domingo, 24 de março de 2019

21 ANOS DA CHACINA NO ESTADO DE ARKANSAS (EUA) - 24 DE MARÇO DE 1998.

Arkansas enterra vítimas de massacre
das agências internacionais 

Parentes e amigos das vítimas do massacre ocorrido na terça-feira em Jonesboro (Arkansas) começaram ontem os funerais.
Cerca de 500 pessoas foram ao enterro de Paige Ann Hering, que completara 12 anos havia duas semanas. Natalie Brooks, 11, também foi enterrada ontem. Os funerais das outras três vítimas fatais do massacre ocorrido numa escola local estão marcados para hoje.
Quatro estudantes e uma professora foram mortas a tiros numa emboscada na escola. Mitchell Johnson, 13, e Andrew Golden, 11, estão presos, suspeitos dos crimes.
Eles teriam acionado o alarme de incêndio da escola para provocar a saída dos alunos e professores. Escondidos entre arbustos e vestidos com roupas camufladas, eles teriam atirado e matado as cinco pessoas, além de ferir outras dez. Cinco feridos continuam internados, mas seu estado não é grave.
Segundo depoimentos de alunos, eles teriam feito ameaças depois de terem sido rejeitados por colegas de escola que acreditavam ser suas namoradas.
Estudantes, amigos e parentes das vítimas lotaram a capela da cidade, de 50 mil habitantes, onde ocorreu o funeral. Todos usavam uma fita branca, e a música "My Heart Will Go On", tema do filme "Titanic", foi executada.
Depois, o corpo de Hering foi acompanhado até o cemitério por um cortejo de 200 carros.
Pai admite culpa 
O pai de Mitchell Johnson, Scott, admitiu ontem que seu filho é culpado. "Por mais difícil que seja para mim admitir, meu filho é culpado. Esta é uma tragédia horrível."
Johnson dissera antes em entrevista à TV que seu filho estava com remorso e que "não é um animal".
Patricia e Dennis Golden, pais do outro acusado, mandaram condolências às famílias dos mortos e disseram não entender o que aconteceu.
Dennis Golden preside o clube de tiro local e ensinou o filho a atirar. As armas para a execução do massacre -rifles e pistolas automáticas- foram furtadas da casa do avô de Andrew.
A polícia disse ontem que os meninos pretendiam fugir em um furgão depois do ataque à escola. Foram encontradas armas e munição no veículo.
Os dois garotos estão detidos em um centro de reclusão juvenil, onde ficarão pelo menos até 29 de abril, quando haverá nova audiência do caso.
Segundo a polícia, o mais velho passa o tempo lendo a Bíblia, e o outro, chorando.
Por causa de suas idades, eles devem permanecer presos no máximo até os 18 anos. Promotores do Estado estão tentando encontrar uma brecha legal para que pelo menos o mais velho seja julgado como adulto.
O presidente dos EUA, Bill Clinton, que é do Estado de Arkansas, mandou suas condolências da África do Sul, onde está em visita oficial.
"Não há nada mais trágico do que uma criança roubada de sua oportunidade de crescer", afirmou o presidente.

Nenhum comentário: