quinta-feira, 23 de fevereiro de 2017

GUARDA PRETORIANA NO ESPÍRITO SANTO - POR JACKSON RANGEL VIEIRA


"Guarda Pretoriana" está sendo criada no ES para proteger o governador Paulo Hartung (PMDB)"Guarda Pretoriana" está sendo criada no ES para proteger o governador Paulo Hartung (PMDB)!
*Por Jackson Rangel Vieira
 
No Espírito Santo, diferente de qualquer estado federativo, terá uma  "Guarda Pretoriana" para proteger o governador Paulo Hartung (PMDB) e sua família, revelando a face otaviana do imperialismo em pleno século XXI. Os legionários estão sendo recrutados.
 
Aproveitando-se de movimento equivocado da Polícia Militar do Estado do Espírito Santo, de 200 anos de tradição, a política imperialista do Comandante-Chefe surge com a destruição da PM, aos auspícios da batuta do coronel Nylton Rodrigues.
 
O Imperador
O jornalismo nacional e o mercado político além das fronteiras do Estado não conhecem "O Imperador", vulgo Paulo Hartung (invertido mesmo). A alcunha lhe acompanha desde quando era prefeito de Vitória (1992), pela força de capricho que impõe contra adversários.
 
Aos poucos, para vergonha da sociedade capixaba, o governador foi se apossando de territórios dentro dos poderes do Judiciário; do Legislativo; do Ministério Público; e do Tribunal de Contas. Como conquistador, impôs o medo a serviço de destruir desafetos e esconder seus pecados  e crimes de ordem pública.
 
Praetorium
O Governador sufocou o motim dos policiais que se submeteram ao "Movimento de Saias", integrado pelas esposas dos PMs que debaixo da crueldade medieval dele, estão apelando para não punição de seus amados. O "Imperador" não tem piedade! 
 
Mais de mil soldados serão atirados aos calabouços com prisões, expulsões e humilhações em curso. A Polícia Militar não existe mais. Foram destituídas todas  as unidades de elite e seus membros encolhidos como espantalhos, cabisbaixos, enquanto se cria a legião.
 
Principado
O Coronel Nylton Rodrigues conquistou a confiança para criar a "Guarda Pessoal" do governador. A partir desta linha do tempo, Hartung remonta a história 24 A.C, recebendo dele mesmo o título de "O Príncipe" em busca da glória do povo capixaba "plebeu".
 
Com o fim da PM e a criação da PME (Polícia Militar Especiais) ao gosto da corte, o Espírito Santo sofre o maior revés na Segurança Pública da história brasileira. Os novos legionários vão produzir terror maior do que a insegurança em si, estigma da sua governança. Surgirão outros "Alexandre Martins".
 
A Política
A política será militarizada, pretoriana. PH, agora, colocará a "coroa de folhas" e a constituição do Estado pode ser alterada. A insígnia de "Governador" para "Imperador. A menos que as instituições não se submetam mais ao capricho desse imperialismo e retomam o sistema republicano, impedindo a instalação da monarquia primária.
 
Paulo Hartung manipula a Imprensa Corporativa para se apresentar como um estatista. Não conseguiu até hoje nem na aparência. Os PMs se revoltaram ante tanta opressão. Não deu certo. A população foi punida e a inversão de valores se instalou. Só a insurreição popular destitui um ditador e não pode demorar além de 2018.
 
*Jackson Rangel Vieira é jornalista, colaborador do PORTAL FOLHA DO ES

Nenhum comentário: