terça-feira, 28 de março de 2017

TROQUE-SE O POVO - ROBERTO DE ALMEIDA

TROQUE-SE O POVO"

Entrada
x

Roberto de Almeida

00:02 (Há 11 horas)
para AraciGiselleMartatelmatelfleschtelma-loboricardoallegroAndréRicardoRicardoRicardoricknnickeljoaolemosbarbo.JoaquimJoséTâmaraJosejoseJosejosilspJoséHelioDarioCelsoDario
Antigamente,  os  "gozadores"  (??)  contavam,  a  título de  piada,  uma  história  sobre  o  Brasil.Como  já  deve  ser  de  conhecimento  geral,  vou  repeti-la,  apenas,  para  os  poucos  amigos  que  a  desconhecem.

Resumindo,  dizem  que,  quando   Deus  criou  o  mundo,  para  ensinar   aos  homens,  distribuiu pelas  várias  regiões  do  planeta,  a  possibilidade da  ocorrência  de  terremotos,  tsunamis, nevascas,  até  colocou  vulcões   em  algumas  regiões.   Uma  parte  da  América  do  Sul,  entretanto,  foi  poupada  destas  "calamidades".  Exatamente  onde  se  localiza  o  Brasil.  Ampla  costa,  terras  de  boa  qualidade,  clima  aprazível.   Um  anjo,  olhando  o  que  fazia  o  Senhor, achou  estranho  e, tomando  coragem,  perguntou:  Perdoe-me  Senhor. Mas,  por  que  naquele  lugar  o  Senhor  não  colocou  nem  terremoto,   nem  vulcões, nem  mesmo  um  "tsunamesinho" ?  O  Senhor  perdoou  a  aparente   impertinência  do  anjo  e  respondeu:  "Você  precisa  ver  o  "povo"  que  eu  vou  colocar  lá".


Há  cerca  de  um mês  milhares  (ou  seriam  milhões  ? )  de  felizes  cidadãos, "deste  lado  do  Paraíso",  aparentemente  racionais  e  felizes,   durante  um  mês,  sob  as  câmeras  da  televisão,  balançaram  o  "traseiro"  ao  som  de  "cuícas"  e  "tamborins", "fantasiados"  e  "pintados",   em  todas  as  unidades  da  Federação  numa  "comemoração"    de  "nada";  

 

Enquanto  isso,  há  três  anos,  uma  Operação  deflagrada  por   alguns  componentes   do  MP  e  da  PF  "escancarava",  para  quem  não fosse "débil  mental",  a maior   "roubalheira"  da  história  "mundial",  envolvendo  grandes  empresas,  e  um  até  agora  incalculável  número  de  "políticos", eleitos  pela  "vontade  livre  e  soberana"  deste   mesmo    povo.   


Ontem,  promovido  por  algumas  entidades  civis,  uma  manifestação  de  "apoio"  e  "defesa"  das  investigações  que,  a  bem  da  verdade,  não  teve  o  incentivo  da  "mídia",  contou  com  um  número  desprezível  (se   compararmos   com  o  "desbunde"  de  um  mês  atrás) de  alegres  participantes.   Muitos,  usando as  cores  "verde  e  amarela"   da  bandeira  nacional.


Comungo  com  um  pequeno  número  de  cidadãos  que,  infelizmente, as  investigações  do  MP  e  da  PF,  provavelmente,  quando  chegarem  às  "instâncias  superiores"  -  se  chegarem  -  não  darão  em  NADA.   Não  tenho,  nem  vivo  de  ilusões.  Talvez,  por  este  motivo,  não  danço   nas  ruas.  Na  "melhor das  hipóteses"  alguns  "bodes  expiatórios"  -  não  necessariamente  inocentes,  talvez,  tenham  que  "usar  tornozeleiras"  (se  o Estado   (digo,  o "povo" )   tiver  dinheiro  para  pagá-las ! ).  

Continuaremos  a  ter  "hospitais  sucateados",  "escolas  que  não  ensinam",  "milhões  de  desempregados"   (até  quando ?), "segurança  sofrível",  mas,  os "blocos  carnavalescos",  com  o  incentivo  da  "mídia",  continuarão  a  se  multiplicar ,os  "torcedores"  continuarão a  se   matar  com  as  derrotas  dos  seus  times,  e  cerca  de  50.000  incautos  cidadãos  deste  país  irão  visitar  "São  Pedro"  mais  cedo, vítimas  do  "crime  desorganizado"  (o  "organizado"  está  no  "poder")  repetindo   o  que  vem  acontecendo  todos  os  anos.  Os   políticos  (os  mesmos  ou  parecidos)  continuarão  a  ser  "eleitos",  com   "listas  fechadas,  abertas, ou  semi-abertas,   ou   semi-fechadas"  (tanto  faz),  "modelo   alemão"  ou  "marciano" .    Quem  viver,  VERÁ.   E  o  "povo"   continuará  a  DANÇAR.

Permitam-me  os  amigos,   já  que  iniciei  com  uma "piada",  terminar  com  outra.   Contam  que  num  Congresso,  realizado  em  Portugal,  um  grupo  de  brasileiros  resolveu  gozar  os  participantes   portugueses  contando  "piadas"   de  português.  Um velho  português, no  fim  do  Congresso,  resolveu  dar  o  troco,  contando  uma   piada  de  "brasileiro".   Reuniu  o  grupo  de  gozadores  e   disse:  "vocês  conhecem  a  história  de  Noé,  da  Bíblia.  Noé  reuniu  todos  os  bichos  no  barco   para  salvá-los  do  dilúvio.   Como  o  espaço  era  limitado,  a  medida  que  os  animais  "cagavam",   as  fezes  eram  depositadas  numa  "balsa",  anexa  ao  barco.   Quando  cessou  o  dilúvio,  Noé  mandou  desatar  a  "balsa"  do  barco  e  a  mesma  foi  levada pelas  águas"   

"E  daí,  perguntou  um  brasileiro,  onde  está  a  "piada"  ?

O  velho  português  respondeu:   "Em  1500   Pedro  Álvares  Cabral  DESCOBRIU  A  BALSA."


BOA  NOITE,  BOA  SORTE  AOS  AMIGOS .  VAMOS  PRECISAR. ! 

Nenhum comentário: