE 1970.

Reunião do CONSELHO SUPREMO da SOCIEDADE VETERANOS DE 32-MMDC que elegeu os novos conselheiros: Dr. BENEDITO LANG, Professor BUENO DE AZEVEDO FILHO, JOSÉ DE CAMPOS MELLO e ANTÔNIO BARRETO DO AMARAL. Eram candidatos também: Coronel ALCIDES JOSÉ DE OLIVEIRA, ARMANDO DA VEIGA CASTILHO, PAULINO SARAIVA, GERALDO FARIA MARCONDES e HERMAN DE MORAES BARROS, em 16 de fevereiro de 1971.

39º aniversário do Movimento Constitucionalista de 1932, em 9 de julho de 1971. Com a atribuição da MEDALHA DA CONSTITUIÇÃO a 211 participantes da Revolução a Assembléia Legislativa assinalou a passagem de mais um 9 de Julho em solenidade realizada hoje à tarde no plenário. Estiveram presentes, além de numerosos veteranos e familiares, representantes do governador, do comando do VI DISTRITO NAVAL, do comando da IV ZONA ÁEREA, do arcebispo metropolitano, de vários representantes de tribunais, o secretário da Segurança Pública, GENERAL SÉRVULO DA MOTA LIMA, o presidente da Câmara Municipal, vereador PAULO SOARES CINTRA, e outras autoridades. Especial homenagem foi prestada pela Casa, por iniciativa do deputado WADIH HELU, ao CAPITÃO ALBERTO MENDES JÚNIOR, da POLÍCIA MILITAR, morto por terroristas no VALE DO RIBEIRA. Os pais do militar foram convidados a descerrar uma placa com seu nome, que será colocada na sede do comando da guarnição da PM no PALÁCIO NOVE DE JULHO. O veterano AUGUSTO ABÍLIO PEIXOTO COUTINHO prestou homenagem ao Poder Legislativo, ofertando-lhe o capacete com que lutou em 1932. Passou-se a seguir à entrega da MEDALHA DA CONSTITUIÇÃO, inicialmente, aos distinguidos que participaram da Mesa dos trabalhos, desembargador CANTIDIANO GARCIA DE ALMEIDA, presidente do Tribunal de Justiça do Estado; capitão JOSÉ IGNÁCIO DO ROSÁRIO, falecido, representado por sua filha, a deputada TEODOSINA RIBEIRO; ALBERTO DE ALMEIDA LIMA; conselheiro RUY DE CAMPOS NOGUEIRA MARTINS, do Tribunal de Contas; e a SANTA CASA DE MISERICÓRDIA DE SÃO JOSÉ DOS CAMPOS. Passou-se em seguida à entrega das medalhas aos demais agraciados, a começar pelos distinguidos postumamente representados por seus familiares.      

Reunião extraordinária do CONSELHO SUPREMO da Sociedade Veteranos de 32-MMDC, sob a presidência de REYNALDO SALDANHA DA GAMA, tendo como secretário FRANCISCO BELLEGARDE FILHO, em 4 de fevereiro de 1972. Deixaram de ser conselheiros o doutor BENEDITO MONTENEGRO e o arcebispo de MOGI DAS CRUZES, dom PAULO ROLIM LOUREIRO. Outras duas vagas foram abertas com as mortes do doutor JOSÉ DE CAMPOS MELLO e ELISEO LEAL. Nessa reunião foram eleitos conselheiros: GERALDO FARIA MARCONDES, HALLEY TEIXEIRA DE FARIA, TENENTE NILO ROLIM DA COSTA e doutor HERMAN DE MORAES BARROS, cuja posse ficou marcada para 3 de março de 1972, no CLUBE PIRATININGA, quando foi inaugurada a nova sede, com a presença do Governador do Estado de São Paulo, LAUDO NATEL.

Confraternização (um churrasco) no sítio do senhor GERALDO FARIA MARCONDES, ex-combatente de 1932, oferecendo um churrasco aos conselheiros da Sociedade Veteranos de 32-MMDC, no dia 5 de fevereiro de 1972. Seu sítio ficava na Avenida RAYMUNDO PEREIRA DE MAGALHÃES, em PARADA DE TAIPAS. O Sr MARCONDES é sócio da Sociedade Veteranos de 32-MMDC desde 27 de agosto de 1964. Em 1966, foi nomeado Diretor de Relações Públicas e, em 1972, tornou-se conselheiro da Sociedade. Foi eleito presidente da Diretoria Executiva para o triênio 9 de julho 2002/2005. Por ocasião das solenidades do 70º ANIVERSÁRIO DO MOVIMENTO CONSTITUCIONALISTA DE 1932, foi escolhido como Presidente da Comissão Encarregada dos eventos. Em outras vezes foi presidente do CONSELHO SUPREMO e também da Diretoria Executiva. Em 7 de julho de 2005 ele foi substituído no cargo de presidente pelo CAPITÃO Ref do Exército Brasileiro GINO STRUFFALDI. Passou a ser diretor do Monumento-Mausoléu do Soldado Constitucionalista. Face novas diretrizes baixadas pelo Decreto Governamental de 25 de setembro de 2006, o diretor administrativo do Monumento Mausoléu é, por força de lei, o Diretor de Logística da Polícia Militar. GERALDO FARIA MARCONDES falece no dia 25 de julho de 2008.  

Transmissão do Comando do Exército Constitucionalista do doutor PARANHOS DO RIO BRANCO para o CORONEL Res JOSÉ RUFINO FEIRE SOBRINHO (23 de maio de 1972). O engenheiro LAURO DE BARROS SICILIANO assumia a presidência do CONSELHO SUPREMO; o desembargador JÚLIO IGNÁCIO BOMFIM PONTES na vice-presidência e como secretário do Conselho o doutor JOSÉ BENEDITO SILVEIRA PEIXOTO. Tomava posse como presidente da Diretoria Executiva da Sociedade Veteranos de 32-MMDC, MÉRCIO PRUDENTE CORRÊA e na vice-presidência o CAPITÃO Res RUBEM COSTA. Deixava a presidência do CONSELHO SUPREMO o TENENTE-CORONEL R/1 Res FAB ANTÔNIO JOAQUIM LAGOA e da presidência da Diretoria Executiva, Coronel Res HELIODORO TENÓRIO DA ROCHA MARQUES. O tenente GERALDO NORBERTO FREIRE BRAGA procedeu à chamada dos heróis cujas urnas contendo os restos mortais foram imortalizados no Monumento-Mausoléu: LUIZ AMÉRICO DE FREITAS, JOSÉ JERÔNIMO DE VASCONCELOS, MANOEL MARTINS JORGE MOREIRA DE SOUZA, CELSO DE ALMEIDA SENNA, ELÓY FERNANDES, JOÃO BATISTA DE OLIVEIRA FARIA, GASTÃO LOPES LEAL, BENJAMIN COPUSSO, JOSÉ DA SILVA, ANTONIO NAVES PRADO, BENEDITO RAFAEL, JOSÉ CECINO DE CARVALHO, JOSÉ PEREIRA REYMÃO. O Padre ELISEU43 a. da transmissão do Comando do Exército Constitucionalista do doutor PARANHOS DO RIO BRANCO para o CORONEL Res JOSÉ RUFINO FEIRE SOBRINHO (23 de maio de 1972). O engenheiro LAURO DE BARROS SICILIANO assumia a presidência do CONSELHO SUPREMO; o desembargador JÚLIO IGNÁCIO BOMFIM PONTES na vice-presidência e como secretário do Conselho o doutor JOSÉ BENEDITO SILVEIRA PEIXOTO. Tomava posse como presidente da Diretoria Executiva da Sociedade Veteranos de 32-MMDC, MÉRCIO PRUDENTE CORRÊA e na vice-presidência o CAPITÃO Res RUBEM COSTA. Deixava a presidência do CONSELHO SUPREMO o TENENTE-CORONEL R/1 Res FAB ANTÔNIO JOAQUIM LAGOA e da presidência da Diretoria Executiva, Coronel Res HELIODORO TENÓRIO DA ROCHA MARQUES. O tenente GERALDO NORBERTO FREIRE BRAGA procedeu à chamada dos heróis cujas urnas contendo os restos mortais foram imortalizados no Monumento-Mausoléu: LUIZ AMÉRICO DE FREITAS, JOSÉ JERÔNIMO DE VASCONCELOS, MANOEL MARTINS JORGE MOREIRA DE SOUZA, CELSO DE ALMEIDA SENNA, ELÓY FERNANDES, JOÃO BATISTA DE OLIVEIRA FARIA, GASTÃO LOPES LEAL, BENJAMIN COPUSSO, JOSÉ DA SILVA, ANTONIO NAVES PRADO, BENEDITO RAFAEL, JOSÉ CECINO DE CARVALHO, JOSÉ PEREIRA REYMÃO. O Padre ELISEU MURARI fez a encomendação dos corpos. No dia 21 de julho de 1977 o engenheiro LAURO DE BARROS SICILIANO renunciava o cargo de Presidente do CONSELHO SUPREMO por motivo de saúde. Assumia seu lugar o vice-presidente, desembargador JÚLIO IGNÁCIO BOMFIM PONTES. 

40º aniversário da REVOLUÇÃO CONSTITUCIONALISTA DE 1932, em 1972, com a assinatura de oficialização do Monumento-Mausoléu do Soldado Constitucionalista pelo Excelentíssimo Senhor Governador do Estado de SÃO PAULO, LAUDO NATEL. Na mesma data e solenidade foi inaugurada a Estátua do Doutor IBRAHIM NOBRE, tribuno do Movimento Constitucionalista.
 Na manhã do dia 9 de Julho de 1972, Itapira comemorava os 40 anos da "Revolução Constitucionalista de 1932". A programação se iniciou às 8h30, no Mausoléu do Soldado Constitucionalista, no Cemitério da Saudade, presidida pelo cônego Matheus Ruiz Domingues e presença de dezenas de pessoas, especialmente, do então prefeito, Hélio Pegorari; o presidente da Câmara, Antônio Celidônio Ruette; Sezefredo Fecci, representando a Associação Comercial; sargento João Batista Lima, Comandante do Destacamento Policial de Itapira e convidados de Mogi Mirim: Antônio Mazelli e 1º tenente Alcides Pinto da Silva.
Às 10h, no Monumento do Morro do Gravi, Antônio Celidôneo Ruete, presidente da Câmara Municipal de Itapira, discursou sobre o significado da data. O vereador Edésio Ramos de Oliveira foi o próximo a discursar, falando sobre o tribuno da Revolução, Ibrahim Nobre, que seria homenageado com uma estátua na capital paulista neste mesmo ano.
     O prefeito Hélio Pegorari, juntamente com as autoridades presentes, recolheram alguns punhados de terra do Morro do Gravi, que foram enviadas à base da estátua de Ibrahim Nobre.
Convidado pelo prefeito, o Major Antônio Mazelli coloca um ramalhete de flores diante ao monumento do Gravi.
     Esteve presente uma delegação do Departamento da Sociedade Veteranos de 32 - MMDC de Jacareí, tendo Alfredo Blois como chefe da caravana. Blois leu a seguinte mensagem: 
"... Em 1932, o 2º e o 3º batalhões do 6º RI de Caçapava foram destacados para Piquete a fim de tomar parte nos combates travados naquele setor. Após alguns dias de luta, nossa gente conseguiu vencer os inimigos e tudo ficou calmo naquele local. Sob o comando do capitão Marcos Antônio, já falecido, o 2º batalhão veio lá da Mantiqueira para Mogi Mirim, a fim de tomar parte nos combates do Gravi. Também tomaram parte nos combates do Gravi o batalhão "9 de Julho", sob o comando do Major Robilot, mais uma companhia da Força Pública e dois batalhões de voluntários... Depois de muitos anos, eu e o meu colega de escola e caserna, Arnaldo Piovessan, tivemos a ideia de visitar todos os anos as cidades de Mogi Mirim e Itapira e o Morro do Gravi, com a finalidade de relembrar e comemorar os acontecimentos da Revolução Constitucionalista de 1932. O Morro do Gravi ficou na história por ter sido o palco de uma das mais sangrentas batalhas entre constitucionalistas e ditatoriais, onde muitos companheiros derramaram seu sangue no cumprimento do dever... Nesta caravana do Departamento da Sociedade Veteranos de 32 - MMDC de Jacareí, estão presentes quatro ex-combatentes que lutaram aqui no Gravi: Arnaldo Piovesam, Inocencio de Souza, Irineu Priante e eu, Alfredo Blois..."
     E finalizou a mensagem: "... As tropas ditatoriais desfecharam a grande ofensiva neste setor, cujo objetivo era a tomada de Mogi Mirim. Apoiados pela aviação e protegidos por intenso fogo de artilharia, os ditatoriais conseguiram apoderar-se do Gravi, apesar da ferrenha vontade dos soldados paulistas em manter a posição. E o sangue generoso dos paulistas mais uma vez regou o solo bandeirante. Fomos derrotados. Perdemos a batalha. Mas ganhamos a Causa pela qual lutamos...".
     O "toque do silêncio" dado pelo jovem Reinaldo Pierossi, encerrou as comemorações dos 40 Anos da Revolução Constitucionalista em Itapira, na manhã de 9 de Julho de 1972. A caravana de Jacareí seguiu até Mogi Mirim, onde, após coquetel na Câmara Municipal, falaram sobre a data do 9 de Julho as seguintes autoridades: Antônio Carlos C. Bernardes, presidente da Edilidade; Major Antonio Mazelli; Alcindo Barbosa, alto funcionário da Prefeitura, Alfredo Blois, chefe da caravana de Jacareí, e o prefeito itapirense, Hélio Pegorari. Após as solenidades em Mogi Mirim, todos novamente voltaram a Itapira, onde, através da Rádio Clube, falaram a respeito da Revolução o prefeito, os vereadores de Mogi Mirim, Ademar de Barros, Roberto Costa e Silva e Raul Brunialti e o veterano Alfredo Blois.

Reunião do CONSELHO SUPREMO da Sociedade Veteranos de 32-MMDC, em 21 de março de 1973, presidida no início pelo doutor JOSÉ AUGUSTO CÉSAR SALGADO, até o momento da chegada do Sr. REYNALDO RAMOS SALDANHA DA GAMA, para eleição do novo presidente do Conselho. GERALDO FARIA MARCONDES foi eleito para o triênio 1973/1976, assumindo o cargo em 23 de maio de 1973. Nessa reunião, o GENERAL WALDEMIRO MEIRELLES MAIA pediu seu desligamento do Conselho.

No dia 18 de maio de 1973, com a presença de centenas de veteranos da Revolução Constitucionalista de 1932 e autoridades, realizou-se  a exumação de quatro destacados revolucionários, no Cemitério da CONSOLAÇÃO, cujos restos mortais foram transferidos para o Monumento Mausoléu do Soldado Constitucionalista, no IBIRAPUERA. Os corpos exumados foram dos revolucionários: doutor WALDEMAR MARTINS FERREIRA, ex-secretário da Justiça do governador PEDRO DE TOLEDO em 1932; CORONEL PEDRO FRANCISCO RIBEIRO, ex-comandante do Regimento de Cavalaria “9 de Julho” da Polícia Militar; CORONEL JOSÉ SANDOVAL DE FIGUEIREDO, ex-comandante do CIM, hoje ACADEMIA DE POLÍCIA MILITAR DO BARRO BRANCO e do MAJOR CÂNDIDO CAJADO DE OLIVEIRA, ex-oficial do Estado Maior do MMDC em 1932.
A solenidade de exumação, com a presença de centenas de ex-combatentes de 32, autoridades e parentes das personalidades exumadas, foi iniciada às 10 horas e fez parte das comemorações do 41º aniversário das comemorações do Movimento Constitucionalista, que teriam prosseguimento em 23 de maio de 1973. Neste dia, as comemorações foram iniciadas com o hasteamento dos pavilhões Nacional, Estadual e do Município. Realizou-se em 23 de maio de 1973 a transmissão do Comando do Exército Constitucionalista 73-74, pelo veterano HERMAN DE MORAES BARROS ao veterano AURELIANO LEITE. Logo depois foram prestadas homenagens póstumas a veteranos; chamada dos heróis, transmissão da presidência do Conselho do MMDC, cerimonial religioso e desfile da Juventude estudantil. A partir das 18 horas, outras solenidades serão realizadas na PRAÇA DA REPÚBLICA e CLUBE PIRATININGA, onde falaria sobre a importância do Movimento Constitucionalista o vereador JOÃO BRASIL VITA.
O CORONEL JOSÉ SANDOVAL DE FIGUEIREDO, da FORÇA PÚBLICA DO ESTADO, foi o comandante-chefe do Estado-Maior da BRIGADA SUL; o CORONEL PEDRO FRANCISCO RIBEIRO, também da FORÇA PÚBLICA, herói de CANUDOS e comandante do Regimento de Cavalaria em PIRASSUNUNGA, tendo papel preponderante na organização dos batalhões; o comandante MAJOR VOLUNTÁRIO CÂNDIDO CAJADO DE OLIVEIRA destacou-se pelo Comando do Quartel Central dos Motoristas – QCM – órgão cuja função era considerada vital para a atuação do Movimento.
WALDEMAR MARTINS FERREIRA exerceu, durante o governo PEDRO DE TOLEDO, a função de secretário da Justiça e Negócios do Interior com tanto empenho que ao final do Movimento de 32 foi exilado em PORTUGAL. Livre docente da Faculdade de Direito de SÃO PAULO, foi premiado várias vezes por suas obras de cunho jurídico, notadamente na área do Direito Comercial. Foi um dos fundadores da LIGA NACIONALISTA DE SÃO PAULO, do INSTITUTO DA ORDEM DOS ADVOGADOS DE SÃO PAULO e no campo das atividades políticas seu nome está intimamente ligado à fundação do PARTIDO DEMOCRATA, do qual foi um dos diretores.   

41º aniversário da REVOLUÇÃO CONSTITUCIONALISTA DE 1932, em 1973. Diversas solenidades – cívico-militar-religiosas – marcaram hoje o 41º aniversário da Revolução, organizadas pela Sociedade Veteranos de 32-MMDC. As comemorações tiveram início às 9 horas, com o hasteamento dos Pavilhões Nacional, Paulista e Municipal, respectivamente pelo governador LAUDO NATEL, comandante do II Exército, general HUMBERTO DE SOUZA MELLO e pelo prefeito FIGUEIREDO FERRAZ, junto ao Mausoléu do Soldado Constitucionalista, no IBIRAPUERA, ao som do Hino Nacional executado pela Banda do Exército. Em seguida, o veterano Capelão de 32, padre ELISEU MURARI, oficiou Missa Campal com a participação de todas as autoridades presentes dentre as quais o comandante do VI DISTRITO NAVAL, vice-almirante ROBERTO FERREIRA TEIXEIRA DE FREITAS; o comandante da IV ZONA AÉREA, major-brigadeiro DÉLIO JARDIM DE MATTOS; o vice-governador, ANTÔNIO RODRIGUES FILHO; senador CARVALHO PINTO; deputado SALVADOR JULIANELLI; presidente da Assembléia Legislativa, secretários de Estado e do Município. A leitura bíblica baseou-se no LIVRO DOS MACABEUS (oração aos mortos) tendo o sermão evocado as conquistas e os feitos dos heróis de 32 “marcado pela presença heróica da mulher paulista que à mão esquerda levava o rosário e à mão direita o cacetete”. O governador LAUDO NATEL fez entrega das medalhas “Governador PEDRO DE TOLEDO” ao general HUMBERTO DE SOUZA MELLO, ao almirante de Esquadra JOSÉ DE CARVALHO JORDÃO, chefe da PM da Marinha, ao major-brigadeiro DÉLIO JARDIM DE MATTOS e, vice-almirante ROBERTO FERREIRA TEIXEIRA DE FREITAS. Outras personalidades foram distinguidas com as medalhas MMDC e diplomas da Sociedade Veteranos de 32-MMDC. Depois teve início o desfile das Forças Armadas. O grupo de Bandeirantes, formado por escoteiros de TERRA-MAR-E-AR abriu o desfile, seguido pelas Bandeiras Históricas do CPOR, acompanhado pela Banda e 2º Batalhão de Guardas do Exército. A Unidade da Marinha de Guerra também desfilou com seus uniformes de gala, em frente ao Monumento Mausoléu do Soldado Constitucionalista. O desfile cívico-militar teve seu ponto alto com a passagem dos que batalharam pelos Aliados Estrangeiros da Última Guerra em vários grupamentos não faltando a presença das mulheres que – pegando em armas ou auxiliando na enfermagem – desfilaram também com os Veteranos de 32. Uma unidade da Aeronáutica antecedeu ao desfile da Polícia Militar, com a corporação da Polícia Feminina e os cães pastores. O encerramento deu-se por volta das 11:30 horas sendo os presentes  convidados para a sessão solene das 21 horas, na sede do CLUBE PIRATININGA, à ALAMEDA BARROS, 376.
O Boletim Comemorativo da POLÍCIA MILITAR DO ESTADO DE SÃO PAULO, assinado pelo CORONEL PM THEODORO CABETTE, Comandante Geral Interino, publicava:
9 de Julho – aniversário da Revolução Constitucionalista de 1932
A Revolução Constitucionalista de 1932, foi um dos mais vivos exemplos da história pátria, na luta por um ideal. Derrotados pelas armas os paulistas não tiveram seus ideais sepultos por muito tempo. Os mártires da causa não tombaram em vão porque apenas dois anos após os heróicos sacrifícios, precisamente a 16 de julho de 1934, foi promulgada a Constituição dos Estados Unidos do Brasil, voltando nosso país a reger-se pelos ditames da Magna Carta.
Triunfou o ideal – a bandeira desfraldada, embora vencida no campo de batalha em que galhardamente se portou, viu, breve, reconhecidos os seus desígnios, em defesa dos quais pontificou a nossa querida Polícia Militar. Perdemos na refrega cerca de 194 homens, inclusive nosso ex-Comandante Geral Coronel Júlio Marcondes Salgado. Esse foi o sacrifício exigido pelo dever e podemos, hoje, orgulhosamente afirmar que nossos companheiros o cumpriram como nós o temos cumprido e cumpriremos sempre, por ser a nossa profissão de fé.
Companheiros da Corporação
Reavivemos em nossas memórias as passagens da magnífica epopéia de 32. Regozigemo-nos por descender da brava gente que pautou sua vida pela dedicação à lei e à ordem, oferecendo-a em defesa desses sacrossantos princípios. Imitemo-la para que tenhamos, no presente, a tranqüilidade de consciência decorrente do dever cumprido e para que possam no futuro, os que nos sucederem, orgulhar-se de nosso legado histórico como nós próprios nos orgulhamos dos heróis de 32.     

02 DE SETEMBRO DE 1973 - Reunião do CONSELHO SUPREMO da SOCIEDADE VETERANOS DE 32-MMDC, sob a presidência do Sr. GERALDO FARIA MARCONDES, sendo eleitos CONSELHEIROS: CORONEL da FAB ANTÔNIO JOAQUIM LAGOA e desembargador JÚLIO IGNÁCIO BONFIM PONTES, cuja posse se daria em 2 de outubro de 1973, durante uma solenidade programada para a frente do MONUMENTO-MAUSOLÉU.

Reunião extraordinária do CONSELHO SUPREMO da SOCIEDADE VETERANOS DE 32-MMDC, no dia 3 de setembro de 1973, para decidir sobre o pedido de desligamento do GENERAL WALDEMIRO MEIRELLES MAIA do quadro de sócio do MMDC e, consequentemente, de sua condição de conselheiro. Também pediu afastamento do quadro de conselheiro o Senhor DARCY S. BANDEIRA DE MELLO, por ter-se mudado para GOIÁS. Nessa reunião deu-se a posse do doutor OSWALDO BREYNE DA SILVEIRA como conselheiro da Sociedade. Essa reunião foi presidida pelo Sr. GERALDO FARIA MARCONDES.

Reunião extraordinária do CONSELHO SUPREMO da Sociedade Veteranos de 32-MMDC, em 5 de dezembro de 1973, presidida pelo Sr. GERALDO FARIA MARCONDES, tendo como secretário FRANCISCO BELLEGARDI FILHO. Foi eleito PAULO LEBÉIS BOMFIM como conselheiro na vaga do falecido RAUL DIDIER. A posse realizou-se em 28 de janeiro de 1974.

Reunião do CONSELHO SUPREMO DA SOCIEDADE VETERANOS DE 32-MMDC em 28 de janeiro de 1974, presidida pelo Senhor GERALDO FARIA MARCONDES, para a posse do novo conselheiro, eleito na reunião extraordinária de 5 de dezembro de 1973, o poeta PAULO LEBÉIS BOMFIM.

Reunião do CONSELHO SUPREMO da Sociedade Veteranos de 32-MMDC, presidida pelo Sr. GERALDO FARIA MARCONDES, em 21 de março de 1974, para eleição do novo Presidente da Diretoria Executiva. Concorreram o CORONEL PM Ref. HELIODORO TENÓRIO DA ROCHA MARQUES e o Capitão Ref. FRANCISCO MOLINARI (então presidente da Diretoria Executiva, candidato à reeleição). Venceu o Cel. HELIODORO, para o biênio 74/76, tendo assumido o Cargo em 23 de maio de 1974. Reunião em 21 de março de 1974.  Na época, o Sr. MARCONDES era o presidente do CONSELHO SUPREMO DA SOCIEDADE VETERANOS DE 32 – MMDC.

Decreto número 3.698, do governador LAUDO NATEL, em 20 de maio de 1974. Ficava autorizado o sepultamento dos despojos dos ex-combatentes de 1932 no Monumento Mausoléu do Soldado Constitucionalista: ANTÔNIO AUGUSTO, NICANOR NOGUEIRA, NICOLAU MAFFEI, ANTÔNIO ALVES DE ARAÚJO, ENOCH BARREIRA DE MACEDO, JOSÉ BENEDITO, ASCÂNIO BAPTISTA MARTINS SOARES, JÚLIO PINHEIRO, ARSÊNIO GUILHERME, AGENOR ALVES MEIRA, CARLOS SCHUMACKER, PAULO DE ARAÚJO, INDALÉCIO COSTA, LUIZ FERNANDES DIOGO, NÉLIO BAPTISTA GUIMARÃES, JOSÉ MARIO HILÁRIO DALLARI e EXPEDITO ARMANDO CARDOZO DE MELLO. 

No Mausoléu do Soldado Constitucionalista, o Centro Acadêmico XV DE DEZEMBRO, da Academia de Polícia Militar do Estado de São Paulo, homenageia o cadete RUYTEMBERG ROCHA, seu patrono, no dia 23 de maio de 1974.
Depois da missa, celebrada pelo capelão da Polícia Militar, houve o descerramento de uma placa em homenagem ao patrono do Centro Acadêmico com os seguintes dizeres: “RUYTEMBERG ROCHA; Esmaltou de pendão da esperança a sua trincheira; Coluna de uma colunata, patrono em partenon paulista...” “Homenagem do Diretório Acadêmico XV DE DEZEMBRO da Academia de Polícia Militar do Estado de São Paulo ao seu patrono, no XXV Aniversário de sua Fundação”. Após o descerramento da placa fala um representante da Sociedade Veteranos de 32-MMDC.
O cadete RUYTEMBERG ROCHA era aluno oficial do 2º ano do curso de oficiais da Força Pública do Estado de São Paulo. Em julho de 32 foi promovido para 1º tenente e partiu para o setor sul, no início das hostilidades. Na cidade de BURI, no Estado de São Paulo, em 26 de julho de 1932 tombou mortalmente ferido, por um projétil, que lhe atingiu o crânio.
“O projétil inimigo encontrou à sua frente, a figura jovem, vibrante e patriótica do tenente RUYTEMBERG ROCHA”, enfatizou o presidente do D. A. da Academia da PM, cadete ADAIR PAGAMISSE. “Por isso, peço, para que os atuais alunos da Academia de Polícia Militar, façam de sua profissão um sacerdócio, para estarem sempre alerta ao chamado do dever, pois a Pátria necessita dos filhos que se sacrificam sem nada pedir. A caminhada é árdua, mas se concentrarmos todos nossos sacrifícios em direção aos nossos objetivos, teremos a satisfação de vermos o dever cumprido e o espírito elevado, por termos tido a oportunidade de sermos úteis à Pátria e a nossos semelhantes”.
Após o discurso do presidente da D.A., o corpo de cadetes, com a colaboração do coral e da banda da Polícia Militar, entoou o Hino da Academia, a Canção da Polícia Militar e finalizaram a cerimônia com o Hino Nacional.

Solenidade defronte o Monumento-Mausoléu do Soldado Constitucionalista de 32, onde houve a transmissão do Comando do Exército Constitucionalista, do veterano AURELIANO LEITE para o veterano CORONEL PM Res JOSÉ CANAVÓ FILHO - 23 de maio de 1974. Assumia a Presidência da Diretoria Executiva da Sociedade Veteranos de 32-MMDC o CORONEL da antiga FORÇA PÚBLICA, ex-combatente, HELIODORO TENÓRIO DA ROCHA MARQUES. Deixava a presidência o CAPITÃO Res FRANCISCO MOLINARI. No interior do Monumento, foi descerrada a placa comemorativa do Centenário de SANTOS DUMONT. O poeta PAULO BOMFIM, mestre de cerimônias da Sociedade, declamou os seguintes versos:

“Na manhã feita de azul
O passado está presente
Na evocação dos heróis
A alma de nossa terra,
O sonho de nossos mártires
O sangue de nossa causa
Unidos nesse momento
Nestes chãos do Ibirapuera,
Falam do ideal e da glória
Daqueles moços de ontem
Que plasmando os amanhãs
Fizeram a história marchar
De maio a 9 de julho;
Na manhã feita de azul
O sol de nossa verdade!
O governador LAUDO NATEL presidiu as comemorações como faz todos os anos e permaneceu até o fim do programa, que se estendeu até o meio-dia. Compareceram também o prefeito MIGUEL COLASSUONO, o secretário do Trabalho CIRO ALBUQUERQUE, o vice-governador ANTÔNIO RODRIGUES FILHO, o senador CARVALHO PINTO, o vereador BRASIL VITA FILHO, presidente da Câmara, e o senhor PAULO EGYDIO, que pela primeira vez apareceu em público ao lado do governador LAUDO NATEL.
Os escoteiros do BRASIL, seção de SÃO PAULO, também prestaram sua homenagem aos mortos de 32 o vereador BRASIL VITA, em nome da Câmara, entregou a MEDALHA ANCHIETA a vários membros da entidade que congrega os Veteranos. Encerrando a cerimônia, o poeta PAULO BOMFIM declamou o poema ORAÇÃO ANTE A ÚLTIMA TRINCHEIRA, do poeta da revolução de 32, GUILHERME DE ALMEIDA, também sepultado no Mausoléu de 32.  

Licenciamento do CAPITÃO PM FRANCISCO MOLINARI, então Presidente da Diretoria Executiva da Sociedade Veteranos de 32-MMDC, em 16 de agosto de 1973. Passava a responder pelo cargo o CORONEL ANTÔNIO JOAQUIM BORGES LAGÔA.

O CONSELHO SUPREMO da Sociedade Veteranos de 32-MMDC elegeu o CORONEL PM Ref HELIODORO TENÓRIO DA ROCHA MARQUES para dirigir os destinos da Sociedade no biênio 1974/1976 na data de 21 de março de 1974.

42º aniversário da REVOLUÇÃO CONSTITUCIONALISTA  DE 1932, em 9 de julho de 1974, presidido pelo governador de SÃO PAULO, LAUDO NATEL. Presentes o general PAULO CARNEIRO THOMAS ALVES, comandante da 2ª REGIÃO MILITAR, que representou o Comandante do II EXÉRCITO; prefeito MIGUEL COLASSUONNO; deputado SALVADOR JULIANELLI; o presidente do Tribunal de Justiça, desembargador JOSÉ CARLOS FERREIRA DE OLIVEIRA; o comandante do 6º Distrito Naval, vice-almirante ROBERTO FERREIRA TEIXEIRA DE FREITAS; os secretários estaduais da Casa Civil, HENRI AIDAR; da Casa Militar, Coronel ANTÔNIO NOGUEIRA CÉSAR; do Trabalho, CIRO ALBUQUERQUE; da Educação, PAULO GOMES ROMEO; e da Segurança Pública, Coronel ERASMO DIAS; o comandante da Polícia Militar, Coronel EB FRANCISCO BATISTA TORRES DE MELO; o presidente da Sociedade Veteranos de 32-MMDC, Coronel HELIODORO DA ROCHA MARQUES; o presidente do CONSELHO SUPREMO daquela Sociedade, GERALDO FARIA MARCONDES; o poeta PAULO BOMFIM, que atuou como mestre de cerimônia das comemorações, além de outras autoridades civis, militares e eclesiásticas. PAULO BOMFIM declamou: “Nos campos do Ibirapuera/ A espada de pedra vela/ pelo sonho dos heróis/ Na manhã de evocação/ Em muitos julhos depois/ A voz da terra desfila/ A marcha de 32/ Moços de cabelos brancos/ E capacetes de aço/ Moços de outrora e de agora/ Vivos e mortos da causa/ Repetem com fé e orgulho/ Pelo ideal e pela luz/ Pelo sangue que é verdade/ E sempre tempo de glória/ E sempre 9 de Julho”. A missa campal foi celebrada pelo capelão ELISEU MURARI, veterano de 32, que, em seu sermão, rememorou os antecedentes daquele histórico movimento e, aludindo às causas que o deflagraram, exaltou a participação dos combatentes. Foram condecorados quatro ex-combatentes: HORÁCIO CORREIA PINTO MAGALHÃES, ANTÔNIO TUPINAMBÁ VAMPRÉ, WÁLTER SÓCRATES DO NASCIMENTO e ÂNGELO MARCONI. Desfilaram a banda da Polícia Militar, representantes dos aliados estrangeiros na 2ª Guerra Mundial, a União dos Escoteiros do Brasil e os vários batalhões de ex-combatentes ostentando, cada um, as suas bandeiras de campanha. No desfile militar, viaturas representativas das Forças Armadas e da PMESP, as bandeiras históricas ostentadas por cavaleiros do CPOR, um pelotão de fuzileiros do 6º DISTRITO NAVAL, o pelotão do Centro de Preparação de Oficiais da Reserva, 2º Batalhão de Guardas, unidade da Polícia da Aeronáutica, o 25º Batalhão de Polícia Militar, carros do Corpo de Bombeiros e o Regimento de Cavalaria “NOVE DE JULHO” que encerrou o desfile.
Com a presença do governador do Estado e das mais altas autoridades civis e militares, a Assembléia Legislativa evocou o Movimento Constitucionalista de 32, precedendo a entrega da MEDALHA DA CONSTITUIÇÃO a 63 veteranos daquela epopéia cívica. A primeira medalha foi entregue ao ex-ministro do Supremo Tribunal Federal, CÂNDIDO MOTA FILHO, que após agradecer a honraria recebida ponderou em sua oração que a “Revolução de 32, apontada como um crime de lesa à Pátria, como uma reação de velhos políticos decaídos ou como fruto de uma irritação nativista, proveio das entranhas de uma sociedade política, obedecendo aos imperativos revolucionários de abarcar o País inteiro, porque sentíamos que o País estava subjugado pelo arbítrio, e desse modo, obedecíamos aos apelos de todas as consciências livres”. Lembrou, que o plenário da Assembléia, onde militara como constituinte em 1934 e como repórter político, era o lugar adequado para a solenidade, por ser a casa de “uma tradição gloriosa de cultura e de dignidade política, donde ecoaram grandes vozes como a de PRUDENTE DE MORAIS, defendendo as três grandes liberdades: a liberdade Nacional, a liberdade Individual e a liberdade Municipal.        
Os jornais relembram também o pequeno herói ALDO CHIORATTO. PAULO BOMFIM escreveu: “Menino Paulista/ - dez anos apenas -/ vivendo a epopéia/ formando uma tropa/ com outros meninos/ Se fosse preciso/ iriam cantando/ lutar por São Paulo!/ E veio dos céus/ dos céus de Campinas/ a ave de fogo/ ferir a cidade/ E ALDO CHIORATTO/ tombou sobre a terra/ que o viu pequenino;/ e o vulto de um sonho/ - dez anos apenas/ marchou entre os anjos/ que em coro bradaram/  - Na vida e na morte,/ na paz e na guerra,/ Menino Paulista,/ Menino da guarda,/ Velai por São Paulo!”
MOEDA PAULISTA
 GUILHERME DE ALMEIDA
Moeda Paulista, feita só de alianças,
Feita do anel com que Nosso Senhor
Uniu na terra duas esperanças,
Feita de tudo o que restou do amor!
Quanto vale essa moeda? – Vale tudo!
Seu ouro eternizava um grande ideal!
E ela traduz o sacrifício mudo
Daquela eternidade de metal.
Ela, que vem das mãos dos que se amaram
Vale este instante, que não tinha fim
Em que dois sonhos juntos se ajoelharam
Quando a Felicidade disse “Sim”;
Vale o que vale a união de duas vidas
Que riram e choraram a uma voz
E simbolicamente desunidas
Vão rolar desgraçadamente sós.
Vale a grande renúncia derradeira
Das mãos que acariciaram maternais,
O menino que vai para a trincheira
E que talvez... talvez não volte mais.
Vale mais do que vale o ouro maciço.
Vale a glória de amar, sorrir, chorar,
Lutar, vencer, morrer – Vale tudo isso
Que moeda alguma poderá comprar!

 Senhora OFÉLIA SALGADO, em companhia do CORONEL ANTÔNIO ERASMO DIAS, secretário de Estado da Segurança Pública; vários oficiais da Polícia Militar, entre eles seu comandante, CORONEL FRANCISCO BATISTA TORRES DE MELO, e de inúmeros veteranos de 32, assistiu às 10 horas do dia 23 de julho de 1974, missa em memória de seu marido, GENERAL JÚLIO MARCONDES SALGADO, falecido a 23 de julho de 1932, numa manhã fria e garoenta, quase igual à de hoje, quando a missa se realizou, no altar do Monumento Mausoléu do IBIRAPUERA, ao lado do túmulo do poeta de SÃO PAULO, GUILHERME DE ALMEIDA. Estavam presentes vários civis e militares, entre eles um representante do sr. PAULO MALUF, secretário de Transportes do Governo. Pelo CLUBE PIRATININGA, compareceu o jornalista J. L. BARROS PIMENTEL, e pela SOCIEDADE VETERANOS DE 32-MMDC, os senhores CORONEL HELIODORO TENÓRIO DA ROCHA MARQUES e BENEDITO CAMPOS.
Padre LUÍS MARCOS BARBOSA, Capitão Capelão da Polícia Militar, se encarregou do ofício religioso, contando com a preciosa ajuda do coral da PM, com 27 figuras, comandado pelo SARGENTO PM JOSÉ MENCHUP. 

Reunião do CONSELHO SUPREMO da SOCIEDADE VETERANOS DE 32-MMDC, sob a presidência do Sr. GERALDO FARIA MARCONDES, onde aconteceram as demissões dos conselheiros FRANCISCO MOLINARI e JOÃO CINTRA FILHO por problemas financeiros que surgiram tão logo o Cel. HELIODORO TENÓRIO DA ROCHA MARQUES assumiu a presidência da Diretoria Executiva. Essa reunião aconteceu no dia 15 de maio de 1975.

23MAIO1975 O palanque está cheio de gente e, na frente, o governador PAULO EGYDIO e o prefeito OLAVO SETÚBAL, entre muitas outras pessoas, neste 23 de maio de 1975. Um vento intenso fazia tremular centenas de bandeiras brasileiras e paulistas defronte ao Monumento Mausoléu do Soldado Constitucionalista de 1932. PAULO BOMFIM faz a declamação: “Maio de outrora revive/ Na saudade aqui presente / Maio de paz e de guerra, / Capacetes de esperança / Alma do povo e da terra / Voz de ideal, canto de amor / E o MMDC/ É sigla, é sangue, é vitória / Santa senha, pira ardente / Bandeira bem bandeirante / No coração de São Paulo – Maio de outrora revive / Nos campos de Ibirapuera.”
PAULO BOMFIM pede licença a PAULO EGYDIO para iniciar as comemorações de mais um 23 de maio, data em que se comemora o sacrifício de MIRAGAIA, MARTINS, DRÁUSIO e CAMARGO, tombados mortos na Praça da República, na luta constitucionalista. Seus corpos dormem no Mausoléu, em cujo frontispício estão inscritas estas palavras eternas: “VIVERAM POUCO PARA MORRER BEM; MORRERAM JOVENS PARA VIVER SEMPRE”.
Estavam presentes, além do governador e do prefeito de São Paulo, o desembargador JOSÉ CARLOS FERREIRA DE OLIVEIRA, presidente do Tribunal de Justiça de São Paulo; doutor HOMERO DINIZ GONÇALVES, presidente do Tribunal Regional do Trabalho; desembargador GUÁLTER GODINHO, presidente do Tribunal de Justiça Militar do Estado de São Paulo; MANOEL GONÇALVES FERREIRA FILHO, vice-governador de São Paulo; representantes dos comandos do Exército, da Aeronáutica e da Marinha do Brasil; dom ERNESTO DE PAULA, representando o cardeal-arcebispo de São Paulo e numerosos convidados.
A comemoração iniciou-se com o hasteamento das bandeiras do Brasil, de São Paulo e do Município, respectivamente pelo Governador PAULO EGYDIO, Prefeito OLAVO SETÚBAL e desembargador JOSÉ CARLOS FERREIRA DE OLIVEIRA. Seguiu-se a entrada do Pavilhão Nacional e, em seguida, a transmissão do Comando do Exército Constitucionalista para o período 1975/1976, pelo veterano CORONEL PM Res JOSÉ CANAVÓ FILHO, ao veterano DOUTOR JOSÉ PARANHOS DO RIO BRANCO.
Sob os acordes da “MARCHA FÚNEBRE”, de CHOPIN, deram entrada na grande área fronteiriça ao Monumento Mausoléu as urnas contendo os despojos de 17 heróis de 1932, transportadas por cadetes da Academia de Polícia Militar. Um pelotão prestou as homenagens póstumas deflagrando três cargas de festim em funeral.
PADRE ELISEU MURARI, capelão de 32, procedeu ao cerimonial religioso e, logo depois, começava o desfile estudantil, com a participação de vários colégios e escolas integradas da Capital e da União dos Escoteiros do Brasil e das Bandeirantes do distrito de PIRATININGA.
As comemorações ao DIA DO SOLDADO CONSTITUCIONALISTA prosseguiram às 18 horas, na PRAÇA DA REPÚBLICA, no mesmo local onde há 43 anos tombavam as primeiras vítimas do Movimento Constitucionalista. Abrindo a cerimônia, fez uso da palavra o doutor CRISTÓVÃO FERNANDES, representante do CLUBE PIRATININGA, que trouxe à memória de todos os presentes fatos ocorridos nos tempos do Movimento. Seguiu-lhe o poeta PAULO BOMFIM, que, com suas palavras carregadas de emoção, sensibilizou profundamente não só os veteranos de 32, como também o grande número de pessoas que assistiam à solenidade.

O jornal GUARUNEWS, de GUARULHOS, publica em 6 de julho de 1975 (domingo): REVOLUÇÃO DE 32, UMA PÁGINA DE GLÓRIA NA HISTÓRIA DE SÃO PAULO. Em uma das fotos publicadas na edição aparecem os ex-combatentes de 1932, todos pertencentes à Sociedade Veteranos de 32-MMDC: THEOBALDO DE FREITAS LEITÃO, JORGE JUNQUEIRA PENTEADO, CAMPOS CARVALHO, GERALDO NORBERTO FREIRE BRAGA, CAPITÃO RUBENS CORTE REAL, NELSON VASCONCELOS.

Solenidades organizadas pela Sociedade Veteranos de 32-MMDC, em 9 de julho de 1975. O inicio foi às 9 horas com o hasteamento dos pavilhões nacional, estadual e municipal, respectivamente pelo comandante do 4º Comando Aéreo Regional, MAJOR-BRIGADEIRO ROBERTO AUGUSTO CARRÃO DE ANDRADE, Governador PAULO EGYDIO MARTINS e Prefeito OLAVO SETÚBAL, ao som do Hino Nacional, no IBIRAPUERA. Além deles, estiveram presentes o ex-prefeito MIGUEL COLASSUONO, o ex-governador LAUDO NATEL, o TENENTE-CORONEL EDUARDO LUÍS PIRAGIBE FERREIRA, representando o Comandante do II Exército, o vice-almirante ROBERTO MARIO MONERAT, do 6º Distrito Naval e os secretários de Estado e do município. Após o hasteamento, o governador PAULO EGYDIO e o prefeito OLAVO SETÚBAL depositam flores junto ao mausoléu do Soldado Constitucionalista, sob as inscrições “MMDC – VIVERAM POUCO PARA MORRER BEM; MORRERAM JOVENS PARA VIVER SEMPRE”.
O PADRE ELISEU MURARI, capelão de 32, celebrou uma missa campal, em homenagem aos mortos da Revolução. Foram também lembrados os veteranos e as viúvas que, nos palanques, exibiam as medalhas dos esposos mortos e portavam seus velhos capacetes.  A Banda de Música abriu os desfiles, com a Canção dos Expedicionários, de autoria de GUILHERME DE ALMEIDA e música do maestro SPÁRTACO ROSSI. O desfile cívico-militar, no IBIRAPUERA, durou mais de uma hora e contou com a participação de aproximadamente 5 mil pessoas. Desfilaram primeiro os Escoteiros de São Paulo, empunhando dezenas de bandeiras nacionais e, a seguir, os pavilhões de todos os Estados. ALAYDE BORBA, uma das mulheres que mais participou do Movimento Constitucionalista, dirigiu o desfile das senhoras que atuaram na retaguarda de 32, por meio da LIGA DAS SENHORAS CATÓLICAS e da UNIÃO FEMININA PAULISTA. Ela ainda é o símbolo da mulher na Revolução: “o retorno de PEDRO DE TOLEDO do exílio poderia causar sérios distúrbios nas ruas de São Paulo e ALAYDE, que dirigia a comissão encarregada de recebê-lo admitia esta ameaça. Foi então que ela decidiu procurar o GENERAL DAUTO FILHO, no QG na rua Conselheiro Crispiniano, e garantiu ao general que a recepção a PEDRO DE TOLEDO e a JÚLIO MESQUITA FILHO transcorreria em ordem, não sendo necessária a presença das tropas militares nas ruas. O general concordou e a multidão pôde recepcionar seus líderes exilados”, relembra um veterano de 32. 

Veteranos de 1932 são condecorados pelo Governo de São Paulo em SOLEDADE (entre as comemorações do centenário da cidade de SOLEDADE), em 14 de setembro de 1975. Recebem a Medalha da Constituição e a Medalha da Sociedade Veteranos de 32-MMDC. Representam o governo paulista o MAJOR HALEY TEIXEIRA DE FARIAS, Secretário da Comissão Executiva da Medalha da Constituição, e o CORONEL RAYMUNDO ARI DE MENEZES, ex-chefe da Casa Militar do governo ADHEMAR DE BARROS. Pela Sociedade Veteranos de 32-MMDC estão presentes a esse ato o TENENTE GERALDO NORBERTO FREIRE BRAGA e BENEDITO CAMPOS DE CARVALHO. 

Posse dos conselheiros da Sociedade Veteranos de 32-MMDC: -  MINISTRO GUÁLTER GODINHO, THEOBALDO DE FREITAS LEITÃO e DOUTOR ARNALDO CALEIRO SANDOVAL, no dia 2 de outubro de 1975. O MINISTRO GUÁLTER GODINHO faleceu no dia 15 de setembro de 2006.

Posse dos novos conselheiros da SOCIEDADE VETERANOS DE 32-MMDC: SILVEIRA PEIXOTO, CORONEL JOSÉ RUFINO FREIRE SOBRINHO, JOSÉ LEANDRO DE BARROS PIMENTEL. Eram escolhidos pelo CONSELHO SUPREMO para serem suplentes: CORONEL JOSÉ CANAVÓ FILHO, ADA ROGATO, CORONEL ALDO RIBEIRO DA LUZ, ADRIANO PIRES DE ANDRADE, TENENTE–CORONEL NELSON DE PAULA CAMPOS, GRACIOSA DIOGO PINTO FERRAZ e NICOLINO FALCI. Essa reunião realizou-se em 27 de abril de 1976, sob a presidência do CORONEL ANTÔNIO JOAQUIM LAGOA (ele assumiu em setembro de 1975, por motivo do pedido de demissão do Sr. GERALDO FARIA MARCONDES).  Foram eleitos: para presidente do CONSELHO SUPREMO o Doutor LAURO DE BARROS SICILIANO; para vice–presidente, o desembargador Dr. JÚLIO INÁCIO BONFIM PONTES; para secretário do CONSELHO SUPREMO, o Dr. JOSÉ BENEDITO SILVEIRA PEIXOTO; para Presidente da DIRETORIA EXECUTIVA, MÉRCIO PRUDENTE CORRÊA e para vice RUBEN COSTA. Todos eles tomaram posse no dia 23 de maio de 1976, para o triênio que foi até 1979.

23MAIO1976 solenidade no Monumento Mausoléu do Soldado Constitucionalista. Transmissão do Comando do Exército Constitucionalista para o período 1976/1977 pelo veterano DOUTOR JOSÉ PARANHOS DO RIO BRANCO ao veterano CORONEL PM Res JOSÉ RUFINO FREIRE SOBRINHO. Posse da Diretoria Executiva eleita para o triênio 1976/1979: Presidente – MÉRCIO PRUDENTE CORRÊA; Vice-presidente – CAPITÃO PM Res RUBEN COSTA. Posse do Conselho Supremo eleito para o triênio 1976/1979: Presidente – DOUTOR LAURO DE BARROS SICILIANO; Vice-presidente – DESEMBARGADOR IGNÁCIO BOMFIM PONTES e Secretário DOUTOR JOSÉ BENEDITO SILVEIRA PEIXOTO.     
Entrada do Pavilhão Nacional conduzido pela União dos Escoteiros do Brasil – Região de São Paulo. Entrada de dezesseis urnas com os despojos dos Heróis Constitucionalista tombados no campo da luta em 1932: LUIZ AMÉRICO DE FREITAS – exilado; JOSÉ JERONYMO DE VASCONCELOS – voluntário; MANOEL MARTINS (ferroviário da Companhia Mogiana do trem blindado da Coluna ROMÃO GOMES); JORGE MOREIRA DE SOUZA (voluntário da Coluna ROMÃO GOMES); CELSO DE ALMEIDA SENNA – (Capitão do Batalhão BORBA GATO; ELOY FERNANDES (cabo da FORÇA PÚBLICA); JOÃO BATISTA DE OLIVEIRA FARIA (Cabo do 4º BCP da FORÇA PÚBLICA); GASTÃO LOPES LEAl (voluntário da esquadra aérea do Exército Constitucionalista); BENJAMIN CAPUSSO (voluntário do Batalhão BENTO GONÇALVES); JOSÉ DA SILVA (voluntário do Batalhão BAHIA); ANTÔNIO NAVES PRADO (voluntário); BENEDITO RAPHAEL (voluntário do 1º Batalhão Esportivo); JOSÉ CERINO DE CARVALHO (Sargento do 1º BCP da FORÇA PÚBLICA); JOSÉ PEREIRA REYMÃO (soldado do 9º BCP da FORÇA PÚBLICA); despojos de dois heróis não identificados do Batalhão BORBA GATO, exumados no PORTO DELFIM.
Segue-se a homenagem da Federação das Bandeirantes do Brasil, Região de São Paulo. Cerimonial Religioso. Honras Fúnebres por uma Companhia de Fuzileiros da Polícia Militar. Desfile da Juventude Estudantil em homenagem aos heróis.
Às 18 horas na PRAÇA DA REPÚBLICA, vigília aos primeiros mártires do Movimento Constitucionalistas: MARTINS, MIRAGAIA, DRAUSIO e CAMARGO. Orador – poeta PAULO BOMFIM.
Desfile cívico pelas ruas centrais de SOROCABA, com uma viatura do Corpo de Bombeiros conduzindo os ex-combatentes sorocabanos, ladeados pelo Regimento de Cavalaria do 7º BPMI, viaturas policiais e motocicletas, além da banda do 7º BPMI, em 9 de julho de 1977. Às 9 horas, após o desfile, na Praça CORONEL FERNANDO PRESTES, o “toque de reunir” dá início às solenidades comemorativas do 45º Aniversário da Revolução Constitucionalista de 1932. O CORONEL FÉLIX ESTEVES JÚNIOR, Chefe do 14º CSM, ao som do Hino Nacional, hasteia a Bandeira Nacional; o CORONEL PM CLODOMIRO JOSÉ PASCHOAL, Comandante do CPA/I-7, ao som do Hino da Polícia Militar, hasteia a bandeira paulista; o prefeito de SOROCABA, JOSÉ THEODORO MENDES, ao som do Hino do município, hasteia a bandeira sorocabana. Prosseguindo, o TENENTE-CORONEL PM PLÍNIO CARLOS DE MELLO, Comandante do 7º BPMI e o vereador EDWARD FRU FRU MARCIANO DA SILVA entregam uma coroa de flores que é  posteriormente levada para o Monumento do Soldado Constitucionalista. Ainda se houve o “toque de silêncio”, a salva de 21 tiros com ruflar de tambores e execução da Marcha Fúnebre, de CHOPIN, pela banda do 7º BPMI.
JORGE MANCINI, presidente fundador da Associação dos Ex-Combatentes de São Paulo discursa e faz a chamada simbólica dos voluntários de SOROCABA. Também falam o prefeito JOSÉ THEODORO MENDES e o presidente da Associação dos Veteranos de 32, OSWALDO EUZÉBIO DE CAMARGO BARROS. É aberta no SOROCABA CLUBE a exposição das peças da Revolução Constitucionalista, pertencentes a JORGE MANCINI, bem como recortes de jornais, documentos da época, bandeiras, fotografias, estandartes, escudos, uniformes, capacetes, selos, cartões do correio militar, bônus rotativo, diplomas das doações “ouro para o bem de São Paulo”, quadros demonstrativos, balas de canhões, etc. Segundo JORGE MANCINI, esse trabalho é realizado por ele numa promoção da Associação dos Ex-Combatentes de São Paulo, sem qualquer remuneração ou auxílio oficial ou particular, “apenas para manter viva uma das páginas mais gloriosas da história do povo paulista”.    

Inauguração do TREVO DE 32, uma homenagem à REVOLUÇÃO CONSTITUCIONALISTA DE 1932, em SÃO PAULO. O complexo viário que interliga a MARGINAL PINHEIROS, a MARGINAL TIETÊ e a rodovia CASTELLO BRANCO, inaugurado em 9 de julho de 1978, ganhou o apelido de “CEBOLÃO” e o povo desconhece o verdadeiro nome do complexo. 

51º Aniversário da Revolução Constitucionalista de 1932, em 9 de julho de 1983. No IBIRAPUERA, defronte o Monumento Mausoléu do Soldado Constitucionalista de 1932: 10 horas – Recepção das Autoridades; Oração do Acadêmico PAULO BOMFIM; Deposição de coras de flores pelos Excelentíssimos Senhores Governador do Estado, Prefeito Municipal e Presidente da Sociedade Veteranos de 32-MMDC junto ao Herói Jacente na cripta do Monumento; Desfile Cívico-Militar: Grupamento Civil – integrado pelo Exército Constitucionalista, FEB e Ex-Combatentes Aliados, sob o Comando do CORONEL R/1 MONSENHOR JOÃO PHEENEY DE CAMARGO E SILVA; Grupamento Militar – integrado pela Polícia Militar do Estado de São Paulo.
21:00 horas – Sessão Solene alusiva à data, promovida pelo co-irmão CLUBE PIRATININGA, em sua sede social à ALAMEDA BARROS, 376 – SANTA CECÍLIA – e concerto pela Banda Sinfônica da Polícia Militar de São Paulo.


Reunião do Conselho de Grupo do “GRUPO ESCOTEIRO ALDO CHIORATTO”, no auditório da Sociedade Veteranos de 32-MMDC, em 27 de novembro de 1984, onde se procedeu a eleição da nova diretoria do Grupo para o biênio 1985/1987: Presidente – THOMAZ OSCAR MARCONDES DE SOUZA JÚNIOR; Vice-presidente – FRANCISCO CALDEIRA BELLEGARDE FILHO; Diretor-Presidente – JÚLIO IGNÁCIO BOMFIM PONTES; Diretor-Vice-presidente – THEOBALDO DE FREITAS LEITÃO; Chefe do Grupo – GERALDO NORBERTO FREIRE BRAGA; Sub-Chefe – ISMAEL GREGÓRIO; Diretor Financeiro – SEVERINO DOS SANTOS; Diretor Financeiro Adjunto – EDUARDO CANELHAS GONÇALVES MOUTINHO; Diretor Administrativo – ANTÔNIO FERNANDES; Diretor Administrativo Adjunto – ANTÔNIO MARIA SIMÕES; Membros do Conselho Fiscal – LUIZ CARLOS GABRIEL – CÉLIO CELLI – PAULO DE TARSO FREIRE BRAGA. 

Viagem a CRUZEIRO, com o Cel. ARY CANAVÓ. Conhecimento da região do TÚNEL e do BELVEDERE À SANTA, divisa com PASSA QUATRO, MINAS GERAIS, no dia 17 de outubro de 1996. Almoçamos na 4a. Cia. do 23o. BPMI, com o então MAJOR ROMA (já na reserva como CORONEL) e o então 1o. Tenente VIEIRA. Estivemos no SESI do município de CRUZEIRO, onde se realizou uma reunião preparatória para o evento religioso que foi realizado em 1o. de novembro de 1996, na divisa de CRUZEIRO (SP) e  PASSA QUATRO (MG). Nessa reunião estiveram os senhores ENI e PAULO MORAIS; um veterano de 88 anos, VALDEMAR FELIX MACHADO; o então tenente do Exército Brasileiro BARBOSA, do TIRO DE GUERRA de CRUZEIRO; Sargento CAMPOS, do Destacamento de Polícia Militar de PASSA QUATRO e outras pessoas. Depois de conhecermos o local onde foi rezada a missa, o Cel. CANAVÓ partiria para MINAS GERAIS, a fim de velar o corpo de seu amigo GENERAL SERPA. O Major ROMA levou-me até à RODOVIÁRIA de GUARATINGUETÁ, regressando a SÃO PAULO, num ônibus da empresa PÁSSARO MARRON.    

Renúncia do cargo de Presidente do CONSELHO SUPREMO da SOCIEDADE VETERANOS DE 32-MMDC por parte do engenheiro LAURO DE BARROS SICILIANO em 21 de julho de 1977; havia assumido esse cargo em 23 de maio de 1976. O vice-presidente, desembargador JÚLIO IGNÁCIO BOMFIM PONTES assumiu o lugar do doutor SICILIANO.

No dia 28 de setembro de 1977, solenidade do 45º Aniversário da EPOPÉIA PAULISTA DE 1932, no PALÁCIO DOS CAMPOS ELÍSIOS (antiga residência dos governadores do Estado de SÃO PAULO).
Solenidade da Sociedade Veteranos de 32-MMDC para outorgas de veneras “MMDC” e “GOVERNADOR PEDRO DE TOLEDO”, aos agraciados: MAX FEFFER, ANTÔNIO AUGUSTO SOARES AMORA, WALDISA PINTO RÚSSIO, ERNANI PEREIRA DE CASTRO, ALYRIO SILVA, LUIZ BAPTISTA AZEVEDO, HENRIQUE  L. ALVES, BENONES LÁZARO ANTUNES, ALTINO SANTARÉM, CARLOS ALEXANDRE DE CASTRO e Desembargador WASHINGTON DE BARROS MONTEIRO.
Apresentação de poemas cívicos: “BRASIL” pelo poeta pintor ARNALDO CALEIRO SANDOVAL.
Pela emérita declamadora LÉA SURIAN: em homenagem aos 150 anos de instalação dos Cursos Jurídicos em SÃO PAULO – “Canto de Amor à Faculdade” – do acadêmico PAULO BOMFIM; “TERRA DA GLÓRIA”, do acadêmico PEDRO ANTÔNIO DE OLIVEIRA RIBEIRO NETO; “MINHA TERRA, MINHA POBRE TERRA”, do Tribuno de 32, IBRAHIM NOBRE e “NOSSA BANDEIRA”, do Príncipe dos Poetas Brasileiros, acadêmico GUILHERME DE ALMEIDA.
O Palácio dos CAMPOS ELÍSIOS manteve seus portões abertos, às 18 horas, por especial deferência do Excelentíssimo Senhor Doutor MAX FEFFER, Secretário da Cultura, Ciência e Tecnologia, para o ato comemorativo do dia 28 de setembro de 1977. Pela Banda da Polícia Militar foi aberta a solenidade com o HINO NACIONAL BRASILEIRO e encerrada com a MARCHA DA REVOLUÇÃO – PARIS BELFORT.
O Desembargador J. I. BOMFIM PONTES era o presidente do CONSELHO SUPREMO da Sociedade Veteranos de 32-MMDC e o Presidente da Diretoria Executiva era MÉRCIO PRUDENTE CORRÊA.   

Reunião do CONSELHO SUPREMO da Sociedade Veteranos de 32-MMDC onde, por motivo de saúde, MÉRCIO PRUDENTE CORRÊA pediu demissão de seu cargo de PRESIDENTE DA DIRETORIA EXECUTIVA. Assumiu o seu lugar o vice–presidente CORONEL CÁLIO CAMPOS MONTES. Reunião de 27 de abril de 1978.

Reunião da Diretoria Executiva da Sociedade Veteranos de 32-MMDC aos nove dias do mês de maio de 1978, na sede social, com a presença dos diretores: presidente CORONEL CÁLIO DE CAMPOS MONTES abriu a sessão. Declarou que tendo assumido a presidência executiva da Sociedade com a renúncia do então presidente Senhor MÉRCIO PRUDENTE CORREA e, tomado posse na reunião do Conselho Supremo, realizada a 27 de abril, constituirá a Diretoria que decidirá os destinos da Entidade até a data de 23 de maio de 1979. O cargo de vice-presidente ficará vago por não ter sido preenchido pelo Conselho Supremo; 1º Secretário, vago; 2º Secretário, JOSÉ LEANDRO DE BARROS PIMENTEL; 1º Tesoureiro, Doutor BENEDITO LANG; 2º Tesoureiro, CÁSSIO RALSTON DA FONSECA; Diretor do Cerimonial, Doutor PAULO LEBEIX BOMFIM; Departamento da Juventude, Doutor HERMANN DE MORAES BARROS; Relações Públicas, CORONEL FRANCISCO ANTÔNIO BIANCO JÚNIOR; Museu Histórico e Biblioteca, SEVERINO DOS SANTOS; Monumento Mausoléu, GERALDO FARIA MARCONDES; Sede, ANTÔNIO FIGUEIREDO BORGES. Foram empossados os diretores presentes. O 1º Secretário será empossado na oportunidade de sua presença. Para o cargo de Comandante do Exército Constitucionalista fica confirmado o nome de GUILHERME DE OLIVEIRA FIGUEIREDO.

Falece o ex-combatente de 32, JOSÉ AUGUSTO CÉSAR SALGADO, em 9 de maio de 1979. Foi Presidente do CONSELHO SUPREMO da Sociedade Veteranos de 32-MMDC e o 21o. Comandante do Exército Constitucionalista, nomeado para o período 1977/1978.

Anotações em 17 de julho de 1979: compareço na Diretoria de Pessoal a pedido do CORONEL PM RIGONATTO. Um telex que ele recebeu do CORONEL PM Ref GASTÃO VON HULSEN TOSTA motiva isso. CORONEL PM Ref GASTÃO está pedindo uma revisão de uma reprovação de um candidato às fileiras da PM.
Falecimento da senhora CAROLINA PINTO, esposa do Senhor BRENO, Assistente da Consultoria Jurídica da PM. O enterro será às 13 horas no cemitério da Quarta Parada.
CAPITÃO PM ALUÍZIO telefona-me do 3º BPChq. Conversamos sobre as promoções de 25 de agosto. Em seguida vou ao enterro da esposa do Senhor BRENO.
CABO PM CALIENTE conseguiu gêneros alimentícios para o Senhor FULGÊNCIO na Assistência Social do Palácio.
Fazemos, à tarde, um levantamento das armas apreendidas pelos três batalhões de choque. Recebemos pedido para escolta de valores do Banco Central para os dias 19 e 20 de julho.
O Boletim Geral publica as Relações de Acesso para as próximas promoções. Preciso de 36 vagas para ser promovido a MAJOR.
Visitamos à noite o casal JOÃO GOMES e GISLEIDE. Ali assistimos o Jornal Nacional.
SOMOZA renuncia e foge para MIAMI, na FLÓRIDA.
O gabinete de JIMMY CARTER solicitou renúncia coletiva.
Encerro a leitura do quarto volume da “Biblioteca de Obras Internacionais Célebres”.   

Outras anotações em 27 DE AGOSTO DE 1979: a segunda-feira começa com o CORONEL PM RIGONATTO, TENENTE-CORONEL PM HERMÓGENES e TENENTE-CORONEL PM BELICKAS no 2º BPChq. Estuda-se a adaptação de lançamento de gás lacrimogêneo no escapamento dos “TATUS”. Os novos capitães do choque, SÉRGIO e JAHIR DUARTE. Os jornais publicam o que foi o DIA NACIONAL DO PROTESTO, na PRAÇA DA SÉ, ontem, às 11 horas. CORONEL RIGONATTO e TENENTE-CORONEL BELICKAS falam sobre situações esdrúxulas acontecidas com empregadas em suas residências. O SARGENTO PM MACHADO, do serviço reservado, foi ferido a tiros. Previsão de greve dos vigilantes bancários para zero hora de amanhã. Tarde difícil de passar: estou curtindo uma gripe. Em casa assisto os jornais da GLOBO: a partir de 1º de setembro os postos de gasolina trabalharão das 7 às 19 horas – isso causará desemprego para 25 mil frentistas. A COBAL começou a comprar hoje a cebola excedente. FLAMENGO vence o USPESTDOSZA por 2 a 0 e é o campeão do TROFÉU CARRANZA. Terroristas da IRLANDA DO NORTE matam o primo da Rainha da INGLATERRA. Foi assassinado o LORD MOUNTBATTEN. Continuo lendo “CORRUPÇÃO EM WASHINGTON”.    

Chegada dos despojos dos Heróis Constitucionalistas PAULO NOGUEIRA FILHO, GENERAL OTHELO FRANCO, GENERAL ARCY DA ROCHA NÓBREGA e CORONEL PM NAUL DE AZEVEDO, às 15 horas de 22 de maio de 1980, no BATALHÃO TOBIAS DE AGUIAR. Os despojos são recepcionados pela Oficialidade e Praças da Polícia Militar e ficam expostos à visitação pública até às 8 horas de 23 de maio.

Solenidade no Monumento Mausoléu do Soldado Constitucionalista, em 23 de maio de 1980: transmissão do comando do Exército Constitucionalista pelo GENERAL-DE-EXÉRCITO R/1 ARISTÓTELES RIBEIRO ao MONSENHOR LUIZ FERNANDES DE ABREU para o período de 1980/1981. Chegada do cortejo conduzindo as urnas com os despojos dos heróis doutor PAULO NOGUEIRA FILHO, GENERAL OTHELO FRANCO, GENERAL ARCY DA ROCHA NÓBREGA e CORONEL PM NAUL DE AZEVEDO. Oração ANTE A ÚLTIMA TRINCHEIRA, de GUILHERME DE ALMEIDA, declamada pelo Acadêmico Poeta PAULO BOMFIM. Encomendação religiosa pelo PADRE HÉLIO ABRANCHEZ VIOTTI S.J. Chamada dos heróis. Honras fúnebres por uma Companhia da Polícia Militar. Imortalização dos Heróis no Monumento. Desfile da JUVENTUDE CONSTITUCIONALISTA representada por delegações de Estabelecimentos de Ensino do Estado e do Município e Particulares, Grupos de Escoteiros da Região de São Paulo, Federação dos Bandeirantes do Brasil. Etc.
Às 18 horas, na PRAÇA DA REPÚBLICA, deposição de flores junto à placa MMDC. Oradores: doutor CHRISTÓVÃO FERNANDES, pelo Clube Piratininga e Acadêmico PAULO BOMFIM, pela Sociedade Veteranos de 32-MMDC.
Às 21 horas, no Clube Piratininga, sessão solene comemorativa à data, sendo orador o Acadêmico doutor BRASIL BANDECHI.   

Seguintes anotações em minhas memórias, 3 de setembro de 1980: Major ALUÍZIO diz que o Coronel NEY VIEIRA DE ALMEIDA será o novo comandante do CHOQUE, na reunião dos oficiais no gabinete do Comandante do Chefe do EM; 10 horas – reunião no CPC – Major JÓBIO, Capitão JESUS, Capitão NELSON, Capitão DI SESSA. Visita do Presidente FIGUEIREDO a SÃO PAULO no dia 5 de setembro de 1980 (ele irá inaugurar uma Feira de Mecânica no Anhembi); Cel ZECHMANN deverá sofrer uma intervenção cirúrgica na semana que vem; um tenente da Polícia Militar – 1º Tenente CELSO ANTÔNIO RAPACI – é acusado de ser um dos agressores da Freguesia do Ó; nesta quarta-feira, à tarde, recebemos a visita do ÉDSON, filho de dona DEOLINDA, que quer prestar exames para a ESCOLA DE OFICIAIS; PAULO MALUF completa hoje 49 anos de idade; continua desaparecido o comerciante NESTOR TOSTES; demissões em massa na FORD; acabou a greve na POLÔNIA; revolução em EL SALVADOR; mais de mil mortes nas enchentes na ÍNDIA; 460 dias de suspensão para um treinador de basquete gaúcho – PAULO SETE; feijão a CR$ 70,00 o quilo; recenseamento prossegue e chega à Cidade dos Velhinhos, em ITAQUERA; novo texto do Estatuto dos Estrangeiros já pronto; o Congresso votará hoje a Prorrogação de Mandatos.   

30 a. solenidade no Monumento Mausoléu do Soldado Constitucionalista com a imortalização dos heróis MARECHAL-DO-AR IVO BORGES, GENERAL SEBASTIÃO DALYZIO MENNA BARRETO e GENERAL WALDEMIRO MEIRELLES MAIA. O CORONEL CAPELÃO R/1 MONSENHOR JOÃO PHEENEY DE CAMARGO E SILVA faz a encomendação religiosa. Transmissão do Comando do Exército Constitucionalista pelo Professor ANTÔNIO PERES RODRIGUES FILHO ao CORONEL PM Res FRANCISCO ANTÔNIO BIANCO JÚNIOR para o período de 1985/1986. Posse do Conselho Supremo e da Diretoria Executiva da Sociedade Veteranos de 32-MMDC.
Solenidade às 18 horas na PRAÇA DA REPÚBLICA com os oradores doutor CHRISTÓVÃO FERNANDES, pelo Clube Piratininga, e Acadêmico PAULO BOMFIM, pela Sociedade Veteranos de 32-MMDC. Às 21 horas, no Clube Piratininga, concerto da Banda Sinfônica da Polícia Militar do Estado de São Paulo, sob a regência do Maestro CAPITÃO PM JOÃO ANTÃO FERNANDES.

Tentativa de golpe nas FILIPINAS contra o governo de CORAZÓN AQUINO, em 27 de agosto de 1987, promovida por cerca de 300 militares leais ao ex-ditador FERDINAND MARCOS. Outras notícias desse dia: o GENERAL-DE-DIVISÃO ÂNGELO BARATA FILHO assume o Comando da 2ª Divisão de Exército. Substitui o GENERAL-DE-DIVISÃO LUIZ DA SILVA VASCONCELOS. Finalmente encerramos nesta manhã as aulas de uma das matérias mais controvertidas deste CSP – SEGURANÇA NACIONAL. O TENENTE-CORONEL PM TERRA encerra o programa já que amanhã teremos a segunda verificação corrente. Na semana que vem faremos a verificação final. Fala sobre a Lei e a Ordem Constitucional e sobre as Operações de Polícia e Tipo-Polícia.  Em seguida, somos submetidos a uma complicada prova elaborada pelo CORONEL PM RALPH a respeito de DOUTRINA DE EMPREGO DAS POLÍCIAS MILITARES. Cria ele um hipotético CPA do Interior com seus batalhões e companhias com posições erradas. Temos que consertar essa articulação. Em ATIVIDADES escrevemos sobre a Violência Urbana e o Sistema de Segurança no BRASIL. Essa prova leva-nos das 9:30 horas às 12:30 horas e voltamos às 14:30 horas para assistir a palestra do Secretário das Relações de Trabalho do Governo QUÉRCIA., Doutor JOSÉ LINCOLN DE MAGALHÃES. Além dos oficiais alunos notamos as presenças do MAJOR PM GALANTE (SubCmt do 1º BPChq), CAPITÃO PM COSCIONE (do CFAP) e outros. Na Mesa estão: CORONEL PM CARLOS FUGA (Comandante do CAES) e TENENTE-CORONEL PM CARLOS DE CARVALHO (SUBCHEFE DA DEI). O palestrista fala a respeito dos sindicatos e das greves. Levamos o mesmo para o tema da prova de Movimentos Revolucionários – Sindicalismo e Partidos Políticos – isso é benéfico para a prova de amanhã. A esposa do TENENTE-CORONEL PM ANTÔNIO sofre hoje uma operação da HÉRNIA. Estudo até tarde: SEGURANÇA PÚBLICA. Engavetamento na VIA ANCHIETA. 25 veículos envolvidos – seis mortos. Os militares não aceitam o texto do ante-projeto da Nova Constituição. Na opinião dos ministros militares reflete apenas as vontades de grupos de esquerda radical. Proposto teto de vencimentos para os MARAJAS.(A esposa do TENENTE-CORONEL ANTÔNIO sofre com a carestia). O jogador MIRANDINHA chega em LONDRES. Nossos jogadores vão sofrer no jogo contra o NEW CASTLE.  

Em 9 de julho de 1988 (sábado): “Encerro hoje o 38º tomo de minhas memórias. No longínquo 9 de julho de 1950, comecei a escrever meu diário. Hoje, aos 51 anos de idade, Coronel da PM, Comandante da ÁREA CENTRO, com mais de 30 anos de serviço na Polícia Militar do Estado de SÃO PAULO, relembro essa data já tão distante e, ao mesmo tempo, tão viva na minha memória. Amanhã, começarei a escrever o meu 39º tomo de memórias. Vou ao IBIRAPUERA, no Monumento-Mausoléu do Soldado Constitucionalista. Ali, em companhia de muita gente assisto a programação constante do Convite da Sociedade Veteranos de 32-MMDC. O Governador ORESTES QUÉRCIA preside a solenidade. Presença do GENERAL DE EXÉRCITO CORREIA NETO, Comandante do EXÉRCITO SUDESTE, Dr LUIZ ANTÔNIO FLEURY FILHO, secretário da Segurança Pública. CORONEL PM CORREIA LEITE, COMANDANTE GERAL DA PMESP e muito oficiais da PM: CORONEL SCHMIDT, CORONEL UBIRATAN, CORONEL TEIXEIRA, CORONEL MEDEIROS, TENENTE-CORONEL ALTINO, TENENTE-CORONEL PORT, TENENTE-CORONEL SEVERINO, TENENTE-CORONEL CLERC, TENENTE-CORONEL LORENCINI, TENENTE-CORONEL SALLES JÚNIOR e outros. O CORONEL AMÉRICO comanda o GRUPAMENTO MILITAR. O TENENTE-CORONEL GANDOLFI é o comandante das tropas a pé. MONSENHOR JOÃO PHEENEY DE CAMARGO E SILVA, Presidente da Sociedade Veteranos de 32-MMDC, tem dificuldades para se locomover. Ele está com 80 anos de idade. A multidão vibra com o desfile dos veteranos, quase todos com uma idade já bem avançada, entre 70 e 80 anos. Deixo o IBIRAPUERA quase ao meio-dia. 26 a. da Transmissão de Comando do Exército Constitucionalista pelo veterano JOSÉ BENEDICTO SILVEIRA PEIXOTO ao veterano CORONEL NELSON DE PAULA CAMPOS, em 9 de julho de 1988. Tomam posse os novos dirigentes da Sociedade Veteranos de 32-MMDC, que irão cuidar do MMDC no triênio 09-07-1988/09-07-1991.
CONSELHO SUPREMO:
Presidente - Cel PM Res HELIODORO TENÓRIO DA ROCHA MARQUES
Vice – Presidente - Dr JOSÉ BENEDITO SILVEIRA PEIXOTO
Secretário – Cel PM Res RAIMUNDO ARY DE MENEZES
DIRETORIA EXECUTIVA:
Presidente: Cel R/1 – MONSENHOR JOÃO PHEENEY DE CAMARGO E SILVA
Vice- Presidente – Cel PM Res FRANCISCO ANTONIO BIANCO JÚNIOR
1º Secretário – Prof. GERALDO PIRES DE OLIVEIRA
2º Secretário – Dr LUIZ FRANCISCO GUARINON
1º Tesoureiro – Sr FRANCISCO CALDEIRA BELLEGARDE FILHO
2º Tesoureiro – Dr WALTER FERREIRA MARTINS DE CARVALHO
Diretor de Cerimonial – Cel PM Res RAIMUNDO ARY DE MENEZES
Diretor de Comunicações Sociais – Dr JOSÉ BENEDICTO SILVEIRA PEIXOTO
Diretor do Museu Histórico e Biblioteca – Sr SEVERINO DOS SANTOS
Diretor do Monumento-Mausoléu do Soldado Constitucionalista – Sr GERALDO FARIA MARCONDES
Diretor da Sede – Sr MANOEL DIAS DE OLIVEIRA
Capelão da Cripta do Mausoléu – Cel R/1 – Mons. JOÃO PHEENEY DE CAMARGO E SILVA
CONSELHO FISCAL:
Desembargador ANTONIO CARLOS ALVES BRAGA
Sr. THEOBALDO DE FREITAS LEITÃO
Dr. MAX BASILE
Sr. PAULO BASTOS
Ten Cel PM Res NELSON DE PAULA CAMPOS
COMISSÃO DE SINDICANCIA
Sr. JOSÉ LEANDRO DE BARROS PIMENTEL
Dr BENEDITO LANG
Ten Cel PM Res ANTONIO FERNÁNDEZ
Sr MANOEL DIAS DE OLIVEIRA
Prof. GERALDO PIRES DE OLIVEIRA

Falece o veterano de 32, PROFESSOR REYNALDO RAMOS SALDANHA DA GAMA, em 10 de fevereiro de 1990.  Foi presidente do CONSELHO SUPREMO DA SOCIEDADE VETERANOS DE 32-MMDC.

Falece o Ten. Cel. Ref. PM NELSON DE PAULA CAMPOS, autor do livro HISTÓRIA DA REVOLUÇÃO CONSTITUCIONALISTA. Pai do Cap. Ref. NEWTON DE PAULA CAMPOS, antigo tesoureiro da COOPMIL, em 28 de maio de 1992. NELSON DE PAULA CAMPOS foi o secretário da Sociedade Veteranos de 32-MMDC durante alguns anos. Em 1991, em SÃO JOSÉ DO RIO PRETO, ele propôs a criação do Núcleo daquela cidade, que existe até hoje.

Seguintes anotações: em 17 de novembro de 1992. “No Clube dos Oficiais da Reserva tudo está pronto para a eleição de 2 de dezembro. Duas chapas concorrem à sucessão do Cel. Ref. EDILBERTO. A da situação é encabeçada pelo Cel. Res. ARISTIDES TREVISAN. A outra, a da oposição, tem à frente o Cel. Res. FRANCISCO TEIXEIRA. Os oficiais da reserva discutem essa problemática. Encontro o nosso velho conhecido da área centro, o CAPITÃO PETIT. Ele conversa sobre a viagem dos capitães do CAO-II-92 aos ESTADOS UNIDOS. Agora, estão entregando as monografias e o curso de aperfeiçoamento está chegando ao final. O advogado DOMINGOS MARTINS VERSIANI confirmou hoje, a pedido da chefia de gabinete do procurador–geral da República, ARISTIDES JUNQUEIRA, que recebeu na quarta–feira (dia 11), de um empresário da área de construção civil de BRASÍLIA, uma proposta de suborno de 50 milhões de dólares, numa tentativa de impedir que fosse encaminhada ao Supremo Tribunal denúncia por crime comum contra o presidente afastado FERNANDO COLLOR. O Chefe de Gabinete, ROBERTO BAPTISTA, amigo de VERSIANI, disse que a Procuradoria está considerando a hipótese de que o episódio seja uma armadilha para desmoralizar a denúncia contra COLLOR. BAPTISTA e VERSIANI receberiam, cada um, um milhão de dólares.
O relatório final da CPI da VASP “estranha” atuação do Estado de São Paulo na privatização da empresa, mas não enquadra QUÉRCIA e FLEURY. Duas equipes do Corpo de Bombeiros de BAURU, em conjunto com a polícia de São Paulo, começaram hoje à tarde, em AVARÉ, as buscas junto às pontes da rodovia SP–255, no rio NOVO, e na represa JURUMIRIM. Eles tentavam localizar as ossadas dos oito militantes do PARTIDO COMUNISTA BRASILEIRO que, segundo a denúncia de MARIVAL CHAVES, foram presos, torturados, mortos e esquartejados em aparelhos de repressão, tendo seus corpos atirados nesse dois pontos.
O ex–Sargento do Exército Nacional, MARIVAL CHAVES DO CANTO, depôs hoje na Superintendência da Polícia Federal, no ESPIRITO SANTO, e revelou que empresas multinacionais como a Volkswagen e a Ford colaboraram com os órgãos de repressão nas operações de extermínio de presos políticos durante o regime militar. Ele contou ao superintendente JABER SAAD, da PF, que empresas do setor alimentício também foram coniventes com as torturas, fornecendo alimentação para o DOI – CODI, mas não quis revelar os nomes dessas firmas. 
LUCINDA COMPLETA 55 ANOS NESTA TERÇA–FEIRA, 17 de novembro de 1992. A MARLENE resolve fazer-lhe uma surpresa e convida algumas pessoas para uma reunião à noite, durante o momento do “apagar as velinhas”. Assim é que aparecem em casa: o CORONEL Res. DALMIRO GOMES, sua esposa DONA MÉRCIA e suas filhas VANESSA e VERUSKA. Estão presentes o Sr. JOSÉ BOARETTO, DONA MARIA e seus filhos; o JOÃO e a FÁTIMA; a MARLENE e o TIÃO. LUCINDA sente-se alegre com seus amigos e parentes reunidos nesta noite. Durante algumas horas há muita felicidade ao seu redor. O DALMIRO conversa comigo sobre a nossa POLÍCIA MILITAR. A CORPORAÇÃO vai se reerguendo com muita dificuldade depois do MASSACRE NA CASA DE DETENÇÃO, que realmente deixou a POLÍCIA MILITAR numa situação bastante humilhante. A UNICAMP vai elaborar um parecer sobre os exames que o Instituto Médico Legal de São Paulo fez nos corpos dos 111 presos mortos. O trabalho será coordenado pelo perito BADAN PALHARES”.
Falece o Cel.Ref. ADÃO SOARES DA SILVA, no desastre com um ônibus do EXPRESSO RODOVIÁRIO ATLÂNTICO, no KM  80 da RODOVIA DOS TAMOIOS (17 vítimas fatais e 28 feridos), em 17 de novembro de 1992. Nasceu em 12 de agosto de 1929. Foi admitido na GUARDA-CIVIL antiga em 1º de setembro de 1950. Foi promovido a subinspetor em 9 de julho de 1958; a inspetor em 25 de janeiro de 1960; a inspetor de Divisão em 25 de janeiro de 1967. Na fusão GUARDA-CIVIL – FORÇA PÚBLICA, foi apostilado CAPITÃO em 9 de abril de 1970. Sua promoção a MAJOR foi em 15 de dezembro de 1976. Não tenho as datas de suas outras promoções.

2 de abril de 1993 - Reunião do CONSELHO SUPREMO da Sociedade Veteranos de 32-MMDC – 02 de abril de 1993 - sob a presidência do Cel Res ELYSEU GUILHERME SALGADO ROCHA (em substituição ao Cel EDUARDO ASSUMPÇÃO). Naquela época, o Cel ROCHA era o vice-presidente do Conselho. Nessa reunião transmitia-se o cargo de Presidente nato do CONSELHO SUPREMO para o Comandante Geral da PMESP, CORONEL PM JOÃO SIDNEY DE ALMEIDA. GERALDO FARIA MARCONDES era o Presidente da Diretoria Executiva. Foram apresentados quatro sócios para assumir o cargo de CONSELHEIRO: Coronel PM LUIZ CARLOS DOS SANTOS, comandante da APMBB; Coronel PM LUIZ CARLOS DE OLIVEIRA GUIMARÃES, chefe do DEPAC, segundo-secretário das Medalhas; Capitão LUIZ PESCE DE ARRUDA, e JOSÉ GUILHERME LEVENSTEIN. O Coronel PM ISAAC MANOEL COELHO SILVA, Chefe da Coordenadoria de Comunicação Social, foi eleito primeiro secretário das Medalhas. Foram entregues as chaves do MUSEU MARIA SOLDADO, onde estava o mais precioso acervo da história do MMDC, a espada do general ISIDORO DIAS LOPES, para o Comandante da Academia de Polícia Militar do Barro Branco, Coronel PM LUIZ CARLOS DOS SANTOS. O conselheiro CÉSAR GIORGI falou sobre o seu desgosto e decepção não ver mais os nomes dos mortos nas lápides do Cinerário. O Cel MELO ARAÚJO pediu licença para dizer que “acho que sou o culpado” tendo em vista que as letras caiam ou eram roubadas e, por isso, o caso foi posto a novos estudos para ser usado um novo sistema de identificação. Assinaram a ata dessa reunião: CORONEL PM JOÃO SIDNEY DE ALMEIDA, PRESIDENTE NATO DO CONSELHO SUPREMO; CORONEL PM Res ELYSEU GUILHERME SALGADO ROCHA, VICE-PRESIDENTE DO CONSELHO SUPREMO; GERALDO FARIA MARCONDES, PRESIDENTE DA DIRETORIA EXECUTIVA. 

Falece o veterano de 32, FRANCISCO BELLEGARDE FILHO, em 13 de julho de 1993. BELLEGARDE era o secretário quando da primeira reunião da Sociedade Veteranos de 32-MMDC, em 7 de julho de 1954, data da fundação dessa Entidade. 

Minha filiação como CONSELHEIRO e SECRETÁRIO da SOCIEDADE  VETERANOS DE 32- MMDC, em 17 de maio de 1996. Em 7 de julho de 2011 assumi a presidência da Sociedade para o biênio 7 de julho de 2011 a 7 de julho de 2013. Fui reeleito pela Assembléia Geral Eleitoral em 30 de abril de 2013, para o biênio 7 de julho de 2013 a 7 de julho de 2015.

Visita ao COMANDO SUDESTE com o Senhor GERALDO FARIA MARCONDES, Senhor GERALDO PIRES DE OLIVEIRA e Senhor THEOBALDO DE FREITAS LEITÃO para entrega do ofício de outorga da  MEDALHA CONSTITUCIONALISTA ao GENERAL DENTINO MORGADO, em 27 de junho de 1996.

Passagem de Comando do Exército Constitucionalista, do Veterano de 32 GERALDO PIRES DE OLIVEIRA para o veterano SEVERINO DOS SANTOS (falecido em 24 de setembro de 1998), no dia 9 de julho de 1996. Em 2001, por determinação descabida do presidente da Sociedade Veteranos de 32-MMDC, Cel. Carlos Augusto de Mello Araújo, o Sr. GERALDO PIRES DE OLIVEIRA assumiria pela segunda vez esse cargo. Tinha sido escolhido por mim o CAPITÃO DO EXÉRCITO BRASILEIRO R/R, GINO STRUFFALDI, que o Cel. MELLO ARAÚJO achou de vetar pelo fato do mesmo ser maçom. O abuso de autoridade foi latente nesse episódio triste para o MMDC. A falha do oficial, CORONEL MELO ARAÚJO, somente foi corrigida em 2002 quando o CAPITÃO EB R/R GINO STRUFFALDI assumiu o comando do Exército Constitucionalista em 9 de julho daquele ano.

Almoço de negócios no NATIONAL CLUBE, em 18 de julho de 1996. Nesta ocasião, o Senhor GERALDO FARIA MARCONDES lançava o nome do Cel. R/R ARY CANAVÓ para Presidente do MMDC. Foi um verdadeiro desastre essa escolha feita pelo Sr. MARCONDES. Durante os três anos que esteve à testa do MMDC, usou a Sociedade Veteranos de 32-MMDC para mover uma campanha contra o então presidente da República FERNANDO HENRIQUE CARDOSO, usando papel, selo, fax, telefone do MMDC, espoliando a Sociedade já carente de recursos. Nos seus artigos contra o presidente FIGUEIREDO, muitas vezes usou o nome da Sociedade. Criou o grande embaraço para nós com a assinatura unilateral de um PROTOCOLO DE INTENÇÕES (ele e o MASSARANI) para o restauro do Monumento-Mausoléu com captação de recursos de terceiros, uma verdadeira picaretagem para um superfaturamento com a obra, conforme ficou provado com a edição de um “book” da MÍDIA PLUS, cujo total para a execução da reforma era de quatro milhões e trezentos mil reais. O processo deixou o restauro do OBELISCO parado durante um ano e meio, quando finalmente a juíza declarou na sua sentença a extinção do processo movido pelo IPH.

Eleição do CORONEL ARY CANAVÓ para a Presidência da Diretoria Executiva da Sociedade Veteranos de 32 - MMDC e do veterano SILVEIRA PEIXOTO para a Vice–Presidência (30 DE JULHO DE 1996). Deixaram os cargos em 9 de julho de 1999, substituídos pelo Senhor GERALDO FARIA MARCONDES e CORONEL CARLOS AUGUSTO DE MELLO ARAÚJO, respectivamente. Em abril de 2001, por motivos de fôro íntimo, o Sr. MARCONDES deixou a presidência, assumindo o Cel. MELLO ARAÚJO. Em 17 de julho de 2001, o Coronel MELLO ARAÚJO também deixou a presidência, sendo obrigada, por disposição estatutária, a eleição para a nova PRESIDÊNCIA DA DIRETORIA EXECUTIVA, quando foi proclamado, por unanimidade o nome do veterano de 32, GERALDO PIRES DE OLIVEIRA. O vice eleito foi o Coronel GUIMARÃES. Em abril de 2002, novas eleições aconteceram no MMDC, sendo eleito novamente o Sr MARCONDES. No dia 9 de julho de 2002, reassumiu a  Presidência  da  Diretoria Executiva o Sr. GERALDO FARIA MARCONDES, tendo como vice o Coronel Ref. PAULO TENÓRIO DA ROCHA MARQUES. Essa diretoria cumpriria o mandato trienal: 2002–2005. Em 28 de fevereiro de 2003, após divergências entre o presidente e seu vice, o Cel PAULO TENÓRIO entrou com a renúncia do cargo durante uma reunião do CONSELHO SUPREMO. Em 9 de julho de 2003, durante a solenidade do 71º Aniversário do Movimento Constitucionalista, o Cel MENDES aceitou o convite de assunção do cargo de vice-presidente da Sociedade. Foi apresentado à Diretoria Executiva na reunião de 18 de julho e  a homologação do seu nome aconteceria na reunião do CONSELHO SUPREMO de 26 de agosto de 2003. Acontecimentos vários acarretaram o seu pedido de demissão do cargo em 13 de julho de 2004. Nessa data também apresentei documento deixando de ser secretário do MMDC.  De 13 de julho em diante, o presidente lutou com uma Diretoria Executiva esfacelada, ainda tendo a infelicidade de tomar conhecimento de um arrombamento da porta de entrada do MMDC, na tarde do dia 26 de julho, quando amigos do “alheio” levaram os computadores, uma impressora e a máquina de fax, deixando a Sociedade impossibilitada de se comunicar por esses meios. Lutamos com denodo para completa reforma estatutária, o que foi conseguido numa Assembléia Geral em 17 de dezembro de 2004, após esforços contra alguns conselheiros que não queriam a sua realização. Em 27 de abril de 2005, em Assembléia Geral Eleitoral, foram eleitos para a presidência da Diretoria Executiva o CAPITÃO Ref do Exército brasileiro, GINO STRUFFALDI; para a presidência do Conselho Deliberativo, o CORONEL PM Res JAIRO PAES DE LIRA e, para a presidência do Conselho Fiscal, o CORONEL PM Res RENALDO ALVES DA SILVA. A posse aconteceu em 7 de julho de 2005, na comemoração do 51º Aniversário da Sociedade Veteranos de 32-MMDC. Os novos dirigentes do MMDC cumpriram o mandato de dois anos, 2005/2007. No dia 30 de abril de 2007 o CAPITÃO GINO STRUFFALDI foi reeleito Presidente da DIRETORIA EXECUTIVA; o CORONEL PM Res JAIRO PAES DE LIRA foi reeleito presidente do CONSELHO DELIBERATIVO e o advogado FERNANDO LOPES DAVID foi eleito para a presidência do CONSELHO FISCAL (onde ele já atuava desde que o CORONEL PM Res RENALDO pedira exoneração). No dia 6 de julho de 2007 eles foram empossados para cumprirem o biênio 2007/2009. Um grande batalhador da Sociedade, onde entrou em 1966, GERALDO FARIA MARCONDES falece no dia 25 de julho de 2008. Por ter sido diretor do Monumento Mausoléu do Soldado Constitucionalista de 32 durante quinze anos, seu corpo foi velado naquele local na noite de 25 para 26 de julho de 2008. No dia 30 de abril de 2009, GINO, CORONEL PM Res JAIRO e FERNANDO LOPES DAVID são reeleitos e assumem em 7 de julho de 2009 para cumprirem o biênio 2009/2011. Em 29 de abril de 2011 o CORONEL PM JAIRO PAES DE LIRA e o advogado FERNANDO LOPES DAVID são reeleitos e o CORONEL PM MARIO FONSECA VENTURA é eleito Presidente da Diretoria Executiva. VENTURA, PAES DE LIRA e DAVID são reeleitos em 30 de abril de 2013 e assumem em 7 de julho para o mandato de 2013-2015. No dia 30 de abril de 2015 os CORONÉIS PM MÁRIO FONSECA VENTURA e JAIRO PAES DE LIRA são reeleitos para o biênio 7 de julho de 2015 a 7 de julho de 2017. FERNANDO MORENO é eleito presidente do Conselho Fiscal. Tomam posse em 7 de julho de 2015.    

No dia 31 de julho de 1996 o Cel. ARY CANAVÓ assume a Presidência da Diretoria Executiva da Sociedade Veteranos de 32-MMDC. Passa o cargo para o Sr. GERALDO FARIA MARCONDES em 9 de julho de 1999. No dia 3 de abril de 2001, o Sr. MARCONDES demite-se da Presidência e assume o cargo o Cel. Res. CARLOS AUGUSTO DE MELLO ARAÚJO. Impossibilitado de desempenhar a presidência por ser empregado do BANCO REAL, afasta-se em 17 de julho de 2001, quando, em reunião extraordinária do CONSELHO SUPREMO, é eleito o veterano de 32, Sr. GERALDO PIRES DE OLIVEIRA, para completar o triênio 1999-2002. O Cel. GUIMARÃES é eleito para a vice-presidência. No dia 28 de abril de 2002 acontece nova eleição na SOCIEDADE VETERANOS DE 32-MMDC. São eleitos: presidente –GERALDO FARIA MARCONDES e vice–presidente o  Coronel Ref PAULO TENÓRIO DA ROCHA  MARQUES. Tomam posse em 9 de julho de 2002. Por motivo de discussões sérias entre o presidente e seu vice, o Cel. PAULO TENÓRIO renuncia ao cargo no dia 28 de fevereiro de 2003. Vaga a vice-presidência, o Sr. MARCONDES escolhe para o cargo o CORONEL ANTÔNIO CARLOS MENDES. Este, aceita a incumbência no dia 9 DE JULHO DE 2003, durante a solenidade do 71º Aniversário do MOVIMENTO CONSTITUCIONALISTA. Em 18 de julho, o Cel MENDES é apresentado à DIRETORIA EXECUTIVA. Seu nome é homologado como vice-presidente na reunião do CONSELHO SUPREMO de 26 de agosto de 2003. No ano de 2004 ocorrem fatos lamentáveis na Sociedade Veteranos de 32-MMDC e, no dia 13 de julho, o Cel MENDES pede demissão do cargo de vice-presidente. Ao mesmo tempo, na mesma data, depois de trabalhar mais de oito anos no MMDC, elaboro uma carta ao presidente deixando a secretaria da Sociedade em caráter imutável e definitivo, com a idéia de, afastado, poder modificar a estrutura corrompida da Entidade. A Sociedade entra em declínio sob a presidência de GERALDO FARIA MARCONDES, envelhecido e com sérios problemas de saúde na sua pessoa e na de sua esposa, dona JÚLIA. Com uma diretoria esfacelada, sem vice-presidente e secretário, com um tesoureiro omisso, a crise financeira se avoluma. Por outro lado, trabalhamos para a reforma total do Estatuto. O novo Estatuto é aprovado em 17 de dezembro de 2004, em tumultuada ASSEMBLÉIA GERAL, presidida pelo CORONEL PM Res JAIRO PAES DE LIRA, que soube afastar os argumentos do Sr MARCONDES de que essa assembléia não poderia se realizar por falta de “quórum”. O Cel JAIRO retruca que a Assembléia estava se realizando por imposição do Código Civil. Em 27 de abril, em ASSEMBLÉIA GERAL ELEITORAL, presidida pelo CORONEL PM Ref MÁRIO FONSECA VENTURA, são eleitos os dirigentes da Sociedade para o biênio 2005/2007: CAPITÃO Ref do Exército GINO STRUFFALDI, ex-combatente de 1932, para a presidência da Diretoria Executiva; CORONEL PM Res JAIRO PAES DE LIRA, para a presidência do Conselho Deliberativo e o CORONEL PM Res RENALDO ALVES DA SILVA, para a presidência do Conselho Fiscal. Os dirigentes eleitos tomam posse de seus respectivos cargos em 7 de julho de 2005. No dia 30 de abril de 2007, nova ASSEMBLÉIA GERAL, também presidida pelo CORONEL PM Ref MÁRIO FONSECA VENTURA. GINO STRUFFALDI é reeleito para a Presidência da Diretoria Executiva; CORONEL PM Res JAIRO PAES DE LIRA para a Presidência do Conselho Deliberativo e o advogado FERNANDO LOPES DAVID para a Presidência do Conselho Fiscal. Tomam posse no dia 6 de julho de 2007 para o biênio 2007/2009. Em 30 de abril de 2009, nova Assembléia Geral Eleitoral, com chapa única, são aclamados e reeleitos os presidentes da Sociedade. No dia 7 de julho de 2009, quando a Sociedade está completando 55 anos de existência, tomam posse para o biênio 2009/2011 GINO (Diretoria Executiva), CORONEL PM Res JAIRO (Conselho Deliberativo) e DAVID (Conselho Fiscal). Em 29 de abril de 2011 são reeleitos os presidentes do Conselho Deliberativo e Conselho Fiscal, respectivamente o CORONEL PM JAIRO PAES DE LIRA e FERNANDO LOPES DAVID. É eleito para a presidência da Diretoria Executiva o CORONEL PM MARIO FONSECA VENTURA para o biênio 2011-2013. No dia 30 de abril de 2013 são reeleitos os presidentes da gestão anterior para o biênio 7 de julho de 2013 – 7 de julho de 2015. A posse acontece no dia 8 de julho de 2013. No dia 30 de abril de 2015 são reeleitos para a presidência da Diretoria Executiva e Conselho Deliberativo, respectivamente, os CORONÉIS PM MÁRIO FONSECA VENTURA e JAIRO PAES DE LIRA. É eleito para a presidência do CONSELHO FISCAL, FERNANDO MORENO. Tomam posse em 7 de julho de 2015 para o biênio 2015/2017.       

Visita do Cel. EB Ref ARY CANAVÓ, então Presidente da Sociedade Veteranos de 32-MMDC, acompanhado do Doutor PAULO VON BRUCK DE LACERDA e eu, ao então Cmt. Geral da PMESP, Coronel CLAUDIONOR LISBOA, em 3 de setembro de 1996. 

Reunião do CONSELHO SUPREMO da Soc. Vet. de 32-MMDC, com a presença do Cmt. Geral, CORONEL PM CLÁUDIONOR LISBOA, presidente nato do CONSELHO SUPREMO da Sociedade, como reza o nosso estatuto. Era nosso convidado o GENERAL RUBENS RESSTEL, em 10 de setembro de 1996. O presidente da Diretoria Executiva era o Coronel EB Ref ARY CANAVÓ.

Participação do Cel. ARY CANAVÓ, então PRESIDENTE DA SOCIEDADE VETERANOS DE 32-MMDC, nas festas de PORTO ALEGRE –   GUERRA DOS  FARRAPOS, em 20 de setembro de 1996.

Visita ao MUSEU MILITAR DA PMESP, onde expus ao diretor do Museu, Coronel PM Res. GERALDO MENEZES GOMES a minha idéia de passar o MUSEU DA REVOLUÇÃO DE 32 para a PM, no dia 16 de outubro de 1996, pois o veterano SEVERINO DOS SANTOS, então com 86 anos, DIRETOR DO MUSEU, tinha enormes dificuldades para se dirigir até o IBIRAPUERA, considerando que o MUSEU de 32 fica no interior do MONUMENTO–MAUSOLÉU, na época, completamente abandonado. O Cel. GERALDO levou o problema ao então Cel. CLAUDIONOR LISBOA, comandante geral, que não aceitou a sugestão. SEVERINO DOS SANTOS faleceu em 24 de setembro de 1998, não sendo possível, por falta de material humano, a continuidade da diretoria do Museu, Arquivo Histórico e Biblioteca. O Cel. ARY CANAVÓ, em 3 de março de 1999, como presidente da Sociedade, designou para esse cargo o RODRIGO TELLES. Resultado: durante a gestão desse desonesto diretor o MUSEU ficou completamente abandonado, e na gestão da presidente do Sr. GERALDO PIRES DE OLIVEIRA, o RODRIGO foi demitido do cargo e da Sociedade. Dificilmente ele comparecia à sede. O problema foi resolvido com a nomeação do OCTÁVIO MARCONDES MACHADO MARCHI, que melhorou o aspecto do Museu Histórico, mas que se indispôs com o presidente, em outubro de 2002, pedindo demissão do cargo. O presidente, Sr. MARCONDES, nomeou o CABO PM MISAEL, para tomar conta do MUSEU, temporariamente. Essa situação perdurou até 2006. Com o Monumento-Mausoléu ainda em reforma, nada poderia ser feito com relação ao Museu. A administração GINO STRUFFALDI aceitou a sugestão do GENERAL BUENO, coordenador da reforma, em deixar o CABO MISAEL nessa função. Mas começaram a desaparecer peças do museu e a doença do CABO MISAEL impossibilitava a sua continuação como diretor. Foi então nomeado como Diretor do Museu “MARIA SOLDADO” o Professor JOSÉ CARLOS DE BARROS LIMA, coordenador do núcleo da Sociedade Veteranos de 32-MMDC, na LAPA. O professor ficou encarregado de transportar todas as peças do museu para dependências do COLÉGIO SANTO IVO, bem como os livros que estavam de deteriorando na sede do MMDC. Em 25 de maio de 2006 aconteceu a Solenidade de Reinauguração do Museu “MARIA SOLDADO”. Nos meses que se seguiram o professor JOSÉ CARLOS dinamizou as atividades do Museu e, no dia 4 de outubro de 2006 ali foi inaugurado o quadro do pai do procurador de Justiça da Prefeitura (ADRIANO MARREY combateu na Revolução de 1932). Em 2007, MARGARIDA ROSA, Diretora do Acervo Histórico e Biblioteca da Sociedade Veteranos de 32-MMDC, conseguiu que a BUNGE começasse um trabalho de preservação dos documentos que se encontram no Museu “MARIA SOLDADO”.        

Entrega da Medalha CONSTITUCIONALISTA ao veterano de 1932, Dr. WASHINGTON DE BARROS MONTEIRO, já falecido. O veterano SILVEIRA PEIXOTO e sua senhora, Dona HELENA, estiveram presentes ao ato. O Dr. WASHINGTON participou da famosa COLUNA ROMÃO GOMES. A entrega da medalha foi realizada no dia 24 de outubro de 1996.

Viagem a CRUZEIRO, com o Cel. ARY CANAVÓ. Conhecimento da região do TÚNEL e do BELVEDERE À SANTA, divisa com PASSA QUATRO, MINAS GERAIS, no dia 17 de outubro de 1996. Almoçamos na 4a. Cia. do 23o. BPMI, com o então MAJOR ROMA (já na reserva como CORONEL) e o então 1o. Tenente VIEIRA. Estivemos no SESI do município de CRUZEIRO, onde se realizou uma reunião preparatória para o evento religioso que foi realizado em 1o. de novembro de 1996, na divisa de CRUZEIRO (SP) e  PASSA QUATRO (MG). Nessa reunião estiveram os senhores ENI e PAULO MORAIS; um veterano de 88 anos, VALDEMAR FELIX MACHADO; o então tenente do Exército Brasileiro BARBOSA, do TIRO DE GUERRA de CRUZEIRO; Sargento CAMPOS, do Destacamento de Polícia Militar de PASSA QUATRO e outras pessoas. Depois de conhecermos o local onde foi rezada a missa, o Cel. CANAVÓ partiria para MINAS GERAIS, a fim de velar o corpo de seu amigo GENERAL SERPA. O Major ROMA levou-me até à RODOVIÁRIA de GUARATINGUETÁ, regressando a SÃO PAULO, num ônibus da empresa PÁSSARO MARRON.    

ATO RELIGIOSO na REGIÃO DO TÚNEL, divisa de SÃO PAULO (CRUZEIRO) e MINAS GERAIS (PASSA QUATRO), onde compareci com LUCINDA, JOÃO e FATIMA, no dia 1º de novembro de 1996. O Cel. EB ref. ARY CANAVÓ, então Presidente da Sociedade Veteranos de 32-MMDC, esteve no local. LUCINDA aproveitou esta viagem e cumpriu uma antiga promessa em APARECIDA, entregando uma perna de cera (feita por ocasião da trombose sofrida em 16 de novembro de 1987,quando esteve ameaçada de amputação da perna). Naquele 1º de novembro de 1996, veteranos de PASSA QUATRO e de CRUZEIRO, já entrado em idade provecta, bem como os prefeitos das duas cidades, os comandantes do Batalhão da Polícia Militar (LORENA) e de uma Unidade do Exército de PASSA QUATRO cumprimentavam-se como irmãos, sem rancores e nem mágoas da revolução de 1932. Eles (mineiros) e nós (paulistas) combateram naquele fatídico ano, quando muitas vidas foram ceifadas, simplesmente porque o BRASIL não aceitava uma ditadura.

Missa rezada na cripta do Monumento-Mausoléu pelo reverendo HÉLIO VIOTTI. O Cel. GUIMARÃES foi buscá-lo. O veterano JOSÉ SOARES MARINS ajuda o padre durante a missa. Presentes: Sr. GERALDO FARIA MARCONDES (todo de branco), GERALDO PIRES DE OLIVEIRA, PAULINO DELFINO NOGUEIRA, Cel. VALDIR SUZANO, Cel. RENALDO ALVES DA SILVA; vários oficiais da PM e cadetes; escoteiros; o deputado federal ARNALDO FARIA DE SÁ, REGINA CELENTANO, está se pavoneando pelo recinto, dizendo ser a representante do deputado estadual ERASMO DIAS. O Cel. ARY CANAVÓ chega em cima da hora. A celebração da missa é feita com certa dificuldade, pois o padre VIOTTI está com noventa anos. O veterano Sr. PIRES ajuda-o. Esse encontro no Monumento-Mausoléu serviu para trocarmos idéias sobre as dificuldades da Sociedade Veteranos de 32-MMDC, principalmente com referência ao próprio Monumento. O Comandante da Academia de Polícia Militar do Barro Branco é o diretor do Monumento, mas não desempenha o seu papel. Não compareceu nesse ato religioso, mandando um capitão representá-lo . Outro problema são os cupins. O Sr. MARCONDES ainda procura uma saída para combater essa praga. Conversamos com os escoteiros. É uma idéia trazê-los para o MMDC. Serviriam de cicerones no Monumento. Poucos são os veteranos que compareceram no dia de hoje, 2 de novembro de 1996. Mandamos os convites com bastante antecedência, inclusive com publicação no Diário Popular.   

Publicação em DIÁRIO OFICIAL da PENSÃO ESPECIAL concedida para ALICE FONSECA VENTURA, viúva do veterano de 1932, MÁRIO DA SILVA VENTURA, meu pai, no dia 5 de novembro de 1996. Lutou no BATALHÃO denominado JOSÉ BONIFÁCIO. Até hoje, ainda nada encontrei sobre sua participação na revolução, prova que o arquivo da Sociedade Veteranos de 32-MMDC deixa muito a desejar. Fomos encontrar a documentação comprovando a sua participação na Revolução de 1932 na Prefeitura de POÁ, onde ele entrou com requerimento e anexou provas, para isenção de imposto predial. Com o falecimento de minha mãe, em 11 de maio de 2004, essa pensão foi extinta.

REUNIÃO DO CONSELHO SUPREMO da SOCIEDADE VETERANOS DE 32-MMDC na despedida do ano de 1996, no dia 4 de dezembro. Em 1998, essa costumeira reunião não se realizou por causa das confusões criadas pela REGINA CELENTANO, EXPULSA do CONSELHO, mas que conseguiu uma liminar descabida de um juiz que não conhece os Estatutos da Sociedade. Em 1999, realizamos essa reunião em 16 de dezembro. Ainda por causa da permanência irregular de REGINA CELENTANO, que vinha criando inúmeros casos para a Sociedade, o Comandante Geral determinou em 2000 que ela estaria proibida de freqüentar o MMDC enquanto durar o processo na JUSTIÇA. A história do CONSELHO SUPREMO vai até 17 de dezembro de 2004, quando, numa ASSEMBLÉIA GERAL, foi aprovado o novo Estatuto da Sociedade. Os remanescentes do CS foram aproveitados no CONSELHO DELIBERATIVO, que começou a ter figura viva em 2005, com a eleição do CORONEL PM Res JAIRO PAES DE LIRA como presidente.

3 DE JANEIRO DE 1997
Na tarde, no MMDC, faço um contato telefônico com a Fundação CÁSPER LÍBERO. Transmito ao veterano SILVEIRA PEIXOTO, através dona IVONE, a posição que me foi dada pelo MAJOR PM OTACÍLIO quanto ao uso do helicóptero da PM. Mantenho contato telefônico com o CAPITÃO PM ARRUDA e com o Professor GABRIEL sobre uma reunião da Comissão da Reforma dos Estatutos no próximo dia 8, por volta das 14 horas. O CORONEL CANAVÓ quer visitar núcleos do MMDC em RIBEIRÃO PRETO, SÃO VICENTE, CAMPINAS e outras cidades. Iremos fazer isso durante o transcorrer do ano. Esfria a tarde. Ameaça chover.

6 DE JANEIRO DE 1997
No MMDC fico sabendo que o presidente da Sociedade, CORONEL CANAVÓ, se encontra em ÁGUAS DE LINDÓIA. Tinha marcado uma visita ao IV COMAR e ao PARQUE DA AERONÁUTICA nesta data. O Senhor PIRES também fica frustrado porque viemos vestidos para essas visitas. Dona MARIA também não vem, por causa de sua doença.

8 DE JANEIRO DE 1997
TENENTES CIDO e FRANCISCO, da Operação “OSÓRIO” sobre isso. No MMDC, reúno-me com o veterano SILVEIRA PEIXOTO, Professor GABRIEL e CAPITÃO PM LUIZ PESCE DE ARRUDA para estudos sobre a revisão dos Estatutos da Sociedade. O MAJOR Ref CHICONELLO visita-nos e, sem querer, atrapalha os trabalhos da Comissão. O CHICONELO quer nos ajudar na confecção da revista da Sociedade para 9 de Julho. O CORONEL CANAVÓ esteve no IV COMAR, juntamente com o veterano GERALDO PIRES DE OLIVEIRA. Almoçaram com o BRIGADEIRO-DO-AR JOÃO GERARDO LOPES MELLO e oficiais do Comando. Diz ele que foram muito bem recebidos.

9 DE JANEIRO DE 1997
Às 14 horas estou no MMDC. O Sr GERALDO PIRES DE OLIVEIRA não vem hoje. O CORONEL CANAVÓ chegará mais tarde. Procuro corrigir a Ata da Assembléia de 4 de dezembro. O rapaz que trabalha no computador, o MARCONI, é ruim de português. Comete muitos erros. Acontece que a chegada de dona REGINA vem tumultuar o ambiente. Dona MARIA enfrenta-a e diz certas verdades para essa mulher que ainda não desconfiou que é má vinda à Sociedade O CORONEL CANAVÓ chega e prefiro sair mais cedo.

13 DE JANEIRO DE 1997
Toma posse hoje o novo Chefe do Estado Maior do Comando Sudeste. O presidente do MMDC, CORONEL ARY CANAVÓ vai a essa solenidade. Preocupa-me a revisão do Estatuto da Sociedade Veteranos de 32-MMDC. Dos seus 87 artigos, eu já revisei até o número 64. O CORONEL CANAVÓ contratou uma senhora para trabalhar no computador, a partir de hoje. Para experimentá-la mando colocar o Estatuto no computador. O CORONEL CANAVÓ quer dispensar o MARCONI, mas o Senhor PIRES e dona MARIA não querem que isso aconteça. O rapaz entende muito no conserto da máquina e tem feito milagres para que o computador não ofereça problemas. O veterano SILVEIRA PEIXOTO visita-nos. Ele está com 88 anos e vem hoje com idéias tétricas. Fala da cremação e de colocar suas cinzas no Monumento Mausoléu. Conversa conosco sobre episódios da Revolução de 32. Na noite de 23 para 24 de maio, quando morreram MARTINS, MIRAGAIA, DRÁUSIO e CAMARGO, na Praça da República, ele também estava presente no Comício. Saio mais cedo do MMDC fugindo de uma pancada d´água que cai quando já estou no Metrô. Na estação LUZ, aguardo a chuva parar. Revejo hoje a OPERAÇÃO OSÓRIO 97

15 DE JANEIRO DE 1997
No MMDC o CORONEL ARY CANAVÓ, presidente, comenta a posse do GENERAL-DE-EXÉRCITO JOUBERT DE OLIVEIRA BRÍZIDA no Comando Militar do Sudeste, acontecida ontem à noite. Cai muita chuva nesta tarde. A área central da cidade de SÃO PAULO e a zona norte são as mais atingidas. Trechos da Avenida PAULISTA ficam sem energia elétrica. O trânsito fica bastante complicado. A PRAÇA DA BANDEIRA está alagada, bem como as imediações da Estação da LUZ. Enquanto isso, na Sociedade Veteranos de 32-MMDC conversamos com o veterano PAULINO, de 87 anos. O Senhor GERALDO PIRES DE OLIVEIRA conta que amanhã completará 82 anos. Ainda faço uma correção do Estatuto, quase todo ele no computador.

20 DE JANEIRO DE 1997
No MMDC os responsáveis pelo jornal CIDADE EM DESTAQUE vêm buscar os próximos artigos que elaborei para serem publicados. Discutem com o CORONEL ARY CANAVÓ a venda da VALE DO RIO DOCE, reeleição e outros assuntos políticos. A revisão do Estatuto da Sociedade Veteranos de 32-MMDC está pronta. O CORONEL CANAVÓ está com uma cópia para estudos.
Quando estou no MMDC chove muito no centro da cidade. Pontos de alagamento acontecem nas Ruas CONSELHEIRO FURTADO, BARÃO DE IGUAPE e FREDERICO ALVARENGA. Há quedas de árvores. Às 16 horas deixo o MMDC com o Senhor GERALDO PIRES DE OLIVEIRA e vamos para o metrô. Ainda vou ver o arquivo do PLANO OSÓRIO. Encontro o CIDO e o FRANCISCO quando já estou deixando o local.
Ainda nesta segunda-feira paguei o IPVA e o Seguro Obrigatório do SANTANA na agência BANESPA, sediada nos bombeiros da SÈ. O VASCO, funcionário do MMDC, vai acertar para mim as contas com as aulas na Caixa Econômica Federal.

22 DE JANEIRO DE 1997
No MMDC, o Doutor LACERDA visita o CORONEL ARY CANAVÓ. Numa das conversas surge o nome do engenheiro SÉRGIO THEN DE BARROS. No início dos anos 1960, ele matou o médico BIERREMBACH, amante de sua mulher, em legítima defesa. Quando cheguei no antigo BATALHÃO DE GUARDAS, como ASPIRANTE A OFICIAL, em 1963, o SÉRGIO estava preso nesse quartel, preventivamente. O Doutor LACERDA conta-me que SÉRGIO THEN DE BARROS contraiu maleita numa caçada na ÁFRICA e faleceu há uns quatro anos. Chove muito na cidade, mas eu consigo me safar das águas, retornando a GUARULHOS.

No MMDC, no dia 23 de janeiro de 1997, o CORONEL CANAVÓ conta-me que algumas placas da parede do EDIFÍCIO REGINA, vizinho à Sociedade Veteranos de 32-MMDC caíram em cima do telhado da Sociedade e fizeram um grande estrago. Algumas brechas surgiram no telhado, inclusive causando a entrada de água no segundo andar. Por causa desse incidente, entro em contato com a Chefia do Gabinete do Comando Geral, onde sou atendido pelo TENENTE PM SÍLVIO. Mando-lhe por fax um documento narrando o assunto. Também coloco o MAJOR PM TORQUETTE, Chefe de Obras (CSM-0) da Polícia Militar a par disso. O grande problema é que as águas danificaram muito documentos antigos da Sociedade, papéis de 1932, de enorme valia histórica e que não há semelhante, ou pelo menos, desconheço. É a memória de 1932 que fica machucada por causa desse desastre.
Vou ao Corpo de Bombeiros e converso com o MAJOR PM ZAIDAM para nos ajudar nessa emergência. O TENENTE PM HARLEY comparece no MMDC para verificar a extensão do estrago. Saio do MMDC bastante amolado. Até às 16 horas ainda não se tinha reparado o estrago. A documentação perdida vai para o lixo. Não deu para se recuperar nada, face o estado em que se encontrava.

24 DE JANEIRO DE 1997
No MMDC, o CORONEL CANAVÓ quer acionar os responsáveis pelo Edifício REGINA pelos estragos ocorridos no telhado da Sociedade. Vamos falar com os advogados dos proprietários do Edifício. Enquanto isso, os bombeiros reparam as telhas quebradas. Uma guarnição do 1º GBS comparece ao local. Dá dó ver os quadros que estavam nas paredes do 2º andar todos comprometidos pelas chuvas. Perdeu-se muita coisa.
O MMDC irá comparecer amanhã nas solenidades marcadas no PÁTEO DO COLLÉGIO comemorando-se os 443 anos da cidade de SÃO PAULO. Os veteranos SEVERINO DOS SANTOS e GERALDO PIRES DE OLIVEIRA colocarão uma coroa de flores no monumento existente no PÁTEO DO COLLÉGIO.

28 DE JANEIRO DE 1997
No MMDC a situação não é boa. Chega um ofício da Prefeitura dizendo que estamos devendo cerca de dez mil reais em taxas de conservação. É um absurdo que a prefeitura nos cobre isso. O prédio é dela e a Sociedade é de utilidade pública, sem fins lucrativos, com uma meta dignificante a atingir “a divulgação do Movimento Constitucionalista”. Penso em devolver esse documento à Prefeitura explicando com mais detalhes a grave crise financeira que atinge a Sociedade, abandonada literalmente pelos órgãos públicos. Para as mentalidades políticas da nova geração o valor histórico é algo que pouco significa. Não rende votos. O CORONEL CANAVÓ, na presidência, quer levar tudo isso e mais a problemática do Monumento Mausoléu ao governador MÁRIO COVAS. Pediu uma audiência e não obteve resposta até hoje. Acreditamos que o governador está com suas atenções voltadas para o que se passa em BRASÍLIA. Os deputados irão votar logo mais a EMENDA DA REELEIÇÃO. Ameaça cair mais um temporal. Saio mais cedo do MMDC e, antes das 16 horas, estou embarcando no ônibus COCAIA, no Terminal de ônibus da ESTAÇÃO ARMÊNIA.

29 DE JANEIRO DE 1997
Já no MMDC, o CORONEL CANAVÓ comenta a palhaçada da votação da emenda da reeleição. Quer ele marcar para fevereiro uma reunião da Diretoria Executiva. Continuo achando erros na revisão do Estatuto. Estamos corrigindo todos eles no computador, o que facilita o trabalho.


30 DE JANEIRO DE 1997
A televisão digital é apresentada na ESPANHA pelo Canal de Satélite Digital do Grupo PRISA, em 30 de janeiro de 1997. Outras anotações nesta data: tenho de estar no Centro Odontológico às 8 horas desta quinta-feira. Pego uma “carona” com o PM JOÃO GOMES DE OLIVEIRA JÚNIOR quando ele vai levar, de carro, a sua noiva FÁTIMA até a estação TIRADENTES, do Metrô. O TENENTE PM Dent PERETTO termina sua parte quanto à periodontia, onde, no entanto, devo voltar daqui há dois meses. Passo agora para a prótese. Tenho grandes dificuldades para ser atendido. O tenente PM dent mostra-se displicente. No acerto de uma ponte móvel a resina gruda no céu da boca por ele não tê-la tirado no momento adequado. Usa um martelo. Quebra-me um dente e é preciso fazer uma restauração. Saio do Centro Odontológico depois do meio-dia e devo voltar amanhã para tratar da prótese definitiva. Encontro no Centro Odontológico o CORONEL PM DAVID VARGAS e o CAPITÃO PM RICARDO, este comandando a Companhia de VINHEDO. Também converso com o 1º TENENTE PM Dent VÍCTOR LOURENÇO FRUGIS.
Na AORPM vejo os trabalhos da construção. Estão erguendo uma parede, vizinha a uma locadora. No MMDC, converso com o CORONEL ARY CANAVÓ e Senhor GERALDO PIRES DE OLIVEIRA. Dona MARIA ajuda-nos muito. Ainda estamos encontrando erros no Estatuto. Vamos corrigindo no computador. O PM JOÃO GOMES DE OLIVEIRA JÚNIOR pediu férias em caráter excepcional e diz que a documentação foi para a DAL (DIRETORIA DE APOIO LOGÍSTICO). Estranho muito porque o destino seria DIRETORIA DE PESSOAL. Entro em contato com a DAL e de fato não deu entrada ali tais papéis. Retorno a GUARULHOS com muito calor e nada de chuva. A temperatura chega a 34 graus. Assisto os jornais da GLOBO e RECORD. Os estragos das enchentes no VALE DO RIBEIRA são mostrados em várias reportagens. 

(Extraído das Memórias do CORONEL PM MÁRIO FONSECA VENTURA).
31 de janeiro de 1997 - No MMDC converso com o CORONEL ARY CANAVÓ sobre uma reunião da Diretoria Executiva em fevereiro. Marcamos a data de 20. Faço sugestões sobre os assuntos a serem abordados. Quero também encaminhar ao Comandante Geral uma cópia da revisão do Estatuto para exame, estudos e modificações se forem necessárias. Comparece no MMDC um perito contratado pelo EDIFÍCIO REGINA para verificar os estragos causados pela queda de uma parte do reboque da parede desse edifício no telhado da Sociedade, causando brechas no mesmo e infiltração de água. Isso aconteceu no último domingo, à noite. Esse perito é irmão do TENENTE-CORONEL PM CARRILHO. O EDIFÍCIO REGINA irá ressarcir os estragos. Acontece que o valor histórico dos documentos perdidos jamais poderá ser avaliado ou pago.

3 DE FEVEREIRO DE 1997
No MMDC, junto com o CORONEL CANAVÓ, elaboramos a Convocação dos Diretores da Executiva para uma reunião no dia 20 de fevereiro, quinta-feira.

4 DE FEVEREIRO DE 1997
No MMDC o CORONEL CANAVÓ está muito interessado nos movimentos dos SEM TERRA. Elaborou uma nova crônica sobre o assunto. Estamos tratando da pauta para a reunião da Diretoria Executiva marcada para 20 de fevereiro. Trabalho no livro de Atas e Dona REGINA, pessoa indesejável ao MMDC com a maior cara-de-pau vem atrapalhar os nossos trabalhos. Intromete-se nas conversas do Doutor LACERDA e Doutora CÍNTIA com o CORONEL CANAVÓ. O Senhor GERALDO PIRES DE OLIVEIRA começa a procurar um nome para substituir o SEVERINO DOS SANTOS no Comando do Exército Constitucionalista no próximo 9 de Julho.

5 DE FEVEREIRO DE 1997
Por volta das 31:30 horas estamos no MMDC. Conversamos sobre as posses nos novos comandantes e a idéia de fazer a Guarda Civil Metropolitana desfilar no 9 de Julho de 1997. Isso vai trazer certa confusão com o Coordenador da PM, nesse evento, CORONEL PM VALDIR SUZANO, que detesta a Guarda. Saio do MMDC às 15:50 horas. Pego meu carro no Pátio do CAES e regresso a GUARULHOS.

6 DE FEVEREIRO DE 1997
Mais tarde, às 13:30 horas, estou no MMDC. Quero colocar em ordem os Livros Atas do Conselho Supremo e da Diretoria Executiva para assinatura dos conselheiros e diretores que estarão conosco no dia 20 de fevereiro. O CORONEL CANAVÓ irá dar uma semana de folga para os funcionários da Sociedade Veteranos de 32-MMDC durante o Carnaval. Somente retornarão no dia 17, segunda-feira. Os jornais de hoje publicam as palavras do CORONEL PM CARLOS ALBERTO DA COSTA, Sub-Cmt PM, quanto ao policiamento em SÃO PAULO, em palestra aos novos alunos do Curso Superior de Polícia e do Curso de Aperfeiçoamento de Oficiais, que tiveram início nesta semana, no CAES. O Sub Cmt PM falou sobre o PLANO TOLERÂNCIA ZERO, uma cópia do aplicado em NOVA YORK.

07FEVEREIRO1997 No MMDC atendo uma equipe de uma empreiteira que vem fazer um orçamento para a reforma do forro, do piso e do carpete estragados pelas chuvas de janeiro quando uma placa do reboco do EDIFÍCIO REGINA quebrou seis telhas da Sociedade. Muita água da chuva entrou num fim de semana e causou muitos estragos na papelada histórica do MMDC.

(Extraído das memórias do CORONEL PM MÁRIO FONSECA VENTURA)
Às 15 horas do dia 10 de fevereiro de 1997, reúnem-se doze conselheiros do MMDC para decisão da exclusão ou não da conselheira REGINA CELENTANO. O CORONEL PM ROBERTO LEMES, vice-presidente do Conselho Supremo, preside a reunião. Na mesa estão: GERALDO FARIA MARCONDES, CORONEL ARY CANAVÓ e CORONEL PM GUIMARÃES. Entre os conselheiros: GERALDO PIRES DE OLIVEIRA, SEVERINO DOS SANTOS, MAX BASILE, THEOBALDO DE FREITAS LEITÃO, JOSÉ MARINS, TENENTE-CORONEL PM PAULO RÉGIS SALGADO, PAULO BARROS DE CAMARGO (de CAMPINAS). O CORONEL ARY CANAVÓ apresenta o libelo acusatório contra REGINA. Ela se defende. Faz uso da palavra o seu advogado, VÍTOR RAMOS. Falam alguns conselheiros, inclusive eu, acusando REGINA de comportamento inadequado na Sociedade. Depois de muita discussão procede-se a votação. Por 8 votos a 1 dona REGINA é excluída do quadro de conselheiros da Sociedade. O CORONEL ARY CANAVÓ não pode votar. Um veterano anulou seu voto e o TENENTE-CORONEL PM PAULO RÉGIS SALGADO votou em branco. Terminada a reunião, os conselheiros ainda conversam sobre outros assuntos. Fica marcada a data de 14 de abril para a eleição do novo presidente da Diretoria Executiva. O CORONEL ARY CANAVÓ não se manifesta sobre isso Não se sabe qual será a sua reação. Daqui para diante haverá a escolha do nome do novo presidente, ou melhor, candidato para a eleição. Saio do MMDC com o CORONEL ARY CANAVÓ e SEVERINO DOS SANTOS.

17 DE FEVEREIRO DE 1997
No MMDC o CORONEL ARY CANAVÓ, presidente, fala sobre uma publicação de sua crônica atacando o governo FERNANDO HENRIQUE CARDOSO. Desta vez ele usa o seu cargo de presidente da Sociedade Veteranos de 32-MMDC e compromete seriamente a nossa Entidade. Visita-nos o veterano SILVEIRA PEIXOTO. Dou-lhe um exemplar do novo Estatuto que ainda está sendo estudado. DONA ROSA, viúva do CORONEL Ref GALVÃO NOGUEIRA, vem acertar a documentação para a solenidade de colocação das cinzas do falecido no Monumento Mausoléu em 9 de Julho de 1997.

20 DE FEVEREIRO DE 1997
No MMDC, a reunião da Diretoria Executiva toma um tempo razoável. O CORONEL CANAVÓ preside essa reunião, com poucos diretores: SEVERINO, Diretor do Museu; PIRES, 2º Secretário; MAJOR PM PAULO DE TARSO DIÓGENES, representando o Comandante da APMBB, Diretor do Monumento Mausoléu; Senhor MARCONDES, convidado como Presidente de Honra do MMDC; SILVEIRA PEIXOTO, vice-presidente da Diretoria Executiva e Senhor MARINS, convidado. Os assuntos tratados constarão de uma Ata que irei elaborar.

21 DE FEVEREIRO DE 1997
No MMDC mantenho contato com o 1º GBS. Está demorando muito o encaminhamento do Laudo Pericial dos bombeiros, realizado em 24 de janeiro, quando vieram consertar os estragos causados pela queda de placas de reboque do EDIFÍCIO REGINA em 22 de janeiro. O CORONEL CANAVÓ esteve hoje cedo na Solenidade do Comando Sudeste, por ocasião do 52º Aniversário da TOMADA DE MONTE CASTELO. Mais tarde ele visita o Superintendente do ISEPP – Instituto Superior de Estudos Previdenciários e Profissionalizantes – JOÃO LUIZ DE FREITAS VALLE. Pede-me ele o auxílio da PM para sua senhora, LIZETE SALES DE MEDEIROS, gerente do INSS de JUNDIAI, que quer moralizar as filas das agências. Entro em contato com o MAJOR PM SABATINI, sub-cmt do 11º BPMI, e com o CAPITÃO PM VÍCTOR, que comparece ao INSS de JUNDIAÍ. Antes, telefonara para o Chefe do EM-CPI, TENENTE-CORONEL PM JOSIAS.
Comenta-se o envolvimento do filho do Secretário de Segurança Pública, JOSÉ NEREU AFONSO DA SILVA, de 26 anos, numa ocorrência de trânsito com vítimas. Os PMs do 3º BPTran que atenderam o caso não levaram as partes à delegacia.

24 DE FEVEREIRO DE 1997
No MMDC, o CORONEL CANAVÓ pede para que eu entre em contato com o Comando de Policiamento de Trânsito. Ele propõe o rebaixamento das calçadas da Fundação Oncológica de São Paulo, na Rua OSCAR FREIRE. Converso por telefone com o TENENTE-CORONEL PM BRASIL, que se encontra no lugar do comandante, o CORONEL PM RUFINO, afastado. O TENENTE-CORONEL PM BRASIL comanda o 1º Batalhão de Trânsito.
Faço algumas alterações no Estatuto da Sociedade. Pretendo mandar uma cópia para o Comandante Geral da PMESP, CORONEL PM CLAUDIONOR LISBOA.

25 DE FEVEREIRO DE 1997
No MMDC, atendo o veterano SILVEIRA PEIXOTO, que no próximo dia 14 irá completar 88 anos de idade. Ele quer o auxílio do radiopatrulhamento aéreo para uma tomada de fotos numa área da zona leste, perto de GUARULHOS, onde poderá ser construída a futura Universidade CÁSPER LÍBERO. O TENENTE-CORONEL PM VISCONTI, comandante do Grupamento Aéreo, coloca um helicóptero à sua disposição na próxima quinta-feira, dias 27, às 14 horas. SILVEIRA PEIXOTO reporta-se aos prolegômenos da revolução de 32, contando fatos de 1931. Fala sobre o poema de IBRAHIM NOBRE – MINHA TERRA! MINHA POBRE TERRA! que CASPER LÍBERO fez publicar no jornal “A GAZETA” em 25 de janeiro de 1932. Com a idade que tem, SILVEIRA PEIXOTO está muito lúcido e bem disposto. Esclarece sempre alguns pontos obscuros que temos com relação a 1932.
Às 16 horas deixo o MMDC. Hoje não contamos com a presença do Senhor GERALDO PIRES DE OLIVEIRA, ocupado com o enterro de um seu vizinho.

26 DE FEVEREIRO DE 1997.
No MMDC o veterano SILVEIRA PEIXOTO vem nos trazer uma cópia do poema “MINHA TERRA! MINHA POBRE TERRA!, publicada no jornal “A GAZETA” em 25 de janeiro de 1932. Amanhã SILVEIRA PEIXOTO fará uma viagem de helicóptero com outras duas pessoas da Fundação CÁSPER LÍBERO.
A nova revisão do Estatuto fica pronta. Agora pretendo submetê-la à apreciação do presidente do Conselho Supremo, CORONEL PM CLAUDIONOR LISBOA, Comandante Geral da PMESP. Também fica pronta a nova proposta para sócios que eu minutei. Muito calor nesta tarde. Deixo com o senhor GERALDO PIRES DE OLIVEIRA, às 16 horas, a sede do MMDC. Vamos embarcar no metrô SE.

27 DE FEVEREIRO DE 1997
No MMDC, recebo um telefonema do CORONEL PM GUIMARÃES. Esteve ele conversando com o Chefe de Gabinete do Prefeito CELSO PITTA, o senhor BRAQUIN. Deveremos ter uma audiência com o prefeito nos dias vindouros. O CORONEL PM GUIMARÃES fará nova comunicação. Já começamos a pensar no 9 de Julho. Pretendemos fazer a entrega de 32 medalhas na Comemoração do 65º Aniversário do Movimento Constitucionalista.
Visitam-nos os veteranos ISRAEL DIAS NOVAES e SEVERINO DOS SANTOS. Eles chegam quase às 16 horas quando o Senhor GERALDO PIRES DE OLIVEIRA e eu já estamos deixando o MMDC.

28 DE FEVEREIRO DE 1997
No MMDC, encontro o CORONEL ARY CANAVÓ preocupado com sua correspondência a senadores, deputados federais e estaduais. Manda seu último artigo publicado no jornal “A TRIBUNA” sobre reforma agrária. Essa sua fixação em torno do Sentimento Nacional complica a vida da Sociedade Veteranos de 32-MMDC. Oficiais do Comando Sudeste já estiveram no MMDC para obter informações sobre o CORONEL CANAVÓ. Como presidente de uma Instituição voltada para a Revolução Constitucionalista deveria se ater às nossas finalidades e não se envolver em assuntos nacionais, principalmente com ojeriza contra o atual Presidente da República, FERNANDO HENRIQUE CARDOSO.  .
Elaboro um ofício ao Comandante Geral. Estamos encaminhando o novo Estatuto ao Presidente do Conselho Supremo, CORONEL PM CLAUDIONOR LISBOA. Procuramos também situar o problema do Museu de 32, totalmente abandonado. A idéia é passá-lo para o Museu Militar.
O 1º GBS finalmente encaminhou o Laudo de Sinistro sobre os danos causados pela queda de placas de reboco do EDIFÍCIO REGINA no telhado da Sociedade Veteranos de 32-MMDC, em 22 de janeiro, durante as chuvas que caíram naquela noite. Agora iremos encaminhar uma carta aos proprietários do Edifício pedindo o ressarcimento dos estragos.

Seguintes anotações de minhas memórias em 3 de março de 1997: “Dona MARIA e Sr. PIRES conversam comigo sobre a situação de Dona REGINA, “persona non grata” no MMDC, onde aprontou muita confusão entre conselheiros. A idéia é alijá-la do quadro de conselheiros. Leio os documentos sobre suas disparidades nos anos de 89/90/91. O Sr. MARCONDES telefona-me. Soube ele que o Coronel ARY CANAVÓ escreveu um artigo no jornal “TRIBUNA DA IMPRENSA” usando sua condição de Presidente da Sociedade Veteranos de 32-MMDC. Acha isso indecoroso. Temos um problema com a atendente do MMDC: MARIA DO SOCORRO ficou grávida e começa a dar trabalho. Talvez tenhamos de colocar alguém em seu lugar”. “Subiu para 965 o número de mortos e a 2.600 o número de feridos".

4 DE MARÇO DE 1997
No MMDC atendo com muita paciência o veterano HORÁCIO LOPES DOS SANTOS NETO, de 83 anos, que tem apenas 30% de acuidade visual, é surdo, sofre de diabetes. Outro veterano que nos visita é o PAULINO DELFINO NOGUEIRA, de 87 anos, mas bem de saúde. O PAULINO elaborou um álbum de sua participação na Revolução de 32 e diz que, posteriormente, fará doação dele para o MMDC. Passam também pela Sociedade o Doutor PAULO VON BLUCK DE LACERDA e ISRAEL DIAS NOVAES. O senhor GERALDO PIRES DE OLIVEIRA não vem hoje. Está adoentado. Também falta a atendente MARIA DO SOCORRO e dona MARIA fica atarantada em suprir a sua falta.
Quase às 16 horas acompanho o CORONEL CANAVÓ até o Edifício REGINA. Vamos entregar os papéis referentes aos estragos causados pelo reboco desse prédio que caiu no telhado da Sociedade em 22 de janeiro.

5 DE MARÇO DE 1997
No MMDC, recebo a visita do veterano SILVEIRA PEIXOTO, nosso vice-presidente. Vem ele agradecer a cessão do helicóptero da PM para tirar fotos do local onde será erguida a Universidade CÁSPER LIBERO. O ofício de agradecimento está assinado por PAULO CAMARDA, Presidente do Conselho Diretor da Fundação. CORONEL CANAVÓ estuda o desenvolvimento da Solenidade de 23 de maio – Data da Juventude Constitucionalista. Não muito bem de saúde, regresso a GUARULHOS.

7 DE MARÇO DE 1997
No MMDC encontramos um CORONEL ARY CANAVÓ totalmente voltado para a problemática venda da Companhia do VALE DO RIO DOCE. Isso o deixa obsecado. Não desenvolve sua função de Presidente da Sociedade e atrapalha até o desempenho dos funcionários. Compromete seriamente o MMDC com a sua paranóia de atacar o governo.
Mantenho contato telefônico com o CORONEL PM RENALDO, Diretor de Finanças da PMESP e nosso tesoureiro. Ele se encontra de férias na PM por causa de problemas com sua sogra, muito adoentada. Precisamos reunir num dia da semana que vem para avaliar a crítica situação financeira da Sociedade. Converso com o TENENTE MARINS, da PM de SANTA CATARINA. Ele participou de uma palestra que dei para 38 executivos em 26 de fevereiro, na RECORD-CENTRO. Continua coletando subsídios para uma exposição do policiamento na cidade paulista. Diz que foi assaltado, recentemente, por um trombadinha no centro.

11 DE MARÇO DE 1997
No MMDC a situação é insustentável. O CORONEL CANAVÓ vê aproximar a data do leilão da Companhia VALE DO RIO DOCE, em 29 de abril e mantém contatos com deputados federais, OAB e outros órgãos que lutam para a não privatização da VALE DO RIO DOCE. O doutor PAULO VON BRUCK DE LACERDA ajuda-o. Com isso a Sociedade vai ficando acéfala. Hoje converso com o CORONEL PM GUIMARÃES, por telefone, sobre esse delicado assunto. Entregamos o orçamento exigido pelo EDIFICIO REGINA acerca das obras que precisam ser feitas na Sociedade. Isso sem contar o estrago dos documentos históricos que se perderam e não tem jeito de serem consertados.

13 DE MARÇO DE 1997
No MMDC, o CORONEL ARY CANAVÓ chega depois das 15 horas. Passam pela Sociedade o SARGENTO MARCELINO, da DIRETORIA DE PESSOAL e CABO RICARDO, que trabalha no Monumento Mausoléu.
CORONEL CANAVÓ fala sobre suas andanças em torno da luta contra a venda da COMPANHIA VALE DO RIO DOCE. Diz que sabe que há um “complô” para matar FHC. Esse pessoal pertence à Máfia e tem um escritório no Edifício TORREMOLINOS, na Avenida ESTADOS UNIDOS. Quer ele que eu forneça esse endereço para o reservado da Polícia Militar. Conversamos também sobre  escândalo dos precatórios.
Às 15:40 horas, com o senhor GERALDO PIRES DE OLIVEIRA, deixo o MMDC. Na Rua GUAIANASES, embarco numa KOMBI, que faz lotação de dez pessoas na linha de ônibus. Regresso a GUARULHOS.

18 DE MARÇO DE 1997
No MMDC, recebemos a visita do veterano PAULINO. O Sr. MARCONDES mantém contato telefônico comigo e fala que está havendo dificuldades na inauguração da filial da Sociedade Veteranos de 32 em ITAPECERICA DA SERRA. Os veteranos remanescentes naquela região, todos octogenários, estão relutantes em desenvolver uma atividade social com a idade avançada. Isso é muito natural. O certo seria conversar com os filhos e netos dos veteranos. O Cel ARY CANAVÓ chega tarde e pouco ajuda o MMDC. Ele não desvia seus pensamentos do movimento nativista. Usa a sociedade como “Posto de Comando”.

19 DE MARÇO DE 1997
No MMDC o Senhor GERALDO FARIA MARCONDES visita-nos. Fica sabendo do uso indevido das instalações da Sociedade Veteranos de 32-MMDC por parte do CORONEL CANAVÓ em sua atividade política. Diz ele que já conversou a respeito com o vice-presidente, SILVEIRA PEIXOTO. Aguarda uma oportunidade para resolver a questão.

20 DE MARÇO DE 1997
No Museu Militar converso com o CORONEL PM Res GERALDO DE MENEZES GOMES. Está em plena campanha para a Presidência do CLUBE DOS OFICIAIS. Ele deverá opinar quando da conveniência da passagem do Museu da Sociedade Veteranos de 32-MMDC para o MUSEU MILITAR.
Com o CORONEL PM Res MENDES viajo no metrô e vou com ele até a Rua TABATINGUERA. Relembra sua promoção a 10 de março de 1988 e as “brigas” com os comandantes gerais CORONEL PM THESEO e CORONEL PM CORREIA LEITE. O MENDES poderá vir a ser sócio do MMDC. Marca uma visita à Sociedade na semana que vem. Não encontro o CORONEL CANAVÓ no MMDC, nesta tarde. O senhor GERALDO PIRES DE OLIVEIRA está comemorando o aniversário de um genro. Consigo passar para o livro de Atas da Diretoria Executiva o que discutimos na reunião de 20 de fevereiro.

21 DE MARÇO DE 1997
O CORONEL ARY CANAVÓ viajou para o RIO. O Senhor GERALDO FARIA MARCONDES vai inaugurar o núcleo da Sociedade Veteranos de 32-MMDC, amanhã, 10 horas, em ITAPECERICA DA SERRA. Telefonou para dona MARIA convidando-me para esse evento, bem como o Senhor GERALDO PIRES DE OLIVEIRA. Nós não iremos. O convite está muito em cima e já assumimos outros compromissos.
Já em casa, fazendo uma viagem numa KOMBI de lotação (pela terceira vez), telefono para o Senhor MARCONDES. Falamos sobre o novo estatuto da Sociedade, encaminhado ao Comandante Geral para seu parecer. Dou a idéia de se fazer novas eleições para a Diretoria Executiva do MMDC sessenta dias após a aprovação do Estatuto. Assim poderíamos resolver a problemática criada pelo CANAVÓ na Sociedade.

24 DE MARÇO DE 1997
No MMDC não contamos com a presença do CORONEL ARY CANAVÓ, talvez viajando para o RIO. O CONDEPHAAT quer manter um contato conosco sobre o Monumento Mausoléu. Falo, por telefone, a respeito disso com o CORONEL PM GUIMARÃES. Conversamos sobre uma reunião com os coronéis RENALDO e SUZANO. Isso deverá acontecer após o transcurso da SEMANA SANTA.
Comparece um veterano, de nome árabe, que viu suas pretensões à Pensão Especial serem indeferidas. Diz que a documentação está com o Chefe da Casa Militar, CORONEL PM COSTA RAMOS. Faço uma ligação telefônica com a CASA MILITAR e me atende o TENENTE-CORONEL PM MARCONDES que fica de ver esse assunto.

1º DE ABRIL DE 1997
No MMDC o CORONEL ARY CANAVÓ demora para chegar. Os funcionários estão ansiosos porque querem receber os cheques de seus vencimentos e o presidente precisa assiná-los. O CORONEL CANAVÓ também fala sobre o caso de DIADEMA, mas prefere se dedicar à problemática da privatização da Companhia VALE DO RIO DOCE. Cada vez mais vai complicando a situação da Sociedade.

No dia 2 de abril de 1997, no MMDC, surge um fato lamentável. O Senhor GERALDO FARIA MARCONDES chega de inopino e lê documentos que o CORONEL ARY CANAVÓ mandou redigir em papel timbrado da Sociedade, endereçado ao CLUBE MILITAR e ao SUPREMO TRIBUNAL FEDERAL, com críticas ao atual Presidente da República, FERNANDO HENRIQUE CARDOSO. Extrapola em sua figura de presidente da Sociedade e faz o MMDC embarcar, a contragosto, na sua causa. O ex-presidente da Sociedade deixa-lhe um bilhete onde diz que não concorda com o que ele vem fazendo e pede para refletir no que pode colocar a Sociedade numa conspiração contra o governo. Lá pelas 15 horas, com a chegada do CORONEL ARY CANAVÓ, ele fica possesso ao ler o bilhete. Não admite que as pessoas não esposem as suas idéias. Partindo de sofismas tenta confundir o Senhor GERALDO PIRES DE OLIVEIRA, sabatinando-o sobre o que foi o Movimento de 1932. Acha ele que os veteranos têm o dever de combater as idéias do atual governo, tal como aconteceu naquele ano. Às 16 horas deixo o MMDC e carrego comigo o Senhor PIRES. O CORONEL CANAVÓ fica sozinho para poder pensar melhor no que vem fazendo.

3 DE ABRIL DE 1997
No MMDC, recebo um telefonema do CORONEL ARY CANAVÓ onde diz que se encontra no Quartel do Comando Geral onde pretende conversar com o Comandante Geral, CORONEL PM CLAUDIONOR LISBOA. Escolheu um momento ruim para isso. O Comandante Geral está perdido nesses casos de DIADEMA e MAIRIPORÃ. Mais tarde chega o CORONEL CANAVÓ. Nada fala sobre a sua visita ao QCG e se mostra lacônico quanto as conversas de ontem.

4 DE ABRIL DE 1997
No MMDC era aguardado hoje um encontro entre o senhor GERALDO FARIA MARCONDES e o CORONEL ARY CANAVÓ. Acontece que permaneço na Sociedade até às 16 horas e nenhum dos dois apareceu e nem mantiveram contato conosco.

7 DE ABRIL DE 1997
No MMDC o CORONEL ARY CANAVÓ mostra-se ressabiado. Mesmo assim não perde a mania de atacar o governo. Está mandando uma Carta Confidencial para o Senhor GERALDO FARIA MARCONDES onde tenta explicar a sua posição no sentimento nativista.
Recebo um telefonema do CORONEL PM LUIZ CARLOS DE OLIVEIRA GUIMARÃES. A reunião entre nós e os CORONÉIS PM RENALDO ALVES DA SILVA e VALDIR SUZANO não poderá acontecer nesta semana. A agitação é muito grande na Corporação por causa dos constantes ataques da Imprensa nos casos de DIADEMA e MAIRIPORÃ.

9 DE ABRIL DE 1997
No MMDC, mantenho uma conversa séria com o Sr PIRES e dona MARIA sobre os desmandos do CORONEL ARY CANAVÓ na presidência da Sociedade Veteranos de 32-MMDC. Nota-se que a Sociedade vai afundando cada vez mais com as idéias mirabolantes acerca do sentimento nativista. O CORONEL CANAVÓ está cada vez mais envolvido no seu combate ao governo FHC e deixa o MMDC numa posição vexatória. Não podemos aceitar isso. Aguardamos que em reunião do CONSELHO SUPREMO seja decidido o afastamento do presidente.

10 DE ABRIL DE 1997
Não cruzo hoje com o CORONEL ARY CANAVÓ na Sociedade Veteranos de 32-MMDC. O veterano SEVERINO DOS SANTOS visita-nos. Antes das 16 horas saio com o Senhor GERALDO PIRES DE OLIVEIRA e SEVERINO DOS SANTOS em direção ao Metrô.
Em casa recebo um telefonema do Senhor GERALDO FARIA MARCONDES. Diz ele ter recebido uma Carta confidencial do CORONEL CANAVÓ. Lê o texto da mesma. O presidente do MMDC tenta convencer o Senhor MARCONDES que o seu trabalho no Movimento Nativista é o correto. Aproveita ele a frágil estrutura da Sociedade para exercer esse seu lado obsessivo. 

14 DE ABRIL DE 1997
Encontro na Sociedade Veteranos de 32-MMDC um CORONEL ARY CANAVÓ atribulado com o seu envolvimento em torno da campanha contra a venda da VALE DO RIO DOCE. Deverá embarcar para o RIO DE JANEIRO ainda hoje.
O CAPITÃO PM Farm EDUARDO JOSEPH SAYEGH visita-nos. Ele está incumbido de estudar a melhor forma de combater os cupins que invadiram o Monumento Mausoléu. Quer ver as plantas do Monumento e os estudos efetuados por firmas contra os insetos. Recebo a visita do CORONEL PM Res ANTÔNIO CARLOS MENDES. Quer dois capacetes da Revolução de 32 para presentear o GRÃO MESTRE da Maçonaria Brasileira, um coronel da PM do RIO.

16 DE ABRIL DE 1997
No MMDC não contamos com a presença do CORONEL ARY CANAVÓ. O veterano SILVEIRA PEIXOTO, vice-presidente da Sociedade estuda comigo o que iremos fazer na reunião do Conselho Supremo, ainda a ser marcada. Outro veterano que nos visita nesta tarde é o senhor MANUEL.
Tento terminar a Declaração de Renda, mas não consigo. Estão sendo instalados na biblioteca alguns armários que o CORONEL PM GUIMARÃES conseguiu.
A Secretaria de Esportes da Prefeitura mantém contato comigo sobre a III MARATONA DE SÃO PAULO, que terá como ponto de referência o Monumento Mausoléu. Deverá acontecer uma reunião no próximo dia 23.

17 DE ABRIL DE 1997
No MMDC estão presentes os veteranos GERALDO PIRES DE OLIVEIRA e MANUEL. Com muita dificuldade eu encerro a Declaração de Renda. Levo-a ao BANESPA, agência dos bombeiros, nossa vizinha.
São instalados armários na biblioteca, uma iniciativa do CORONEL PM GUIMARÃES. Telefono a ele dando ciência do que foi feito. Dona MARIA está adoentada e não vem trabalhar. A Sociedade pára sem a sua presença. É ela que sabe de todos os pormenores da mesma. O CORONEL ARY CANAVÓ deve estar no RIO ainda. Nada sabemos de suas andanças. Chove muito a partir das 15 horas. O trânsito fica muito lento. Há manifestações em frente à Câmara Municipal. Tenho dificuldade para chegar até a estação ARMÊNIA e embarcar no ônibus COCAIA.

18 DE ABRIL DE 1997
Pela terceira vez consecutiva o veterano MANUEL vem passar a tarde no MMDC. Aos 87 anos de idade, repetindo muito alguns episódios de sua vida, inclusive recitando poesias, faz com que o nosso trabalho seja prejudicado em parte. O CORONEL ARY CANAVÓ continua viajando. Não mantém contato com a Sociedade. Dona MARIA também não comparece por se achar gripada. Com o senhor GERALDO PIRES DE OLIVEIRA deixo o MMDC às 15:40 horas. Ao passar pela Rua MAUÁ e DUQUE DE CAXIAS vejo os trabalhos da OPERAÇAO ‘OSÓRIO’.

25 DE ABRIL DE 1997
No MMDC continuamos sem a presença do presidente, que também não faz falta. Deve ele continuar lutando contra a privatização da VALE DO RIO DOCE. É uma luta particular que nada tem a ver com a nossa Sociedade. Acertamos com a 5ª EM/PM do que iremos fazer em 23 de maio, Dia da Juventude Constitucionalista. Não haverá a tal MARCHE AU FLAMBEAUX que o CORONEL CANAVÓ queria. Tudo irá se limitar a uma missa na cripta do Monumento Mausoléu. Continuamos exigindo do EDIFÍCIO REGINA o conserto pelos estragos causados em janeiro quando rebocos do edifício danificaram o telhado da Sociedade. O Senhor MARCONDES mantém contatos telefônicos conosco.

28 DE ABRIL DE 1997
No MMDC confirmo com o TENENTE-CORONEL PM CAPELÃO JOÃO VILLANO o horário de uma missa no Monumento Mausoléu em 23 de maio por intenção das almas dos jovens que pereceram em 1932 na Praça da República quando faziam uma manifestação em prol da reconstitucionalização do país. Converso, por telefone, com o Chefe de Gabinete do Comandante Geral, CORONEL PM SERAU, sobre a data de reunião do Conselho Supremo do MMDC. Não há clima para isso. A PM atravessa violenta crise e o CORONEL PM CLAUDIONOR LISBOA, Cmt Geral, não tem condições de marcar a data para a reunião do Conselho. Também mantenho um contato telefônico com o CORONEL PM GUIMARÃES e ele conta que todos os coronéis estão tensos. Precisamos aguardar alguns dias para pensar no MMDC. Os coronéis já declararam o Secretário da Segurança Pública, JOSÉ AFFONSO DA SILVA, como inimigo público número 1 da Corporação.

30 DE ABRIL DE 1997
No MMDC regressa o CORONEL ARY CANAVÓ. Coloco-o a par do que vem acontecendo na Sociedade e o que a Polícia Militar vai fazer no dia 23 de Maio, DIA DA JUVENTUDE CONSTITUCIONALISTA. Mantenho um contato telefônico com o Chefe da 5ª Seção do Estado Maior da PM, TENENTE-CORONEL PM PAULO RÉGIS SALGADO, atual Diretor do Cerimonial da Sociedade. Discutimos medidas para o 23 de Maio.
Passo pelo BANESPA – agência do Corpo de Bombeiros. Ali converso com o gerente FERNANDO e CORONEL PM Res PAULINO. Cruzamos com outros oficiais que ali se encontram.
O CORONEL CANAVÓ está eufórico com a sua vitória na luta contra a privatização da VALE DO RIO DOCE. Conversa sobre suas idas ao RIO DE JANEIRO e MINAS GERAIS. Quer ele reunir a Diretoria Executiva, mas não marca a data. Às 16 horas, acompanhado pelo senhor GERALDO PIRES DE OLIVEIRA, vamos embarcar no metrô. Hoje desço na Estação ARMÊNIA e retorno a GUARULHOS num ônibus COCAIA.

5 DE MAIO DE 1997
No MMDC, o CORONEL CANAVÓ está eufórico. A suspensão do leilão da VALE DO RIO DOCE deixa-o bastante alegre. Faz vários telefonemas, manda mais de cem cartas para várias pessoas e pensa do 23 de maio, usando a data como trampolim para divulgação de suas idéias. Marca uma reunião da Diretoria Executiva para o dia 15 de maio, às 15 horas.
Mantenho contato telefônico com o TENENTE-CORONEL PM PAULO RÉGIS SALGADO, Chefe da 5ª Seção do Estado Maior, Diretor do Cerimonial da Sociedade. Acertamos detalhes para o DIA DA JUVENTUDE CONSTITUCIONALISTA. Os veteranos SEVERINO DOS SANTOS e JOSÉ SOARES MARINS visitam-nos na Sociedade.

6 DE MAIO DE 1997
No MMDC o CORONEL CANAVÓ acompanha, tenso, a “chicana” judicial, que bem mostra a esculhambação ao poder judiciário no BRASIL. Enquanto isso penso em 23 de maio, uma das datas mais importantes para a Sociedade. A CAPITÃO PM SUZUKI, da 5ª Seção de Estado Maior, trabalha para a solenidade como Diretora do Departamento da Juventude da Sociedade. O Senhor PIRES tira do livro CRUZES PAULISTAS, edição de 1936, as biografias de MARTINS, MIRAGAIA, DRÁUSIO e CAMARGO para serem reproduzidas no computador e distribuídas para divulgação.

7 DE MAIO DE 1997
À tarde, no MMDC, converso com o veterano SILVEIRA PEIXOTO. Telefona-me o TENENTE PM DANIEL, da Companhia de Polícia Militar de JAHÚ. Quer ele saber a respeito das medalhas da Sociedade a fim de agraciar autoridades daquela cidade no 9 de Julho.

8 de maio de 1987: nesta quinta-feira sou procurado por quatro jovens Aspirantes a Oficial para uma palestra na semana que vem sobre o MMDC. Trabalho hoje em prol da divulgação do 23 de maio, quando será rezada uma missa no Monumento Mausoléu. O CAPITÃO PM WÁGNER, do CSM-O (OBRAS) entra em contato comigo para dizer que os trabalhos que precisam ser realizados ali são enormes e há falta de verba. Mando um convite para o Chefe do CSM-O, MAJOR PM MENEGUCCI a fim de participar de uma reunião no MMDC em 15 de maio. Elaboro ofícios para o MUSEU MILITAR, AORPM sobre essa data.
ARI, do CANAL 21, entra em contato com o MMDC para uma reportagem sobre o Monumento Mausoléu. Estará reunido conosco na segunda-feira, dia 12. Nossa funcionária, dona MARIA, fica nervosa pela presença inoportuna de dona REGINA CELENTANO, que atrapalha muito o serviço dela. Ela finalmente carrega o CORONEL ARI CANAVÓ para a Associação dos Oficiais da Reserva, na Rua TABATINGUERA.

9 DE MAIO DE 1997
O CORONEL ARY CANAVÓ viajou para PORTO ALEGRE e podemos trabalhar sem ter de ouvir assuntos cansativos sobre VALE DO RIO DOCE, Soberania Nacional e outras coisas que em nada auxiliam a nossa Sociedade.
Mantenho contato com o DIÁRIO POPULAR, solicitando a publicação de um aviso sobre a missa de 23 de maio no Monumento Mausoléu do Ibirapuera. A 5ª Seção do Estado Maior da PM informa que estão sendo confeccionados os ofícios sobre essa solenidade e algumas escolas já se manifestaram em comparecer. O TENENTE PM Ref NASCIMENTO leva um ofício ao Presidente da AORPM convidando toda a Diretoria para esse evento.
O veterano SALIM visita-nos. Vem acompanhado de seu irmão e de um velho delegado da Polícia Federal, nascido em 14 de setembro de 1917, também veterano de 1932.
Um representante do Edifício REGINA vem acertar conosco problemas de orçamento para reparos ocasionados pelas chuvas que caíram no interior da Sociedade, quando rebocos desse prédio quebraram telhas em janeiro de 1997. Às 16 horas, acompanhado pelo Sr PIRES, deixo a Sociedade. Pego o EXPRESSO BRASILEIRO na Rua GUAIANASES. O futuro Terminal Rodoviário PRINCESA ISABEL tem já guarita e os últimos acertos estão sendo realizados para a inauguração. A PRAÇA PRINCESA ISABEL está totalmente cercada de gradis de ferro.

12 DE MAIO DE 1997
Tenho muito trabalho no MMDC no sentido de divulgar a data de 23 de maio para os jornais FOLHA DE SÃO PAULO, FOLHA DA TARDE, O ESTADO DE SÃO PAULO, GUARU 2000 e TRIBUNA DE GUARULHOS. O Professor GABRIEL, diretor da Biblioteca, “sumido” há meses, comparece hoje para se justificar que esteve em viagem por 17 Estados, fazendo palestras. Conversa muito com o CORONEL CANAVÓ e comigo. Sou obrigado a lhe dizer de sua falta de interesse pela Sociedade, bem como de outros diretores que aqui não comparecem.
Nesta segunda-feira Dona MARIA conta-me que o filho da MARIA DO SOCORRO nasceu ontem e, com isso, estamos sem atendente na Portaria. Dona MARIA desdobra-se nessa função. Com isso, a Sociedade fica meio conturbada.
O CORONEL CANAVÓ continua com seus problemas nativistas. Ainda acha que se poderá anular o leilão da VALE DO RIO DOCE.

13 DE MAIO DE 1997
Isso seria a única forma de acabar com a safadeza na polícia. No MMDC continuo a fazer a divulgação do 23 de maio, dessa feita passando fax para as associações: SubTenentes e Sargentos, Cabos e Soldados e APOMI e outras. O CORONEL CANAVÓ não consegue esquecer a VALE DO RIO DOCE. Acha ainda que o leilão será anulado. Visitam-nos os veteranos PAULINO e MANOEL. Este último, com o apoio da bengala, aos 87 anos, ainda quer participar da Sociedade. Está com o rosto machucado por ter levado uma queda. Sua esposa vem buscá-lo.
O CAPITÃO M LUÍS AUGUSTO, da Assistência Policial-Militar da Câmara Municipal vem nos convidar para uma sessão solene a respeito do MMDC, dia 23 de maio, às 16 horas.
Deixo o MMDC e o Senhor GERALDO PIRES DE OLIVEIRA não me acompanha hoje. Católico fervoroso compareceu a um ato religioso pelos 80 anos do aparecimento de NOSSA SENHORA DE FÁTIMA.

14 DE MAIO DE 1997.
No MMDC, trato da reunião da Diretoria Executiva marcada para amanhã. Além desse problema mantenho contato, via fax, com Associações sobre a data de 23 de maio. O CORONEL CANAVÓ interrompe meu serviço para “meter o pau” no presidente FHC. Da 5ª Seção EM-PM recebo notícia, via fone, que estão sendo expedidos os convites para as autoridades quanto à missa de 23 de maio e também sobre uma apresentação da Banda de Música no IBIRAPUERA em 25 de maio (domingo), relembrando o 23 de maio. Deixo o MMDC às 16 horas. A temperatura cai muito nesta tarde.

15 DE MAIO DE 1997
No MMDC preparamos tudo para uma reunião de diretoria presidida pelo CORONEL CANAVÓ. Aguardávamos o “duelo” entre GERALDO FARIA MARCONDES que quer a saída do CANAVÓ e o próprio. Isso não vai acontecer. Simplesmente o Senhor MARCONDES não comparece na reunião. Também falta SILVEIRA PEIXOTO. Discutimos assuntos sobre: Monumento Mausoléu, com a colaboração do MAJOR PM MENEGUCCI, chefe do Centro de Manutenção de Obras; 23 de maio; problema dos sócios em atraso com seus pagamentos; aquisição de novos associados e uma “briga” dos CORONEIS GUIMARÃES e SUZANO e CAPITÃO PM ARRUDA sobre essa mania do CORONEL CANAVÓ imiscuir a Sociedade nas suas batalhas sobre soberania nacional. Todos são contra. Os outros detalhes da reunião, bem como nome dos presentes, estão na ATA que redigirei em breve, mas cuja cópia colocarei neste diário.

16 DE MAIO DE 1997
O CORONEL CANAVÓ mostra-se temeroso após a reunião de ontem. Reúne-se como Senhor GERALDO PIRES DE OLIVEIRA e comigo e fala sobre suas idéias acerca da soberania nacional. Fazemos ver que a Sociedade nada tem com isso, mas ele acha diferente. É obsecado pelo movimento nativista e quer levar o MMDC para esse caminho. O Senhor GERALDO MARCONDES telefonou ontem para dona MARIA e senhor PIRES querendo saber notícias da reunião. Não manteve contato comigo e acredito ter ele fugido ontem da reunião para não entrar em choque com o CORONEL CANAVÓ.
Ainda estamos divulgando o 23 de maio. A Câmara Municipal de SÃO PAULO mandou convites para uma sessão solene marcada para essa data.

19 DE MAIO DE 1997
No MMDC recebo a visita do Professor LUIZ GONZADA DE FREITAS, antigo professor de FRANCÊS da Academia Militar do Barro Branco. Ele é vice-reitor do COLÉGIO SÃO BENTO. Traz seu currículo para a indicação da Medalha PEDRO DE TOLEDO em 9 de Julho. Presenteia-me com uma medalha do Patriarca SÃO BENTO e a sua oração. Também me dá um CD de música sacra.
O veterano SILVEIRA PEIXOTO, de 88 anos, procura-me para colocá-lo em contato com o oficial que chefia o CANIL da PMESP. Sua esposa ganhou uma cadela, de 7 meses e quer adestrá-la.
Ainda estamos convidando pessoas para a missa de 23 de Maio no Monumento Mausoléu do Soldado Constitucionalista, no IBIRAPUERA.

20 DE MAIO DE 1997
No MMDC o ambiente é pesado com as conversas do CORONEL CANAVÓ sobre soberania nacional. Recebo um telefonema do senhor GERALDO FARIA MARCONDES que está preparando um encontro no NACIONAL CLUB em 30 de maio (sexta-feira) onde se articulará a saída do CORONEL CANAVÓ da presidência da Sociedade.
Mantenho contato telefônico com o CORONEL PM RENATO, Chefe EM/CCB a fim de se guardar o carro do engenheiro CHADDAH, que visitará a Sociedade em 22 de maio. CORONEL CANAVÓ quer depositar uma coroa de flores na PRAÇA DA REPÚBLICA, no local onde há uma placa de bronze alusiva às mortes de MIRAGAIA, MARTINS, DRAUSIO e CAMARGO. A PM não irá participar disso. A finalidade do CANAVÓ é fazer apologia de suas idéias nativistas.
Hoje está completando o primeiro ano que iniciei minhas atividades na Sociedade Veteranos de 32-MMDC.

22 DE MAIO DE 1997
No MMDC, o CORONEL CANAVÓ é indelicado com o pessoal da 5ª EM/PM por causa da Bandeira Nacional que ele queria no Monumento Mausoléu ainda hoje. Tudo ficara combinado na última reunião de Diretoria. Além disso, o CORONEL CANAVÓ aborda de uma maneira simplista a questão dos SEM TETO, após a TRAGÉDIA DA FAZENDA DA JUTA. Quer que o governo dê moradia para todos eles. O que é que a Sociedade tem a ver com isso?
O engenheiro JOSÉ MIGUEL ÁLVARES CHADDAD vem pleitear uma medalha para sua mãe, DONA AURORA, por ter participado da Revolução de 32. O CORONEL CANAVÓ marca uma reunião para a Comissão de Medalhas em 27 de maio, às 15 horas.
Chuvisca nesta tarde e faz muito frio quando o Senhor PIRES e eu deixamos o MMDC.

Seguintes anotações em 23 de maio de 1997: saio de casa dirigindo o SANTANA, a fim de participar da missa no Monumento Mausoléu do Ibirapuera. Passo pela casa do senhor GERALDO PIRES DE OLIVEIRA, quase às 9 horas. Tomo um café com ele e com sua senhora, dona ZYLKA.
Notamos grande presença de público quando chegamos no Monumento Mausoléu, superando de muito o evento realizado em 1996. Três escolas: MMDC, PRUDENTE DE MORAIS e COLÉGIO MILITAR somam 120 crianças que comparecem para assistir a missa. Representação de oficiais de várias Unidades da PM, dão um cunho de grande importância nesta solenidade.
O BRIGADEIRO-DO-AR FERNANDO DE SANTA CLARA RAMOS, Diretor do Parque da Aeronáutica de São Paulo, é a mais alta autoridade presente. O Comandante Geral, CORONEL PM CLAUDIONOR LISBOA; o Sub Cmt PM, CORONEL PM CARLOS ALBERTO DA COSTA; o Comandante do Corpo de Bombeiros, CORONEL PM JOSÉ CARLOS DA SILVA; o Cmt do CPAM-5, CORONEL PM GUIMARÃES; Cmt do CPAM-7, CORONEL PM VALDIR SUZANO; Cmt do CPTran, CORONEL PM RUFINO; Chefe do EM-COM, CORONEL PM LEMES; o Chefe da CASA MILITAR, CORONEL PM LOURIVAL COSTA RAMOS; Deputado Federal ARNALDO FARIA DE SÁ; Deputado Estadual UBIRATAN GUIMARÃES; CORONEL PM Res ALUIZIO SILVEIRA DE CARVALHO PEREIRA; CORONEL PM Ref EDUARDO MONTEIRO; CORONEL PM Ref SADOC CHAVES SIMAS; TENENTE-CORONEL PM PAULO RÉGIS SALGADO, Diretor do Cerimonial do MMDC e Chefe da 5ª Seção EM/PM; TENENTE-CORONEL PM JOÃO BAPTISTA; TENENTE-CORONEL PM VASCONCELLOS; MAJOR PM VIANA; CAPITÃO PM LUIZ EDUARDO PESCE DE ARRUDA, Diretor de Comunicação Social do MMDC; CAPITÃO PM AGRELLA; CORONEL ARY CANAVÓ, Presidente da Diretoria Executiva do MMDC; GERALDO FARIA MARCONDES, Presidente de Honra do MMDC; SILVEIRA PEIXOTO, MINISTRO GÚALTER GODINHO, VETERANO JOSÉ SOARES MARINS, VETERANO PAULINO, Professor GABRIEL, Diretor do Arquivo Histórico e Biblioteca do MMDC; CAPITÃO PM SUZUKI, Diretor do Departamento da Juventude do MMDC abrilhantaram o evento. O CORONEL PM WÁGNER CINTRA, Assistente Militar da Assembléia Legislativa se acha presente. Três padres rezam a missa: TENENTE-CORONEL PM CAPELÃO JOÃO BENEDITO VILLANO, CAPITÃO PM CAPELÃO OSVALDO PALÓPITO e o PADRE ANTÔNIO SÉRGIO PALOMBO DE MAGALHÃES, Presidente da Cruz Vermelha do Estado de MINAS GERAIS, especial convidado do CAPELÃO VILLANO. Esse padre de MINAS faz brilhante alocução sobre o MAUSOLÉU, MARTINS, MIRAGAIA, DRÁUSIO e CAMARGO e o que foi a Revolução de 32 para o BRASIL.
O túmulo do herói jacente é benzido e encomendado pelos padres e se dá o TOQUE DE SILÊNCIO.
Os presentes de confraternizam. O senhor GERALDO FARIA MARCONDES diz que o ex-ministro GUÁLTER GODINHO aceitou a indicação para ser o novo Comandante do Exército Constitucionalista, substituindo o SEVERINO DOS SANTOS na data de 9 de Julho. O senhor MARCONDES articula a queda do CORONEL ARY CANAVÓ da presidência do MMDC por suas idéias políticas, contrariando o Estatuto da Sociedade.
O senhor GERALDO PIRES DE OLIVEIRA e o CAPITÃO PM ARRUDA explicam às crianças o que significa o 23 de Maio. Fazem um breve histórico do Monumento Mausoléu.
Quase as 12 horas deixamos o local. Conduzo o senhor GERALDO PIRES DE OLIVEIRA até perto de sua residência e o senhor JOSÉ SOARES MARINS até a estação ANA ROSA. O senhor MARINS colaborou com os padres que rezaram a missa, mas demonstrou dificuldades ao se locomover. Está ele com problemas de saúde.
Passo pela Sociedade Veteranos de 32-MMDC. O CORONEL ARY CANAVÓ ali se encontra. Prepara-se para ir a uma solenidade na Câmara Municipal, às 16 horas. Prefiro evitar contatos políticos, danosos para o futuro da Sociedade por causa das idéias arrevezadas do nosso atual presidente.
O senhor ANTÔNIO PENTEADO MENDONÇA escreve no JORNAL DA TARDE um artigo intitulado “O 23 DE MAIO”.

26 DE MAIO DE 1997
Na Sociedade Veteranos de 32-MMDC o CORONEL ARY CANAVÓ elogia o trabalho nosso pelo brilhantismo dado ao 23 de maio. Agora pensa no 9 de Julho e na outorga das Medalhas, que serão 32. Vários nomes são citados. O senhor MARCONDES tem pressa quanto à reunião do Conselho Supremo. Já entrei em contato com o MAJOR PM ADAUTO, da Chefia do Gabinete do Comandante Geral e a data será escolhida entre 11, 12 ou 13 de junho. O velho veterano MANUEL comparece na sede, usando uma bengala. Chega até a dormir no sofá. Quer ajudar, mas a sua idade não mais permite.

27 DE MAIO DE 1997
Vou para o MMDC às 13:30 horas. Cumprimento por telefone o filho do DALMIRO e MERCIA, VÂNDER, que hoje completa 20 anos. Nasceu quando o DALMIRO cursava o CAO, em 1977. Dona MÉRCIA reclama que a LUCINDA e eu não fomos mais visitá-los.
ISRAEL DIAS NOVAES, 1º Secretário da Comissão de Medalhas e CORONEL PM GUIMARÃES, 2º Secretário, reúnem-se com o CORONEL CANAVÓ, GERALDO PIRES DE ALMEIDA e eu para discussão dos 32 nomes que serão agraciados em 9 de Julho com as Medalhas CONSTITUCIONALISTA, MMDC e PEDRO DE TOLEDO. Os veteranos SEVERINO e MANOEL estão presentes nesta reunião.
O Comandante Geral e Presidente do Conselho Supremo da Sociedade Veteranos de 32-MMDC, CORONEL PM CLAUDIONOR LISBOA, escolhe a data de 11 de junho para a reunião do Conselho Supremo. Encaminho ao MAJOR PM ADAUTO, da chefia do Gabinete do Cmt Geral, os convites para os conselheiros. Senhor MARCONDES quer saber detalhes dessa reunião.

28 DE MAIO DE 1997
Hoje não contamos com o CORONEL ARY CANAVÓ no MMDC. Ele se encontra no RIO DE JANEIRO. Elaboro a lista de medalhas para 9 de Julho: CONSTITUCIONALISTA (12), MMDC (11) e GOVERNADOR PEDRO DE TOLEDO (9), num total de 32 medalhas.
Telefona-me o senhor MARCONDES. Antes tinha proposto um almoço no NACIONAL CLUBE para dia 30. Está adiado. Agora pensa numa reunião no Palácio dos Bandeirantes, na semana que vem, para falar com o Secretário de Planejamento, Deputado ROBERTO KASSAB.
O senhor ANTÔNIO PENTEADO MENDONÇA, articulador do JORNAL DA TARDE e responsável pelo programa CRÔNICA DA CIDADE GRANDE, na rádio ELDORADO, manda seu currículo. Conversei com ele pela manhã.
Sobre a medalha, peço o currículo do atual Presidente do Clube dos Oficiais da PMESP, CORONEL PM GERALDO MENEZES GOMES. Hoje também não contamos com a presença do senhor GERALDO PIRES DE OLIVEIRA por causa do mau tempo. Visita-nos o conselheiro FELIPE. Conta o fiasco cometido pelo CORONEL ARY CANAVÓ no dia 23 de maio ao depositar uma coroa de flores na PRAÇA DA REPÚBLICA, no local onde tombaram MARTINS, MIRAGAIA, DRÁUSIO e CAMARGO. Estavam apenas quatro pessoas presentes. Conta que repercutiram estranhamente as palavras pronunciadas pelo CORONEL CANAVÓ na Câmara Municipal, na tarde de 23 de maio. O Comandante Geral, CORONEL PM CLAUDIONOR LISBOA, estava presente.

5 DE JUNHO DE 1997
No MMDC recebemos alguns currículos: GENERAL-DE-EXÉRCITO BRÍZIDA; GENERAL-DE-DIVISÃO MOLINARI e CORONEL ELIASAR. O CORONEL PM GUIMARÃES conversa comigo por telefone acerca do pedido de um conselheiro do Tribunal de Contas, WALLACE GUIRELLI, que solicita a nossa medalha para um veterano, pai do Conselheiro BITTENCOURT – VALDEMAR BITTENCOURT DE CARVALHO.
O senhor GERALDO FARIA MARCONDES cria um problema para mim: quer que um sobrinho do Presidente FERNANDO HENRIQUE CARDOSO seja o portador de um ofício convidando-o para a solenidade do 9 de Julho. Acontece que o Cerimonial do Quartel do Comando Geral ainda não divulgou o horário da solenidade e o CORONEL PM CLAUDIONOR LISBOA, Comandante Geral, não irá assinar ofícios por enquanto.
O CORONEL ARY CANAVÓ “esquece” a Sociedade com problemas surgidos no BANFOR – um banco de FORTALEZA, onde militares têm contas. Há oficiais superiores do Exército envolvidos no escândalo.
Retorno para GUARULHOS com dificuldade, viajando no COCAIA. Na MARGINAL TIETÊ o trânsito é moroso devido a um acidente automobilístico em frente ao Restaurante CRAKATOA.
O veterano SEVERINO DOS SANTOS está completando 87 anos e manda para nós uma carta a respeito de seu aniversário. Começa dizendo que “Aniversário, como é sabido, é a palavra latina que quer dizer “aquilo que volta todos os anos”. O meu voltou mais uma vez e me encontrou nesta quinta-feira, 5 de junho de 1997, ainda usando os mais antigos meios de transportes, isto é, as pernas, as pernas minhas. Graças a elas a minha vida corre agora com a placa das 87 primaveras...Com saúde, embora já muito usada, não viverei em vão, isto é, não viverei só por viver – até quando? – no prazo que a vida me dará como prêmio ou lambugem pois na minha condição de aposentado ainda não cruzei os braços. Aliás, continuo obediente ao que meu pai – grande pai! – que dizia: “Se cruzar os braços os pés ficarão gelados”. Assim mesmo algo mudou. Esse “algo” é a minha memória que já não é a mesma. E é interessante dizer que ela não falha quando se trata de lembrar de coisas e fatos antigos, como por exemplo, os de nossa Paulicéia quando era uma cidade bem arrumada, bem limpa, bastante calma, uma cidade bem nossa! Ao contrário da de hoje em que o paulistano do Centro não tem direito a praças e está sendo impedido – até! de ser pedestre na calçada...”
Em casa mantenho contato telefônico com o Conselheiro WALLACE GUIRELLI, do TCE, com o CORONEL PM Res ELISEU GUILHERME SALGADO ROCHA e com o CORONEL PM Res ANTÔNIO CARLOS MENDES. Meu companheiro de bancos escolares da Academia do Barro Branco (ROCHINHA) conta que sofreu uma queda em janeiro deste ano e teve o rompimento de nervos de um braço. Está sendo submetido a acumputura e outros tratamentos para a recuperação desses nervos. Ele ainda é o vice-presidente do CONSELHO SUPREMO da Sociedade Veteranos de 32-MMDC, mas faz tempo que não comparece no MMDC. Pede a sua substituição no cargo.

6 DE JUNHO DE 1997
Mantenho contato com o TENENTE-CORONEL PM PAULO RÉGIS SALGADO, Chefe da 5ª EM/PM sobre a data de 9 de Julho. Ainda não se tem os horários da solenidade. Também já estou preocupado com os diplomas das Medalhas CONSTITUCIONALISTA, MMDC e PEDRO DE TOLEDO. Surge o nome do CABO PM ALEX, da DAMCO. O CORONEL PM GUIMARÃES quer saber o resultado de minha conversa com o Conselheiro do Tribunal de Contas, doutor WALLACE GUIRELLI, sobre a medalha que será outorgada a um veterano – VALDEMAR BITTENCOURT DE CARVALHO. Faço alguns acertos na relação das medalhas, saindo o nome de JOÃO RANALI para entrar a do veterano. O próprio JOÃO RANALI pediu-me, por telefone, para deixar a outorga para 1998, pois ele se encontra adoentado. O Senhor GERALDO PIRES DE OLIVEIRA trouxe o nome do pai de um dos heróis da Revolução de 32 – ANTÔNIO PAULO VIRGÍNIO – para receber uma medalha no 9 de Julho. PAULO VIRGÍNIO foi martirizado por esbirros getulistas na divisa CUNHA-GUARATINGUETÁ, sendo assassinado após cavar sua sepultura.
Dona MARIA conta que o CORONEL CANAVÓ confabulou ontem à tarde com o doutor PAULO LACERDA e redigiram um documento ao Comandante Geral, que foi datilografado fora da Sociedade.
CORONEL PM ANTÔNIO CARLOS MENDES traz as fotos para a documentação de ingresso no MMDC. Às 16 horas, acompanhamos o senhor GERALDO PIRES DE OLIVEIRA, que está gripado, até o metrô. O CORONEL PM MENDES desce também na estação ARMÊNIA. Ele deixou seu carro na Escola de Educação Física. Pego o COCAIA e retorno a GUARULHOS.

Anotações em 9 de junho de 1997: a madrugada dessa segunda-feira foi a mais fria dos últimos dois anos. Senhor GERALDO FARIA MARCONDES mantém um contato telefônico comigo e marca um encontro para logo mais na AORPM. Vou para SÃO PAULO. e me encontro com o Senhor MARCONDES. Almoçamos no TRASMONTANO. O seu motorista particular está conosco. Em seguida vamos para o Palácio dos Bandeirantes, onde foi marcada uma audiência com o Secretário-Chefe da Casa Civil do Governador, WÁLTER FELDMAN. Aguardamos a chegada do Senhor GUILHERME LEVENSTEIN, nosso conselheiro no MMDC. Pouco depois das 14 horas encontramos o Chefe da CASA MILITAR, CORONEL PM LOURIVAL COSTA RAMOS. Ele nos acompanha até o Gabinete da Casa Civil. O Senhor MARCONDES leva ao conhecimento de WÁLTER FELDMAN que ele será agraciado com a MEDALHA CONSTITUCIONALISTA em 9 de julho. Quase às 16 horas deixamos o Palácio dos Bandeirantes. Marcamos um outro encontro para amanhã, quando levaremos a notícia da outorga da medalha para o Secretário Municipal de Planejamento, GILBERTO KASSAB. Discutimos a posição do CORONEL ARY CANAVÓ. Ele não pode nos acompanhar porque acha sempre de atacar o governo FHC e isso não fica bem.

10 DE JUNHO DE 1997
Em SÃO PAULO, aonde chego às 10:30 horas, tenho um dia atarefado por causa da solenidade de 9 de julho. Mantenho contatos telefônicos com o TENENTE-CORONEL CAPELÃO JOÃO VILLANO; engenheiro FRONTERRADA, da SABESP; Senhor GERALDO FARIA MARCONDES; GUILHERME LEVENSTEIN e com a CASA MILITAR. Tenho de proceder a novas alterações na relação das medalhas para colocar o nome do Prefeito CELSO PITTA. Faço nova distribuição das medalhas Constitucionalista, MMDC e Governador PEDRO DE TOLEDO. Faço os ofícios para o Prefeito CELSO PITTA, para o Secretário-Chefe da Casa Civil do Governador, WÁLTER FELDMAN e para o Secretário Municipal do Planejamento, GILBERTO KASSAB.
Na Sociedade, dona REGINA tira-me do sério ao querer saber porquê não recebe correspondência. Essa mulher é muito perniciosa para o MMDC, fazendo tráfego de influência.
Quase às 17 horas, o GUILHERME LEVENSTEIN vem me buscar para irmos à Secretaria Municipal do Planejamento, na Rua JOAQUIM EUGÊNIO DE LIMA. Um dos irmãos do GUILHERME guia o automóvel. Conheço o senhor GILBERTO KASSAB, a quem é entregue o ofício de outorga da Medalha Constitucionalista. Conheço também o seu Chefe de Gabinete, RODRIGO GARCIA e seu assessor ALBERTO MUSSALLAM.
São quase 19 horas quando deixamos o gabinete do Secretário GILBERTO KASSAB. No trajeto o Senhor GUILHERME faz planos para a melhoria do MMDC, inclusive com a idéia do MEMORIAL DO MOVIMENTO CONSTITUCIONALISTA, no IBIRAPUERA, a ser construído. Falamos também sobre a reunião do Conselho Supremo, marcada para amanhã.

Aprovação dos ESTATUTOS DO MMDC, em 11 de junho de 1997, em reunião do Conselho Supremo da Sociedade Veteranos de 32-MMDC, sob a presidência do Cel. PM ROBERTO LEMES DA SILVA. Presentes os seguintes conselheiros: PAULO BARROS DE CAMARGO, SILVEIRA PEIXOTO, GERALDO PIRES DE OLIVEIRA, FLÁVIO AUGUSTO PIRES DE OLIVEIRA, Cel. E B Ref. ARY CANAVÓ, JOSÉ SOARES MARINS, SEVERINO DOS SANTOS, LUIZ CARLOS GABRIEL, FERNANDO A. C. PUPO A. LEITE, MAX BASILE, Ten.Cel. PAULO RÉGIS SALGADO, ISRAEL DIAS NOVAES, REGINA  CELENTANO, THEOBALDO DE FREITAS LEITÃO, MINISTRO GUÁLTER GODINHO, Major LUIZ CARLOS BARRETO (representando o comandante da APMBB), LUÍS FELIPE DE LIMA CORRÊA LEITE, Cel. PM Res. ANTÔNIO CARLOS MENDES (que nesta data é empossado CONSELHEIRO). Além da aprovação, por unanimidade, dos novos Estatutos da Sociedade, FOI  DISCUTIDO o problema da reforma do Monumento-Mausoléu do Soldado  Constitucionalista, em precárias condições  por causa de cupins, infiltração de água, problemas com a rede elétrica, etc. Quase no final da reunião  chegaram o Cel. GUIMARÃES e o Capitão ARRUDA.
Posteriormente, os estatutos da Sociedade Veteranos de 32-MMDC precisaram ser adaptados às exigências do Código Civil. Os novos estatutos foram aprovados, em Assembléia Geral, no dia 17 de dezembro de 2004, no interior do Monumento-Mausoléu do Soldado Constitucionalista de 1932.

12 DE JUNHO DE 1997
Mantenho contato com o IV COMAR para se saber o endereço do TENENTE-BRIGADEIRO-DO-AR CLÓVIS PAVAN, que no dia 9 de Julho será condecorado pela Sociedade Veteranos de 32-MMDC.
Os ESTATUTOS da Sociedade foram aprovados ontem e hoje encerro o último artigo (89) com a vigência dos mesmos a partir de 11 de junho, revogando os anteriores.
O Senhor GERALDO FARIA MARCONDES telefona para dizer que é bem possível que o Presidente da República, FERNANDO HENRIQUE CARDOSO, venha receber a medalha que lhe foi destinada no ano passado. Logo mais ele comunica isso ao CORONEL ARY CANAVÓ e causa um mal estar no MMDC. O CORONEL CANAVÓ é visceralmente contra o Presidente da República e cria um caso sério na Sociedade. Fala em possível atentado, não quer participar da Solenidade, enfim, demonstra nervosismo e falta de bom senso. O Senhor GERALDO PIRES DE OLIVEIRA está muito irritado nesta tarde. Sente dores nos pés e o acompanho até o metrô, caminhando ele com muita dificuldade. Vou até a Estação ARMÊNIA, onde embarco no COCAIA.

13 DE JUNHO DE 1997
Podemos sair de casa sem agasalho. Muito embora tenha aversão pelas idéias arrevesadas do CORONEL CANAVÓ, que procura usar o MMDC para fazer tráfego de influência, principalmente usando a data magna de 9 de Julho, procuro desempenhar minha parte como secretário, evitando me imiscuir nos assuntos do CORONEL CANAVO. O atual presidente da Sociedade está nervoso porque o Senhor MARCONDES e o GUILHERME LEVENSTEIN procuram trazer o Presidente FERNANDO HENRIQUE CARDOSO para receber a Medalha Constitucionalista, que lhe foi outorgada em 1996. Hoje de manhã acerto como TENENTE-CORONEL PM PAULO RÉGIS SALGADO a programação de 9 de Julho, possibilitando a feitura dos convites. Na programação é incluída a participação da GUARDA METROPOLITANA. Converso, por telefone, com o PADRE SÉRGIO, presidente da CRUZ VERMELHA de MINAS GERAIS. Ele será condecorado na data de 9 de Julho e fica de mandar seu currículo hoje à tarde.
Os Estatutos da Sociedade estão prontos para serem registrados. Mandaremos seis exemplares para registro. Elaboro o Convite interno para o 9 de JULHO. O CORONEL CANAVÓ discute a possibilidade de FHC comparecer na data e fica nervoso ao extremo ao combater essa idéia.
O Sr GERALDO PIRES DE OLIVEIRA não veio trabalhar hoje. Está adoentado. Dona MARIA se desdobra para preencher sua vaga e também a vaga da MARIA DO SOCORRO, que continua afastada desde que deu à luz. Hoje o MARCONI ajuda-me muito, inclusive na elaboração definitiva da listagem das Medalhas Constitucionalista, MMDC e Governador PEDRO DE TOLEDO.
Com tempo bom, vou pegar o ônibus EXPRESSO BRASILEIRO, na Rua GUAIANASES. Em casa, recebo um telefonema do Senhor GUILHERME LEVENSTEIN. Ele ainda não tem a confirmação da presença do presidente FHC na Solenidade do dia 9 de Julho. Mandou, por fax, o currículo do Chefe dos Escoteiros SAURO BARTOLOMEI para a Sociedade, quando eu já tinha saído.

16 DE JUNHO DE 1997
Trabalho muito no MMDC. Tenho de suprir as deficiências do CORONEL CANAVÓ, que vive sob a obsessão do sentimento nativista, com idéias utópicas que não levam a nada de prático. Elaboro ofício aos Secretários de Educação, Municipal e Estadual, solicitando o empenho das escolas na data de 9 de Julho. Também faço os ofícios de outorga das Medalhas MMDC e GOVERNADOR PEDRO DE TOLEDO.
O TENENTE-CORONEL PM PAULO RÉGIS SALGADO, Chefe da 5ª EM/PM, nosso Diretor do Cerimonial, manda seu motorista buscar os diplomas das medalhas para serem preenchidos. Entrego-lhe os papéis timbrados para a confecção dos convites para o 9 de Julho. CORONEL ARY CANAVÓ faz contatos com o pessoal de SOLEDADE, uma cidade gaúcha que apoiou o Movimento Constitucionalista de 1932. Transmito, por fax, o ofício de outorga da Medalha MMDC para a veterana AURORA ALVAREZ MACORIM CHADDAD. O senhor MARCONDES mantém contato telefônico comigo. Quer notícias da Sociedade.

17 DE JUNHO DE 1997
Faço vários contatos nesta data fria de junho, tudo com vista ao 9 de Julho. Converso com GUILHERME LEVENSTEIN sobre o currículo do Chefe da Casa Civil do Governo, WÁLTER FELDMAN; sobre um ofício que será enviado ao Secretário da Educação; sobre um ofício de outorga da Medalha “GOVERNADOR PEDRO DE TOLEDO” ao Chefe do Grupo Escoteiro “9 de julho” SAURO BARTOLOMEI, por indicação do Chefe da Casa Militar CORONEL PM LOURIVAL COSTA RAMOS. Converso com o TENENTE-CORONEL PM PAULO RÉGIS SALGADO sobre a confecção dos diplomas das medalhas e expedição dos convites. Também ele irá providenciar quanto aos currículos do CORONEL PM LUÍS LUCAS e CORONEL PM Fem VITÓRIA. O TENENTE-CORONEL PM Capelão JOÃO VILLANO conversa comigo sobre a participação do PADRE SÉRGIO, de MINAS GERAIS, do 9 de Julho. O CORONEL CANAVÓ também trabalha ativamente no 9 de Julho, mas direcionado sempre pela suas idéias de soberania nacional. O senhor GERALDO PIRES DE OLIVEIRA sofre da “gota” e está convalescendo em sua residência. Converso também com um oficial do PARANÁ, que vem colher subsídios sobre drogas em SÃO PAULO.

18 DE JUNHO DE 1997
Tenho muito trabalho no MMDC. Ao contrário dos outros dias, quando o CORONEL CANAVÓ atrapalha com suas idéias arrevesadas sobre nacionalismo exacerbado, hoje até que ele ajuda. Amanhã irá entregar os ofícios de outorga de medalhas aos generais do Comando Sudeste. Irá acompanhado pelo veterano PAULINO DELFINO NOGUEIRA. O horário cedo das 10 horas impede que eu os acompanhe. Por outro lado o TENENTE-CORONEL PM PAULO RÉGIS SALGADO colabora com os ofícios externos para 9 de Julho e a confecção dos diplomas. Na noite, na televisão, acompanho os jogos da COPA AMÉRICA.

19 DE JUNHO DE 1997
Manhã fria e que vai esquentar bem depois de passar algumas horas. Vou ao 1º BPChq. Levo um ofício de outorga de Medalha para o 1º TENENTE PM ALEXSANDER. O TENENTE-CORONEL PM ALBERTO SILVEIRA RODRIGUES, atual Comandante, relembra os anos que trabalhamos no CPChq. Converso também com o MAJOR PM CATALANO, TENENTE PM NICOLACCI e outros oficiais da ROTA.
O CORONEL CANAVÓ foi ao Comando Sudeste, acompanhado de dois veteranos. Entregou os ofícios de outorga de Medalhas aos GENERAIS BRÍZIDA, MOLINARI e RECH e CORONEL ELIASAR. Depois passa pela Assembléia Legislativa (deputado estadual ERASMO DIAS e GIANETTI também serão condecorados no dia 9 de Julho) e pela Câmara (o vereador NELO RODOLFO receberá uma medalha também).
No MMDC continuo trabalhando no sentido de engrandecer a festa de 9 de Julho. O senhor GUILHERME LEVENSTEIN manda um emissário buscar os ofícios para o Secretário Estadual da Educação; para o Chefe do Grupo de Escoteiros “9 de Julho”, SAURO JOSÉ BARTOLOMEI e para o Presidente FERNANDO HENRIQUE CARDOSO. O TENENTE-CORONEL PM RÉGIS, da 5ª EM/PM, manda buscar os ofícios de outorga de Medalha para o CORONEL PM LUÍS LUCAS e CORONEL P Fem VITÓRIA. Entrega o seu currículo. Passo um fax para o Mosteiro de SÃO BENTO, endereçado ao Professor LUIZ GONZADA DE FREITAS, que é reitor do COLÉGIO SÃO BENTO. CORONEL CANAVÓ diz que foi muito bem recebido pelos generais no Comando Sudeste. Continua espalhando suas idéias de soberania nacional.

20 DE JUNHO DE 1997
Já na Sociedade Veteranos de 32-MMDC, elaboro um ofício à Secretaria da Cultura solicitando o empenho da divulgação do 9 de Julho nas emissoras de rádio e televisão e nos jornais, criticando a falta de subvenção ao MMDC, solicitada em fins de 1996 e reiterada várias vezes. O CORONEL ARY CANAVÓ assina esse ofício. Recebemos o currículo da escritora ODETTE COPPOS (o décimo-nono da listagem das personalidades que irão ser condecoradas no 9 de Julho). Faltam chegar 13 currículos. O Senhor GERALDO FARIA MARCONDES telefona-me para sugerir a feitura de um cartão-convite para 9 de Julho, onde citam o Governo e a Polícia Militar como colaboradores do evento. Acontece que já elaboramos esses convites e não dá mais tempo para mudar o estabelecido entre o MMDC e a Polícia Militar. O CORONEL ARY CANAVÓ aproveita a oportunidade para expor suas idéias ao senhor MARCONDES.

23 DE JUNHO DE 1997
Já na Sociedade Veteranos de 32-MMDC há certa confusão quanto aos currículos daquelas pessoas apresentadas pelo CORONEL ARY CANAVÓ: TENENTE-BRIGADEIRO-DO-AR CLÓVIS PAVAN; GENERAL RECH, neta de GUILHERME DE ALMEIDA e outras. Chegaram vinte currículos. Faltam doze. Isso atrasa o envio dos currículos para o Palácio dos Bandeirantes. O senhor GERALDO PIRES DE OLIVEIRA está retornando às atividades depois do sofrimento causado pela “gota” nos pés.
Surgem certas confusões causadas pela presença indesejável de REGINA CELENTANO, que muito atrapalha nossas atividades. Dona MARIA fica nervosa com a sua presença. O senhor PIRES também se altera e, às 15:30 horas deixamos o MMDC. Retorno a GUARULHOS mais cedo. O tempo está bom. Nem parece que estamos no inverno.
Recebo dois telefonemas: senhor GUILHERME LEVENSTEIN e senhor GERALDO FARIA MARCONDES. Tratamos de pormenores para 9 de Julho.

24 DE JUNHO DE 1997
No MMDC temos uma complicação quanto ao nome da neta de GUILHERME DE ALMEIDA. O CORONEL CANAVÓ localizou a mesma. O nome não é aquele que está na relação para recebimento da Medalha GOVERNADOR PEDRO DE TOLEDO. Sou obrigado a acertar esse equívoco. Entro em contato com a DAMCO e dou o nome da neta para o CABO PM ALEX, encarregado de preencher os diplomas. Os nomes das pessoas fornecidas pelo CORONEL CANAVÓ causam problemas e os currículos não chegam. Faltam doze currículos. O senhor GERALDO PIRES DE OLIVEIRA queixa-se da saúde. Quer sair mais cedo. Acompanho-o até o Metrô. Também sua senhora está com problemas de saúde e ele quer atendê-la.

25 DE JUNHO DE 1997
O MAJOR PM Res SALATIEL visita-me nesta tarde no MMDC. Dona REGINA chega para nos atrapalhar e dona MARIA fica extremamente nervosa com essa presença indesejável. O senhor PIRES deixa a Sociedade bastante irritado. O CORONEL CANAVÓ não se impõe como presidente e deixa essa mulher agir em nome do MMDC, criando sérios problemas.
O TENENTE-CORONEL PM PAULO RÉGIS SALGADO abre mão do recebimento da Medalha CONSTITUCIONALISTA, neste ano, a fim de que possa ser condecorado o MAJOR PM BIAGIONI, da 5ª Seção do Estado Maior. Sobre esse assunto converso com o CORONEL PM GUIMARÃES, ISRAEL DIAS NOVAES e CORONEL CANAVÓ. O BIAGIONI receberá a Medalha “GOVERNADOR PEDRO DE TOLEDO”.
A Câmara Municipal de GUARULHOS entra em contato conosco. Quer fazer uma sessão solene em 8 de julho com a nossa presença.

26 DE JUNHO DE 1997
Na sala do TENENTE-CORONEL PM PAULO RÉGIS SALGADO faz-se uma pequena reunião para discussão de dúvidas que existem ainda em torno da solenidade de 9 de Julho. O MAJOR PM BIAGIONI está presente. Deverá ser o orador do evento. Os diplomas das Medalhas estão assinados. Apenas dois diplomas ainda ficaram dependentes para acertos de última hora. Um deles é o do próprio MAJOR PM BIAGIONI, que irá receber a Medalha GOVERNADOR PEDRO DE TOLEDO.
Atrapalhado com a gripe, vou à Sociedade Veteranos de 32-MMDC. O CORONEL ARY CANAVÓ vê com surpresa a publicação de um artigo no jornal TRIBUNA DA IMPRENSA como se fosse seu. Não foi ele quem redigiu e isso o deixa nervoso. Faz ligações com o jornal e quer descobrir quem é o culpado por essa publicação . O Senhor PIRES trabalha nos documentos do cinerario. Aparecem doze nomes de ex-veteranos cujas cinzas deverão ser trasladadas para o cinerário na solenidade de 9 de julho. Depois do incidente de ontem, onde dona REGINA tirou-o do sério, o senhor PIRES está mais calmo. O doutor PENTEADO, articulista do JORNAL DA TARDE e cronista da Rádio ELDORADO, telefona-nos para dizer que no dia 4 de julho sairá um artigo seu no JORNAL DA TARDE sobre 9 de Julho. Ele viajará para PORTUGAL em 2 de julho. Saio do MMDC às 16 horas. Estou me sentindo mal por causa da gripe.



27 DE JUNHO DE 1997
No MMDC o CORONEL CANAVÓ está eufórico porque o jornal TRIBUNA DA IMPRENSA publica um seu artigo sobre a polícia mineira. Usa o nome da Sociedade Veteranos de 32-MMDC para isso, contrariando os nossos Estatutos. O senhor GERALDO PIRES DE OLIVEIRA continua aprontando os papéis para o ato de trasladação das cinzas de doze veteranos para o Monumento Mausoléu, no IBIRAPUERA, no 9 de Julho. A rádio ELDORADO fará um programa no dia 30 de junho sobre o Movimento Constitucionalista de 1932 e mantém contato telefônico conosco, nesta tarde. Enfrentando o frio, deixamos o MMDC às 16 horas. O senhor PIRES me acompanha até o metrô da PRAÇA DA SÉ.

30 DE JUNHO DE 1997
Mantenho contato com a 5ª Seção do Estado Maior da PMESP – TENENTE-CORONEL PM PAULO RÉGIS SALGADO – sobre 9 de julho. Parece que tudo está rumando bem para a solenidade. Os diplomas que faltam deverão ser assinados nesta semana (2) e alguns currículos mais difíceis (5) deverão ser entregues nos próximos dias. No MMDC recebemos a visita de ISRAEL DIAS NOVAES, Secretário das Medalhas. Ele assina trinta diplomas nesta tarde.
A Câmara Municipal de GUARULHOS manda uma Empresa de Marketing se entender conosco sobre uma solenidade que pretende fazer na noite de 8 de julho. Perdemos algumas horas com essa pessoa, encarregada de colher material acerca da revolução de 32. GERALDO PIRES DE OLIVEIRA preocupa-se com a papelada acerca dos doze veteranos falecidos, cujas cinzas deverão ser entronizadas no Monumento Mausoléu no 9 de Julho. Deixamos a Sociedade embaixo de chuva. Vou embarcar no ônibus COCAIA na Estação Urbana da ARMÊNIA.

1º DE JULHO DE 1997.
A Sociedade Veteranos de 32-MMDC entra numa época de intensa movimentação. Já foi assim no ano passado, quando praticamente começava minhas atividades no MMDC. A solenidade de 9 de Julho exerce uma atividade estafante, principalmente porque não temos funcionários suficientes e os diretores não exercem suas funções. Desta feita até a Comissão de Medalhas deixou tudo nas minhas mãos. Os currículos demoram para chegar, os diplomas estão incompletos (faltam ainda 2). Há necessidade de se fazer vários contatos, principalmente com a Diretoria de Comunicação Social do Quartel do Comando Geral.
No MMDC, atendo um repórter do DIARIO POPULAR, RÓBSON, que pretende escrever uma matéria, a ser publicada amanhã, sobre o feriado de 9 de Julho. O CORONEL CANAVÓ chega depois das 19 horas. O neto de um dos heróis de 23 de maio, CAMARGO, conversa comigo por telefone. Quer ele participar da Solenidade de 9 de Julho. Visitam-nos o SubCmt do 3º BPMM e um oficial de comunicação social para nos convidar para o aniversário desse Batalhão, em 14 de Julho. O estandarte da Unidade será condecorado na oportunidade. O senhor GERALDO PIRES DE OLIVEIRA fornece-me a lista dos onze nomes de veteranos, já falecidos, cujas cinzas serão transportadas para o cinerário em 9 de Julho. As urnas deverão chegar na Sociedade na semana que vem e os bombeiros as transportarão para o Regimento de Cavalaria “9 de Julho” no dia 8 de julho.

2 DE JULHO DE 1997
Mantenho contato com o Regimento de Policiamento Montado “9 de Julho” para acertar detalhes com o CORONEL PM SALGADO acerca do traslado dos despojos dos onze veteranos (cinzas), do dia 8 para 9 de julho, da Sociedade Veteranos de 32-MMDC para o R. Pol. Mont. Também converso por telefone com o Comandante da Academia de Policia Militar do Barro Branco, CORONEL PM WANDERLEY SILVA, sobre o mesmo assunto. Na APMBB estão sendo efetuados treinamento com as urnas.
No MMDC, cuido dos últimos currículos que estão chegando com relação aos agraciados com as medalhas ‘CONSTITUCIONALISTA”, “MMDC” e “GOVERNADOR PEDRO DE TOLEDO”. Converso com o doutor LAURO ESCOBAR, presidente do Conselho de Honrarias e Mérito, no Palácio dos Bandeirantes, e ele demonstra ojeriza pelo Prefeito CELSO PITTA. Chama-o de desonesto e não aceita o nome dele para receber a Medalha Constitucionalista.

  18 a. das seguintes anotações em 3 de julho de 1997: Pela manhã vou ao Quartel do Comando Geral. Na DAMCO, converso com os MAJORES PM FLÁVIO ROSA e BIAGIONI sobre a Solenidade de 9 de Julho. Os diplomas que faltavam (2) já estão prontos e os levo para a Sociedade. CARMELO, ALZENIR, CRISTIANO e ELÁDIO vão dar aulas em PIRAPORINHA. Enquanto isso, o ALEMÃO ajuda-me na Palestra sobre MENORES e DROGAS. Os executivos querem notícias da movimentação reivindicatória da Polícia Militar. A situação não está esclarecida. Fica para a semana que vem.
No MMDC, finalmente, consigo arrumar o “pacote” dos diplomas das Medalhas “CONSTITUCIONALISTA”, “MMDC e “GOVERNADOR PEDRO DE TOLEDO”, bem como os “currículos” dos agraciados (falta o do Deputado Estadual GUILHERME GIANETTI). Converso por telefone com o Presidente do Conselho das Honrarias e Mérito do Palácio dos Bandeirantes e o VASCO irá levar toda a papelada após colher as assinaturas de ISRAEL DIAS NOVAES nos diplomas da neta de GUILHERME DE ALMEIDA e do MAJOR PM BIAGIONI. Atendo vários telefonemas de pessoas interessadas no evento de 9 de Julho, inclusive emissoras de TV e jornais.
O Ministro GUÁLTER GODINHO telefona para dizer que viajará para a EUROPA e não poderá assumir o Comando do Exército Constitucionalista. Escolhemos então o veterano PAULINO para ser o seu substituto. CORONEL CANAVÓ ainda insiste em trazer para a Solenidade a trineta de TIRADENTES, dona JACIRA. A finalidade é fazer apologia da soberania nacional, aproveitando a data de 9 de Julho. A temperatura deste 3 de julho melhorou bem. Assim é que não há dificuldades no regresso a GUARULHOS


4 DE JULHO DE 1997
Nesta sexta-feira estou preocupado com a solenidade do dia 9 de Julho. Os jornais publicam notícias sobre o evento. No JORNAL DA TARDE temos o artigo de ANTÔNIO PENTEADO MENDONÇA: 32, 65 ANOS DEPOIS. Esse artigo consta do caderno especial sobre o 9 de Julho, que acompanha este diário. Já o “ESTADÃO” diz qualquer coisa sobre a lei que coloca o 9 de Julho no calendário oficial dos feriados do Estado de São Paulo, mas não é uma boa reportagem.
Na Sociedade Veteranos de 32-MMDC, como já era de se esperar, temos uma tarde agitada. O veterano PAULINO DELFINO NOGUEIRA aceita assumir o Comando do Exército Constitucionalista no dia 9 de Julho, em substituição ao veterano SEVERINO DOS SANTOS. A TV CULTURA irá entrevistá-lo em sua residência, amanhã. O Senhor GERALDO PIRES DE OLIVEIRA ajuda no que pode, mas se encontra muito nervoso. CORONEL CANAVÓ ainda teima na vinda de dona JACIRA, trineta de TIRADENTES. Faz contatos telefônicos com parentes dessa pessoa. Telefona-me o Doutor LAURO ESCOBAR. Não aprovou o nome do Prefeito CELSO PITTA para receber a Medalha CONSTITUCIONALISTA. Também não assinou o diploma do Deputado Estadual GUILHERME GIANETTI porque falta o currículo. O VASCO, nosso funcionário, vai buscar os outros trinta diplomas. A questão da não aceitação de CELSO PITTA cria um problema para a Sociedade porque o prefeito já sabia que iria ser condecorado no dia 9 de Julho. Aviso a Chefia de Gabinete do Comandante Geral sobre essa situação. Chega nesta tarde o currículo do Deputado Estadual GUILHERME GIANETTI. Será entregue ao doutor ESCOBAR na segunda-feira, 7 de julho.
A Associação Comercial de SÃO PAULO realizará uma palestra em sua sede no dia 8 de julho, às 17 horas, sobre o 9 de Julho. O veterano SILVEIRA PEIXOTO será o palestrante. Deveremos lá comparecer. Nesse mesmo dia teremos uma solenidade na Câmara Municipal de GUARULHOS. A Prefeitura de JAHÚ mantém contato conosco. Fará entrega de duas Medalhas Constitucionalista naquela cidade, no 9 de Julho. É difícil deixar o MMDC hoje. Uma série de telefonemas ocupa todo o nosso tempo. Mesmo assim, deixo a Sociedade, em companhia do senhor GERALDO PIRES DE OLIVEIRA no horário das 16:20 horas.

Anotações em 5 de julho de 1997: levo ao conhecimento de GUILHERME LEVENSTEIN o veto do Presidente do Conselho de Honrarias e Mérito do Palácio do Governo ao nome do Prefeito CELSO PITTA para receber a Medalha CONSTITUCIONALISTA da Sociedade Veteranos de 32-MMDC. Foi ele que indicou o Deputado Estadual GILBERTO KASSAB para levar o ofício de outorga da Medalha a CELSO PITTA. Em princípio, a Comissão da Medalha não tinha citado o nome do prefeito na reunião em que foram propostos os nomes. Mais tarde, com a intervenção do senhor GERALDO FARIA MARCONDES e do GUILHERME é que colocamos na lista o nome do prefeito. Telefono ao GUILHERME neste sábado e ele fica de conversar com o senhor MARCONDES, que se encontra em ARAÇATUBA.

6 DE JULHO DE 1997
Senhor GERALDO FARIA MARCONDES encontrava-se em ARAÇATUBA. Retornou para sua casa de ITAPECERICA e mantém um contato telefônico comigo. Ainda não sabia do veto de LAURO RIBEIRO ESCOBAR à outorga da Medalha CONSTITUCIONALISTA ao Prefeito CELSO PITTA. Acha ele que a Sociedade não poderá ficar em má situação e quer entregar a medalha, à revelia do ESCOBAR, coisa que ele não poderá fazer, mas o presidente é muito teimoso. Não sei como essa história irá acabar. Na biblioteca,

Anotações em minhas memórias de 7 de julho de 1997: temos hoje uma reunião preparatória de todos os oficiais envolvidos com o evento de 9 de Julho, no Monumento-Mausoléu, às 10 horas, marcada pelo Coordenador Geral, CORONEL PM ISAIAS DE MELLO MASCARENHAS NETO, atual Diretor de Ensino e Instrução. Os coronéis OLDECIR FERNANDES DE OLIVEIRA E SILVA e JOSÉ FLÁVIO TURESSI são seus auxiliares. Estão fora do esquema os Coronéis GUIMARÃES e SUZANO (diretores no MMDC) por motivos que desconheço. Quando chego no IBIRAPUERA quase todos os oficiais já estão presentes Levo ao conhecimento dos coronéis MASCARENHAS, OLDECIR e TURESSI o impasse criado pelo Presidente do Conselho de Horárias e Mérito que, por razões justificadas não permitiu que o Prefeito CELSO PITTA recebesse a Medalha CONSTITUCIONALISTA. Os TENENTES-CORONÉIS PM VICENTE BENEDITO MARCELINO DA SILVA (R Pol Mon), JAIRO PAES DE LIRA (3º BPChq, SÍLVIO ROBERTO VILLAR DIAS, MAJOR PM BIAGIONI, MAJOR PM FLÁVIO ROSA, MAJOR PM MENDONÇA, CAPITÃO PM CAMILLI e mais cinqüenta oficiais escutam as palavras do CORONEL PM MASCARENHAS, dirimindo dúvidas quanto às missões de cada um. O CORONEL CANAVÓ e os veteranos SEVERINO DOS SANTOS, PAULINO e MARINS também ali se encontram. O CORONEL CANAVÓ fala sobre a possível presença da trineta de TIRADENTES e solicita algumas providências: Hotel de Trânsito, apoio dos escoteiros, Corpo Musical, etc. Deixamos o local quase ao meio-dia. Passo pelo MMDS onde os membros da Entidade contam-me que organizações das Polícias Civil e Militar fazem uma reunião com o Secretário da Segurança Pública JOSÉ AFONSO DA SILVA, reivindicando reajuste salarial.
No MMDC temos, como já era de esperar, uma intensa movimentação. Chegam as onze urnas contendo as cinzas dos veteranos. A Câmara Municipal de GUARULHOS manda buscar, para uma exposição, uma coletânea de jornais de 1932, cartazes daquela época, a música PARIS BELFORT e o livro ÁLBUM DE FAMÍLIA. Amanhã haverá uma Sessão Solene na Câmara em memória do 9 de Julho. O CORONEL CANAVÓ deverá fazer uma palestra na noite. Além disso, inúmeros telefonemas de pessoas envolvidas no 9 de Julho, inclusive jornais e emissoras de rádio e televisão. O PAULINO, veterano que se encontra no MMDC é entrevistado pelo DIÁRIO POPULAR.

Anotações feitas em 8 de julho de 1997: estamos em plena véspera da Solenidade de 9 de Julho. Isso exige de nós desdobramentos para que tudo saia a contento. Mantenho contatos telefônicos com o CORONEL PM GUIMARÃES, CORONEL PM VALDIR SUZANO, CORONEL PM TURESSI, TENENTE-CORONEL PM RÉGIS e MAJOR PM BIAGIONI e muitos outros oficiais que estão engajados nos preparativos para a Solenidade de amanhã. São cuidados referentes a Bandeiras, diplomas de outorga de medalhas, as próprias medalhas, nomes dos veteranos que terão parte ativa na festa. Desponta como figura principal o veterano PAULINO DELFINO NOGUEIRA que receberá o bastão de Comando do Exército Constitucionalista do veterano SEVERINO DOS SANTOS. Órgãos da imprensa falada e escrita querem entrevistar o PAULINO. Deverá ser solicitado amanhã na TV GAZETA no programa MULHERES, da YONE BORGES. O CORONEL CANAVÓ anuncia a vinda da trineta de TIRADENTES, DONA JACIRA BRAGA DE OLIVEIRA, 87 anos de idade, que chegará no aeroporto de CONGONHAS no vôo 115, da VASP, de BELO HORIZONTE. Ficará hospedada na casa de sua madrasta, em SANTANA. Quando chegar, às 18 horas, será encaminhada à Câmara Municipal de GUARULHOS, onde haverá sessão solene, com início às 19 horas. Os veteranos de 32 serão homenageados naquela Casa Legislativa. Não poderei comparecer nessa solenidade porque irei logo mais à Associação Comercial de SÃO PAULO, na Rua BOA VISTA, onde o veterano SILVEIRA PEIXOTO fará uma palestra sobre a Revolução de 32. Os despojos de onze veteranos estão na sede da Sociedade. São conduzidos num carro dos bombeiros, acompanhado por batedores da PM, até o Regimento de Polícia Montada “9 de Julho”, com acompanhamento de familiares. Atendemos uma série de telefonemas de pessoas que querem notícias sobre o evento. Com isso, deixamos o MMDC quase às 17 horas.
Na Associação Comercial de São Paulo o veterano SILVEIRA PEIXOTO faz brilhante palestra sobre o que foi o Movimento Constitucionalista de 1932. Dr JOÃO SCATIMBURGO, o poeta PAULO BOMFIM, o escritor HERNÂNI DONATO fazem parte da mesa dos trabalhos. Momentos como esse são raros de acontecer. Fazemos uma viagem até os idos de 1930 ouvindo as palavras de SILVEIRA PEIXOTO. Ele foi testemunha viva dos prólogos da revolução, participou da noite de 23 de maio e conta tudo com riqueza de detalhes como se estivesse vivendo aqueles momentos. A solenidade termina às 18:40 horas. Pego o metrô e, no ônibus COCAIA, retorno a GUARULHOS. Minha idéia era comparecer na CÂMARA MUNICIPAL da cidade onde moro. Acontece que já é tarde para participar desse evento.

11 DE JULHO DE 1997
No MMDC encontramos o CORONEL CANAVÓ eufórico pelo sucesso da Solenidade do 9 de Julho. O único senão é que faz uso disso para os seus fins junto ao Movimento Nativista da FAMIL, coisa que não coaduna com as nossas idéias da Sociedade Veteranos de 32-MMDC. Como presidente, usa a Sociedade em proveito próprio. Critica ele os atos do Deputado Estadual GUILHERME GIANETTI que quis se aproveitar da festa para alardear-se como autor da lei do Feriado do 9 de Julho. Outro “arroz-de-festa” é o Professor GABRIEL. Na reunião de 11 de junho disse estar fora da Sociedade e no 9 de Julho foi o primeiro a aparecer, inclusive indo cumprimentar o Governador MÁRIO COVAS. Essas pessoas fazem papéis ridículos junto ao povo.
O CORONEL CANAVÓ marca uma reunião da Diretoria Executiva para fazer um balanço do 1º ano de sua gestão. Pensamos também num relatório ao Coordenador Geral do evento “9 de Julho”, CORONEL PM MASCARENHAS, sobre o desenrolar do Plano da Solenidade. Senhor GERALDO PIRES DE OLIVEIRA não veio trabalhar hoje. O veterano PAULINO DELFINO NOGUEIRA traz um jornal da zona sul, com uma ampla reportagem sobre a sua assunção como Comandante do Exército Constitucionalista.  

Anotações feitas em 8 de julho de 1997: estamos em plena véspera da Solenidade de 9 de Julho. Isso exige de nós desdobramentos para que tudo saia a contento. Mantenho contatos telefônicos com o CORONEL PM GUIMARÃES, CORONEL PM VALDIR SUZANO, CORONEL PM TURESSI, TENENTE-CORONEL PM RÉGIS e MAJOR PM BIAGIONI e muitos outros oficiais que estão engajados nos preparativos para a Solenidade de amanhã. São cuidados referentes a Bandeiras, diplomas de outorga de medalhas, as próprias medalhas, nomes dos veteranos que terão parte ativa na festa. Desponta como figura principal o veterano PAULINO DELFINO NOGUEIRA que receberá o bastão de Comando do Exército Constitucionalista do veterano SEVERINO DOS SANTOS. Órgãos da imprensa falada e escrita querem entrevistar o PAULINO. Deverá ser solicitado amanhã na TV GAZETA no programa MULHERES, da YONE BORGES. O CORONEL CANAVÓ anuncia a vinda da trineta de TIRADENTES, DONA JACIRA BRAGA DE OLIVEIRA, 87 anos de idade, que chegará no aeroporto de CONGONHAS no vôo 115, da VASP, de BELO HORIZONTE. Ficará hospedada na casa de sua madrasta, em SANTANA. Quando chegar, às 18 horas, será encaminhada à Câmara Municipal de GUARULHOS, onde haverá sessão solene, com início às 19 horas. Os veteranos de 32 serão homenageados naquela Casa Legislativa. Não poderei comparecer nessa solenidade porque irei logo mais à Associação Comercial de SÃO PAULO, na Rua BOA VISTA, onde o veterano SILVEIRA PEIXOTO fará uma palestra sobre a Revolução de 32. Os despojos de onze veteranos estão na sede da Sociedade. São conduzidos num carro dos bombeiros, acompanhado por batedores da PM, até o Regimento de Polícia Montada “9 de Julho”, com acompanhamento de familiares. Atendemos uma série de telefonemas de pessoas que querem notícias sobre o evento. Com isso, deixamos o MMDC quase às 17 horas.
Na Associação Comercial de São Paulo o veterano SILVEIRA PEIXOTO faz brilhante palestra sobre o que foi o Movimento Constitucionalista de 1932. Dr JOÃO SCATIMBURGO, o poeta PAULO BOMFIM, o escritor HERNÂNI DONATO fazem parte da mesa dos trabalhos. Momentos como esse são raros de acontecer. Fazemos uma viagem até os idos de 1930 ouvindo as palavras de SILVEIRA PEIXOTO. Ele foi testemunha viva dos prólogos da revolução, participou da noite de 23 de maio e conta tudo com riqueza de detalhes como se estivesse vivendo aqueles momentos. A solenidade termina às 18:40 horas.

18 a. da entrevista na TV GAZETA, sobre o MMDC, no programa  “MULHERES”, da YONE BORGES, no dia 9 de julho de 1997.   
18 a. da solenidade de entrega do COMANDO DO EXÉRCITO CONSTITUCIONALISTA pelo veterano SEVERINO DOS SANTOS para o veterano PAULINO DELFINO NOGUEIRA (falecido em 7 de junho de 2003). Esse ato aconteceu em 9 de julho de 1997. Outras anotações nesta data: na madrugada, por causa da queda de um cabo da rede elétrica, passageiros depredaram a Estação PIRITUBA, da Companhia Paulista de Trens Metropolitanos. Saio de casa às 6 horas, indo de carro para o IBIRAPUERA. Assim, defronte o Monumento Mausoléu começo a enfrentar os primeiros problemas que antecedem a Solenidade do 65º Aniversário do Movimento Constitucionalista de 32: puseram cola no cadeado que prende a corrente que impede o acesso ao estacionamento 2 onde ficarão os carros das autoridades. Temos que mandar quebrar a corrente. Depois, a carretilha superior do mastro onde será hasteada a bandeira nacional está presa. Somos obrigados a chamar os bombeiros para consertar isso. O MAJOR PM MENDONÇA, encarregado do hasteamento das bandeiras está bastante preocupado. Observamos que o IBIRAPUERA recebe um público superior, três vezes mais, do que o ano passado. Por ser feriado nacional, a multidão comparece para assistir a festa. Vamos encontrando os conhecidos, as equipes de reportagem, parentes dos veteranos, pessoas que serão agraciadas com as Medalhas da Sociedade Veteranos de 32, enfim, os minutos passam rapidamente. O CORONEL ARY CANAVÓ consegue trazer dona JACYRA BRAGA DE OLIVEIRA, trineta de TIRADENTES. Mantenho contato com os Coronéis MASCARENHAS (coordenador geral do evento), TURESSI, OLDECIR, GUIMARÃES, SUZANO, LUÍS LUCAS, VITÓRIA, LEMES, ANTÔNIO CHIARI, PAULO CÉZAR NEVES, LELCES, HYPÓLITO, ZIMERMANN, WANDERLEY SILVA, SERAU, CARLOS ALBERTO DE CAMARGO, além de tenentes-coronéis, majores, capitães e tenentes presentes. Destaco aqui o empenho do CABO PM RICARDO, quanto aos problemas do Monumento Mausoléu e da CAPITÃO PM SUZUKI na organização da apresentação dos veteranos para a passagem do Comando do Exército Constitucionalista, que inicia a solenidade, após o hasteamento das bandeiras. A festa, este ano, atraiu um público maior, cerca de 6 mil pessoas, segundo estimativa da Guarda Civil Metropolitana. ADOLFO CILENTO NETO se expressou da seguinte maneira: “As pessoas estão mais interessadas em uma parte importante da história.”
Recebem a Medalha CONSTITUCIONALISTA: GENERAL-DE-EXÉRCITO JOUBERT DE OLIVEIRA BRÍZIDA, Comandante do Exército Sudeste; GENERAL-DE-DIVISÃO NELSON BORGES MOLINARI, Comandante da 2ª Divisão de Exército; TENENTE-BRIGADEIRO-DO-AR CLÓVIS PAVAN. GENERAL-DE-BRIGADA RUBENS RESSTELL; CORONEL ERASMO DIAS, deputado estadual; GILBERTO KASSAB, Secretário do Planejamento da Prefeitura; WALTER FELDMAN, Chefe da Casa Civil do Governador; GUILHERME GIANETTI (autor da lei que transformou o 9 de Julho em feriado oficial do Estado), Deputado Estadual; GUILHERME DE OLIVEIRA FIGUEIREDO (homenagem póstuma).
MEDALHA MMDC: GENERAL-DE-DIVISÃO ARBY ILGO RECH, Comandante da 2ª Região Militar; CORONEL ELIASAR DE OLIVEIRA ALMEIDA, Chefe da 5ª Seção do Estado Maior do Comando Sudeste; CAPITÃO-DE-CORVETA RAFAEL LOPES DE MATOS, Comandante da Capitania dos Portos do Estado do RIO GRANDE DO SUL; CORONEL P Fem VITÓRIA BRASÍLIA DE SOUZA LIMA, Comandante da Polícia Feminina; CORONEL PM LUIS LUCAS; CORONEL PM GERALDO DE MENEZES GOMES, Presidente do Clube dos Oficiais da PMESP; Professor LUIZ GONZAGA DE FREITAS, vice-reitor do Colégio SÃO BENTO; AURORA ALVAREZ MACORIM CHADDAD, veterana do Movimento Constitucionalista; JOSÉ PAULO VIRGÍNIO, filho do veterano PAULO VIRGÍNIO; VALDEMAR BITTENCOURT DE CARVALHO, veterano do Movimento Constitucionalista; Professor Padre ANTÔNIO SÉRGIO PALOMBO DE MAGALHÃES, Presidente da Cruz Vermelha de MINAS GERAIS.
MEDALHA GOVERNADOR PEDRO DE TOLEDO: TENENTE PM ALEKSANDER TOALDO LACERDA, oficial do 1º BPChoque “TOBIAS DE AGUIAR”; Senhora YONE QUARTIM, Escritora do livro “MACKENZIE NA REVOLUÇÃO DE 32”; Doutora MARIA AUGUSTA TIBIRIÇÁ MIRANDA, escritora do livro “ALICE TIBIRIÇÁ: LUTAS E IDEAIS; Senhora ODETTE COPPOS, escritora “A REVOLUÇÃO CONSTITUCIONALISTA DE 32”; MIGUEL REALE; MARIA ISABEL BARROSO DE ALMEIDA (neta de GUILHERME DE ALMEIDA), SAURO JOSE BARTOLOMEI, Chefe do Grupo Escoteiro “9 de Julho”; CLEBER GILBERTO DE ARAÚJO JUNIOR, Presidente do CLUBE PIRATININGA; Doutor ANTÔNIO PENTEADO MENDONÇA, articulista do JORNAL DA TARDE; MAJOR PM ANTÔNIO CARLOS BIAGIONI, da Seção de Comunicação Social da PMESP.    

11 DE JULHO DE 1997
Escrevo uma carta para o JORNAL DA TARDE, agradecendo as palavras de uma leitora, dona MARIA IGNÊS L. CHECCHIA, sobre o Movimento Constitucionalista de 32.
No MMDC encontramos o CORONEL CANAVÓ eufórico pelo sucesso da Solenidade do 9 de Julho. O único senão é que faz uso disso para os seus fins junto ao Movimento Nativista da FAMIL, coisa que não coaduna com as nossas idéias da Sociedade Veteranos de 32-MMDC. Como presidente, usa a Sociedade em proveito próprio. Critica ele os atos do Deputado Estadual GUILHERME GIANETTI que quis se aproveitar da festa para alardear-se como autor da lei do Feriado do 9 de Julho. Outro “arroz-de-festa” é o Professor GABRIEL. Na reunião de 11 de junho disse estar fora da Sociedade e no 9 de Julho foi o primeiro a aparecer, inclusive indo cumprimentar o Governador MÁRIO COVAS. Essas pessoas fazem papéis ridículos junto ao povo.
O CORONEL CANAVÓ marca uma reunião da Diretoria Executiva para fazer um balanço do 1º ano de sua gestão. Pensamos também num relatório ao Coordenador Geral do evento “9 de Julho”, CORONEL PM MASCARENHAS, sobre o desenrolar do Plano da Solenidade. Senhor GERALDO PIRES DE OLIVEIRA não veio trabalhar hoje. O veterano PAULINO DELFINO NOGUEIRA traz um jornal da zona sul, com uma ampla reportagem sobre a sua assunção como Comandante do Exército Constitucionalista.  

14 DE JULHO DE 1997
Aproveito esse bom tempo para exercer a função de secretário no MMDC na condecoração do estandarte do 3º BPMM, na festa de aniversário da Unidade. Encontro-me com o CORONEL ARY CANAVÓ no pátio do 1º BPChq. Deixo ali o meu carro e aguardamos a chegada do TENENTE PM HÉLIO TENÓRIO DOS SANTOS, da SJD do 3º BPMM, que vem nos buscar com seu carro. Passamos pela casa do veterano PAULINO DELFINO NOGUEIRA, a fim de levá-lo à solenidade na qualidade de Comandante do Exército Constitucionalista. Chegamos bem cedo no 3º BPMM. Conheço esse batalhão desde 1989. Com o CORONEL PM UBIRAJARA PISANI, então Comandante do Policiamento Metropolitano, estivemos presentes numa solenidade. O TENENTE-CORONEL PM SOUZA, na época, era o Comandante. O 1º Comandante dessa OPM, oriunda da extinta Guarda-Civil, foi o CORONEL PM CASTILHO. Sucedeu-o o TENENTE-CORONEL PM WÁLTER CAVALCANTE DE BARROS. O atual Cmt, o TENENTE-CORONEL PM JOÃO BATISTA, cumprimenta-nos. Ali encontro o CAPITÃO PM RIVALDO. Ele trabalhou comigo na área centro nos anos 1980. Os oficiais vêm conversar conosco, bom como os convidados para essa solenidade: CORONEL PM JUIZ ANTÔNIO AUGUSTO NEVES, DEPUTADO FEDERAL ARNALDO FARIA DE SÁ, o príncipe GASTÃO DE ÓRLEANS E BRAGANÇA. O TENENTE-CORONEL PM NÓBREGA (atualmente é o Comandante Interino do CPA/M-2, a quem está subordinado o 3º BPMM), TENENTE-CORONEL PM VILLAR e muitos outros oficiais. Por uma especial deferência das autoridades presentes, o CORONEL ARY CANAVÓ preside a solenidade. Condecora o estandarte do batalhão e faz uso da palavra. Para a solenidade a importância do 14 de julho relembra a Queda da Bastilha e a partida dos primeiros batalhões para a frente de batalha na Revolução Constitucionalista de 1932. Depois do desfile da tropa, temos a inauguração de um painel que representa a atuação do batalhão na área sul, pintado por um cabo. Participamos do coquetel e uma viatura leva-nos até o metrô ANA ROSA.
No MMDC, temos uma intensa atividade junto a pessoas que estão procurando a Sociedade após o 9 de Julho. O Senhor GERALDO PIRES DE OLIVEIRA não está bem de saúde. Anda muito nervoso ultimamente. Às 16 horas, acompanho-o até o Metrô.

(Extraído das memórias do CORONEL PM MARIO FONSECA VENTURA)
Em 15 de julho de 1997, no MMDC, recebemos a visita da firma que irá começar a reforma no teto e piso, arruinados pelo rombo que um pedaço do reboco, caído do Prédio REGINA em janeiro de 1997, provocou, com a infiltração de água da chuva. Muita coisa do arquivo, principalmente papéis, se perdeu. Quadros que estavam na parede foram danificados pela água também e não há como restaurar, mesmo porque não há dinheiro para isso.    
O CORONEL PM Res JOAQUIM DE OLIVEIRA JÚNIOR, nosso companheiro de bancos escolares da Academia, visita-nos nesta tarde. Acompanha a viúva de um veterano que quer explicações quanto à Pensão Especial deixada pelo marido. O OLIVEIRA JÚNIOR lembra a minha posse no CPA/I-8, em SÃO JOSÉ DO RIO PRETO (atualmente CPI/5), em 1º de fevereiro de 1991, presidida por ele, então Comandante do Policiamento do Interior.

16 DE JULHO DE 1997
No MMDC, alguns veteranos se reúnem: SILVEIRA PEIXOTO, PAULINO DELFINO NOGUEIRA, JOSÉ SOARES MARINS e GERALDO PIRES DE OLIVEIRA. SILVEIRA PEIXOTO, de 88 anos, relembrou com detalhes e minúcias de sua participação no Movimento Constitucionalista de 32. O CORONEL ARY CANAVÓ também recebe a visita do Senhor FREITAS VALLE. Mandamos para o DIÁRIO POPULAR um convite para a missa do 65º aniversário dos falecimentos do GENERAL JÚLIO MARCONDES SALGADO e MAJOR MARCELINO FONSECA, do centenário do nascimento do engenheiro ADRIANO MARCHINI e dos falecimentos recentes do jornalista ARRUDA PENTEADO e escritor GUILHERME FIGUEIREDO.
GERALDO PIRES DE OLIVEIRA não está bem de saúde. Sai mais cedo. Tem problemas com uma hérnia há anos e a sua idade prejudica ainda mais essa situação.

17 DE JULHO DE 1997
No MMDC, o CORONEL ARY CANAVÓ está impossível com o episódio de ALAGOAS. Conversa com seus companheiros do Movimento Nativista e “esquece” de sua função de presidente, desviando suas idéias para essa loucura que o acompanha, parecendo mais uma doença. O senhor GERALDO PIRES DE OLIVEIRA não veio hoje e dona MARIA descobre mais desvio de dinheiro por parte da MARIA DO SOCORRO, afastada desde que nasceu seu filho. Ela percebeu a fragilidade da Sociedade, depois da morte do senhor BELEGARDE, em 1993, e começou a desviar os pagamentos dos sócios. Encaminho, via fax, ao CORONEL PM MASCARENHAS o relatório da Sociedade sobre o MMDC. Deixo a Sociedade bastante contrariado com as atitudes do CORONEL CANAVÓ e a gravidade do furto de dinheiro cometido pela funcionária.

18 DE JULHO DE 1997
Na Sociedade Veteranos de 32-MMDC começa a tão aguardada reforma do segundo andar, patrocinada pelo EDIFÍCIO REGINA. Há muita sujeira no local. Hoje também noto os trabalhos para construção de uma passarela unindo a Secretaria da Fazenda a um parque que existe nos fundos. Esse parque está interditado desde a semana passada.
Com o “efeito dominó” das polícias do BRASIL, o CORONEL ARY CANAVÓ redige mais um de seus estapafúrdios artigos, atacando o presidente FERNANDO HENRIQUE CARDOSO. Vai ele comprometendo o MMDC na sua aventura romântica em busca do sentimento nacional. Não se pode aquilatar a sua verdadeira intenção porque não há fundamento legal no que propõe.  O veterano PAULINO ainda está eufórico com o seu cargo de Comandante do Exército Constitucionalista. Traz um exemplar da Revista JÁ, publicada pelo DIÁRIO POPULAR, no último domingo, dia 13. GERALDO PIRES DE OLIVEIRA e dona MARIA não comparecem no MMDC nesta sexta-feira. Devem estar contrariados com as atitudes do CORONEL CANAVÓ. O MARCONI trabalha, desde ontem, na biblioteca, para onde desceu o computador. Encontro abandonada, num quartinho de despejos, uma velha encadernação de jornais da época de 32. Causa lástima verificar isso. Vários quadros e retratos estão na mesma situação.

21 DE JULHO DE 1997
Vou ver as obras no MMDC. Estão terminando o conserto do teto. Em seguida, passarão a consertar o piso. Isso é algo muito bom porque o aspecto do salão de reuniões do MMDC era sofrível. Pena que o estrago dos papéis históricos não possa ser revertido.
Na Sociedade Veteranos de 32-MMDC não contamos com GERALDO PIRES DE OLIVEIRA, adoentado; dona MARIA, que está socorrendo sua filha, transplantada de um rim que às vezes assusta com problemas de saúde; CORONEL ARY CANAVÓ que se encontra no RIO DE JANEIRO. Procuro acertar detalhes para a missa de 23 de julho no Monumento Mausoléu. Entro em contato com o TENENTE-CORONEL PM Capelão JOÃO BENEDITO VILLANO; com o MAJOR PM FLÁVIO ROSA, da DAMCO; com o CORONEL PM Res AMÉRICO, casado com a neta do GENERAL JÚLIO MARCONDES SALGADO; com o engenheiro FRONTERRADA; com familiares do jornalista ARRUDA PENTEADO. Lanço os nomes dos agraciados com as Medalhas CONSTITUCIONALISTA, MMDC e GOVERNADOR PEDRO DE TOLEDO nos respectivos livros.
Com o tempo ruim, pego o carro no Corpo de Bombeiros e regresso para casa. Começo hoje a restauração de um álbum de jornais de 1932, muito maltratado, que encontrei na semana passada num quartinho cheio de tranqueiras da Sociedade. Dará muito trabalho cuidar desses jornais. 

22 DE JULHO DE 1997
No MMDC, acerto os últimos detalhes para a missa de amanhã no Monumento Mausoléu. GERALDO PIRES DE OLIVEIRA ainda se encontra adoentado e está em convalescença em sua residência. Nossa funcionária, dona MARIA, retorna ao serviço. Ela ajudou sua filha, com um rim transplantado, que às vezes assusta com seus problemas de saúde. O CORONEL CANAVÓ fez uma viagem ao RIO e telefona dizendo que já se encontra em SÃO PAULO. Passará mais tarde pela Sociedade.

29 DE JULHO DE 1997
No MMDC encontro um repórter de O ESTADO entrevistando os veteranos SILVEIRA PEIXOTO e PAULINO DELFINO NOGUEIRA. O CORONEL ARY CANAVÓ é infeliz ao falar sobre soberania nacional para o repórter. Sua finalidade era saber alguma coisa sobre a Sociedade Veteranos de 32-MMDC. O rapaz fica assustado com as bobagens ditas pelo CORONEL CANAVÓ.
Nosso presidente esteve ontem em QUELUZ. A Prefeitura fará uma solenidade sobre o Movimento Constitucionalista no próximo 6 de agosto.
Mando um fax para o TENENTE-CORONEL PM FRANCISCO ANTÔNIO BASÍLIO, Comandante Interino do CPAI-5 – ARAÇATUBA – interessado na participação dos índios da reserva ICATU na Revolução de 32.
O piso do prédio da Sociedade Veteranos de 32-MMDC, no segundo andar, está novo. Falta ainda passar uma mão de cascolaque. O aspecto da sala de reuniões é completamente outro.

23 DE JULHO DE 1997
Vou cedo para o IBIRAPUERA. Chego pouco depois das 9 horas no Monumento Mausoléu e ali vou encontrando os convidados para a missa que será realizada na cripta “in memoriam” do 65º aniversário de falecimento do GENERAL JÚLIO MARCONDES SALGADO, vítima da explosão de um morteiro, quando um dos estilhaços seccionou-lhe a carótida. Ele era o Comandante Geral da FORÇA PÚBLICA. Pereceu também o seu ajudante-de-ordens CAPITÃO MARCELINO FONSECA. O Governador PEDRO DE TOLEDO promoveu SALGADO a general e MARCELINO a major. Também lembraremos o centenário de nascimento do engenheiro ADRIANO MARCHINI, veterano de 32. Além deles, citaremos os nomes do escritor GUILHERME FIGUEIREDO e do jornalista ARRUDA CAMARGO, falecidos recentemente. O CORONEL PM AMÉRICO e sua esposa e outros familiares do GENERAL SALGADO logo chegam. Recepcionamos os parentes e conhecidos do engenheiro ADRIANO MARCHINI que comparecem em número além do esperado. Chegam os familiares de ARRUDA CAMARGO e oficiais escalados para a cerimônia religiosa.
Da Sociedade Veteranos de 32-MMDC: CORONEL ARY CANAVÓ, veteranos SILVEIRA PEIXOTO, PAULINO, MARINS e ATILIANO.
Converso com o TENENTE-CORONEL PM Capelão JOÃO BENEDITO VELLANO sobre o ato e combinamos que, no final da missa, um dos familiares de cada homenageado fará uso da palavra.
Não comparece o Comandante Geral e nem manda um coronel para representá-lo. A esposa do CORONEL PM AMÉRICO, neta do GENERAL SALGADO, expressa a sua mágoa pelo pouco caso dado ao nome de seu avô. Realmente não sei porque os coronéis não compareceram. Permaneço durante um bom tempo no Monumento Mausoléu e, deixando o IBIRAPUERA, conduzo o conselheiro FELIPE até a estação ANA ROSA, do Metrô. Nesta tarde, no MMDC pouca coisa faço. O senhor GERALDO PIRES DE OLIVEIRA retorna aos trabalhos depois de ficar doente durante alguns dias. Hoje começa o conserto dos tacos soltos no segundo andar. Melhora bem o aspecto da nossa sala de reuniões.

24 DE JULHO DE 1997
No MMDC chega um pedido do Comandante do CPAI-5 sobre a participação dos índios ICATU na Revolução de 32. Com GERALDO PIRES DE OLIVEIRA vamos folhear os jornais de 1932 e encontramos a notícia sobre esse acontecimento no jornal FOLHA DA MANHÃ de 23 de julho de 1932. Telefono ao TENENTE-CORONEL PM BASÍLIO, Comandante Interino do CAPI-5 – ARAÇATUBA – comunicando-lhe o achado.
CORONEL ARY CANAVÓ dispensa os funcionários no dia de amanhã e está vibrando com o Movimento organizado pela CUT e PT. Quer ele ver “o circo pegar fogo”. É uma pena que uma pessoa com idéias arrevezadas fique na presidência de uma sociedade, afastando muita gente da mesma, como está acontecendo com os oficiais da Polícia Militar. Compromete mesmo a própria existência do MMDC.

28 DE JULHO DE 1997
No MMDC é impossível lá permanecer porque estão raspando os tacos do segundo andar a fim de se passar cascolaque. O senhor GERALDO PIRES DE OLIVEIRA também logo se retira. O CORONEL CANAVÓ deve estar visitando QUELUZ nesta segunda-feira. Com o veterano PAULINO DELFINO NOGUEIRA vou a uma papelaria na BARÃO DE PARANAPIACABA, a fim de conhecer seu filho, proprietário do estabelecimento. Por volta das 15:30 horas passo pelo DECOM. Converso com o delegado CICONI. Quer ele cópia da intimação entregue ao ROBERTO. Relembro que trabalhei nesse prédio, antigo DEOPS, em 1970. Também revejo a OPERAÇÃO OSÓRIO, com FRANCISCO e CIDO à testa.
Conta-se que o ex-Comandante Geral da PM do Estado do ESPÍRITO SANTO, CARLOS MAGNO DA PAZ PEREIRA, foi preso em flagrante com oito quilos de maconha, durante “blitz” da Polícia na estrada que liga a REGIÃO DOS LAGOS ao RIO DE JANEIRO. Foi ele autuado por porte de entorpecente e corrupção ativa, pois teria tentado subornar os PMs para evitar a prisão.
Hoje à tarde, quando saí do MMDC e passei pelo BANESPA, conversei com o CORONEL PM CAVALCANTE DE BARROS. Falamos sobre o estado de saúde do TENENTE-CORONEL PM LÍSIAS, baleado ao reagir a um assalto na última sexta-feira, dia 25 de julho.   

29 DE JULHO DE 1997
No MMDC encontro um repórter de O ESTADO entrevistando os veteranos SILVEIRA PEIXOTO e PAULINO DELFINO NOGUEIRA. O CORONEL ARY CANAVÓ é infeliz ao falar sobre soberania nacional para o repórter. Sua finalidade era saber alguma coisa sobre a Sociedade Veteranos de 32-MMDC. O rapaz fica assustado com as bobagens ditas pelo CORONEL CANAVÓ.
Nosso presidente esteve ontem em QUELUZ. A Prefeitura fará uma solenidade sobre o Movimento Constitucionalista no próximo 6 de agosto.
Mando um fax para o TENENTE-CORONEL PM FRANCISCO ANTÔNIO BASÍLIO, Comandante Interino do CPAI-5 – ARAÇATUBA – interessado na participação dos índios da reserva ICATU na Revolução de 32.
O piso do prédio da Sociedade Veteranos de 32-MMDC, no segundo andar, está novo. Falta ainda passar uma mão de cascolaque. O aspecto da sala de reuniões é completamente outro.

30 DE JULHO DE 1997
No MMDC é impossível trabalhar com o cheiro da cola que está sendo empregada para a aderência do novo carpete nas escadas. Trabalhamos na biblioteca. O CORONEL CANAVÓ e o veterano GERALDO PIRES DE OLIVEIRA não comparecem à Sociedade. Uma conta de luz no valor de oitocentos reais estraga com as finanças do MMDC neste final de mês, Para pagamento dos funcionários precisaremos retirar mil reais da poupança. O senhor GERALDO PIRES DE OLIVEIRA, de 84 anos, que durante muitos anos lutou pelo MMDC, está afastado da Sociedade. Desgostoso com a presidência do CORONEL CANAVÓ, que hoje completa um ano no cargo, desinteressou-se pelos problemas da Sociedade. Saio antes das 16 horas.

31 DE JULHO DE 1997
No MMDC o CORONEL ARY CANAVÓ marcou uma reunião de Diretoria Executiva para fazer o balanço de seu primeiro aniversário como Presidente da Sociedade Veteranos de 32-MMDC. A partir das 15 horas chegam SILVEIRA PEIXOTO, vice-presidente; CORONEL PM RENALDO, 1º tesoureiro; CORONEL PM GUIMARÃES, Secretário das Medalhas; CAPITÃO LUIZ EDUARDO PESCE DE ARRUDA, Diretor de Comunicação Social. O Diretor do Monumento Mausoléu, CORONEL PM WANDERLEY SILVA, atual Comandante da APMBB, está no PARÁ. Representando o CORONEL PM WANDERLEY, comparece o MAJOR PM BARRETO. Também está presente o veterano PAULINO DELFINO NOGUEIRA, atual Comandante do Exército Constitucionalista, para ser fotografado por um enviado de O ESTADO. Esta reunião apresenta um balanço do 9 de Julho e o CORONEL CANAVÓ fala sobre a Solenidade que irá acontecer em QUELUZ, no dia 6 de agosto de 1997. O CORONEL PM RENALDO coloca seu carro à disposição para levar o Presidente e alguns veteranos que queiram comparecer neste evento.  O CAPITÃO PM ARRUDA quer levar uma delegação de cadetes à QUELUZ. Um ofício é encaminhado ao Comandante Geral pedindo essa representação de alunos-oficiais, além da participação do policiamento da área e cobertura de vídeo e foto. O único ponto polêmico da reunião é a conversa desagradável do CORONEL CANAVÓ sobre seus ataques ao presidente FERNANDO HENRIQUE CARDOSO. Isso deixa constrangido alguns dos diretores, principalmente os da Polícia Militar.
1º DE AGOSTO DE 1997
No MMDC, agora com a reforma já pronta, o CORONEL CANAVÓ preocupa-se com a solenidade de QUELUZ, marcada para 6 de agosto. Dada a conotação política que ele dá ao fato, fugindo do verdadeiro espírito da Sociedade Veteranos de 32-MMDC, não tenho vontade alguma de ir nesse lugar. O escopo principal do CORONEL CANAVÓ é projetar seu sentimento nativista. Agora diz que o presidente FHC irá se arrebentar por causa da oscilação do câmbio.
Com GERALDO PIRES DE OLIVEIRA comentando esses fatos, deixo o MMDC às 16 horas. Hoje elaboramos uma carta para a eliminação de REGINA CELENTANO como conselheira da Sociedade, incursa no artigo 45 dos Estatutos. Ela respondeu à Sindicância Administrativa há anos passados e foi julgada culpada.
Já em casa, recebo um telefonema do senhor GERALDO FARIA MARCONDES. Esteve ele empenhado numa reunião com médicos de BOSTON nesses últimos dias. Conversamos a respeito da Sociedade e ele quer retornar como Presidente em 1998, em eleições que deverão acontecer em abril.

6 DE AGOSTO DE 1997
Na Sociedade Veteranos de 32-MMDC tenho problemas com dona REGINA CELENTANO. Demitida da condição de conselheira em 1º de agosto, ela se revolta contra a atitude do presidente e quer fazer valer seus pretensos direitos. Como está incursa no artigo 45 dos Estatutos, cuja demissão do Conselheiro é sumária e automática, não sei como irá se defender. O CORONEL CANAVÓ está hoje em QUELUZ. Dona REGINA diz que irá agora à casa do veterano SILVEIRA PEIXOTO. Converso, por telefone com o senhor MARCONDES sobre esse assunto.

7 DE AGOSTO DE 1997
O CORONEL ARY CANAVÓ conversa comigo sobre a sua participação na solenidade de ontem em QUELUZ, quando foi relembrado o Movimento Constitucionalista de 1932. Ele levou o veterano PAULINO DELFINO NOGUEIRA para esse evento. Eis que surge REGINA, mulher que não tem o “desconfiômetro”. Quer a todo custo continuar como conselheira da Sociedade. Recebe a pena de Advertência, de acordo com o artigo 18 do Estatuto, pelo seu comportamento nesta tarde. O senhor GERALDO PIRES DE OLIVEIRA quer a sua exclusão como associada. Dona MARIA tem aversão por dona REGINA e também quer o seu afastamento definitivo da Sociedade.
O veterano SEVERINO DOS SANTOS chega quando já estou de saída, juntamente com GERALDO PIRES DE OLIVEIRA.
Em casa, recebo um telefonema do CORONEL PM RENALDO. Conta ele que houve um desencontro provocado pela troca de motorista. Prometera ceder um carro para levar o CORONEL CANAVÓ até QUELUZ e isso não aconteceu. O CORONEL CANAVÓ nada me falou a respeito disso. Converso com o RENALDO sobre o futuro do MMDC. É minha intenção lançar o nome de um coronel da ativa para a presidência da Sociedade. Ele levará a idéia para outros coronéis ligados ao MMDC.

8 DE AGOSTO DE 1997
O CORONEL PM EDILBERTO DE OLIVEIRA MELO conta que dona REGINA CELENTANO já espalhou a notícia de que foi demitida do cargo de conselheira do MMDC e aponta o senhor GERALDO FARIA MARCONDES como culpado.
No MMDC o CORONEL CANAVÓ proíbe dona REGINA de se dirigir à sua sala. Ele continua com a sua mania de combater FERNANDO HENRIQUE CARDOSO e trabalha num novo artigo. Suas idéias são lançadas no jornal tendencioso TRIBUNA DA IMPRENSA.

11 DE AGOSTO DE 1997
No MMDC não contamos hoje com a presença do CORONEL CANAVÓ. O veterano SILVEIRA PEIXOTO visita-nos para dizer que dona REGINA foi lhe procurar, com a problemática de sua demissão do cargo de conselheira da Sociedade. Quer ela retornar de qualquer jeito a essa posição para continuar a fazer seu tráfego de influência. Os processos que ela respondeu são mostrados ao SILVEIRA PEIXOTO. O senhor GERALDO PIRES DE OLIVEIRA e dona MARIA também falam sobre a conduta irregular de dona REGINA, inclusive furtando canetas e livros do MMDC. Conta SILVEIRA PEIXOTO que a mulher também foi amolar o ministro GUÁLTER GODINHO e a delegada ROSSMEIRE. O Senhor GERALDO FARIA MARCONDES mantém contato telefônico conosco. Quer ele um veterano para fazer uma palestra no dia 25 de agosto.

12 DE AGOSTO DE 1997
No MMDC, o CORONEL CANAVÓ diz que furtaram todas as armas de sua coleção, que estavam em seu sítio em COTIA. É um número razoável de revólveres e outros tipos de armas, muitas delas de seu pai, o velho CORONEL JOSÉ CANAVÓ, da Força Pública. Mantenho um contato com o COPOM sobre esse assunto. Passo um fax para o COPOM do Boletim de Ocorrência da Delegacia de Polícia de COTIA. Nesta tarde estamos com a visita do veterano PAULINO DELFINO NOGUEIRA. Ele se preocupa com a possível participação dos veteranos no 7 de Setembro. O CORONEL CANAVÓ irá ao Comando Sudeste numa reunião para tratar do Desfile da Independência, reunião essa marcada para o dia 14 de agosto.
Vou ao MMDC. Recebo a visita do WILLIAM, da TELA EM TRANSE, que quer entrevistar veteranos em ITARARÉ. Pretende o grupo a que ele pertence fazer um filme sobre o Movimento Constitucionalista de 32. Chega o convite para a Solenidade de aniversário da CORREGEDORIA PM, em 14 de agosto, quando os CORONÉIS PM RODRIGUES, ALMEIDA e GÉRSON REZENDE receberão as medalhas do MMDC. Um repórter do DIÁRIO POPULAR quer entrevistar veteranos de 32 para a elaboração de uma matéria na revista JÁ.

14 DE AGOSTO DE 1997
O CORONEL CANAVÓ e o veterano PAULINO estão numa reunião no Quartel General do COMANDO SUDESTE. Trata-se do 7 de Setembro. Dona MARIA conta-me que o presidente marcou uma reunião para a tarde de amanhã com os veteranos SILVEIRA PEIXOTO e GUÁLTER GODINHO. Eles foram procurados com certa freqüência por dona REGINA CELENTANO, teimando em querer continuar como conselheira da Sociedade. Por volta de 15:30 horas deixo o MMDC. Fico sabendo que o veterano GERALDO PIRES DE OLIVEIRA está com problema de saúde e não tem vindo à Sociedade.

15 DE AGOSTO DE 1997
Temos hoje uma reunião dos veteranos GUÁLTER GODINHO e SILVEIRA PEIXOTO com o CORONEL CANAVÓ e comigo. Assunto: a demissão de REGINA CELENTANO como conselheira da Sociedade, em 1º de agosto. A mulher procurou insistentemente esses veteranos para pedir o retorno ao MMDC. O CORONEL CANAVÓ estava preocupado por causa de seu passado onde nos anos 1980 se envolveu com dona REGINA em assuntos amorosos. Agora, como presidente, tem a obrigação de cumprir o Estatuto da Sociedade. Os dois veteranos tomam conhecimento dos motivos que originaram o desligamento da mulher do quadro de conselheiros. Isso vai até quase 16 horas. O veterano GERALDO PIRES DE OLIVEIRA quase não tem vindo à Sociedade. Dona MARIA diz que ele enfrenta problemas com uma hérnia, impossibilitado de se locomover.

18 DE AGOSTO DE 1997
Não contamos hoje com o CORONEL CANAVÓ na Sociedade Veteranos de 32-MMDC. Também estamos sem o veterano GERALDO PIRES DE OLIVEIRA, sofrendo com a sua hérnia há questão de dias. Dona MARIA ajuda-me no que pode. O MMDC não vai bem por falta de funcionários e diretores.

19 DE AGOSTO DE 1997
No MMDC dona MARIA conta que GERALDO PIRES DE OLIVEIRA deverá ser operado da hérnia. Está impossibilitado de se locomover. CORONEL CANAVÓ redige o script para ser lido no dia 7 de setembro, quando os veteranos desfilarem. Acontece que pouco ou nada fala sobre o Movimento Constitucionalista de 32. Faz apologia das suas idéias sobe soberania nacional, complicando a Sociedade. O veterano PAULINO DELFINO NOGUEIRA e o doutor PAULO VON BRUCK DE LACERDA visitam o MMDC nesta tarde. Elaboramos uma Carta-Convite para a participação dos veteranos na Parada Cívico-Militar do DIA DA PÁTRIA.

20 DE AGOSTO DE 1997
No MMDC o CORONEL CANAVÓ continua se envolvendo em conspirações contra o presidente FERNANDO HENRIQUE CARDOSO, fazendo graves acusações de que o mesmo está sucateando o BRASIL. Leva a Sociedade nessa sua paranóia. As sugestões para o 7 de setembro são encaminhadas via fax.

21 DE AGOSTO DE 1997
Parentes do veterano DOMINGOS ANGERAMI, que está com 89 anos, querem agraciá-lo com uma das nossas medalhas. Explicamos toda a sistemática da Comissão de Medalhas e o CORONEL CANAVÓ pede para se enviar o currículo do veterano em janeiro de 1998. O convite para a participação dos veteranos no 7 de setembro já está pronto e deverá seguir pelo correio.

22 DE AGOSTO DE 1997
No MMDC recebo as visitas do CORONEL PM Res SÉRGIO LOPES e ROBERTO BRITO DE LIMA, do PONTO CERTO. Eles querem conversar com o Promotor MARCO ANTÔNIO ZANELATO, através de minha apresentação. Pelo telefone fico sabendo que isso somente será possível depois das 16 horas, pois o promotor está numa reunião. Enquanto isso eles conversam com o CORONEL ARY CANAVÓ.
Quase às 16 horas, estamos na Corregedoria à Avenida LIBERDADE, 190. Acontece que o promotor ZANELATO chegará tarde. Será feito um contato telefônico com o CORONEL PM Res SÉRGIO LOPES.
Ainda no MMDC, recebo a visita do MÁRIO MARGARIDO. Também vem à Sociedade o SÉRGIO DINIZ BIDUEIRA, quando estamos na promotoria. O caso do CORONEL PM Res SÉRGIO LOPES tem relação com os milhares de lesados num Consórcio de Carros do CLUBE DOS OFICIAIS, nos anos 1980. O CORONEL PM SÉRGIO LOPES e o ROBERTO BRITO DE LIMA ainda vão visitar o advogado D´ASTI na Rua TABATINGUERA.

25 DE AGOSTO DE 1997
No MMDC não contamos com a presença do presidente CORONEL ARY CANAVÓ. O senhor GERALDO PIRES DE OLIVEIRA, adoentado, também está ausente. Comparece a “persona non grata” REGINA CELENTANO para entregar uma carta onde manifesta sua vontade de retornar ao cargo de conselheira da Sociedade. Ninguém a quer no MMDC, principalmente por se intrometer na administração e fazer tráfego de influência com o nome da Sociedade. É uma “cara de pau” e tem a coragem de retornar ao MMDC, apesar de tudo ser-lhe contra. Caberá ao presidente, CORONEL ARY CANAVÓ, decidir sobre sua permanência no quadro de conselheiros. 

26 DE AGOSTO DE 1997
No MMDC, está presente o veterano PAULINO DELFINO NOGUEIRA. Acerta detalhes com o CORONEL CANAVÓ sobre a presença de veteranos no 10º Aniversário do bairro de JABAQUARA, na manhã de 30 de agosto.
Recebemos a visita do CAPITÃO PM ROMIS PRADELLA TUCCI, Chefe de Operações no COPOM. Traz sua esposa MÁRCIA, aluna do 4º ano de Artes Plásticas, que precisa fazer um trabalho sobre o Monumento Mausoléu do IBIRAPUERA. O CAPITÃO PM PRADELLA TUCCI é aspirante de 15 de dezembro de 1981. Foi promovido a 2º TENENTE em 25 de agosto de 1982; a 1º TENENTE em 15 de dezembro de 1985 e a CAPITÃO em 25 de agosto de 1990. CORONEL ARY CANAVÓ trabalha em mais um de seus artigos contra o presidente FERNANDO HENRIQUE CARDOSO – COMBUSTÃO EXPONTÂNEA.

27 DE AGOSTO DE 1997
No MMDC, o CORONEL CANAVÓ vai lançar mais um artigo contra o Presidente da República. Ontem já perturbou os funcionários com a tal Combustão Espontânea, atrasando o envio das cartas para os veteranos de 1932 participarem do 7 de Setembro.
O CORONEL PM SÉRGIO LOPES mantém contato telefônico comigo. Insiste em falar com o promotor ZANELATO. Também converso, por telefone, com o CORONEL PM GUIMARÃES. Quer ele explicar uma situação acontecida com o veterano MANUEL, que acha que o mandamos embora da Sociedade. Bastante velho, alquebrado, vítima de constantes tombos, MANOEL já anda trocando de idéias e sua mente é confusa.

29 DE AGOSTO DE 1997
No MMDC o CORONEL ARY CANAVÓ vai colocar a Sociedade Veteranos de 32-MMDC, mais uma vez, em situação muito difícil. Ele apoiará um coronel para a presidência do CLUBE MILITAR, francamente contra a reeleição do GENERAL IBIAPINA. O senhor GERALDO PIRES DE OLIVEIRA continua adoentado, fazendo já um bom tempo que não comparece. Ontem, veio ao MMDC o CORONEL PM ANTÔNIO CARLOS MENDES. Não me encontrou porque estava ocupado com um debate na AORPM sobre o Bandido da Luz Vermelha e o filme DAYLIGHT. Amanhã, o CORONEL CANAVÓ irá à solenidade do 10º Aniversário do JABAQUARA. Prefiro me afastar da presença pública do CORONEL CANAVÓ, francamente adversário do Presidente FERNANDO HENRIQUE CARDOSO e tido como conspirador do atual regime de governo.

1º DE SETEMBRO DE 1997
O veterano SILVEIRA PEIXOTO visita-nos na Sociedade. Quer nos convencer a aceitar REGINA CELENTANO como conselheira. O CORONEL ARY CANAVÓ enfatiza os erros cometidos pela mulher, comprometendo o MMDC com suas atitudes estabanadas. Com isso, passamos quase que a tarde toda atendendo o veterano de 88 anos, assediado pela mulher por inúmeras vezes.

2 DE SETEMBRO DE 1997
No MMDC o CORONEL ARY CANAVÓ fala de seus projetos contra o presidente FERNANDO HENRIQUE CARDOSO. Ele irá trabalhar numa chapa para a presidência do CLUBE MILITAR, em 1998, tendo um coronel como candidato. Às 15:30 horas está difícil andar na cidade. O ar está irrespirável, poluído demais.
Nesta noite, em casa, atendo um telefonema do veterano GERALDO FARIA MARCONDES. Ele se encontra em ARAÇATUBA. Conta que SILVEIRA PEIXOTO, veterano de 88 anos, forneceu a REGINA CELENTANO o número de seu telefone. Com isso a mulher o perturbou no sentido de que interviesse quanto ao seu retorno como conselheira do MMDC.

  18 a. da operação da hérnia, sofrida pelo veterano da Revolução Constitucionalista de 1932, Senhor GERALDO PIRES DE OLIVEIRA, em 3 de setembro de 1997. No dia 17 de julho de 2001, o Sr. PIRES foi eleito presidente da Sociedade Veteranos de 32–MMDC, na vacância do cargo, ocasionado pelo pedido de renúncia do Sr. GERALDO FARIA MARCONDES. Nesse dia também foi escolhido, para um mandato-tampão, junto com o Sr. PIRES, o Cel. LUIZ CARLOS DE OLIVEIRA MAGALHÃES, para o cargo de vice-presidente, porque, na época, também renunciaria ao cargo de vice o Cel MELLO ARAÚJO. Por ocasião do NOVE DE JULHO DE 2002, quando a Revolução de 1932 completou SETENTA ANOS, ele entregou a PRESIDÊNCIA para o Senhor GERALDO FARIA MARCONDES, eleito em reunião do CONSELHO SUPREMO de 28 de abril de 2002, tendo como vice-presidente o Cel PM Ref. PAULO TENÓRIO DA ROCHA MARQUES. Por desavenças na diretoria, o Cel PAULO TENÓRIO pediu demissão do cargo. Foi escolhido o Cel ANTÔNIO CARLOS MENDES para substituí-lo. A escolha do vice, feita pelo Sr. MARCONDES, foi legitimada com a homologação do nome do Cel MENDES em reunião do CONSELHO SUPREMO em 29 de agosto de 2003. No dia 13 de julho de 2004, o CORONEL MENDES pediu demissão do cargo de vice-presidente, no mesmo dia em que deixei de ser secretário do MMDC. A Sociedade sofre uma grande modificação com a aprovação do novo Estatuto, em 17 de dezembro de 2004. Em 2005, os novos dirigentes da Sociedade foram eleitos em abril e tomaram posse em 7 de julho de 2005, data em que se comemorava os 51 anos da fundação da Sociedade Veteranos de 32-MMDC. O CAPITÃO Ref GINO STRUFFALDI tomou posse como novo presidente da Diretoria Executiva; o CORONEL PM Res JAIRO PAES DE LIRA assumiu como presidente do Conselho Deliberativo; e o CORONEL PM Res RENALDO ALVES DA SILVA foi eleito presidente do CONSELHO FISCAL. Assumiram os cargos de diretoria em 7 de julho de 2005. Á testa da Diretoria Jurídica ficou o advogado CARLOS ALBERTO MACIEL ROMAGNOLI. Posteriormente, o CORONEL PM Res RENALDO ALVES DA SILVA foi substituído na presidência do CONSELHO FISCAL pelo economista FERNANDO LOPES DAVID. Em 30 de abril de 2007, GINO STRUFFALDI, CORONEL PM Res JAIRO PAES DE LIRA e FERNANDO LOPES DAVID foram reeleitos para o biênio 7 de julho de 2007/ 7 de julho de 2009, e tomaram posse em 6 de julho de 2007 (JUBILEU DE DIAMANTE DA REVOLUÇÃO CONSTITUCIONALISTA DE 1932). Para o biênio 2009/2011 foram reeleitos GINO STRUFFALDI, CORONEL PM JAIRO PAES DE LIRA e FERNANDO LOPES DAVID para os cargos que já estavam ocupando. Em 29 de abril de 1011 foram reeleitos para o biênio 2011/2013 o CORONEL PM JAIRO PAES DE LIRA e FERNANDO LOPES DAVID. Para ocupar o lugar de GINO STRUFFALDI na presidência da Diretoria Executiva foi eleito o CORONEL PM MÁRIO FONSECA VENTURA. Tomaram posse em 7 de julho de 2011. Em 30 de abril foram reeleitos CORONEL PM MARIO FONSECA VENTURA, CORONEL PM JAIRO PAES DE LIRA e FERNANDO LOPES DAVID, para o biênio 7 de julho de 2013 a 7 de julho de 2015, para os cargos de Presidentes da Diretoria Executiva, Conselho Deliberativo e Conselho Fiscal, respectivamente. No dia 30 de abril de 2015 são reeleitos para as presidências da Diretoria Executiva e Conselho Deliberativo os CORONEÍS PM MARIO FONSECA VENTURA e JAIRO PAES DE LIRA e para a presidência do Conselho Fiscal FERNANDO MORENO. Tomam posse em 7 de julho de 2015 para o biênio 2015/2017.   Passo pelo BANESPA da SÉ. Ali encontro o nosso velho conhecido CORONEL PM PLÍNIO ANGANUZZI. Ele se tornou associado do MMDC em 3 de março de 1997 e, no dia 14, sofreu um infarto. Agora está recuperado. Conta-nos que o TENENTE-CORONEL PM VICENTE BENEDITO MARCELINO DA SILVA também foi vitima de um infarto, ontem. O TENENTE-CORONEL PM VICENTE assumira o comando interino do Policiamento de Choque no dia 1º de setembro por motivo de férias do CORONEL PM CARLOS ALBERTO DE CAMARGO. Conversamos com o FERNANDO, gerente do BANESPA.
No MMDC, soubemos que o veterano GERALDO PIRES DE OLIVEIRA foi operado da hérnia na cidade de CATANDUVA. Está se recuperando bem dessa operação. O veterano PAULINO visita o MMDC. Irá desfilar no dia 7 de setembro no grupamento do MMDC.

4 DE SETEMBRO DE 1997
3. No MMDC, meu colega de turma e conselheiro da Sociedade, CORONEL Res ANTÔNIO CARLOS MENDES, vem nos visitar. Fala que o nosso companheiro, CORONEL Res PAZELLI, está bastante desleixado com a saúde, bebendo muito e inchado. Quase não sai de casa, cansando-se ao se locomover. Por aqui, no MMDC, também passam o veterano MENDES, de 82 anos, e o também veterano, CORONEL EB Ref ATILIANO, que tem 88 anos de idade. O CORONEL CANAVÓ trata de detalhes quanto à participação dos veteranos na PARADA DE SETE DE SETEMBRO.

5 DE SETEMBRO DE 1997
No MMDC estamos sem o CORONEL CANAVÓ, impossibilitado de andar com seu carro por causa do rodízio. Dona MARIA está acompanhando sua filha em tratamento médico. Faço um contato com o Chefe da CASA MILITAR, CORONEL LOURIVAL COSTA RAMOS, para estudar a possibilidade de termos escoteiros no Monumento-Mausoléu. Devemos nos entender com o Presidente da UNIÃO BRASILEIRA DOS ESCOTEIROS.

8 DE SETEMBRO DE 1997
O CORONEL ARY CANAVÓ, no MMDC, conta como transcorreu o DESFILE DA INDEPENDÊNCIA no SAMBÓDROMO. Parece que o povo não gostou do local, mais voltado para desfile de Escolas de Samba do que para a PARADA MILITAR. Apenas doze veteranos desfilaram. O ex-combatente PAULINO DELFINO NOGUEIRA, que hoje está no MMDC, desfilou num jeep como COMANDANTE DO EXÉRCITO CONSTITUCIONALISTA. O CORONEL CANAVÓ critica a não participação do REGIMENTO DE CAVALARIA. Um ponto desagradável nesta tarde foi a presença de REGINA CELENTANO, ainda querendo ser conselheira. Quem a atendeu foi o CORONEL CANAVÓ. Explicou-lhe que isso é impossível.

9 DE SETEMBRO DE 1997
No MMDC, recebemos as visitas dos veteranos MARINS e do conselheiro LUÍS FELIPE. O presidente cuida da feitura de mimos para angariar fundos para a Sociedade.
Faleceu no dia 6 de setembro o veteranos de 32, jornalista PAULO AMARAL DE MELLO. A missa de sétimo dia será rezada no dia 12, às 11 horas, na Igreja Coração de Maria, à Rua JAGUARIBE.

10 DE SETEMBRO DE 1997
Passo pelo BANESPA. Ali encontro o gerente FERNANDO com o CORONEL PM Ref ALAOR GODÓI e um outro coronel, de 80 anos, LÁZARO ORÉFICE DE CAMPOS (nascido em 15 de setembro de 1917). Praça de 1º de março de 1937. Saiu ASPIRANTE A OFICIAL em 27 de dezembro de 1939. Pertenceu durante anos ao Regimento de Cavalaria (RC). Esses dois coronéis fazem a “hora da saudade” na agência bancária. Relembram inúmeros oficiais daquela época. O CORONEL PM ALAOR GODÓI era capitão do velho CFA (hoje APMBB) quando eu ali freqüentava a Escola de Oficiais.
Na Sociedade Veteranos de 32-MMDC estamos sem o CORONEL CANAVÓ, que se acha em BRASÍLIA. O veterano MANOEL passa a tarde no MMDC, sempre usando sua inseparável bengala. Às vezes, sonolento, cochila na sala do presidente.


11 DE SETEMBRO DE 1997
Na tarde, no MMDC, oito alunos da 8ª série do 1º grau “invadem” a Sociedade Veteranos de 32-MMDC para colherem subsídios sobre a Revolução de 32. Eles realizarão uma FEIRA DE CIÊNCIAS sobre a Polícia Militar em outubro. Perco quase que todo o tempo disponível em conversas com eles. O veterano MANUEL DIAS DE OLIVEIRA está na Sociedade. O CORONEL CANAVÓ ainda não retornou de sua viagem a BRASÍLIA.

12 DE SETEMBRO DE 1997
O CORONEL CANAVÓ, no MMDC, conta por alto o que foi a sua viagem a BRASÍLIA. Seus problemas estão ligados à FAMIL. Hoje cedo, às 11 horas, assistiu a missa de sétimo dia pela alma do veterano de 32 e jornalista PAULO AMARAL DE MELLO, na Igreja CORAÇÃO DE MARIA, na Rua JAGUARIBE, SANTA CECÍLIA.
MANUEL DIAS DE OLIVEIRA, um velhinho de 86 anos, teima em vir ao MMDC, sempre de terno e gravata e usando uma muleta. Declama pequenos versos e sempre repete que foi da maçonaria e outros lances de sua existência.
Não pensávamos que MARIA DO SOCORRO retornasse ao MMDC depois de 120 dias do nascimento de seu filho. Ela desviou algum dinheiro da Sociedade. Mas hoje está trabalhando no arquivo e o CORONEL CANAVÓ quer que ela peça a conta. Pretende abrir uma sindicância caso ela não se afaste da Sociedade. Deixo o MMDC por volta das 16 horas. No Metro SÉ

15 DE SETEMBRO DE 1997
No MMDC, os veteranos esperam também alguma novidade por parte do novo Presidente do Conselho Supremo, cargo esse inerente ao Comandante Geral. O CORONEL CANAVÓ quer saber de notícias sobre o caso. 
MARIA DO SOCORRO pede demissão do quadro de funcionários da Sociedade Veteranos de 32-MMDC, em 15 de setembro de 1997. Nos anos 1990, aproveitando da fragilidade do MMDC, sem uma estrutura convincente, ela simplesmente “matava” as fichas dos veteranos e ficava com a anuidade paga por eles. Quando ficou grávida e foi obrigada a deixar por meses a Sociedade, descobriu-se que os veteranos “mortos” estavam bem vivos; retornando ao MMDC depois do nascimento da criança, ela foi argüida a respeito, na época da presidência do CORONEL ARY CANAVÓ e confessou as apropriações das anuidades dos ex-combatentes. Para não colocar a Sociedade em situação difícil, o caso não foi levado ao Distrito Policial. CANAVÓ, na presença do seu amigo advogado LACERDA, exige que MARIA DO SOCORRO peça demissão.

16 DE SETEMBRO DE 1997
CORONEL CANAVÓ passou pelo MMDC, mas saiu logo. Quer mandar um convite para o Prefeito de SOLEDADE, RIO GRANDE DO SUL, para a missa de 2 de outubro. Faço isso através de fax. Mantenho contato com a 5ª EM/PM. Minha preocupação agora é com o evento da Cessação das Hostilidades do Movimento Constitucionalista, no Monumento Mausoléu, dia 2 próximo. Fico sabendo que o CORONEL PM CARLOS ALBERTO DE CAMARGO continua em ROMA. Às 16 horas, pego o metrô. Começa a esfriar.
                                               
17 DE SETEMBRO DE 1007
Na Sociedade Veteranos de 32-MMDC, o CORONEL ARY CANAVÓ conta-me que dona REGINA CELENTANO teve a ousadia de procurar o veterano GERALDO FARIA MARCONDES em sua residência, em ITAPECERICA DA SERRA. Não foi atendida. Queria eu saber qual é o motivo que faz com que essa mulher deseje tão ardentemente ser conselheira da Sociedade.

18 DE SETEMBRO DE 1997
No MMDC não contamos hoje com o CORONEL ARY CANAVÓ, atrapalhado com a regularização de documentos de seu sítio em COTIA. Dona MARIA procura acertar as contas da funcionária demitida, MARIA DO SOCORRO. Um sargento – LEVI – vem conversar comigo sobre a “FEIRA DE CIÊNCIA” que o Colégio Militar irá apresentar na segunda quinzena de outubro. Sua filha está encarregada de apresentar um painel sobre a Revolução de 32.

19 DE SETEMBRO DE 1997
O senhor GERALDO FARIA MARCONDES telefona-me duas vezes. Ele está eufórico com a nomeação do CORONEL PM VALDIR SUZANO para o cargo de Comandante do Policiamento Metropolitano. Quer ele marcar um almoço com a nova cúpula da PM para combinar os destinos da Sociedade Veteranos de 32-MMDC para o futuro. Já conversou com o CORONEL PM GUIMARÃES sobre esse assunto. O CORONEL ARY CANAVO não vem ao MMDC. Mantenho contato telefônico com o Colégio Militar para uma palestra do veterano PAULINO DELFINO NOGUEIRA no dia 23, sobre o Movimento Constitucionalista de 32 para uma classe da 8ª série do 1º grau. Faz parte dos preparativos da “FEIRA DE CIÊNCIA” que será organizada na segunda quinzena de outubro.

22 DE SETEMBRO DE 1997
No MMDC, planejamos um cronograma de atividades até o final de setembro. Nesta tarde, encontro o CORONEL ARY CANAVO ocupado em redigir mais um artigo contra FERNANDO HENRIQUE CARDOSO.
Faço um contato com a Chefia de Gabinete do novo Comandante Geral. Atende-me o MAJOR PM ADAUTO. Quero marcar uma audiência do CORONEL CANAVÓ, presidente do MMDC, com o CORONEL PM CARLOS ALBERTO DE CAMARGO. Ao mesmo tempo convidaremos o Cmt Geral para a missa de 2 de outubro no Monumento Mausoléu. O CORONEL CANAVÓ trabalha num artigo contra a reeleição de FERNANDO HENRIQUE CARDOSO e perde tempo para atender as necessidades da Sociedade. Marcamos com o veterano PAULINO uma palestra dele no Colégio Militar amanhã. Outro assunto diz respeito à CUNHA. O EDSON NOGUEIRA, filho do falecido CORONEL GALVÃO (veterano de 32) ficara de conversar com o prefeito de GUARATINGUETÁ para se fazer uma solenidade em 26 de setembro. Até agora não houve retorno da idéia e, nesta tarde, tento estabelecer contato com ele, em vão. É difícil passar

29 DE SETEMBRO DE 1997
Como tenho de ir ao IBIRAPUERA hoje à tarde, participando de uma reunião preparatória no Monumento–Mausoléu do Soldado Constitucionalista, para os acertos finais da solenidade de 2 de outubro de 1997 uso o SANTANA em meu deslocamento para SÃO PAULO. Como terminou o rodízio de carros, o trânsito está bem pior nesta segunda-feira. Deixo o carro no CCB. Depois do meio-dia chove muito na cidade. O CORONEL ARY CANAVÓ quer que eu o acompanhe na ida ao IBIRAPUERA em seu Volkswagen, que também está no pátio do CORPO DE BOMBEIROS. Como o CORONEL CANAVÓ está muito gripado, há o perigo de contrair o vírus. O trânsito fica muito ruim nesta tarde. No Monumento Mausoléu chegamos às 14 horas. Somente bem depois é que despontam os oficiais que irão participar da reunião: DAMCO (CAPITÃO PM RODRIGUES); 12º BPMM (CAPITÃO PM AGRELLA); o CAPITÃO PM Capelão OSVALDO PALÓPITO e outros oficiais do choque, trânsito, Corpo Musical, DP, etc. Trata-se de delinear medidas para o evento do 65o. Aniversário da Cessação das Hostilidades do Movimento Constitucionalista de 1932. O Coronel PAULO MIRANDA DE CASTRO coordenou essa reunião. São acertados todos os detalhes para a missa de encerramento da Revolução. Familiares do falecido veterano CÉSAR GIORGI (morreu em fins de agosto de 1997) acertaram conosco a introdução de seu nome na missa de réquiem marcada para o evento. Somente as 16 horas é que retornamos ao CORPO DE BOMBEIROS. CORONEL CANAVÓ tem agravado o seu estado gripal e eu bem perto de contrair essa gripe, já espirrando várias vezes. Passo pelo MMDC. Assino os cheques para pagamento dos funcionários. Somos obrigados a tirar 1.500 reais da poupança. A situação financeira da Sociedade não é boa.  Converso com o Sr. GUILHERME LEVENSTEIN por telefone. Falamos sobre o 2 de outubro e a situação nova do Presidente do Conselho Supremo, agora com o CORONEL PM CARLOS ALBERTO DE CAMARGO, atual Comandante Geral da PMESP. Em casa, telefono para o senhor GERALDO FARIA MARCONDES. Ele acha que deverá haver a posse solene do novo Presidente do Conselho Supremo do MMDC. Mantenho um contato telefônico com a casa do Senhor GERALDO PIRES DE OLIVEIRA. O nosso velho veterano está em CATANDUVA, na casa de uma filha, convalescendo da operação da hérnia. Estou lendo A REVOLUÇAO IMPOSSÍVEL, de LUÍS MIR. 

30 DE SETEMBRO DE 1997
No MMDC não temos a presença do CORONEL ARY CANAVÓ. Seu estado gripal deve ter piorado de ontem para hoje. Telefono também para o veterano SEVERINO DOS SANTOS. Ele sofreu recentemente uma pneumonia e agora está apresentando melhoras. Estamos convidados para a passagem de Comando da 2ª Região Militar. O GENERAL-DE-DIVISÃO ARBY ILGO RECK está passando o cargo para o GENERAL-DE-DIVISÃO JOÉLCIO DE CAMPOS SILVEIRA, às 19 horas, no Comando Militar do Sudeste.

1º DE OUTUBRO DE 1997
No MMDC, encontro o CORONEL FERREIRA. Aguarda a chegada do CORONEL ARY CANAVÓ. Estão eles empenhados em formar uma chapa de oposição para as eleições de 1998, no CLUBE MILITAR, contra o GENERAL IBIAPINA, atual Presidente e candidato à reeleição. O CORONEL CANAVÓ fala em pedir licenciamento da Presidência do MMDC para se empenhar na política do CLUBE MILITAR. Recebemos a visita do TENENTE PM MILTON, da AJUDÂNCIA GERAL. Vem conhecer a Sociedade. Acertamos os últimos detalhes para a missa de amanhã, às 10 horas, no MONUMENTO MAUSOLÉU.

2 DE OUTUBRO DE 1997
Chego no IBIRAPUERA por volta das 9 horas. Encontro o CORONEL ARY CANAVÓ, CORONEL PM PAULO MIRANDA DE CASTRO (coordenador do evento), CORONEL PM VALDIR SUZANO (representando o Comandante Geral); CORONEL PM JOÃO PAULO CORREA (Diretor de Pessoal); CORONEL PM LEMES (Chefe do EM/PM), muitos oficiais, 40 alunos do Colégio Militar, os veteranos ATILIANO, PAULINO, ELIAS (corneteiro de 32), o MAJOR PM Res SALATIEL, GERALDO FARIA MARCONDES, familiares do veterano CÉSAR GIORGI (falecido há um mês). O CAPITÃO PM CAPELÃO OSVALDO PALÓPITO é o padre que vai rezar a missa. Estão presentes também o CARMELO, ALZENIR, ALEMAO, DANIEL. Encerrado o ato religioso, conversamos com muitas pessoas que ali comparecem. Os alunos do Colégio Militar visitam o MUSEU DE 32 e a professora responsável pela 8ª Série do 1º Grau estabelece o cronograma para a montagem da FEIRA DE CIÊNCIAS, onde um painel abordará o Movimento Constitucionalista de 32. No dia 16, virão buscar peças do Museu para a montagem do painel. No dia 18, encerrar-se-á a FEIRA DE CIÊNCIAS.

3 DE OUTUBRO DE 1997
No MMDC, lendo o Diário Oficial, vejo a transferência para a reserva do ELPIDIO para a reserva. O jornalista PACHECO, da revista JÁ – DIÁRIO POPULAR – visita-nos. Ele fará uma reportagem sobre o Monumento Mausoléu do IBIRAPUERA. Vem colher subsídios sobre o assunto.
CORONEL CANAVÓ continua a discutir problemas polêmicos da Nação. Está com o Doutor PAULO VON BRUCK LACERDA em sua sala. Às 15:40 horas deixo a Sociedade. No Metrô SÉ observo os painéis mostrando as primeiras páginas de A GAZETA ESPORTIVA, ao longo dos anos. Esse jornal está completando cinqüenta anos de circulação.
Em casa, mantenho um contato telefônico com o veterano GERALDO FARIA MARCONDES. Ontem, ele conversou com o CORONEL PM VALDIR SUZANO sobre os destinos da Sociedade Veteranos de 32. Discutiram o nome do CORONEL PM MELO ARAÚJO para ser candidato a Presidente do MMDC em abril de 1998. Falta conversar com ele sobre essa idéia. Também surgiu o nome de GUILHERME LEVENSTEIN, mas este não aceitou por causa de seu trabalho. Pela TV, acompanho o que foi o segundo dia do PAPA no RIO. Na tarde, no Congresso do RIOCENTRO (CONGRESSO TEOLÓGICO PASTORAL) o PAPA se encontrou com bispos e delegados.

7 DE OUTUBRO DE 1997
No MMDC tenho o desprazer de conhecer o teor de um documento do Comandante Geral da PM, o ainda CORONEL PM CLAUDIONOR LISBOA, que demonstra uma “guerra” particular entre ele e o CORONEL CANAVÓ. Não sei qual é a posição do atual Comandante Geral, CORONEL PM CARLOS ALBERTO DE CAMARGO. Esse documento é altamente lesivo ao MMDC. Como o CORONEL CANAVÓ não está presente (encontra-se no RIO), não sei qual será a resposta da Sociedade Veteranos de 32-MMDC em relação à posição tomada pelo CORONEL PM CLAUDIONOR LISBOA. Um fax da carta é passado para o senhor GERALDO FARIA MARCONDES. Ele quer a saída do CORONEL CANAVÓ da presidência da Diretoria Executiva.

8 DE OUTUBRO DE 1997
O nosso velho conhecido CORONEL PM PAULO TENÓRIO DA ROCHA MARQUES, de 63 anos, vem pagar as contas de seu pai – CORONEL Ref HELIODORO TENÓRIO DA ROCHA MARQUES, que está com 93 anos. O CORONEL HELIODORO foi Presidente da Sociedade Veteranos de 32-MMDC. Quando eu fui promovido a Aspirante a Oficial, o PAULO TENÓRIO era 1º TENENTE. Foi promovido a CAPITÃO em 15 de dezembro de 1966 (nessa data eu era promovido a 1º TENENTE). Ele se torna associado do MMDC nesta data.
O CORONEL ARY CANAVÓ ainda está no RIO. Reúne-se com companheiros do Exército para estudar a formação de uma Chapa de Oposição para concorrer às eleições de 1998 no Clube Militar.

15 DE OUTUBRO DE 1997
No MMDC vemos que o CORONEL CANAVÓ articula-se com pessoas ligadas ao Movimento Nativista, inclusive o BRIGADEIRO IVAN FROTA. Estão escolhendo um nome que faça oposição ao GENERAL IBIAPINA, no CLUBE MILITAR. Mantenho um contato telefônico com a Chefia do Gabinete do Comando Geral. Atende-me o MAJOR PM ADAUTO. Peço a ele que transmita ao Comandante Geral a intenção de se fazer uma reunião do Conselho Supremo para receber o atual presidente, CORONEL PM CARLOS ALBERTO DE CAMARGO. Ao mesmo tempo, transmito a idéia de se fazer a missa de Finados no Monumento-Mausoléu. Visita-nos o CORONEL EB ATILIANO. Ele é veterano de 1932.

16 DE OUTUBRO DE 1997
No MMDC recebo a visita do MAJOR PM FLÁVIO ROSA, da DAMCO. Ele quer filmar a Sociedade e que eu faça uma entrevista com a sua filha FLÁVIA, da 8ª Série do Colégio Militar, para a FEIRA DE CIÊNCIAS. Faz parte da montagem da Sala sobre o Movimento Constitucionalista de 32, com exposição de material de campanha, bandeiras, cartazes, fardamento, livros. Isso quase me leva a tarde toda. O 1º TENENTE PM ALEKSANDER TOALDO LACERDA, da ROTA, visita-nos. Tornou-se nosso associado na semana passada. CRISTIANO vem buscar cartões da Diretoria de Sistema. O SARGENTO PM MAURÍCIO, doTribunal de Justiça, vem conhecer o MMDC.
GERALDO PIRES DE OLIVEIRA retornou hoje à sua casa. Telefona-me para contar como foi a operação da hérnia, realizada em CATANDUVA. Passou um bom tempo na casa de sua filha, naquele município. Quer retornar ao MMDC, mas ainda não pode sair de casa.

17 DE OUTUBRO DE 1997
No MMDC, acerto detalhes para a Feira de Ciências do Colégio Militar. O CORONEL CANAVÓ foi para o RIO. Assistirá a missa de primeiro aniversário da morte do GENERAL ANDRADA SERPA. Vou ao Colégio Militar. Visito a sala destinada ao Movimento Constitucionalista de 32. Assisto o vídeo da entrevista que concedi ontem à filha do MAJOR PM FLÁVIO ROSA. Nesse vídeo também aparece o Monumento Mausoléu e as explicações dadas pelo CABO PM RICARDO. A exposição de material de campanha, bandeiras, cartazes, fotos da época, livros e outras coisas mais foi preparada com esmero pelos alunos da 8ª Série do 1º Grau do Colégio Militar. O Cmt Geral, CORONEL PM CARLOS ALBERTO DE CAMARGO, visita a Feira de Ciências. Saio da mesma às 16 horas. Passo pela Escola de Educação Física junto com alguns oficiais.
Embarco no ônibus COCAIA para retornar a GUARULHOS. Durante a viagem venho lendo os trabalhos da Comissão de Organização dos Eventos de 9 de julho de 1937. Naquela época, quando se completavam 5 anos do Movimento Constitucionalista, tudo era realizado com carinho e apoio das autoridades. Hoje a situação é muito diferente. O governo nada ajuda e mesmo a Polícia Militar, através de maus oficiais, procura se afastar da Sociedade Veteranos de 32-MMDC, alegando razões descabidas, uma delas que esse movimento é coisa do passado e que merece ser esquecido.
LUCINDA não está bem nesta noite. Sua pressão deve ter caído e ela sente muito sono. Está enrolada numa manta, no sofá da sala. O PAULO CÉSAR chega de madrugada. Procura acordar sua avó, mas ela prefere continuar dormindo no sofá.
O piloto austríaco GERHARD BERGER anunciou oficialmente que deixa o circuito profissional – mas não deixou claro que corta de vez seu vínculo com a F1, aos 8 anos de idade e sem nunca ter chegado a um título mundial. Este ano foi particularmente doloroso para BERGER. Seu pai, condenado em março a cinco anos de prisão por fraude fiscal, faleceu em um acidente no começo de julho, quando pilotava seu próprio avião.  BERGER ainda teve problemas de saúde e sofreu uma operação de sinusite. Sua volta à F1 foi espetacular: ganhou o GP DA ALEMANHA, em HOCKENHEIM. 

23 DE OUTUBRO DE 1977
Logo mais, no MMDC, encontro o CORONEL CANAVÓ com a visita de um major da Aeronáutica, ligado ao jornal A HORA DO POVO. O CORONEL CANAVÓ fornece-me uma cópia da crônica do CORONEL ARMANDO AMARAL PAES – A ENTREGA DA AMAZÔNIA e O FIM DA NAÇÃO BRASILEIRA. É também de autoria do CORONEL PAES o ensaio O SONHO. Fica acertado que o CORONEL CANAVÓ irá buscar no dia 2 de novembro, no COLÉGIO SÃO LUÍS, o sacerdote que irá rezar a missa de FINADOS.
O advogado FERNANDO, jovem conselheiro do MMDC e o veterano PAULINO visitam a Sociedade. O PAULINO quer participar do programa J. SILVESTRE, falando sobre a Revolução de 32.

24 DE OUTUBRO DE 1997
No MMDC encontro o CORONEL CANAVÓ conversando com o CORONEL PARANAGUÁ, também do Exército. Falam sobre o documento elaborado pelo CORONEL PAES sobre a AMAZÔNIA. O CORONEL PARANAGUÁ relembra episódios de sua vida profissional no Exército, onde era conhecido pelo apelido de PLAY BOY.
Uma situação inusitada é apresentada nesta tarde ao CORONEL CANAVÓ. O senhor OSCAR MARONI, industrial trazido ao MMDC pelo CABO RICARDO, quer colocar um preservativo monstro no Obelisco do IBIRAPUERA, cobrindo-o inteiramente. O Obelisco corresponde a um prédio de 21 andares. A campanha contra AIDS ganharia repercussão mundial. Com isso o senhor OSCAR traz um cheque de cinco mil reais como doação à Sociedade Veteranos de 32-MMDC. O CORONEL CANAVÓ não toma uma decisão de momento e nem poderia. Quer a opinião dos conselheiros. O senhor OSCAR MARONI fará os contatos.
Já em casa, começo a receber telefonemas de conselheiros: Ministro GÚALTER GODINHO, jornalista THEOBALDO LEITÃO, advogado FERNANDO LEITE. O próprio OSCAR MARONI insiste na idéia e aumenta a doação para o MMDC, para onze mil reais, além de prometer realizar a restauração da fiação elétrica e lavagem do monumento. Também liga para casa e conversa com a LUCINDA, prometendo dinheiro para que eu o ajude no seu intento. Demonstra claramente sua idéia de subornar a Sociedade e a mim.
25 DE OUTUBRO DE 1997
OSCAR MARONI, o industrial da "PROPOSTA INDECENTE" de colocar um preservativo monstro no OBELISCO, insiste em falar comigo e oferecer dinheiro e outras vantagens, desesperado para levar avante o seu projeto. Como ele fala que tem um sítio em ARAÇATUBA, colocando-o à minha disposição, indico o veterano GERALDO FARIA MARCONDES, que também possui casa naquela cidade. Mais tarde ligo para o senhor MARCONDES e o coloco a par do que está acontecendo no MMDC. 

27 DE OUTUBRO DE 1997
No MMDC, temos as repercussões sobre a Proposta Indecente de OSCAR MARONI. Queria ele enfiar um preservativo gigante no Obelisco do Ibirapuera. Iria o caso ser apresentado no FANTÁSTICO (da GLOBO) e teria repercussão internacional. OSCAR MARONI telefonou até para os conselheiros e todos eles se revoltaram com a idéia. O CORONEL PM SUZANO chegou até a ser grosseiro com essa proposta, ficando bastante contrariado com a proposta.
Apesar dos seus 84 anos e a grande dificuldade para se locomover, com deficiência na visão, o veterano JOSÉ SOARES MARINS vem conversar conosco na Sociedade.
O CORONEL CANAVÓ está entusiasmado com o seu novo artigo: O CAVALO DE TRÓIA. Tece comentários sobre a visita do presidente BILL CLINTON ao BRASIL. Como sempre, seus artigos visam a soberania do BRASIL e atacam FERNANDO HENRIQUE CARDOSO. O único ponto desagradável é que esses assuntos nada têm a haver com o MMDC. Gasta nossos envelopes e usa o nome da Sociedade para fazer a propaganda inútil de suas idéias quixotescas.

29 DE OUTUBRO DE 1997
O CORONEL ARY CANAVÓ encontra-se no RIO. No MMDC recebo a visita do CORONEL PM ANTÔNIO CARLOS MENDES, nosso conselheiro. Esteve ele em PEDREIRA, dia 26 último, na inauguração do Monumento do Soldado Constitucionalista de 32. Quer levar um capacete de presente para o Prefeito daquele município.

30 DE OUTUBRO DE 1997
O CORONEL PM ANTÔNIO CARLOS MENDES visita-nos no MMDC. Levará ao Prefeito de PEDREIRA um capacete dos veteranos e uma carta de agradecimento pela inauguração do Monumento ao Movimento Constitucionalista de 32, no último dia 26. Os veteranos SEVERINO e PAULINO, o doutor LACERDA e seu amigo FRITZ também comparecem à Sociedade nesta tarde. O CORONEL CANAVÓ trabalha num novo artigo contra o Presidente FERNANDO HENRIQUE CARDOSO e torce pela confusão generalizada com a queda da Bolsa de Valores no mundo. Acertamos detalhes para a realização da missa de FINADOS no Monumento Mausoléu. Parece que tudo está pronto para mais esse evento do MMDC.

DIA 31 DE OUTUBRO DE 1997
No MMDC, recebo a visita do veterano JOSÉ SOARES MARINS. Irá nos ajudar na Missa de FINADOS, que será rezada pelo Padre VIOTTI.
Mantenho contato telefônico com o veterano THEODORO DE FREITAS LEITÃO que me pediu para levá-lo até o Monumento Mausoléu no dia 2 de novembro. Ele mora num prédio vizinho ao do CORONEL PM ALUÍZIO, na Rua MONTE ALEGRE. Também telefono ao ALUIZIO, convidando-o para assistir a missa de FINADOS.
O CORONEL CANAVÓ chega tarde no MMDC. Consta que esteve com pessoas influentes e fala que o “BRASIL QUEBROU”. Trabalha às pressas num novo artigo para o jornal TRIBUNA DA IMPRENSA.
Faço uma minuta de um ofício para a Secretaria da Cultura pedindo verba para 1998. Em anexo, seguirá uma planilha de atividades propostas para este ano. Num outro documento, pediremos ao prefeito CELSO PITTA uma lei de isenção de impostos para os veteranos e suas viúvas. Deixo o MMDC em companhia do veterano JOSÉ SOARES MARINS. Com problemas nas vistas, sente ele dificuldades no caminhar.

Anotados os seguintes dados referentes a 2 de novembro de 1997: “Ás 8h30, rumo para o IBIRAPUERA. Minha idéia era levar os veteranos PIRES e THEOBALDO LEITÃO para que eles pudessem assistir a missa de FINADOS. Acontece que o LEITÃO telefonou-me ontem dizendo que sua esposa não está passando bem. O Sr. PIRES também me disse, por telefone, que não está recuperado da operação da hérnia e sua ida ao Monumento–Mausoléu não iria lhe fazer bem. LUCINDA também não me acompanha por causa da casa, da construção, do PAULO CÉSAR e dela própria, sempre sentindo dores na perna esquerda. No interior do Monumento, encontro o veterano SILVEIRA PEIXOTO. Depois vejo o PAULINO, GERALDO FARIA MARCONDES, o Coronel Ref. THEODORO CABETTE e esposa. O Cel. CANAVÓ chega às 9h40. Logo vejo o Cel. VALDIR SUZANO, representante do Comandante Geral. O Cap. ARRUDA e vários oficiais escalados estão presentes. Comento com o Cel. SUZANO a atual situação da Sociedade. O Sr. MARCONDES está conosco e quer se candidatar presidente para as eleições de abril. O Padre VIOTTI, do Colégio SÃO LUÍS, comparece ao ato religioso, mas não reza a missa. Deixa isso ao cargo do Padre CÉSAR AUGUSTO. A missa vai terminar às 11 horas.

3 DE NOVEMBRO DE 1997
No MMDC encontro o 1º TENENTE PM Mús ÁLVARO DOS SANTOS. Ele está na reserva. É nosso associado, mas esteve afastado durante três anos. Agora retorna com boas idéias. Conversa também com o CORONEL CANAVÓ. Conheço o ÁLVARO DOS SANTOS desde os tempos em que servi ao BATALHÃO DE GUARDAS (23 de setembro de 1963 até 6 de abril de 1966). O CORONEL CANAVÓ vai para BELO HORIZONTE amanhã. Parece que o BRIGADEIRO IVAN FROTA irá se candidatar à Presidência da República.
Em casa vou rever o quinto tomo de minhas memórias: 10 de julho de 1954 a 9 de julho de 1955. Relembro os meus tempos de I CIENTÍFICO (1954) e II CIENTÍFICO (1955) em MOGI DAS CRUZES. Nessa época aparece muito no diário o nome de WÁLTER MONTEIRO, cuja morte aconteceu no dia 30 de outubro de 1997. No dia 24 de agosto de 1954 está registrado o suicídio de GETULIO VARGAS e, no dia 29 de outubro de 1954, a morte de minha avó ELVIRA. Telefono para prima ELVIRA, que vive em companhia de TIA CATARINA, cumprimentando-a pelo aniversário. Ela leva o nome de minha avó ELVIRA (nasceu um ano após a sua morte).

4 DE NOVEMBRO DE 1997
No MMDC fico sabendo que o CORONEL CANAVÓ foi para BELO HORIZONTE. Cogita-se da indicação do BRIGADEIRO IVAN FROTA para a candidatura à Presidência da República. Recebo um telefonema do TENENTE PM Ref JÚLIO JOSÉ DOS SANTOS. Trabalhou comigo no antigo BATALHÃO DE GUARDAS e na 2ª COMPANHIA INDEPENDENTE, em GUARULHOS. Está com ele o PM KENJI KANDA, antigo estafeta da 2ª Cia Ind. O KENJI sofreu um infarto nos anos 1970 e se aposentou por invalidez física. Lembramos nomes de antigos companheiros dessas unidades. Comparece ao MMDC um veterano que lutou, aos 16 anos, no SETOR SUL. Conta suas peripécias na Revolução de 1932. Às 16 horas, deixamos o MMDC. Esse veterano mora em GUARULHOS. Por volta das 16:30 horas entram em contato comigo o CIDO e o FRANCISCO, para solicitar a saída da OPERAÇÃO OSÓRIO, onde estão há mais de dois anos. Eles remodelaram a antiga OPERAÇÃO LARGENOS.

5 DE NOVEMBRO DE 1997
Nesta tarde, na Sociedade Veteranos de 32-MMDC recebo um telefonema do CORONEL PM VALDIR SUZANO. Diz ele que o Comandante Geral, CORONEL PM CARLOS ALBERTO DE CAMARGO, marcou a data de 20 de novembro, às 10 horas, para a posse como Presidente do Conselho Supremo do MMDC. O CORONEL CANAVÓ ainda continua em BELO HORIZONTE. Mantenho contato telefônico com GERALDO FARIA MARCONDES sobre esse assunto. Faço contato com a Chefia do Gabinete do Cmt Geral, através do TENENTE PM MENDES, acertando os detalhes da Convocação dos Conselheiros para a reunião do dia 20 de novembro.

6 DE NOVEMBRO DE 1997
Anotações nesta data: preocupo-me com a reunião do Conselho Supremo, marcada para 20 do corrente. Mandei um modelo de convocação para a apreciação do Comandante Geral. Aguardo resposta para poder expedir as cartas. Na tarde, depois das 15 horas, cai uma chuva muito forte no centro da cidade. O CORONEL CANAVÓ telefonou para dizer que já regressou de BELO HORIZONTE. Não virá ao MMDC hoje. O MAJOR PM ADAUTO, da Chefia de Gabinete do Comando Geral, telefona-me. Diz ele que o CORONEL PM CARLOS ALBERTO DE CAMARGO acha melhor as cartas de Convocação dos Conselheiros saia pela própria Sociedade. Quinze ladrões fazem hoje o maior assalto na Capital. Invadiram a pista do Aeroporto de CONGONHAS e roubaram 4 milhões e 60 mil reais de um avião que se preparava para decolar. O dinheiro estava no compartimento de carga e seria levado para uma agência do BANCO DO BRASIL.
O empresário OSCAR MARONI, dono do BAHAMAS BAR, sauna de luxo em MOEMA, foi condenado a dois anos de reclusão por facilitação à prostituição. Este sujeito é aquele que queria colocar um preservativo no Monumento Mausoléu do IBIRAPUERA e que colocou o MMDC em revolta contra a idéia estapafúrdia.

Na tarde do dia 7 de novembro de 1997, tenho uma discussão com o CORONEL CANAVÓ por causa de um documento que ele quer mandar para o Comandante Geral, questionando a posição da Polícia Militar na Sociedade Veteranos de 32-MMDC. Esse documento poderá decretar a falência da Sociedade. Usa ele o argumento de que precisa dessa definição para poder informar um documento do Presidente do Conselho Supremo sobre o caso “REGINA”, que chegou hoje no MMDC.  O MAJOR PM ADAUTO, da Chefia do Gabinete do Cmt Geral, telefona-me para dizer que o CORONEL PM CARLOS ALBERTO DE CAMARGO escolheu os CORONÉIS SUZANO e GUIMARÃES para os cargos de Vice-Presidente e Secretário do Conselho Supremo. Marco com o TENENTE-CORONEL PM PAULO RÉGIS SALGADO uma reunião na 5ª EM/PM para 11 de novembro, às 10 horas. Iremos discutir a questão do cerimonial para a posse do CORONEL PM CARLOS ALBERTO na presidência do Conselho Supremo, às 10 horas de 20 de novembro. Saio do MMDC bastante amolado com o CORONEL CANAVÓ. Além de ser um mau presidente ainda continua trabalhando em seus artigos para o jornal TRIBUNA DA IMPRENSA, todos contra FHC. Redige hoje “ENERGIA NUCLEAR”. O que é que o MMDC tem a ver com isso??? Em casa, após uma difícil viagem de ônibus, enfrentando trânsito congestionado, telefono para o Senhor GERALDO FARIA MARCONDES, responsável direto pelo fato do CORONEL CANAVÓ estar na presidência do MMDC. Explico a ele a altercação que tive com o CANAVÓ e a necessidade de tirá-lo da presidência o mais rápido possível. Sua permanência na Sociedade e suas articulações políticas contra o governo poderão criar uma situação bastante desagradável para o MMDC. Diz o Sr MARCONDES que irá conversar com o CORONEL PM SUZANO e ver qual será o melhor caminho a tomar.

10 DE NOVEMBRO DE 1997
Na AORPM, discuto com vários oficiais a minha difícil posição no MMDC após as encrencas do CORONEL CANAVÓ com o Comandante Geral da PMESP. Muitos me aconselham a não retornar à Sociedade enquanto durar a presidência do CORONEL CANAVÓ.
Não vou ao MMDC. Por telefone converso com o VASCO e dona MARIA. Esta foi também instruída pelo senhor GERALDO FARIA MARCONDES para não comparecer na Sociedade. Com isso, procuramos ver o CANAVÓ que ele está se conduzindo muito mal na presidência.

Seguintes anotações feitas em 11 de novembro de 1997: nesta terça-feira, uma manhã muito quente, talvez a pior deste ano, vou ao Quartel do Comando Geral. O TENENTE-CORONEL PM PAULO RÉGIS SALGADO, Chefe da 5ª EM/PM, aguarda-me. Vamos elaborar o roteiro do cerimonial de apresentação do Comandante-Geral, CORONEL PM CARLOS ALBERTO DE CAMARGO, como Presidente do Conselho Supremo da Sociedade Veteranos de 32-MMDC, em 20 de novembro. Aparece na sala do TENENTE-CORONEL PM RÉGIS o TENENTE PM Ref NASCIMENTO, da AORPM, querendo saber sobre os estudos dos brasões das Unidades da PM. Passo pelo CPM. Não encontro o CORONEL PM SUZANO. O Comandante Geral irá escolhê-lo para o cargo de Vice-presidente do Conselho Supremo do MMDC.
CIDO e FRANCISCO ainda não liquidaram a OPERAÇÃO OSÓRIO, praticamente desativada na semana passada.


12 DE NOVEMBRO DE 1997
Converso, por telefone, com os veteranos GERALDO FARIA MARCONDES e GERALDO PIRES DE OLIVEIRA. O senhor MARCONDES pede-me para elaborar a sua alocução ao CORONEL PM CARLOS ALBERTO DE CAMARGO em 20 de novembro, falando em nome dos veteranos. O senhor PIRES convalesce da sua operação da hérnia. A sua idade avançada faz com que isso seja difícil.

Danos causados pelas chuvas na SOCIEDADE VETERANOS DE 32-MMDC, em 13 de novembro de 1997: quebra de telhas e entupimento de calhas causadas por entulhos do Edifício "REGINA", em obras, possibilitou a entrada de muita água da chuva, que danificou o teto, o piso e carpete, além de causar a perda de muitos documentos históricos do MMDC. Ao longo desses anos, bem como de outras chuvas que causaram outras infiltrações no MMDC, perdemos um acervo que agora dificulta a pesquisa quanto aos ex–combatentes da Revolução de 32. Foi em 13 de novembro de 1997. Elaboro a CARTA Nº 217/97 ao Senhor Presidente CORONEL ARY CANAVÓ nos seguintes dizeres:
Levo ao conhecimento de V.Sª que por volta 15:00 h de hoje (13) os funcionários desta Casa: Marconi, Vasco e Dona Maria vieram me comunicar que estava entrando muita água em diferentes partes do prédio, principalmente no 2º andar e no térreo, em virtude da quebra de telhas e entupimento de calhas causadas pelas obras do Edifício “REGINA”.
Incontinenti, dirigi-me ao Prédio “REGINA” e falei com a advogada CRISTINA que disse pouca coisa poder fazer uma vez que o Dr. MAURÍCIO, Síndico, estava nos EUA e só retornava no domingo (dia 16).
Não é a primeira vez que o Edifício “REGINA” causa problemas ao MMDC: neste ano, em janeiro, tivemos estragos consideráveis por causa da água da chuva que entrou no 2º andar, estragando o teto, o piso e o carpete.
Agora, pela água que entrou novamente, deveremos ter problemas com o teto, e, talvez, com o piso.
Ainda perdemos vários papéis que, molhados, ficaram emprestáveis; não há recurso financeiro para pagar a parte histórica dos documentos, mas o Edifício “REGINA” deve consertar o telhado e as calhas urgentemente, a fim de impedir novos estragos com as futuras chuvas, podendo danificar mais documentos históricos, de inestimável valor para o Estado de São Paulo.
Os danos causados no piso irão aparecer daqui há alguns dias, bem como o gesso do teto poderá cair.
Sou de opinião que o Síndico do Edifício “REGINA” tome conhecimento do ocorrido e as providências necessárias, procurando-se evitar as delongas como aconteceu no início do ano, consertando-se as partes afetadas depois de oito meses. O caso é que agora as chuvas mais fortes poderão acarretar uma verdadeira tragédia para com o nosso arquivo de sessenta e cinco anos.
Ainda sugiro, se o conserto começar a demorar, que se dê à Secretaria da Cultura e ao Comando Supremo da Sociedade, para dirimir responsabilidades, quanto ao estrago do patrimônio de 32.

14 DE NOVEMBRO DE 1997
No MMDC o CORONEL CANAVÓ elaborou os subsídios ao Comandante Geral sobre o “CASO REGINA”. Lê para mim os argumentos que o levaram a excluir a mulher do cargo de conselheira da Sociedade. Está bem feito o seu trabalho. O caso dos estragos causados pela chuva no dia de ontem, provocados pelos entulhos do edifício vizinho, fica em compasso de espera porque o síndico somente retornará de viagem no domingo. Ameaça chover novamente, por volta das 16 horas. A temperatura cai para 23 graus. Regresso a GUARULHOS usando o ônibus COCAIA.

Minhas anotações em 15 de novembro de 1997 (sábado): “Logo cedo LUCINDA começa a comemorar os seus sessenta anos (a acontecer dia 17) recebendo as visitas de sua irmã ESMERALDA e sua sobrinha SÔNIA, que lhe trazem os presentes de aniversário. Vão almoçar conosco. Mais tarde, visitam a mãe, dona ESMERALDA Em minha biblioteca, retorno QUARENTA ANOS no passado (1957) quando tinha vinte anos. Dava aulas em POÁ e MOGI DAS CRUZES, tentando me firmar na vida, já com responsabilidade de pai (MARIZETE tinha um ano de idade). Com as incertezas da escola, perdendo alunos no final daquele ano, resolvi tentar a sorte na FORÇA PÚBLICA, prestando exames para sargento escrevente. Essa era a idéia fixa em 1958, agora com 21 anos. Embora tivesse plena certeza de ser aprovado na parte intelectual, enfrentei um médico, o então tenente HALEN CHATTE, que me declarava INAPTO por falta de altura. Aparece nas páginas de meu diário o nome do MAJOR ADORNO, que me encaminhou ao Quartel General. Consegui um memorando do então Comandante Geral, CORONEL FAUSTO QUIRINO SIMÕES, autorizando meu alistamento. Finalmente, a 4 de junho de 1958, entrava para a FORÇA PÚBLICA. Na tarde, tenho problemas de saúde. Minha vista fica embaralhada. Deito e descanso. Ainda releio os dias 8 a 21 de novembro de 1981 a 1983 e os dias 15 a 21 de novembro de 1992 a 1996. O número 1 do tênis, o americano PETE SAMPRAS, classificou-se pela quinta vez para a final do MASTERS, campeonato mundial da ATP, que reúne os oito melhores jogadores do ano. Venceu o sueco JONAS BJORKMANN e seu adversário será o russo YEVGENY KAFELNIKOV, que bateu o espanhol CARLOS MOYÁ. No JOCKEY CLUBE BRASILEIRO, no centro do RIO, realizou-se a cerimônia de casamento da filha de ITAMAR FRANCO, FABIANA SUREROS FRANCO, com o economista capixaba FÁBIO VAREJÃO. O encontro acabou virando um evento político. Dois presidenciáveis, ITAMAR e o senador JOSÉ SARNEY, ambos da ala do PMDB que é crítica ao governo FERNANDO HENRIQUE, receberam o presidente às 19:50 horas. Dois minutos antes, o ex-ministro da Fazenda CIRO GOMES, que também é pré-candidato à Presidência e que deixou o PSDB fazendo fortes críticas ao governo, chegou acompanhado do senador do PPS ROBERTO FREIRE. O casamento teve a presença ainda de um outro crítico de FERNANDO HENRIQUE, o presidente nacional do PMDB, deputado PAES DE ANDRADE, de deputados e assessores e ex-ministros do governo ITAMAR. 

No dia 17 de novembro de 1997, no MMDC, tenho uma ligeira discussão com o zelador do Edifício REGINA. Quer ele tentar justificar a entrada das águas no dia 13 na Sociedade. A culpa é dos operários que não tiveram o cuidado com os entulhos que caíram sobre o telhado da Sociedade. O veterano SILVEIRA PEIXOTO vem conversar comigo sobre a reunião do Conselho Supremo do dia 20 quando será apresentado o Presidente do Conselho, CORONEL PM CARLOS ALBERTO DE CAMARGO. Ele escolherá o seu vice-presidente e o veterano SILVEIRA PEIXOTO pensa que ele irá sair do cargo. Acontece que SILVEIRA PEIXOTO é, por força estatutária o 2º Vice-presidente. O 1º Vice-presidente era o CORONEL PM ELYSEU GUILHERME SALGADO ROCHA que não quis mais pertencer ao quadro de conselheiro. Desde que estou no MMDC não vi o CORONEL PM ROCHA na Sociedade. Esse cargo vago é que será ocupado pelo CORONEL PM VALDIR SUZANO, conforme escolha do Cmt Geral. O veterano SILVEIRA PEIXOTO entende o que irá acontecer. O senhor GERALDO FARIA MARCONDES conversa conosco por telefone. Quer saber detalhes da solenidade da próxima quinta-feira. Redijo um documento sobre os estragos causados pelas chuvas no dia 13 de novembro. Já estou percebendo que o síndico do Edifício REGINA vai tentar protelar o conserto das partes danificadas. Às 16 horas, quando estou deixando o MMDC, vem chegando o CORONEL CANAVÓ.

19 DE NOVEMBRO DE 1997
CORONEL ARY CANAVÓ foi assistir a solenidade do 108º Aniversário da Bandeira Nacional no Comando Sudeste. Recebo as visitas do CORONEL PM ANTÔNIO CARLOS MENDES e CORONEL PM GUIMARÃES, atual Comandante da Polícia de Florestas e Mananciais - CPFM. O CORONEL PM MENDES traz fotos da solenidade de inauguração de um monumento aos veteranos de 32 na cidade de PEDREIRA. Conversa conosco sobre a maçonaria. O CORONEL PM GUIMARÃES estuda comigo a sua designação para secretário do Conselho Supremo do MMDC. O tempo transcorre muito rápido nesta quarta-feira. Às 16 horas deixo a Sociedade e vou embarcar no ônibus COCAIA, regressando a GUARULHOS nesta tarde de chuvisqueiros.

POSSE OFICIAL do CORONEL CARLOS ALBERTO DE CAMARGO, na PRESIDÊNCIA DO CONSELHO SUPREMO DA SOCIEDADE VETERANOS DE 32-MMDC. Em 20 de novembro de 1997. Ele era COMANDANTE GERAL DA PMESP. Encontro o CAPITÃO PM ARRUDA na porta da Sociedade Veteranos de32-MMDC. Ele me aguarda para elaborar o roteiro de apresentação do CORONEL PM CARLOS ALBERTO DE CAMARGO, Cmt Geral da PMESP, presidente nato do CONSELHO SUPREMO, aos veteranos e conselheiros do MMDC. O CORONEL PM Res ANTÔNIO CARLOS MENDES chega em seguida. Depois vêm SILVEIRA PEIXOTO – GERALDO FARIA MARCONDES – GERALDO PIRES DE OLIVEIRA (acompanhado de seu filho, FLÁVIO) – TEOBALDO DE FREITAS LEITÃO – JOSÉ SOARES MARINS – MANUEL DIAS DE OLIVEIRA – MAX BASILE- CORONEL Ref ARY CANAVÓ – CORONEL PM GUIMARÃES – CORONEL PM RENALDO – CORONEL PM ROBERTO LEMES e outros. Passa um pouco das 10 horas quando chega o Cmt Geral, CORONEL PM CARLOS ALBERTO DE CAMARGO. O CORONEL VALDIR SUZANO está em sua companhia. Constituída a Mesa de Trabalhos, o Sr MARCONDES saúda o Presidente do CONSELHO SUPREMO de acordo com um roteiro que eu lhe fiz. O Cmt Geral, como presidente do Conselho, empossa o seu vice-presidente, CORONEL PM ROBERTO LEMES DA SILVA e o seu Secretário, CORONEL PM GUIMARÃES. Em seguida, faz breve discurso. Encerra-se a reunião.

21 DE NOVEMBRO DE 1997
No MMDC, dona MARIA preparou os cheques para pagamento da metade do décimo-terceiro salário para os funcionários. O CORONEL CANAVÓ chega com idéias bem arrevesadas. É tema para um artigo para o famigerado jornal TRIBUNA DA IMPRENSA, um vivo ataque ao presidente FHC. Ninguém liga para as visões do CANAVÓ. Todas as suas idéias não são levadas em consideração pelos poderes constituídos. Apenas meia dúzia de pessoas, que são contra o governo, aplaudem seus escritos. Desta feita ele faz uma comparação bem esquisita entre HITLER e FHC. Diz que um pouco antes da Rendição Incondicional da ALEMANHA, na 2ª Grande Guerra Mundial, alguns generais quiseram assassinar HITLER para evitar o vexame da derrota. Talvez ele queira dizer, nas entrelinhas, que FHC deva ser assassinado. Enquanto o CORONEL CANAVÓ pensa nessas loucuras, deixa de presidir a Sociedade Veteranos de 32-MMDC, apenas fazendo dela o Posto de Comando de suas conspirações. Mando o VASCO levar para assinatura do CORONEL RENALDO, nosso tesoureiro, uma planilha de custos para 1998, que deve ser entregue na Secretaria da Cultura. Encaminho também ao Síndico do Edifício REGINA um relato dos estragos causados pelas águas da chuva que invadiram as dependências do MMDC no último dia 13. Elaboro também uma minuta da ATA da reunião de ontem. Vou encaminhá-la ao CORONEL GUIMARÃES, empossado secretário do CONSELHO SUPREMO. Às 16 horas, estou no METRÔ-SÉ. Desço na LUZ.

25 DE NOVEMBRO DE 1997
No MMDC mantenho contato com o CORONEL PM ROBERTO LEMES, Chefe do EM/CPM e vice-presidente do Conselho Supremo da Sociedade Veteranos de 32-MMDC. Ele definiu com o Comandante Geral, CORONEL PM CARLOS ALBERTO DE CAMARGO, a data de 8 de dezembro para a reunião do Conselho. Faço a Carta de Convocação e o VASCO irá levar para assinatura do Presidente do Conselho Supremo, amanhã.
Acerto com o CORONEL PM RENALDO a exposição da parte financeira para essa reunião. Peço a ele a compra de trinta cadeiras para a sala de reunião, bem como um coquetel para 8 de dezembro, quando os conselheiros irão se reunir, para uma confraternização de final de ano. O CORONEL PM RENALDO mandará o TENENTE-CORONEL PM BUCHERONI conversar comigo sobre esses assuntos, amanhã.
O CORONEL CANAVÓ prepara-se para uma viagem ao RIO. Tratará da parte política do Clube Militar e a futura eleição do novo presidente daquele clube, em meados de 1998. Ficará fora do MMDC até 1º de dezembro. Conta-me a sua vida profissional no Exército. Brigou muito com seus superiores hierárquicos. Isso lhe valeu algumas punições e transferências.

26 DE NOVEMBRO DE 1997
O CORONEL CANAVÓ viaja pra o RIO. Nesta semana estará empenhado nas escolhas das chapas para as eleições de julho de 1998 no CLUBE MILITAR. Como presidente do MMDC ele está contrariando os estatutos, fazendo política. Visita-nos o TENENTE-CORONEL BUCHERONI, da Diretoria de Finanças. O CORONEL PM RENALDO mandou-o ao MMDC para discutir a compra de cadeiras para a sala de reuniões. Talvez seja também adquirida uma mesa de reunião. Acertamos também um coquetel para a reunião dos Conselheiros no dia 8 de dezembro. Faço um contato com o TENENTE-CORONEL PM PEREIRA para se efetuar a pintura da frente do MMDC. Aproveito o sossego desta tarde, sem a presença do CANAVÓ, para ler documentos antigos do MMDC, conhecendo detalhes da existência da Sociedade. Chove bem nesta tarde de 23 graus.

27 DE NOVEMBRO DE 1997
No MMDC estamos sem a presença do CORONEL ARY CANAVÓ, fazendo política no RIO. Com isso podemos produzir mais no MMDC. O CORONEL PM ANTÔNIO CARLOS MENDES visita-nos. Aceita a incumbência de ser o Diretor de Comunicação Social. Representará a Sociedade no 106º Aniversário do 1º BPChq “TOBIAS DE AGUIAR” no dia 1º de dezembro. Não poderei comparecer nesse evento porque preciso ir ao INCOR. Compareço no CCB. Converso com o CORONEL PM RENATO, atual Comandante e com o TENENTE-CORONEL PM LADISLAU. Há necessidade de se pintar a frente do MMDC e só posso contar com a boa vontade dos nossos “vizinhos”. O TENENTE-CORONEL PM NEVORAL BUCHERONI, da Diretoria de Finanças, manda-me duas cadeiras para que eu escolha qual modelo deva ser adquirido para uma doação que a D Fin fará ao MMDC. Converso, por telefone, com o MAJOR PM PÉRSIO CORDEIRO, Sub-Cmt do 25º BPMM – ITAPECERICA. Ele é filho do CORONEL PM OSVALDO CORDEIRO. Quando eu era tenente trabalhei com o então CAPITÃO CORDEIRO, na companhia situada no PÁTEO DO COLLEGIO, nos anos 1969/1970/1971. Mais tarde, em 1976/1977 trabalhei com esse oficial no 9º BPMM. Conheci o PÉRSIO quando era garoto. A família do então CAPITÃO PM CORDEIRO residia em GUARULHOS, Diz o PÉRSIO que seu pai está residindo em GUARAREMA. Em casa na biblioteca, relembro 1960, 11º Tomo de minhas memórias. Naquela época era aluno oficial do 2º Ano Preparatório da Escola de Oficiais, no antigo CENTRO DE FORMAÇAO E APERFEIÇOAMENTO, hoje ACADEMIA MILITAR DO BARRO BRANCO.

Seguintes anotações em 28 de novembro de 1997: mantenho um contato telefônico com o MAJOR PM ADAUTO, da chefia de Gabinete do Comando Geral. Ele me diz que as cartas de Convocação dos Conselheiros do MMDC para a reunião de 8 de dezembro foram assinadas pelo Comandante Geral, CORONEL PM CARLOS AUGUSTO DE CAMARGO. Fala também que dona REGINA tem comparecido no GCG para saber de detalhes de sua petição para reingresso com conselheira do CONGRESSO. A Consultoria Jurídica estuda esse caso. O MAJOR PM ADAUTO acha que o CORONEL CANAVÓ extrapolou nas suas funções de Presidente da Diretoria Executiva e é bem possível que tenhamos o dissabor de vê-la de regresso. Em seguida, mantenho um contato telefônico com o senhor MARCONDES, presidente de honra do MMDC, sobre esse assunto. Diz ele que recebeu um telefonema da tal mulher dizendo que a Consultoria Jurídica da PM é lhe favorável. Também converso com os veteranos PIRES e SEVERINO DOS SANTOS sobre a reunião de 8 de dezembro.

29 DE NOVEMBRO DE 1997
Recebo um telefonema do senhor MARCONDES. Conta-me que o veterano SILVEIRA PEIXOTO, de 88 anos, caiu um tombo em sua residência, na última quarta-feira (dia 26) e trincou um osso da bacia. Está internado no Hospital São Camilo. Faço uma ligação telefônica com esse hospital e converso com dona HELENA, esposa do veterano. Diz ela que seu marido foi derrubado pelo cachorro e caiu de mau jeito. Colocaram-lhe um pino no local afetado e seis quilos de peso na perna para sofrer uma tração.Com isso, o SILVEIRA PEIXOTO não vai poder comparecer na reunião do Conselho Supremo no dia 8 de dezembro. Aviso o senhor GERALDO PIRES DE OLIVEIRA do que aconteceu com o SILVEIRA PEIXOTO. O senhor PIRES também está afastado do MMDC desde julho. Foi ele submetido a uma operação da hérnia.

1º DE DEZEMBRO DE 1997
No MMDC continuamos sem a presença do CORONEL CANAVÓ, o que é um verdadeiro alívio. Recebo um telefonema da indústria do senhor GUILHERME LEVENSTEIN. Os cartões de Natal estão prontos. O VASCO irá buscá-los amanhã. Mantenho um contato telefônico com o secretário do Conselho Supremo, o CORONEL PM GUIMARÃES. Peço para ele vir buscar uma minuta da Ata da reunião do dia 20 de novembro. Ele deveria tê-la feito, mas nem contato comigo manteve nesses dez dias. Outra reunião já está marcada para o dia 8 de dezembro.

2 DE DEZEMBRO DE 1997
Acerto detalhes com os bombeiros para a pintura da fachada do MMDC, bem como da entrada do prédio. Esse serviço tem início hoje. Chegam os cartões de Natal que foram confeccionados na J. L. indústria do JOSÉ GUILHERME LEVENSTEIN. O CORONEL CANAVÓ também não aparece hoje. Continua no RIO. Retorno mais cedo a GUARULHOS. Chove bem em SÃO PAULO.

3 DE DEZEMBRO DE 1997
Os bombeiros pintam hoje a frente da sede do MMDC. CORONEL CANAVÓ regressa do RIO. Diz que chegou às 2 horas. Começa já a falar mal do Presidente FERNANDO HENRIQUE CARDOSO e diz que ele está com câncer nos intestinos. Parece que o CANAVÓ quer matar o presidente de qualquer jeito. Ontem chegaram as trinta cadeiras e a mesa de reunião que pedi para o CORONEL PM RENALDO. Quem providenciou isso foi o TENENTE-CORONEL PM NEVORAL BUCHERONI, da Diretoria de Finanças. Converso, por telefone, com o senhor PIRES para doar os móveis velhos para o LAR ESCOLA SÃO FRANCISCO. CORONEL PM GUIMARÃES vem ao MMDC. Leva o Livro de Atas das reuniões do Conselho Supremo. Ele é o secretário do Conselho desde o dia 20 de novembro. Conversamos sobre a reunião de 8 de dezembro de 1997.

5 DE DEZEMBRO DE 1997
Tenho problemas no MMDC. O Senhor GERALDO FARIA MARCONDES está revoltado porque o CORONEL CANAVÓ quer mandar os cartões de Natal, feitos pelo LEVENSTEIN, para os sócios do MMDC, para os seus companheiros do famigerado Movimento Nativista. Esses elementos nada têm a haver com o MMDC e conspiram contra o governo FHC. O Senhor MARCONDES quer tirar o CANAVÓ da presidência, mas não toma uma iniciativa nesse sentido. Sabe-se que o CORONEL CANAVÓ é o atual presidente do MMDC graças às manobras do Sr MARCONDES em julho de 1996. CORONEL CANAVÓ e o veterano PAULINO vão às solenidades do 106º Aniversário do 2º BPMM. Eu estava pronto para comparecer no prédio onde fica a sede do CPA/M-4 e 2º BPMM, pois ali comandei em 1990. Acontece que não posso ir em companhia do CORONEL CANAVÓ, por ser uma pessoa mirada pelos oficiais da PM por causa de sua campanha acirrada contra o governo. Não compartilho das idéias arrevezadas dele.
Os bombeiros estão terminando de pintar a fachada e a entrada do MMDC. Pretende-se dar um aspecto novo à visita dos conselheiros no dia 8 (2ª feira). Converso com o MAJOR PM RAMOS, diretor de Recursos Humanos do CCB. Ele trabalhou comigo no choque, quando era tenente. Quero falar por telefone com os coronéis SUZANO e LEMES, do CPM. Estão numa OPERAÇÃO BLOQUEIO e isso fica para segunda-feira. Retorno para GUARULHOS no ônibus COCAIA. Desta vez o coletivo enche de passageiros. Em casa, abro uma velha caixa de madeira onde estão alguns anos de minhas memórias, partindo do 12º tomo (10 de julho de 1961 a 09 de julho de 1962) quando estava no Curso de Formação de Oficiais. Encerrava o 1º CFO e começava o 2º CFO. Passo uma boa parte dessa noite revendo essa papelada.

8 DE DEZEMBRO DE 1997
À tarde, temos a última reunião do CONSELHO SUPREMO da Sociedade Veteranos de 32-MMDC (no ano de 1997), em 8 de dezembro de 1997. O CORONEL ROBERTO LEMES DA SILVA preside essa reunião. O Cel. CARLOS ALBERTO DE CAMARGO, comandante geral da PMESP e presidente nato do CONSELHO SUPREMO não pôde comparecer, bem como o Cel. SUZANO. Há a explanação contábil do balancete de 97, feita pelo tesoureiro, Coronel RENALDO ALVES DA SILVA. Na mesa estão: Cel. EB R/R ARY CANAVÓ, Cel. PM LUIZ CARLOS DE OLIVEIRA GUIMARÃES (secretário), GERALDO FARIA MARCONDES, THEOBALDO DE FREITAS LEITÃO, PAULO BARROS DE CAMARGO e MAJOR JOEL DE AUGUSTO. Presentes: MAX BASILE, GERALDO PIRES DE OLIVEIRA e seu filho doutor FLÁVIO, JOSÉ MARINS, PAULINO DELFINO NOGUEIRA (empossado hoje como conselheiro), MANUEL DIAS DE OLIVEIRA, FERNANDO AUGUSTO DE CAMPOS PUPO ANHAIA LEITE, LUÍS FELIPE DE LIMA CORREIA LEITE e SEVERINO DOS SANTOS. O veterano SILVEIRA PEIXOTO mandou um recado pelo veterano LEITÃO que ainda está se convalescendo de uma queda, onde trincou um osso ilíaco. O veterano GERALDO FARIA MARCONDES fala do perigo da Sociedade não ter dinheiro para pagar os funcionários em meados de 1998 se não aumentarem a receita. Veladamente, critica a inoperância do presidente da Diretoria Executiva. Como hoje é dia em que os conselheiros estão se confraternizando pela data natalina que se aproxima, não é o momento para discussão. O Coronel ANTÔNIO CARLOS MENDES chega atrasado, mas participa do coquetel de encerramento da reunião. Inauguramos hoje as novas cadeiras e a mesa de reunião, conseguidas pelo Coronel RENALDO. Quando os conselheiros já estão se despedindo, chega um documento do Cel. CARLOS ALBERTO DE CAMARGO, presidente do Conselho Supremo, resolvendo a problemática da expulsão de dona REGINA CELENTANO do quadro de conselheiros. Acha ele que essa decisão é do CONSELHO SUPREMO. Dona REGINA deverá ser julgada numa futura reunião do conselho. O Cel. CANAVÓ não aprecia essa decisão do Cel. CAMARGO. Esse documento contraria a sua ação como Presidente da Diretoria Executiva, mas é o correto, como determina o Estatuto. Terminada a reunião, vou buscar o carro no 1º BPChq e regresso a GUARULHOS.

9 DE DEZEMBRO DE 1997
Chego no MMDC quando o CORONEL ARI CANAVÓ critica o papel do Comandante Geral, CORONEL PM CARLOS ALBERTO DE CAMARGO no Caso “REGINA”. Faço ver ao desnorteado CORONEL CANAVÓ que o Cmt Geral está certíssimo ao declarar que o problema deve ser decidido pelo Conselho Supremo da Sociedade Veteranos de 32-MMDC. O presidente perde-se em conversa fiada com o doutor PAULO LACERDA e um outro rapaz que também é contra o governo FHC. São idéias arrevezadas que estão fazendo do MMDC um antro de conspiração. O CORONEL CANAVÓ tem prejudicado muito a Sociedade com esse sua maneira de agir. Às 15:40 horas deixo o MMDC. Cada vez mais fico consciente dos estragos morais que o atual presidente vem causando à instituição.

12 DE DEZEMBRO DE 1997
No MMDC encontro o CORONEL CANAVÓ com as mesmas idéias de sempre: combater o governo. Faz do MMDC o seu posto de comando, contrariando totalmente a finalidade da Sociedade. Está ele preocupado com o “CASO REGINA”. O Senhor GERALDO FARIA MARCONDES telefona-me para contar que dona REGINA está usando o fax da Assembléia Legislativa para transmitir cópias do ofício do Presidente do Conselho Supremo, CORONEL PM CARLOS ALBERTO DE CAMARGO, onde diz que o ato de expulsão de dona REGINA do CONSELHO SUPREMO, feito pelo CORONEL CANAVÓ, é nulo. Deve ela ser submetida a um julgamento pelo Conselho Supremo. Quer o senhor MARCONDES que se convoque o Conselho já em janeiro de 1998 para discutir esse assunto. Discuto o problema com o CORONEL CANAVÓ. Isso fica para a semana que vem. Retorno a GUARULHOS no ônibus COCAIA.
LUCINDA conta-me que a mãe de dona JACIRA foi hoje internada num hospital de GUARULHOS.
A advogada MARA BORGATTO visita a LUCINDA nesta noite. Queixa-se da vida, por causa de complicados problemas familiares. É rejeitada pela mãe, deixada de lado na herança que lhe cabe por parte do pai. Envolvida pela religião que abraçou, há uma luta íntima entre a carreira de advogada e os seus compromissos para com a Congregação. Aos 41 anos, sozinha, com essas guerras psicológicas, MARA se perde no marasmo da vida. Procura uma taboa de salvação.
Começou em PARIS, o julgamento de CARLOS, o CHACAL, que nos anos 1970 foi o terrorista mais procurado do mundo. Envelhecido e subjugado ele não perdeu a pose no tribunal. Outros detalhes estão publicados numa reportagem do JORNAL DA TARDE, colecionada neste diário.
Começou a COPA DO REI, ou COPA DAS CONFEDERAÇÕES, em RIAD. O BRASIL venceu a ARÁBIA SAUDITA, na Abertura desse certame, por 3 a 0. ROMÁRIO marcou dois gols, completando CÉSAR SAMPAIO esse placar. A AUSTRÁLIA venceu o MÉXICO por 3 a 1. Com os dois gols marcados, ROMÁRIO passa a ser o terceiro maior artilheiro na história da seleção brasileira, com 44 gols, atrás apenas de PELÉ e ZICO.
BRASIL: DIDA, CAFU (ZÉ MARIA), ALDAIR, JUNIOR BAIANO e ZE ROBERTO; CESAR SAMPAIO, FLÁVIO CONCEIÇÃO, LEONARDO (JUNINHO) e DENILSON (RIVALDO), RONALDINHO e ROMÁRIO. ZAGALLO é o técnico de nossa seleção.
Em GUARULHOS, o 15º BPMM, comandado pelo TENENTE-CORONEL PM JOSÉ ROBERTO CRISÓSTOMO, prestou homenagens a oficiais e praças que receberam a láurea do mérito pessoal e medalhas. Várias autoridades civis e militares receberam diplomas de “AMIGO DA POLÍCIA MILITAR”. O CORONEL Av LUIZ SÉRGIO DE OLIVEIRA ARAÚJO, Comandante da Base Aérea de SÃO PAULO, presidiu o evento. O 15º BPMM pertence ao CPA/M-7, atualmente comandado pelo CORONEL PM MIGUEL PEIXOTO FRIZENE. O FRIZENE era major do CPA/I-8, em SÃO JOSÉ DO RIO PRETO, em 1991, quando comandei aquela região. 

15 DE DEZEMBRO DE 1997
No MMDC não cruzo com o CORONEL CANAVÓ. Estamos atravessando uma época de sossego. Podemos fazer planos para o ano novo. Visita-me o companheiro de bancos escolares e conselheiro do MMDC, CORONEL PM ANTÔNIO CARLOS MENDES. Quer dirimir dúvidas quanto aos regulamentos da Bandeira e do Hino Nacional.

Seguintes anotações feitas em 16 de dezembro de 1979: neste domingo vou para POÁ. Chove pela manhã. Minha mãe dá a notícia de que o MÁRIO não está mais trabalhando no Bar do meu primo CIDO. MARIZETE, minha filha, prestará exames para o BANCO DO BRASIL às 12:30 horas, na Faculdade de Arquitetura e Urbanismo “FARIAS BRITO”, em GUARULHOS. Levo-a até esse lugar, regressando a GUARULHOS às 11 horas. Chove durante o dia todo. LUCINDA recebe a visita da MARIA JAPONESA e a irmã dela. Na noite, o programa FANTÁSTICO dá ênfase para a violência. Em PORTO ALEGRE, o INTERNACIONAL empata com o PALMEIRAS por 1 a 1 e se classifica para a final do CAMPEONATO NACIONAL. O outro time é o VASCO DA GAMA que hoje venceu o CORITIBA por 2 a 1. Leio o Folhetim número 12 – CINEMA SOBRE OS ANOS 1970 – também continuo a ler “90 MINUTOS EM ENTEBBE – OPERAÇÃO RAIO”. 

17 DE DEZEMBRO DE 1997
Mantenho contatos telefônicos com o Senhor GERALDO PIRES DE OLIVEIRA (completando 57 anos de casado), CORONEL PM ADILSON TÚBERO (na reserva, aniversariante) e CORONEL PM Res ANTÔNIO CARLOS MENDES sobre os regulamentos da Bandeira e Hino Nacional, que ele deverá buscar amanhã, no Corpo Musical, com o CABO PM TADEU.
Não vejo hoje o CORONEL CANAVÓ no MMDC. Isso é muito bom. Não escutamos as conversas inverossímeis do presidente do MMDC contra o governo de FERNANDO HENRIQUE CARDOSO.

18 DE DEZEMBRO DE 1997
No MMDC tenho uma altercação com o CORONEL CANAVÓ. Diz ele que a Sociedade Veteranos de 32-MMDC não tem um presidente. Essa idéia é ridícula. Para que ele foi eleito? Nunca deve ter lido os estatutos da Sociedade ou é muito burro ou muito ingênuo. Quer ele ser um presidente com amplos poderes para fazer do MMDC o que bem entende. Isso é contraproducente. O veterano PAULINO fica de boca aberta com as asneiras pronunciadas pelo CANAVÓ. Sai ele com o PAULINO, Vão cumprimentar o Comandante Geral, CORONEL PM CARLOS ALBERTO DE CAMARGO, Presidente do CONSELHO SUPREMO do MMDC. Vejo que o CORONEL CANAVÓ tem “dor de cotovelo” porque o CORONEL PM CARLOS ALBERTO é seu superior na Sociedade. Evito ir em sua companhia ao QCG. Ele é mal visto pela oficialidade da PM, por causa de suas idéias lunáticas.

23 DE DEZEMBRO DE 1997
No MMDC, o CORONEL CANAVÓ ataca FERNANDO HENRIQUE CARDOSO, mas sem sua convicção. Despedimo-nos de dona MARIA, VASCO, MARCONI, ESTER. Apenas retornaremos em 5 de janeiro de 1998. Telefonamos para o SILVEIRA PEIXOTO, internado no HospitaL SÃO CAMILO. Além de quebrar o osso ilíaco, teve problemas com a vesícula, que lhe foi recentemente extirpada. Outros veteranos: senhor MARCONDES, senhor PIRES, THEOBALDO DE FREITAS LEITÃO, SEVERINO DOS SANTOS. Mando cartão de BOAS FESTAS para o ROBERTO BRITO DE LIMA e TININHO. Em casa, mantenho contato telefônico com o CORONEL PM NEY MOREIRA DOS SANTOS, que está completando 57 anos. Continua ele com problemas com os rins. Precisa fazer um transplante. Na noite, leio MEMÓRIA PAULISTA, uma obra muito bem feita por VAVY PACHECO BORGES, pesquisadora e historiadora. VAVY foi buscar nos escritos e nas aquarelas do velho CORONEL ALFREDO FEIJÓ o seu tema para falar de SÃO PAULO dos anos 30. O livro é revelador e se pode entender o Movimento Constitucionalista de 32 por um outro prisma. Na época de 32, o então CAPITÃO ALFREDO FEIJÓ comandou a Cavalaria “RIO PARDO” e, no conjunto de aquarelas denominado “LEMBRANÇAS” ele traz até nós o que aconteceu naquela área compreendida entre ITAPEVA – RIBEIRÃO BRANCO – APIAÍ – CAPÃO BONITO – BURI. Essa é a FRENTE SUL da Campanha de 32. 

Nenhum comentário: